1       A INFLUÊNCIA DO FACEBOOK COMO FATOR DE COESÃO DA                     MELHORIA NOS HÁBITOS DE TRÂNSITO             ...
2LISTA DE FIGURASFigura 1 – Presença dos países no Facebook..................................................................
3   1. INTRODUÇÃO       Há alguns anos, as redes sociais invadiram o cotidiano de milhões de pessoas ese instalaram como m...
4   2. REDES SOCIAIS E O FACEBOOK NO MUNDO E NO BRASIL       Segundo TELLES (2010, p. 78), “os sites de relacionamento ou ...
5       O Brasil, no final de 2011, contava com cerca de 35 milhões de usuários noFacebook e foi, neste ano, o país que ma...
6       Em resumo, são milhões de acessos ao Facebook em plataformas móveis, umnúmero exponencialmente crescente de smartp...
7     3. PESQUISA E PROPOSTA DE FERRAMENTA PARA DENÚNCIAS DE           INFRAÇÕES DE TRÂNSITO NO FACEBOOK          Com os n...
8gerada pelos interesses individuais, pelo capital social envolvido e pelas finalidades dogrupo. Entretanto, é essencial p...
9Figura 4 – Denúncias espontâneas – Fonte: pesquisa do autor      Figura 5 – Denúncias através de canal próprio – Fonte: p...
10          Considerando o fator exposição dos infratores (Figura 7), 71% dos entrevistadosacreditam que o número de crime...
11   4. CONCLUSÃO       O Facebook é uma plataforma muito bem planejada, onde 900 milhões depessoas conseguem interagir en...
12da sociedade como um todo, onde quase um bilhão de pessoas têm acesso, em temporeal, às mais diversas informações sobre ...
13   5. REFERÊNCIASBAREFOOT, Darren, SZABO, Julie. Manual de Marketing em Mídias Sociais. SãoPaulo: Novatec, 2010.Bom Dia ...
14Instagram atinge 50 milhões de usuários – TECNOLOGIA – EXAME.com –Disponível em: http://exame.abril.com.br/tecnologia/no...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

A Influência do Facebook como Fator de Coesão da Melhoria nos Hábitos de Trânsito

794

Published on

TCC - Felipe Gondin.

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
794
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
7
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "A Influência do Facebook como Fator de Coesão da Melhoria nos Hábitos de Trânsito"

  1. 1. 1 A INFLUÊNCIA DO FACEBOOK COMO FATOR DE COESÃO DA MELHORIA NOS HÁBITOS DE TRÂNSITO Felipe Gondin1RESUMOEste artigo visa propor a utilização social do Facebook, mirando na melhoria do trânsitoatravés da colaboração dos usuários. Através da tendência criada pelos próprios usuáriosem relação a este tipo de denúncia, uma pesquisa foi desenvolvida para medir o possívelengajamento destes usuários se existisse uma página oficial dos órgãos controladores detrânsito especificamente para este fim. A questão principal a ser respondida diz respeitoa se a existência destas páginas aumentaria o número de denúncias de infrações detrânsito e, havendo, analisar o comportamento dos usuários em relação ao seucomportamento normal na rede.Palavras-chave: Trânsito. Infração. Facebook. Denúncia.ABSTRACTThis article aims to propose the social use of the Facebook, aiming to improve transitthrough the collaboration of users. Through the trend set by the users in relation to thistype of complaint, a survey was developed to measure the possible involvement of usersif there was an official page of traffic controllers, specifically for this purpose. The mainquestion to be answered is whether the existence of these pages would increase thenumber of complaints of traffic violations and, if it is true, to analyze user behavior inrelation to its normal behavior on the network.Keywords: Transit. Infringement. Facebook. Complaint.1 Graduado em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda pela UNISUL em 2007, especialista emMarketing Estratégico pela UNISUL em 2010, Pós-graduando em Comunicação e Marketing em MídiasDigitais pela Faculdade Estácio de Sá e Diretor Executivo da Flex | Marcas + Estratégias. E-mail:felipegondin@gmail.com.
  2. 2. 2LISTA DE FIGURASFigura 1 – Presença dos países no Facebook.....................................................................5Figura 2 – Finalidade da utilização do Facebook..............................................................7Figura 3 – Sobre o que tratam as publicações do Facebook..............................................8Figura 4 – Denúncias espontâneas.....................................................................................9Figura 5 – Denúncias através de canal próprio..................................................................9Figura 6 – Comportamento dos internautas sobre as denúncias anônimas.......................9Figura 7 – Impacto da exposição dos infratores no Facebook........................................10
  3. 3. 3 1. INTRODUÇÃO Há alguns anos, as redes sociais invadiram o cotidiano de milhões de pessoas ese instalaram como meio dos mais importantes da comunicação destes indivíduos. Entre todas as redes sociais de destaque, o Facebook lidera o ranking seaproximando a passos largos da marca de um bilhão de pessoas em seus bancos dedados. Isso significa que, em breve, uma em cada sete pessoas no planeta terá uma contano Facebook e compartilhará seus dados na rede criada por Mark Zuckerberg em 2004. Quando uma quantidade de pessoas neste volume se agrupa em um únicoambiente, é inevitável que o compartilhamento de conteúdos e a junção de interessesaconteçam de forma exponencial, viralizando notícias, artigos, imagens, enfim, tudo oque for de interesse desses grupos formados. Este compartilhamento de informações em larga escala começou a servirtambém para, além de gostos particulares e de grupos, denunciar atitudes julgadaserradas e/ou criminosas por esses usuários. Alguns usuários reclamam da “orkutização”do Facebook, enquanto outros pensam ser válida a exposição e disseminação dessasinformações. Um tipo de denúncia que começou a tomar corpo na rede foram as relacionadasa infrações de trânsito. Como um grande reality show, os usuários expunham osinfratores e suas ações na rede, com o objetivo de transmitir aos seus que aquela açãonão deveria ser tomada e que alguma providência poderia (ou deveria) ser tomada. Atento a esse comportamento social na rede, uma pesquisa de fez necessária,analisando que comportamento os usuários teriam se houvesse um canal oficial paraessas denúncias e se estariam dispostos a participar de forma ativa deste modelo decompartilhamento.
  4. 4. 4 2. REDES SOCIAIS E O FACEBOOK NO MUNDO E NO BRASIL Segundo TELLES (2010, p. 78), “os sites de relacionamento ou redes sociais sãoambientes que focam reunir pessoas, os chamados membros, que, uma vez inscritos,podem expor seu perfil com dados como fotos pessoais, textos, mensagens e vídeos,além de interagir com outros membros, criando listas de amigos e comunidades.”. Jápara BAREFOOT e SZABO (2010, p. 27), “blogs, redes sociais como o Facebook eplataformas de micro blogs como o Twitter são simplesmente tecnologias queincentivam a comunicação, o compartilhamento e a colaboração.”. Sobre o Facebook, TORRES (2009, p. 143) diz que “o Facebook é uma redesocial muito mais aberta que seus concorrentes, permitindo que novos softwares erecursos sejam adicionados por terceiros, enriquecendo o próprio site.”. O usuário (ou membro) do Facebook, ao criar sua conta, abre para sua rede suasinformações de contato, seus interesses, local de trabalho, escolaridade, endereço demensageiros instantâneos, e-mail, entre tantos outros dados. É o primeiro doscompartilhamentos que o usuário fará ao entrar na rede, com o objetivo de que maispessoas entrem em contato com ele de diferentes formas. Qualquer perfil de Facebook tem o objetivo de compartilhar ou seguircompartilhamento de informações. Como numa reunião de pessoas em uma palestra,num evento, num restaurante ou qualquer outro local presencial, os amigos conectadosno Facebook compartilham informações de interesse comum e são adicionados (ouassinados) por isso. Segundo o próprio Facebook, no final de março de 2012, o site contava com 901milhões de usuários cadastrados, sendo 80% fora dos Estados Unidos e Canadá. Foram526 milhões de usuários ativos no mês citado e 488 milhões de usuários ativos emdispositivos móveis. Em abril de 2012, também segundo o próprio Facebook, o númeroem dispositivos móveis ultrapassou os 500 milhões de usuários, representando 55,5%dos acessos. Ainda segundo o site, no primeiro trimestre de 2012 foram “subidas” paraos servidores uma média de 300 milhões de fotos por dia e usuários geraram 3,2 bilhõesde likes e comentários diários.
  5. 5. 5 O Brasil, no final de 2011, contava com cerca de 35 milhões de usuários noFacebook e foi, neste ano, o país que mais cresceu dentro da rede. Segundo olevantamento feito pelo site NickBurcher.com o crescimento foi de 298,5% em relaçãoao ano de 2010, conforme figura abaixo. Top 10 em presença no Facebook País Número de usuários Crescimento em 2011 Estados Unidos 157,4 milhões 8,01% Indonésia 41,8 milhões 30% Índia 41,4 milhões 139,5% Brasil 35,2 milhões 298,5% México 30,98 milhões 67,6% Figura 1 – Presença dos países no Facebook - Fonte: NickBurcher.com Em 2012, porém, o Brasil, segundo o Social Bakers, site que mede a quantidadede pessoas de um país dentro do Facebook, o Brasil atingiu os 47 milhões de usuários,ou 23,38% da população total e 61% de penetração nos internautas, se tornando osegundo país do mundo em acesso ao site, ultrapassando a Índia, que hoje conta com 45milhões de usuários. Em pesquisa divulgada pelo site Droider, em agosto de 2011, o Brasil possuía,nesta data, um número expressivo de 19 milhões de smartphones ativos. Como osacessos do Facebook já são, em sua maioria, realizados através de dispositivos móveis eo número de celulares multifuncionais cresceu, também segundo a Droider, 165% nosúltimos 12 meses anteriores à pesquisa, percebe-se que cada vez mais os usuários doFacebook tem nas mãos uma ferramenta de acesso a informações e compartilhamentodestas em tempo real. Ainda como fator relevante a ser mencionado, no dia 09/04/2012, o Facebook,através de seu fundador, Mark Zuckerberg, anuncia a compra do Instagram, aplicativode fotos e filtros, desenvolvido para a plataforma iOS e Android. Segundo aExame.com, o Instagram atingiu em maio de 2012, somando as duas plataformas, onúmero de 50 milhões de usuários.
  6. 6. 6 Em resumo, são milhões de acessos ao Facebook em plataformas móveis, umnúmero exponencialmente crescente de smartphones e popularização de aplicativos parafotografia, revelando uma preferência específica dos usuários por esse tipo de aplicação.
  7. 7. 7 3. PESQUISA E PROPOSTA DE FERRAMENTA PARA DENÚNCIAS DE INFRAÇÕES DE TRÂNSITO NO FACEBOOK Com os números expostos acima, surgiu a hipótese de trabalhar uma ferramentadentro do Facebook que pudesse funcionar como fator de melhoria social, ajudando osinternautas nesta rede a combater as infrações de trânsito que, segundo reportagemexibida no Bom Dia Brasil, da Rede Globo, no dia 09/01/2012, matam mais de 200pessoas por dia no Brasil. A pesquisa buscou analisar o padrão de comportamento dos entrevistados noFacebook em relação às denúncias de infrações de trânsito através desta plataforma ecomo se comportam frente a essas infrações. Entre os dias 07 a 11/05/2012, foramobtidas 326 respostas ao questionário proposto, divulgado através do próprio Facebook,com link de direcionamento ao questionário, hospedado na plataforma do Google Docs. De acordo com a Figura 2, três finalidades foram detectadas na pesquisa para autilização do Facebook. Além de informações profissionais (46%) e informações gerais(58%), o grande destaque foi o lazer, com nove em cada 10 entrevistados. Estes dadosconfirmam a tendência do site ser uma plataforma multimídia utilizada para que ousuário se informe dos acontecimentos, obtenha informações sobre a sua área específicae se divirta, interagindo socialmente com a sua rede.Figura 2 – Finalidade da utilização do Facebook. Fonte: pesquisa do autor. O grande objetivo do Facebook, seja para que finalidade for, é ocompartilhamento de informação e a construção do conhecimento. Segundo RECUERO(2009, p. 81), “a cooperação é o processo formador das estruturas sociais. Semcooperação, no sentido de um agir organizado, não há sociedade. A cooperação pode ser
  8. 8. 8gerada pelos interesses individuais, pelo capital social envolvido e pelas finalidades dogrupo. Entretanto, é essencial para a compreensão das ações coletivas dos atores quecompõem a rede social”. Indo ao encontro desta ideia, é percebido que muitas empresase autarquias não sabem como lidar com esses compartilhamentos por não possuírem umretrato sobre o comportamento do usuário. Saber o que sua rede publica na linha do tempo é fundamental para que haja umalinhamento de argumentos e um maior engajamento em relação ao conteúdo publicado.Também através dessas informações se poderá ter um parâmetro sobre o que pode sermais bem explorado ou ainda o que precisa ser revisto. Outros fatores também sãodeterminantes para o sucesso da ação, como faixa etária do público-alvo, determinandoinclusive a linguagem que seve ser utilizada em cada caso. Este retrato sobre as preferências de compartilhamento pode ser visto na Figura3, respeitando a amostragem feita citada anteriormente.Figura 3 – Sobre o que tratam as publicações do Facebook – Fonte: pesquisa do autor Percebe-se na figura anterior que apenas 16% dos entrevistados utilizam aplataforma para denunciar crimes ou infrações de trânsito. Esta proporção éaproximadamente confirmada na Figura 4, confirmando o baixo índice de denúncias. Napesquisa, detectou-se que 13% compartilham informações desta natureza entre seuscontatos. Porém, se houvesse uma ferramenta própria para isso, o percentual dosusuários que o fariam sobe para 73% (Figura 5), confirmando o que fora anteriormenteproposto. O simples compartilhamento de imagens e textos não gera engajamento dapopulação. É preciso que exista um órgão controlador reconhecido pela sociedade paraque a ferramenta seja aceita e entendida como local de denúncia e informação.
  9. 9. 9Figura 4 – Denúncias espontâneas – Fonte: pesquisa do autor Figura 5 – Denúncias através de canal próprio – Fonte: pesquisa do autor Por outro lado, assuntos de extrema relevância como o humor (57%) evariedades (56%), não podem deixar de ser incluídos neste contexto. A internetnecessita de linguagem própria, leve, descontraída e livre de grandes volumes de texto.A informação precisa ser concisa, direta e de fácil entendimento para ser bemassimilada. O humor entra, normalmente, para dar essa leveza e para viralizar oconteúdo exposto. Pessoas têm necessidade social de aceitação e compartilhamnaturalmente conteúdos que julgam ser desta forma. Entretanto, o denunciante muitas vezes se sente acuado ou com receio de sofreralgum tipo de retaliação. Se 73% fariam a denúncia em local apropriado, página deórgão de controle, 82% acreditam que a possibilidade de anonimato aumentaria onúmero de denúncias, como mostra abaixo a Figura 6. Sendo assim, somente seriapossível a utilização de uma fanpage estruturada, carregada de um servidor externo aoFacebook, que pudesse receber arquivos e informações sem a identificação do perfil dodenunciante. Segundo Eduardo Gentil, Diretor de Planejamento da NacionalVOX,empresa especializada em desenvolvimento de plataformas virtuais, “os aplicativoscriados dentro do Facebook necessitam identificar seu perfil e registram a suaatividade”. Ainda segundo Gentil, “a utilização de um servidor externo é a melhorforma de utilização do cenário proposto, havendo, como única forma de identificação dousuário o endereço IP da máquina cuja qual foi efetuada a denúncia”.Figura 6 – Comportamento dos internautas sobre as denúncias anônimas. Fonte: pesquisa do autor
  10. 10. 10 Considerando o fator exposição dos infratores (Figura 7), 71% dos entrevistadosacreditam que o número de crimes diminuiria. Através deste número, a pesquisa revelaque os condutores tendem a ter um maior cuidado ao dirigir, com receio de integrar umapágina onde outros integrantes de sua rede poderão ver a sua infração e,consequentemente, causar algum tipo de constrangimento. Ações de coesão com esteobjetivo já foram criadas para outros fins e aplicados com sucesso em vários casos,como a concepção de locais parecidos com “gaiolas”, os fumódromos, para fumantesem lugares como shoppings e demais locais onde a prática era proibida. Figura 7 – Impacto da exposição dos infratores no Facebook – Fonte: pesquisa do autor Após cruzamento de todos os dados recolhidos na pesquisa, viu-se que aelaboração do espaço virtual para denúncia de infrações de trânsito é viável e, segundo apesquisa, é bem visto e aceito por grande maioria das pessoas, já que existe osentimento de cuidar dos rumos que a sociedade está tomando e as ferramentascolaborativas são um grande exemplo, já hoje, do que pode ser feito. Não excluímos também a denúncia dos próprios agentes da lei que são flagrados,muitas vezes, eles mesmos desrespeitando as leis de trânsito. A proposta é para que todoe qualquer cidadão denuncie e compartilhe o que está errado, ajudando a construir umasociedade melhor. Propomos também que o espaço, além de denúncias, contenha um conteúdoeducativo acerca do Código Brasileiro de Trânsito, banco de dados com as dúvidas maisfrequentes dos usuários, quizzes sobre assuntos relacionados ao trânsito, enfim, umaplataforma colaborativa e também educacional. Por fim, este projeto será ainda melhor desenvolvido, principalmente tratandodas questões técnicas de implementação da ideia proposta, e será apresentado para osprincipais órgãos de controle de trânsito do Estado de Santa Catarina e, se possível, doBrasil.
  11. 11. 11 4. CONCLUSÃO O Facebook é uma plataforma muito bem planejada, onde 900 milhões depessoas conseguem interagir entre si de alguma forma. Através desta interação, sãocompartilhados conteúdos dos mais diversos, de humorismo a manifestações de revoltasobre assuntos dos mais diversos. A pesquisa realizada comprovou a hipótese de que os usuários compartilhariaminformações sobre trânsito de forma mais efetiva se houvessem páginas oficiais dogoverno, havendo controle por parte deste e responsabilidade na averiguação dos fatos. Percebeu-se também um profundo e constante descontentamento da sociedadeem relação aos maus hábitos praticados no trânsito, bem como é percebido em outrassituações de atitudes consideradas erradas ou imorais, baseado no bom senso de nossacultura. A partir da pesquisa e comprovação da hipótese aqui levantada, se faz necessáriaa continuação deste trabalho, abordando questões de cunho técnico e legal, conferindoou não a viabilidade do projeto nos quadros dos órgãos de controle de trânsito. Aferramenta deve, pela pesquisa, poder oferecer o anonimato ao usuário, fator este nãocontemplado pelo Facebook. A exposição dos infratores por outros usuários tambémdeve ser analisada pelo aspecto legal, verificando-se a possibilidade de tratar destaforma a denúncia, não havendo risco de qualquer natureza legal para o delator. Além dos órgãos controladores do trânsito, o conceito pode ser multiplicado eadotado por diversas outras áreas que trabalham com a prestação de serviço e com oatendimento ao público no território nacional. Denúncias na área da saúde, educação,saneamento básico, condições precárias de via pública, enfim, são inúmeras aspossibilidades de fiscalização e compartilhamento de informações através de plataformasimilar. Por fim, o propósito deste artigo científico é mostrar, tão e somente, que oFacebook pode sim ser utilizado para um fim social. Quando falo social não quero dizerapenas que ele é um conglomerado de pessoas pretendendo ser uma sociedade cominteresses comuns. O Facebook pode ser uma excepcional ferramenta para a melhoria
  12. 12. 12da sociedade como um todo, onde quase um bilhão de pessoas têm acesso, em temporeal, às mais diversas informações sobre os mais diversos assuntos. Seria maravilhosose grande parte dessas informações tentasse ao menos melhorar o mundo no qualestamos inseridos, que é criado (ou destruído) a cada dia por nós mesmos.
  13. 13. 13 5. REFERÊNCIASBAREFOOT, Darren, SZABO, Julie. Manual de Marketing em Mídias Sociais. SãoPaulo: Novatec, 2010.Bom Dia Brasil – ‘São mais de 200 mortes no trânsito por dia’, alerta AlexandreGarcia. – Disponível em: http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2012/01/sao-mais-de-200-mortes-no-transito-por-dia-alerta-alexandre-garcia.html, acessado em18/05/2012.Brasil é o país com maior crescimento no Facebook em 2011. Disponível em:http://epocanegocios.globo.com/Revista/Common/0,,EMI287869-16355,00-BRASIL+E+O+PAIS+COM+MAIOR+CRESCIMENTO+NO+FACEBOOK+EM.html, acessado em 16/05/2012.Brasil é o segundo maior país no Facebook, diz pesquisa – notícia em Tecnologia eGames. Disponível em: http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2012/05/brasil-e-o-segundo-maior-pais-no-facebook-diz-pesquisa.html, acessado em 14/05/2012.Brazil Facebook Statistics, Penetration, Demography – Socialbakers – Disponívelem: http://www.socialbakers.com/facebook-statistics/brazil, acessado em 16/05/2012.Facebook chega a 3 mil aplicativos que podem publicar na Linha do Tempo –Internet – IDG Now! – Disponível em:http://idgnow.uol.com.br/internet/2012/03/14/facebook-chega-a-3-mil-aplicativos-que-podem-publicar-na-linha-do-tempo/, acessado em 17/05/2012.Facebook has over 425 million mobile users – Disponível em:http://www.zdnet.com/blog/facebook/facebook-has-over-425-million-mobile-users/8384, acessado em 14/05/2012.Facebook usage statistics by country Dec 2008 – Dec 2011 – Disponível em:http://www.nickburcher.com/2012/01/facebook-usage-statistics-by-country.html,acessado em 14/05/2012.
  14. 14. 14Instagram atinge 50 milhões de usuários – TECNOLOGIA – EXAME.com –Disponível em: http://exame.abril.com.br/tecnologia/noticias/instagram-atinge-50-milhoes-de-usuarios, acessado em 18/05/2012.Já são mais de 19 milhões de smartphones no Brasil, segundo pesquisa – Disponívelem: http://www.droider.com.br/smartphone/mercado-smartphone/numero-mais-19-milhoes-de-smartphones-no-brasil-pesquisa.html, acessado em 17/05/2012.Key Facts – Facebook Newsroom – Disponível em:http://newsroom.fb.com/content/default.aspx?NewsAreaId=22#Statistics, acessado em14/05/2012.RECUERO, Raquel. Redes Sociais na Internet. Porto Alegre: Sulinas, 2009.TELLES, André. A revolução das mídias sociais: Estratégias de marketing digitalpara você e sua empresa terem sucesso nas mídias sociais. São Paulo: M. Brooks,2010.TORRES, Cláudio. A bíblia do marketing digital: tudo o que você queria sabersobre marketing e publicidade na internet e não tinha a quem perguntar. SãoPaulo: Novatec, 2009.

×