PERSPECTIVAS DA ECONOMIA
BRASILEIRA
Maílson da Nóbrega
Apresentação para a Associação Comercial
São Paulo, 4 de novembro d...
CRISE FINANCEIRA MUNDIAL
MUDA DE NATUREZA
Depressão/deflação pouco provável
– Lições dos anos 1930 foram aprendidas
Países...
BRASIL MAIS RESISTENTE
Sistema financeiro sólido e sofisticado
– Efeitos do Proer e da estabilidade macroeconômica
Estabil...
CONJUNTURA: TENDÊNCIAS
ATUAIS
Economia em ritmo forte; menor em 2011
Emprego e renda em alta
Taxa de câmbio estável
Inflaç...
PROJEÇÕES 2010 - 2011
Indicador 2010 2011
PIB (%) 7,2 4,8
Inflação (IPCA) % 5,0 5,2
Taxa de Desemprego % 6,9 6,3
Massa Sal...
GOVERNO DILMA
Discurso inicial: compromissos animadores
– Esperar para ver: equipe de governo, capacidade de resistir a pr...
TENDÊNCIAS
CONSULTORIA INTEGRADA
www.tendencias.com.br
tel.: (11) 3052-3311
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

PERSPECTIVAS DA ECONOMIA BRASILEIRA

1,887 views
1,832 views

Published on

Profº Maílson da Nóbrega

Published in: Sports, Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,887
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
25
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

PERSPECTIVAS DA ECONOMIA BRASILEIRA

  1. 1. PERSPECTIVAS DA ECONOMIA BRASILEIRA Maílson da Nóbrega Apresentação para a Associação Comercial São Paulo, 4 de novembro de 2010 TENDÊNCIAS Consultoria Integrada
  2. 2. CRISE FINANCEIRA MUNDIAL MUDA DE NATUREZA Depressão/deflação pouco provável – Lições dos anos 1930 foram aprendidas Países ricos: baixo crescimento – Excesso de endividamento público: nova crise? – Saída demorada da crise financeira – Mudança do padrão de desemprego nos EUA – Guerra cambial? Dificuldades de coordenação – Década perdida? Brasil – Saímos bem da crise. País mais resistente
  3. 3. BRASIL MAIS RESISTENTE Sistema financeiro sólido e sofisticado – Efeitos do Proer e da estabilidade macroeconômica Estabilidade macroeconômica – Câmbio flutuante – Banco Central autônomo – Superávits primários no setor público – Inflação baixa e sob controle Situação externa confortável – Reservas internacionais superiores à dívida externa Grau de investimento – Selo de qualidade para a gestão macroeconômica
  4. 4. CONJUNTURA: TENDÊNCIAS ATUAIS Economia em ritmo forte; menor em 2011 Emprego e renda em alta Taxa de câmbio estável Inflação perto da meta Taxa de juros (Selic) volta a subir nos próximos meses
  5. 5. PROJEÇÕES 2010 - 2011 Indicador 2010 2011 PIB (%) 7,2 4,8 Inflação (IPCA) % 5,0 5,2 Taxa de Desemprego % 6,9 6,3 Massa Salarial Real % 6,5 5,3 Juros (Selic) % 10,75 12,75 Taxa de Câmbio (R$/US$) 1,70 1,79 Balança Comercial (US$ bi) 18,0 18,0
  6. 6. GOVERNO DILMA Discurso inicial: compromissos animadores – Esperar para ver: equipe de governo, capacidade de resistir a pressões e prática administrativa – Desafios: reverter deterioração fiscal e promover investimentos em infraestrutura – Grandes reformas: pouco prováveis – Crescimento: investimentos podem manter ritmo sofrível Cenários – Básico: Lula2 um pouco piorado (65%) – Otimista: tudo dá certo (15%) – Pessimista: retrocesso na economia (20%) Instituições inibem populismo ou autoritarismo – Legitimidade depende de estabilidade econômica – Imprensa livre, previsibilidade econômica e novas crenças da sociedade punem politicamente ações voluntaristas inconsequentes
  7. 7. TENDÊNCIAS CONSULTORIA INTEGRADA www.tendencias.com.br tel.: (11) 3052-3311

×