Tutoria online - criando oportunidades para a partilha de conhecimento

  • 1,380 views
Uploaded on

Comunicação apresentada no ICCI 2010 - VI Seminário Imagens da Cultura / Cultura das imagens - apresentação virtual em Second Life. …

Comunicação apresentada no ICCI 2010 - VI Seminário Imagens da Cultura / Cultura das imagens - apresentação virtual em Second Life.
3 Julho 2010.
Ana Loureiro, David Wood & Teresa Bettencourt

More in: Education , Technology
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
1,380
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
5
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide
  • As 3 componentes da investigação prendem-se com: Contrução de conhecimento Relações Interpessoais Ambientes virtuais Partimos da premissa de que a socialização é um factor chave para a aprendizagem colaborativa. O acto de aprender – ou de construir conhecimento – tem uma dimensão social muito significativa. O objectivo desta investigação é perceber como é que os ambientes virtuais influenciam a criação/o estabelecer de relações interpessoais. Estes ambientes conseguem trazer para os contextos de aprendizagem a percepção da presença física, diluíndo assim a sensação de isolamento caracteristico da ensino a distância? A investigação irá, assim, tentar perceber de que forma os ambientes virtuais colaborativos influenciam as relações da vida real Ou seja: Será que as relações virtuais complementam a vida real? Teremos melhores práticas orquestrando a aprendizagem (orchestrating learning) em ambientes imersivos? Serão as formatos de blended learning melhorados?
  • Algumas investigações em ambients virtuais sugerem que estes reduzem as barreiras à socialização, podendo beneficiar pessoas com competências de socialização mais baixas. Nós estamos “escondidos” atrás do nosso avatar – uma alter-image (representação virtual 3d) de nós mesmos. A comunicação é predominantemente textual mas alinhada com uma simulação 3d do mundo real. A comunicação textual favorece o pensamento e a reflexão – o que é encarado como um benefício positivo. A imersão encoraja o sentido do real (poderá ser encarado como uma realidade indirecta/paralela) Os ambientes virtuais são divertidos e podem ajudar ao engajar dos estudantes com os conteúdos, melhorando a motivação instrínseca para aprender Delineámos o quadro teórico à luz das teorias do social constructivism e do connectivism
  • The research is using a variety of methods for data collection: Observation of different learning scenariios formal = part of a university course leading to a qualification - informal = course teaching specific aspects of second life (e.g. scripting) - natural = self directed discovery of knowledge such as creating a stunning looking avatar as opposed to the boring default one… - The study is underpinned by established theories therefore the analysis will seek to correlate features of observations with theories. Perhaps a new insight will emerge. Data is derived from levels of participation, analysis of interactions, specific questioning (questionaire and interview). Most of the data is qualitative. - A key element of the work is categorisation and interpretation.
  • The pilot is a test study to gain experience of the use of Web 2.0 technologies as part of course in multimedia at the university of santarem. The addition of a virtual element to a blended learning tutorial is being explored. In the context of the broader research goal: How effective is a VE as aproxy for face-face interaction??
  • The classes studied meet in a traditional classroom setting. There are 2 classes – one of full-time undergraduates <25 years old. - one of part-time students >25 years old Both receive an identical curriculum. Both classes are required to do assignments in their own time and the goal of the pilot is to encourage collaboration ‘out of hours’ by providing a means for students and teacher to interact. The assignments are mandatory, but the participation on the Web2.0 method was left optional – down to students own free will. The classrom setting is used predominantly for lab and support work. Diigo is used support a task related information thread where students can share information and comment. SL is used as a hybrid online and face-face environment – primarily to support virtual meetings between the team members.
  • Features of each of the online tools to support pedagogy are indicated here
  • The task was to critically explore the ideas of Prensky and decide to whether you are a digital immigrant or native… Here we see real people… Virtual agents of them (some anonymous) Diigo dialog.
  • We found the hierarchical model of Gilly Salmon explains the evolution of interaction through the pilot… There was a significant set up cost – students were not familiar with SL in particular and getting quickly establlished in-world was an early priority. The environment has a steep learning curve…. How to move… how to interact… how to customise… etc…. Two in-world sessions were devoted to this (~6 hrs) – during successive weekends. A number of students engaged in-world additionally. In future tutorials in was easy to see those who had spent more time learning. Avatar appearance is one indicator. (note – there is no official way to log time spent in world) The students appear to be in stages 3 and 4 of the model. Information exchange is good and knowledge construction is emerging.
  • A tale of 2 classes….

Transcript

  • 1. Tutoria Online – criando oportunidades para a partilha de conhecimento Ana Loureiro (accloureiro@gmail.com) | CIDTFF – Universidade de Aveiro | Instituto Politécnico de Santarém Teresa Bettencourt (tbett@ua.pt) | CIDTFF – Universidade de Aveiro David Wood (davidwood2009@gmail.com) ICCI – VI Seminário Imagens da Cultura | Cultura das Imagens 1, 2 e 3 Julho 2010
  • 2. Objectivos da investigação
    • Construção de conhecimento em ambientes virtuais – influência das relações interpessoais
      • Centrado nas relações de aprendizagem que são estabelecidas na vida real e depois fluem para o ambiente virtual e depois fluem de novo para o mundo real
    • Estabelecer se este fluxo é complementar
    • Desenvolver melhores práticas para educação em ambientes imersivos
    • Optimizar situações de blended learning (ensino superior)
    icci > tutoria online – criando oportunidades para a partilha de conhecimento loureiro, bettencourt & wood | porto, julho 2010
  • 3. Porquê ambientes virtuais…
    • Num ambiente virtual as pessoas tendem a …
      • ser mais confiantes, participativas, criativas e reactivas
      • participar em sessões de formação porque de facto querem aprender (engage with content)
      • aprender de forma natural (aprendizagem natural e informal / self directed learning)
    • Quadro teórico
      • Princípios do constructivismo social e do conectivismo
      • Motivação, colaboraçao, socialização e engagement como dimensões para a construção de conhecimento
    icci > tutoria online – criando oportunidades para a partilha de conhecimento loureiro, bettencourt & wood | porto, julho 2010
  • 4. Metodologia da investigação…
    • Observação (in world) de docentes e estudantes em contextos de aprendizagem formais, informais e naturais
    • Estudo qualitativo, com características exploratórias
    • Recolha de dados
      • questionários, observação, chats logs, entrevistas
    • Análise de dados
      • categorização, análise conteúdo/contexto, representação quantitativa
    icci > tutoria online – criando oportunidades para a partilha de conhecimento loureiro, bettencourt & wood | porto, julho 2010
  • 5. Estudo piloto
    • Procurámos perceber:
      • Como é que os estudantes colaboram/utilizam (engage) as ferramentas web 2.0?
      • Como é que os estudantes colaboram/utilizam (engage) em ambientes virtuais?
      • As ferramentas utilizadas levam a um melhoramento nas colaborações ?
      • De que forma as ferramentas promovem a construção de conhecimento
    icci > tutoria online – criando oportunidades para a partilha de conhecimento loureiro, bettencourt & wood | porto, julho 2010
  • 6. Orchestrating learning Classroom (Formal teaching and practical work) Diigo (information sharing) Second Life (discussion & knowledge building) icci > tutoria online – criando oportunidades para a partilha de conhecimento loureiro, bettencourt & wood | porto, julho 2010
  • 7. Orchestrating learning - tools
    • immersive (walk through contents and information / learn by living)
    • 3D representation of “myself” – avatar (learn subject matter in 1st person, which is experiential, nonsymbolic, interactive and multisensorial)
    • communication, cooperation, interaction, information sharing in real time
    • social network / community of practice (Wenger, 2008)
    • Bookmarking (referencing)
    • Commenting (opinions, analysis, feedback)
    • Information sharing (collaboration, building common ground)
    • Brainstorming
    • Student directed activity
    Second Life Diigo icci > tutoria online – criando oportunidades para a partilha de conhecimento loureiro, bettencourt & wood | porto, julho 2010
  • 8. Orchestrating learning icci > tutoria online – criando oportunidades para a partilha de conhecimento loureiro, bettencourt & wood | porto, julho 2010
  • 9. Interaction model icci > tutoria online – criando oportunidades para a partilha de conhecimento loureiro, bettencourt & wood | porto, julho 2010 Salmon, G., (2000) E-Moderating: The key to Teaching and Learning online. Kogan Page Limited: London
  • 10. Algumas observações preliminares…
    • Alunos do regime nocturno com grau participação mais elevado
      • 33% de participações na ultima sessão sl (nenhuma estudante do regime diurno)
    • Estudantes postaram 2x mais informação que a docente
    • A qualidade da informação partilhada é elevada (relevante)
      • Posts são moderados (pelo docente e pelo restante grupo)
    • A metodologia adoptada serve melhor as expectativas dos estudantes do regime nocturno
    icci > tutoria online – criando oportunidades para a partilha de conhecimento loureiro, bettencourt & wood | porto, julho 2010
  • 11. Reflexões…
    • As diferenças de comportamento (engagement) entre os alunos do regime diurno e nocturno devem-se a…
      • Maturidade
      • Nível de indepência enquanto aprendizes
      • Motivação intrínseca
    • Motivação (necessidade de aprofundar a investigação)
      • Envolve vontade de aprender
    • Relações interpessoais estebalecidas entre a docente e os alunos
      • Mais significativa no regime nocturno / amizade para além da sala de aula...
    icci > tutoria online – criando oportunidades para a partilha de conhecimento loureiro, bettencourt & wood | porto, julho 2010