JORNAL ADELINA MARIA
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

JORNAL ADELINA MARIA

on

  • 1,030 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,030
Views on SlideShare
1,013
Embed Views
17

Actions

Likes
0
Downloads
3
Comments
0

2 Embeds 17

http://adelinamaria10.blogspot.com 16
http://webcache.googleusercontent.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

JORNAL ADELINA MARIA JORNAL ADELINA MARIA Document Transcript

  • www.adelinamaria10.blogspot.com/ Lagarto/SE, terça-feira, 19 de abril de 2011II Encontro Cultural de Lagarto II encontro cultural de LagartoA programação se estendeu de 17 a 20 de abril, período em que se Entre os dias 17 e 20 de abril comemorou os 131 anos de nosso município. de 2011, aconteceu eventos esportivos, ciclos de palestras, debates, mesas redondas, mostras culturais, apresentações de grupos folclóricos e teatrais e shows com artistas sergipanos e nacionais no povoado Santo Antônio, e na sede do município. Diretor Geral Alunos do 9º Ano. Editor Geral “Degusto a vida o dia inteiro “Entre Cobras & Lagartos me vejo Alunos do 9º Ano Num prato que farta e sobra... Tecendo a manhã de fato Ginete, beiju, feijão tropeiro Num doce Louvor sertanejo Pesquisadores Vatapá, caruru e maniçoba!” Na praça, no palco, no ato.” Alunos (Assuero Cardoso) do 6º ao 9º Ano. Poeta Lagartense A programação constou ainda com shows de artistas sergipanos e nacionais . Revisão Geral Professores do 6º ao 9º Ano ORIENTAÇÃO Marie Jolly Nascimento Pinto Profª. Josefa Suely Prata
  • JORNAL ADELINA MARIA EDITORIAL ABRIL 2011 PÁGINA 02 ELABORAÇÃO: 9º ANO “A” - ORIENTAÇÃO PROFª. JOSEFA SUELYCaro leitor, ÍNDICE Editorial..................................... 02 A segunda edição do JORNAL ADELINA MARIA se Cultura&Geral........................... 03propõe a mostrar de forma panorâmica aspectos da comemoração Fatos e Fotos .......................... 08do dia 20 de abril, aniversário da cidade de Lagarto, e, as Entrevistas ............................... 09particularidades que envolvem alguns desses momentos, Curiosidades ............................ 10sobretudo, no que se refere à visita que os alunos do 6º ao 9º Anofizeram ao povoado Santo Antônio. Para tanto, nossa equipe destacou os mais variadostemas e assuntos desenvolvidos durante a visita ao povoado, localde origem da cidade de Lagarto, descritos nos parágrafos epáginas que seguem. Tarde de outono de abril de 2011, nós alunos da AdelinaMaria paramos diante de um cenário que fora montado para quepudéssemos lembrar do aniversário da querida Lagarto. Aosnossos olhos não vimos as três cruzes, mas uma igreja que chamalogo a nossa atenção, em seu percurso estandes organizados pormembros da comunidade, alunos e professores das escolas dopovoado e por alunos de duas instituições do Ensino SuperiorCurso de História do nosso Estado. Os estandes foram organizados por temas, a saber:apresentação dos filhos ilustres, e de alguns de seus textos,artesanatos, exposição do folclore, comidas típicas. Tambémconferências e apresentações culturais. Outro aspecto observadofoi a cobertura da imprensa local. De volta a escola fomos à praça Filomeno Hora paraassistirmos a peças teatrais e apresentações de danças folclóricasda região e de outras localidades brasileiras. Desenvolvemos esse trabalho com muito carinho eempenho para proporcionar a vocês leitores algo novo e produtivo. Esperamos que esta edição agrade a todos os leitores. Alunos do 9º Ano “A”. 1. Monumento – Santo Antônio 2. Agricultura local. 3. Mesa redonda Patrimônio imaterial: riquezas sergipanas.
  • JORNAL ADELINA MARIA CULTURA&GERAL ABRIL 2011 PÁGINA 03 ELABORAÇÃO: 6º ANO “B” - ORIENTAÇÃO PROFª. MÁRCIA SILVA FILHOS ILUSTRES DE LAGARTO SILVIO ROMERO África. Foi membro da Um crítico acirrado da Literatura academia sergipana de Brasileira, folclorista, polemista, letras. Pesquisas professor, historiador. Nasceu mostram que ele fora em Lagarto, em 21 de abril de incentivado por 1851 e faleceu no Rio de M urilo Araújo. Elogiado Janeiro, em 18 de julho 1914. também na França por sua mensagem lírica e pela Iniciou seus estudos em sua crítica Argentina que o colocou o entre cidade natal. Foi um pesquisador bibliográfico conceituados poetas. sério e minucioso. Silvio Romero também foi um Reconhecido ainda em Portugal, Espanha, grande responsável pela valorização das tradições Alemanha e EUA. O Trem Noturno, América, a populares e reconhecidas nas obras sobre o musa amada e o alegre cativo são títulos de folclore. alguns de seus poemas. RANULPHO PRATA Ranulpho Prata foi um médico RUSEL MARCOS BATISTA BAROSSO e escritor brasileiro. Nasceu É um cordial cidadão em Lagarto/SE em 1896, Lagartense, que contribui sendo autor de “O Triunfo” significativamente com o seu (1918) e “Navios Iluminados” trabalho para história da sua (1937). M orreu em Santos em terra natal. Nasceu em Lagarto 1942. no dia 27 de junho 1963. No seu romance "Navios Graduador em letras pela Iluminados" existe uma Universidade Federal de referência a Telhadela, de onde é natural a esposa Sergipe, Pós-Graduado em M etodologia da Língua de M anuel M ilagre. M anuel M ilagre é o dono da Portuguesa e Literatura. Atualmente é exerce o pensão em que mora o personagem principal da cargo de diretor adjunto de Faculdade AGES, em trama, o migrante nordestino José Severino de Paripiranga, Bahia. É professor de idioma, mas Jesus, e seu amigo, Felício. Apaixonado por letras também dono da primeira escola de idiomas do retirou de seus romances cantos admiráveis. Suas interior do Estado – OACI. Vice-presidente do grandes obras são: o Lírio Torrente, A longa ASCLA, acesso de DR2 e da SEM ED, responde estrada do Triunfo, Navios fulminados e Dentro da pela assessoria da secretária de educação de vida. Lagarto.Tendo obras com: English for especif. purpures e M anuais de Trabalhos Acadêmicos. LAUDELINO FREIRE No início de 2011 publica sua obra mais esperada: Escritor, filólogo, jornalista, o pioneiríssimo de Sílvio Romero na historiografia professor e político. Nasceu da literatura brasileira. em 26 de janeiro de 1873 na cidade de Lagarto, faleceu no CLAUDEFRANKLIN MONTEIRO Rio de Janeiro em 19 de julho Nasceu em Lagarto é professor de 1937. Foi professor do da rede pública e do colégio militar do Rio de departamento de história da Janeiro e se formou em advocacia. Em nosso UFS. Também é Historiador, Estado foi deputado estadual nos anos de 1894, escritor, autor de vários livros. 1896 e 1898. M embro e presidente da academia Entre eles Centrifugação, Nove brasileira de letras. Defensor da ortografia. É o Contos e Uma cidade em pé-de- autor do Grande e Novíssimo Dicionário da Língua guerra: saramandaia e bole-bole. Presidente da Portuguesa (1939-1944), de publicação póstuma, ASCLA, Coordenou o curso de história de FJAV. É em cinco volumes. autor de muitos artigos. Recentemente foi empoçado no IHGS, contribui com vários ABELARDO ROMERO DANTAS nasceu no dia periódicos, com sites lagartense, Jornal folha de 13 de julho de 1907 em Lagarto/SE e faleceu no Lagarto, entre outro. Está cursando doutorado. dia 17 de março em 1979. Foi jornalista, poeta, Ama a cidade de Lagarto. escritor e teve poemas publicados na Europa e na
  • JORNAL ADELINA MARIA CULTURA & GERAL ABRIL 2011 PÁGINA 04 ELABORAÇÃO: 7º ANO “C” - ORIENTAÇÃO PROFª. EDNA DE SANTANA E DENISE OLIVEIRA UM CONTO SOBRE OS PARAFUSOS Segundo a tradição, na época docativeiro, era comum as sinhazinhas deixaremno coradouro, durante a noite, as peças dassuas indumentárias, principalmente asanáguas, ricamente bordadas e cheias derendas francesas. Os negros escravos, na calada danoite, saíam para roubar essas vestes, com asquais eles se “fantasiavam” para tentar fugirdos seus senhores, em busca de novoscaminhos, à procura da liberdade. Com elas,os negros fugitivos cobriam todo o corpo,sobrepondo peça por peça, até o pescoço. Assim, vestidos de branco e ao sabor do vento, saíam pelas estradas, dando pulos,rodopiando e fazendo assombração. A superstição da época fazia o povo acreditar em almas semcabeça e outras visagens. Os moradores da região, amedrontados com as “terríveis” aparições,abstinham-se de sair de casa para protegeralgo que estava sendo roubado, em suapropriedade. Tinham medo. Mais que isso,tinham verdadeiro pavor. Após a libertação dos escravos, osnegros saíam às ruas vestidos tais quaisfaziam, quando escravos. Trajando umasequência de anáguas, saíam em bando,cantarolando, pulando, em movimentostorcidos e retorcidos, numa aberta e livregozação aos seus antigos senhores, agoraderrotados. Pareciam parafusos.Representando os negros escravos, com acara melada de tabatinga (barro branco),pasta d’água, ou pomada minâncora, e vestidos numa profusão de anáguas brancas, com rendas,bicos e ornadas com pregas tipo “palito” oubordadas em palmas cheias, eles não maisespalham o terror, como antigamente.Espalham, sim, muita alegria, muito humor,muita descontração. Por baixo das anáguas, osParafusos usam blusa branca, com decotesredondos, mangas compridas, com elástico nospunhos, e calça comprida, com elástico no cós enas pernas. Ao todo, são cinco anáguas, distribuídaspelo corpo. Na cabeça, usam chapéus de ráfiabranca, ornados com fita vermelha.
  • JORNAL ADELINA MARIA CULTURA & GERAL ABRIL 2011 PÁGINA 05 ELABORAÇÃO: 9º ANO “B” - ORIENTAÇÃO PROF. GILVAN DE CARVALHO Uma conferência vira crônica Naquela tarde de segunda-feira, 17 de abril de 2011, nós, alunos da 9º ano “B”, da EscolaMunicipal Adelina Maria de Santana Souza fomos ao povoado Santo Antônio, onde havia uma exposiçãosobre o aniversário da cidade de Lagarto. No momento, assistimos a uma mesa redonda sobre o tema“Patrimônio Imaterial de Sergipe”, com alguns historiadores. Dentre os palestrantes estavam professoresda FJAV e representantes do IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). Esse órgãofoi criado com o intuito de preservar Patrimônios ilustres e os grupos sociais que identificam a história deum povo. Durante a conferência foi exibido um vídeo produzido pelo IPHAN sobre danças como Samba deCoco, Marajá, Catira, Capoeira, São Gonçalo, entre outras e também foi discutido como se faz o registrode um patrimônio imaterial. Alguns questionamentos surgiram, tipo: quem faz o saber cultural? E o que fazer para educar aselites? Ficamos atentos, entretanto para nós foram perguntas sem respostas, vez que tivemos que sairdo ambiente para atender o horário do transporte. Alunos do 9º Ano “B” ELABORAÇÃO: 7º ANO “B” - ORIENTAÇÃO PROF. MURILO SILVEIRAANTOLOGIA DE POESIA LAGARTENSEQUADRAS DE SÍLVIO ROMEROBatatinha Quando Nasce Pirolito que Bate, Bate Cachorrinho Está Latindo Quem Canta, Seu Mal EspantaBatatinha quando nasce Pirolito que bate, que bate, Cachorrinho está latindo Quem canta seu mal espanta,Deita rama pelo chão; Pirolito que já bateu; Lá no fundo do quintal; Quem chora seu mal aumenta,Mulatinha quando deita Quem gosta de mim é ela, Cala a boca, cachorrinho, Eu canto para disfarçarBota a mão no coração. Quem gosta dela sou eu. Deixa meu amor chegar! Uma dor que me atormenta.POESIA DE ABELARDOROMERO DANTAS TREM NOTURNONoite ideal para um brusco desaparecimento.... Eu sou o passageiro que pensa, calado. A felicidade anda sempre na frente da locomotiva.Todos estão impacientes Sou o passageiro calado do trem noturno.Mas o trem noturno vai partir. Em torno de mimMereço este castigo de andar sem rumo Há olhos vivos,Por não haver engano a ninguém? VelozesAgora também desejo que ninguém acredite E há tambémna amargura das minhas palavras. Olhos tristes, vagarosos.Preciso ser diferente, diferente... O trem noturnoO trem partiu, O tremCorrendo sobre os rails, NoturnoCorrendo, correndo... Entre as arvores, Entre as montanhas....
  • JORNAL ADELINA MARIA CULTURA&GERAL ABRIL 2011 PÁGINA 06 ELABORAÇÃO: 6º ANO “B” - ORIENTAÇÃO PROFª. MURILO SILVEIRAA MÚSICA LAGARTENSEAbra a PortaLacertaeComposição: Deon CostaAbra a porta e deixe o vento passar,Abra a porta.O vento não é frio nem desafio.Abra a porta e deixe o vento passar,Abra a porta.Sem ninguém o vento vem,abro a porta e deixo o vento me levar.Sem sombras, com ondas, o vento é brisae a força do mar.Sem brumas nas alturas dos olhosme comentam os ventos lá.Abra a porta e deixe o vento passar,abra a porta.Com o tempo os ventos passam,como uma pena, semente, complementouma árvore complementar.No firmamento, os ventos, gotas, cores a se formar.Abra a porta e deixe o vento passar, abra a porta.Com o tempo os ventos passam, e os homens no mesmo lugar.Como uma criança, cresce, homens envelhecem, acaba.Concreta.LacertaeComposição : Deon Costa e Agnaldo.Palavra concreta pregada no casco da pedra,Anda, anda perna.Dentro da face concreta da pedraSou ferro que nunca se quebra.Vivendo pétalas, crateras energias, vulcãoPedaços são traços que eu façoPedaços são traços que eu faço.Dentro da face concreta da pedraSou ferro que nunca se quebra.
  • JORNAL ADELINA MARIA CULTURA & GERAL ABRIL 2011 PÁGINA 07 ELABORAÇÃO: 6º ANO “B” - ORIENTAÇÃO PROF. MURILO SILVEIRAAPRESENTAÇÕES TEATRAIS NO ANIVERSÁRIO DA CIDADE Além do grupo local de teatro, Cobras & Lagartos, que se apresentou no Povoado santo Antônio, a cidaderecebeu outros grupos teatrais como: Incena – Cia Estanciana de Artes e grupo de teatro Oiteiros de Gararu-Sergipe. Estes se apresentaram na Praça Filomeno Hora, nos dias 18 e 19 de abril, às 10h e às 15h. Foi ummomento emocionante vez que a plateia (formada por alunos da Adelina Maria e Colégio Frei Cristóvão, além daspessoas que passavam no local), ficou fascinada com a magia do teatro.Apresentação no pov. Santo Antônio Enquanto aguardavam o início da apresentação. Encontro dos diferentes grupos do município de Lagarto, na Filomeno Hora. A peça assistida pelos alunos da Adelina Maria.
  • JORNAL ADELINA MARIA FATOS & FOTOS ABRIL 2011 PÁGINA 08 ELABORAÇÃO: 9º ANO “A” - ORIENTAÇÃO PROFª. SOLANGE e RICARDO ANDRÉ
  • JORNAL ADELINA MARIA ENTREVISTAS ABRIL 2011 PÁGINA 09 ELABORAÇÃO: 9º ANO “A” - ORIENTAÇÃO PROFª. MIRAILDES Os alunos do 8º Ano “A” entrevistaram algumas pessoas da comunidade que se fizeram presente nas festividades doaniversário da cidade de Lagarto. No momento, vários temas foram abordados. A seguir, leiam trechos dessas conversas.1ª Entrevista Alunos do 8º Ano: Qual a extensão da feira atual? ElaEntrevistada: Dona Elizabeth (estande da Escola M. possui boas condições?Paulino Vieira do Nascimento) TEMA: DA LENDA AO FESTIVAL DA MANDIOCA Padre Everton Ribeiro: Ela compreende uma área de 1 km quadrado, porém as condições não são satisfatórias.Alunos do 8º Ano: Quando surgiu?Dona Elizabeth: O festival da mandioca começou em 2009 3ª Entrevistacom a primeira rainha da mandioca que foi Márcia Raianycom 16 anos e a segunda foi Luana dos Santos com 19 Entrevistado: alunos do 9º Ano do Colégio Frei Cristóvão.anos. TEMA: EDUCAÇÃO PATRIMONIALAlunos do 8º Ano: Onde? Alunos do 8º Ano: O que é o Grupo Parafusos?Dona Elizabeth: Começou no povoado Santo Antonio. Alunos do 9º Ano: Grupo Parafusos, batizado pelo historiador Alberto Fonseca teve origem no século19, masAlunos do 8º Ano: Qual o objetivo do Festival? se firmou como manifestação popular somente em meadosDona Elizabeth: Incentivar os agricultores que plantam dos anos 80, quando foi convidado a participar do Festivalmandioca e mostrar a cultura local. de Folclore. Teve participação dos escravos e do padre Salomão Saraiva. Dizem que os negros fugiam dasAlunos do 8º Ano: Quem financiou o projeto? senzalas e roubavam das senhoras costureiras as naguasDona Elizabeth: A prefeitura municipal e parceiros como a brancas de babados.fundação Charles Bricio e a Secretária de Cultura eEducação. Alunos do 8º Ano: Onde fica localizada a Cachoeira do Saboeiro?Alunos do 8º Ano: Que alimentos podem serem feitos Alunos do 9º Ano: Fica entre os municípios de Lagarto ecom a mandioca? São Domingos e conta com uma bela paisagem, trilhas,Dona Elizabeth: O pé- de-moleque, maniçoba, tapioca, poço de banho e água cristalina.puba, beiju, farinha, aimpim frito, mal casado, bolachinhade tapioca e outros. Alunos do 8º Ano: Qual a importância da Cruz das Almas para a história da cidade de Lagarto?Alunos do 8º Ano: O que acontece no evento da Alunos do 9º Ano: É um o monumento que marca amandioca? fundação da cidade por se tratar do início da colonizaçãoDona Elizabeth: Acontecem palestras, oficina de culinária, da vila de Nossa Senhora da Piedade.apresentações folclóricas e artísticas. A eleição da rainhada mandioca e também o encontro da mandio-cultura de Alunos do 8º Ano: Fale um pouco sobre o antigo prédioSergipe. do Grupo Escolar Sílvio Romero. Alunos do 9º Ano: Construído em 1923, este monólito2ª Entrevista admirável foi um dos primeiros patrimônios públicos aEntrevistado: Padre Everton Ribeiro (Estande da UNIT) receber nome do pensador da cultura brasileira, oTEMA: BELEZA E SEGREDOS DA FEIRA DE LAGARTO lagartense Sílvio Romero.Alunos do 8º Ano: Quando surgiu a feira de Lagarto? Alunos do 8º Ano: A gastronomia oferece variedade dePadre Everton Ribeiro: Em 1870 pratos típicos? Alunos do 9º Ano: Sim, Lagarto é uma terra rica deAlunos do 8º Ano: Qual a sua localização? particularidades que mantém as tradições baseadas nosPadre Everton Ribeiro: Na atual Praça Filomeno Hora e pratos típicos. Ao passar pelo município é impossível nãoSebastião Garcez e foi transferida após a demolição dos degustar a tradicional maniçoba desenvolvida a partir dabarracos em 1970, pela necessidade de um local mais folha e da farinha de mandioca, misturadas com charque,amplo. carnes variadas e temperos que dão um sabor a mais ao prato.Alunos do 8º Ano: Qual a diferença entre a feira deantigamente e a atual? Alunos do 8º Ano: Quais os patrimônios que existemPadre Everton Ribeiro: Na época eram vendidos apenas na cidade de Lagarto?produtos alimenticios e para a subsistência. Hoje, porém, Alunos do 9º Ano: A Igreja matriz, a prefeitura, o antigovende-se de tudo. Grupo Escolar Sílvio Romero e a casa paroquial. Esses patrimônios não têm tombamento, por isso podemAlunos do 8º Ano: Em que a ano foi construído o ser vendidos e demolidos. A Rua Laudelino freire surgiuprimeiro mercado? em 1822. A igreja matriz foi reformada no ano de 1828 porPadre Everton Ribeiro: Aproximadamente em 1910. Mons. Senhor Marinho. Além de reformas recentes.
  • JORNAL ADELINA MARIA CURIOSIDADES ABRIL 2011 PÁGINA 09 ELABORAÇÃO: 9º ANO “A” - ORIENTAÇÃO PROFª. ROSANA BARBOSA SOUZA Os alunos do 6º Ano “A” são muito criativos. Eles estudaram sobre as duas origens que envolvem o nome da cidade de LAGARTO e recontaram essa história por meio do gênero História em Quadrinhos. Esperamos que através da leitura dos dois textos, vocês possam se divertir e ter essa história sempre em sua memória.
  • JORNAL ADELINA MARIA CURIOSIDADES ABRIL 2011 PÁGINA 09 ELABORAÇÃO: 9º ANO “A” - ORIENTAÇÃO PROFª. ROSANA BARBOSA SOUZA
  • JORNAL ADELINA MARIA CURIOSIDADES ABRIL 2011 PÁGINA 09 ELABORAÇÃO: 7º ANO “A” - ORIENTAÇÃO PROFª. DENISE ARAGÃO Lagarto sempre ficou conhecido como a cidade do fumo, mas agora já é conhecida com a cidade damandioca, o prefeito tem o objetivo de criar novos mecanismos para o cultivo de outros produtos com amandioca, dando garantia de compra e oferecendo condições de geração de renda para os agricultores. Aluna Ana Larissa Os colonos aprenderam a cultivar a mandioca e produzir seus derivados com os índios Tupinambás. Osprodutos eram consumidos nos engenhos da capitania de Sergipe Del Rey. A farinha produzida era exportadapara África e servia de mantimentos para as tripulações dos navios portugueses. Aluna: Iasmin Oliveira Batista Pode-se perceber durante a visita que a imprensa local se fez presente. A saber: ouvindo ospalestrantes, conversando com os visitantes, fazendo registros fotográficos dos diferentes ambientes onde aprogramação cultural estava sendo desenvolvida. Depoimentos de alunos do 6º Ano “A” Acesse nosso blog www.adelinamaria10.blogspot.com/ ORGANIZAÇÃO, ELABORAÇÃO E PESQUISA Alunos do turno vespertino da Escola Municipal Adelina Maria ORIENTAÇÃO Professores do turno vespertino COORDENAÇÃO Equipe diretiva da Escola Adelina Maria