Your SlideShare is downloading. ×
0
Gerência de Memória
Gerência de Memória
Gerência de Memória
Gerência de Memória
Gerência de Memória
Gerência de Memória
Gerência de Memória
Gerência de Memória
Gerência de Memória
Gerência de Memória
Gerência de Memória
Gerência de Memória
Gerência de Memória
Gerência de Memória
Gerência de Memória
Gerência de Memória
Gerência de Memória
Gerência de Memória
Gerência de Memória
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Gerência de Memória

6,906

Published on

Published in: Technology, Travel
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
6,906
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
274
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Gerência de Memória Ernesto Massa
  • 2. Memória <ul><li>Considerações: </li></ul><ul><ul><li>Recurso caro e escasso ; </li></ul></ul><ul><ul><li>Programas só executam se estiverem na memória principal; </li></ul></ul><ul><ul><li>Quanto mais processos residentes na memória principal, melhor será o compartilhamento do processador; </li></ul></ul><ul><ul><li>Necessidade de uso otimizado; </li></ul></ul><ul><ul><li>O S.O. não deve ocupar muita memória; </li></ul></ul><ul><ul><li>“ É um dos fatores mais importantes em um projeto de S.O.”. </li></ul></ul>
  • 3. Gerenciamento de Memória <ul><li>Algumas funções do Gerenciador de memória: </li></ul><ul><ul><li>Controlar quais as unidades de memória estão ou não estão em uso, para que sejam alocadas quando necessário; </li></ul></ul><ul><ul><li>Liberar as unidades de memória que foram desocupadas por um processo que finalizou; </li></ul></ul><ul><ul><li>Tratar do Swapping entre memória principal e memória secundária. </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Transferência temporária de processos residentes na memória principal para memória secundária. </li></ul></ul></ul>
  • 4. Gerenciamento de Memória <ul><li>Técnicas de Alocação de Memória: </li></ul><ul><ul><li>Alocação Contígua Simples; </li></ul></ul><ul><ul><li>Alocação Particionada Estática; </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Alocação Particionada Estática Absoluta; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Alocação Particionada Estática Relocável; </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Alocação Particionada Dinâmica. </li></ul></ul>
  • 5. Alocação Contígua Simples <ul><li>Alocação implementada nos primeiros sistemas e ainda usada nos monoprogramáveis; </li></ul><ul><li>A Memória é dividida em duas áreas: </li></ul><ul><ul><li>Área do Sistema Operacional </li></ul></ul><ul><ul><li>Área do Usuário </li></ul></ul><ul><li>Um usuário não pode usar uma área maior do que a disponível; </li></ul><ul><li>Sem proteção: </li></ul><ul><ul><li>Um usuário pode acessar a área do Sistema Operacional. </li></ul></ul>Memória principal Sistema Operacional Área de Programas do usuário
  • 6. Alocação Contígua Simples <ul><li>Registrador de proteção delimita as áreas do sistema operacional e do usuário ; </li></ul><ul><li>Sistema verifica acessos à memória em relação ao endereço do registrador ; </li></ul><ul><li>A forma de alocação era simples, mas não permitia utilização eficiente de processador e memória; </li></ul>Memória principal Sistema Operacional Área de Programas do usuário Reg
  • 7. Alocação Contígua Simples <ul><li>Programas de usuário limitados pelo tamanho da memória principal disponível. </li></ul><ul><li>Solução: Overlay </li></ul><ul><ul><li>Dividir o programa em módulos; </li></ul></ul><ul><ul><li>Permitir execução independente de cada módulo, usando a mesma área de memória; </li></ul></ul><ul><li>Área de Overlay </li></ul><ul><ul><li>Área de memória comum onde módulos compartilham mesmo espaço. </li></ul></ul>Memória principal Sistema Operacional Área de Overlay Área do Módulo Principal A B C
  • 8. Alocação Particionada <ul><li>Multiprogramação . </li></ul><ul><ul><li>Necessidade do uso da memória por vários usuários simultaneamente. </li></ul></ul><ul><li>Ocupação mais eficiente do processador; </li></ul><ul><li>A memória foi dividida em pedaços de tamanho fixo chamados partições ; </li></ul><ul><li>O tamanho de cada partição era estabelecido na inicialização do sistema; </li></ul><ul><li>Para alteração do particionamento, era necessário uma nova inicialização com uma nova configuração. </li></ul>
  • 9. Alocação Particionada Estática <ul><li>Alocação Particionada Estática Absoluta : </li></ul><ul><ul><li>Compiladores gerando código absoluto ; </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Endereços relativos ao início da memória; </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Programas exclusivos para partições específicas . </li></ul></ul><ul><li>Alocação Particionada Estática Relocável : </li></ul><ul><ul><li>Compiladores gerando código relocável ; </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Endereços relativos ao início da partição; </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Programas podem rodar em qualquer partição . </li></ul></ul>
  • 10. Alocação Particionada Estática <ul><li>Proteção: </li></ul><ul><ul><li>Registradores com limites inferior e superior de memória acessível. </li></ul></ul><ul><li>Programas não ocupam totalmente o espaço das partições, gerando uma fragmentação interna . </li></ul>Memória principal Sistema Operacional Partição C Partição A Reg Reg Partição B
  • 11. Alocação Particionada Dinâmica <ul><li>Não existe o conceito de partição dinâmica. </li></ul><ul><ul><li>O espaço utilizado por um programa é a sua partição. </li></ul></ul><ul><li>Não ocorre fragmentação interna. </li></ul><ul><li>Ao terminarem, os programas deixam espalhados espaços pequenos de memória, provocando a fragmentação externa . </li></ul>Memória principal Sistema Operacional Processo E Processo A Processo C Processo F
  • 12. Alocação Particionada Dinâmica <ul><li>Soluções: </li></ul><ul><ul><li>Reunião dos espaços contíguos. </li></ul></ul><ul><ul><li>Relocação Dinâmica : </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Movimentação dos programas pela memória principal. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Resolve o problema da fragmentação. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Consome recursos do sistema </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Processador, disco, etc. </li></ul></ul></ul></ul>Memória principal Sistema Operacional Processo E Processo A Processo F
  • 13. Gerência de Memória <ul><li>Mapeamento de bits: </li></ul><ul><ul><li>Cada bit representa uma unidade de alocação; </li></ul></ul><ul><ul><li>Raramente é utilizado atualmente. </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>É muito lenta. </li></ul></ul></ul><ul><li>Mapeamento da Memória com listas ligadas : </li></ul>Header P/B início tamanho P/B início tamanho P: Processo B: Buraco
  • 14. Gerência de Memória <ul><li>Mapeamento da Memória com listas ligadas: </li></ul><ul><ul><li>Best-Fit (melhor alocação): </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Espaço mais próximo do tamanho do processo; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Tempo de busca grande; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Provoca fragmentação. </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Worst-Fit (pior alocação): </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Cria o maior espaço possível; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Tempo de busca grande; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Não apresenta bons resultados. </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>First-Fit (primeira alocação): </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Melhor performance. </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Next-Fit (proxima alocação): </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Performance inferior ao First-Fit. </li></ul></ul></ul>
  • 15. Gerência de Memória <ul><li>Considerações sobre Mapeamento da Memória com listas ligadas : </li></ul><ul><ul><li>Todos melhoram em performance se existirem listas distintas para processos e espaços, embora o algoritmo fique mais complexo. </li></ul></ul><ul><ul><li>Listas ordenadas por tamanho de espaço melhoram a performance. </li></ul></ul>
  • 16. Swapping <ul><li>Os processos ficavam na memória principal, mesmo se bloqueados pela espera de algum evento. </li></ul><ul><li>Solução: Swapping . </li></ul><ul><ul><li>Técnica para resolver problema de processos que aguardam por espaço livre adequado; </li></ul></ul><ul><ul><li>Processos não ficam mais na memória o tempo todo. </li></ul></ul>
  • 17. Swapping <ul><li>Um processo residente na memória é levado para o disco ( Swapped-Out ), dando lugar a outro; </li></ul><ul><li>O processo Swapped-Out retorna à memória ( Swapped-In ), sem “perceber” o que ocorreu. </li></ul>programa B programa A programa E programa A programa G Sistema Operacional Memória principal programa H programa E programa A B B Swap In Swap Out Sistema Operacional programa B
  • 18. Swapping <ul><li>Problema gerado pelo Swapping: </li></ul><ul><ul><li>Relocação de processos: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>O tempo gasto com relocação é alto; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Um mesmo processo sendo Swapped-Out repetidas vezes gera um alto consumo de CPU. </li></ul></ul></ul>
  • 19. Swapping <ul><li>Vantagens da técnica de Swapping : </li></ul><ul><ul><li>Permite maior compartilhamento da memória; </li></ul></ul><ul><ul><li>Aumento no Throughput (quantidade de processos executados por unidade de tempo); </li></ul></ul><ul><li>Eficiente para sistemas com poucos usuários e pequenas aplicações; </li></ul><ul><li>Problema: </li></ul><ul><ul><li>custo do Swapping (in/out). </li></ul></ul>

×