Resenha - Teoria Clássica: Divisão de Trabalho e Especialização

  • 13,122 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
13,122
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
69
Comments
0
Likes
2

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. ETEC GUARACY SILVEIRA Teoria ClássicaDivisão de Trabalho e Especialização Ísis Caroline Oliveira Silva N°12/ 1°ET-Z São Paulo 2012
  • 2. RESENHA Divisão de trabalho e especializaçãoIntrodução á teoria geral da administração: uma visão abrangente da modernaadministração das organizações/ Idalberto Chiavenato – 7. Ed. ver. E atual. – Riode Janeiro: Elsevier, 2003 – 13º ReimpressãoO livro Introdução á Teoria Geral da Administração estar na 7° edição publicado em2004 é renomeado e considerado um ótimo livro para o administrador de empresas.Idalberto Chiavenato mostra a teoria Clássica da administração feita por Fayol queera engenheiro de minas em uma empresa metalúrgica onde fez carreira e expôsseus argumentos em relação ao que tinha que ser feito para melhorar as empresasem plena época da revolução industrial onde se podia ver claramente umadesorganização por parte das empresas. Idalberto Chiavenato construiu em seu livroalguns conceitos sobre a Teoria de Fayol, uma delas fala sobre a divisão detrabalho. Fayol construiu um pensamento sobre a administração na qual dar ênfasena estrutura na organização, esse era o ponto chave para as empresas, diferente deTaylor que pensava na ênfase das tarefas, a divisão de trabalho era de extremaimportância na sua teoria. A ideia era de que as organizações com maior divisão dotrabalho seriam mais eficientes, mas será que essas divisões de tarefas seriamsuficientes para o sucesso da empresa? Eis então que Fayol pensou em duasmaneiras de dividir a empresa: Vertical e a Horizontal.Idalberto Chiavenato mostra no livro de forma objetiva e clara como a teoria Clássicaera baseada na divisão de trabalho, especialização, coordenação, atividades delinha e staff. A teoria tinha muitos aspectos parecidos com as organizações antigas,que eram rígidas e hierarquizadas, a teoria Clássica não se desligou desse passadopor isso colocou-as em seus conceitos. Em divisão de trabalho tinha a horizontalonde a departamentalização era o que dava equilíbrio e homogeneidade para asempresas, e a vertical também conhecida por autoridades de linha onde o comandosuperior dava as tarefas da empresa para os subordinados. A teoria Clássica mudoua forma de pensar da administração na época onde Taylor havia colocado a TeoriaCientifica como um pensamento em que a organização pudesse seguir, porém aopassar do tempo à teoria Cientifica estava sendo negativa por conta da sua falta de
  • 3. organização, vadiagem dos empregados e excesso de mecanização em toda aempresa.No começo do capitulo do livro Idalberto já nos mostra que a administração Clássicatem como característica a hierarquização e seus níveis de autoridade, que constituia cadeia de comando na estrutura organizacional, como vários tipos de autoridadeque pode comandar cada parte de uma departamentalização, Fayol eraextremamente critico em relação a toda a organização da empresa, por isso a dividiaem vários departamentos como as funções financeiras, funções técnicas, funções deseguranças, contábeis e funções administrativas.Na divisão de trabalho Idalberto Chiavenato explica que Fayol se preocupava comos níveis dos órgãos que compõem a organização, isto é, com os departamentos,divisões, seções, unidades etc. A hierarquia nas empresas tinham que serrespeitadas, cada departamento tinha a sua unidade de comando e os seussubordinados, outro fato importante para essa divisão de trabalho na teoria Clássicaera de que a empresa era feita como um sistema fechado, ou seja, o departamentonão tinha relacionamentos, isso porque cada departamento tinha o seu chefe deautoridade, então não poderia haver mais de um em cada parte da organização.A ideia é que as organizações com maior divisão de trabalho seria mais eficiente doque aquelas que tinham poucas divisões, então a divisão era feita em duas direções:a Vertical e a Horizontal. A Vertical é na escala hierárquica da organização, ou seja,o nível de autoridade é feito a partir da escala hierárquica que o individuo tem naempresa. A hierarquia define a graduação das responsabilidades conforme os grausde autoridade, daí a denominação autoridade de linha por que ela explica que aautoridade de comando é superior ao subordinado. A horizontal é como aespecialização, ou seja, no mesmo nível de hierarquia uma departamentalizaçãopassa a ser responsável por uma atividade especifica daquela área, a divisão detrabalho horizontal é que dá a homogeneidade e equilibro da organização e cria osdepartamentos, quando todos estiverem fazendo o mesmo trabalho e para omesmo objetivo, isso já informa que é um tipo de divisão de trabalho horizontal.No livro também mostra que a mesma ideia de Fayol, se relacionava com as ideiasde outros autores, Urwick também falava sobre a departamentalização, para ele emuma organização, o agrupamento de atividades se processa em dois sentidos
  • 4. contrários, a vertical e a horizontal, e afirma que seria impossível definir qualqueratividade na empresa sem usar essas duas direções. Mooney também defendia oprincipio escalar, definindo os escalões de organização que detêm diferentes tiposde autoridade.O que se pode analisar sobre o principio de divisão de trabalho da teoria clássica éque diferente da teoria Cientifica de Taylor em que se preocupava com a divisão detarefas de cada operário, Fayol se preocupava com a divisão dos órgãos quecompõem a organização, ou seja, ele criava vários departamentos em que cada umtinha que fazer uma parte do trabalho para a organização e o resultado da empresabuscando um objetivo comum. Fayol focava nas unidades de comando, autoridade eresponsabilidade e para isso ela fazia o sistema fechado da empresa, em que dá praver claramente os pontos fracos desse pensamento. Primeiramente planejamos oobjetivo da empresa para o bem comum de todos os departamentos da organização,o que mostra que é impossível os departamentos não se relacionarem para ter omesmo objetivo.A teoria Clássica era feita de forma muito lógica e racional, tinha o senso comumsem considerar os fatos psicológicas e sócias dos empregados em umaorganização, ela também é bastante rígida assim como a teoria Cientifica, colocavaordens e processos na qual uma empresa tinha que seguir para conseguir a máximaeficiência. Uma característica vantajosa que Henry Fayol conseguiu com sua teoria éque devido à divisão de trabalho, quem toma as decisões da empresa tem umavisão global da organização e as funções permitem mais especializações por partedos empregados e maior centralização para alcançar o objetivo.O livro Introdução á Teoria Geral da Administração pode ser muito útil para quemquer saber as fases da administração, ou até mesmo um iniciante administrador, vercomo as teorias evoluíram para chegar ao mundo globalizado e complexo de hoje, epara responder as perguntas: porque as formas de administrar uma empresa mudaconstantemente? O que devemos fazer para levar uma organização ao topo? O livroexplica claramente todas as teorias administrativas, é um livro extremamenterenomado e ótimo para uma boa pesquisa e aprofundar os estudos sobreadministração de empresas.
  • 5. Essa é edição do livro é respeitada por muitos estudiosos da área administrativa noBrasil por se tratar de mais uma obra de Idalberto Chiavenato, um dos maioresautores sobre administração e recursos humanos em que ele consegue aplicarconceitos modernos nas organizações e leva-las ao topo. Renomeado professorbrasileiro e com inúmeros artigos e livros publicados que são best-sellers para aárea de Administração, recebeu vários prêmios e é reconhecido internacionalmentecomo um dos melhores escritores sobre Administração e Recursos Humanos.Ísis Caroline Oliveira Silva, Acadêmico do Curso Técnico de Administração da ETECGuaracy Silveira e suas extensões.