PENSANDO POR DIAGRAMAS

615 views
421 views

Published on

Apresentação para organizar o estudo da anatomia de alguns modelos de diagramas para o desenvolvimento de projetos acadêmicos

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
615
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
55
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

PENSANDO POR DIAGRAMAS

  1. 1. EDPII – Profa. Alexandra BujokasPENSANDO POR DIAGRAMASMetodologias para o desenvolvimento dos projetos de EDPI Esta aula é baseada no recurso educacional aberto “Systems diagramming” do projeto Open Learn da The Open University, Reino Unido. O curso original está disponível em <http://www.open.edu/openlearn/science-maths-technology/computing-and- ict/systems-computer/systems-diagramming/content-section-0>
  2. 2. O QUE SÃO DIAGRAMAS?Olhe à sua volta: os diagramas estão em toda parte.Você pode citar alguns exemplos?O princípio dos diagramas está na nossa mente: o tempo todo construímos modelos decomo as coisas funcionam, com base nas experiências que vamos acumulando desde quenascemos. Às vezes mantemos os modelos intactos, as vezes os fazemos evoluir, emfunção das experiências e das novas informações que vamos adquirindo.Apesar de esses modelos internos serem pessoais e subjetivos, é a eles que recorremosquando precisamos compartilhar ideias com os outros, quando comparamos nossosdiagramas mentais com aqueles das outras pessoas. Nesse processo, construímosmodelos externos, onde os padrões de ideias, soluções ou atividades são projetados paraserem reconhecidos e compreendidos por muitas pessoas ao mesmo tempo.Pense em modelos desse tipo que você conhece.
  3. 3. VISUALIZADORES x VERBALIZADORESPor uma série de razões não rastreáveis ao longo da vida, algumas pessoasdesenvolvem melhor a capacidade de pensar visualmente. Outras preferemmaterial textual.O primeiro grupo é o dos chamados “visualizadores” o segundo é o dos“verbalizadores”. Não há nada de errado com qualquer uma dessas tendências,mas em assuntos como pensamento sistêmico, problemas complexos, assuntoscomplicados nas áres de ciência sociais, economia ou tecnologia, juntar textos ediagramas costuma ser uma tarefa mais produtiva do que focar a atenção emsomente uma dessas formas de expressão e registro.Além disso, é relevante lembrar que esses problemas em geral são tratados emequipes e que, num grupo, certamente haverá gente que prefere o visual egente que prefere o verbal. Assim, o ideal é que os visualizadores aprendam averbalizar e os verbalizadores aprendam a visualizar.
  4. 4. TRÊS RAZÕES PARA USAR OS DIAGRAMAS Eles ilustram como alguma coisa funciona; Eles demonstram mais claramente o modo como objetos, ideias ou quantidades são organizadas e estão relacionadas; Eles desenvolvem aspectos de um texto e o tornam mais prazeroso para ser lido; Uma das características fundamentais dos diagramas é a interligação dos componentes dentro deles. Compreender tais situações desafia nossas habilidades descritivas. Usar apenas palavras em situações como essas pode confundir nossa mente ou deturpar a situação em análise. Os diagramas permitem que a gente leia os conceitos-chave na forma de palavras mas também as relações entre eles. É o caso da figura 1 a seguir que descreve o processo de pagamento mediante performance. Imagine que trabalho homérico seria descrever toda essa cadeia de ideias em um texto linear. Mesmo que você conseguisse, ao final, daria ao seu leitor a ideia de que um ponto é o de partida quando, na verdade, podem ser outros.
  5. 5. PAGAMENTO POR PERFORMANCE
  6. 6. COMO FAZER?6 TIPOS DE DIAGRAMASUm tutorial em Flash (em inglês) sobre os modos de fazer esses diagramas está disponível em: <http://systems.open.ac.uk/materials/T552/>
  7. 7. 1 Diagramas de compreensão Começam no centro da folha de papel. São construídos a partir de uma ideia inicial mais geral que vai se ramificando como a copa de uma árvore e se tornando mais específica ao final de cada “galho”. Esta técnica é particularmente útil para analisar informação impressa, que pode ser muito difícil de entender. Use para sintetizar as ideias de um texto, por exemplo. Ao final, você consegue ver como o autor articulou suas ideias. A limitação desse tipo de diagrama é que ele estabelece ligações lógicas lineares entre a ideia central e as periféricas, e te ajuda na compreensão simplificada de um problema, mas falha quando você precisa construir uma ideia criativa.
  8. 8. 2Diagramas de conectividade Diagramas de conectividade oferecem uma maneira mais eficiente de colocar mais ordem no exercício de compreender uma situação. Crie figuras ovais e nomeie cada uma dessas figuras . Você pode incluir palavras que o ajudam a caracterizar cada um desses ovais. Depois indique as relações entre elas. Outra forma é criar um mapa de sistemas. Cada figura oval constitui um sub- sistema dentro do sistema . Nesse diagrama, uma linha circular ou oval é traçada em torno de um grupo de elementos para mostrar que as coisas fora da linha são parte do meio ambiente, enquanto aqueles no interior da linha são parte do sistema . Não existem linhas que ligam elementos, sub-sistemas ou sistemas em um mapa sistemas. Ele é tão somente uma declaração da estrutura de como você vê o problema na sua mente.
  9. 9. 3Diagramas de influência São desenvolvidos a partir de mapas e sistemas e servem para indicar os locais onde um elemento da situação tem influência sobre outro. As setas indicam a direção da influência e as linhas entre os elementos podem ser de diferentes espessuras, cor ou estilo, para diferenciar, por exemplo, influência forte ou fraca. A influência se dá no nível dos sistemas (aqueles ovais descritos no modelo anterior), isto é os subsistemas não podem influenciar os sistemas; os sistemas e subsistemas não podem influenciar o ambiente. Se essa regra de sintaxe não for respeitada, o mapa vira uma confusão que ninguém entende. Às vezes nem quem o criou
  10. 10. 4Diagramas para análise adicional ouconstrução de modelos quantitativosSão usados para obter uma compreensão mais ampla das conectividades deuma situação. São também chamados de diagramas de causas múltiplas epodem ser convertidos em gráficos de sinais, de forma a indicar se a causatem um efeito positivo ou um efeito negativo. É preciso ter umconhecimento muito amplo e profundo da situação para criar um diagramadesses, para poder ter certeza sobre as cadeias causais em uma situação eos efeitos que possam vir a ter. São diagramas úteis para determinar as ​variáveis e relações necessárias para um modelo quantitativo matemático.
  11. 11. 5Diagramas para diagnósticos Na medida em que as conectividades de um diagrama se aprimoram muitas possibilidades podem ser trazidas à tona e é possível pensar no que poderia acontecer conforme os elementos variassem. Trata-se de um modelo dinâmico que consegue enxergar os momentos ou locais em que o subsistema funcionou de forma satisfatória isoladamente, mas as interações entre as conexões geraram falhas que afetaram o sistema como um todo.
  12. 12. 6Diagramas para comunicação Servem para apresentar uma ideia para um grupo e, por isso, devem seguir convenções que são amplamente compreendidas. Alguns dos modelos apresentados anteriormente servem também à comunicação. Mas um típico diagrama de comunicação tem as seguintes características: 1. tem um título que sintetiza a ideia geral; 2. é grande, claro e bem organizado na superfície plana; 3. faz uso de cores, setas e ícones facilmente reconhecíveis; 4. Traz anotações e comentários para facilitar a compreensão de aspectos específicos; 5. Faz mais sentido quando acompanha uma explanação.

×