Your SlideShare is downloading. ×
Backups e restauração de dados
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Backups e restauração de dados

3,482
views

Published on


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
3,482
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
116
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. H.A. Wallysson Santos
  • 2. Backups e restauração de dados
    • Backup é uma das tarefas mais incômodas na administração de sistemas mas é sem dúvida uma das mais importantes.
    • Backup é nossa última linha de defesa contra perda de dados.
    • O valor real do backup nós só vemos realmente no momento da restauração dos dados. Se conseguimos restaurar os dados todo esforço valeu a pena.
  • 3. Regras básicas para backups
    • Mesmo se todo nosso plano de H.A falhar, nós podemos restaurar o negócio com outros equipamentos a partir dos backups gerados.
    • Mas para isso há uma serie de condições “SE” que devemos atender para que tudo funcione bem e consigamos restaurar os dados.
  • 4. Regras básicas para backups
    • Espelhamento não substitui backup: o espelhamento de discos ajuda a aumentar a segurança do armazenamento e a disponibilidade dos dados, mas não deve ser a única proteção contra perda de dados.
    • Se um arquivo é deletado em um lado do espelhamento, também será deletado do outro.
  • 5. Regras básicas para backups
    • Teste a restauração periodicamente: Backups são muito importantes mas se não pudermos restaurá-los não servem pra nada.
    • Todas as fitas de backups devem ser testadas periodicamente.
    • Da mesma forma todos os drives de fita também devem ser testados para verificar a capacidade de leitura e gravação.
  • 6. Regras básicas para backups
    • Mantenha drives e fitas em boas condições: um pouco de sujeira em um drive de fita pode comprometer o backup.
    • Esteja atendo a vida útil das fitas: Os fabricantes informam o nº de gravações que um fita suporta em média, passado o tempo indicado devemos trocá-las.
  • 7. Regras básicas para backups
    • Faça duas cópias de fitas com dados críticos: Devemos fazer duas cópias das fitas com dados mais críticos e guardar a segunda de preferência fora da organização.
    • Troque a mídia dos dados mais antigos: Devemos transferir os dados das fitas mais antigas para fitas mais novas.
  • 8. Do que devemos ter backup?
    • Todo arquivo que envolva tempo do usuário para recolocar seus dados caso ele seja perdido, deve ser “backupado”.
    • Os dados de qualquer servidor devem ser “backupados”. Arquivos de configuração de dispositivos de rede.
    • Backup dos servidores deve ser apenas uma parte da nossa política de backup.Ex:
      • Alguns estudos revelaram que 60% dos dados mais críticos das empresas estão nos Laptops.
  • 9. Do que devemos ter backup?
    • Alguns softwares de Backup utilizam indexes para permitir uma restauração mais rápidas dos dados, esses indexes devem ser “backupados”.
    • Devemos ter Backups dos Backups: Os backups devem ser armazenados próximos aos drives de fita, para que possam ser recuperados de forma rápida. Mas devemos manter uma outra cópia dessas fitas, fora da empresa.
  • 10. Software de backup
    • Comercial ou “feito em casa”?
    • Custo é um dos principais fatores que levam a utilização de sistema de backup “feitos em casa” principalmente para plataforma Unix.
    • Esse tipo de sistema faz uso geralmente das ferramentas de backup do S.O como tar, Gzip, Dump e etc.
    • Essas ferramentas costuma oferecer algumas limitações como tamanhos de nome de arquivos, tamanho do backup.
  • 11. Software de backup
    • Esse tipo de sistema “feito em casa” possuem performance baixa e inconsistente.
    • Esses são apenas duas razoes pelas quais o uso de software de backup comercial tem crescido muito nos últimos anos.
    • Vamos ver quais são os pontos mais importantes que devemos verificar ao escolher um software de backup.
  • 12. Software de backup
    • 100% de utilização do hardware: A falta compatibilidade entre hardware e software de backup pode não aproveitar o máximo desempenho do hardware. Devemos busca a melhor relação além de observar escalabilidade do sistema.
    • Hot Backups: O sistema de backup deve permitir a execução com o sistema em operação sem grandes danos ao desempenho.
  • 13. Software de backup
    • Formatos de backup abertos: o software deve gravar em formatos que possam ser lidos por outros softwares.
    • Desempenho: Velocidade de gravação e restauração dos dados.
    • Suporte a hardware flexível: suporte a soluções de diversos fabricantes.
    • Multi-plataforma: Deve ser capaz de operar e realizar backup de diversos S.O´s.
    • Seja um produto maduro.
  • 14. Performance de backup
    • Os Backups são tão rápidos quantos os pontos mais lentos da rede.
    • Quando analisamos a velocidade dos backups existem 2 pontos que irão influenciar no desempenho:
      • A velocidade em que os dados são gravados pela fita.
      • A velocidade em que os dados são enviados para o drive de fita, seja no barramento local ou pela rede.
  • 15. Troughtputs de rede 540 150 75% 720 200 1600 Fibra 2X 270 75 75% 360 100 800 Fibra 1X 270 75 60% 450 125 1000 Gigabit 27 7.5 60% 45 12.5 100 100Base-T 2.7 0.75 60% 4,5 1.25 10 10Base-T Real Gbyte/ Hora Real Mbytes/ sec % Utiliz Teórico Gbytes/hora Teórico Mbytes/sec Teórico Mbits/sec Rede
  • 16. Drives de Fita - Performance 57.6 (115.2) 16 (32) 160 (320) Super DLT 21.6 (43.2) 6 (12) 40 (80) DLT 8000 18 (36) 5 (10) 35 (70) DLT 7000 5.4 (10.8) 1.5 (3) 20 (40) DLT 4000 gravação Gigabyte/hora (compactado) gravação Megabytes/sec (compactado) Capacidade em Gigabytes (compactado) Tape drive
  • 17. Barramento local 360 100 Fibre channel 1.150 320 Ultra 320 SCSI 576 160 Ultra 160 SCSI 288 80 Ultra 2 SCSI 144 40 Ultra SCSI 72 20 Wide SCSI 36 10 Narrow SCSI Gigabytes/Hora Megabytes/Sec Tipo de conexão
  • 18. Performance de backup
    • Os Backups são tão rápidos quantos os pontos mais lentos da rede.
    • Quando analisamos a velocidade dos backups existem 2 pontos que irão influenciar no desempenho:
      • A velocidade em que os dados são gravados pela fita.
      • A velocidade em que os dados são enviados para o drive de fita, seja no barramento local ou pela rede.
  • 19. Performance de backup – Exemplo 1 DB Aplicação WEB MAIL WorkFlow 40GB 5GB 5GB 5GB 5GB DLT 7000 10BaseT
  • 20. Performance de backup – Exemplo 1
    • Temos que realizar backup de 60GB de dados divididos entre 5 servidores.
    • Os dados são enviados para um servidor de backup onde temos instalado um drive DLT 7000.
    • Todas essas máquinas estão ligadas através de uma rede 10BaseT.
    • Hoje esse backup leva 22 horas para ser realizado. O que podemos fazer para aumentar a performance do backup?
  • 21. Performance de backup – Exemplo 2 DB Aplicação WEB MAIL WorkFlow 40GB 5GB 5GB 5GB 5GB DLT 7000 100BaseT
  • 22. Tipos de backup
    • Existem diversas técnicas para realizar backup de dados.Ex:
      • Full
      • Incremental
      • Hot
      • Hierárquico
      • Arquivamento
      • Multi-plexed
    • Iremos falar de algumas técnicas que nós permitem incrementar a performance dos backups.
  • 23. Backup Incremental
    • Nos exemplos que discutimos até agora, utilizamos o backup Full, onde todos os dados são copiados.
    • Backup incremental só copia os arquivos e dados que foram alterados desde ó último backup.
    • Existem dois tipos de backup incremental:
      • Incremental acumulado: Todos os dados alterados desde o ultimo backup full serão copiados.
      • Incremental diferencial: Todos os dados alterados desde o ultimo backup diferencial serão copiados.
  • 24. Backup Incremental
    • Diferença do backup acumulado para o diferencial: Uma empresa tem 60GB de dados que devem ser backupados , desses apenas 5GB mudam diariamente.
    • Veja a diferença de desempenho quando realizamos as seguintes políticas:
      • Backup Full semanal e acumulado diário
      • Backup Full semanal e diferencial diário
  • 25. Backup Incremental Full - 60GB 3 horas Full - 60GB 3 horas Full - 60GB 3 horas Full - 60GB 3 horas Full - 60GB 3 horas Full diário Alterados desde de segunda (14GB, 42 min) Alterados desde de segunda (12GB, 36 min) Alterados desde de segunda (9GB, 27 min) Alterados desde de segunda (5GB, 15 min) Full - 60GB 3 horas Full semanal acumulado diário Alterados desde de quinta (5GB, 15 min) Alterados desde de quarta (5GB, 15 min) Alterados desde de terça (5GB, 15 min) Alterados desde de segunda (5GB, 15 min) Full - 60GB 3 horas Full semanal diferencial diário Sexta Quinta Quarta Terça Segunda
  • 26. Hierarchical Storage Management - HSM
    • Uma atividade muito interessante que pode ser realizada pelos administradores da rede é utilizar as ferramentas dos S.O´s para gerar relatórios para os usuários sobre a utilização de seus arquivos.
    • O Admin pode buscar por arquivos que não foram acessados no último mês, ou nos últimos 6 meses.
    • Esse monte de arquivos que não são utilizados consomem recursos e tempo de backup.
  • 27. Hierarchical Storage Management - HSM
    • O HSM examina os arquivos que tenham sido modificados recentemente, de acordo com uma política definida pelo administrador.
    • Os arquivos que não tenham sido acessados a mais tempo são direcionados para ser backupados por meios específicos como CD´s, DVd´s e etc.
    • O HSM deixa no lugar desses arquivos mais antigos um “Stub file”, que é um arquivo com o mesmo nome do original mas ele contém apenas informações sobre onde esse arquivo pode ser encontrado.
  • 28. Manipulação e organização das mídias de backup.
    • As mídias de backup são alguns dos recursos mais valiosos da empresa.
    • Elas permitem tanto recuperar um negócio de um desastre quanto permitem a um competidor ter visão total do negócio. Por isso elas merecem um tratamento especial.
    • O objetivo da manipulação das mídias é propiciar um balanço entre protegê-las de acesso indevido e prover fácil acesso caso de emergência.
  • 29. Manipulação e organização das mídias de backup.
    • Restringir o acesso físico às mídias: o acesso às mídias deve ser como acesso ao “root” ou “admin”. Somente pessoas extremamente autorizadas devem ter acesso.
    • Destruir as mídias usadas.
    • Não guarde as fitas originais fora da empresa.
    • Identifique todas as fitas.
    • Faça um balanço entre segurança e rápido acesso.
  • 30. Restauração
    • Mantenha ás mídias organizadas: O tempo de restauração aumenta quando o operador tem que ficar procurando a fita correta.
    • Velocidade de restauração: Priorize a restauração em servidores onde tenhamos a maior velocidade de gravação em disco.
    • Utilize o caminho mais rápido da fita para o disco: Se for necessário realizar a restauração pela rede devemos procurar os segmentos mais velozes, dependendo do caso podemos isolar parte da rede.
  • 31. Espaço em disco para restauração
    • Em alguns casos a quantidade de dados nas fitas podem ser superiores a o espaço em disco disponível.
    • Quando isso ocorre, em caso de desastre total onde todos os dados da fita devem ser restaurados isso irá gerar um grave problema.
    • Devemos estar certos de que nesses casos teremos como restaurar toda a fita.