O Modelo de Autoavaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II)

D.     Gestão da BE
D.3...
O Modelo de Autoavaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II)

     Indicadores       ...
O Modelo de Autoavaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II)

     Indicadores       ...
O Modelo de Autoavaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II)

     Indicadores       ...
O Modelo de Autoavaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II)

     Indicadores       ...
O Modelo de Autoavaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II)

     Indicadores       ...
O Modelo de Autoavaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II)

     Indicadores       ...
O Modelo de Autoavaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II)



     Indicadores     ...
O Modelo de Autoavaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II)

     Indicadores       ...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Acmatias Tabela Metodologias De OperacionalizaçãO Parte Ii

389

Published on

Oficina RBE

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
389
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
10
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Acmatias Tabela Metodologias De OperacionalizaçãO Parte Ii

  1. 1. O Modelo de Autoavaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II) D. Gestão da BE D.3. Gestão da Colecção/da informação Indicadores Factores Críticos de Sucesso Instrumentos de Recolha de Evidências passíveis de serem Evidências sugeridos obtidas • A política documental encontra-se definida para a escola/agrupamento. • Documentação que define o • Existe uma política documental • A política documental materializa-se num desenvolvimento da colecção: definida para a processo integrado e contínuo de Política de Desenvolvimento da escola/agrupamento. avaliação da colecção ou colecções da Colecção. escola, na inventariação de necessidades • Existem folha(s) de inventariação D.3.1 e na sua actualização sistemática. • Folha(s) de inventariação de de necessidades de material livro e Planeamento/ necessidades de material livro e não livro elaboradas pela equipa • A política de desenvolvimento da colecção não livro da BE ou entregues pelos gestão da colecção está formalizada e foi submetida ao Departamentos/Grupos parecer do conselho pedagógico, Disciplinares/ Professores. de acordo com a definindo um conjunto de normas para a inventariação selecção, desbaste, aquisição, organização • Registos de • Há uma planificação para a e circulação dos recursos de informação. relatórios/planificações. actualização da colecção que se das necessidades • A escola/agrupamento participa na realiza processualmente, tendo em curriculares e dos definição dessa política que é aprovada conta os princípios definidos na pelos órgãos de direcção, administração Política de Desenvolvimento da utilizadores da e gestão (conselho geral, director, Colecção. escola/agrupamento. conselho pedagógico, conselho administrativo), garantindo consistência • Análise da colecção (CK2). • O questionário CK2 – ao trabalho da equipa e assegurando Desenvolvimento da Colecção - foi mais facilmente as exigências de preenchido, situando-se a maioria financiamento anuais. dos objectivos no nível de consecução 3 ou 4 . Oficina RBE Ana Cristina Matias, Dez. 09 1
  2. 2. O Modelo de Autoavaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II) Indicadores Factores Críticos de Sucesso Instrumentos de Recolha de Evidências passíveis de serem Evidências sugeridos obtidas • As práticas de avaliação, de desbaste, •O relatório anual contempla os de selecção e aquisição de resultados da análise da colecção. documentação são realizadas de acordo com as orientações definidas. • Documentação que define o • A política documental contempla: • As necessidades de informação, desenvolvimento da colecção: decorrentes do projecto educativo, Política de Desenvolvimento da - normas que regem a partilha de de projectos em desenvolvimento e Colecção. documentação; D.3.1 ( cont.) dos perfis curriculares dos diferentes anos/ matérias são inventariadas. - normas que regem a gestão Planeamento/ gestão cooperativa da colecção; • A documentação existente em cada da colecção de BE/escola e as necessidades ao - as bibliotecas que partilham acordo com a nível do agrupamento são avaliadas uma rede de documentação; e existe uma gestão integrada que inventariação promove a circulação da - orientações para o desbaste da das necessidades documentação. coleccção; • A rede partilhada de documentação curriculares e dos pode envolver outras bibliotecas a - orientações para a circulação da utilizadores da nível local e a BM. documentação. escola/agrupamento • As normas que regem a partilha de documentação e a gestão cooperativa da colecção estão formalizadas e integram a política de desenvolvimento da colecção. • Os órgãos de administração e gestão • Foi afectada uma verba pelos órgãos atribuem anualmente uma verba de administração e gestão para para actualização da documentação. actualização da documentação. Oficina RBE Ana Cristina Matias, Dez. 09 2
  3. 3. O Modelo de Autoavaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II) Indicadores Factores Críticos de Sucesso Instrumentos de Recolha de Evidências passíveis de serem Evidências sugeridos obtidas • Os resultados da avaliação da • Resultados da avaliação da colecção indicam um equilíbrio na: colecção. • A colecção é equilibrada em - proporção entre suportes quantidade, entre suportes impressos e não impressos (impresso e não impresso) e entre as diferentes áreas (recreativa e - proporção entre a área do D.3.2 relacionada com o currículo), currículo e a área recreativa Adequação dos livros garantindo condições de acesso e uso a todos os utilizadores. • Estatísticas de empréstimo. • As estatísticas de empréstimo e de outros recursos confirmam que a colecção é muito de informação • Registos de requisições pelos usada pelos utilizadores: departamentos/ docentes. (no local e online) • Os livros e outros recursos de - --% do número total de alunos às necessidades informação são adequados à faixa recorre à colecção para ler, para se etária, à curiosidade intelectual e recrear ou para satisfazer curriculares e aos aos interesses dos utilizadores. necessidades de informação; interesses dos - --% dos docentes recorre à utilizadores na • Os livros e outros recursos de colecção no desenvolvimento das informação respondem às suas actividades; escola/agrupamento. necessidades do currículo nacional, do projecto educativo e dos - --% de funcionários projectos curriculares das turmas. (administrativos ou assistentes operacionais) é utente da BE Oficina RBE Ana Cristina Matias, Dez. 09 3
  4. 4. O Modelo de Autoavaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II) Indicadores Factores Críticos de Sucesso Instrumentos de Recolha de Evidências passíveis de serem Evidências sugeridos obtidas • Questionário a docentes (QD3). • Resultados do Questionário a docentes: - ---% dos docentes considera a • A selecção dos fundos gestão da BE eficaz e capaz de documentais tem em conta favorecer o trabalho com os necessidades identificadas junto dos alunos e a articulação com o departamentos curriculares e currículo; . D.3.2 (cont.) utilizadores, de acordo os critérios definidos no documento Política de - --% dos docentes classifica as Adequação dos livros condições de acesso e os recursos Desenvolvimento da Colecção. e de outros recursos disponibilizados pela BE como MB; B; S; I. de informação • Resultados do Questionário a (no local e online) • Os recursos documentais são alunos: às necessidades anualmente actualizados, • Questionário a alunos (QA4). - --% de alunos que frequenta a BE respondendo em termos de diariamente; semanalmente; curriculares e aos qualidade, diversidade e relevância mensalmente; raramente; muito interesses dos às necessidades dos utilizadores. raramente; nunca - --% de alunos que, na sua maioria, utilizadores na classifica os parâmetros de escola/agrupamento avaliação de «Acesso e uso da BE» como de nível Bom, Suficiente, Pouco; Nada. • O relatório de avaliação comenta e • Livro/Caixa de sugestões/ tira conclusões a partir da análise reclamações do Livro/Caixa de sugestões/ reclamações. Oficina RBE Ana Cristina Matias, Dez. 09 4
  5. 5. O Modelo de Autoavaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II) Indicadores Factores Críticos de Sucesso Instrumentos de Recolha de Evidências passíveis de serem Evidências sugeridos obtidas • As estatísticas de empréstimo: • Estatísticas de empréstimos. - confirmam o uso da colecção por • A BE assegura a circulação de diferentes tipos de utilizadores: fundos documentais em todo o alunos cursos regulares; alunos agrupamento. cursos profissionais; professores; funcionários - --% de uso por cada um dos tipos • A BE implementa o empréstimo de utilizadores acima indicados domiciliário e os fundos documentais são suficientes para as necessidades dos utilizadores. • O Plano Anual de Actividades prevê D.3.3 • Plano Anual de actividades da BE a articulação da BE nas práticas de ensino e aprendizagem Uso da colecção pelos • A BE realiza um trabalho de • A BE realizou acções de formação valorização e motivação para o valor de carácter informal e formal: utilizadores da e uso da documentação nas práticas - para o uso e integração da escola/agrupamento de ensino e aprendizagem. informação nas actividades de aprendizagem, - para o desenvolvimento de • A BE forma para o uso e integração competências de pesquisa nos da informação nas actividades utilizadores diárias e de aprendizagem. • Trabalhos realizados na biblioteca • Os relatórios de actividades na BE ou em colaboração com a BE no elaborados pelos contexto do uso da informação. alunos/professores atestam a formação proporcionada na/pela BE e a sua integração nas práticas de ensino e aprendizagem Oficina RBE Ana Cristina Matias, Dez. 09 5
  6. 6. O Modelo de Autoavaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II) Indicadores Factores Críticos de Sucesso Instrumentos de Recolha de Evidências passíveis de serem Evidências sugeridos obtidas • O tratamento dos dados recolhidos • Os alunos procuram os recursos • Questionário a docentes (QD3). pelo questionário a docentes e a documentais para se recrearem ou alunos indica que: para o trabalho escolar. • Questionário a alunos (QA4). - --% de docentes e --% de alunos considera que os fundos • Os docentes recorrem à documentais são suficientes para as documentação para a sua actividade necessidades dos utilizadores lectiva e incentivam a sua utilização, D.3.3 (cont.) • O relatório de análise da colecção apresentando propostas de trabalho conducentes ao seu uso. • Análise da colecção (CK2). reflecte o grau de adequação da colecção ao público que serve Uso da colecção pelos • Os docentes recorrem à • Publicações/comunicações • As publicações/comunicações utilizadores da impressas e digitais da impressas e digitais da documentação para a sua actividade escola/agrupamento lectiva e incentivam a sua utilização, responsabilidade da BE ou da responsabilidade da BE atestam a: apresentando propostas de trabalho escola/agrupamento conducentes ao seu uso. - divulgação da colecção; - difusão da informação; • A BE produz instrumentos de apoio - incentivo ao empréstimo ao uso da colecção e desenvolve domiciliário competências de pesquisa nos utilizadores. Oficina RBE Ana Cristina Matias, Dez. 09 6
  7. 7. O Modelo de Autoavaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II) Indicadores Factores Críticos de Sucesso Instrumentos de Recolha de Evidências passíveis de serem Evidências sugeridos obtidas • O relatório final anual da BE • A informação está organizada • Registos/relatórios do programa de contempla uma reflexão sobre: segundo linguagens normalizadas gestão bibliográfica. (na catalogação, classificação e - tarefas de gestão bibliográfica indexação) que garantam uma eficaz • Nível de tratamento e de recuperação da informação. organização da informação. - nível de tratamento e de organização da informação • Existência de catálogos D.3.4 • Está implementado um sistema de informatizados online. - percentagem de informatização gestão bibliográfico automatizado da colecção Organização da que permite a simplificação de um • Análise da colecção (CK2). conjunto de processos inerentes ao • O tratamento e análise dos dados informação. circuito do documento e à difusão e recolhidos pelo Questionário pesquisa da informação. Desenvolvimento da Colecção (CK2) Informatização da conclui que: colecção. • Os utilizadores recuperam a - o catálogo é pesquisável online informação manualmente ou através da consulta automatizada - o catálogo associa recursos do catálogo. digitais • O catálogo é pesquisável online e associa recursos digitais Oficina RBE Ana Cristina Matias, Dez. 09 7
  8. 8. O Modelo de Autoavaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II) Indicadores Factores Críticos de Sucesso Instrumentos de Recolha de Evidências passíveis de serem Evidências sugeridos obtidas • O Plano Anual de actividades da BE • A BE realiza actividades de • Plano Anual de actividades da BE prevê: apresentação/exposição de livros e - realização de actividades de outros recursos de informação. apresentação/exposição de livros e outros recursos de informação • Documentos/ instrumentos • A BE organizada e difunde listagens produzidos em diferentes formatos. - divulgação de listagens de recursos de recursos de informação de informação (documentos impressos, recursos digitais e online) adequados a - produção de guias e tutoriais D.3.5 temáticas diversas, de âmbito curricular ou associadas a - publicação de instrumentos de Difusão da informação determinado projecto. promoção da colecção e de divulgação de recursos de informação em suportes • A BE produz guias e tutoriais sobre impressos e-mail e /ou recursos assuntos, autores, ou outros. online - produção de ferramentas que desafiam a curiosidade dos alunos por um livro ou assunto Oficina RBE Ana Cristina Matias, Dez. 09 8
  9. 9. O Modelo de Autoavaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II) Indicadores Factores Críticos de Sucesso Instrumentos de Recolha de Evidências passíveis de serem Evidências sugeridos obtidas • O relatório de avaliação anual da BE • A BE cria instrumentos de promoção • Documentos/ instrumentos indica: da colecção e de divulgação de produzidos em diferentes formatos recursos de informação: boletim - quantidade e tipos de informativo, newsletter , folhetos, documentos/ instrumentos guiões de leitura, biografias ou listas produzidos pela BE, em diferentes bibliográficas de autores, outros. formatos • Análise da colecção (CK 2). - conclusões da análise da colecção • A BE recorre a estratégias formativas e de interacção com os utilizadores, - balanço das actividades D.3.5 (cont.) através de webquest , testes, jogos desenvolvidas ou outras ferramentas que desafiem Difusão da informação a sua curiosidade acerca de um livro ou assunto. • A BE usa a página web e a denominada segunda geração de serviços disponibilizados – blogs, wikis, o RSS, o YouTube – para difusão da informação. Oficina RBE Ana Cristina Matias, Dez. 09 9
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×