Bibliotecas Universitarias: Regresso ao Futuro

1,623
-1

Published on

Apresentação no Congresso "A Biblioteca da Universidade: Permanências e Metamorfoses", Coimbra, 17 de Janeiro de 2014

Published in: Education
2 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
1,623
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
12
Actions
Shares
0
Downloads
20
Comments
2
Likes
5
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Bibliotecas Universitarias: Regresso ao Futuro

  1. 1. Regresso ao Futuro 500 Anos Depois 16-18 de Janeiro, 2014 – Coimbra – Portugal Congresso Internacional “A Biblioteca da Universidade: Permanências e Metamorfoses”
  2. 2. Sabe-se pouco sobre a biblioteca da universidade de Coimbra há quinhentos anos mas sabe-se que esta “livraria do estudo” pertencia à universidade contribuindo para o cumprimento da sua missão e constituindo o seu repositório de saber (70 livros em 1503 e 739 no final do século)
  3. 3. §  universidade §  biblioteca §  saber três vértices, três interrogações, de um triângulo que merece ser debatido e projetado para o futuro
  4. 4. DILEMAS DA UNIVERSIDADE DILEMAS DAS BIBLIOTECAS DILEMAS DA CONSTRUÇÃO DO SABER
  5. 5. num dilema, a harmonia e a inovação surgem muitas vezes da resolução das tensões entre os contrários
  6. 6. Regresso ao Futuro 500 Anos Depois 16-18 de Janeiro, 2014 – Coimbra – Portugal Congresso Internacional “A Biblioteca da Universidade: Permanências e Metamorfoses”
  7. 7. 1. DILEMAS DA UNIVERSIDADE 2. DILEMAS DA CONSTRUÇÃO DOS SABERES 3. DILEMAS DAS BIBLIOTECAS 4. A BIBLIOTECA NA ESTRATÉGIA DA UNIVERSIDADE 5. CONCLUSÕES
  8. 8. 1. DILEMAS DA UNIVERSIDADE 2. DILEMAS DA CONSTRUÇÃO DOS SABERES 3. DILEMAS DAS BIBLIOTECAS 4. A BIBLIOTECA NA ESTRATÉGIA DA UNIVERSIDADE 5. CONCLUSÕES
  9. 9. 1. DILEMAS DA UNIVERSIDADE © A. Dias de Figueiredo, Real & Virtual, Campos do Mondego, Novembro 2006
  10. 10. tática muitas universidades constroem o seu futuro improvisando, reagindo aos acontecimentos e navegando à vista “quem não constrói castelos no ar não os constrói em nenhum lugar” (ditado espanhol) “não há vento que ajude quem não sabe para onde quer ir” (Séneca) estratégia
  11. 11. gestão as universidades concentram hoje grande esforço no reforço da sua capacidade de gestão capacidade para imprimir uma direção, apaixonar e mobilizar, construir a mudança e instilar uma cultura e uma ética liderança
  12. 12. uniformização muitas universidades satisfazem-se em “fazer como as outras” muitas poucas universidades se concentram em reforçar os que as faz diferentes e em construir sobre essa diferença a sua imagem de marca diferenciação
  13. 13. construção conceito da análise literária, hoje entendido como prática intelectual desconstruir é pôr em causa ideias instaladas contém o futuro: na falta de crítica às ideias dominantes, o futuro será igual ao passado desconstrução
  14. 14. evolução surge de forma exploratória em contextos pouco exigentes, para utilizadores que aceitam as limitações iniciais blended learning flipped learning e-learning MOOCs emerge discretamente nas margens do sistema e transforma-o gradualmente, da periferia para o centro disrupção
  15. 15. local por falta de estratégia e liderança, muitas universidades aceitam docilmente o seu estatuto local ou regional poucas universidades reconhecem o carácter global da sua missão e das suas práticas global
  16. 16. 1. DILEMAS DA UNIVERSIDADE 2. DILEMAS DA CONSTRUÇÃO DOS SABERES 3. DILEMAS DAS BIBLIOTECAS 4. A BIBLIOTECA NA ESTRATÉGIA DA UNIVERSIDADE 5. CONCLUSÕES
  17. 17. 2. DILEMAS DA CONSTRUÇÃO DOS SABERES modo 1 modelo linear da inovação: produção dos saberes avançados precede aplicação à realidade industrial saberes de ponta surgem no próprio contexto da aplicação industrial ou organizacional interações dos múltiplos atores nos processos de inovação (universidades, indústrias, administrações) modo 2 Gibbons, M. et al. (1994) The New Production of Knowledge
  18. 18. modo 1 transferência de saberes da universidade para o tecido económico e social I&D e inovação em parceria com o exterior educação educação I&D inovação construção partilhada de saberes na resolução de problemas de interesse comum modo 2
  19. 19. oldmetrics métricas tradicionais de impacto da produção científica, associadas à publicação nas revistas das grandes editoras métricas alternativas, baseadas na reputação acumulada na produção científica de qualidade altmetrics
  20. 20. altmetrics
  21. 21. publicações tradicionais acesso aberto
  22. 22. 1. DILEMAS DA UNIVERSIDADE 2. DILEMAS DA CONSTRUÇÃO DOS SABERES 3. DILEMAS DAS BIBLIOTECAS 4. A BIBLIOTECA NA ESTRATÉGIA DA UNIVERSIDADE 5. CONCLUSÕES
  23. 23. 3. DILEMAS DAS BIBLIOTECAS just-in-case dantes adquiriam-se obras (em particular revistas) para o caso de um dia serem necessárias culminar das bibliotecas departamentais e da afirmação das disciplinaridades hoje as interdisciplinaridades tendem a aumentar e acede-se de imediato a qualquer obra, fora da biblioteca just-in-time
  24. 24. palavras-chave pesquisa tradicional por palavras-chave deu lugar a grande variedade estratégias e práticas (pesquisas associativas, redes sociais, curadoria, interação com autores e peritos, folksonomies, mind-maps, thesaurus) estratégias múltiplas
  25. 25. convergência formas tradicionais de pesquisa são eminentemente convergentes: permitem encontrar cada vez mais sobre cada vez menos para estimular criatividade e inovação são também necessárias pesquisas divergentes que estimulem a descoberta acidental (serendipidade) divergência
  26. 26. conteúdos Net retirou importância às bibliotecas como repositórios de conteúdos bibliotecas mais inovadoras estão a transformar-se em espaços de aprendizagem, socialização e colaboração: •  centros de aprendizagem (locais e globais) •  centros de cultura (locais e globais) •  centros de iniciativas colaborativas contextos
  27. 27. divisórias preocupação central das bibliotecas mais inovadoras é a gestão dos espaços •  recantos tranquilos •  espaços de trabalho coletivo •  estúdios digitais •  professor/perito na biblioteca •  frequência partilhada de MOOCs •  centros de negócios espaços
  28. 28. singularidade para além do atendimento individual, surge cada vez mais a necessidade de apoiar grupos e de contribuir para a criação de comunidade: local, nacional, global a biblioteca do indivíduo abre-se para a comunidade e para o mundo comunidade
  29. 29. biblioteca Net retirou importância às bibliotecas como repositórios de conteúdos pesquisa digital retirou-lhes primazia na procura: é cada vez mais fácil encontrar saber na Net do que numa biblioteca o que falta mais são bibliotecários que auxiliem nessa procura bibliotecário
  30. 30. o que é um bibliotecário? conselheiro sobre procedimentos, qualidade, rigor, relevância, ética da informação curador de informação e recursos humanos locais, nacionais, internacionais professor, capaz de construir a autonomia e iniciativa de quem recorre ao seu auxílio mediador de relacionamentos locais, nacionais, internacionais animador de atividades e iniciativas consultor de empreendedorismo
  31. 31. 1. DILEMAS DA UNIVERSIDADE 2. DILEMAS DA CONSTRUÇÃO DOS SABERES 3. DILEMAS DAS BIBLIOTECAS 4. A BIBLIOTECA NA ESTRATÉGIA DA UNIVERSIDADE 5. CONCLUSÕES
  32. 32. DILEMAS DA UNIVERSIDADE DILEMAS DAS BIBLIOTECAS © A. Dias de Figueiredo, Pescadores ao Por do Sol, Figueira da Foz, Novembro 2004 DILEMAS DA CONSTRUÇÃO DO SABER
  33. 33. 4. A BIBLIOTECA NA ESTRATÉGIA DA UNIVERSIDADE a biblioteca é uma componente poderosa da universidade quando é posta ao serviço da sua: §  estratégia §  diferenciação e imagem §  capacidade para construir e projetar saber §  ligação à comunidade §  ligação à realidade produtiva §  globalização
  34. 34. 4. A BIBLIOTECA NA ESTRATÉGIA DA UNIVERSIDADE Cabe a cada biblioteca, de cada universidade, reforçar a visão que a universidade construiu para o seu futuro: §  utilização dos espaços §  experiências que oferece aos utentes §  intervenção dos seus bibliotecários §  ligação ao mundo
  35. 35. 4. A BIBLIOTECA NA ESTRATÉGIA DA UNIVERSIDADE Exemplos de novas formas de intervenção das bibliotecas universitárias: §  curadoras bidirecionais, trocando produção científica e cultural nos dois sentidos, entre universidade e mundo §  mediadoras bidirecionais, tornando os peritos externos conhecidos no interior e os internos conhecidos no exterior grande parte do saber, hoje em dia, não está em repositórios, mas sim nas mentes individuais e coletivas de pessoas com quem podemos comunicar
  36. 36. 4. A BIBLIOTECA NA ESTRATÉGIA DA UNIVERSIDADE §  conselheiras dos seus utentes (a bem da reputação da universidade): o  nos meandros da publicação científica, tradicional e de nova geração o  na grande variedade métricas, hoje em tão rápida evolução que dificilmente pode ser acompanhada por não especialistas
  37. 37. 1. DILEMAS DA UNIVERSIDADE 2. DILEMAS DA CONSTRUÇÃO DOS SABERES 3. DILEMAS DAS BIBLIOTECAS 4. A BIBLIOTECA NA ESTRATÉGIA DA UNIVERSIDADE 5. CONCLUSÕES
  38. 38. 5. CONCLUSÕES Há 500 anos, a biblioteca universitária era um instrumento chave da construção de saber, diferenciação e imagem da universidade quinhentos anos depois, pode ser decisiva numa universidade reinventada e projetada para o futuro mais do que um unidade de investigação, mais do que uma faculdade, uma biblioteca que alinhe a sua missão com a da universidade e saiba reforçá-la poderá fazer toda a diferença
  39. 39. FIM Regresso ao Futuro 500 Anos Depois As transparências serão colocadas em: Congresso Internacional “A Biblioteca da http://www.slideshare.net/adfigueiredoPT Universidade: Permanências e Metamorfoses” 16-18 de Janeiro, 2014 – Coimbra – Portugal
  1. Gostou de algum slide específico?

    Recortar slides é uma maneira fácil de colecionar informações para acessar mais tarde.

×