Revisao uneb geografia
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Revisao uneb geografia

on

  • 806 views

 

Statistics

Views

Total Views
806
Slideshare-icon Views on SlideShare
806
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
4
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Revisao uneb geografia Revisao uneb geografia Document Transcript

    • GEOGRAFIA 1 REVISÃO UNEB UNEB 2011 QUESTÕES 01 A 03 Em janeiro, a seleção de Togo seguia de ônibus até a província de Cabinda, em Angola, onde disputaria a Copa Africana de Nações. Mas a viagem foi interrompida por uma dissidência das Forças de Libertação do Estado de Cabinda (Flec), que metralhou o ônibus, matando três pessoas da delegação e deixando jogadores feridos [...]. Se o episódio de Cabinda lançou uma sombra sobre a Copa da África do Sul, é porque as tensões internas e os conflitos marcam o passado e o presente de diversos povos africanos. [...]. Desde o século XV, a África é subjugada pelos europeus. Por quatro séculos, Portugal, Espanha e Inglaterra levaram para o continente americano mão de obra escrava capturada na África. [...]. Mesmo controlando o tráfico negreiro, os europeus mantinham presença discreta no continente, limitada a entrepostos comerciais na região costeira. [...] Porém, no fim do século XIX, as potências europeias iniciaram uma corrida imperialista para controlar o continente, em busca de novas fontes de matériasprimas e de mercados para seus produtos manufaturados. Era o auge da II Revolução Industrial. (ÁFRICA..., 2010, p.28). QUESTÃO 01 .............................................................. Sobre as características naturais, étnicas e econômicas do continente africano, é correto afirmar: 01) A corrida imperialista, no final do século XIX, limitou-se à África Central, pelo fato de essa região possuir as maiores reservas de combustíveis fósseis e de minerais metálicos nobres do planeta. 02) A economia dos países africanos, embora frágil, expandiu-se com o processo de globalização e conseguiu escapar da vulnerabilidade em relação às oscilações das commodities, no mercado externo. 03) O fim do regime do apartheid, na África do Sul, consolidou uma democracia multirracial, uma das raras a vigorar no continente africano, mas não foi capaz de reduzir as diferenças socioeconômicas entre brancos e negros. 04) A pobreza da África Subsaariana tem sua raiz na colonização de povoamento, implantada pelo europeu, que desarticulou o processo produtivo e, consequentemente, provocou a fome endêmica, que caracteriza essa região. 05) A África Setentrional, por possuir unidade linguística, religiosa e étnica, teve seus interesses econômicos preservados, enquanto, na África Subsaariana, a grande diversidade étnica provocou o isolamento do subcontinente e sua atual estagnação econômica. QUESTÃO 02 ............................................................. A história da África colonial é marcada por relações econômicas e culturais e, também, por conflitos internos e/ou relacionados às nações europeias, podendo-se afirmar que, no 01) processo de expansão mercantilista, os europeus ocuparam entrepostos na costa africana, enquanto, na colonização imperialista, ocorreu a dominação e a submissão do interior do continente, onde se localizavam os estados africanos. 02) processo de dominação colonial, durante a expansão imperialista, se incentivaram as guerras entre as diversas etnias, o que resultou na criação de fronteiras que respeitavam as divisões culturais e na submissão dos reinos africanos. 03) processo de libertação colonial, durante a Guerra Fria, se verificou forte oposição por parte dos Estados Unidos e da União Soviética, temerosos de que a fragmentação política do continente fortalecesse o bloco dos não alinhados. 04) período de exploração do comércio negreiro, os países que não participavam dessa atividade a acusavam de ser um empecilho à acumulação primitiva do capital, contribuindo para o subdesenvolvimento econômico do continente. 05) processo de colonização mercantilista, assim como durante a dominação imperialista do século XIX, a exploração de riquezas agrícolas e de escravos tornaram-se a principal razão da conquista dos povos africanos. QUESTÃO 03 ............................................................. A escravidão é uma prática recorrente na história da humanidade, podendo ser encontrada em diversas sociedades, em tempos históricos diferentes, tendo adquirido características peculiares, a exemplo da sociedade: 01) do Antigo Egito, onde o tráfico de escravos era a maior fonte de riqueza do reino, enquanto, nas sociedades da África pré-colonial, a escravidão era praticamente inexistente. 02) mesopotâmica, na Antiguidade, onde a escravidão era por dívidas, enquanto, na Roma antiga, eram submetidos unicamente os prisioneiros de guerra. 03) hebraica, onde os patriarcas a impunham a todos os infiéis, enquanto, entre os sarracenos, a escravidão era imposta aos povos pagãos conquistados. 04) grega antiga, onde a escravidão significava a perda de direitos políticos, enquanto, no mercantilismo, a escravidão tinha uma conotação racial. 05) ameríndia pré-colombiana, onde os incas submetiam os povos derrotados, enquanto os espanhóis, durante a colonização, utilizaram, unicamente, africanos.
    • 2 GEOGRAFIA REVISÃO UNEB QUESTÃO 04 ................................................................................................................................................................. A partir das informações contidas nas ilustrações e os conhecimentos sobre a fase atual da urbanização e da economia brasileira, identifique as afirmativas verdadeiras. I) O crescimento das cidades de médio porte sinaliza uma modificação na estrutura produtiva e a decadência das metrópoles nacionais. II) O aumento do número de cidades de médio porte com mais de 100 000 habitantes é um fenômeno nacional, destacando-se, no sertão nordestino, as cidades de Campina Grande e de Petrolina. III) A evolução das cidades médias no interior é uma prova de que o país começa a superar seus problemas históricos, como o êxodo das regiões periféricas para as metrópoles regionais. IV) A implantação de projetos de irrigação no semiárido nordestino é responsável pela desconcentração fundiária, pela mudança do IDH para 1, verificadas nas últimas décadas, e pela migração de retorno. V) O crescimento mais pujante das cidades brasileiras de médio porte é o de Ilhéus, devido à expansão do cultivo da soja e da implantação de uma eficiente rede ferroviária. A alternativa que indica todas as afirmativas verdadeiras é a 01) III, IV e V. 02) II, IV e V. 03) I, IV e V. 04) II e III 05) I e II QUESTÕES 05 A 08 No sertão nordestino, a aridez sempre rivalizou com o sonho de fazer da caatinga um enorme e salvador pomar — e, assim, tirar seus habitantes da pobreza. No extremo oeste de Pernambuco e norte da Bahia, esse ideal virou realidade. Nos anos 60, o Vale do São Francisco ganhou atenção dos militares, que vislumbraram a região como um centro de energia e produção de alimentos. Foi quando começaram os projetos de irrigação com a água do rio São Francisco. (COUTINHO, 2010, p. 101). QUESTÃO 05 ............................................................. Os conhecimentos sobre o sertão nordestino permitem afirmar: 01) A sua localização geográfica, na zona intertropical, e seu litoral pouco acidentado são as principais causas das secas prolongadas que ocorrem na região. 02) A sua “aridez” tem origem no predomínio dos latossolos que, por serem solos jovens, apresentam baixa fertilidade. 03) A caatinga é uma formação xerófila e diversificada, mas sua degradação pode se tornar irreversível, quando submetida ao desmatamento da vegetação nativa e à exploração dos lençóis de águas subterrâneas. 04) A criação de açudes públicos na região possibilitou a eliminação da estagnação econômica e a diversificação da produção. 05) O uso da irrigação de forma indiscriminada deverá reverter a dessalinização dos solos, promover maior produtividade e, consequentemente, eliminar a miséria pessoal.
    • GEOGRAFIA QUESTÃO 06 .............................................................. O rio São Francisco caracteriza-se, entre outros, por 01) ser o único rio genuinamente nordestino. 02) se localizar entre terrenos cristalinos a leste, e sedimentares, a oeste, onde os afluentes possuem águas mais barrentas. 03) possuir drenagem criptorreica e regime misto. 04) ser o único rio brasileiro onde se implantaram projetos de irrigação com a produção voltada para o mercado externo. 05) cortar todas as sub-regiões do Nordeste e possibilitar o desenvolvimento do agronegócio no país. QUESTÃO 07 .............................................................. O rio São Francisco tem desempenhado um importante papel na história da sociedade brasileira e, em especial, da nordestina. As relações socioeconômicas que se desenvolveram no seu entorno foram fundamentais para o 01) crescimento da malha de transportes, associando a industria automobilística ao transporte fluvial, durante o governo JK e os governos militares. 02) desenvolvimento da pecuária, ao longo do seu curso, fundamental para a ocupação do interior do país, no Período Colonial, e para o crescimento regional. 03) sucesso dos projetos de irrigação e agricultura familiar, através da reforma agrária, durante o regime militar, que contribuíram para a diminuição das disparidades sociais e regionais. 04) desenvolvimento da economia nordestina, graças à instalação da SUDENE, e ao fim do poder político dos “coronéis”, no governo Vargas, o que contribuiu para o crescimento regional. 05) sucesso do agronegócio, na década passada, que permitiu a consolidação do Nordeste como o “celeiro da nação” e o abandono total do processo industrial. QUESTÃO 08 .............................................................. A seca, na Região Nordeste, sempre foi motivo de atenção das autoridades governamentais, no desenrolar da história política brasileira, como se pode depreender das 01) manifestações de apoio das Ligas Camponesas ao projeto de reforma agrária do governo João Goulart, proposta governamental que acelerou o golpe militar de 1964 e que objetivava uma melhor distribuição de renda e a superação do subdesenvolvimento. 02) manifestações de apoio dos trabalhadores rurais ao governo, durante a Era Vargas, em função da criação de uma legislação social que agisse como mecanismo de superação do subdesenvolvimento. 3 REVISÃO UNEB 03) revoltas sociais rurais, na Primeira República, como os movimentos do Cangaço e Conselheirista, que propunham a luta armada para defender a distribuição de terras entre a população camponesa e diminuir as diferenças sociais entre o campo e a cidade. 04) ações do Partido Liberal, no Período Imperial, defensor da adoção do livre cambismo e de uma política industrializante para o nordeste brasileiro, visando, assim, aumentar seu eleitorado. 05) revoltas no Período Regencial, como a Cabanagem e a Balaiada, que ameaçavam a ruptura das estruturas coloniais e a adoção dos princípios socialistas como mecanismo de superação do subdesenvolvimento. QUESTÃO 09 ............................................................. Militantes muçulmanos podem matar muçulmanos inocentes? A pergunta soa absurda, mas é objeto de intenso debate no mundo islâmico. Ainda mais com o recrudescimento, a partir do segundo semestre de 2009, dos ataques com carros-bomba nas três grandes frentes de atuação dos fundamentalistas armados – Iraque, Afeganistão e Paquistão –, com horríveis carnificinas entre a população civil. (PECADO..., 2009, p. 111). As relações entre o mundo islâmico e o mundo ocidental, ao longo da história, têm sido marcadas, muitas vezes, por conflitos, como ocorreu durante a 01) ação dos grupos terroristas islâmicos, no contexto da Guerra Fria, contra a aproximação entre os Estados Unidos e os governos autoritários do Iraque, Afeganistão e Paquistão, que levou à intervenção militar norte-americana nesses países. 02) formação dos grupos fundamentalistas islâmicos, resultante da expansão do processo de globalização, que aumentou as tensões religiosas no Ocidente e abalou os princípios éticos da sociedade muçulmana. 03) organização das Cruzadas, movimento religioso que objetivava a retomada de territórios perdidos pelos muçulmanos, em decorrência da expansão da Reforma Protestante no Oriente, através da evangelização. 04) expansão muçulmana em direção da Europa Ocidental, o que levou aos conflitos com os reinos cristãos da França e à disseminação da cultura muçulmana na península Ibérica. 05) formação do império sarraceno, quando Maomé, aproveitando-se de sua liderança religiosa, unificou as tribos arábicas e consolidou o modelo agrário das sociedades muçulmanas.
    • GEOGRAFIA QUESTÕES 10 E 11 ................................................... As eleições da semana passada na Inglaterra acabaram sem vencedores, o que não acontecia desde 1974. [...] A democracia inglesa funciona (e bem) sem a separação de poderes. Todos os ministros têm de ser membros do Parlamento, formado pela Câmara dos Comuns (eleitos) e pela Câmara dos lordes (indicados). O Gabinete, o Poder Executivo, é um comitê da Câmara dos Comuns. Até o ano passado, quando foi criada uma suprema corte, um comitê dos Lordes era o órgão máximo da justiça. [...] Esquisito? Para as cabeças presidencialistas, sim. Mas natural para uma nação que há 795 anos impôs a um rei a Magna Carta, a primeira Constituição da história. (TEIXEIRA, 2010, p. 96). QUESTÃO 10 A consolidação da democracia no mundo ocidental foi um processo lento que ocorreu em diferentes contextos históricos e épocas distintas. 4 REVISÃO UNEB 02) Guerra de Independência dos colonos norteamericanos, que, com o apoio do governo napoleônico, romperam com a dependência política inglesa e estabeleceram um governo democrático baseado em uma constituição que aboliu a escravidão e estabeleceu a igualdade de direitos para toda população. 03) ação dos operários que participaram das revoltas liberais da primeira metade do século XIX, que resultou na Declaração Universal dos Direitos do Homem e do Cidadão e na destituição do poder real na Rússia czarista e na Prússia militarista. 04) luta da burguesia contra o Antigo Regime, que, baseando-se no pensamento de filósofos, como Montesquieu, defendeu a teoria dos Três Poderes como instrumento de crítica ao governo absolutista e de defesa da cidadania. 05) participação da classe operária mundial na superação dos efeitos da crise de 1929 e no estabelecimento do Estado de Bem-Estar Social, baseado no liberalismo econômico e na defesa dos princípios de cidadania. QUESTÃO 12 ............................................................. Em relação a esse processo, pode-se afirmar que ele 01) foi alimentado durante o movimento cartista que, na Inglaterra, reivindicava o direito de voto universal e a possibilidade de regulamentação da jornada de trabalho. 02) foi uma consequência, na Inglaterra, do cercamento dos campos, que expulsou a população rural das suas terras e levou a burguesia a criar os sindicatos, evitando a associação entre o capitalismo e os males sociais. 03) ocorreu, no Brasil, durante o segundo Governo Vargas, quando os movimentos operários e as organizações empresarias estabeleceram um pacto para o desenvolvimento do pais e a superação das tensões sociais. 04) se estabeleceu paralelamente à democracia social, como uma conquista dos governos populistas de Jânio Quadros e João Goulart, que eliminaram as desigualdades regionais e os atritos no campo. 05) foi, na América Latina, uma decorrência das revoluções da esquerda ocorridas na década de 60 do século passado, quando, a exemplo de Cuba, houve uma rejeição à política imperialista norte-americana e a adoção de governos democráticos. QUESTÃO 11 .............................................................. A separação dos três poderes e os princípios democráticos conquistaram seu espaço na civilização ocidental como fruto da 01) luta dos revolucionários jacobinos franceses que, entre outros, defendiam a abolição da propriedade privada e a aplicação das teses marxistas como instrumentos para a adoção dos princípios da cidadania. O pintor inglês William Turner (1775-1851) é famoso por suas pinturas do pôr do sol. Só recentemente se tornou claro que os esplêndidos amarelos e laranjas que ele viu e pintou eram reflexos da luz solar na poeira vulcânica do Monte Tambora, que explodiu em 1815. Se isso serve de consolo, os europeus desfrutam agora de bonitos entardeceres graças a um vulcão de nome impronunciável, o Eyjafjallajokull. Ele entrou em erupção na Islândia na quarta-feira da semana passada [14 de abril de 2010] e expeliu uma gigantesca nuvem de cinzas vulcânicas, que tornou perigoso voar sobre boa parte da Europa. (ROMANINI, 2010, p. 91). Com base no texto e nos conhecimentos sobre os agentes endógenos que atuam na formação do relevo e sobre o continente europeu, é correto afirmar: 01) O caos aéreo provocado pela erupção do vulcão só se instalou porque a Islândia é um país que está localizado na Europa central, região que concentra os mais países industrializados do continente. 02) A Islândia é a única nação europeia que possui um relevo com grande instabilidade tectônica, razão pela qual a atividade vulcânica é intensa nesse país. 03) Devido ao fato de sua formação geológica brasileira ter ocorrido no Período Cenozoico, não há registros de atividade vulcânica no país. 04) A distribuição geográfica dos vulcões, em geral, coincide com áreas orogenéticas recentes, principalmente ao longo das costas oceânicas. 05) O material piroclástico expelido pelos vulcões chega à superfície de forma gasosa, o que explica as transformações do relevo pós-erupção.
    • GEOGRAFIA QUESTÕES 13 E 14 ................................................... A era industrial foi inaugurada há pouco mais de dois séculos, a partir de um conjunto de novas tecnologias que introduziram o sistema de produção fabril: a máquina a vapor (1765), [...] Por muitas décadas, a produtividade industrial dependeu essencialmente da habilidade e do ritmo de trabalho dos operários. A organização do trabalho saltou para um novo patamar com as pesquisas e métodos de F. W. Taylor. [...] A nova etapa da industrialização não teve um único centro geográfico. A arrancada industrial dos Estados Unidos, após a Guerra de Secessão (1861-65), e da Alemanha, após a Unificação (1871), assinalou o declínio da hegemonia britânica.[...] Historicamente, o caminho no rumo da constituição de uma economia internacional foi aberto pela expansão do comércio oceânico, na época das Grandes Navegações. Atualmente, o comércio volta a desempenhar um papel de vanguarda na estruturação da economia globalizada. (MAGNOLI, 1997, p. 1819-21-22). QUESTÃO 13 .............................................................. Os conhecimentos sobre globalização e comércio internacional permitem afirmar: 01) A explosão do comércio mundial resultou, em parte, das políticas protecionistas consolidadas no pós-guerra. 02) O recuo das políticas de proteção do mercado interno, adotado pela América Latina, é responsável pelo crescimento econômico dessa região, verificado na década de 80 do século passado. 03) A OMC substituiu o GATT e adotou regras mais rígidas para o comércio internacional, com o objetivo de impedir ações unilaterais contrárias à liberação das trocas de mercadorias. 04) O crescimento explosivo do intercâmbio comercial de mercadorias, devido à expansão da globalização, é responsável pela eliminação das tarifas alfandegárias e pela diminuição das desigualdades entre os países centrais e periféricos. 05) A expansão do processo de globalização possibilitou, cada vez mais, a independência do comércio em relação aos fluxos de investimentos diretos, nacionais ou estrangeiros. QUESTÃO 14 .............................................................. A partir da análise do texto e dos conhecimentos sobre o processo de industrialização, pode-se afirmar que a Primeira Revolução Industrial 01) se distingue por utilizar mão de obra abundante, enquanto, na Segunda Revolução Industrial, o operariado se tornou dispensável e ultrapassado, e a eficiência das máquinas determinou um grande aumento da produtividade industrial. 5 REVISÃO UNEB 02) se distingue da Segunda Revolução Industrial por se basear na indústria têxtil, enquanto essa última se baseou no uso da biotecnologia e no desenvolvimento da cibernética e da informática e no crescimento acelerado da produtividade industrial. 03) foi uma consequência da Guerra de Secessão, que acirrou a concorrência econômica entre os Estados Unidos e a Europa, aumentando o clima de rivalidade, que levou à eclosão da Primeira Guerra Mundial. 04) acirrou o processo de independência das colônias afro-asiáticas e, consequentemente, provocou o declínio da hegemonia europeia e o despontar dos Estados Unidos como a maior potência econômica do Ocidente. 05) contribuiu para o fortalecimento das organizações operárias, enquanto a Terceira Revolução Industrial se caracterizou pela terceirização, o que enfraqueceu o movimento sindical. QUESTÕES 15 E 16 ................................................... Ao anunciar, em julho de 2009, que estava prestes a fechar um acordo para que os Estados Unidos (EUA) ampliassem a presença militar em bases no seu país, o presidente colombiano Álvaro Uribe desencadeou uma grande polêmica em toda a região. Os presidentes Hugo Chávez (Venezuela), Evo Morales (Bolívia) e Rafael Correa (Equador), de esquerda, criticaram duramente a medida, considerando-a uma interferência perigosa dos EUA que ameaçaria as nações latinoamericanas. Até mesmo governantes de esquerda vistos como mais moderados, como o brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva e a chilena Michelle Bachelet, solicitaram explicações para o fato. De outro lado, os principais aliados dos EUA, como o próprio Uribe e o presidente mexicano Felipe Calderón, defenderam a presença militar norte-americana. (NOVAS..., 2010, p. 58-59). QUESTÃO 15 ............................................................. As relações diplomáticas entre os Estados Unidos e a América Latina variaram conforme o tempo e o espaço, dependendo da conjuntura internacional, como se observa na 01) formulação da Doutrina Monroe, quando os Estados Unidos se posicionaram a favor do Congresso de Viena e contrários à fragmentação política da América Latina, que agravaria as desigualdades sociais no continente latinoamericano. 02) aplicação da teoria do foco revolucionário, defendida por Che Guevara, que, apoiada militarmente pela União Soviética, pretendia atacar, a partir de uma base cubana de mísseis, os Estados Unidos, consolidando a presença soviética no continente latino-americano.
    • GEOGRAFIA 03) pregação da “Revolução Bolivariana”, por Hugo Chávez, que propõe a militarização do Mercosul e uma aliança com o BRIC, para a contenção militarista norte-americana e a superação das desigualdades sociais na América Latina espanhola. 04) aplicação da política de nacionalização de empresas estrangeiras de Evo Morales, que também advoga o rompimento das relações diplomáticas com governos moderados, como o Brasil e o Chile, vistos como um entrave no desenvolvimento econômico latino-americano. 05) formulação da política norte-americana de apoio aos regimes ditatoriais militares estabelecidos na América Latina, em consequência da crise do populismo, vistos pelos Estados Unidos como regimes de características esquerdizantes. QUESTÃO 16 .............................................................. Considerando-se os conhecimentos sobre o espaço mundial e a América Latina, pode-se afirmar: 01) A América Latina, localizada totalmente no Hemisfério Meridional, tem como característica marcante a homogeneidade do IDH dos países que a compõem e a ausência de conflitos bélicos. 02) Todos os países latino-americanos, excetuandose o Brasil, são de economia agrária, possuem vultosa dívida externa, recursos naturais limitados e baixo nível de escolaridade. 03) O rompimento das relações diplomáticas entre a Venezuela e a Colômbia, em 2010, já retomadas, ocorreu como resposta às acusações do governo colombiano de que grupos guerrilheiros estariam abrigados em território venezuelano. 04) A parceria entre a Venezuela, a Bolívia e Cuba se intensificou, desde 2007, com o objetivo de incrementar o desenvolvimento econômico, eliminar as desigualdades e unificar linguisticamente os três países. 05) A América Latina, historicamente, tem, politicamente, uma tendência para a “esquerda” e, graças a essa característica, os Estados Unidos sempre intervieram militarmente nessa região, tendo apoiado, nesse início de século, a implantação de governos autoritários de direita no Peru, no Chile e na Argentina. QUESTÃO 17 .............................................................. 6 REVISÃO UNEB As informações do gráfico e os conhecimentos sobre a balança comercial brasileira permitem concluir: 01) A balança comercial brasileira foi deficitária, até o ano 2000, porque as exportações do país eram incipientes e compostas, totalmente, por commodities. 02) A balança comercial brasileira foi superavitária, entre 2003 e 2004, porque a política econômica do país privilegiou o mercado externo e as tarifas alfandegárias foram eliminadas em todas as transações comerciais. 03) O volume das exportações brasileiras declinou, em 2008, em função da desaceleração da economia global e da diminuição do consumo, no mercado externo. 04) O Brasil vendeu menos para os Estados Unidos, em 2009, no entanto duplicou suas exportações para o Mercosul e para a África. 05) A autossuficiência da economia nacional, na última década, possibilitou ao país sair ileso da crise econômica mundial, pois o mercado interno compensou o declínio das exportações. QUESTÃO 18 ............................................................. A organização do espaço geográfico no mundo pósmoderno faz crer que a ciência pode tudo. Nesse contexto, é correto afirmar: 01) A ciência é onipotente e o homem domina a natureza. 02) Os avanços tecnológicos registrados nas últimas décadas estão, em geral, intimamente ligados ao crescimento da indústria bélica. 03) O espaço natural está todo equacionado, dissecado e controlado pela ação antrópica. 04) Do ponto de vista socioeconômico, ocorreu um grande declínio da excludência, no espaço geográfico mundial e uma inclusão dos países periféricos no processo produtivo. 05) O mundo pós-moderno revolucionou os conceitos de tempo e de espaço e diminuiu significativamente o desemprego estrutural. QUESTÕES 19 E 20 ................................................... A China salvou o mundo da recessão no ano passado e neste, assim como os Estados Unidos salvaram a Europa das guerras fratricidas do século passado. [...] Em 2010, a China deve superar o Japão, tornando-se a segunda maior economia do planeta. Em 2030, ultrapassará a dos Estados Unidos. [...] Seu modelo não é imitável, mas funciona. Ele se baseia em uma economia mista, fortemente planejada, com baixos salários e um numeroso exército de reserva de trabalhadores formado por uma população, se não educada, pelo menos educável e atavicamente disciplinada. (A CHINA..., 2009, p. 192).
    • GEOGRAFIA A economia mundial adquiriu características globais, o que determina que uma situação ocorrida em um determinado país, possa ter repercussões na economia de todo o planeta e reflita no cotidiano das pessoas ao redor do mundo, como se verificou durante a 7 REVISÃO UNEB GABARITO 0 QUESTÃO 20 .............................................................. A análise do texto, associada aos conhecimentos sobre a crise econômica mundial, permite afirmar: 01) A crise teve início na Europa e se propagou para os Estados Unidos, comprometendo a economia mundial, a exceção da China, intocada por esse episódio. 02) A exposição mundial da China foi vantajosa para os países emergentes, que tiveram sua participação no comércio internacional aumentada, devido ao fato de o governo chinês priorizar o intercâmbio comercial com esses países, em detrimento dos países centrais. 03) A crise econômica aumentou, sensivelmente, o comércio externo chinês, visto que não afetou as atividades logísticas vinculadas ao setor portuário. 04) A China, entre as economias mundiais, foi a que melhor reagiu à crise, porque seu modelo de desenvolvimento é pautado em uma economia diversificada, planejada e baseada no pagamento de baixos salários aos trabalhadores. 05) As relações estreitas entre os países que compõem o BRIC, liderados pela China, resultou na aceitação desses países como membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU, com direito a veto, uma antiga aspiração do governo brasileiro. 01 2 01) crise financeira, fruto do modelo neoliberal que privilegiou o capital financeiro em detrimento do capital produtivo e agravada pelo desemprego estrutural proveniente da robotização da produção industrial e da informatização do setor terciário, cujos efeitos se alastraram pelo mundo. 02) Crise de 1929, consequência da aplicação do Plano Marshall, no contexto da Guerra Fria, que provocou forte recessão mundial e a necessidade de acirramento de medidas de caráter liberal, para amenizar seus efeitos mundiais. 03) crise do socialismo real, resultante das pressões econômicas dos Estados Unidos, que provocou o fim da União Soviética e fez da China o último reduto do socialismo no mundo. 04) desagregação do Estado de Bem-Estar Social, consequência dos gastos excessivos com a Segunda Guerra Mundial, que obrigou os países europeus a reduzirem seus investimentos na área social a fim de reduzir o déficit público e recuperar sua importância política no Ocidente. 05) desagregação dos países do Leste Europeu, como desdobramento da dissolução do socialismo, que provocou o desemprego em massa e a retomada de movimentos guerrilheiros de extrema esquerda, desestabilizando o euro e abalando a confiabilidade nas Bolsas de Valores do Ocidente. 1 04 2 3 4 5 6 7 8 9 03 0 1 01 04 04 03 02 02 01 04 04 04 03 05 05 03 03 02 01
    • GEOGRAFIA UNEB 2012 QUESTÃO 01 .............................................................. Na Antiguidade grega, a loucura tinha um caráter mitológico que se misturava à normalidade. Num tempo em que a noção de passado era vaga, a escrita inexistia e os deuses decidiam tudo, o “louco” era uma espécie de ponte com o oculto. De sua boca, vinham informações quentinhas lá de cima, e não se tinha dúvida: eram eles, os deuses, que decidiam que tipo de loucura a pessoa teria. Isso até Hipócrates, o pai da medicina, estragar a festa do panteão, lá por volta do século 4 a.C. “Se a voz dele (o doente) ficar mais intensa, comparam-no a um cavalo e então se afirma que Poseidon é o responsável”, ironizava. “Um absurdo”, pensava ele, que finalmente separou doença mental de deuses e mitos. Hipócrates sistematizou então a teoria dos humores. Era a bílis que afetava o comportamento e causava a loucura, fosse melancolia ou mania – ou seja, loucura calma ou agressiva. Confusão ainda maior estava em crer que o pânico era causado pelo deslocamento do cérebro, por sua vez aquecido pela bílis vinda pela corrente sanguínea. Platão também deu seu pitaco no século 5 a.C. – e desde então, até o século 19, a filosofia foi a linha mestra para entender a loucura. Sua teoria das 3 mentes (a racional, a emotiva e a instintiva) pregava: se uma delas se desequilibrasse, surgia a desordem mental. Claro, o que para eles causava o desequilíbrio eram as glândulas, e não o cérebro. A coisa muda pouco com os romanos. Galeno (130 d.C.) incrementou a hipótese da boa e velha bílis: a amarela causaria a mania (alegre, furiosa ou homicida), e a negra, a melancolia. Assim, com poucas variações, a relação entre corpo e mente virou a base para compreender a loucura, o que seria retomado durante o Renascimento, após um longo intervalo em que – Deus (dessa vez, um só) – voltou com força total: a Idade Média. (VIEIRA, 2011, p. 6). A forma como a sociedade, na história do homem, se relacionava com a loucura, refletia a organização social dessa própria sociedade e seus sistemas de crenças e valores. Nesse contexto, pode-se inferir: 01) A Grécia Antiga via com normalidade a loucura, por considerá-la um atributo indispensável ao pensamento filosófico de conteúdo mítico e irracional, próprio daquela civilização. 02) O pragmatismo da sociedade romana impediu o desenvolvimento de um sistema de pensamentos e normas que regulassem a vida em sociedade. 8 REVISÃO UNEB 03) As filosofias escolástica e tomista, na Idade Média, buscaram explicações para os fenômenos psíquicos, assim como para a vida social, a partir dos desígnios divinos. 04) O Renascimento retomou o desenvolvimento do racionalismo clássico, buscando imitar a sua produção e criticar o atraso cultural e o obscurantismo da época medieval, momento em que as discussões filosóficas desapareceram. 05) A predominância da filosofia sobre outros saberes contribuiu para o atraso do pensamento científico, que se desenvolveu somente no século XIX, com a extinção das correntes filosóficas que direcionaram as sociedades nos séculos anteriores. QUESTÕES 02 E 03 ................................................... QUESTÃO 02 A análise da charge e os conhecimentos sobre a organização política brasileira, ao longo da história do Brasil, permitem afirmar: 01) A presença da Corte portuguesa no país dificultou a liberdade comercial, a instalação de indústrias e a manutenção do latifúndio. 02) O governo de D. Pedro I, ao fechar o parlamento e extinguir o sistema eleitoral, estabeleceu o equilíbrio político preconizado pela Confederação do Equador. 03) O parlamentarismo, estabelecido no país no Segundo Reinado, esteve sob o controle do Poder Moderador e beneficiou a aristocracia rural, ao manter o voto censitário e a vitalicidade do Senado. 04) A redemocratização do país, pós-ditadura Vargas, contribuiu para o fortalecimento dos movimentos populares, que controlaram a política durante a vigência do populismo. 05) O parlamentarismo implantado durante o governo João Goulart assegurou ao Executivo poderes excepcionais, permitindo-lhe atuar como um autocrata.
    • GEOGRAFIA QUESTÃO 03 A adoção do parlamentarismo por nações europeias, no decorrer de sua história, foi um processo que se desenvolveu a partir de transformações ocorridas no continente, cujas repercussões se fizeram sentir na América. Em relação à adoção do parlamentarismo na Europa, pode-se afirmar que a: 01) Revolução Gloriosa instituiu a monarquia parlamentar constitucional na Inglaterra e um governo burguês favorável à posterior eclosão da Revolução Industrial. 02) Revolução Francesa, na sua fase jacobina, conforme o regime parlamentar, aboliu os privilégios feudais e a limitação dos poderes burgueses, garantindo o controle político pelos partidos da elite econômica francesa. 03) Independência dos Estados Unidos ocorreu paralelamente à implantação de um regime parlamentar com amplas liberdades democráticas, contribuindo para a elevação do padrão de renda da sociedade, como um todo, e para a expansão econômica norte-americana sobre o continente europeu. 04) Revolução de Outubro de 1917, na Rússia, instituiu o pluripartidarismo, o regime parlamentar liberal e liberdades políticas partidárias, permitindo a ampla representação das forças políticas no parlamento. 05) Crise de 1929, ao enfraquecer o parlamentarismo alemão, contribuiu para a ascensão dos nazistas ao poder, que, aliados aos socialistas, buscaram estabelecer um pacto nacional para a superação da crise econômica. 9 REVISÃO UNEB Um dos problemas que já estão ocorrendo no MS, envolvendo usinas de açúcar e álcool, é o plantio de cana em áreas que incidem sobre territórios indígenas já reconhecidos como tal pelo governo, mas em processo de homologação. Atualmente, ao menos quatro usinas estão se abastecendo de cana proveniente de territórios reconhecidos ou reivindicados e em processo de estudo antropológico pela Funai. (O GOSTO AMARGO..., 2010, p. 8). QUESTÃO 04 ............................................................. A partir da análise do texto e dos conhecimentos sobre o sistema agrícola utilizado na cultura da canade-açúcar, no Brasil, é correto afirmar: 01) A expansão dos canaviais no Cone Sul do Estado determinou a desapropriação de grande parcela do território indígena pelo Governo Federal, com vistas a uma reforma agrária, que irá resolver definitivamente os conflitos fundiários nessa região. 02) A valorização das terras no Mato Grosso do Sul está relacionada à ocupação desordenada do espaço agrário, onde as comunidades indígenas detêm a posse de quase a totalidade desse espaço. 03) O cultivo da cana-de-açúcar, embora incipiente na Região Centro-Oeste, tem contribuído para uma melhoria considerável do IDH da população. 04) A expansão do cultivo da cana-de-açúcar em terras indígenas é decorrente da escassez de terras férteis na Região Centro-Oeste. 05) O cultivo da cana-de-açúcar adota o sistema monocultor, que não favorece a preservação dos solos. QUESTÃO 05 ............................................................. QUESTÕES 04 E 05 ................................................... A escalada dos conflitos fundiários envolvendo indígenas e fazendeiros no Mato Grosso do Sul conta com um elemento adicional para jogar água na fervura: a valorização da terra por conta da mais nova febre agrícola na região, a cana-de-açúcar. Apesar da publicação, em setembro de 2009, do Zoneamento Agroecológico (ZAE) da Cana, que transformou parte do território do Estado – Pantanal e Bacia do Alto Paraguai – em zona de exclusão de cultura, o Estado é um dos que mais tem registrado investimentos no setor sucroalcooleiro. De acordo com o governo estadual, no final de 2009 o MS contava com 14 usinas implantadas e 28 em implantação, além de 48 pedidos de instalação de novas unidades. A expansão dos canaviais está se dando no Cone Sul do Estado. É nessa região que se concentra a maioria das 42 Terras Indígenas (Tis) já reconhecidas, por se tratar da região de ocupação tradicional dos Guarani-Kaiowá, o mais numeroso grupo indígena do Estado e do país. É também ali que a Fundação Nacional do Índio (Funai) retomou, em 2008, os estudos para demarcação de áreas em 26 municípios. Tomando-se como referência o texto e com base nos conhecimentos sobre a história socioeconômica do Brasil, é correto afirmar: 01) A disputa de terras entre indígenas e colonos, no Período Colonial, provocou a intervenção do Estado português, que delimitou as reservas indígenas, objetivando regulamentar a utilização da mão de obra indígena na colônia. 02) A ocupação da região interiorana pelos colonos contribuiu para o acirramento do conflito entre estes e as comunidades indígenas, fator motivante do clima de tensão nas relações sociais do campo, que se mantêm ao longo da história. 03) A exploração da mineração, no Período Colonial, provocou a decadência da economia açucareira, agravada pela sangria da mão de obra da região nordestina para a região mineradora. 04) A valorização da cultura da cana-de-açúcar, nos dias atuais, tem ocorrido em função da crise agrícola mundial, provocada pelo aquecimento global e pelo crescimento descontrolado da população mundial. 05) O regime ditatorial militar extinguiu a grilagem no país, ao elevar o índio à categoria de símbolo nacional e ao reconhecer as Terras Indígenas (TI).
    • GEOGRAFIA QUESTÃO 06 .............................................................. A expansão do agronegócio vem sendo viabilizada com a atuação da “tríplice aliança”: latifúndio-Estado-agronegócio. Nesse sentido, o agronegócio reúne o que há de mais moderno em termos tecnológicos com o que há de mais arcaico em termos de estrutura fundiária e de relações de trabalho. (CAMPOS. IN: FARIA, 2011, p. 7). Em relação à realidade do agronegócio, no Brasil atual, pode-se afirmar: 01) O perfil do emprego gerado pelo agronegócio, apesar de formal, mostra uma segregação ocupacional, em que os homens são maioria absoluta. 02) O agronegócio alterou as relações sociais e a agricultura familiar foi integrada ao processo produtivo, o que gerou uma grande mobilidade social no país. 03) A expansão do agronegócio ampliou o emprego permanente, diminuindo, por outro lado, o emprego temporário. 04) A estrutura fundiária foi democratizada, e o processo produtivo passou a beneficiar grande parte da população rural. 05) O agronegócio assegura o abastecimento interno de alimentos e tornou o país autossuficiente nesse setor. QUESTÃO 07 .............................................................. O relatório da FAO para 2010 traz [...] uma informação genuinamente boa: o percentual de subalimentados na população total das regiões em desenvolvimento, que chegava a quase 35% em 1970, atingiu 16% em 2010, depois de uma queda brusca em 2008 e 2009. O número ainda está longe, todavia, da meta de 10% que as Nações Unidas haviam estimado para o período entre 1990 e 2015. (ROSÁRIO, 2011, p. 13). Considerando-se as informações do texto e os conhecimentos sobre a questão da alimentação e seus desdobramentos, é correto afirmar que o: 01) mundo produz mais alimentos do que precisa, sendo a fome endêmica uma questão política e cultural. 02) aumento do poder aquisitivo das populações pobres, na última década, foi expressivo, o que permitiu um maior consumo de alimentos e eliminou a subnutrição. 03) balanço geral da oferta de alimentos, no mundo, aponta para um quadro tranquilizador, em que os preços dos alimentos certamente irão cair verticalmente, descartando-se, portanto, o desabastecimento. 04) uso da irrigação tem produzido uma espécie de “bolha” na produção de alimentos, que pode “explodir”, quando as reservas hídricas se esgotarem. 10 REVISÃO UNEB 05) aquecimento global não afeta a produção de alimentos porque a disseminação do uso da biotecnologia impede sua queda, principalmente nos países agrários. QUESTÃO 08 ............................................................. O Brasil vem crescendo a uma taxa de 4,5%, em média, nos últimos sete anos (20042010). Esse novo patamar, após longo período de baixo crescimento, tem renovado as expectativas da sociedade brasileira. As taxas de desemprego voltaram aos níveis de vinte anos atrás, e a criação de novos empregos – a grande maioria com carteira assinada, nos setores privado e público – tem superado o número de ingressantes no mercado de trabalho. Essa dinâmica, em que a demanda de trabalho tem ultrapassado a oferta, contribuiu para a redução do desemprego. Um conjunto de outras políticas públicas, como a valorização do salário mínimo, o Bolsa-Família e a política de crédito, impulsiona o crescimento da economia, criando um círculo virtuoso de expansão da renda e do emprego. (O BRASIL..., 2011, p. 4). Em relação à política econômica da república brasileira, desde o período do regime militar, pode-se afirmar: 01) O efêmero “milagre econômico” possibilitou altas taxas de crescimento econômico, em função do arrocho salarial, que contribuiu para a redução dos custos da produção, associado ao crédito abundante do Governo. 02) O Plano Cruzado, estabelecido no governo Sarney, contribuiu para um processo de redistribuição de renda, em função do fortalecimento do poder aquisitivo, que provocou a expansão do consumo e da produção. 03) O crescimento econômico, durante os anos 90 do século passado, foi provocado pela estabilidade financeira obtida com o Plano Collor, ao congelar os preços das mercadorias e dos salários, que controlou a inflação. 04) O Plano Real, anotado no governo Itamar Franco, ao fortalecer a indústria nacional e a produção da indústria de bens de consumo duráveis, reduziu o endividamento externo e garantiu a estabilidade econômica. 05) A política econômica estabelecida durante os governos de Luiz Inácio Lula da Silva, ao romper com o capital externo, extinguiu a dependência ao capital estrangeiro, e adotou uma política de isolamento político em relação às questões internacionais.
    • GEOGRAFIA QUESTÕES 09 E 10 ................................................... A exemplo da grande maioria dos estados brasileiros, a Bahia experimentou, de forma dramática, os efeitos do movimento civilmilitar de março-abril de 1964. Também aqui, como no restante do Brasil, esse golpe de estado incidiu sobre uma realidade caracterizada pelas contradições e conflitos típicos de uma sociedade de base essencialmente tradicional, em um momento crucial de seu processo de modernização. De fato, a própria ocorrência do fenômeno no plano nacional e seu desdobramento em terras baianas representaram uma solução aos dilemas gerados no âmago de uma formação social confrontada com alternativas diversas, como a da possibilidade de um desenvolvimento economicamente autônomo, socialmente integrado e politicamente democrático ou o crescimento econômico dependente, socialmente assimétrico e politicamente autoritário. Tais contradições perpassavam o mundo político e social baiano às vésperas do 31 de março e se manifestavam no seio da administração do governador Lomanto Júnior. (FERREIRA, 2011). 11 REVISÃO UNEB QUESTÃO 10 ............................................................. A partir dos conhecimentos sobre o processo industrial baiano, desde o século passado aos dias atuais, marque V nas afirmativas verdadeiras e F, nas falsas. ( ( ( ( ) A Bahia, até os meados do século passado, apresentava uma atividade industrial pouco expressiva, em comparação à nacional. ) A política de substituição de importações e a unificação do mercado nacional, durante as décadas de 50 e 60 do século XX, estimularam a implantação de indústrias na Bahia. ) O processo de desenvolvimento industrial baiano foi diferente do processo paulista, que se concentrou na região metropolitana e utilizou apenas o capital estatal. ) O Polo Petroquímico de Camaçari, embora seja o menor do país, possui a produção mais diversificada e apresenta a maior lucratividade. A alternativa que indica a sequência correta, de cima para baixo, é a: 01) V V F F 02) V F V F 03) F V F V 04) F F V V 05) V V V V QUESTÃO 09 .............................................................. O golpe militar de 1964 deve ser compreendido dentro de um contexto mais amplo, representado pela Guerra Fria, iniciada após a Segunda Guerra Mundial. QUESTÃO 11 ............................................................. Em relação a esses acontecimentos históricos, é correto afirmar: 01) O Pacto Germano-Soviético, ao contribuir para o fortalecimento do movimento socialista mundial, ameaçou a estabilidade política europeia, provocando o apoio dessas duas nações aos regimes autoritários latino-americanos. 02) O golpe de 1964 ocorreu com o apoio da elite econômica dos estados industrializados do sul, visto que inexistiam movimentos sociais organizados no nordeste agroexportador, capazes de ameaçar a estrutura socioeconômica brasileira. 03) A Revolução Cubana, ao contribuir com guerrilheiros para a luta armada no Brasil, ameaçava o estabelecimento de um regime comunista no país, o que provocou a intervenção armada norte-americana. 04) A reação conservadora das elites, de uma parte da classe média e das Forças Armadas, contra o governo João Goulart, acusado do descontrole da inflação e de ações subversivas, resultou na deflagração do Golpe de 1964. 05) A derrota norte-americana na Coreia e no Vietnã, durante a Segunda Guerra Mundial, provocou a mudança de foco da política externa dos Estados Unidos, que, a partir de então, fixou as ações militares no continente americano. A charge se refere: 01) à desigualdade social e à lentidão do processo de urbanização baiana, o que explica seus problemas estruturais. 02) ao aumento da violência urbana, resultante, entre outros fatores, da especulação imobiliária que permeia a ocupação do espaço urbano, contribuindo para a excludência social. 03) ao fato de a economia das cidades brasileiras ter se restringido ao setor secundário, razão pela qual apresentam os indicadores sociais mais baixos da América Latina. 04) à expansão urbana ordenada e às políticas de combate à marginalidade, que conspiram a favor de uma urbanização responsável. 05) à vulnerabilidade dos centros urbanos brasileiros, especialmente a cidade do Salvador, em relação ao êxodo rural, que, se combatido por políticas públicas, permitirá um melhor gerenciamento das questões estruturais.
    • GEOGRAFIA QUESTÕES 12 A 14 ................................................... A onda de protestos e mobilizações populares nos países do Oriente Médio traz grandes novidades. Anuncia uma verdadeira reconfiguração da geopolítica regional, que, ao que parece, desloca dos centros de poder a influência dos EUA na região e anuncia a formação de um novo bloco, islâmico e antiIsrael. As implicações desses acontecimentos para a ordem global são enormes. A começar pela questão de quem controla a exploração e os fluxos comerciais do petróleo. As alianças dos EUA com as ditaduras do Egito, da Arábia Saudita e outros países da região, que asseguravam o suprimento do petróleo, estão ruindo frente às mais amplas mobilizações populares desde muitas décadas. Como num jogo de dominó, as informações que passam de país para país espalham as mobilizações e contaminam toda a região. (BAVA, 2011, p. 3). 12 REVISÃO UNEB 02) a expansão imperialista do século XIX estabeleceu um protetorado norte-americano sobre o Oriente Médio, controlando os estreitos de Bósforo e de Dardanelos, rota de passagem para a comercialização do petróleo que abastecia o eixo nazi-fascista. 03) a expansão islâmica sobre o mundo árabe resultou de uma reação à Guerra Fria, quando essa região assumiu uma posição de neutralidade, frente às disputas entre os Estados Unidos e a URSS, no Oriente Médio. 04) os interesses econômicos norte-americanos sobrepujaram a defesa dos ideais democráticos, principalmente com o apoio dos Estados Unidos à política israelense em relação aos palestinos e à ditadura iraquiana, durante a Guerra IrãIraque. 05) o apoio dos Estados Unidos aos países árabes, buscando contrabalancear a influência soviética sobre Israel, tem sido abalada pela “primavera árabe”, que prenuncia um novo avanço das concepções socialistas. QUESTÃO 14 ............................................................. QUESTÃO 12 .............................................................. A análise do texto, aliada aos conhecimentos sobre o Oriente Médio, permite afirmar: 01) As alianças firmadas entre os Estados Unidos e os países do Oriente Médio, no passado, possibilitaram um grande desenvolvimento regional, uma vez que se praticava um sistema de escambo entre o petróleo e o acesso ao conhecimento tecnológico norte-americano. 02) O uso de tecnologia de ponta norte-americana na exploração do petróleo possibilitou um grande desenvolvimento industrial no Oriente Médio, principalmente nas duas últimas décadas do século passado. 03) A concentração de reservas de petróleo no Oriente Médio está associada a fatores econômicos e políticos, tendo criado condições para a formação de um cartel, a OPEP, que teve grande importância no cenário mundial, principalmente na segunda metade do século XX. 04) A reconfiguração da geopolítica no Oriente Médio aponta para a democratização de todos os países da região e, consequentemente, para uma melhor distribuição de renda. 05) O relevo da região apresenta baixa altimetria, fator que favoreceu o desenvolvimento do agronegócio e a autossuficiência na produção de alimentos. QUESTÃO 13 .............................................................. A história do Oriente Médio está intimamente relacionada a questões do Ocidente, na medida em que: 01) as Cruzadas buscavam retomar os reinos cristãos do Oriente das mãos dos mouros, fator que provocou a crise do comércio de especiarias, a retração comercial e a ruralização da economia. A relação entre a produção de petróleo e os conflitos no Oriente Médio tem impactado nas relações políticas internacionais, como se pode observar: 01) no contexto do imperialismo inglês, quando, objetivando controlar a produção de petróleo no Oriente Médio, a Inglaterra invadiu essa região, em busca do restabelecimento econômico, após a crise oriunda da Segunda Guerra Mundial. 02) na disputa entre a Inglaterra e a Alemanha pela posse da Alsácia-Lorena, importante rota de passagem para o controle da produção de petróleo no Oriente Médio, fator que contribuiu para o estabelecimento do Pacto Germano-Soviético, em contraposição à Tríplice Entente. 03) no apoio norte-americano ao processo de descolonização afro-asiática, que abalou as relações entre a Europa e os Estados Unidos, agravando-se com as exigências do Plano Marshall e do Macarthismo. 04) na elevação do preço do barril de petróleo estabelecido pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), na década de 1970, como retaliação à expansão territorial israelense sobre o Egito, Líbano, Jordânia e Síria, com a conivência das nações capitalistas ocidentais. 05) nas crises financeiras mundiais de 2008 e 2011, que, enfraquecendo a economia norte-americana, contribuíram para a perda de controle norteamericano no mundo ocidental e a progressiva ascensão da China, que vem estabelecendo grandes áreas de influência no Oriente Médio.
    • GEOGRAFIA QUESTÃO 15 .............................................................. “Com a globalização, as nações perdem parte de sua importância política e deixam de controlar as economias nacionais, em razão do fortalecimento das corporações transnacionais. Essa e outras transformações por que o mundo vem passando causam grandes incertezas e temores pelo fato de a perspectiva das mudanças aceleradas poder provocar” 01) o fortalecimento de ideologias radicais e expressivo declínio do capitalismo. 02) a homogeneidade cultural e aumento dos conflitos religiosos. 03) uma mudança radical de valores, principalmente nos países islâmicos. 04) a eliminação dos conflitos étnicos e aumento da xenofobia. 05) uma massificação das culturas populares e diminuição da soberania dos estados. QUESTÃO 16 .............................................................. 13 REVISÃO UNEB A alternativa que indica a sequência correta, de cima para baixo, é a: 01) 02) 03) 04) 05) VFFVF VFFFV FFVFV VVFFV FVVVF QUESTÃO 17 ............................................................. Pensávamos ter esgotado os recursos de “resposta” à crise financeira privada, sob a forma de planos de austeridade pública sem precedentes. Mas o prolongamento do “pacto de competitividade” está nos levando para outra aventura da qual não sabemos o fim. Até onde irá o paradoxo do aprofundamento das políticas neoliberais em resposta à crise neoliberal? É difícil imaginar como as políticas econômicas europeias poderiam deixar de produzir o exato efeito contrário do resultado que elas dizem querer alcançar. (LORDON, 2011, P. 26). A análise do texto e os conhecimentos sobre o neoliberalismo e o panorama econômico mundial permitem afirmar: A partir da análise da charge, aliada aos conhecimentos sobre a economia mundial, marque V nas afirmativas verdadeiras e F, nas falsas. ( ( ( ( ( ) O endividamento norte-americano tem gerado tensões globais, porque os Estados Unidos são grandes consumidores de bens duráveis e não duráveis e têm uma grande participação no comércio internacional. ) O elevado índice de inflação apresentado pelos Estados Unidos, nos últimos cinco anos, é responsável pela desagregação da economia, que culminou com a crise mundial de 2008. ) Os cientistas econômicos são unânimes em afirmar que a solução para acalmar definitivamente o mercado global é a substituição da moeda norte-americana, nas transações internacionais, pelas moedas dos países emergentes. ) A situação econômica norte-americana não afeta o Brasil, uma vez que as exportações brasileiras, como a de commodities, se destinam aos países emergentes do BRICS, como a China e a Índia, exportando para os Estados Unidos uma incipiente parcela de manufaturados. ) A tensão no mercado global, verificada em 2011, foi justificada, pelo fato de, nas transações do comércio internacional, a moeda utilizada ser o dólar norte-americano. 01) A zona do euro agrega países com o mesmo IDH, mas que apresentam potencialidades naturais e dívidas públicas diferenciadas. 02) Os planos de austeridade pública, adotados pela Irlanda, Grécia e Espanha, impediram o desenvolvimento desses países e, consequentemente, provocaram a crise econômica mundial de 2008. 03) Os países que adotaram políticas neoliberais são os menos atingidos pela crise econômica, porque essas políticas consolidaram planos de estabilidade e de ajuda mútua. 04) A redução dos déficits públicos deverá ser rápida, porque o mercado consumidor é grande e a organização política impede que a crise se acentue. 05) As dificuldades que os países da zona do euro têm atravessado ameaçam a capacidade de preservação do modelo social adotado na Europa Ocidental. QUESTÃO 18 ............................................................. A crise econômica de 2008 repercutiu no mundo inteiro, trazendo graves consequências para o comércio e para a produção mundial. No contexto da crise, o Brasil foi um dos últimos países a ser atingido e um dos primeiros a superar os efeitos negativos dessa crise. Isso ocorreu, entre outros fatores, devido: 01) à adoção de medidas neoliberais, que liquidaram o déficit público das unidades da Federação.
    • GEOGRAFIA 14 REVISÃO UNEB 02) à diminuição do controle do Estado e à aceleração do processo de privatizações dos transportes públicos. 03) ao fortalecimento do mercado interno, a partir, dentre outras ações, da valorização do salário mínimo. 04) à redução das taxas de juros e a elevação dos impostos sobre a indústria automobilística, que contribuíram para a ampliação da produção. 05) à ampliação das exportações de manufaturados para o mundo árabe, em troca da redução no preço do petróleo. Amorim, a atuação do Itamaraty, durante os oito anos do governo Lula, era considerada quase consensualmente pelos setores progressistas como um dos pontos mais positivos da gestão petista. Durante o período, o Brasil destacou-se internacionalmente, por exemplo, por manter relações de diálogo com o país comandado por Mahmoud Anmadinejad. Em relação às supostas intenções iranianas de produzir a bomba atômica. O governo brasileiro chegou a articular, juntamente com a Turquia, um acordo que superasse o impasse – aceito pelo Irã e rechaçado pelos Estados Unidos. (MERLINO, 2011, p. 12-13). QUESTÃO 19 .............................................................. A crise econômica mundial está afetando vários brasileiros que moram no exterior, a ponto de muitos estarem voltando ao Brasil. No Reino Unido, por exemplo, vários brasileiros com empregos no setor de construção não conseguem mais trabalhar porque a crise praticamente paralisou as atividades na área. Já, no Japão, grande parte dos 317 mil brasileiros que vivem no país é composta por operários de fábrica e, com a queda na produção, muitos resolveram voltar ao Brasil, (BARBOSA, 2011, p. 164). Os movimentos da população mundial têm sofrido alterações, principalmente no período pós-crise de 2008. Sobre essa questão, pode-se afirmar: 01) O movimento de população que mais se destaca atualmente na Europa é o de transumância. 02) A pirâmide etária dos Estados Unidos sofre um processo de mudança, com o aumento da população jovem, o que resultou na proibição da entrada de imigrantes latino-americanos, como forma de proteger a oferta de emprego para essa parcela da população. 03) Os imigrantes, no Japão, recebem todo apoio da população e do governo local, trabalham em igualdade de condições dos trabalhadores japoneses e são absorvidos, principalmente, pelas atividades agrícolas. 04) A política de imigração adotada no Brasil é muito rígida, consequência do fato de o país ser muito populoso e povoado e de a economia não ser capaz de absorver mão de obra estrangeira. 05) A fragilidade da economia dos países de origem do migrante e a necessidade de envio de remessas de dinheiro para a família deixada para trás constituem-se os fatores determinantes para a emigração, na atualidade. A política externa brasileira, durante o período republicano, buscou manter certa coerência, independente dos governos que se estabeleceram, apesar de, em alguns momentos, ocorrerem mudanças na orientação dessa política, o que se pode observar: 01) na Primeira República, quando o caráter agroexportador da economia impossibilitou a implantação de fábricas e de empresas de iniciativa privada nacional ou estrangeira. 02) na Era Vargas, quando a abertura política aproximou o país da União Soviética, abalando as relações com os Estados Unidos. 03) no governo Juscelino Kubitschek, na medida em que a abertura ao capital estrangeiro e a aliança com os Estados Unidos provocaram o rompimento dos populistas com o governa central. 04) na execução da Política Externa Independente do governo Jânio Quadros que, objetivando reduzir a dependência aos Estados Unidos, se aproximou do bloco socialista, desagradando a burguesia brasileira, então associada ao capital estrangeiro. 05) no governo socialista do presidente Lula, que liderou uma frente internacional contra o imperialismo norte-americano e se aproximou de Cuba, da Líbia e do Irã, estabelecendo acordos nucleares para a proliferação, no Brasil, do uso militar da energia atômica. GABARITO 0 QUESTÃO 20 .............................................................. O recente apoio do Brasil à Resolução do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, que institui um relator especial para investigar as violações de direitos humanos no Irã, acendeu o sinal de alerta entre parte da esquerda brasileira sobre uma possível mudança nos rumos da política externa do pais. Tendo à frente o ex-ministro Celso 1 01 2 04 1 2 3 4 5 6 7 8 9 03 0 03 01 05 02 01 04 01 04 02 03 04 04 05 02 05 03 05