Loading…

Flash Player 9 (or above) is needed to view presentations.
We have detected that you do not have it on your computer. To install it, go here.

Like this presentation? Why not share!

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
3,083
On Slideshare
3,082
From Embeds
1
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
43
Comments
0
Likes
0

Embeds 1

https://www.linkedin.com 1

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Ulisses Ruiz de Gamboa Economista – ACSP 21 de Outubro de 2010 Panorama Econômico e Setorial – Transportes e Logística
  • 2. Índice
    • Fatores de Expansão da Economia
    • Perspectivas para 2011
    • Panorama Setorial
  • 3. Fatores de Expansão da Economia
    • Fatores de Expansão da Atividade Econômica:
      • Crédito;
      • Taxa de Juros;
      • Prazos de Financiamento;
      • Emprego;
      • Renda;
      • Expectativas (Confiança).
  • 4. Fatores de Expansão da Economia
    • Concessões de crédito à PF foram retomadas e atualmente superam os níveis observados no período anterior à crise;
    • Consumidores enfrentam, em geral, taxas de juros menores e maiores prazos de financiamento;
    • Maior parte do crédito concedido à PF está concentrado em linhas que possuem garantias (consignado, crédito para aquisição de veículos).
  • 5. Fatores de Expansão da Economia Fonte: BANCO CENTRAL / IEGV-ACSP
  • 6. Fatores de Expansão da Economia Fonte: BANCO CENTRAL / IEGV-ACSP
  • 7. Fatores de Expansão da Economia
    • Apesar da crise, houve continuidade no crescimento da renda durante 2009-2010 (Aumento do salário mínimo, políticas de transferência de renda e elevação do emprego e dos salários;
    • Políticas de transferência de renda (Bolsa-Família, salário mínimo, previdência) também contribuiu para o crescimento de renda nas classes D e E.
  • 8. Fatores de Expansão da Economia
    • Emprego como um todo recuperou-se do impacto da crise durante o ano passado, criando-se cerca de 1,95 milhões de postos de trabalhos de janeiro a agosto de 2010;
    • Em termos gerais, com relação a agosto de 2009, houve crescimento do salário médio dos trabalhadores admitidos (6,8%), superior ao registrado no caso dos trabalhadores desligados (3,9%).
  • 9. Fatores de Expansão da Economia EMPREGO, SAL Á RIO E MASSA Fonte: BACO CENTRAL / IEGV - ACSP
  • 10. Perspectivas para 2011
    • A continuidade do crescimento da renda e do emprego, ainda que em ritmo mais moderado, e a manutenção das políticas de transferência de renda durante 2011 favorecerão a atividade econômica;
    • Ainda há espaço para expansão do consumo nas classes C, D e E;
  • 11. Perspectivas para 2011
    • A expansão do crédito à pessoa física, estimada entre 11-15% também contribuirá para o crescimento do consumo dos itens mais dependentes do crédito (automóveis);
    • O aumento da renda e do emprego e a maior disponibilidade de crédito deverão continuar sustentando o crescimento da demanda por imóveis;
  • 12. Perspectivas para 2011
    • Em termos de expectativas, os consumidores continuam mostrando otimismo, embora manifestando maior cautela, com confiança no emprego e intenção de compras elevadas;
    • O endividamento total das famílias e o comprometimento de sua renda com prestações ainda são relativamente reduzidos, possibilitando o aumento do consumo de bens duráveis e não duráveis.
  • 13. Perspectivas para 2011 INDICE NACIONAL DE CONFIAN Ç A Fonte: IPSOS / ACSP
  • 14. Perspectivas para 2011 Fonte: IEGV / ACSP
  • 15. Perspectivas para 2011 Fonte: IEGV / ACSP
  • 16. Perspectivas para 2011
    • O volume de crédito se expandirá em bases mais sólidas, mais próximo ao aumento da massa salarial (salário + emprego);
    • Mesmo com aumentos da SELIC por parte do Banco Central, o crescimento do emprego e da renda durante 2011 deverá manter baixa a inadimplência;
  • 17. Perspectivas para 2011 % 12M. CR É DITO PESSOA F Í SICA REAL X % 12M. MASSA SALARIAL REAL ( Inclui Cr é dito Consignado ) Fonte: BANCO CENTRAL / IEGV - ACSP
  • 18. Perspectivas para 2011 Registros L í quidos % Acum. 12M X Inadimplência PF 90d X Inadimplência BC-H Fonte: SCPC - ACSP / BANCO CENTRAL
  • 19. Perspectivas para 2011
    • Em síntese, podemos dizer que os mesmos fatores de expansão da atividade econômica (crédito, juros, prazos, emprego, renda e expectativas) que foram responsáveis pelos bons resultados durante 2008 e 2010, estarão presentes em 2011, garantindo uma expansão do consumo sustentável, com baixos níveis de inadimplência.
  • 20. Perspectivas para 2011
    • Fatores de Risco:
      • Deterioração das Contas Públicas;
      • Apreciação do real;
      • Deterioração das Contas Externas
  • 21. Panorama Setorial
    • Setor transporte representa 5,1% do PIB brasileiro;
    • Transporte e logística são fortemente dependentes da atividade econômica (renda, emprego);
    • Transporte rodoviário de cargas atende a todos os segmentos econômicos: agronegócio, indústria, comércio e serviços;
  • 22. Panorama Setorial
    • Transporte aéreo também depende do crédito (taxa de juros e prazos de financiamento);
    • Transporte ferroviário de carga (minério) fortemente dependente dos preços das commodities, e, portanto, da atividade econômica mundial;
    • Transporte portuário está vinculado tanto ao nível da atividade econômica interna (importações) quanto ao crescimento econômico mundial (exportações).
  • 23. Panorama Setorial
    • Principais custos de produção dos transportes rodoviário, ferroviário e aéreo: combustíveis e lubrificantes (taxa de câmbio e preço do petróleo) e mão de obra (salários e encargos);
    • Deficiências de infraestrutura aumentam custos de produção, principalmente no setor portuário que apresenta necessidade de investimento de aproximadamente R$ 42,9 bilhões.
  • 24. Panorama Setorial
    • Setor transportes e logística, em geral, foi muito afetado pela queda da atividade econômica de 2009:
      • PIB Transportes, Armazenagem e Correio (-2,3%)
      • Transporte Rodoviário de Carga (-9,8%)
      • Transporte Ferroviário (-10,1%);
    • Transporte aéreo como um todo cresceu 13,2%, influenciado pela continuidade da expansão da renda, pela retomada do crédito à PF e pela valorização do real.
  • 25. Panorama Setorial EVOLUÇÃO DO PIB DO TRANSPORTE, ARMAZENAGEM E CORREIO: 1996-2009 (%) Fonte: DEPEC BRADESCO / IBGE
  • 26. Panorama Setorial EVOLUÇÃO DO VOLUME DE CARGA TRANSPORTADA POR RODOVIAS: 2000 - 2010 (%) Fonte: DEPEC BRADESCO / FIPE
  • 27. Panorama Setorial EVOLUÇÃO DO VOLUME DE CARGA TRANSPORTADA POR FERROVIAS: 1998 - 2010 (%) Fonte: DEPEC BRADESCO / ANTF
  • 28. Panorama Setorial EVOLUÇÃO DO MOVIMENTO DE PASSAGEIROS NOS AEROPORTOS: 2004 - 2010 (%) Fonte: DEPEC BRADESCO / INFRAERO
  • 29. Panorama Setorial
    • A expansão da renda, do emprego e do crédito observada durante 2010-2011 assegurará resultados favoráveis para o setor (2010):
      • PIB Transportes, Armazenagem e Correio (11,4%)
      • Transporte Rodoviário de Carga (10%)
      • Transporte Ferroviário (15%)
      • Transporte aéreo (24,9%)
  • 30. Panorama Setorial
    • A valorização da moeda brasileira é, em geral, benéfica para o setor como um todo, reduzindo custos de combustíveis e aumentando o fluxo de importações e de viagens ao exterior;
    • No caso dos portos, a continuidade da deterioração fiscal poderá implicar em investimentos públicos ainda menores, aumentando o estrangulamento.
  • 31. OBRIGADO(A) Ulisses Ruiz de Gamboa Economista ACSP [email_address] www.acsp.com.br