Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Aula 1

  • 2,079 views
Published

aula 1

aula 1

Published in Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
2,079
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
8
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. McAdam & McCreedy, 2000:155
  • 2. • Descrever a forma como a gestão do conhecimento ajuda as organizações• Descrever a relação entre informação, conhecimento tácito, conhecimento explícito, conhecimento organizacional e gestão do conhecimento• Identificar os factores chave que encorajam a gestão estratégica do conhecimento
  • 3. Gestão da Informação e do Conhecimento Programa da disciplinaParte IO que é o conhecimentoTipos de ConhecimentoImportância do Conhecimento 4
  • 4. 6 “Capital consists in a great part of knowledge and organization... Knowledge is our most powerful engine of production” Marshall, 1890 Anabela Mesquita
  • 5. Porque é que entretanto a GC ganhou tanta importância?7 Conjugação de vários factores: O valor das empresas passou a depender do seu conhecimento e dos activos intangíveis Redescoberta de que muito do conhecimento organizacional está nas pessoas “If NASA wanted to go to the moon again, it would have to start from the scratch, having lost not the data, but the human expertise that took it there last time” Brown and Duguid, 2000 Aceleração da mudança nos mercados, competição e tecnologia, obrigando a uma aprendizagem contínua Little, Quintas e Ray, 2002 Anabela Mesquita
  • 6. 8Outros factores: Reconhecimento de que a inovação é a chave para a competitividade e que depende da criação de conhecimento e da sua aplicação O aumento da importância das trocas de conhecimento sem limites geográficos Os limites e potencialidades das tecnologias de informação Little, Quintas e Ray, 2002 Anabela Mesquita
  • 7. “In the end, the location of the new economy is not in the technology, be it the microchip or the global telecommunications network. It is in the human mind.” Webber, 19939 Anabela Mesquita
  • 8. 10  O conhecimento como um activo  A GC baseia-se no reconhecimento de que o conhecimento de cada um é algo útil e com valor para a organização. Cada pessoa possui um conjunto de conhecimentos únicos, fruto da experiência e dos recursos disponíveis  O conhecimento é gerado à medida que as várias fontes de informação são testadas e combinadas com experiências passadas e aprendizagem  O conhecimento é criativo, adaptável e dinâmico  O conhecimento é desenvolvido através da adaptação e interpretação da informação, experiência passada, erros e outras influências. É fruto da construção pessoal da realidade pelo indivíduo e é constantemente modificada e consolidada através da exposição a novas experiências Anabela Mesquita
  • 9. 11 Uma mistura fluida de experiências, valores, informação contextual e conhecimento anterior que fornece uma estrutura para avaliar e incorporar novas experiências e informação. Tem origem e é aplicado na mente das pessoas. Em contexto organizacional, está frequentemente embebido não só nos documentos e repositórios, mas também nas rotinas organizacionais, nos processos, nas práticas e nas normas. Davenport e Prusak, 1998:5 Anabela Mesquita
  • 10. 12  Tipos de Conhecimento  Conhecimento acerca/sobre as coisas  Know – how – conhecimento como fazer  Níveis de Conhecimento  Tácito  Explícito Anabela Mesquita
  • 11. Conhecimento Explícito Vs. Conhecimento Tácito Conhecimento Explícito Conhecimento TácitoConhecimento que não é facilmente visto ou expresso. É pessoal edifícil de formalizar. Pode estar enraizado nas experiências, atitudes,valores, padrões de comportamento. Inclui julgamentos, “sensações” ecompreensões profundas, i.e., conhecimento e experiência nãoarticulados. Ambos os conhecimentos podem ser individuais ou colectivos13 Anabela Mesquita
  • 12. 14  Conhecimento organizacional  Conhecimento extraído das diferentes fontes de conhecimento organizacional incluindo bases de dados, registos, sistemas, conhecimento explícito que se encontra documentado e é facilmente acedido bem como conhecimento tácito presente nos funcionários, clientes, parceiros, etc. Anabela Mesquita
  • 13. Fontes de Conhecimento Organizacional15 Experiência Conhecimento Aconselhamento Individual Aprendizagem Conhecimento Organizacional Erros Conhecimento Fontes externas Colectivo História Anabela Mesquita
  • 14. 16  A criação de conhecimento organizacional efectivo tem que assegurar que as fontes são conhecidas, disponíveis e úteis  E.g. Web site – as páginas necessitam de serem periodicamente revistas e actualizadas para assegurar a relevância e acessibilidade  E.g. Biblioteca da organização, arquivos, registos, processos – devem ser organizados e geridos com cuidado para contribuírem para a criação e uso do conhecimento organizacional Anabela Mesquita
  • 15. 17  Conhecimento estratégico  Conhecimento e compreensão que apoiam a direcção estratégica de uma organização  As pessoas por vezes têm conhecimentos que podem ser muito interessantes mas que têm pouco valor para a organização  E.g. Conhecimento sobre carros desportivos (a não ser que o negócio seja esse)  O desafio para a organização é compreender claramente de qual o conhecimento estratégico desejável e as fontes desse conhecimento na comunidade  É necessário identificar as fontes desse conhecimento e capturá-las e geri-las de forma adequada Anabela Mesquita
  • 16. 18  A GC procura criar uma série de estratégias para facilitar a definição, identificação, captura, organização e disseminação do conhecimento na comunidade organizacional. Centra-se na criação de uma cultura de colaboração. Para que isto aconteça, alguns factores são fundamentais:  Liderança e gestão do conhecimento  A GC precisa de uma liderança forte. A captura e partilha de conhecimento é baseada no desenvolvimento de valores corporativos que encorajam a colaboração e a vontade de trabalhar com os outros  Desenvolvimento de uma cultura do conhecimento  Uma cultura de conhecimento opera segundo alguns princípios chave como: reconhecimento do valor estratégico do conhecimento, encorajamento e recompensa da partilha do conhecimento, desenvolvimento de uma infra- estrutura e práticas de recursos humanos que facilitem estas actividades Anabela Mesquita
  • 17. Gestão do Conhecimento19  “… Abordagem sistemática e integrada para identificar, gerir e partilhar todos os activos de informação de uma empresa, incluindo bases de dados, documentos, políticas e procedimentos, bem como conhecimento prévio não articulado e experiência dos indivíduos. Fundamentalmente, trata-se de disponibilizar a informação colectiva e a experiência de uma empresa ao trabalhador individual, responsável pelo seu uso sensato e pelo reabastecimento do stock” Hackett, 2002:727 Anabela Mesquita
  • 18. Gestão do Conhecimento20  Forma “como uma organização usa o seu capital intelectual”, incluindo o capital humano, estrutural e relacional Bontis, 2002a:20  “Gestão do conhecimento trata da gestão do capital intelectual duma organização. A gestão do conhecimento enquanto função, descreve o acto de gerir o objecto, o capital intelectual”. Petty e Guthrie, 2000:4  “Requer a prossecução de diferentes tipos de objectivos e o desenvolvimento de diferentes tipos de recursos, forces, capacidades de processo e estruturas organizacionais”. Carlisle, 2002 Anabela Mesquita
  • 19. 21  O conhecimento é um activo essencial  O conhecimento organizacional baseia-se no conhecimento colectivo detido pelos indivíduos e presente nas fontes corporativas  Uma ênfase estratégica ajuda na preservação do conhecimento necessário para a viabilidade a longo prazo  A gestão do conhecimento é o método para atingir esses resultados Anabela Mesquita
  • 20. 22Influência do Fundamentos Aplicação do Melhoria econhecimento do conhecimento revisão do conhecimento conhecimentoContexto Gestão de Conhecimento Avaliação doorganizacional Recursos central conhecimentoConhecimento Humanos Repositórios de Sustentabilidaestratégico Sistemas de conhecimento de doLiderança conhecimento Serviço de conhecimentoCultura conhecimento Investigação Aprendizagem e desenvolvimento Anabela Mesquita
  • 21. 23 Descobrindo o conhecimento Dados, informação e conhecimento História da gestão do conhecimento Perspectivas filosóficas sobre o conhecimento Criação de conhecimento Aprendizagem organizacional Aumento do conhecimento Gestão do conhecimento GC na organização aprendente Ferramentas e tecnologias Capital intelectual Partilha de conhecimento Avaliação de conhecimento GC e cultura Sistemas de GC Gestão da mudança Perspectivas de gestão estratégica: estratégia de GC Anabela Mesquita
  • 22. 24  Debowski, S. (2006). Knowledge management. Milton: John Wiley  Bontis, N. (2002). The Rising Star of the Chief Knowledge Officer, IVEY Business Journal, March / April, 20-25. Retrieved July 18, 2003, from http://www.business.mcmaster.ca/mktg/nbontis/ic/publications/BontisIBJ.pdf  Petty, R. & Guthrie, J. (2000). Intellectual capital literature review: Measurement, reporting and management, Journal of Intellectual Capital, 1(2), 155-176.  Carlisle, Y. (2002). Strategic thinking and Knowledge Management. In S. Little, P. Quintas & T. Ray (Eds.), Managing Knowledge – an essential reader (pp. 122-138). London: Sage-138.  Hackett, J. (2002). Beyond Knowledge Management – New Ways to Work. In N. Bontis & W. C. Choo (Eds.), The Strategic Management of Intellectual Capital and Organizational Knowledge (pp. 715-738). New York: Oxford University Press.  Little, S., Quintas, P. & Ray, T (2002). Managing Knowledge: an essential reader. London: Sage.  Orna, E. (2004). Information Strategy in practice. Aldershot: Gower. (Cap. 1, pp. 1-18)  Davenport e Prusak, 1998:5  Webber, 1993  Brown and Duguid, 2000  Marshall, 1890 Anabela Mesquita