Relatório de responsabilidade social corporativa 2013
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Relatório de responsabilidade social corporativa 2013

on

  • 184 views

 

Statistics

Views

Total Views
184
Views on SlideShare
184
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
3
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Relatório de responsabilidade social corporativa 2013 Presentation Transcript

  • 1. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de responsabilidade social corporativa 13
  • 2. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 2 ÍNDICE 1. Carta do Presidente......................................................................... 3 2. Magnitudes principais da Abertis ............¡Error! Marcador no definido. 3. Características do relatório............................................................... 6 4. O triplo balanço: uma visão de conjunto .......................................... 12 5. Abertis e a responsabilidade social corporativa ................................. 16 6. A atividade da abertis, um serviço para os clientes e a sociedade........ 22 6.1. Gerenciamento da qualidade e melhora do serviço .................... 23 6.2. Segurança viária na autoestrada ............................................. 31 7. A equipe humana da abertis........................................................... 34 7.1. A equipe humana .................................................................. 35 7.2. Gerenciamento do talento e desenvolvimento profissional .......... 40 7.3. Impulsionando a organização em rede ..................................... 43 7.4. Gerenciamento da diversidade e igualdade de oportunidades...... 46 7.5. Extensão dos benefícios sociais ............................................... 50 7.6. Alavancagem da saúde e a segurança no trabalho..................... 51 8. Adaptando-se às necessidades de nosso meio................................... 58 8.1. Mitigação das mudanças climáticas .......................................... 71 8.2. Gerenciamento dos resíduos e das águas residuais .................... 86 8.3. Gerenciamento da biodiversidade ............................................ 90 8.4. Gerenciamento do ruído ......................................................... 92 8.5. Sensibilização ambiental......................................................... 93 9. Fornecedores................................................................................ 96 10. Agregando valor à comunidade ..................................................... 100 10.1. Consolidação das relações com a sociedade civil ..................... 102 10.2. Gerenciamento da ação social e patrocínios............................ 106 11. Relatório de verificação................................................................ 111 12. Índice de conteúdos e indicadores de GRI ...................................... 112 13. Relatório de revisão de GRI .......................................................... 120
  • 3. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 3 1.CARTA DO PRESIDENTE Estimados leitores, representantes dos diferentes grupos de interesse da Abertis, Tenho o prazer de apresentar a décima primeira edição do relatório de responsabilidade social corporativa que sintetiza o desempenho da organização nos âmbitos econômico, social e ambiental, de acordo com as principais normas internacionais, e conclui o exercício de prestação de contas da organização junto com o Relatório Anual, as Contas Anuais, o Relatório Anual de Governo Corporativo e a memória da Fundação Abertis de 2013. A evolução do contexto de responsabilidade social viu-se refletida nos trabalhos relacionados com a Estratégia Espanhola de (RSE) e o Plano Nacional de Empresa e Direitos Humanos na Espanha, junto com os progressos da diretiva europeia de prestação de contas relacionada à informação ambiental, social e de boa governança e a aprovação do novo guia para a elaboração de relatórios de Global Reporting Initiative (GRI) em nível internacional. Neste sentido, renovamos por um ano mais o nosso compromisso com o Pacto Mundial das Nações Unidas, e participamos das sessões de trabalho levadas a cabo pelo Gabinete de Direitos Humanos do Ministério de Assuntos Exteriores e Cooperação em relação ao Plano Nacional de Empresa e Direitos Humanos. Assim, no processo de transição para o novo padrão de elaboração de relatórios de responsabilidade social de GRI, a completa integração de Autoestradas Brasil e Chile ficou refletida nos dados incluídos no relatório, no qual se destaca a segregação de toda a informação por países, em um exercício de apresentação das novas concessões e suas ações que permite analisar a incidência das mesmas no desempenho global do Grupo. Estas têm sido também consideradas na ampliação do cálculo da pegada de carbono, no qual foram incluídas novas categorias de emissões indiretas que tentam refletir as emissões derivadas de todo o ciclo de vida das atividades de gerenciamento e uso das infraestruturas e telecomunicações. O código ético, ferramenta que formaliza os compromissos do Grupo com a equipe de trabalho, foi ampliado mediante a criação do regulamento específico no Brasil e à aplicação do do Chile às novas concessões. A formação contínua e o desenvolvimento profissional, a comunicação e a segurança e a saúde no trabalho constituem os pilares de envolvimento de uma equipe que tem crescido consideravelmente e que constitui a base da atividade da Abertis. A segurança viária constitui um elemento fundamental na prestação do serviço, além de garantir a qualidade do mesmo e trabalhar para a inovação focada à melhora dos serviços prestados. Os
  • 4. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 4 protocolos de emergência, as melhoras nas infraestruturas e as campanhas de sensibilização são as principais ferramentas focadas na redução da sinistralidade viária, implicando a todos os grupos de interesse e atuando sobre cada uma das variáveis que incidem sobre a segurança viária. O castelo de Castellet, sede da Fundação Abertis, foi eleito como um dos Centros de referência para as Reservas da Biosfera Mediterrâneas da UNESCO, que permitirá a coordenação de diferentes atividades relacionadas com a criação da rede de Reservas da Biosfera Mediterrâneas e de um banco de dados sobre a sustentabilidade nos espaços naturais, bem como os serviços ambientais das Reservas da Biosfera e os indicadores de sustentabilidade na rede. A relação com a comunidade também teve outros destaques nos países nos que o Grupo está presente. Destaca-se a campanha “Viva o Meio Ambiente” do Brasil, que recebeu o reconhecimento do centro de Educação Ambiental Chico Mendes, bem como as ações levadas a cabo com centros educativos ao nível internacional em matéria de segurança viária. Os trabalhos contínuos das cátedras Abertis, junto com a internacionalização das atividades do dia do voluntariado corporativo, consolidam projetos de longo prazo que têm incrementado seu alcance de forma paralela à evolução do Grupo. Por tudo isso, a Abertis foi reconhecida durante 2013 com a distinção de Bronze no anuário de sustentabilidade da RobecoSAM, e incluída em diferentes índices de investimento que analisam aspectos ambientais, sociais e de boa governança, entre os quais se encontram o DowJones Sustainability Index (World e Europe), STOXX e o EUROSTOXX Sustainability. A trajetória do Grupo quanto à responsabilidade social, sempre associada à evolução do projeto em longo prazo, consolida uma etapa que permitirá estabelecer as bases para dar resposta às demandas dos grupos de interesse. Conceitos como o capital natural, a economia circular e a inovação social, entre outros, compartilham a integração da visão sistêmica da responsabilidade social que, como no caso da biosfera, reconhecem a existência de inter-relações vitais para o desenvolvimento e manutenção dos ecossistemas em longo prazo, além do que sucede nestes ecossistemas em curto prazo. As relações sistêmicas que se produzem na biosfera ampliam a visão linear tradicional e apresentam novos desafios vinculados com o reconhecimento das interações existentes entre todos os grupos de interesse que interagem na biosfera Abertis. Esta identificação, ainda que não seja sempre evidente, contribui para incrementar nossa capacidade de resiliência, elasticidade e tolerância, que requer a complexidade do âmbito em que operamos possibilitando, assim, o incremento da criação de valor compartilhado para todos os grupos de interesse.
  • 5. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 5 2.
  • 6. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 6 3.CARACTERÍSTICAS DO RELATÓRIO O presente relatório de Responsabilidade Social Corporativa (RSC) corresponde ao período compreendido entre 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2013. Um ano mais apresenta os diferentes aspectos de desempenho da Abertis em matéria de RSC e faz parte, junto com o Relatório Anual, as Contas Anuais, o Relatório Anual de Governo Corporativo e a memória da Fundação, da documentação que permite aos grupos de interesse obter uma visão global dos principais impactos no âmbito econômico, social e ambiental da atividade da Abertis nos diferentes países onde opera. Qualquer questão sobre o conteúdo do relatório, bem como a respeito das metodologias seguidas para sua elaboração, pode ser enviada ao e-mail sostenibilidad@abertis.com, destinado para isso e posto à disposição de todos os grupos de interesse. Conteúdos e princípios do relatório de RSC O presente relatório e seus conteúdos foram elaborados de acordo com as diretrizes estabelecidas pela Global Reporting Initiative (GRI) em seu Guia versão 3.1, para um nível de aplicativo correspondente a um A+. O suplemento setorial relativo à atividade aeroportuária foi excluído, já que já não é de aplicação às atividades da Abertis, e foi mantida a versão piloto do suplemento setorial de Telecomunicações. Além disso, para a realização deste relatório foram levados em conta os princípios estabelecidos pelo Pacto Mundial das Nações Unidas, do qual a Abertis faz parte, junto com os princípios estabelecidos pela organização Accountability (APS), cujas diretrizes são levadas em consideração no processo de verificação da informação segundo os requisitos estabelecidos na norma AA1000 Assurance Standard (2008). Do mesmo modo, as informações incluídas neste relatório estão alinhadas com os requisitos da organização Carbon Disclosure Project, o índice Dow Jones Sustainability Index e a metodologia LBG para a medição, gerenciamento e comunicação da ação social e os patrocínios. Metodologia de coleta de informações O banco de dados de responsabilidade social é a principal ferramenta de gerenciamento e rastreamento dos indicadores de responsabilidade social da Abertis ao nível agregado, na qual todas as unidades de negócio que fazem parte do plano estratégico de RSC reportam, anualmente, as informações que farão parte dos conteúdos do relatório de RSC. O banco de dados evolui de forma progressiva, adaptando-se à estrutura do Grupo, ao mesmo tempo em que são incorporadas as propostas de melhora recebidas depois de cada um dos períodos de prestação de contas e verificação de informações. Neste sentido, durante o ano 2013 foram incorporadas algumas novidades, entre as quais se destacam:  A inclusão no banco de dados das novas organizações que passaram a fazer parte do Grupo no Brasil e Chile, constituídas por 12 concessionárias, cuja magnitude é consideravelmente significativa. Sua incorporação exigiu a adaptação dos manuais de indicadores associados, junto com o início de um processo de diagnóstico para identificar os principais impactos e incorporar estas novas unidades ao processo de análise de materialidade em curso.  Paralelamente, iniciaram-se os trabalhos de adaptação para o novo guia de elaboração de relatórios de sustentabilidade do GRI (G4) e da norma ISO 26000, em um processo de transição que se prevê tenha uma duração de 2 anos. Este processo de adaptação requer a formalização de uma análise de materialidade que constitua a base da apresentação de conteúdos do relatório, além de incorporar novos indicadores e ampliar o alcance da informação sobre algumas temáticas concretas, como Governança Corporativa e relação com fornecedores.
  • 7. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 7 Apresentação da informação A estrutura e apresentação do relatório de RSC da Abertis se mantiveram- constantes ao longo dos últimos anos, sendo que a edição de 2013 apresenta algumas modificações na apresentação de certos dados, com o objetivo de permitir sua comparação com anos anteriores. Assim, os dados históricos de 2011 e 2012 foram recalculados, excluindo-se dos mesmos a atividade aeroportuária, com o fim de mostrar a evolução da estrutura atual do Grupo. A informação também foi segregada por países e atividades, permitindo sua análise ao longo do tempo, especialmente no relacionado com o impacto da inclusão das concessões do Brasil e Chile no processo de rendição de contas, e incrementando o detalhamento da informação apresentada. A informação relacionada com o desempenho ambiental inclui a análise relativa ao volume de negócios do alcance do relatório de RSC, junto com os valores relativos ao indicador de atividade, o IMD para a atividade de autoestradas, e o número de equipes para a atividade de Telecomunicações. No caso da Sede Central, o indicador relativo à atividade foi realizado em base ao quadro médio equivalente. A cifra correspondente à Intensidade Média Diária (IMD) do Chile, Argentina e Porto Rico não corresponde às apresentadas no Relatório Anual, já que o alcance do relatório RSC é diferente. As limitações no alcance fizeram-se constar em cada caso, onde aparece a informação, junto com as notas resultantes do processo de verificação. Para ajustar o indicador de atividade à realidade dos serviços de telecomunicações, no presente relatório utilizou-se o número de equipamentos como indicador de atividade. Este indicador compõe-se da soma dos equipamentos próprios utilizados para a prestação do serviço com aqueles que, pertencendo a clientes, são mantidos pela Abertis, entre os que se incluem equipamentos TDT, FM, radiolink, equipamentos de recepção de sinal satélite, equipamentos de fibra e equipamentos de comunicação de dados, WiFi ou WiMAX. O indicador de atividade foi recalculado para os anos 2011 e 2012, de modo que possa ser realizada a comparação. As experiências práticas coletam os expoentes mais representativos de atuações nos diferentes âmbitos, e incluem ações de continuidade junto com novos projetos realizados durante o ano nos diferentes países. Indicador de atividade Definição Intensidade média diária (IMD) Número total de veículos por quilômetros percorridos em um período determinado de tempo, dividido pela extensão da infraestrutura e multiplicado pelo número de dias do período considerado. Este indicador é calculado com base nas infraestruturas das quais a Abertis é concessionária. Equipamentos Número total de equipamentos utilizados para a prestação de serviços, tanto os próprios como os de terceiros mantidos pela Abertis. Dados de atividade (ajustados ao alcance do relatório) País 2011 2012 2013 Autoestradas Intensidade média diária (IMD) Brasil 18.061 França 23.575 22.899 23.044 Espanha 20.938 18.752 17.776 Chile1 12.348 13.503 16.935 Argentina 76.916 76.995 78.990 Porto Rico 16.972 17.867 16.468 Telecomunicações Número de equipamentos Espanha 54.305 60.643 61.348 1 Os dados de 2013 incluem as novas concessionárias do Chile e exclui a Autopista Central.
  • 8. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 8 Metodologia de cálculo da pegada de carbono As informações relacionadas à pegada de carbono da atividade da Abertis estão alinhadas com os requisitos da iniciativa Carbon Disclosure Project, da qual a Abertis participa anualmente mediante a publicação de um questionário específico. Neste sentido, fez-se um exercício de ampliação do cálculo da pegada de carbono, incluindo toda a informação disponível correspondente aos três alcances definidos pelo Greenhouse Gas Protocol e aplicando os critérios estabelecidos no ‘Corporate Avalie Chain (Scope 3), Accounting & Reporting Standard’, o qual classifica as emissões do alcance 3 em 15 categorias. Analisou-se a inclusão da cada uma das categorias em função de sua aplicação à atividade da Abertis e da disponibilidade da informação necessária. Além disso, ampliaram-se as fontes incorporadas no cálculo da pegada de carbono nos históricos de 2011 e 2012, recalculando assim a pegada desses anos. Neste sentido, o cálculo deste ano inclui:  A ampliação dos materiais comprados (categoria 1)  A ampliação dos resíduos incorporados no cálculo (categoria 5)  A inclusão da categoria de uso de bens e serviços (categoria 10) A análise das categorias identificou aquelas que não são de aplicação para as atividades da Abertis, junto com aquelas que o são, mas não contam com informações disponíveis para incluir no cálculo. Estes dados serão ampliados em futuros relatórios. Informações detalhadas sobre as mudanças climáticas podem ser consultadas no questionário CDP publicado anualmente pela Abertis. A pegada foi recalculada para o histórico anual ajustado à realidade atual da organização. Também foram estimadas as informações históricas com o objetivo de comparar os dados e realizar uma análise de sua evolução. Os fatores de emissão empregados no cálculo provêm de fontes reconhecidas, entre as quais se encontram o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC Guidelines 2006), o Departamento de Meio Ambiente, Alimentos e Meio Rural do Reino Unido (DEFRA), a Agência Internacional da Energia (CO2 Highlights), o Environmental Defense Fund (ACV), o banco de dados Ecoinvent (ACV) e o banco de dados Base Carbone da França. No caso da França, país onde existe uma legislação específica nesta matéria, foram utilizados os fatores de emissão estabelecidos pela mesma, que correspondem aos fatores do banco de dados Base Carbone. Verificação da informação Toda a informação, bem como os dados contidos no relatório, foram revisados pela Deloitte, o que contribuiu para aumentar o grau de detalhamento e rigor dos dados apresentados. O relatório de Revisão Independente com as conclusões do processo de auditoria encontra-se incluído no capítulo 11, além da referência específica por indicador que foi acrescentada no índice de indicadores da GRI. O relatório também foi revisado pela organização Global Reporting Initiative (GRI), concluindo que foram cumpridos os requisitos associados a um nível de aplicação A+. A declaração emitida pela GRI está incluída no capítulo 13.
  • 9. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 9 Cobertura O modelo de gerenciamento das autoestradas afeta à cobertura da informação e o gerenciamento dos impactos da atividade. As atividades das autoestradas sobre as quais a Abertis tem capacidade de controle incluem a operação e manutenção da infraestrutura. Alguns dos serviços são prestados mediante contratações externas e licitações, o que implica que a Abertis dispõe de capacidade de influência e pode intervir sobre certos impactos, mediante a inclusão de cláusulas específicas nos contratos. A cobertura do relatório reflete as mudanças organizacionais que se produziram em 2013. Assim, 93,4% do volume de negócios total da Abertis se encontram incluídos no presente relatório2 , tendo-se produzido modificações substanciais nas unidades de negócio incluídas. Durante 2013, passaram a fazer parte do alcance do relatório 12 novas concessionárias, 9 no Brasil e 3 no Chile, e foram excluídas todas as filiais da atividade aeroportuária. 2 Não se incluem as seguintes sociedades: Abertis tower, Abertis México, GICSA, Santoll, Sanef Tolling, Sanef ITS-Technologies e suas filiais no mundo, Sanef Operations Limited UK, Eurotoll Central Europe, TC Flow Tolling, Gestora do Espectro, Abertis Telecom Brasil, Adesal Telecom, Consultek, Hispasat, Autopista Central e as sociedades multigrupo Trados 45 e Areamed 2000. •Abertis infraestruturas •Serviabertis •Fundação Abertis Sede central Linhas de negócio Autoestradas •Autoestradas Brasil* •Arteris Brasil •Autovias •Centrovias •Intervias •Vianorte •Planalto Sul •Fluminense •Fernão Dias •Régis Bittencourt •Litoral Sul •Autoestradas França •Sanef* •Autoestradas Espanha •Abertis autopistas Espanha •Rede AP7/AP2 acesa •Rede Gencat •Rede AP7 aumar •Rede AP68 Ebro •Rede Centro Sur •Autoestradas Chile** •Abertis autopistas Chile •Autopista Los Libertadores •Autopistas del Sol •Autopista Los Andes •Elqui •Rutas •Autoestradas Argentina** •Autopistas del Oeste •Autoestradas Porto Rico •Apr Telecomunicações •Abertis Telecom (inclui retevisión e tradia) *Incluem-se Latina Manutenção de Rodovias e Latina Sinalização de Rodovias. Sanef inclui Sanef, Sanef Aquitaine, Sanef ITS Op Ireland, Sapn, Eurotoll, SEJA14 e Bip & Go. **Incluem-se as operadoras correspondentes: Gco, Opsa, Gesa, I2000 e Oitral.
  • 10. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 10 Alcance e contexto de sustentabilidade O alcance do relatório inclui um total de 6 países na Europa e América. A dimensão internacional da Abertis tem implicações diretas sobre o conceito de sustentabilidade do Grupo, levando em conta, por um lado, a esfera local e por outro, aplicando um enfoque global na hora de identificar os impactos relacionados com a sustentabilidade. Deste modo, a estratégia de RSC pressupõe atuar localmente nos diferentes países e comunidades onde a Abertis desenvolve a atividade, atendendo aos impactos locais, ao mesmo tempo em que apresenta seu desempenho dentro do contexto mais amplo da sustentabilidade. Materialidade e participação dos grupos de interesse O exercício de identificação e priorização dos temas mais relevantes em matéria de sustentabilidade é realizado mediante diferentes canais de comunicação, em um esforço contínuo focado na obtenção de informação verificada e na participação dos grupos de interesse. O processo de transição para o novo modelo de elaboração de relatórios de sustentabilidade (G4) inclui a elaboração de um exercício de materialidade específico no qual serão incluídas as novas concessões. Esta transição fez com que fossem conservados como vigentes os resultados obtidos no questionário de materialidade realizado no processo de elaboração do relatório de RSC do ano 2012. O questionário submete à avaliação dos grupos de interesse nove afirmações em uma escala do 1 ao 4, em função de sua conformidade com cada uma das afirmações. Uma segunda avaliação inclui as cinco temáticas de maior importância do relatório. Também é solicitado que se indique que tipo de formato é o preferido para o relatório de RSC e outros aspectos como a avaliação da adoção do padrão da GRI, a verificação externa do relatório e a possibilidade de elaborar um relatório integrado que contenha informações financeiras, ambientais, sociais e de boa governança corporativa. Materialidade e participação dos grupos de interesse Relações institucionais, pesquisas de satisfação com clientes, junto a reuniões periódicas com a representação legal dos trabalhadores. Observações emitidas pela comunidade investidora através de reuniões com os investidores, o Escritório do acionista e a Junta Geral de Acionistas. Entrevistas à equipe técnica de diversas unidades de negócio, junto com a pesquisa de materialidade realizada de 2012. Sugestões e comentários recebidos por parte de organismos de RSC e instituições acadêmicas. Avaliações do Dow Jones Sustainability Index, Pacto Mundial, Carbon Disclosure Project e London Benchmarking Group. Participação em questionários e análises externas, incluindo projetos de investigação e índices específicos. O Comitê de RSC e os sistemas de gerenciamento implantados, junto com as revisões externas.
  • 11. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 11 Temas prioritários identificados no questionário Avaliação dos entrevistados Matriz de materialidade O elemento infográfico faz parte do resumo do relatório de RSC do ano 2012, disponível no site da Abertis, e representa a faixa de avaliação, tanto por parte dos grupos de interesse, como pelos grupos de comando da organização, em relação a cada um dos temas tratados no questionário. Deste modo, observa-se o nível de divergência na avaliação na cada um dos temas, que se reflete no tamanho da circunferência. 0,0% 5,0% 10,0% 15,0% 20,0% Estratégia e gerenciamento Indicadores de cumprimento Avaliação de objetivos Normas e procedimentos internos Incumprimentos legais Mudanças climáticas Resíduos e águas residuais Biodiversidade Ruído Servicios prestados Satisfacción de clientes Saúde e segurança Perfil e relação do quadro Desenvolvimento profissional Diversidade e igualdade de oportunidades Saúde e segurança no trabalho Relação com a comunidade Patrocínio e ação social Avaliação e seleção de fornecedores Interno Externo 0% 20% 40% 60% 80% 100% Como avalia a adoção do padrão de GRI? Como avalia a verificação externa da memória? Como avalia a elaboração de um relatório único com a informação financeira e a informação ambiental, social e de bom governo corporativo… Positivamente Negativamente NS/NR
  • 12. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 12 4.O TRIPLO BALANÇO: UMA VISÃO DE CONJUNTO A ATIVIDADE DA ABERTIS O MEIO SOCIAL – EQUIPE HUMANA PlanoestratégicodeRSCExemplosdeexperiências práticas 2013 ISO26000/G4 | Índices de investimento socialmente responsável e outras ferramentas | Evolução e melhora de serviços em autoestradas | Desenvolvimento da inovação | Medidas que melhoram a segurança viária | Novos serviços de telecomunicações | Oferecendo valor social ao Grupo I Convênio de Unidade de Negócio da Abertis autopistas Espanha | ‘Talent’: sistema de gerenciamento por competência | Reforçando o talento na Abertis | Campus Abertis | Comunicação e colaboração para uma internacionalização efetiva | Abertis obtém o Selo Bequal | Missão Handicap | Ações em segurança e saúde ocupacional nas autoestradas da Abertis | Práticas para garantir a segurança e saúde do pessoal em Telecom 2012 Jornada de RSC | Índices de investimento socialmente responsável e outras ferramentas | Evolução e melhora da atenção ao cliente nas autoestradas | Novos serviços de Telecomunicações | A segurança viária nas autoestradas | A satisfação dos clientes de aeroportos | Projeto SARTRE | Oferecendo valor social ao Grupo | Volta a sessão ‘Meet the buyer’ no aeroporto de Luton | Implantação de uma nova ferramenta de negociação eletrônica ‘talent’: sistema de gerenciamento por competência | ‘Campus Abertis’: mais um passo na melhora dos programas de desenvolvimento executivo | Tecnologia e colaboração para uma internacionalização efetiva | Certificado de Excelência em Diversidade | Missão Handicap
  • 13. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 13 20,3% 13,1% 21,3%6,5% 0,3% 0,1% 10,8% 2,6% 23,6% 0,2% 1,1% Fornecedores Despesas de pessoal Despesas financeiras Imposto de sociedades Despesas ambientais Investimento em ação social Dividendos Outros Amortizações Provisões Reservas 3 O estado do valor agregado foi realizado com base na conta de resultados consolidada da Abertis (incluindo a percentagem de volume de negócios que fica fora do alcance deste relatório). 4 Este dado corresponde ao alcance do relatório, diferente do valor correspondente ao total do Grupo e ao publicado no Relatório Anual. A ATIVIDADE DA ABERTIS O MEIO SOCIAL – EQUIPE HUMANA Principaisindicadores Distribuição do valor econômico criado3 Volume de negócios Quadro de pessoal em 31/12 Intensidade Média Diária (IMD) em autoestradas 4 : 19.563 Km de autoestradas gerenciados: 7.291,84 Número de equipamentos de Telecomunicações: 61.348 Presença em 6 países da América Latina e Europa Quadro com contrato fixo: 93,7% Homens: 95,9% Mulheres: 89,7% Taxa de retenção: Mulheres 77% Homens 99,4% Quadro de pessoal em 31/12 Média de horas de formação: 12,6 Homens: 13,1 Mulheres: 11,7 Índice de rotatividade: 21,3% Mulheres 20,9% Homens 21,5% Sistema de gerenciamento da qualidade implantado em 94,4% do volume de negócios 83 campanhas de segurança viária implementadas 6.769 consultas e opiniões gerenciadas pelo Escritório do acionista 98,7% de compra a fornecedores locais 389 reuniões com 54 comitês de empresa 12,6% de mulheres em cargos diretivos e 22,2% em chefia Quadro de pessoas com deficiências por contratação direta ou indireta: Espanha: 2,5% França: 6,5% Brasil: 1,9% Sistema de segurança e saúde implantado em 81,9% do volume de negócios 1.696.347€ investidos em atividades extratrabalhistas 91,2% 8,7% 0,1% Autoestradas Telecomunicações Sede central 41,9% 22,7% 19,3% 9,9% 6,1% 0,1% 0,01% Brasil Espanha França Chile Argentina Porto Rico EUA 65,1 % 34,9 % Homens Mulheres
  • 14. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 14 O ENTORNO AMBIENTAL O ENTORNO SOCIAL – A RELAÇÃO COM A COMUNIDADE PlanoestratégicodeRSCExemplosdeexperiências práticas 2013 A Abertis Telecom e as Smart-cities | Projeto iCity | Prêmio Socioambiental Chico Mendes 2013 | Plano de poupança e eficiência energética | Melhora no gerenciamento de resíduos e das águas residuais | A sede da Fundação Abertis, novo centro UNESCO para as Reservas da Biodiversidade Mediterrâneas | Implantação de um programa de recuperação de passivos ambientais | Formação e sensibilização ambiental Cátedras Abertis | Sensibilização em Segurança viária nas ruas | Segurança viária nas escolas | ‘V Dia do Voluntariado’ | Abertis com a cultura e o patrimônio | Abertis e seu compromisso com a comunidade 2012 Abertis Telecom e as Smart-cities | Balanço do segundo ano de ‘Paquet Vert’ | Plano de poupança e eficiência energética | Melhora dos acessos ao aeroporto | Promoção do Via-T e do carpooling |Melhora do gerenciamento das águas residuais | Reutilização de resíduos elétricos e eletrônicos | E-fatura | Plano de gerenciamento das águas superficiais de Luton | Auditoria de biodiversidade na Sanef | Alavancagem da biodiversidade nas autoestradas | O impacto acústico dos aeroportos | Travis, uma ferramenta de consulta dos níveis acústicos | Aristos continua a sensibilização ambiental na Abertis Cátedras Abertis | Criação do Observatório do comportamento na estrada | Plano de voluntariado corporativo | Promoção do turismo no entorno das autoestradas | Abertis, um membro da comunidade | Patrocínio da exposição sobre Dalí no centro Pompidou | Jornada de patrocínios
  • 15. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 15 O ENTORNO AMBIENTAL O ENTORNO SOCIAL – A RELAÇÃO COM A COMUNIDADE Principaisindicadores 81,21% do volume de negócios com um sistema de gerenciamento ambiental implantado 13,6 milhões de euros investidos em meio ambiente 37,5 toneladas de CO2e por milhão de euros de volume de negócios (alcances 1 e 2) 167 m3 de consumo de água por milhão de euros de volume de negócios 76 MWh de consumo elétrico por milhão de euros de volume de negócios 247 reuniões mantidas com um total de 63 associações da comunidade 6,5 milhões de euros investidos em ação social, 1,1% do lucro líquido consolidado 6.157 litros de consumo de combustíveis líquidos por milhão de euros de volume de negócios 298.698 toneladas. de resíduos gerados, 91% dos quais foram tratados 86% dos quilômetros foram objeto de estudo acústico 37% de transações realizadas com VIA-T Contribuição LBG por taxa Contribuição à comunidade por âmbito de atuação Indicadores relativos com base na atividade Autoestradas (IMD) Telecomunicações (Centros técnicos) Sede Central (PME) Emissões de CO2e por atividade (t) Alcance 1 e 2 5,47 0,80 8,38 Emissões de CO2e por atividade (t) Alcance 3 528,72 0,04 3,47 Consumo de água (m3 ) 34,67 0,16 46,91 Consumo de eletricidade (MWh) 7,46 2,60 27,98 Consumo de gás natural (MWh) 0,32 0,0 0,08 Consumo de combustíveis líquidos (litros) 1.268,49 16,05 81,26 80,7 % 0,6% 4,2% 14,5 % Dinheiro Tempo Em bens/serviços Custos de gerenciamento 4% 5% 21% 42% 28% Formação/pesquisa Preservação do Meio Ambiente Mobilidade e Segurança Viária Acessibilidade social-desenvolvimento socioeconômico Acessibilidade Cultural
  • 16. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 16 5.ABERTIS E A RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA LINHA ESTRATÉGICA 7: Fomentar e sistematizar canais de diálogo LINHA ESTRATÉGICA 8: Garantir o rastreamento e controle da implantação do plano estratégico de RSC A Abertis é membro do Pacto Mundial das Nações Unidas desde 2005 e acata seus princípios relacionados com a proteção dos direitos humanos e a luta contra a corrupção, além de adotar outras iniciativas externas que têm permitido aprofundar no gerenciamento dos diferentes aspectos da responsabilidade social da organização. O lançamento progressivo da estratégia de RSC tem sua origem na formalização do Plano Estratégico, junto à Política de RSC, no ano 2003, constituindo-se desde então como diretriz no desempenho dos âmbitos social e ambiental. Entre as ferramentas que compõem este corpo normativo se encontram também: o Código Ético e os Regulamentos derivados, adaptados à legislação e ao contexto local de cada um dos países; a Norma Corporativa de Homologação e Avaliação Contínua de Fornecedores, que estabelece os requisitos básicos que todas as empresas do Grupo devem implantar em seus respectivos procedimentos de homologação de fornecedores; e a Norma e o Procedimento de gerenciamento dos riscos de fraude e corrupção. No ano 2013, iniciou-se o processo de adoção dos princípios e matérias fundamentais da norma de responsabilidade social ISO26000, em um projeto de adaptação paulatina que se estenderá durante 2 anos, atualizando assim o plano de ação de RSC com as novas normas desenvolvidas e a composição atual. Também foi elaborado e publicado o Regulamento do Código Ético para o Brasil e continuou-se trabalhando no gerenciamento de riscos penais, coletando-se evidências dos controles existentes no Grupo e detectando novas ações a realizar. Neste sentido, implantou-se uma formação e-learning em matéria de prevenção de responsabilidade penal dirigida a empregados e diretores da Abertis Infraestruturas e telecomunicações, que se estenderá à Autoestradas Espanha em 2014, junto com a alavancagem da figura de cumprimento normativo e o trabalho contínuo relacionado aos mecanismos de controle do Grupo para alinhar-se com os novos requisitos legislativos ao nível nacional e internacional. Missão Ser um operador de referência no âmbito das infraestruturas Visão Dar resposta às necessidades de infraestrutura para os serviços de mobilidade e telecomunicações, harmonizando a satisfação dos clientes, acionistas e trabalhadores com o desenvolvimento da sociedade. Valores Credibilidade, Serviço ao cliente e eficiência, Proatividade, Responsabilidade, Diálogo e colaboração, Confiança nas pessoas. PLANO ESTRATÉGICO DE RSC
  • 17. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 17 Estrutura de gerenciamento e concepção da RSC O Comitê de RSC da Abertis coordena o acompanhamento das diversas linhas de atuação do Plano de RSC. Neste sentido, os sistemas de gerenciamento implantados permitem estabelecer objetivos e processos comuns que afetam os diversos aspectos relacionados com a responsabilidade social, facilitando um controle unificado e dando lugar às práticas de RSC implantadas. Ao longo de 2013, o Comitê de RSC realizou duas reuniões de acompanhamento do conjunto das diversas atuações levadas a cabo em matéria de RSC, a revisão das oportunidades de melhora derivadas da elaboração do relatório de responsabilidade social do ano 2012 e a discussão dos aspectos relacionados com o processo de transição ao Guia G4 da GRI e à Norma ISO 26000. Do mesmo modo, o Comitê de RSC fomenta a comunicação com os diversos grupos de interesse de cada unidade de negócio, através dos diversos canais e ferramentas estabelecidos. Ele é formado pelas pessoas responsáveis por RSC de cada unidade de negócio e, em dependência direta do órgão máximo de governo da organização, promove a responsabilidade social na Abertis. Conselho de Administração Presidente Conselheiro Delegado Direção Corporativa de Relações Institucionais Unidade de Responsabilidade Social Corporativa Comitê de Responsabilidade Social Coordenadores de Responsabilidade Social em cada unidade de negócio AutoestradasBrasil AutoestradasFrança AutoestradasEspanha AutoestradasChile AutoestradasArgentina AutoestradasPorto Rico Telecomunicações SedeCentral
  • 18. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 18 Principais canais de comunicação e diálogo com os grupos de interesse. O processo de envolvimento dos grupos de interesse na organização requer a consolidação de canais efetivos de diálogo. Na Abertis, os canais específicos para os diferentes grupos de interesse são: - Sessões informativas, reuniões (Investor Day). - Notas de imprensa. - Escritório do acionista. - Telefone de atenção ao acionista. - Correio eletrônico / postal. - Portal web. - A revista do acionista. - Junta Geral de acionistas. - Plano de comunicação interna. - Intranet 2.0. - Publicações internas. - Correspondentes. - Comitês de empresa e representação legal. - Canal Ético. - Atenção às demandas dos clientes através das direções de marketing e comerciais. - Escritórios de informação e telefone de atendimento ao cliente 24 horas. - Pontos específicos de atendimento ao cliente tanto interativos como presenciais em autoestradas. - Questionários específicos de qualidade. - Formulários de reclamações e sugestões. - Comunicação via rádio, imprensa escrita e internet, redes sociais, telefonia móvel. - Revistas, portais específicos, boletins on-line. - Service desk em Telecomunicações. - Pertencimento a diferentes associações e coletivos da comunidade. - Participação em organismos nacionais e internacionais que promovem a RSC. - Promoção da acessibilidade cultural no conjunto da comunidade. - Coordenação de um centro de atendimento ao cidadão em matéria de Telecomunicações. - Diálogo e colaboração ativos com organizações, associações, federações e grêmios. - Colaboração com ONGs. - Gerenciamento e desenvolvimento de patrocínios. - Fundação Abertis. - Redes sociais. - Comunicação para fomentar a extensão do Código Ético e as boas práticas aos fornecedores. - Sistema de homologação de fornecedores. - Desenvolvimento de convênios de colaboração com as administrações (federal, estatal e local). - Relação com prefeituras. - Diálogo e colaboração ativos para gerenciar o planejamento e o desenvolvimento de infraestruturas. - Publicações e comunicações aos meios de comunicação. - Atenção bidirecional permanente. - Redes sociais.
  • 19. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 19 A comunicação com a comunidade investidora A Direção de Relações com Investidores centraliza e coordena as atuações encaminhadas a fomentar a comunicação com a comunidade investidora, dando resposta às diversas expectativas propostas e proporcionando informação sobre a evolução da organização. Um dos compromissos contemplados no Plano Estratégico de Responsabilidade Social, além da manutenção de sua política de retribuição ao acionista, é garantir a transparência perante a comunidade investidora. A prestação de contas formaliza-se, entre outros, naqueles documentos que coletam toda a informação pormenorizada de taxas financeiras e governança corporativa, entre os quais se incluem a publicação do Relatório Anual, o Relatório de Governança Corporativa e as Contas Anuais, além da elaboração do presente relatório. Destacam-se como principais canais de comunicação habilitados para a manutenção de uma comunicação bidirecional, além da realização da Junta Geral de Acionistas, o telefone de atendimento ao acionista, a revista corporativa, as reuniões com os investidores e a seção de relações com investidores no site do Grupo. A Junta Geral de Acionistas, realizada em 20 de março de 2013, contou com a assistência de 5.891 acionistas com direito a voto, em posse de 69,5% do capital social. Os acionistas que dispõem de assinatura digital, puderam conferir a representação através do site da sociedade, além dos meios tradicionais. O Escritório do Acionista recebeu um total de 6.769 comunicações durante 2013, 54% das quais foram recebidas através de correio postal, 41% via telefone e 5% mediante e-mail. O Investor Day, celebrado no Rio de Janeiro nos dias 9 e 10 de setembro, reuniu toda a equipe executiva do Grupo com 150 investidores e analistas internacionais. Outras atividades realizadas em 2013 com investidores institucionais e analistas incluíram 353 reuniões com instituições de investimento (gestoras), visitas a 29 cidades, elaboração de 49 comunicados à comunidade investidora e 57 Fatos Relevantes enviados à Comissão Nacional do Mercado de Valores (CNMV).
  • 20. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 20 Relações institucionais: favorecendo os processos de criação de valor Os processos de criação de valor baseiam seus resultados na rentabilização dos recursos disponíveis. Os ativos intangíveis de uma organização são elementos imateriais aos quais uma empresa pode recorrer para, entre outros usos, favorecer meios de confiança e de diálogo e para criar relações de admiração e afeto entre a organização e seus grupos de interesse, melhorando deste modo os processos de geração de valor das atividades de negócio a partir do desenvolvimento sistemático, ao nível institucional, das habilidades relacionais. A reputação de uma empresa é gerada dia a dia, através das percepções que todas suas atividades geram em seus grupos de interesse e, especialmente, nas mentes das pessoas que os integram. Estas percepções, que procedem da experiência de interação com as diversas facetas de uma organização, são gerenciadas também através das relações públicas, das relações internacionais, das estratégias de gerenciamento dos assuntos públicos, da interação com os corpos consulares; e, claro, também através da ação social e o mecenato. Trata- se de uma estratégia de relação institucional global e local, que tem entre seus principais objetivos melhorar as percepções dos públicos de interesse e incrementar o capital emocional no balanço de ativos intangíveis da companhia. Para dar resposta às necessidades derivadas do processo de internacionalização da Abertis, a direção Corporativa de Relações Institucionais lança uma atividade global que tem como principal finalidade facilitar e promover, do ponto de vista relacional, os processos de negócio do Grupo, através do diálogo e das relações com os grupos de interesse nos vários países. Parte também importante deste processo é a ampliação das atividades da Fundação Abertis onde o Grupo tem atividade. Organizações externas e reconhecimento A Abertis faz parte de diferentes organizações internacionais relacionadas com a responsabilidade social, além de participar de alguns dos índices e iniciativas de benchmarking específicas nos âmbitos de ESG. Durante o ano 2013, o desempenho da organização obteve o reconhecimento por parte dos grupos de interesse:  Distinção Bronze Class para a Abertis no anuário de sustentabilidade publicado pela RobecoSAM.  No Brasil, recebeu o prêmio Chico Mendes que reconhece a qualidade do Programa de educação ambiental ‘Viva o Meio Ambiente’.  Foi concedido o prêmio ‘Étoile de l'Europe’ à Autoestradas França pelo Safetrip, como projeto de inovação que abre novas perspectivas à conectividade dos veículos para melhorar a segurança viária.  A Associação Navarra de Engenheiros de Telecomunicação outorgou o prêmio ‘ ITelNa à empresa do ano 2013’ a telecomunicações, por sua contribuição ao desenvolvimento das telecomunicações em Navarra.
  • 21. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 21 Experiências práticas O processo de adaptação à ISO 26000 e G4 Desde o nascimento da RSC na Abertis, o conceito e as ferramentas de gerenciamento têm evoluído e amadurecido, ocorrendo o mesmo com o gerenciamento da RSC na organização. O gerenciamento da responsabilidade social tem na prestação de contas um dos pilares-chave, que além de contribuir à transparência permite contribuir para as relações com os diferentes grupos de interesse da organização. Neste sentido, a elaboração do relatório de RSC é um dos elementos básicos desta prestação de contas e relação com os grupos de interesse. O padrão internacional de elaboração de relatórios de RSC mais utilizado é o desenvolvido pela organização Global Reporting Initiative, que inclui referências transversais e setoriais, com indicadores específicos vinculados a diferentes aspectos econômicos, sociais e ambientais. Além da GRI existem outros referenciais como, por exemplo, a iniciativa Carbon Disclosure Project ou os requisitos incluídos nos índices Dow Jones Sustainability Index. Os conteúdos do Relatório de RSC da Abertis adequaram-se progressivamente à evolução destes padrões. Neste sentido, o padrão de elaboração de relatórios da GRI tem evoluído, tendo sido publicado no ano 2013 a G4, uma nova versão que inclui mudanças significativas relacionados com a elaboração de relatórios. Principalmente, ela centra o processo de elaboração do relatório na análise de materialidade, a partir da qual é necessário identificar os aspectos materiais mais relevantes para a organização em termos de impacto sobre a sustentabilidade, independentemente da fase do ciclo de vida em que este se produza. Assim, é preciso informar em detalhe os aspectos materiais, buscando que os relatórios estejam mais focalizados às idiossincrasias da cada atividade e organização. Durante 2013, a Abertis esteve trabalhando na análise de materialidade, principalmente nos trabalhos internos, e continuará a fazê-lo durante 2014, implicando aos diferentes grupos de interesse, com o objetivo de adaptar o relatório de RSC ao novo padrão G4. Esta análise de materialidade inclui também os novos países nos quais a Abertis tem presença, de forma a permitir assentar as bases do processo de atualização do plano de ação de RSC, de acordo com os requisitos da ISO 26000. A ISO 26000 foi publicada no ano de 2011 pela organização internacional ISO e estabelece um guia para o gerenciamento da responsabilidade social nas organizações. Não é uma norma com certificado, portanto identifica as matérias fundamentais da responsabilidade social e estabelece um roteiro que, junto com os grupos de interesse, as organizações devem usar para integrar a responsabilidade social em suas atividades. Constitui o padrão internacional em matéria de responsabilidade social, e tem sido considerado tanto na análise de materialidade como nos trabalhos para a atualização do plano de ação de RSC, junto com os padrões aos quais a Abertis está aderida, incluindo o Pacto Mundial das Nações Unidas. Índices de investimento socialmente responsável e outras ferramentas A análise de aspectos econômicos, sociais e ambientais na valoração de investimentos tem gerado diferentes ferramentas que permitem traduzir os aspectos de gerenciamento do desempenho ESG à linguagem necessária para serem incorporados na tomada de decisões. Algumas destas ferramentas incluem os índices de investimento específicos neste âmbito como os índices Dow Jones Sustainability Index (categorias World e Europe), ou os índices STOXX Europe Sustainability e EURO STOXX Sustainability, nos quais Abertis foi incluída em 2013. Por outro lado, encontra-se a iniciativa Carbon Disclosure Project (CDP), específica para o aspecto das mudanças climáticas e dirigida à comunidade investidora. A Abertis participa anualmente no exercício de avaliação e benchmarking de desempenho em matéria de gerenciamento de pegada de carbono mediante a elaboração de um relatório específico disponível para todos os grupos de interesse no site da CDP. A partir desta informação, a CDP publica um benchmarking mediante dois índices específicos, o CDPLI e o CDPPI.
  • 22. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 22 6.A ATIVIDADE DA ABERTIS, UM SERVIÇO PARA OS CLIENTES E A SOCIEDADE LINHA ESTRATÉGICA 4: Manter uma estreita relação com o cliente e garantir sua satisfação LINHA ESTRATÉGICA 7: Fomentar e sistematizar canais de diálogo Política Principais Aspectos Experiências práticas 2013 Manter uma estreita relação com o cliente e garantir sua satisfação. Gerenciamento da qualidade e melhora do serviço  Evolução e melhora dos serviços nas autoestradas  Desenvolvimento da inovação A segurança viária nas autoestradas  Medidas que melhoram a segurança viária Resumo de indicadores 94,4% do volume de negócios com um sistema de gerenciamento de qualidade implantado segundo a ISO 9001 83 campanhas de segurança viária implementadas 99,16% do total de consultas, queixas e sugestões respondidas
  • 23. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 23 6.1. Gerenciamento da qualidade e melhora do serviço Política A Abertis implementa melhoras de forma contínua, voltadas para manter as infraestruturas em ótimas condições e oferecer um serviço de qualidade, focado na satisfação do cliente. Desempenho A Abertis dispõe de sistemas de gerenciamento da qualidade com base na norma ISO 9001 e o modelo de excelência EFQM, com um enfoque baseado na melhora contínua dos processos. A metodologia estabelecida permite tanto gerenciar a operativa diária vinculada à satisfação dos clientes, como levar a cabo uma avaliação anual mediante os índices de satisfação e o estabelecimento de medidas de melhora. Nível de certificação ISO 9001 Atividade País Alcance 2011 2012 2013 Autoestradas França5 Autoestradas França    Espanha Autoestradas Espanha    Argentina Autopistas del Oeste    Telecomunicações Espanha Abertis Telecom    Sede Central Espanha Serviabertis    Parte das concessões do Brasil e do Chile encontram-se em processos de sistematização do gerenciamento da qualidade. Grande parte das autoestradas no Brasil dispõe de um sistema de gerenciamento implantado segundo a norma ISO 9001, e em alguns casos incluindo considerações da ISO 9004. No Chile, estabeleceram-se objetivos de implantação a médio prazo. Sistema de gerenciamento da qualidade 2011 2012 2013 % volume de negócios (sobre o total do alcance do relatório) Implantado 97,06% 95,88% 92,41% Em processo 2,08% 3,22% 2,02% Total 99,1% 99,1% 94,4% Assim 94,4% do volume de negócios incluído no alcance do relatório, dispõe de um sistema de gerenciamento da qualidade implantado, cuja variação se deve, principalmente, à recente inclusão das novas concessões. 5 A parte certificada da Autoestradas França não inclui todas as atividades do Grupo. OBJETIVO: Garantir a qualidade do serviço ao cliente Plano estratégico de qualidade da Abertis Indicadores de gerenciamen to Avaliação ISO 9001 EFQM
  • 24. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 24 As autoestradas da Espanha têm avançado com melhoras contínuas e, depois de atingir a certificação do sistema integrado pelo segundo ano consecutivo, foi implantado em 2013 um sistema de gerenciamento da inovação. Neste sentido, estabeleceu-se uma sistemática comum que permite melhorar as informações a respeito de todos os projetos com caráter inovador recebidos tanto interna como externamente, e gerenciá-los de maneira eficaz, favorecendo seu desenvolvimento de forma contínua na organização. Por outro lado, Telecomunicações renovou a concessão outorgada pelo Clube de Excelência em Gerenciamento a seu sistema de gerenciamento da qualidade EFQM com o selo 500+. E também dispõe das seguintes certificações: ISO 16600 de gerenciamento de PD&I; ISO 27001 de segurança da informação; ENAC 17025 de realização de testes de receptores de televisão digital terrestre e medições de qualidade de sinais de vídeo. O acompanhamento do cumprimento normativo em relação aos aspectos vinculados ao fornecimento e uso de produtos e serviços é um dos elementos dos sistemas de gerenciamento da qualidade que buscam assegurar o cumprimento da legislação nesta matéria. Neste sentido, não foram recebidas sanções em 2013. Em relação à sanção em 2012 em telecomunicações recebida por parte da Comissão Nacional da Concorrência, que se encontra em fase de recurso, não se produziu nenhum fato significativo que modifique sua situação em 2013. Durante 2013, a Abertis realizou atuações voltadas para melhorar os serviços prestados, bem como para o desenvolvimento de novos serviços, a melhora da segurança viária e o estabelecimento de novos canais de comunicação, entre outras, dando assim cumprimento aos objetivos estabelecidos. Serviços ao cliente A melhora do serviço oferecido aos usuários e o lançamento de novos produtos para os clientes são eixos fundamentais na política de melhora contínua da Abertis. Das várias atuações implantadas durante 2013, vinculadas ao ciclo de melhora contínua, cabe destacar aquelas que, englobadas na estratégia de orientação ao cliente, têm relação com a melhora dos canais de comunicação. Algumas atuações neste sentido desenvolvidas nas autoestradas centraram-se nos canais comunicação digital, com a criação de novos sites ou a melhora dos existentes através de pesquisas entre os usuários para melhorar a experiência de navegação e dar resposta às suas necessidades específicas. Os sistemas de informação dirigidos ao coletivo profissional também têm sido objeto de melhoras. Quanto à melhora do atendimento ao cliente em Telecomunicações, trabalhou-se na implantação de uma nova ferramenta de gerenciamento de incidências, como uma atuação voltada a consolidar a melhora contínua na operação do serviço. Os serviços prestados pela Abertis incluem:  Serviços de assistência contínua - Serviço telefônico de atendimento ao cliente 24 horas - Canal de atendimento a empresas personalizado.  Serviços de assistência presencial - Assistência médica pré-hospitalar ou atendimento mecânico em caso de acidente. - Serviço de guincho para o reboque do veículo. - Serviços de assistência e reparação de avarias in situ para veículos industriais, nos ‘Truck Parks’. - Inspeção de tráfego.  Serviços de planejamento de viagens - Promoção dos destinos turísticos das zonas próximas à rede mediante parcerias, bem como monografias de conteúdo cultural e ambiental. - Serviço de carpooling (carro compartilhado) no site. - Animação dirigida a grupos de clientes específicos, em certas áreas de descanso (área de jogos infantis, ações temáticas…)
  • 25. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 25  Serviços de informação adaptada - Envio de SMS aos clientes que o solicitem previamente, informando do estado de certas infraestruturas. - Disponibilidade de informações através de aplicativo para celulares que permite a difusão da informação sobre o tráfico através destes dispositivos, além de outras utilidades. - Envio de e-mails a clientes com informações relacionadas a campanhas de segurança, obras, turismo e estudos realizados. - Painéis com informação variável sobre o tempo de percurso e a rota, as possíveis perturbações e o estado da circulação. - Portais e publicações especializadas: Portal autopistas.com, revista Link autopistas e revista Link Truckers. - Totens interativos em áreas de serviço com informações de interesse.  Serviços relacionados com o pagamento do serviço - Plataforma eletrônica para acessar as faturas, cópias das mesmas e envio de justificantes de passagem por pedágio via e-mail a clientes de Via-T. - Descontos por frequência, percurso e tipologia de usuário (particular ou profissional) pelo uso de telepedágio (Via-T). - Colocação gratuita do telepedágio, troca por quebra de para- brisas ou reposição por venda de veículo. Políticas e procedimentos em matéria de emergências A continuidade na prestação do serviço da Abertis é um elemento fundamental, especialmente por seu caráter de utilidade pública. Por esta razão, o desenvolvimento de procedimentos de gerenciamento em matéria de emergências pretende assegurar uma reação em casos de emergência que minimize o impacto das interrupções do serviço aos diferentes grupos de interesse. Nos diversos países onde a Abertis administra a rede de autoestradas, são tomadas as medidas necessárias para garantir a segurança viária e minimizar os efeitos sobre a fluidez do tráfego no caso de contingencias nas autoestradas:  Brasil: Incluem atuações específicas para situações extraordinárias que impliquem a interrupção parcial do serviço nos manuais de operação dos pedágios, onde são estabelecidos os procedimentos a seguir em caso de emergências para produzir uma menor afetação do serviço.  França: Foi implantado um plano de melhora dos procedimentos de gerenciamento de crise que contempla diversas linhas de atuação, entre as quais se encontram o gerenciamento dos caminhões avariados, o gerenciamento operacional da crise, a operativa em campo, os mecanismos de captação de informação, a difusão da informação, o gerenciamento da relação com o cliente e o auxílio às pessoas. Este Plano encontra-se em fase de teste durante o período 2013-2014.  Espanha: Dispõe de um Plano de Continuidade de Negócio atualizado em 2013 no âmbito dos processos críticos: disponibilidade das vias, gerenciamento da cobrança e faturamento. Também existem planos para o gerenciamento das emergências, planos de autoproteção e manuais de exploração e são realizados simulados.  Chile: Existe um Regulamento de Serviço que descreve níveis de criticidade em caso de emergência e indica os procedimentos a realizar.  Argentina: O procedimento que garante a operabilidade da concessionária em situações críticas prevê a criação de um comitê de crise para a coordenação das ações de controle, contenção, restauração e mitigação de danos, previsto em situações de emergência, que por sua natureza gerem um risco e tornem necessária a dotação de recursos extraordinários com o objetivo de minimizar os seus efeitos.  Porto Rico: Existe um manual de emergência que reúne os procedimentos a seguir em caso de desastres naturais.
  • 26. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 26 No caso de Telecomunicações, existe um Plano de Continuidade do Negócio que garante um nível adequado do serviço e as atuações a seguir em caso de emergências de segurança nas instalações. De forma complementar, estabeleceu- se um Plano Geral de Emergência e um Procedimento de atuação em caso de incidentes ou emergências sanitárias. A Sede Central em Barcelona dispõe de procedimentos de atuação definidos para o gerenciamento de emergências, enquadrados no plano do parque logístico em que está localizado, junto com os procedimentos vinculados ao sistema de gerenciamento ambiental implantado. Confidencialidade e segurança do cliente O contexto de gerenciamento da confidencialidade e a segurança do cliente difere em função do país, sendo objeto de regulação em numerosos países. Assim, a Abertis cumpre a legislação estabelecida e realiza as ações necessárias para garantir a confidencialidade e segurança do cliente. No caso do Brasil, a legislação relativa à proteção se encontra em suas primeiras fases de desenvolvimento, com um rascunho de Lei de Proteção de Dados pendente de aprovação. No França, tanto o Código Civil como a Lei de Proteção de Dados de 6 de janeiro de 1978 e a doutrina da Commission Nationale de l'Informatique et dê Libertés (CNIL) protegem as informações do cliente ou do empregado que uma empresa administra. Na Espanha, a Lei Orgânica de Proteção de Dados (LOPD), estabelece as obrigações que os responsáveis por arquivos ou encarregados de tratamentos de dados têm de cumprir para garantir o direito à proteção dos dados de caráter pessoal. Além do cumprimento legal, Telecomunicações obteve a certificação da norma ISO 27001 após um processo de implantação iniciado em 2008, o que proporciona uma estrutura de gerenciamento da segurança da informação específica. Chile regula o tratamento dos dados de caráter pessoal em registros ou bancos de dados com a Lei 19.628, aplicável tanto a organismos públicos quanto a particulares, o que proporciona uma estrutura específica de gerenciamento da segurança da informação. Da mesma forma, na Argentina, as previsões contempladas na Lei 25.326 oferecem proteção integral dos dados contidos em arquivos, registros, bancos de dados ou outros meios técnicos de tratamento de dados. Principais canais de comunicação e diálogo com o cliente Durante o ano 2013, o investimento em atuações vinculadas à comunicação com o cliente totalizou 2,7 milhões de euros. Os principais canais através dos quais a organização estabelece a comunicação e o diálogo com o cliente são os seguintes:  Canais de comunicação presencial: pontos presenciais de atenção ao usuário, pontos de informação interativos, locais de atendimento remoto; formulários de reclamação e sugestões, e caixa de sugestões em áreas de serviço.  Canais de comunicação remota: telefones de informação, e-mail para clientes; gestor de conta por clientes (Service desk em Telecomunicações); redes sociais e serviços de comunicação através da telefonia móvel e tecnologia bluetooth; canal de twitter ‘Truck Tweet’ para profissionais do transporte e ‘Sanef_autoroute’ ou ‘sapn_autoroute’; e serviços de informação por rádio e painéis com mensagens variáveis em autoestradas.  Canais de informação: site nos quais são incluídas informações on-line, além de questionários e formulários para a adesão a descontos; revistas, folhetos informativos e boletins on-line; mensagens através de diferentes meios de comunicação escrita. Através dos distintos canais, em 2013 foram recebidas um total de 1.220.138 comunicações, das quais foram atendidas 99,1%. As comunicações recebidas aumentaram 53% em relação ao ano anterior, devido à ampliação do alcance do relatório. Por conseguinte, o maior volume de comunicações recebidas por parte dos clientes deu-se no Brasil, seguido pelas concessionárias da França. As comunicações foram em sua maioria consultas (95,8%), seguidas de 4,1% de queixas e menos de 0,1% de sugestões. A distribuição geral difere no Chile, onde o número de consultas foi menor ao de queixas.
  • 27. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 27 Número de comunicações recebidas por países Os temas mais frequentes nas consultas recebidas foram a solicitação de informações sobre tarifas e reembolsos ou sobre os serviços oferecidos, e no caso das queixas e sugestões, estas se referiam a obras de conservação e manutenção na infraestrutura, ao aparecimento de obstáculos na via e à formação de retenções nos pedágios. Consultas, queixas e sugestões 2013 Recebidas Atendidas Consultas 1.169.064 99,1% Queixas 50.615 99,6% Sugestões 459 100% Índice de satisfação do cliente Com o objetivo de avaliar a satisfação dos clientes e melhorar de forma contínua a qualidade dos serviços prestados, foram realizadas ações específicas em cada país. Índice de satisfação do cliente escala de 0 a 10 2011 2012 2013 Autoestradas França 7,6 7,8 7,8 Autoestradas Espanha 7,1 7,1 6,8 Telecomunicações 8,1 8,7 No Brasil, foram feitas pesquisas presenciais com os usuários para determinar o grau de satisfação com respeito à infraestrutura. Os resultados obtidos situam o estado do pavimento e a sinalização como os elementos melhor pontuados. Está prevista a implantação de uma ferramenta de avaliação e satisfação on-line. As concessionárias da França continuaram com a pesquisa de satisfação anual que permite coletar as opiniões dos usuários a respeito dos serviços prestados, fazer um rastreamento de sua evolução e contribuir para a avaliação da política de cliente levada a cabo. Na Espanha, a pesquisa de satisfação teve duas fases, uma qualitativa e outra quantitativa. A primeira, relacionada com a obtenção de informações de maior profundidade e o teste do questionário. A segunda, realizada através de uma pesquisa orientada a 3.000 clientes, que incluiu os seguintes grandes âmbitos: preparação do trajeto, realização do trajeto, características da própria via, as áreas de serviço e o contato com a Abertis. O Chile está em processo de definição de um mecanismo para avaliar a satisfação do cliente, enquadrado no processo conjunto de sistematização da qualidade, e na Argentina, foi realizada uma pesquisa na qual foram analisadas as diferentes variáveis do serviço e as instalações. Também, na pesquisa de satisfação que Telecomunicações realiza bianualmente, foram realizadas entrevistas presenciais e pesquisas on-line com os clientes segundo o nível de relação com a empresa, resultando que 87% dos interrogados estão satisfeitos ou muito satisfeitos com o serviço prestado. Brasil 41,9% França 36,6% Espanha 12,9% Argentina 8,4% Chile 0,2% Porto Rico 0,001%
  • 28. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 28 Ciclo de melhora contínua Para o ano 2014 foram estabelecidos diversos objetivos nos países onde a Abertis desenvolve sua atividade, entre os quais cabe destacar os seguintes: Autoestradas:  Brasil: A informatização gradual do sistema de qualidade, um passo a mais para sua sistematização, o que redundará em uma maior eficiência no gerenciamento e facilitará o caminho para a certificação. Incrementar a satisfação do cliente é outro dos objetivos, e para atingi-lo foram definidas diversas atuações dirigidas à melhora dos tempos de resposta às queixas, sugestões e solicitações dos usuários, bem como dos prazos para efetivar reembolsos; a diminuição nos tempos médios de espera e cobrança nos pedágios, como também na chegada do serviço de guincho ou ambulância; ou com o compromisso de realizar as atuações de manutenção e conservação dentro das 24 horas a partir da detecção da necessidade de intervenção. Tudo isso pretende incrementar a segurança e o conforto, oferecer um serviço rápido e eficiente e facilitar a acessibilidade à informação relacionada com o tráfico.  França: A implantação do aplicativo Satisf’aire no conjunto da rede francesa permite obter relatórios mensais sobre os níveis de qualidade nas áreas de serviço e de descanso. Visando à liderança em matéria de qualidade de serviço, está sendo desenvolvida, desde abril, uma ferramenta que permite explorar os dados coletados de forma eficaz e gerenciar as anomalias detectadas nas diferentes áreas, para poder aplicar as medidas corretoras necessárias.  Espanha: Desenvolver a integração do Customer Relationship Management, implantado em 2013, com a área registrada de clientes do Portal. Em relação à ferramenta do sistema de qualidade para gerenciar as não conformidades, se está trabalhando para habilitar seu acesso a partir das diferentes redes para, deste modo, gerenciar de forma mais eficaz os pontos onde são produzidas não conformidades. Outro ponto de melhora está relacionado com o gerenciamento de incidentes ambientais produzidos na pista, com a finalidade de reduzir o impacto que estes possam provocar no serviço. Também se está trabalhando em um plano de ação para melhorar o gerenciamento do armazém interno.  Chile: Foram estabelecidos objetivos em relação à qualidade do serviço que abarcam o cumprimento do plano anual de conservação, a melhora dos tempos de resposta em assistências ou emergências na rota, a melhora da qualidade do atendimento ao cliente por parte do pessoal, a avaliação da satisfação do cliente em relação aos serviços prestados e o estabelecimento de critérios de eficiência em todos os processos. Para a consecução destes objetivos, adquirem relevância as ações destinadas a fortalecer a plataforma tecnológica do Sistema de Gerenciamento de Qualidade (SGC), cuja implementação definitiva está prevista para princípios de 2015.  Argentina: Seguindo com a evolução experimentada em anos anteriores, está previsto incrementar o uso do telepedágio no trânsito total. Telecomunicações:  Dentro das ações identificadas no Plano de Melhora 2013, foram incluídas as de anos anteriores que seguem em curso, como a continuação do projeto SIRA (Inventário de rede e serviços) e o projeto CARMINA, cujos objetivos de melhora neste ano se centraram nas avaliações de processo e iniciativas funcionais. O Projeto FAMA, iniciado em 2012, sobre a adaptação de parâmetros de controle operacional e requisitos legais, foi concluído em 2013, com melhoras nas avaliações de aspectos no âmbito ambiental. Outros aspectos priorizados no Plano de melhora em 2013 afetaram o modelo EFQM, o Plano de contratação ou o processo de faturamento. Ao longo do 2013 foi executada a implantação da nova ferramenta de gerenciamento de incidências para melhorar o modelo ITIL no gerenciamento de incidências da empresa. Em 2013 foi lançado o sistema, com um piloto para um segmento reduzido de serviços e para 2014 está prevista a implantação do sistema e a nova operação associada para este processo. Como balanço, o Plano de melhora 2013 representou a conclusão de 50% das ações programadas – o resto continua em curso em 2014.
  • 29. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 29 Experiências práticas Evolução e melhora de serviços em autoestradas A Abertis disponibiliza todos os recursos necessários para oferecer o melhor serviço e para que os deslocamentos por autoestrada sejam cômodos, seguros e confortáveis. Durante o ano 2013 foram realizadas diversas atuações neste sentido:  A implantação das últimas tecnologias nos pedágios onde a Abertis opera permite oferecer aos usuários um melhor atendimento e que sua passagem pela autoestrada seja a mais cômoda e fluída possível. Assim, existem diferentes métodos de pagamento à disposição do cliente: vias de telepedágio ou por satélite, cartões de crédito e de débito, cartões sem contato, ou o pagamento em dinheiro, tanto em vias manuais como aquelas onde não há presença de pessoal. A implantação de sistemas mais avançados como o free-flow, o sistema sem barreiras que permite maior fluidez nos pedágios, convive com sistemas que perseguem a fraude ou a resolução de incidências, e tudo isso redunda na melhora da experiência do usuário. No Brasil, 22 milhões de veículos matriculados já dispõem de dispositivos de pedágio eletrônico ativos e o objetivo é atingir 80% dos pagamentos realizados através destes dispositivos. Isso permitirá a implantação do sistema free-flow em vias rápidas e urbanas.  A França colocou em serviço um novo espaço de promoção do carpooling, em ‘Paris-Oise’, que se soma aos quatro já existentes. Este projeto, que se inscreve na estratégia europeia em favor de um uso eficiente das infraestruturas, contribui ainda à redução das emissões derivadas dos deslocamentos e à melhora dos serviços oferecidos aos usuários das autoestradas. Foram realizadas quatro intervenções principais: a criação de um estacionamento para carpooling de 103 vagas, um estacionamento de 124 vagas para veículos pesados, a preparação de infraestruturas para facilitar a comodidade e a renovação da estação de pedágio n° 9 de Pont-Sainte-Maxence, na autoestrada A1, com a instalação do serviço de telepedágio, o que permitiu melhorar a fluidez, o conforto e a qualidade do serviço.  A Espanha lançou um novo serviço de assistência dirigido ao cliente profissional nos Truck Parks, as áreas exclusivas para transportadoras que a companhia põe à disposição na autoestrada AP-7. O novo ‘Truck Service’ oferece serviços de assistência e reparo in situ de avarias, bem como tarefas de manutenção de veículos industriais. Deste modo, o transportador pode resolver as avarias relacionadas com seu veículo sem sair da autoestrada e prosseguir sua viagem. Todo isso redunda em um reforço da segurança viária, ao mesmo tempo em que garante a segurança dos profissionais e das cargas que transportam.  Potencializar os atuais canais de comunicação e a abertura de novos canais digitais são medidas que pretendem facilitar o acesso aos serviços e a comunicação do cliente com a empresa. Nesta linha, na Espanha a Abertis vem utilizando os principais sites de viagens, bem como um aplicativo móvel de mensagens instantâneas retribuídas e outros meios especializados em viagens e lazer, para lançar sua campanha de promoção da autoestrada como a opção mais segura para viajar. Estes novos canais têm permitido também a difusão das novidades em produtos e serviços a novos segmentos de clientes potenciais.  O Chile desenvolveu um novo site para Rutas del Pacífico, muito funcional e disponível em versão clássica e móvel, que integra uma série de ferramentas que permitem aos usuários obter toda a informação relevante para planificar a viagem, consultar os lugares turísticos que a Rota 68 conecta e saber como chegar a eles, além de conhecer o estado de tráfego e receber notícias on-line de obras, acidentes ou tráfego, entre outras.
  • 30. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 30 Desenvolvimento da inovação O impulso da inovação na Abertis é chave para a melhora dos serviços e para oferecer novos produtos a nossos clientes.  As autoestradas no Brasil apresentaram, no 8º Congresso Brasileiro de Rodovias & Concessões (CBR&C), três estudos realizados por engenheiros da organização sobre técnicas inovadoras de pavimentação e drenagem que permitem evitar defeitos nas condições estruturais, funcionais e de segurança do pavimento. Tais estudos propõem sistemas de dosagem dos diferentes componentes que formam o asfalto, o que permitem evitar ondulações e gretas e garantir assim as melhores condições de circulação e incrementar a segurança viária. Um dos estudos apresentados recebeu o reconhecimento por parte do Salão de Inovações.  Também a Sanef foi distinguida com o prêmio ‘Étolile de l’Europe’, que reconhece os doze melhores projetos europeus de investigação, pelo projeto SafeTRIP, que dota o veículo de uma dupla conectividade: por satélite e 3G, o que proporciona serviços adicionais aos motoristas e aos gestores das infraestruturas. Estes aplicativos permitem realizar viagens mais seguras e fornecer às empresas gestoras mais informações em tempo real sobre o que está ocorrendo na autoestrada.  O departamento de Gerenciamento e Inovação da Abertis na Espanha realizou a implantação de um sistema de gerenciamento da inovação, cujo objetivo é a sistematização dos projetos de inovação. Para sua implantação, foi definida uma política de inovação e, sobre esta base, foram desenvolvidas as sistemáticas a seguir, como no caso da exploração de resultados (comercialização de tecnologia, proteção de resultados) ou a criação de um comitê de inovação operativo para o rastreamento de projetos e novas ideias. Todas as direções da companhia participaram desta ação, cujo resultado deve permitir melhorar a informação que se recebe na direção de Inovação e promover, assim, possíveis ajudas econômicas junto com a participação em projetos europeus.  Telecomunicações acolheu em sua sede de Três Cantos (Madri) as I Jornadas de Interoperabilidade de TDT Híbrida, onde radiodifusores e fabricantes de televisores têm trabalhado de maneira conjunta nos últimos testes para assegurar o perfeito funcionamento dos aplicativos de TV conectados nos receptores de televisão. O serviço de TDT Híbrida, o certificado de TV conectada baseado no padrão HbbTV (Hybrid Broadcast Broadband TV), permite aos espectadores desfrutar dos conteúdos interativos oferecidos pelas cadeias de televisão através da Internet, sem deixar de sintonizar o canal de TDT. Isso abre as portas para uma ampla faixa de serviços que vão desde a televisão à la carte, participação em pesquisas ou concursos e informações adicionais independentes ou totalmente vinculadas à emissão. Da mesma forma, durante a oitava edição do World Mobile Congress, Telecomunicações realizou demonstrações do padrão de TDT de segunda geração (DVB-T2), com emissões simultâneas adequadas à Ultra Alta Definição (UHDTV) e dispositivos em mobilidade. Foi realizada com exclusividade mundial a primeira emissão de Televisão Digital Terrestre em Ultra Alta Definição (UHDTV). Cabe destacar que a Abertis Telecom participa no projeto SIRENA: Sistemas e tecnologias 3D Media sobre Internet do Futuro e Redes de difusão de nova geração e, no âmbito colaborativo em nível internacional, do projeto iCity (2012–2015) e do projeto COMPOSE (2012–2015). Ambos os projetos de âmbito europeu têm como objetivo principal a criação de uma estrutura colaborativa de desenvolvimento de aplicativos e serviços de interesse no âmbito das smart cities. Outro projeto europeu inovador tem como objetivo o desenvolvimento de uma solução que permita a transmissão de conteúdos de TV com possibilidade de escolher o ponto de vista de visualização e/ou 3D. Trata-se do projeto Fine (2010-2013), do qual a Abertis participa como operador de rede no desenvolvimento da NGN (New Generation Network) e coordena o pacote de trabalho de provas experimentais.
  • 31. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 31 6.2. Segurança viária na autoestrada Política A segurança dos usuários das autoestradas constitui um dos compromissos do serviço prestado pela Abertis, que se materializa através da manutenção da infraestrutura nas condições adequadas e o fomento de uma condução segura. Desempenho Durante o ano 2013, foram realizadas ações dirigidas a reforçar a segurança dos usuários da rede da Abertis autopistas, estabelecendo uma política de segurança viária baseada em duas linhas principais de atuação: por um lado, a melhora das instalações, com o aplicativo de novas tecnologias, junto com a revisão dos protocolos de emergência, e por outro lado, a realização de campanhas de sensibilização a respeito dos riscos da condução. Melhora dos protocolos de emergência e das instalações Mediante a realização de simulados de emergência avaliam-se os procedimentos e a coordenação entre os diferentes agentes que intervêm em caso de acidente. Várias administrações implicadas colaboram nos simulados, o que envolve um conhecimento in situ do trabalho dos diversos efetivos de emergência, revertendo em uma melhora do serviço e da segurança viária da autoestrada. No Brasil, a diminuição dos índices de sinistralidade é um objetivo no qual a Abertis tem trabalhado, com a realização de várias ações educativas dirigidas aos organismos do âmbito da atenção pré-hospitalar vinculada ao tráfego e com a criação do Grupo GERAR, Grupo Estratégico para a Redução de Acidentes, desde o qual se impulsionarão ideias, estudos e ações para atingir esse objetivo. Por sua vez, na Espanha foram realizados simulados de emergência em túneis da rede, dos quais participaram as equipes de emergência definidas no Plano de Autoproteção da Abertis, para dar uma resposta coordenada às situações de catástrofe. Também foram realizados vários simulados de viabilidade invernal, que permitiram comprovar os tempos de resposta na ativação do protocolo, operação e comunicação com o Centro de Operações, detectar falhas no funcionamento de máquinas e equipes e, finalmente, melhorar a formação do pessoal. Com a melhora das infraestruturas, a Abertis garante a qualidade do serviço, ao mesmo tempo em que promove a segurança viária. Neste sentido, ao longo do ano foram instalados sistemas de contenção em viadutos, barreiras de segurança metálicas, passagens no canteiro central e renovados ou implementados sistemas de segurança em túneis, com a instalação de câmeras antirreflexo e megafonia no interior, junto com os acessos e a atualização do sistema de Detecção Automática de Incidentes. Campanhas de sensibilização A Abertis tem promovido campanhas para sensibilizar os usuários a respeito das condutas de risco ao volante, que podem comprometer a própria segurança e a do resto de motoristas. Neste sentido, em 2013 foram realizadas um total de 83 campanhas para reduzir a sinistralidade nas vias de comunicação e promover a segurança viária na comunidade local. As autoestradas do Brasil lançaram uma campanha de segurança viária de nível nacional, na qual se distribuíram folhetos aos motoristas, pedestres e usuários das autoestradas das nove concessionárias, com informação sobre as precauções para evitar os acidentes de tráfego. Na França, em 2013, destaca-se o impulso do segundo estudo sobre o comportamento em condução e a publicação dos resultados em diversos meios, junto com o desenvolvimento de diversas campanhas de sensibilização para melhorar tais comportamentos na condução e fomentar a segurança na estrada. Na Espanha, a Abertis lançou uma campanha de segurança viária por e-mail com envios mensais a clientes particulares e profissionais. Estas campanhas são determinadas pelas estações, tendo em conta as condições meteorológicas adversas. A Fundação Abertis, com a vontade de levar a cabo campanhas de segurança viária em todos os territórios nos quais o Grupo está presente, desenvolveu em 2013 ações de conscientização a respeito dos perigos de uma condução imprudente no Brasil e no Chile.
  • 32. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 32 Experiências práticas Medidas de melhora da segurança viária Ao longo de 2013, a Abertis promoveu diversas atuações dirigidas à conscientização dos usuários e à melhora dos protocolos em caso de emergência:  O Brasil promoveu o segundo Dia de atenção pré-hospitalar e de Medicina do Tráfego, dirigida aos organismos que trabalham neste âmbito, com ações educativas e um simulado de acidente relacionado com materiais perigosos e vítimas múltiplas, e foi lançada uma campanha nacional de segurança, nas 9 concessionárias que gerencia, que consistiu na distribuição de folhetos com conselhos dirigidos aos motoristas, pedestres e usuários das autoestradas para evitar os acidentes de tráfego. Foram, além disso, desenvolvidas ações periódicas dentro do programa ‘Viva Saúde’, dirigidas ao coletivo de caminhoneiros, com orientações sobre as condições de saúde e a qualidade de vida. Também no Brasil, foi criado o Grupo Estratégico para a Redução de Acidentes (GERAR), que abordará a prevenção de acidentes a partir de diferentes perspectivas, realizando ações preventivas dirigidas aos trabalhadores, usuários e pedestres, junto com auditorias de segurança nas obras, o apoio aos programas e ações de sensibilização do Governo, a promoção de acordos com centros de formação e reciclagem dos motoristas e de atuações junto à rede hospitalar de referência para melhorar a atenção às vítimas de acidentes em estrada, a oferta de cursos sobre segurança viária para as empresas e associações, a criação de prêmios para a redução de acidentes e a intensificação da vigilância. O objetivo final é reduzir a sinistralidade em 50% até 2020.  As autoestradas da França desenvolveram diversas campanhas de sensibilização para melhorar certos comportamentos na condução e fomentar a segurança na estrada em 2013. Em concreto, uma delas enfatiza os perigos da sonolência ao volante e a importância de realizar pausas desde os primeiros sintomas de fadiga. Outra campanha de Autoestradas França, nesta ocasião com o objetivo de melhorar a segurança do pessoal que trabalha na autoestrada, se dirigiu a sensibilizar os clientes sobre a importância de uma condução prudente, especialmente nas zonas de obras e de pedágios, para diminuir o número de acidentes nos que estão envolvidos trabalhadores. Pelo segundo ano consecutivo, a Sanef, em colaboração com CETE Normandie Centre (organismo público francês de estudos especializado em comportamento ao volante), realizou um estudo a partir da análise de diversos parâmetros tais como a distância entre veículos, a ocupação das vias, a velocidade, o uso dos pisca- piscas e as reações em zona de obras, entre outros, o que tem permitido avaliar os comportamentos dos usuários das autoestradas de um ano para outro. O Observatório do comportamento em estrada, criado no ano de 2012, realizou estudos que revelam a importância e a frequência de certos comportamentos de risco, cujos resultados têm servido como ferramenta de sensibilização em diferentes meios, bem como de base para desenhar futuras campanhas de segurança viária.  Na Espanha, foram realizadas diferentes atuações dirigidas a fomentar a cultura da segurança viária entre todos os trabalhadores. Estas ações consistiram em cursos de formação e notas na intranet, incluindo conselhos para uma condução segura e eficiente que permita melhorar o modo de encarar a condução. Na organização destes cursos e conselhos, contou-se com a Aristos. Por outro lado, elaboraram-se dois vídeos de segurança viária para apresentar aos profissionais do transporte, conselhos e boas práticas de condução segura em neve, com climatologia adversa e de condução eficiente.
  • 33. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 33 Medidas de melhora da segurança viária (cont.)  Outras atuações importantes na melhora do serviço e a segurança viária na Espanha foram os simulados de emergência, com a finalidade de avaliar os procedimentos de emergência, melhorar a coordenação entre os diferentes agentes que intervêm em caso de acidente ou fenômenos meteorológicos adversos: - Túneis Xeresa na AP-7: O simulado, que contou com a participação de um total de 100 pessoas entre corpos operacionais, figurantes, observadores e assistentes, consistiu na simulação de um acidente de ônibus e dois carros de passeio no interior do túnel, com resultado de incêndio. - Túnel 2, sentido Tarragona da C-32: O palco do simulado fazia referência a uma situação incluída no Plano INUNCAT, de ativação em casos de fortes chuvas. - Simulados de viabilidade invernal. No mês de novembro, foram realizados na AP-6/AP-51, na AP-61 e na avasa, ativando os protocolos próprios de um alerta real por neve decretada pela AEMET. Em dezembro, em Aulesa, realizou-se um simulado de viabilidade invernal que consistia na simulação da ativação do alerta N3 (tormentas generalizadas).  Com motivo da Operação Passagem do Estreito, a Abertis lançou um dispositivo especial na Espanha com o objetivo de facilitar a circulação na autoestrada AP-7. Reforçaram-se os sistemas de informação e atenção aos viajantes e reforçou-se a segurança.  As autoestradas do Chile desenvolveram campanhas sob o slogan ‘Não mude de veículo’ e ‘Tolerância Zero à Velocidade’, que consistiam na distribuição de folhetos nos pedágios da Rota 68 e na Autopistas del Sol, para conscientizar a respeito dos perigos de uma condução imprudente e a importância de evitar o álcool e o excesso de velocidade ao volante. Na Argentina foi lançada, durante os meses de novembro e dezembro de 2013, a campanha de segurança viária ‘Conduzamos Melhor’. Assim, foi dada continuidade às mensagens de prevenção de anos anteriores sobre os riscos viários aos que o usuário está exposto durante a condução de diferentes tipos de veículos e colaborando para a diminuição do índice de sinistralidade em sua zona de influência.
  • 34. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 34 7. A EQUIPE HUMANA DA ABERTIS LINHA ESTRATÉGICA 3: Assegurar a motivação e o envolvimento da equipe humana na melhora contínua LINHA ESTRATÉGICA 7: Fomentar e sistematizar canais de diálogo Política Principais Aspectos Experiências práticas 2013 Reforçar o envolvimento e a motivação das pessoas para a melhora contínua da empresa A equipe humana  I Convênio de Unidade de Negócio de Autoestradas Espanha Gerenciamento do talento e desenvolvimento profissional  ‘Talent’: sistema de gerenciamento por competência  Reforçando o talento na Abertis  Campus Abertis Impulsionando a organização em rede  Comunicação e colaboração para uma internacionalização efetiva Gerenciamento da diversidade e igualdade de oportunidades  Abertis obtém o Selo Bequal  Missão Handicap Ampliação dos benefícios sociais Alavancagem da saúde e segurança no trabalho  Ações em segurança e saúde ocupacional nas autoestradas da Abertis  Práticas para assegurar a segurança e saúde do pessoal na Abertis Telecom Resumo de indicadores 93,7% do quadro com contrato fixo 5.060.519€ investidos em formação 81,9% do volume de negócios com um sistema de gerenciamento de riscos trabalhistas implantado
  • 35. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 35 7.1. A equipe humana A política A Abertis, alinhada com sua missão e valores, não só realiza atuações para assegurar o adequado cumprimento das legislações em todos os países onde desenvolve sua atividade, mas também contribui de forma efetiva na busca de soluções e medidas concretas, através do diálogo contínuo. Desempenho Total Abertis Alcance do relatório RSC Número de trabalhadores em 31/12 16.962 16.252 Quadro médio equivalente 15.934 15.607 97,9% do quadro médio equivalente encontra-se incluído no alcance do relatório, uma percentagem muito similar no caso do quadro em 31 de dezembro. Número de trabalhadores por país (quadro em 31/12) Distribuição do quadro por grupos etários A inclusão do Brasil e Chile incide diretamente na distribuição dos grupos de idade do quadro, bem como sobre a percentagem de quadro fora da Espanha. Quadro médio equivalente por país 4.687,0 2.567,0 1.938,0 878,0 497,0 15,0 1,0 2.117,0 1.119,0 1.205,0 737,0 488,0 3,0 Brasil Espanha França Chile Argentina Porto Rico EUA Homens Mulheres 14% 13% 23% 49% 50% 48% 24% 26% 21% 13% 12% 8% 0% 20% 40% 60% 80% 100% Ano 2011 Ano 2012 Ano 2013 <30 anos 30-45 anos 46-55 anos >55 anos 6.651,7 3.150,1 3.521,3 1.423,9 842,0 18,0 0,0 1.000,0 2.000,0 3.000,0 4.000,0 5.000,0 6.000,0 7.000,0 Brasil França Espanha Chile Argentina Porto Rico
  • 36. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 36 Quadro médio equivalente por linha de negócio 93,7% dos trabalhadores dispõem de um contrato fixo, dos quais 95,9% são homens e 89,7%, mulheres. A taxa de contratação fixa é muito similar em todos os países. % da equipe humana com contrato fixo Homens Mulheres Brasil 99,9% 98,6% França 94,8% 88,4% Espanha 92,1% 83,7% Chile 91,2% 83% Argentina 89,9% 78,3% Porto Rico 100% 100% Global 95,9% 89,7% 6 Os dados da tabela não incluem França, Chile, nem a Litoral Sul e a Régis Bittencourt, do Brasil, porque não se dispõe de informações. Quanto à taxa de jornada reduzida, ao nível de Grupo esta atinge 2,4% do quadro (0,6% para os homens e 5,9% para mulheres). Neste sentido, a França é o país que mostra uma maior percentagem de quadro com jornada reduzida, chegando a 7,1%. O quadro divide-se em três grupos, de acordo com a classificação profissional baseada na metodologia HAY. Ao nível global, 0,7% do quadro está composto por cargos executivos, 5,1% por mandos intermediários e 94,2% pelo resto de categorias. A taxa de rotatividade aumentou significativamente na categoria de chefias e resto de pessoal, sendo que o dado de 2012 era de 3,1% e 5,7% respectivamente, devido principalmente à elevada rotatividade do Brasil e Chile. 14.110,6 1.212,2 284,2 0,0 2.000,0 4.000,0 6.000,0 8.000,0 10.000,0 12.000,0 14.000,0 Autoestradas Telecomunicações Serviços centrais Equipe humana de acordo com o tipo de jornada6 Completa Parcial H M H M Brasil 99,6% 98,5% 0,4% 1,5% Espanha 86,6% 57,1% 13,4% 42,9% Argentina 97,6% 79,1% 2,4% 20,9% Porto Rico 100% 66,7% 0% 33,3% Global 94,9% 80,5% 5,1% 19,5% Rotatividade do modelo global Homens Mulheres Total 2011 5,1% 4,5% 4,9% 2012 5,6% 5,8% 5,6% 2013 21,5% 20,9% 21,3%
  • 37. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 37 Rotatividade do quadro em 2013 Homens Mulheres Total Brasil 35,3% 32,5% 34,4% França 2,6% 5,8% 3,8% Espanha 10,1% 3,6% 8,1% Chile 32,2% 51,21% 40,9% Argentina 5,2% 2% 3,7% Porto Rico 20% 33,3% 22,2% Global 21,5% 20,9% 21,3% Relações entre empresa e trabalhadores São aplicados convênios coletivos a todos os trabalhadores das diferentes unidades de negócio da Abertis. A organização lança uma estrutura corporativa de relações trabalhistas em todos os países que careçam dela, equivalente ao resto de países no que diz respeito às funções. Ao nível europeu, o Comitê de Informação e Consulta Europeu, com sede em Barcelona, foi criado para promover a cooperação de caráter multinacional entre a Direção Central e a representação dos trabalhadores. Reconhecido como um órgão de informação e consulta de representação dos trabalhadores no âmbito europeu sobre grandes projetos globais ou investimentos que afetam a mais de um país, este Comitê não condiciona nem substitui os direitos e obrigações dos órgãos nacionais de representação dos trabalhadores da cada uma das sociedades que integram o Grupo. O Comitê reuniu-se durante o ano 2013 em duas ocasiões, uma em abril e outra em junho, com a intenção de ouvir da Direção Central os resultados econômicos de 2012 e os desafios futuros, assim como para fazer perguntas concretas relacionadas à política de emprego do Grupo. Na Espanha, formalizou-se o primeiro Convênio de Unidade de Negócio de autoestradas. Este Convênio inclui em seus artigos, medidas para a manutenção do emprego através da formação e do desenvolvimento profissional. O acordo implica aspectos concretos de organização para manter o poder aquisitivo e as expectativas de direitos econômicos, um capítulo de permissões e um capítulo de benefícios sociais. Também foram incluídos capítulos específicos de igualdade, segurança e saúde. Finalmente, introduziu-se uma garantia de contratação preferencial (e de respeito de sua retribuição) em caso de vagas e uma intenção de cobrir os postos emergentes com serviços internos. Prevê-se a ratificação deste Convênio no início de 2014. Neste sentido, no Brasil, Chile e Porto Rico, a estrutura trabalhista reconhece a negociação coletiva para todos os trabalhadores quando não exista um convênio específico que a inclua, e na Argentina, a expressão coletiva dos trabalhadores está regulamentada pela Lei de Contrato de Trabalho. Os quadros de empregados do Brasil, França, Espanha e Argentina têm elevadas percentagens cobertas por um convênio coletivo. A baixa percentagem de cobertura do Chile incide sobre o dado global do ano 2013, que atinge 89,4%. Rotatividade do quadro em 2013 Homens Mulheres Total Cargos executivos 27,9% 33,3% 28,6% Chefias 4,8% 9,8% 5,9% Resto de pessoal 22,5% 21,2% 22,1% Quadro coberto por um Convênio Coletivo em 31/12 Brasil 100% França 100% Espanha 89,1% Chile 31,3% Argentina 80,9% 2011 89,9% 2012 87,2% 2013 89,4%
  • 38. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 38 A Abertis aumentou o número de comitês de empresa em 2013, em relação ao exercício anterior, em consonância com o aumento de seu quadro global. Ao todo, 54 comitês de empresa realizaram 389 reuniões ao longo de todo o ano 2013. Evolução do número de comitês e reuniões de empresa Ao nível de filial, a interlocução formal entre a organização e os trabalhadores em nível coletivo varia dependendo do país. Nº de comitês Nº de reuniões França 10 100 Espanha 33 199 Chile 10 0 Argentina 1 90 Global 54 389 Brasil e Porto Rico não dispõem de comitês de empresa, já que a estrutura de relações trabalhistas dos países é diferente. Em Porto Rico, a negociação coletiva está regulada pela Lei do Trabalho, e no Brasil, pelas leis federais do trabalho que estabelecem os direitos trabalhistas básicos contemplados nas leis brasileiras tais como: o salário mínimo, quando não exista uma negociação coletiva de salários que determine o mínimo; o limite de horas de trabalho; as férias anuais remuneradas; pagamento adicional para as horas extra etc. Também não existe a figura do comitê de empresa como tal, sendo os sindicatos organismos federais que não contam com participação direta dos trabalhadores, mas visitam periodicamente a diferentes organizações de uma mesma região. 47 47 54 332 424 389 0 50 100 150 200 250 300 350 400 450 2011 2012 2013 Comitês Nº de reuniões
  • 39. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 39 Experiências práticas Assinatura de pré-acordo do Convênio coletivo das concessionárias da Abertis na Espanha Alinhada com o I Convênio de Unidade de Negócio da Abertis Autoestradas Espanha, a organização realizou ao longo de 2013 ações voltadas à criação de um plano de igualdade efetiva entre mulheres e homens para a Abertis autopistas, que abarque desde a seleção à promoção, a formação, as condições de trabalho e emprego, a saúde trabalhista, a classificação do tempo de trabalho e a conciliação; o estabelecimento de medidas para a promoção interna de novos postos de trabalho; e a elaboração de programas de desenvolvimento e profissionalização. O Convênio, assinado no final do ano, reúne as seguintes ações em matéria de responsabilidade social, pactuadas entre todas as partes negociadoras:  Um Plano de Igualdade para todas as autoestradas da Abertis Espanha, independentemente do número de trabalhadores.  Medidas de promoção interna de novos postos de trabalho: em 2013, as novas vagas foram cobertas mediante promoção interna. Neste sentido, contempla-se manter o critério, potencializando assim a promoção profissional em nível interno.  Programas RMW de desenvolvimento e profissionalização: em 2013, favoreceu-se a promoção interna e a formação dos colaboradores das redes AP7/AP2 e Gencat, depois de assumir um serviço até então terceirizado. Os itinerários de formação amparados por este programa distribuem-se em três anos de formação teórica e prática. O Convênio também contempla em suas bases diversos pactos em matéria de flexibilidade contratual, orientada à mobilidade funcional e geográfica, uma nova organização da jornada trabalhista e os períodos de férias e um acordo de moderação salarial que implica incrementos vinculados à produtividade nos próximos anos.
  • 40. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 40 7.2. Gerenciamento do talento e desenvolvimento profissional A política É vontade de Abertis, tal e como expressa seu Plano Estratégico, contribuir para o bem-estar dos empregados. Por isso, a Abertis aposta pela formação como parte imprescindível do desenvolvimento profissional da equipe humana e, com este fim, realiza um programa de desenvolvimento profissional para potencializar e garantir o talento de seus trabalhadores. Desempenho O plano de formação estende-se à maioria das unidades de negócio e, mediante o mesmo, são coordenadas as necessidades e demandas formativas do modelo. Além disso, a promoção do acesso a plataformas de formação on-line potencializam e facilitam a ampliação do conhecimento ao nível interno. O Chile dispõe de um sistema de formação focado especialmente na Prevenção de Riscos Trabalhistas e, no Brasil, se trabalha na sistematização da formação, centralizando-se especialmente em ações formativas de segurança e saúde no trabalho. Neste sentido, 59,8% do quadro recebeu formação, sendo a média total de horas de formação por trabalhador de 12,6 horas. Esta cifra diminui com respeito ao passado exercício, quando a média de horas de formação por empregado ascendia a 16,6 horas, devido principalmente à incidência do Brasil e do Chile no dado. 7 As áreas sombreadas indicam que não há pessoas na referida categoria profissional. Em geral, as temáticas de formação dadas pelas diferentes unidades de negócio da Abertis ao longo de 2013 incluíram aprendizagem dos procedimentos operacionais da autoestrada, formação em regulamento aplicável à concessionária, aprendizagem de ferramentas e programas informáticos para o correto desenvolvimento das tarefas diárias, formação em tributação e fiscalidade, formação em liderança e coaching, formação em atenção ao cliente, etc. Em particular, as concessionárias do Brasil, Chile e Porto Rico centralizaram a formação dada em temas de prevenção de riscos trabalhistas, incluindo formação em situações conflitantes ministrada no Chile A formação específica em RSC e direitos humanos totalizou 11.393 horas, ministradas principalmente na França, e em menor medida, na Espanha. Entre as temáticas, incluiu-se o curso de formação a respeito do sistema de prevenção penal da Abertis, que foi realizado inicialmente pelos trabalhadores da sede central e telecomunicações. O investimento realizado em formação totalizou 5.060.519 euros, custo superior ao ano 2012 principalmente devido ao incremento da formação na França e na Espanha, e a inclusão do Brasil e do Chile no alcance do dado. Média de horas de formação7 Cargos executivos Chefias Resto de empregados H M H M H M Brasil 8,2 4,3 23,2 24,9 6,9 12,7 França 2,1 0,5 16,2 22,1 18,2 5,3 Espanha 27,9 55,1 49,1 63,8 23,8 25,3 Chile 0 0 7,7 31,6 3,6 1,7 Argentina 24,9 0 22,8 1,9 7,9 5,8 Porto Rico 47,3 5 21,1 1 Média de horas de formação Cargos executivos Chefias Resto de empregad os Total Global 16,8 25,3 11,9 12,6
  • 41. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 41 Evolução do investimento em formação (milhões de euros) O investimento em formação foi realizado principalmente pela França e Espanha, seguidas por Porto Rico, Argentina, Brasil e Chile. A contribuição dos trabalhadores na consecução dos objetivos da empresa, incluindo os objetivos globais e individuais, foi reunida no modelo de direção por objetivos. Existe um sistema de direção por objetivos implantado para 97,5% dos trabalhadores dentro da categoria de cargos executivos, 96,4% de chefia e 45,8% para o resto de categorias. 3,53 3,49 5,06 0 1 2 3 4 5 6 Ano 2011 Ano 2012 Ano 2013 Pessoas incluídas em uma DPO Cargos executivos Chefias Resto de empregados H M H M H M Brasil 95,7% 100% 90,3% 94,1% 90,9% 79,3% França 95% 100% 97,9% 100% 5,2% 9,6% Espanha 100% 100% 100% 100% 23,8% 27,8% Chile 100% 100% 63,3% 100% 6,4% 3,0% Argentina 100% 100% 100% 21,6% 10,4% Porto Rico 100% 100% 100% 100%
  • 42. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 42 Experiências práticas ‘talent’: sistema de gerenciamento por competências O sistema de gerenciamento do desenvolvimento profissional da Abertis, conhecido como ‘talent’, permite realizar um exercício de autoavaliação, entrar em consenso com a pessoa responsável e definir conjuntamente um plano de desenvolvimento personalizado. Deste modo, pessoas que ocupam cargos executivos e mandos intermediários podem gerenciar o desenvolvimento de suas equipes de trabalho. Depois das primeiras implantações desta ferramenta, e à luz da utilidade e necessidade de oferecer um feedback do desempenho da cada trabalhador e avaliar as competências para a melhora contínua, este programa foi particularmente promovido este ano. O objetivo é ajudar os profissionais a especificar planos de ação, os gestores a realizar relatórios que permitam dirigir melhor o processo e os líderes a obter um maior partido deste sistema. Neste sentido, foi feito o lançamento piloto nas autoestradas, ajustando perfis profissionais de forma constante. Este sistema, que está se desenvolvendo progressivamente, permite alinhar a visão do diretor e do trabalhador e oferecer a este último um feedback que contribua à melhora de sua competência profissional. A avaliação desta ferramenta por parte dos empregados é a cada vez mais positiva. Também em 2013 foi redefinido o Projeto Talento, um programa orientado a determinar que talento executivo o Grupo exigirá nos próximos anos, dirigido a pré-diretores e diretores contemplando várias ações individuais e coletivas. Com ele, se pretende potencializar a adaptação e a melhora dos diretores do Grupo para enfrentar os desafios do cenário atual e especialmente os referidos à relação com os grupos de interesse, à direção financeira e de operações e ao gerenciamento de equipes remotas. Além deste programa, redesenhou-se também o Programa de Identificação de Potencial para determinar que perfis e pessoas são os que a Abertis precisará no futuro. Campus Abertis O Campus Abertis, uma plataforma e-learning criada em 2012 para que as diferentes unidades de negócio possam adquirir habilidades, busca facilitar a formação dos trabalhadores. Este sistema e-learning caracteriza-se por elementos 2.0 (salas virtuais, foros, wikis etc.) que servem de apoio aos empregados para o desenvolvimento de suas formações. Os conteúdos compartilhados através desta plataforma ao longo de 2013 incluem cursos de formação obrigatória e cursos de formação voluntária, entre os que se encontram: segurança física, sistema de prevenção penal na Abertis, proteção de dados pessoais e segurança da informação como obrigatórios, e, como formação complementar, inteligência emocional, finanças, gerenciamento de equipes, habilidades de liderança, uso de programas e aplicativos específicos, gerenciamento de processos, gerenciamento do estresse e prevenção de riscos e higiene. Em 2013, através do campus Abertis, realizaram-se 782 formações entre empregados da Abertis infraestruturas e 7.207 entre empregados da Abertis Telecom.
  • 43. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 43 7.3. Impulsionando a organização em rede A política A comunicação interna é a ferramenta básica para fomentar a coesão de grupo, o sentimento de pertença e o envolvimento no projeto empresarial. O objetivo da Abertis é conseguir uma melhor comunicação bidirecional com a equipe humana da organização, dia a dia. Desempenho A Abertis entende a cultura organizacional como um dos elementos-chave que caracterizam o Grupo. Neste sentido, a organização põe especial interesse na elaboração e divulgação de manuais de boas-vindas nos quais se inclui, além dos principais traços de identidade (missão, visão e valores), toda a informação relevante para que os trabalhadores possam desenvolver seu trabalho seguindo os princípios e critérios fundamentais do código ético, das políticas corporativas, dos manuais operacionais e de sistemas, tanto de qualidade como de segurança e saúde, e outros documentos relevantes. O Brasil foi incorporado no Foro de Comunicação Interna da Abertis, bem como na rede de correspondentes e colaboradores de conteúdos para os canais corporativos. Durante 2013, as contribuições das diversas unidades de negócio e dos países para o departamento de Comunicação Interna cresceu de maneira exponencial, dando assim visibilidade à diversidade do Grupo e facilitando o conhecimento global. Para fomentar estas contribuições e orientar para a produção multimídia de acordo com as tendências de consumo de conteúdos, trabalhou-se em 2013 na reorientação do trabalho dos correspondentes, na elaboração e difusão de regulamento e manuais orientados a este objetivo e na disponibilização das ferramentas necessárias para as unidades de Negócio. Notícias multimídia Notícias Multimídia Intranet 182 16 Linking 34 90 Com o fim de posicionar a revista interna global do Grupo dentro das últimas tendências de difusão de conteúdos on-line, Linking optou por uma plataforma de acesso universal (www.linkingabertis.com). Um formato interativo e multimídia que permite consultar todas as edições de forma imediata e a partir de qualquer lugar do mundo ou dispositivo eletrônico. Esta publicação está disponível em cinco idiomas e tem tido especial repercussão entre o público internacional. Também no que diz respeito à manutenção da intranet, em 2013 a Abertis participou de um benchmarking de intranets em nível nacional que facilitou a identificação de melhoras orientadas à colaboração que constituem a base para novos desenvolvimentos de 2014. Cabe destacar a especial repercussão da abertura de dois novos blogs ‘Ctrl+security’ e ‘Conheça…’. A Abertis tem analisado também o uso atual, as expectativas e as possíveis melhoras dos entornos colaborativos da intranet, o que se traduziu na difusão de produtos entre todas as áreas, com orientações e conselhos sobre o gerenciamento de dinâmicas nestes entornos, junto com reflexões para a definição e boas práticas, independentemente da ferramenta utilizada, que contribuem à difusão do modelo de Community Management lançado em 2012. Ampliou-se, além disso, o alcance internacional de acesso aos mesmos. Voluntaris, por sua vez, manteve o caráter participativo graças às propostas de diferentes atividades voluntárias de caráter geral, comunicadas na seção da intrabertis ‘Voluntaris lhe propõe’, além da celebração do ‘V Dia do Voluntariado’, organizado pela Fundação Abertis e Voluntaris, que realizou sua jornada institucional sob o lema ‘Agora mais que nunca, temos um mundo por compartilhar’. Este ano, a campanha centrou-se na internacionalização do programa de Voluntariado Corporativo nos países em que o Grupo opera. Assim como nos anos anteriores, foram destinadas campanhas específicas de comunicação interna à votação de projetos solidários para canalizar as contribuições da Fundação Abertis ou dos fundos coletados através da iniciativa do ‘Euro Solidário’, bem como a adesão de novos colaboradores neste programa de microdoações da Espanha, que também se está estendendo em outros países, como Porto Rico. Também foi dado suporte, mediante o desenho e a divulgação de conteúdos, à campanha anual da Aristos, de conscientização e gerenciamento da mudança ambiental. Em uma vertente mais social, coordenou-se também o acesso por parte de empregados do Grupo na Espanha às exposições singulares sobre Dalí e Tàpies patrocinadas pela Fundação Abertis. Para assegurar a
  • 44. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 44 efetividade das ações, foi definida e implementada uma série de indicadores com o fim de conhecer o seu alcance. Além de medidas recorrentes e automatizadas, realizaram-se pesquisas específicas sobre ações e campanhas como a pesquisa para conhecer o grau de satisfação do público da Abertis sobre o formato on-line de Linking. Somado ao espaço de divulgação dedicado ao Código Ético na intrabertis e seu canal específico de comunicação (o Canal Ético), no ano 2013, trabalhou-se sobre uma segunda fase de maturação do sistema, repensando e otimizando o modelo atual. Consolidaram-se os Regulamentos da França, Porto Rico, Brasil e Chile. Neste sentido, em 2013 foram recebidas duas denúncias por infrações do Código Ético, ambas na Espanha, relacionadas com a promoção profissional e o tratamento da informação desde o ponto de vista ambiental e de proteção de dados. Ambas a comunicações foram administradas e resolvidas, de acordo com os procedimentos estabelecidos pela Comissão do Código Ético. Por outro lado, não se receberam queixas relacionadas com temas de Direitos Humanos durante o exercício.
  • 45. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 45 Experiências práticas Comunicação e colaboração para uma internacionalização efetiva Durante o ano de 2013, trabalhou-se para a facilitação da comunicação com as unidades de negócio de fora da Espanha e nos canais corporativos de comunicação interna. Entre as atuações, estendeu-se Linking ao Brasil e às novas equipes no Chile, e foram gerenciados os acessos aos recursos da empresa através do portal internacional, com o objetivo de acelerar os processos de integração. Também foram abertas aos demais trabalhadores internacionais comunidades como o Fórum de Comunicação Interna, com um registro de mais de 2.000 interações até o momento. Além disso, foram habilitados lugares especialmente dedicados aos projetos de integração e transformação dos novos negócios incorporados ao Grupo, e se buscou o acesso internacional ao site de Voluntaris a todos os trabalhadores de países onde o Grupo opera. Nesta linha, foram criados também espaços para a divulgação e a conversação especializada como o Blog ‘Ctrl+Security’, que mediante entradas mensais permite a difusão do conhecimento e resolução de consultas sobre temas de segurança, recebendo uma média de quase 400 visitas por publicação. Também foram lançadas na intranet seções como ‘Conselhos para viagens longas’, orientadas às pessoas que, devido ao processo de internacionalização, devem se deslocar com frequência ou durante longo tempo a outros países. Finalmente, foi lançado o blog ‘Conheça…’, baseado em um formato misto de entrevista escrita e vídeo, com a participação das equipes de comunicação de todas as filiais do Grupo. Com duas publicações em 2013, este blog já recebeu mais de duas mil visitas. A França, por sua vez, lançou três novos canais de comunicação interna complementares entre si: uma revista em papel, um site de TV e um blog interno. Esta estratégia de comunicação interna multicanal permite uma maior difusão das informações entre os colaboradores, ao mesmo tempo em que assegura a interatividade e uma distribuição da informação a todos os níveis:  A revista ‘100% Nous’ passou de ter três versões diferentes segundo a região, a aparecer sob uma nova imagem e uma única versão, com uma periodicidade trimestral e uma tiragem de 3.600 exemplares. A publicação conta com nova diagramação e conteúdos renovados, mais dinâmicos e humanos graças à participação do pessoal executivo e de 40 correspondentes locais que realizam a tarefa de forma voluntária e que têm formação de jornalismo. A revista está agora mais próxima dos interesses dos leitores, já que as mudanças que se implementaram são fruto das conclusões de um estudo realizado ao nível interno.  ‘100% Nous – l’émission’ é o site TV, que faz difusão dos melhores conteúdos da revista em versão interativa, para complementar a versão papel.  ‘100% Managers’ é o blog interno dos diretores e gerentes que permite a seus 700 membros compartilhar informações, boas práticas e ideias, junto com temas de atualidade, propostos para debater e comentar. Telecomunicações também realizou diversas ações de comunicação interna que têm contribuído para aproximar os colegas localizados nas sedes de todo o território, fazendo com que saibam dos acontecimentos que afetam a empresa e as mensagens transmitidas pelo diretor geral. Neste sentido, foi lançado o blog ‘Selo Telecom’, no qual o diretor geral expõe regularmente as principais metas, desafios e modelos estratégicos da empresa. Finalmente, foi ativado para todos os trabalhadores da Abertis o Projeto Correspondentes que consiste em mobilizar diversos interlocutores de todos os territórios onde opera a organização para que contribuam à criação de conteúdos e ideias nas comunicações internas, fomentando assim um sentimento integrador entre todos os trabalhadores do Grupo.
  • 46. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 46 7.4. Gerenciamento da diversidade e igualdade de oportunidades A política A Abertis, consciente da importância de favorecer a igualdade de oportunidades e evitar a discriminação entre seus trabalhadores, desenvolveu um projeto de gerenciamento da diversidade que vai além do estabelecido pela lei e que se baseia em quatro critérios: o gênero, a idade, a etnia e a diversidade funcional. Desempenho A Espanha dispõe de uma lei de igualdade que, entre outros requisitos, estabelece que as organizações com mais de 250 trabalhadores devem elaborar planos de igualdade. O resto dos países do Grupo também dispõe de legislação em aspectos específicos de igualdade de oportunidades como: o direito à igualdade e a proteção especial da mulher no mercado trabalhista do Brasil, a lei de igualdade salarial na França, Estados Unidos e Chile, as diferentes leis de cota na Argentina, ou a lei de não discriminação entre homens e mulheres em Porto Rico e Chile. Além disso, a Abertis aderiu-se ao Charter da Diversidade, iniciativa europeia de caráter voluntário, à qual podem unir-se empresas e instituições para apoiar e promulgar os princípios de diversidade e não discriminação em seu meio trabalhista. Depois da recente assinatura do Convênio de Unidade de Negócio das autoestradas na Espanha, acordou-se que todas as empresas do Grupo disponham de um Plano de Igualdade independentemente do número de trabalhadores que tenham as mesmas. Assim, os planos de igualdade já existentes se integrarão no desenvolvimento de um plano de igualdade comum. A maioria das unidades na Espanha realizam também ações em matéria de igualdade como: a formação e sensibilização entre os trabalhadores, a incorporação de questões de igualdade na hora de realizar processos de seleção e contratação, a adaptação da linguagem, através da criação de um guia de linguagem não sexista e a formação em igualdade das pessoas que constituem as comissões de igualdade. Na França, a Abertis também dispõe de diferentes planos de ação e acordos de igualdade, com o fim de assegurar a equidade entre seus trabalhadores homens e mulheres. Finalmente, as unidades do Brasil, Chile, Argentina e Porto Rico realizam ações para assegurar a igualdade nos processos de seleção, contratação e avaliação dos trabalhadores. 12,6% do total de posições executivas estão ocupadas por mulheres, e esta percentagem chega a 22,2% no caso de chefias. Presença de mulheres em cargos executivos8 8 Não se incluem dados de Porto Rico porque não existem mulheres nem homens nesta categoria trabalhista no quadro. 92,0% 83,3% 87,5% 83,3% 87,5% 8,0% 16,7% 12,5% 16,7% 12,5% 0% 25% 50% 75% 100% Brasil França Espanha Chile Argentina Homens Mulheres
  • 47. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 47 Presença de mulheres em chefias Distribuição do modelo de acordo com o gênero A taxa de retenção global da organização mostra que praticamente a totalidade (99,4%) de trabalhadores homens que solicitaram licença por paternidade voltaram a seu posto de trabalho após a permissão. No caso das mulheres trabalhadoras, este indicador diminui até atingir 77%, sendo a França o país que apresenta a menor taxa de retenção feminina. Pessoas que solicitaram licenças Pessoas que voltaram ao trabalho depois da licença Pessoas que continuam depois de 12 meses H M H M H M Brasil 91 118 100% 92,4% 100% 79,7% França 1 29 100% 48,3% 100% 0% Espanha 74 50 100% 94% 98,6% 94% Chile 0 48 0% 100% 0% 100% Argentina 0 20 0% 75% 0% 75% Porto Rico 0 0 0% 0% 0% 0% Global 166 265 100% 87,9% 99,4% 77,0% Ao nível de Grupo, 99,2% das pessoas que ocupam cargos executivos vêm da comunidade local. 100% das pessoas que ocupam cargos diretivos vêm da comunidade local em todos os países salvo no Brasil, onde esta percentagem atinge o 96%. Com respeito à política salarial, a relação entre o salário inicial e o salário mínimo local difere segundo o país, sendo Argentina o país que apresenta maiores diferenças. Percentagem sobre o salário mínimo local Homens Mulheres Brasil 121,2% 104,9% França 107,5% 107,5% Espanha9 168,9% 160,3% Chile 104,0% 101,3% Argentina 273,9% 273,9% Porto Rico 103,4% 103,4% 9 Os dados agregados da Espanha para esta tabela só incluem Autoestradas Espanha e Telecom. 82,9% 72,0% 78,2% 90,7% 75,9% 75,0% 17,1% 28,0% 21,8% 9,3% 24,1% 25,0% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90% 100% Brasil França Espanha Chile Argentina Porto Rico Homens Mulheres 68,9% 61,7% 69,7% 54,4% 50,5% 83,3% 31,1% 38,3% 30,3% 45,6% 49,5% 16,7% 0% 25% 50% 75% 100% Brasil Chile Espanha França Argentina Porto Rico Homens Mulheres
  • 48. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 48 Integração de pessoas com diversidade funcional Ao longo do ano 2013, manteve-se a adoção do modelo de EDC da Fundação Seeliger e Conde na Espanha, que busca o gerenciamento da diversidade nas organizações com o fim de conseguir a excelência, superando os requisitos específicos da legislação vigente. Neste sentido, todos os países onde o Grupo opera dispõem de legislação em matéria de integração de pessoas com diversidade funcional. Os requisitos da legislação diferem em função de cada país, abarcando desde o estabelecimento de processos de contratação neutros, até a adaptação dos postos de trabalho em função das necessidades das pessoas com diversidade funcional. No Brasil, França e Espanha a legislação estipula quotas mínimas de contratação, embora haja matizes entre os países. No Brasil, estas quotas são estabelecidas por faixas, de acordo com o número de trabalhadores no quadro de cada filial. Na França e na Espanha, pode-se cumprir com estas quotas de forma direta e indireta. Por exemplo, na Espanha, a lei pode ser cumprida tanto potencializando a contratação deste coletivo, como através de doações ou da promoção de provedores que deem prioridade a estas contratações, como os Centros Especiais de Trabalho (CET). Na França, a lei de quotas é complementadas com doações ao Estado quando a organização não chega ao mínimo obrigatório de pessoas com diversidade funcional contratadas no quadro. No Brasil, foram contratadas 124,6 pessoas com deficiências em 2013, atingindo 1,9% do quadro e cumprindo a quota estabelecida pela lei em quatro de seus filiais. A França, por sua vez, cumpriu a quota estabelecida atingindo 6,5% ao nível agregado, através de contratação direta e de doações. Finalmente, a Espanha conseguiu superar a percentagem fixada chegando a 2,5%, graças à contratação direta e indireta de pessoas com diversidade funcional. De fato, os dados de 2013 mostram uma evolução na compra de bens e serviços da CET, um reflexo do compromisso da Abertis com o modelo EDC de potencialização da contratação de pessoas com deficiência. Trabalhadores com diversidade funcional contratados diretamente pela Abertis na Espanha 45,4 Trabalhadores com diversidade funcional contratados na Espanha, tanto diretamente como mediante medidas alternativas 89,2 % do quadro de contratação direta com deficiências na Espanha 1,3% % de LISMI 2,5% Compra de bens e serviços e doações (euros) a Centros Especiais de Trabalho na Espanha (CET) Gerenciamento de expatriados A Política de Expatriação da Abertis pretende oferecer uma instalação cômoda e rápida das pessoas, atendendo às necessidades familiares e pessoais para poder facilitar a melhor adaptação dos expatriados a seu novo entorno. Como todos os anos, ocorreram mudanças nos movimentos de empregados e diretores em atribuição internacional. As quais se diferenciam entre expatriados de longa duração (são aquelas pessoas cuja atribuição internacional é superior a 1 ano) e expatriados de curta duração (são aquelas deslocações de duração inferior a 1 ano). A finalidade da expatriação inclui a transmissão de conhecimentos em algumas áreas específicas, bem como parte do desenvolvimento profissional dos empregados e diretores. 189.595 238.118 181.962 268.385 641.092 168.078 - 100.000 200.000 300.000 400.000 500.000 600.000 700.000 Compra de bens e serviços Doações 2010 2012 2013
  • 49. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 49 Experiências práticas Abertis obtém o Selo Bequal O Comitê de Certificação da Fundação Bequal concedeu, em 2013, esta certificação à Abertis autopistas Espanha. Este selo baseia-se em um modelo que contempla 66 indicadores agrupados em 7 categorias e que integra o modelo de excelência na diversidade (EDC) da Fundação Seeliger e Conde. Trata-se assim de uma fórmula de avaliação por um terceiro, que determina o grau de compromisso em matéria de responsabilidade social empresarial e deficiências em áreas essenciais como a estratégia e a liderança, o compromisso da alta direção para as pessoas com diversidade funcional, o gerenciamento dos recursos humanos, o cumprimento do regulamento e as políticas inclusivas e de igualdade de oportunidades em todos os procedimentos de seleção, acesso ao emprego, promoção profissional e formação. Nesta linha, a Abertis tem posto à disposição de seus empregados um serviço de assessoria externo de informação através da Fundação Seeliger e Conde, que implica informar os trabalhadores com diversidade funcional sobre a tramitação, as vantagens, os direitos sociais, fiscais e econômicas garantidos por lei, bem como sua apresentação no âmbito trabalhista. Finalmente, a Abertis Telecom assinou em 2013 um acordo de colaboração com esta mesma Fundação, apoiando desta maneira as atividades que desenvolve quanto à promoção e inserção de pessoas com deficiências no mundo trabalhista. Este acordo permitiu à Abertis Telecom seguir com seu compromisso de melhorar a inclusão da diversidade e a igualdade de oportunidades entre seus trabalhadores. Missão Handicap: ‘Suas habilidades não serão nunca mais uma deficiência’ Comprometidos com a empresa responsável e em coerência com a missão do Grupo Abertis, a Sanef tem trabalhado nos últimos anos para a integração, o reconhecimento e a melhora das condições de trabalho das pessoas com diversidade funcional. Em 2011, a Sanef assinou um acordo com a AGEFIPH (Associação de Gerenciamento de Fundos para a Integração Trabalhista de Pessoas com Deficiências) cuja missão é promover a contratação e a manutenção do emprego das pessoas nesta situação no setor privado. O projeto Missão Handicap engloba diferentes ações em matéria de diversidade funcional no meio trabalhista. As principais atuações realizadas em 2013 foram:  Formação e sensibilização de diretores, responsáveis e trabalhadores.  Desenvolvimento de uma campanha de comunicação interna cujo objetivo é romper com os tabus associados à deficiência.  Contratação de pessoas com deficiências.
  • 50. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 50 7.5. Extensão dos benefícios sociais A política A Abertis desenvolve uma política de benefícios sociais para todos seus trabalhadores com o fim de promover a conciliação entre trabalho, família e lazer e favorecer a integração e motivação do empregado para com a empresa. Desempenho Contribuir para a satisfação dos trabalhadores e a melhora de sua qualidade de vida é um dos objetivos mais importantes que buscam os diferentes benefícios sociais disponíveis na Abertis. Além da flexibilidade horária em função dos diferentes postos de trabalho, é facilitado o acesso à formação e diferentes tipos de benefícios, como por exemplo, o acesso a descontos corporativos vinculados aos serviços oferecidos, ajudas no transporte, conciliação trabalhista e familiar, acesso a seguros médicos etc. Um total de 1.841 trabalhadores beneficiaram-se dos programas extratrabalhistas oferecidos pelo Grupo Abertis, sendo as atividades realizadas esportivas, de aprendizagem de idiomas, socioculturais e lúdicas. O investimento total em atividades extratrabalhistas da organização em 2013 chegou a 1.696.347 euros. Ao nível de país, o investimento em formação foi realizado principalmente pela França e Espanha, seguidas por Chile, Brasil, Argentina e Porto Rico. O grupo de trabalho para o desenvolvimento do Investimento Socialmente Responsável no Fundo de Pensões na Espanha, criado em 2010 e composto pelos representantes dos diferentes promotores deste fundo, foi constituído desde então com o fim de trabalhar no desenvolvimento destes planos. Relacionado com os planos de incentivos em longo prazo, em 2013 os esforços continuaram concentradas em manter a política iniciada em 2007 com respeito ao plano de entrega de ações da Abertis, com as mesmas características que os planos anteriores. Esta política está dirigida inicialmente a cerca de 800 profissionais do Grupo na Espanha, cujas posições abarcam desde postos executivos até técnicos experientes. A adesão ao plano é voluntária e consiste em que estes empregados possam contratar parte de sua retribuição variável anual em ações da Abertis com o limite de 12.000 euros. Se o empregado mantiver estas ações durante 3 anos, ao finalizar este período a empresa lhe premia com uma entrega adicional gratuita de 10% das ações inicialmente entregadas. A percentagem de adesão a este plano situou-se em torno a 29%.
  • 51. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 51 7.6. Alavancagem da saúde e a segurança no trabalho A política A proteção da saúde dos empregados e a prevenção de riscos trabalhistas são elementos essenciais da política de recursos humanos da Abertis e, nesse sentido, realizam-se todas as medidas necessárias para garantir a segurança e a saúde em todos os postos de trabalho. Desempenho Os sistemas de gerenciamento baseados no padrão internacional OHSAS 18001 são a principal ferramenta que centraliza as atividades de prevenção de riscos trabalhistas nas diferentes unidades de negócio de Abertis. Neste sentido, as unidades de negócio da Espanha e França dispõem de um sistema de segurança e saúde. No caso da Abertis Espanha, este sistema está, além disso, certificado pelo padrão internacional OHSAS 18001. Porto Rico, por sua vez, está em processo de implementação de um sistema de segurança e saúde, baseado em critérios de OHSAS. Em 2013, as novas concessionárias que se incorporaram à organização, Brasil e Chile, iniciaram a adaptação aos padrões de segurança e saúde que o Grupo implementa nas unidades de negócio dos países restantes. Neste sentido, o Brasil vai além das ações em segurança e saúde ocupacional estabelecidas pela lei no país e aplica um pacote de programas que engloba: um comitê interno para a prevenção de acidentes, uma brigada contra incêndios, um relatório técnico das condições ambientais do trabalho e um programa de prevenção de riscos no entorno trabalhista, um programa de controle médico de saúde ocupacional e um serviço especializado de segurança médica no trabalho. Paralelamente, também leva a cabo anualmente uma ‘Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho’. Em 2013, o Brasil recebeu um total de sete sanções por incumprimento do regulamento em prevenção de riscos trabalhistas do país, bem como outras especificações técnicas relacionadas com os equipamentos de trabalho e o entorno trabalhista. O custo total destas sanções chegou a 16.474,9 euros. Nível de certificação OHSAS 18001 Atividade País Alcance 2011 2012 2013 Autoestradas França Autoestradas França    Espanha Autoestradas Espanha    Porto Rico apr  Telecomunicações Espanha Abertis Telecom    Sede Central Espanha Serviabertis    Sistema de gerenciamento de segurança e saúde trabalhista 2011 2012 2013 % volume de negócios (sobre o total do alcance do relatório) Implantado 97,8% 97,1% 78,9% Em processo 0,46 % Total 97,8 % 97,6 % 81,9 %
  • 52. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 52 O Chile, por sua vez, está levando a cabo ações como o ‘Programa Empresa Competitiva’, um sistema de gerenciamento de prevenção de riscos trabalhistas que, além de implementar as medidas estabelecidas pela lei trabalhista do país, está desenhado para contribuir para a produtividade das empresas ao mesmo tempo em que oferece proteção à integridade e saúde dos trabalhadores. Ao nível de Grupo, incrementou-se a percentagem (93,3%) de trabalhadores cobertos por um Comitê de Segurança e Saúde, os órgãos encarregados de coordenar o gerenciamento dos riscos trabalhistas e realizar o acompanhamento das atividades de prevenção em matéria de segurança e saúde ocupacional. Todas as unidades de negócio dispõem deste tipo de comitê exceto Porto Rico e Argentina. Entre os temas mais destacados tratados pelos diferentes comitês de saúde e segurança do grupo, incluem-se: inspeções em campo para reparar possíveis deficiências, acompanhamento dos objetivos atingidos nos programas de capacitação, revisões das matrizes de riscos para evitar possíveis riscos, análises e investigações dos acidentes ocorridos e proposição de medidas para preveni- los, controle do estado dos equipamentos de trabalho, estudo de melhoras das infraestruturas no meio trabalhista, atendimento das possíveis demandas apresentadas pelos trabalhadores etc. Evolução da percentagem de trabalhadores cobertos por um Comitê de Saúde e Segurança Percentagem do quadro coberto por um Comitê de Segurança e Saúde Brasil 100% França 100% Espanha 99,9% Chile 95,2% Global 93,3% Entre as atuações de prevenção realizadas, a formação em prevenção de riscos trabalhistas (PRT) tem um peso muito significativo. Por esta razão, em 2013, a Abertis investiu 1.465.376,51 euros em ações formativas em PRT. Um valor que supera em termos absolutos o investimento realizado em anos anteriores, devido às aquisições das novas concessionárias. Entre as temáticas de formação em prevenção de riscos trabalhistas, oferecidas pela Abertis em todas as unidades de negócio, destacam-se: treinamento em trabalhos em espaços confinados e trabalhos em altura, formação de segurança em instalações elétricas e segurança no uso de produtos químicos, treinamento em extinção de incêndios, formação em meios trabalhistas seguros, sensibilização para a prevenção de doenças graves, formação em primeiros socorros, formação e sensibilização em segurança viária, conselhos sobre higiene ocupacional, formação em gerenciamento de situações críticas etc. Evolução do investimento (milhões de euros) em formação em PRT O investimento em projetos de melhora do meio trabalhista aumentou notavelmente em relação a anos anteriores, atingindo um investimento total de 1.932.083,8 euros em 2013. Este importante aumento explica-se pela inclusão do Brasil e do Chile no alcance do relatório, bem como pela inclusão deste indicador pela primeira vez por parte da França. Entre as ações desenvolvidas para melhorar o meio de trabalho destacam-se: a otimização das infraestruturas (adaptação dos escritórios e dos postos de trabalho, novas barreiras nos pedágios, maior sinalização dos trabalhadores na 2011 91% 2012 90% 2013 93,3% 1,08 1,01 1,47 0,00 0,50 1,00 1,50 2,00 2011 2012 2013
  • 53. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 53 realização de tarefas etc.), equipamento de proteção para os trabalhadores, reposição e atualização dos equipamentos de trabalho, (implantação de tablets para os trabalhadores dos pedágios), a introdução de melhoras de segurança e a reposição dos veículos de serviço (detector de baixa pressão dos pneus…), etc. Ao nível de país, o investimento em projetos de melhora do entorno foi realizado principalmente pela França e Chile, seguidos por Espanha, Brasil, Argentina e Porto Rico. Ao nível global, em 2013 o número de acidentes produzidos atingiu os 480 em todo o Grupo (341 no caso de homens e 139 no caso de mulheres). Este incremento do número de acidentes comparado com anos anteriores deve-se em grande parte ao aumento do quadro de pessoal do Grupo depois das novas aquisições. Evolução do número de acidentes Aos dados de acidentes no Brasil, deve-se acrescentar um total de 12 acidentes de trabalho com licença médica de trabalhadores homens que trabalham na atividade de exploração de áridos. Nº de acidentes por país H M Total Brasil 207 34 241 França 20 20 40 Espanha 54 24 78 Chile 22 21 43 Argentina 38 40 78 Porto Rico 0 0 0 Quanto às causas, as autoestradas centralizam os golpes, as quedas e problemas de postura como as principais razões dos acidentes produzidos. No Brasil, a quase totalidade dos acidentes foi devida a atropelamentos e acidentes de tráfego. No Chile, as causas mais recorrentes informadas foram os assaltos. Ao nível de país e de atividade, os índices de acidentes variam segundo a unidade de negócio e a localização: Atividade País Índice de incidência Índice de frequência Índice de gravidade Autoestradas Brasil 37,5 8,6 0,2 França 12,7 13,2 0,9 Espanha 28,3 2,5 0,4 Chile 26,6 1,4 0,2 Argentina 79,2 39,4 1,1 Porto Rico 0 0 0 Telecom Espanha 12,3 7,5 0,2 Sede Central Espanha 0 0 0 A atividade de exploração de pedreira totalizou um índice de incidência de 31,6, um índice de frequência de 0,3 e um índice de gravidade de 0,01. Cabe notar que, ao nível global, o índice de incidência total diminuiu em 2013 com relação a anos anteriores. 196 179 341 83 106 139 0 50 100 150 200 250 300 350 400 2011 2012 2013 Homens Mulheres
  • 54. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 54 Evolução do índice de incidência segundo gênero10 Evolução do índice de frequência segundo gênero Há diferenças significativas no índice de gravidade, que diminui notavelmente, tanto no caso de homens quanto no de mulheres, em comparação a anos anteriores. 10 Os dados correspondentes aos acidentes na França para o ano 2013 incluem a Sanef. Evolução do índice de gravidade segundo gênero Produziram-se um total de 7 mortes por acidente de trabalho: seis homens e uma mulher. Todos eles no Brasil, exceto um ocorrido na Espanha. As causas foram principalmente duas: atropelamento e acidente de tráfego. Neste sentido, a Abertis, consciente da necessidade de reduzir o número de acidentes no ambiente trabalhista no Brasil, decidiu adotar medidas para reduzir estes números, integrando-se ao Plano Nacional de Segurança e Saúde no trabalho, elaborado pelas autoridades estatais. Resultado disso foi o lançamento de um ‘Grupo Estratégico de Redução de Acidentes na estrada’, cujo objetivo é favorecer a criação de espaços e hábitos de trabalho seguros. Por sua vez, as autoestradas Abertis do Chile também tomaram medidas de prevenção em riscos trabalhistas, para mitigar os acidentes sucedidos ao longo de 2013. Neste sentido, e através do ‘Programa de Empresa Competitiva’, o Chile implementou em algumas de seus filiais o ‘Programa de Resposta Imediata’ para eventos muito críticos. Ele consiste em realizar formações para o correto manejo de situações de crise ou de alta complexidade. 30,85 30,12 33,37 25,51 34,49 24,58 31,59 34,12 30,24 0 5 10 15 20 25 30 35 40 2011 2012 2013 Homens Mulheres Total 18,9 17,2 16,9 15,2 20,1 15,8 17,2 17,7 16,6 0,0 5,0 10,0 15,0 20,0 25,0 2011 2012 2013 Homens Mulheres Total 0,7 0,53 0,5 0,4 0,65 0,4 0,6 0,55 0,4 0,0 0,1 0,2 0,3 0,4 0,5 0,6 0,7 0,8 2011 2012 2013 Homens Mulheres Total
  • 55. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 55 Experiências práticas Ações em segurança e saúde ocupacional nas autoestradas da Abertis A Abertis autopistas, por sua vez, também tem realizado diferentes práticas em matéria de prevenção de riscos trabalhistas. Destacam as seguintes por país: Brasil: Criação do Grupo Estratégico de Redução de Acidentes em Estrada (GERAR) O Grupo Estratégico de Redução de Acidentes em Estrada (GERAR) foi criado pela Arteris em 2013, com o objetivo de implantar um programa de redução de acidentes no entorno trabalhista e nas autoestradas. Trata-se de um grupo de caráter multidisciplinar que reúne profissionais de diversas áreas, possibilitando assim o desenvolvimento de ações integradoras. Diante do aumento das mortes por acidente de trabalho no país e na unidade, a Arteris decidiu adotar medidas para reduzir estes números, integrando-se no Plano Nacional de Segurança e Saúde no trabalho, elaborado pelas autoridades estatais. Esta intenção materializou-se no programa ‘Arteris, uma década de ação pela Segurança no Trânsito’, e na criação de grupos como o GERAR. O programa pretende favorecer a criação de espaços e hábitos de trabalho seguros, mediante a formação técnica e a sensibilização dos trabalhadores, e que isso se traduza na redução dos acidentes, especialmente entre os trabalhadores. Atualmente, o projeto encontra-se na fase de elaboração. Brasil: Semana Interna de Prevenção Integrada de Acidentes no Trabalho (SIIPAT) A SIIPAT é um evento enquadrado no programa de Responsabilidade Social realizado pela empresa. O principal objetivo desta campanha é consolidar as condutas de segurança e saúde ocupacional entre seus trabalhadores. Neste sentido, a Arteris realizou em todas as suas autoestradas do Brasil, a semana da SIIPAT com as seguintes ações: formações, conferências, debates com os trabalhadores, publicações etc. As temáticas da SIIPAT deste ano foram: comportamento seguro no ambiente de trabalho, alimentação saudável, ergonomia no trabalho, prevenção de doenças de transmissão sexual, noções básicas de prevenção de incêndios, higiene e saúde ocupacional, riscos de acidentes com produtos perigosos etc. O lema deste ano foi: ‘Pare, pense, pratique segurança’. Cabe destacar que o Brasil é um dos países de América Latina que tem realizado os maiores esforços nas últimas décadas em sua luta contra o HIV/AIDS e outras doenças de transmissão sexual. Neste sentido, a legislação trabalhista de saúde e segurança reúne, entre seus requisitos, a necessidade de que as empresas realizem ações de prevenção do HIV/AIDS e outras doenças sexualmente transmissíveis, como parte de seu programa de prevenção de riscos trabalhistas. França: Prepare o seu lugar de trabalho para a comodidade de seu corpo Ao longo de 2013, a Abertis França implementou uma campanha de saúde ocupacional para que os empregados se conscientizem dos benefícios de adotar boas posturas no lugar de trabalho. Através de pôsteres temáticos distribuídos nos diferentes ambientes de trabalho da filial, foram oferecidos conselhos específicos e fáceis de aplicar no entorno de trabalho.
  • 56. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 56 Ações em segurança e saúde ocupacional nas autoestradas da Abertis (cont.) Espanha: mais segurança e saúde trabalhista no Convênio de Unidade de Negócio A Abertis autopistas Espanha conta com uma política de prevenção de riscos trabalhistas integrada no Sistema Geral de Gerenciamento Integral de Qualidade, Meio Ambiente e Segurança e Saúde no Trabalho, que se vê refletida desde 2013 no novo Convênio de Unidade de Negócio das autoestradas da Espanha. Desta maneira, todas as empresas amparadas por este Convênio têm de levar a cabo as atuações descritas neste capítulo em matéria de segurança e saúde ocupacional. Entre estas ações encontramos: a integração da prevenção em todas as empresas, a avaliação e o controle dos riscos psicossociais, um serviço de prevenção integrado, a vigilância periódica da saúde dos trabalhadores em função dos riscos inerentes ao trabalho, especialmente o das trabalhadoras em situação de gravidez, a cobertura dos trabalhadores por meio de uma seguro de acidentes de trabalho e doenças profissionais e, finalmente, o lançamento de um protocolo de prevenção, detecção e atuação ante o assédio no trabalho e/ou sexual. Chile: implementação e desenvolvimento do Programa Empresa Competitiva A Abertis autopistas Chile realizou conjuntamente com a Mutual de Seguridad a implementação do Programa Empresa Competitiva (PEC). Este programa proporciona uma orientação técnica de reconhecido prestígio nacional que permite implementar um sistema de gerenciamento de segurança e saúde ocupacional. Esta metodologia ajuda a organização a controlar melhor o índice de acidentes no trabalho, estimular uma cultura de segurança e saúde no trabalho e consolidar um profundo compromisso por parte da alta direção com os objetivos traçados em matéria de prevenção de riscos trabalhistas. Ele contém uma série de requerimentos agrupados em 10 módulos que a empresa deve implementar e aplicar, a fim de dar cumprimento à legislação e atingir e melhorar no gerenciamento de seus riscos. A certificação PEC pode atingir vários resultados: qualificação de ‘bom’ (entre 85% e 89%), ‘muito bom’ (entre 90% e 94%) e ‘excelente’ (entre 95% e 100%). Para conseguir esta certificação da Mutual de Seguridad, a Abertis autopistas Chile tem de ser auditada duas vezes ao ano e obter resultados similares em ambas as auditorias. Nas últimas auditorias realizadas em 2013, as diferentes filiais da organização no Chile obtiveram resultados de 75% a 96%. De acordo com a escala de valores que define o instrumento de auditoria da Mutual, isso implicaria resultados de ‘bom’ até ‘excelente’. A empresa conseguiu as melhores certificações em Andes, Sol e Libertadores conseguindo resultados de ‘muito bom’ e ‘excelente’. Chile: o Programa de Resposta Imediata a Incidentes Críticos Em 2013, a maior parte dos acidentes ocorridos nas autoestradas da Abertis Chile, foram resultado de situações de violência e/ou assalto a seus empregados. Com o fim de impedir que este tipo de incidente provoque complicações posteriores, a filial chilena decidiu implementar o Programa de Resposta Imediata a Incidentes Críticos. Este programa consiste em dotar seus trabalhadores de ferramentas psicológicas para poder enfrentar este tipo de situação traumática, evitar o desenvolvimento de fobias e assim diminuir o possível absentismo trabalhista consequente.
  • 57. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 57 Ações em segurança e saúde ocupacional nas autoestradas da Abertis (cont.) Argentina: Campanhas de higiene e saúde ocupacional A Abertis Argentina ofereceu, ao longo de dezembro do 2013, cápsulas informativas sobre temáticas de segurança e saúde, higiene e qualidade e respeito ao meio ambiente, entre seus trabalhadores do centro Ituzaingo, durante a hora do almoço. Estas capacitações têm abarcado aproximadamente o total do quadro desta área. O investimento total realizado pela empresa para o desenvolvimento desta ação foi de 300 euros aproximadamente. A Abertis Argentina também realizou durante o mês de março de 2013, como parte da estratégia de prevenção para a saúde dos trabalhadores, uma Campanha de Vacinação antigripal dirigida ao pessoal da Autopistas del Oeste. Das 500 doses solicitadas, foram aplicadas um total de 321 vacinas nos departamentos de administração, operações, manutenção; e também prestadores de serviço, polícia e quartéis. As doses restantes, 179 vacinas, foi doado a lares infantis e a hospitais públicos de comunidades próximas. Finalmente, a Argentina realizou, ao longo de 2013, duas palestras a estudantes de escolas técnicas sobre higiene e segurança nas empresas. Com estas ações, a organização quis oferecer a estes futuros profissionais conhecimentos sobre as ações realizadas pela abertis no âmbito da Saúde e Segurança no ambiente de trabalho. Assistiram a estas palestras um total de 55 estudantes. Práticas para assegurar a segurança e saúde do pessoal na Telecom A Abertis Telecom realizou ao longo de 2013 diferentes ações com o fim de garantir a segurança e a saúde do pessoal envolvido na instalação, funcionamento e manutenção das torres, estações, cabos e outras plantas exteriores. Entre as práticas, se destacam: 59 avaliações de risco, 13 simulados, 8 relatórios de higiene, 935 reconhecimentos médicos, 72 centros visitados em auditoria interna, 20 centros auditados para preparar auditorias externas OHSAS 18001, 27 avaliações de higiene, 36 investigações de acidentes comunicadas, 88 kits de primeiros socorros repostos em veículos e 43 kits novos.
  • 58. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 58 8. ADAPTANDO-SE ÀS NECESSIDADES DE NOSSO MEIO LINHA ESTRATÉGICA 1: Minimizar o impacto ambiental LINHA ESTRATÉGICA 7: Fomentar e sistematizar canais de diálogo Política Principais Aspectos Experiências práticas 2013 Minimizar o impacto ambiental Gerenciamento ambiental  Abertis Telecom e as Smart-cities  Projeto iCity  Prêmio Socioambiental Chico Mendes 2013 Mitigação das mudanças climáticas  Plano de poupança e eficiência energética Geração e gerenciamento de resíduos  Melhora no gerenciamento de resíduos e das águas residuais Gerenciamento da biodiversidade  A sede da Fundação Abertis, novo centro UNESCO para as Reservas da Biosfera dos Ecossistemas Mediterrâneos  Implantação de um programa de recuperação do meio natural Gerenciamento do ruído Sensibilização ambiental  Formação e sensibilização ambiental Resumo de indicadores 81,4% do volume de negócios com um sistema de gerenciamento ambiental implantado 2,2% do lucro líquido consolidado investido em meio ambiente Incremento das toneladas de CO2e (alcances 1 e 2) 34% em relação ao volume de negócios
  • 59. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 59 A política O principal objetivo da Abertis em seu compromisso com o meio ambiente é incrementar a percentagem de negócio com um sistema de gerenciamento ambiental implantado segundo a norma ISO 14001, para assim melhorar o gerenciamento e minimizar o impacto ambiental de suas atividades. Desempenho Com o desejo de conhecer, reduzir e gerenciar os impactos ambientais da Abertis, várias unidades de negócio da organização dispõem de um sistema de gerenciamento ambiental. Neste sentido, cabe destacar:  A sistematização do gerenciamento ambiental de Autoestradas França e várias concessionárias brasileiras segundo os requisitos estabelecidos pela ISO 14001:2004.  O alto grau de maturidade dos sistemas implantados e certificados segundo a norma de referência ISO 14001:2004 correspondentes às unidades de negócio da Abertis na Espanha.  O início das tarefas de implantação de um sistema de gerenciamento ambiental nos escritórios das autoestradas chilenas, Autoestradas Chile e na concessionária dos Andes. Em 2013, a incorporação de novas concessionárias do Brasil e do Chile no presente relatório implicou uma redução do volume de negócio que dispõe de um sistema de gerenciamento ambiental. Ainda assim, nas novas concessionárias foram realizadas atuações de melhora do meio ambiente (13,6 milhões de euros destinados, 2,2% do lucro líquido consolidado) e leva-se a cabo um controle da legislação ambiental aplicável para assegurar o cumprimento de todos os requisitos legais. Atualmente, 87,7% do volume de negócios da Abertis dispõe de um registro de regulamento ambiental. Em 2013, a Rede AP68 Ebro recebeu uma sanção de 1.000 euros relacionada com a descarga de águas residuais sem autorização. Nível de certificação ISO 14001 Atividade País Alcance Ano 2011 Ano 2012 Ano 2013 Autoestradas Espanha Autoestradas Espanha    Telecomunicações Espanha Abertis Telecom    Sede Central Espanha Serviabertis    Fundação Abertis    Além disso, a França dispõe de um sistema de gerenciamento ambiental implantado de acordo com a ISO 14001. Porto Rico, depois de ter iniciado o processo de implantação do sistema em 2012, formalizou alguns procedimentos de gerenciamento ambiental ajustados às características da infraestrutura. Deste modo, o total do volume de negócios global que dispõe de um sistema de gerenciamento ambiental implantado atinge 81,4%. Sistema de gerenciamento da qualidade Ano 2011 Ano 2012 Ano 2013 % volume de negócios (sobre o total do alcance do relatório) Implantado 94,8% 93,5% 81,1% Em processo 0,5% 0,3% Total 94,8% 93,9% 81,4%
  • 60. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 60 A filosofia dos sistemas de gerenciamento ambiental está baseada na melhora contínua, de maneira que é necessário estabelecer anualmente objetivos, avançando para a excelência ambiental. A Abertis envidou esforços para cumprir os objetivos previstos para 2013, já reportados no relatório anterior, atingindo o seguinte grau de consecução dos mesmos: França  Autoestradas da França implantou medidas dirigidas a reduzir o impacto que sua atividade supõe para as mudanças climáticas. Entre outras ações, em 2013 foram integrados critérios de sustentabilidade energética para a seleção de novos imóveis, foram implantadas medidas específicas para minimizar as emissões associadas ao funcionamento da frota de veículos (formação em condução eficiente, seleção de veículos segundo critérios de sustentabilidade, etc.) e foi realizado o controle e substituição de equipamentos com gases refrigerantes R22. Espanha  Autoestradas Espanha tem desenvolvido ações para melhorar o gerenciamento da água e a eficiência energética em suas instalações e minimizar o impacto ambiental associado ao consumo de sal e gases refrigerantes R22. Também atingiu seus objetivos no âmbito da melhora do gerenciamento de resíduos, descargas e emergências de caráter ambiental.  A Abertis Telecom implantou atuações dirigidas a diminuir a poluição sonora mediante o isolamento acústico de seis centros, incrementar a percentagem de resíduos valorizados e minimizar a geração de emissões de GEE (substituição de equipamentos com gás R22, elaboração de uma auditoria de GEE, etc.).  A Serviabertis conseguiu reduzir o consumo energético e de água, bem como melhorar a separação dos resíduos graças à execução de campanhas de sensibilização do pessoal.  No caso de Fundação Abertis, esforços foram dirigidos a reduzir o consumo de materiais, diesel e eletricidade. Além disso, foi realizada a ambientação de eventos, foi estabelecida uma colaboração com o Parque del Foix para conservar e promover seus valores naturais e paisagísticos, e iniciadas ações para calcular a pegada de carbono associada aos deslocamentos dos assistentes e visitantes do castelo. Aspectos ambientais e medidas implantadas As principais atuações realizadas para minimizar os impactos ambientais significativos identificados em cada unidade de negócio da Abertis são detalhadas a seguir, classificadas por país. Neste sentido, cabe destacar que a identificação dos aspectos ambientais significativos é um aspecto-chave para as unidades que dispõem de um sistema de gerenciamento, bem como para aquelas que ainda não sistematizaram seu gerenciamento ambiental, já que permite estabelecer ações de melhora e priorizá-las em função de sua relevância. Embora a atividade da Abertis esteja centrada no gerenciamento de infraestruturas de transporte e Telecomunicações, devido à recente incorporação de concessionárias do Brasil e ao elevado volume de materiais consumidos para as infraestruturas construídas, levou-se a cabo o aproveitamento de agregados para custear parte do material utilizado. Os principais aspectos e medidas implantadas para minimizar o impacto ambiental de tal atividade estão nas tabelas correspondentes a autoestradas do Brasil, embora para o presente relatório, a Abertis não disponha de dados homogêneos para analisar com detalhe o desempenho ambiental associado. Neste sentido, está prevista a incorporação de informações sólidas ao próximo relatório de Responsabilidade Social Corporativa.
  • 61. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 61 Brasil Aspectos significativos Principais medidas implantadas 2013 Autoestradas/Brasil • Impacto sobre a biodiversidade • Poluição sonora • Poluição atmosférica Biodiversidade: - Colocação de barreiras nas vias para evitar a entrada de fauna e instalação de passagens de fauna. - Sinalização nas vias e realização de campanhas para fomentar a posse responsável de animais de estimação. - Reflorestamento para mitigar os impactos das obras de construção. - Implementação de programas para a proteção da flora e da fauna e para a redução de atropelamentos. - Instalação de cartazes informativos indicando a passagem por zonas protegidas. - Elaboração de um inventário florestal e a delimitação das zonas de exclusão. - Elaboração e implantação de programas de recuperação dos passivos ambientais. Poluição sonora: - Monitoramento do ruído. - Implantação de barreiras de proteção acústica e instalação de telas vegetais para absorver o ruído. - Utilização de veículos que cumprem os valores limite de emissão acústica. Poluição atmosférica: - Realização periódica de medições. - Gerenciamento da frota de veículos (uso regulado e manutenção de veículos) em Fluminense. - Umidificação das vias não pavimentadas para evitar a emissão de pó associada ao trânsito de veículos. - Instalação de filtros de mangas dotados de controle informatizado em usinas de asfalto. Aspectos significativos Principais medidas implantadas 2013 Autoestradas/Brasil • Poluição da água • Geração de resíduos • Consumo de recursos Águas residuais: - Acompanhamento da qualidade das descargas de águas residuais geradas em Planalto Sul e na atividade de aproveitamento de agregados. - Criação de tanques para minimizar a contribuição de sedimentos aos cursos naturais de água associados a obras de construção e instalação de barreiras de contenção. - Implantação de sistemas de separação água/óleo. Geração de resíduos: - Coleta seletiva dos resíduos, incluindo os gerados durante as obras de construção. Consumo de recursos: - Aproveitamento da energia solar para a geração de eletricidade em Autovias e Vianorte. - Acompanhamento dos consumos de água para identificar possíveis incidências. Sensibilização: - Envolvimento dos fornecedores em temas ambientais mediante cláusulas contratuais e formação ambiental. - Formação para o pessoal em assuntos relativos ao gerenciamento dos aspectos ambientais significativos. - Realização de campanhas de conscientização ambiental dirigidas aos usuários de autoestradas e à comunidade local. - Visitas às obras para certificar-se de que nelas se cumprem os requisitos ambientais estabelecidos.
  • 62. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 62 Aspectos significativos Principais medidas implantadas 2013 Autoestradas/Brasil • Emergências • Afetação do solo Emergências: - Implantação de um programa de atuação para minimizar o impacto ambiental associado aos acidentes de veículos que transportam mercadorias perigosas pela estrada. - Realização de simulados de emergência. - Registro e análise das emergências associadas ao transporte de mercadorias mediante o programa KCOR e identificação dos trechos mais conflitantes. - Melhoras na sinalização das vias e instalação de barreiras de segurança rígidas e metálicas. - Tanques de emulsão asfáltica e diesel dentro de tanques de retenção e em zona coberta. Afetação do solo: - Instalação de barreiras de contenção e controle da armazenagem de resíduos. - Implantação de sistemas de drenagem de águas residuais em zonas de extração de agregados. - Controle de solos degradados e instalação de barreiras para frear a erosão fruto do escoamento superficial. - Delimitação das zonas de obra para evitar afetações desnecessárias do solo em áreas limítrofes. França Aspectos significativos Principais medidas implantadas 2013 Autoestradas/França • Poluição da água • Impacto sobre a biodiversidade • Afetação do solo • Geração de resíduos • Consumo de recursos • Poluição atmosférica • Poluição sonora • Emergências Poluição da água: - Implantação de um procedimento de atuação para descargas acidentais e construção de bacias de contenção e tratamento. Biodiversidade: - Garantir a qualidade e adequação dos estudos prévios à construção de infraestruturas, para identificar as opções com menor impacto ambiental. - Manutenção das passagens para animais selvagens. - Gerenciamento de taludes e bordas das estradas com sócios locais. Resíduos e consumo de recursos: - Reutilização dos resíduos de fresagem gerados durante as operações de renovação das pistas e aproveitamento dos entulhos gerados em novas construções. - Racionalização das compras de materiais segundo a política de compra implantada, que favorece a otimização do consumo de materiais e a minimização de resíduos. Poluição atmosférica: - Substituição de gás refrigerante R22. - Critérios ambientais para o gerenciamento da frota de veículos e formação em condução eficiente. Poluição sonora: - Lançamento de um plano de ação para minimizar o ruído e implantação de barreiras e terraplenos acústicos.
  • 63. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 63 Espanha Aspectos significativos Principais medidas implantadas 2013 Autoestradas/Espanha • Poluição da água • Geração de resíduos • Consumo de recursos • Emergências • Impacto sobre a biodiversidade • Poluição atmosférica • Poluição sonora • Afetação do solo Poluição da água: - Construção de novas bacias de contenção de poluentes nos rios Ter, Terri e Fluvià. - Instalação de elementos de retenção de escoamentos acidentais nos sistemas de drenagem da AP-71. Resíduos: - Redação de um edital de licitação único para a Abertis autopistas para melhorar o gerenciamento de resíduos e incrementar a percentagem de valorização. - Assinatura de um convênio com a Fundação ecotic para a coleta e reciclagem dos resíduos elétricos e eletrônicos. Consumo de recursos: - Elaboração de um inventário de poços e captações de água. - Lançamento de um aplicativo para levar a cabo o gerenciamento integral da frota de veículos, controlando o consumo de combustíveis. Emergências: - Redação de um procedimento de atuação em caso de acidentes ambientais em pista. - Acompanhamento de incidências relacionadas com a fuga de combustível de tanques em áreas de serviços. Biodiversidade: - Revisão e substituição dos fechamentos da autoestrada, reforçando trechos para evitar a entrada de fauna. - Instalação de dispositivos e rampas de escape na Avasa. Chile Aspectos significativos Principais medidas implantadas 2013 Autoestradas/Chile • Poluição sonora • Emergências • Poluição da água • Geração de resíduos • Consumo de recursos • Impacto sobre a biodiversidade Poluição sonora: - Realização de medições acústicas nas zonas de maior sensibilidade. - Instalação e manutenção de barreiras acústicas. Poluição atmosférica: - Medições periódicas da qualidade do ar por uma empresa especializada.
  • 64. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 64 Argentina Aspectos significativos Principais medidas implantadas 2013 Autoestradas/Argentina • Impacto sobre a biodiversidade • Poluição atmosférica • Poluição sonora • Geração de resíduos • Consumo de recursos • Emergências Impacto sobre a biodiversidade: - Manutenção dos espaços verdes. - Execução de tarefas de reflorestamento para mitigar os impactos negativos sobre o ecossistema, ocasionados pelas obras de construção. Poluição atmosférica: - Medições periódicas da qualidade do ar por empresa especializada. Poluição sonora: - Uso de asfaltos que minimizam o ruído do rolamento dos veículos. - Instalação de telas vegetais para a absorção do ruído. Sensibilização: - Realização de campanhas de sensibilização para fomentar a reciclagem de resíduos e difusão de boas práticas ambientais para promover um uso responsável da energia. Porto Rico Aspectos significativos Principais medidas implantadas 2013 Autoestradas/PortoRico • Emergências • Impacto sobre a biodiversidade • Poluição sonora • Consumo de recursos • Poluição da água Poluição sonora: - Controle da velocidade dos veículos nos trechos com maior sensibilidade acústica para minimizar o ruído gerado. Emergências: - Realização de formação para o pessoal, em relação às medidas de atuação para minimizar os possíveis impactos ambientais no caso de uma situação de emergência. Sensibilização: - Uso de painéis para sensibilizar os usuários das autoestradas em relação à necessidade de gerenciar corretamente os resíduos, evitando que estes acabem depositados em (domínio público hidráulico) terrenos ribeirinhos.
  • 65. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 65 Espanha Aspectos significativos Principais medidas implantadas 2013 Telecomunicações/Espanha • Geração de resíduos • Consumo de recursos • Afetação do solo Resíduos: - Valorização de 97,81% dos resíduos perigosos e de 100% dos não perigosos. - Instalação de sistemas de aviso de excesso de resíduos de lodos nas fossas sépticas de dois centros. Consumo de recursos: - Geração de energia limpa procedente de fontes de energia renovável, mediante placas solares para autoconsumo em dois centros. - Monitoramento das instalações de aproveitamento de energia renovável existentes em cinco centros. - Realização de auditorias de emissões, clima, água e energia, e estudo da qualificação energética de dois centros. - Substituição de retificadores por outros de energia contínua com maior nível de rendimento em cinco centros. - Implantação de atuações de melhora energética em clima e iluminação em edifícios corporativos de Madri e Catalunha. Aspectos significativos Principais medidas implantadas 2013 Telecomunicações/Espanha • Poluição sonora • Emergências • Emissões atmosféricas • Impacto sobre a biodiversidade Poluição sonora: - Isolamento acústico de seis centros. Emergências: - Instalação de medidas de contenção de escoamentos de diesel nas operações de carga e descarga dos depósitos existentes em dois centros. - Distribuição de kits para fazer frente a descargas acidentais dos ácidos das baterias. Emissões atmosféricas: - Substituição de 16 equipamentos de clima com gás R22, e mudança de gás em outros 50 equipamentos operativos. - Atualização do Inventário de Gases de Efeito Estufa.
  • 66. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 66 Aspectos significativos Principais medidas implantadas 2013 SedeCentral/Espanha • Poluição atmosférica • Geração de resíduos • Consumo de recursos Emissões: - Conhecer a pegada de carbono associada às pessoas que participam dos atos realizados no castelo de Castellet. Resíduos: - Consolidação da campanha para incrementar a quantidade de resíduos coletados seletivamente. Consumo de recursos: - Melhora do controle de gerenciamento do consumo de água, energia e gás. - Modificação da impulsão do ar climatizado em duas plantas do edifício A. - Otimização de consumos ocultos e em modo stand by de máquinas e equipamentos auxiliares. - Regulação e controle da iluminação e climatização. - Sensibilização ambiental através da Aristos para otimizar o consumo de papel, toner e cartuchos de impressora. - Redução do consumo de materiais, água e energia em Castellet. - Ambientação das jornadas realizadas no castelo de Castellet. Sensibilização: - Promoção de boas práticas ambientais entre o pessoal e provedores de serviços de Castellet. - Colaborar na conservação dos valores naturais e paisagísticos do Parque do Foix. Com o desejo de continuar melhorando sua relação com o meio, as linhas de negócio da Abertis estabeleceram objetivos ambientais para o ano 2014, que incluem: Brasil Os objetivos estabelecidos para o ano 2014 incluem a participação ou patrocínio de acontecimentos de caráter ambiental, a realização do acompanhamento mensal de animais atropelados, a ampliação do alcance das tarefas de quantificação dos resíduos coletados nas faixas laterais das autoestradas, a obtenção de uma pontuação mínima mensal no relatório de declaração ambiental (ADA) e a recuperação de solos degradados. Além disso, está previsto dar continuidade às campanhas para reduzir o consumo de água e energia, bem como para sensibilizar ambientalmente o pessoal, fornecedores, usuários e comunidade local. Em relação com as tarefas de conscientização ambiental, destacam-se a celebração de datas ambientais comemorativas (dia da água, dia da árvore…) e o Projeto Viva o Meio Ambiente com as escolas públicas locais. França Os objetivos estabelecidos por Autoestradas França para 2014 estão centrados na execução do programa para a proteção dos recursos hídricos, a finalização dos estudos de proteção do Vale de Somme e a elaboração de estudos sobre a biodiversidade nos arredores das autoestradas. Além disso está previsto continuar a adaptação das áreas de serviço e descanso, através da instalação de contêineres semienterrados e a instauração de terminais para recarga de veículos elétricos. Espanha Os objetivos planejados nas unidades espanholas da Abertis estão orientados à melhora contínua do sistema de gerenciamento implantado e certificado segundo a ISO 14001, destacando a minimização dos impactos ambientais associados aos aspectos e riscos ambientais mais significativos da empresa. De forma mais específica, a Abertis Telecom pretende desenvolver ações de sensibilização através do campus virtual para fomentar a participação do pessoal nos simulados ambientais, continuar o plano de difusão de boas práticas ambientais dirigidas ao pessoal de escritórios e centros técnicos e reforçar a formação do pessoal implicado no gerenciamento de resíduos. Chile Para melhorar o atual controle sobre seus aspectos ambientais, a Abertis autopistas Chile e Autopista Los Andes têm a intenção de implementar um
  • 67. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 67 sistema de gerenciamento ambiental baseado nos requisitos da norma de referência ISO 14001. Em 2014, se avaliará o projeto e, se for o caso, se determinará sua data de implementação. Argentina Autopistas del Oeste definiu como principais objetivos a ampliação do cálculo da pegada de carbono associada ao transporte de seus trabalhadores, a redução do consumo de materiais (papel e papelão) através da implantação de melhoras tecnológicas e sensibilização do pessoal através de sessões de formação e comunicações pela intranet. Porto Rico Os objetivos definidos por Autoestradas Porto Rico estão centrados em dar continuidade à campanha de sensibilização dirigida aos usuários das autoestradas com respeito à necessidade de gerenciar corretamente os resíduos evitando os escoamentos de resíduos em zonas ribeirinhas.
  • 68. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 68 Experiências práticas Abertis Telecom e as Smart-cities Ao longo do ano 2013, a Abertis Telecom participou ativamente de diversos eventos relacionados com a Smart City, nos quais estiveram presentes experts das empresas que desenvolvem soluções e tecnologias com o objetivo de participar da transformação das cidades e impulsionar a relação das administrações com o cidadão. Cabe destacar a participação da Abertis Telecom na quarta edição do foro Greencities & Sustentabilidade, realizado em Málaga, na 17ª edição da feira Municipalia, realizada em Lleida e no Smart City World Congress, realizado em novembro na cidade de Barcelona. O operador do grupo Abertis apresentou os avanços tecnológicos que tem desenvolvido neste campo, como é o caso da plataforma de conhecimento Red Smart, que facilita a integração do conceito de cidade inteligente a partir da especialização de diferentes âmbitos de atuação urbana. Trata-se de três instalações localizadas em Barcelona, Valencia e Madri que permitem a gestores urbanos e empresas testar, avaliar e implementar diferentes soluções e aplicativos concebidos para a cidade do futuro. A Red Smart representa um banco de testes das smart cities e é formada por duas grandes áreas:  A SmartZone, uma delas localizada na sede de Barcelona e inaugurada há 2 anos, é uma reprodução em escala de uma cidade onde são realizados testes como a coleta de dados através de sensores e câmeras, transmissão com redes sem fio de comunicações e monitoramento e gerenciamento dos serviços associados à informação obtida nesta área. No município madrileno de Três Cantos, a Abertis Telecom dispõe de outra SmartZone. Esta segunda está dotada de aplicativos e equipamentos de vídeo e cidade para gerenciar dados e implementar soluções que facilitem e melhorem o contato do cidadão com os serviços prestados pela administração (estacionamentos, tráfico, informação, segurança).  A Sala de Gerenciamento está especializada em serviços e aplicativos de segurança e emergência. Localizada na sede do operador em Torrent (Valencia), esta área conta com todos os elementos da tecnologia TETRA (modems, soluções embarcadas em veículos e sistemas informáticos). Outras soluções orientadas a melhorar a operacionalidade e a eficiência das cidades que foram apresentadas pela Abertis Telecom em 2013:  O sistema de gerenciamento da irrigação em cidades, que a empresa desenvolveu junto à Prefeitura de Barcelona e um de suas parceiros, a OpenTrends, que combina a informação de dados de satélites com sensores terrestres, e que permite atingir uma economia entre 15 e 20% e uma redução do consumo de água de até 35%.  SmartBrain, uma combinação de aplicativos em nuvem que permite o gerenciamento de dados e infraestruturas por parte de seus usuários (administração pública, cidadãos, empresas e desenvolvedores), assim como o seu compartilhamento.  Um mapa de visualização integral da cidade, permitindo a análise de dados de mobilidade, meio ambiente, segurança e vias públicas.
  • 69. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 69 Abertis Telecom e as Smart-cities (cont.) Abertis Smart Partner Program Dentro de suas atividades no setor da cidade inteligente, a Abertis Telecom trabalha no desenvolvimento do meio colaborativo Abertis Smart Partner Program, dirigido às empresas interessadas em trabalhar conjuntamente no desenvolvimento da cidade do futuro. Como parte desta iniciativa de colaboração, o operador lançou o site http://aspp.smartabertis.com/, dirigido às empresas interessadas em trabalhar conjuntamente no desenvolvimento da cidade do futuro. Até o momento, 21 empresas (desenvolvedores de aplicativos, consultorias, fabricantes e empresas de serviços públicos) aderiram ao Abertis Smart Partner Program, cujo objetivo é implementar um meio de criatividade e inovação no âmbito Smart, no qual participem os diferentes atores do ecossistema SmartCity. Projeto iCity No âmbito colaborativo em nível internacional cabe destacar a participação da Abertis Telecom no projeto iCity (2012–2015). Trata-se de um projeto CIP europeu, coordenado pela Prefeitura de Barcelona, que tem como objetivo principal a criação de uma estrutura de colaboração para o desenvolvimento de aplicativos e serviços de interesse público e laboratórios no âmbito das smart cities. O consórcio é formado pela Cisco, Fraunhofer Institute FOKUS, a Fundació per a Universitat Oberta de Catalunya, Citilab, Retevision e as cidades de Barcelona, Londres, Genova e Bolonha. www.icityproject.com Prêmio Socioambiental Chico Mendes 2013 O Programa Viva Meio Ambiente de sensibilização ambiental, dirigido a escolas públicas brasileiras e implantado pela Arteris Brasil, foi premiado pela organização não lucrativa Instituto Internacional de Pesquisa e Responsabilidade Socioambiental Chico Mendes, com o Prêmio Socioambiental Chico Mendes na categoria Ação Socioambiental Responsável. A ONG brasileira, fundada em 2004, tem como objetivo desenvolver ações que contribuam à conservação e proteção do meio ambiente, o desenvolvimento humano e a inclusão social, gerando rendimentos e divulgando conhecimentos técnicos, projetos de investigação e ação. O prêmio Chico Mendes, considerado o maior evento ambiental no Brasil, pretende demonstrar ao país, entre outros aspectos, grandes exemplos de equilíbrio econômico e ambiental. Por conseguinte, o reconhecimento outorgado identifica à concessionária como um exemplo de organização sustentável que compatibiliza o desenvolvimento de sua atividade e a proteção do meio social e ambiental.
  • 70. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 70 Novos serviços da Abertis Telecom Outras soluções apresentadas pela Abertis Telecom em 2013, na Smart City Expo, buscavam otimizar recursos, promover a sustentabilidade e proporcionar dados que facilitem o gerenciamento de um modelo de cidade eficiente:  O sistema de gerenciamento da irrigação em cidades, que a empresa desenvolveu junto à Prefeitura de Barcelona e um de suas parceiros, a OpenTrends, que combina a informação de dados de satélites com sensores terrestres, e que permite atingir uma economia entre 15 e 20% e uma redução do consumo de água de até 35%.  SmartBrain, uma combinação de aplicativos em nuvem que permite o gerenciamento de dados e infraestruturas por parte de seus usuários (administração pública, cidadãos, empresas e desenvolvedores), assim como o seu compartilhamento.  Um mapa de visualização integral da cidade, que centraliza dados procedentes de diferentes fontes, permitindo a visualização e análise detalhada em termos de mobilidade, meio ambiente, segurança e via pública.
  • 71. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 71 8.1. Mitigação das mudanças climáticas A política Cronologia da resposta às mudanças climáticas 2009 - Inserção no Carbon Reduction Commitment - Continuação da participação no Carbon Disclosure Project 2007 - A Abertis participa como parte interessada da convenção catalã sobre as mudanças climáticas 2008 - Elaboração do plano de economia e eficiência energética da Abertis 2010 - Realização da XVI cúpula da ONU sobre as mudanças climáticas -Estudo sobre as emissões indiretas derivadas do uso das autoestradas 2012 - Continuação e resposta ao CDP -A Abertis responde à normativa Bilan Carbon e Carbon Reduction Commitmentt 2013 - Continuação e resposta ao CDP -A Abertis analisa as emissões do alcance 3 segundo o padrão Corporate Value Chain Accounting and Reporting Standard 2011 - Realização da XVII Cúpula da ONU sobre as mudanças climáticas - A Abertis obtém uma pontuação de 85 sobre 100 no relatório CDP 2011 Iberia 25 Consumos •Otimizar o consumo Recursos •Hídricos •Energéticos •Materiais Mitigação •Mitigação das mudanças climáticas
  • 72. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 72 Desempenho A Abertis identifica e gerencia os riscos e as oportunidades que as mudanças climáticas impõem à organização, considerando tanto aspectos diretos como indiretos que possam afetar a seus clientes e fornecedores. Tal atuação é realizada dentro do projeto impulsionado pelo Carbon Disclosure Project (CDP), e está perfeitamente alinhada com os três eixos principais da estratégia de mitigação das mudanças climáticas aprovada pela Abertis em 2005:  Eixo 1: A otimização do consumo de recursos naturais e materiais.  Eixo 2: A alavancagem da implantação de energias renováveis e do uso de combustíveis de menor impacto ambiental.  Eixo 3: A ampliação do compromisso de mitigação das mudanças climáticas aos trabalhadores, clientes e fornecedores. A identificação de riscos e oportunidades é realizada com base na sua classificação segundo o CDP, incluindo os derivados da regulação, das mudanças em parâmetros climáticos físicos e das mudanças em outros aspectos relacionados com o clima. Neste sentido, e com base na incidência das atividades da Abertis nos diferentes países onde opera, os principais riscos que poderiam ser vinculado às mudanças climáticas são especificados por país: Brasil A mudança na média de precipitações pode resultar em um incremento das chuvas e, com isso, um crescimento dos custos derivados da manutenção das infraestruturas das autoestradas brasileiras. Por outro lado, o lançamento de regulamentações ambientais relacionadas com o gerenciamento da fauna, ou cálculo e publicação de emissões de GEE pode originar novos custos operacionais vinculados à obrigatoriedade de novas ações. Destacar também as possíveis mudanças no meio cultural e humano, já que exigirão a implantação de ações para melhorar a relação da empresa com seus empregados e clientes, incrementando os custos operacionais. França A aprovação de novos limites legais de emissão de poluentes para a atmosfera pode implicar a necessidade de reduzir o número de veículos que transitam pelas autoestradas francesas, de modo que a aplicação de novo regulamento é considerada um possível risco para a organização. Também, a mudança no padrão de precipitações poderia influir no trânsito e incrementar os custos associados ao reparo de infraestruturas e ao consumo de materiais para fazer frente ao gelo. Espanha Autoestradas Espanha considera que a mudança no padrão de chuvas poderia reduzir o volume de circulação de veículos, bem como incrementar os custos de reparação das infraestruturas danificadas. Também para a Abertis Telecom, a mudança no regime pluviométrico representa seu principal risco, já que poderia resultar em danos em suas instalações, bem como interrupções na prestação do serviço. Por outro lado, a Serviabertis e a Fundação Abertis consideram que a aprovação de nova legislação, mais restritiva em aspectos como as emissões de gases de efeito estufa ou o consumo energético, pode resultar em um incremento dos custos operacionais associados à adaptação ou substituição de equipamentos e instalações. Chile A mudança na média de precipitações e secas pode pressupor um crescimento dos custos derivados da manutenção das infraestruturas, bem como uma redução dos rendimentos pela diminuição do tráfico. A aprovação de nova legislação também é identificada como risco, já que o cálculo e difusão da pegada de carbono, bem como novas medidas de gerenciamento da fauna, podem implicar custos operacionais importantes. Argentina A mudança no padrão de precipitações, bem como o aparecimento de fenômenos meteorológicos mais extremos são os principais riscos identificados pelas Autopistas del Oeste, principalmente pelo fato de que implicarão custos operacionais para o reparo das vias e taludes limítrofes. Além disso, as restrições de tráfico durante as obras de reparação poderiam resultar em uma redução no uso da infraestrutura.
  • 73. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 73 Porto Rico A localização geográfica da Autoestradas Porto Rico em uma ilha tropical e o previsível incremento do número de fenômenos atmosféricos destrutivos, concretamente furacões, pode implicar uma redução do volume de tráfico e, portanto, uma diminuição de rendimentos, bem como um incremento dos custos de reparação da infraestrutura. Por outro lado, e de acordo com o CDP, a Abertis identifica as oportunidades que as mudanças climáticas podem trazer para a organização, entre as quais destacam:  A otimização dos processos da Abertis em resposta à publicação de nova legislação que implique a necessidade de reduzir e mitigar as emissões e o esgotamento de fontes de energia não renováveis, melhorando assim seu gerenciamento ambiental e minimizando os custos associados ao consumo de recursos e ao gerenciamento de resíduos.  O posicionamento da Abertis como empresa comprometida com o meio ambiente, fruto da necessidade de reportar publicamente informação no terreno ambiental bem como de utilizar fontes energéticas mais sustentáveis. Além disso, no caso das autoestradas prevê-se um incremento de usuários, já que o bom estado da rede em comparação a outras infraestruturas pode ser atraente para os motoristas que queiram praticar uma condução mais eficiente. Em 2013, com o objetivo de minimizar o impacto ambiental associado a suas atividades, as empresas que fazem parte da Abertis implantaram diversas atuações que se centraram principalmente em reduzir o consumo de energia com a conseguinte diminuição das emissões de CO2 associadas. Concretamente, em 2013 registraram-se globalmente economias energéticas de 718.815 kWh, o que significa a não emissão de um total de 2.521 toneladas de CO2. As principais atuações desenvolvidas, por atividade, ao longo de 2013 foram: Autoestradas  Substituição da iluminação existente por iluminação de alta eficiência energética (LED e VSAP).  A instalação de redutores de fluxo elétrico ao longo da rede espanhola de autoestradas.  A implantação de painéis fotovoltaicos para a produção de eletricidade nos call box da rede brasileira.  Lançamento de um centro de seleção de resíduos que permite melhorar a seleção e a armazenagem na rede brasileira.  Sensibilização do pessoal para minimizar a geração de resíduos de plástico, substituindo materiais de uso único por outros reutilizáveis. Telecomunicações  Substituição da iluminação existente por iluminação LED de alta eficiência energética.  Instalação de retificadores de alta eficiência em 26 centros de Telecomunicações. Sede Central  Modificação do sistema de impulsão dos equipamentos de ar acondicionado para reduzir o consumo elétrico na Serviabertis.  Regulação e controle do regime de funcionamento da iluminação em zonas com ocupação intermitente nos edifícios da Serviabertis.  Otimização dos consumos ocultos e em modo stand by de máquinas e equipamentos auxiliares.  Instalação de um medidor no depósito de diesel do grupo eletrogêneo para quantificar o consumo de combustível no castelo de Castellet.  Substituição da iluminação existente em duas salas e uma zona exterior do castelo de Castellet por iluminação LED de alta eficiência. Segundo “A Corporate Accounting and Reporting Standard” , elaborado pelo “The Greenhouse Gas Protocol” (principal padrão de contabilidade de emissões de gases de efeito estufa), as emissões associadas à atividade da Abertis classificam-se em três alcances:
  • 74. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 74  Alcance 1: Emissões diretas que ocorrem em fontes que são de propriedade ou estão controladas pela empresa. Por exemplo, emissões provenientes da combustão em caldeiras, fornos, veículos, etc., que são propriedade ou estão controlados pela empresa; emissões provenientes da produção química em equipamentos de processo próprios ou controlados.  Alcance 2: Emissões da geração de eletricidade adquirida e consumida pela empresa. Eletricidade adquirida define-se como a eletricidade que é comprada ou trazida para dentro do limite organizacional da empresa. As emissões do alcance 2 ocorrem fisicamente na planta onde a eletricidade é gerada. Vale notar que o fator de emissão do consumo de eletricidade varia em função do país no qual a eletricidade foi gerada e, portanto, em função das fontes de energia utilizada no país para gerar a eletricidade.  Alcance 3: Outras emissões indiretas que são consequência da atividade da Abertis, mas cujas fontes não pertencem nem estão controladas pela organização. Este ano, no cálculo, são incorporados os critérios estabelecidos no “Corporate Avalie Chain (Scope 3) Accounting & Reporting Standard”. Neste sentido, no cálculo das emissões de GEE geradas pela atividade da Abertis este ano, que contempla o cálculo das emissões de GEE em 2011, 2012 e 2013, foram levados em conta as seguintes categorias: Compra de bens e serviços (consumo de água, papel e materiais de construção), resíduos gerados nas operações, viagens corporativas, viagens diárias de e para o trabalho e uso de produtos vendidos. Existem outras categorias do alcance 3 que são relevantes para a organização, mas das quais não se dispõe de dados. Além disso, o alcance dos dados não é o mesmo para todas as categorias. O cálculo da pegada de carbono é realizado a partir dos dados de consumos energéticos e outros consumos (materiais, água,…), junto com a geração de resíduos, as viagens corporativas e outros conceitos que podem ser incluídos no alcance 3. Neste sentido, os dados utilizados para o cálculo da pegada de carbono são os mesmos apresentados ao longo do relatório, portanto as limitações no alcance dos dados de origem utilizados para o cálculo da pegada de carbono são também as limitações do dado de emissões de CO2e. Para o ano 2012 não foi incluída a informação sobre os consumos de metais e concreto da Elqui, o consumo de papel das Rutas del Pacífico, nem a água consumida pela Elqui e Rutas del Pacífico. Em 2013, não foram incluídas informações relativas ao consumo de metais na Elqui e Rutas del Pacífico, nem tampouco o consumo de água procedente de empresa fornecedora e os resíduos de borracha gerados nas Rutas del Pacífico. Emissões de CO2e correspondentes a 2013 por país (toneladas) País Alcance 1 Alcance 2 Alcance 3 Total Brasil 48.740,6 1.860,8 4.319.992,1 4.370.593,5 França 18.693,5 4.071,6 2.921.680,0 2.944.445,0 Espanha 6.873,6 62.178,3 1.942.242,3 2.011.294,2 Chile 3.451,4 6.894,1 872.331,4 882.676,9 Argentina 1.173,1 4.134,0 287.780,2 293.087,2 Porto Rico 57,8 296,1 2.706,3 3.060,1 Total 78.990,0 79.434,8 10.346.732,2 10.505.157,0
  • 75. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 75 Emissões de CO2e correspondentes a 2013 por setor de atividade e país Emissões totais (toneladas) Atividade País Alcance 1 Alcance 2 Alcance 3 Total Autoestradas Brasil 48.740,6 1.860,8 4.319.992,1 4.370.593,5 França 18.693,5 4.071,6 2.921.680,0 2.944.445,0 Espanha 4.140,6 13.525,6 1.938.947,8 1.956.614,0 Chile 3.451,4 6.894,1 872.331,4 882.676,9 Argentina 1.173,1 4.134,0 287.780,2 293.087,2 Porto Rico 57,8 296,1 2.706,3 3.060,1 Telecom Espanha 2.666,5 46.338,9 2.307,2 51.312,5 Sede Central Espanha 66,5 2.313,8 987,4 3.367,7 Emissões de CO2e correspondentes a 2013 segundo volume de negócios (toneladas de CO2e por milhão de €) Autoestradas Telecom. Sede Central Alcances 1 e 2 27,8 132,8 630,8 Alcance 3 2.687,5 6,3 261,7 Total dos alcances 2.715,4 139,1 892,5 Emissões de CO2e correspondentes a 2013 em relação à atividade Autoestradas (tn CO2e/IMD) Telecomunicações (tn CO2e/Centros técnicos) Sede Central (tn CO2e/Mil trabalhadores) Alcances 1 e 2 5,47 0,80 8,38 Alcance 3 528,72 0,04 3,47 Total dos alcances 534,20 0,84 11,85 Evolução das emissões por atividade 2011 2012 2013 Evolução 2012- 2013 Autoestradas (tn CO2e/IMD) 283,23 280,79 534,20 90,27% Telecomunicações (tn CO2e/Centros técnicos) 0,93 0,82 0,84 1,59% Sede Central(tn CO2e/Mil Trabalhadores) 8,97 10,31 11,85 14,89% Evolução das emissões de CO2 Emissões de CO2e (Tn) Ano 2011 Ano 2012 Ano 2013 Alcance 1 e 2 100.993,8 101.559,5 158.424,8 Alcance 3 6.236.216,1 5.870.311,6 10.346.732,2 Total dos alcances 6.337.209,8 5.971.871,1 10.505.157,0 Por milhão de € de volume de negócios (alcances 1 e 2) 28,4 28,0 37,5 Por milhão de € de volume de negócios total (total dos alcances) 1.782,7 1.644,2 2.488,3 Em nível global, as emissões da Abertis aumentaram ao redor de 76% em valor absoluto com respeito ao ano anterior e 51% em valor relativo ao volume de negócios. Tal incremento deve-se fundamentalmente à incorporação no cálculo das emissões associadas às concessionárias das autoestradas do Brasil e Chile.
  • 76. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 76 As emissões do alcance 3 são as que experimentaram um maior crescimento, principalmente devido à consideração das categorias de emissão, uso de bens e serviços e consumo de materiais (principalmente em obras e manutenção das autoestradas brasileiras). Evolução das emissões de CO2e por país11 Evolução das emissões de CO2e por setor de atividade 11 Para facilitar a interpretação da evolução das emissões de CO2eq por países, por setor de atividade e por fontes, não se incluem nos gráficos as emissões de GEE das categorias: Uso de bens e serviços e materiais. Evolução das emissões de CO2e por fonte As linhas de negócio da Abertis levam a cabo um rastreamento e controle do regulamento relativo a emissões atmosféricas, adotando as medidas necessárias para cumprir os requisitos estabelecidos pela legislação nacional. Vale notar que Autopistas del Oeste e Autopistas del Sol realizam avaliações da qualidade do ar através de empresas especializadas, controlando o cumprimento dos limites legais correspondentes aos parâmetros NO2, O3, CO, SO2 e partículas em suspensão (PM10). 0 20.000 40.000 60.000 80.000 100.000 120.000 140.000 160.000 180.000 200.000 2011 2012 2013 t.CO2eq Brasil Argentina Porto Rico França Chile Espanha 0 20.000 40.000 60.000 80.000 100.000 120.000 140.000 160.000 180.000 200.000 2011 2012 2013 t.CO2eq Sede central Autoestradas Telecomunicações 0 20.000 40.000 60.000 80.000 100.000 120.000 140.000 160.000 180.000 200.000 2011 2012 2013 t.CO2eq Gás natural Gasóleo para aquecimento Biodiesel Etanol Gasóleo para motores diesel GLP Eletricidade Viagens avião Viagens trem Viagens ônibus Viagens carros Resíduos Água Transporte e distribuição upstream Transporte e distribuição downstream Bens ou serviços que a Abertis arrenda a terceiros Eliminação de produtos adquiridos
  • 77. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 77 Consumo de água12 A água consumida nas unidades de negócio da Abertis provém de empresa fornecedora e de fontes próprias. A água fornecida pela empresa representa 75% do consumo, a água de fontes próprias corresponde a 24%, enquanto o consumo de água pluvial representa 1% do total da água consumida. Evolução do consumo de água na Abertis Consumo de água em valores absolutos (m3) Atividade País 2011 2012 2013 Autoestrada s Brasil 159.210 França 299.814 260.094 348.595 Espanha 300.456 104.615 87.195 Chile 74.720 Argentina 18.316 18.773 7.245 Porto Rico 1.321 997 1.324 Telecom Espanha 8.008 9.095 9.532 Sede Central Espanha 13.249 14.607 13.332 12 Os dados de 2011 e 2012 das Rutas del Pacífico e Elqui não foram incluídos, nem o consumo de água de canais e represas da rede AP7/AP2 Acesa. Em 2013, não foi considerado o consumo de água procedente da rede de fornecimento de Rutas del Pacífico, já que não foi possível verificar os dados. Consumo de água em relação à atividade Atividade País 2011 2012 2013 Autoestradas (m3/IMD) Brasil 8,82 França 12,72 11,36 15,13 Espanha 14,35 5,58 4,91 Chile 4,41 Argentina 0,24 0,24 0,09 Porto Rico 0,08 0,06 0,08 Telecomunicações (m3/Centros técnicos) Espanha 0,15 0,15 0,16 Sede Central(m3/Mil Trabalhadores) Espanha 40,58 50,30 46,91 Consumo de água em relação ao volume de negócios por setor de atividade O consumo de água das autoestradas aumentou significativamente devido, em parte, à incorporação das atividades gerenciadas pela Abertis no Chile e no Brasil no alcance do presente relatório. Em valores absolutos, a Autoestradas França incrementou significativamente seu consumo, bem como a Abertis Telecom, cujo peso em nível de consumo global de água é pouco relevante. Autoestradas Espanha, Autoestradas Argentina e Sede Central diminuem o consumo de água 193 121 167 0 50 100 150 200 250 m3/milhão de € de volume de negócios Ano 2013 Ano 2012 Ano 2011 213 20 129 24 178 26 0 1.000 Autoestradas Telecomunicações m3/milhãode€devolume denegócios Ano 2011 Ano 2012 Ano 2013
  • 78. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 78 graças, em grande parte, ao rastreamento do consumo e à conscientização de toda a equipe humana. Consumo de energia A eletricidade constitui a principal fonte de energia consumida na Abertis (54,8%), seguida pelos combustíveis líquidos (43,6%). O consumo de gás natural e GLP são minoritários, chegando a atingir 1,6% conjuntamente. Distribuição do consumo de energia Eletricidade A Abertis consome eletricidade procedente de rede elétrica, embora caiba destacar que nas autoestradas brasileiras, francesas e na Abertis Telecom se produz e se consome energia elétrica gerada através de placas solares fotovoltaicas (207.453 kWh). Evolução do consumo de eletricidade na Abertis Consumo de eletricidade em valores absolutos (MWh) Atividade País 2011 2012 2013 Autoestrad as Brasil 27.365 França 51.581 47.625 51.539 Espanha 48.988 47.201 46.480 Chile 1.238 7.609 15.633 Argentina 11.818 10.826 10.600 Porto Rico 772 738 589 Telecom Espanha 162.489 153.046 159.240 Sede Central Espanha 8.498 8.405 7.951 Consumo de eletricidade em relação à atividade Atividade País 2011 2012 2013 Autoestradas (MWh/IMD) Brasil 1,52 França 2,19 2,08 2,24 Espanha 2,34 2,52 2,61 Chile 0,10 0,56 0,92 Argentina 0,15 0,14 0,13 Porto Rico 0,05 0,04 0,04 Telecomunicações (MWh/Centros técnicos) Espanha 2,99 2,52 2,60 Sede Central (MWh/Mil Trabalhadores) Espanha 26,03 28,94 27,98 54,8% 1,1% 43,6% 0,5% 0% 20% 40% 60% 80% 100% Eletricidade Gás natural Combustíveis líquidos GLP 86 82 76 0 20 40 60 80 100 120 140 MWh/milhão de euros de volume de negócios Ano 2013 Ano 2012 Ano 2011
  • 79. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 79 Consumo de eletricidade em relação ao volume de negócios por setor de atividade Os consumos elétricos em valores absolutos mantiveram-se praticamente constantes, exceto no caso das autoestradas situadas no Chile, onde se registrou um incremento significativo do consumo em MWh. Também os dados relativos ao consumo elétrico por atividade apresentam desvios de destaque em relação a períodos anteriores, embora, em linhas gerais, se detecte um ligeiro incremento. Gás natural O principal consumidor de gás natural da Abertis são as autoestradas, representando 97% do total do consumo. Consumo de gás natural em valores absolutos (MWh) Atividade País 2011 2012 2013 Autoestradas Brasil 0,0 França13 5.138 5.658 5.982 Espanha 0,0 0,0 0,0 Chile 0,0 0,0 0,0 Argentina 205 212 253 Porto Rico 0,0 0,0 0,0 Telecom Espanha 162 178 158 Sede Central Espanha 21 22 23 Evolução do consumo de gás natural na Abertis 13 O consumo foi estimado com base no custo de gás natural de 2013. 39 404 38 399 40 432 0 50 100 150 200 250 300 350 400 450 500 Autoestradas Telecomunicações MWh/milhãodeeurosdevolume denegócios Ano 2011 Ano 2012 Ano 2013 8,37 1,80 1,53 0 2 4 6 8 10 MWh/milhão de euros de volume de negócios Ano 2013 Ano 2012 Ano 2011
  • 80. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 80 Consumo de gás natural em relação à atividade Atividade País 2011 2012 2013 Autoestradas (MWh/IMD) Brasil 0,0 França 0,22 0,25 0,26 Espanha 0,0 0,0 0,0 Chile 0,0 0,0 Argentina 0,0 0,0 0,0 Porto Rico 0,0 0,0 0,0 Telecomunicações (MWh/Centros técnicos) Espanha 0,0 0,0 0,0 Sede Central (MWh/Mil Trabalhadores) Espanha 0,07 0,08 0,08 Consumo de gás natural em relação ao volume de negócios por setor de atividade O consumo absoluto de gás natural aumentou de forma não significativa em Autoestradas França, Argentina e Sede Central, enquanto na Abertis Telecom se registrou uma redução de 11% em relação ao ano anterior. Os dados globais refletem um ligeiro incremento de 6% no consumo total de gás natural. No relativo ao consumo de gás natural por atividade, os valores obtidos refletem o baixo consumo do combustível nas unidades de negócio da Abertis. Combustíveis líquidos14 O principal consumo de combustíveis líquidos na Abertis se produziu na frota de veículos, que representa 94% do consumo total de combustíveis líquidos, incluindo diesel consumido pela maquinaria utilizada no gerenciamento de infraestruturas, os veículos e grupos eletrogêneos. Consumo de combustíveis líquidos em valores absolutos (litros) Atividade País 2011 2012 2013 Autoestradas Brasil 16.314.876 França 4.625.236 4.988.135 5.361.752 Espanha 1.747.645 1.815.163 1.431.808 Chile 1.022.925 893.489 1.273.999 Argentina 363.203 460.700 411.414 Porto Rico 21.425 19.495 21.584 Telecom Espanha 1.163.852 1.065.976 984.552 Sede Central Espanha 6.621 8.776 23.094 14 Os dados de consumo de combustíveis de Rutas del Pacífico e das fontes móveis da Elqui em 2012 foram excluídas já que não é possível fazer uma estimativa. 1,8 0,40 2,0 0,46 1,6 0,43 0,0 0,5 1,0 1,5 2,0 2,5 Autoestradas Telecomunicações MWh/milhãodeeurosde volumedenegócios Ano 2011 Ano 2012 Ano 2013
  • 81. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 81 Consumo de combustíveis líquidos em relação à atividade Atividade País 2011 2012 2013 Autoestradas(litros/IMD) Brasil 903,3 França 196,2 217,8 232,7 Espanha 83,5 96,8 80,5 Chile 82,8 66,2 75,2 Argentina 4,7 6,0 5,2 Porto Rico 1,3 1,1 1,3 Telecomunicações (litros/Centros técnicos) Espanha 21,4 17,6 16,0 Sede Central (litros/Mil Trabalhadores) Espanha 20,3 30,2 81,3 Consumo de combustíveis líquidos em relação ao volume de negócios por setor de atividade Evolução do consumo de combustíveis líquidos na Abertis Em 2013, o consumo global de combustíveis líquidos em valores absolutos aumentou de forma muito significativa, principalmente como consequência da incorporação ao presente relatório do consumo associado às autoestradas brasileiras, que representam 63% do consumo total de combustível na Abertis. Também, a Autoestradas Espanha, autoestradas da Argentina e a Abertis Telecom reduziram o consumo de combustíveis líquidos ao longo do ano. Ainda que com um peso menor no uso de combustíveis fósseis, a Abertis consumiu ao longo de 2013 um total de 2.728.818 litros de biocombustíveis para o funcionamento da frota de veículos (68%) e equipamentos auxiliares (grupos eletrônicos) (32%) em várias de suas concessionárias localizadas no Brasil. 2.678 2.8952.744 2.783 6.494 2.668 0 1.500 3.000 4.500 6.000 7.500 Autoestradas Telecomunicações Litros/milhãode€devolume denegócios Ano 2011 Ano 2012 Ano 2013 3.304 2.746 6.157 0 1.000 2.000 3.000 4.000 5.000 6.000 7.000 litros/milhão de € de volume de negócios Ano 2013 Ano 2012 Ano 2011
  • 82. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 82 Consumo de materiais15 As unidades de negócio da Abertis consomem uma ampla variedade de materiais, sendo os mais significativos aqueles utilizados em tarefas de construção e manutenção de infraestruturas viárias. Materiais consumidos (tn) Ano 2011 Ano 2012 Ano 2013 % do material consumido de origem reciclada Granulados 2.164.909 1.073.683 1.911.955 13,6% Aglomerado asfáltico 788.079 546.914 1.357.989 32,1% Concreto 333.420 148.453 239.699 40,1% Metais 19.722 6.057 52.538 0,2% Tintas 2.566 1.735 42.059 0,0% Papel16 262 203 319 2,2% Sal 30.854 46.751 103.687 0,0% Líquido anticongelante e descongelante 31 117 473 0,0% Principalmente devido à incorporação das concessionárias brasileiras no alcance do presente relatório, registrou-se em 2013 um incremento do consumo de materiais pela Abertis. Além disso, cabe destacar que a execução de obras e tarefas de melhora nas autoestradas do grupo tem suposto um maior consumo dos materiais associados a ditas tarefas. A quantidade de sal e líquidos anticongelantes e descongelantes aumentou em relação a 2012 por tratar-se de um parâmetro que flutua em função do ano, já 15 Os dados de consumo de materiais de 2012 não incorporam o consumo de concreto e metais da Elqui nem o consumo de papel de Rutas del Pacífico, já que não se dispõe de dados fiáveis relativos às quantidades consumidas. Pelo mesmo motivo, os dados correspondentes a 2013 não incluem o consumo de metais da Autopistas del Sol e Rutas del Pacífico. 16 Os dados do Chile não foram incluídos por não se dispor de informação. que está relacionado diretamente com a temperatura e pluviometria registrada durante o inverno. Consumo de materiais em autoestradas correspondentes a 2013 por país (t) Atividade País Granulado s Aglomerado Concreto Metais Autoestradas Brasil 892.971,6 298.788,5 55.757,6 15.574,9 França 645.947,5 640.990,5 15.111,6 17.052,5 Espanha 322.686,5 317.238,7 164.804,0 19.631,5 Chile 48.677,3 75.187,9 968,4 149,0 Argentina 1.672,0 25.783,0 3.057,0 129,7 Porto Rico 0,0 0,0 0,0 0,0 Atividade País Tintas Papel Sal Anticongela nte Autoestradas Brasil 40.777,0 126,0 0,0 0,0 França 638,5 32,8 82.052,15 473,3 Espanha 574,7 121,4 21.634,8 0,0 Chile16 7,6 0,0 0,0 Argentina 60,7 12,1 0,0 0,0 Porto Rico 0,1 0,4 0,0 0,0 A Abertis Telecom e Sede Central registraram consumos de papel de 7,0 e 16,8 toneladas respectivamente, sendo este o material mais significativo para essas unidades. Ainda assim, as características particulares das diferentes unidades de negócio da Abertis têm como consequência a identificação, em algumas delas, de outros materiais cujo consumo é relevante. Neste sentido, destacam o consumo de:
  • 83. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 83  Sacos de resíduos (100 unidades. de 60 l, 100 unidades de 200 l, 100 unidades de 20 l), copos de plástico (25 unidades de 80 ml e 20 unidades de 200 ml) e pás (1.000 unidades) na Arteris Brasil.  Resinas (181 litros) e pregos (30.477 unidades) em Autovias.  Materiais de sinalização (779 sinais, 962 perfis para a instalação de sinais e 512 cones) e 250 barreiras de segurança em Intervias.  Perfis de madeira (800 kg), barreiras plásticas (50 kg) e cones de PVC (230 kg) em Vianorte.  Areias e resinas em Planalto Sul (461 t).  Paralelepípedos e materiais similares destinados a pavimentar (25.285,7 t) no Brasil.  Material de enchimento na França (41.400 t).  Polímeros de união, juntas de neoprene, conglomerado hidráulico, materiais aderentes, microesferas, materiais poliméricos e asfaltamentos antioxidantes em Autoestradas Espanha (480 t).
  • 84. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 84 Experiências práticas Plano de poupança e eficiência energética A Abertis tem consciência da necessidade de otimizar o consumo energético em suas linhas de negócio para reduzir seu impacto ambiental diante das mudanças climáticas. Por isso, em 2013 implantou múltiplas atuações dirigidas à economia e eficiência energéticas, entre as quais destacam: França: Programa “Engagements Verts” Em 2013, foi concluído o programa “Engagements Verts”, através do qual a Sanef, ao longo de 3 anos, realizou 40 projetos e até 300 intervenções com um investimento de 250 milhões de euros, com o objetivo de melhorar a integração de suas infraestruturas no meio e melhorar os serviços prestados aos usuários das autoestradas. Os investimentos centraram-se em cinco âmbitos: a redução das emissões de CO2, a proteção dos recursos hídricos, a proteção contra o ruído, a proteção da biodiversidade e o desenvolvimento do ecoprojeto. Através do ecoprojeto, pretende-se integrar as técnicas mais sustentáveis na concepção, execução e manutenção dos diferentes projetos previstos pelo grupo, tanto nos lugares de exploração como em áreas de serviço, e conceber as novas edificações incorporando o uso de materiais respeitosos com o meio ambiente, tendo em conta a economia energética e a implantação de energias renováveis. Neste sentido, o edifício Eco-pôle, que desde abril abriga a sede da Direção da rede Este da Sanef, constituindo o projeto emblemático do programa “Engagements Verts”, obteve a certificação HQE (Haute Qualité Environnementale). Esta certificação leva em conta diversos aspectos que avaliam a sustentabilidade durante o ciclo de vida dos edifícios: consumos energéticos totais, contribuição para as mudanças climáticas, produção de resíduos, consumos de água, a saúde e o conforto, qualidade do ar interior, controles acústicos, custo de manutenção, valor verde, etc. O edifício conta com uma série de características tais como um sistema de climatização por geotermia, isolamentos reforçados e ventilação de duplo fluxo, e dispõe de 800m2 de painéis solares capazes de produzir 240.000 KWh por ano, convertendo-o em um dos primeiros edifícios de energia positiva (BEPOS) da França. Outro dos principais projetos do programa “Engagements Verts”, lançado em 2013, foi a criação do novo espaço de promoção do carpooling, em “Paris-Oise”, que se soma aos quatro já existentes na rede gerenciada pela Sanef. Este projeto faz parte da estratégia europeia a favor de um uso eficiente das infraestruturas e também contribui à redução das emissões derivadas dos deslocamentos e a melhora dos serviços oferecidos aos usuários das autoestradas. Foram realizadas quatro intervenções principais: a criação de um estacionamento para carpooling de 103 vagas, um estacionamento de 124 vagas para veículos pesados, preparação das infraestruturas para aumentar a comodidade e a renovação da estação de pedágio n° 9 de Pont-Sainte-Maxence na autoestrada A1, com a instalação do serviço de telepedágio, o que tem permitido melhorar a fluidez, o conforto e a qualidade do serviço.
  • 85. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 85 Plano de economia e eficiência energética (cont.) Espanha: Melhora da eficiência energética das instalações O departamento de Meio Ambiente da Abertis autopistas Espanha, realizou ao longo de 2013 uma melhora na eficiência energética das instalações. O objetivo desta atuação foi a otimização do consumo energético e a redução da contaminação ambiental e do risco de que esta se produza nas autoestradas da Abertis. As ações realizadas para esta atuação foram: a instalação de 6 reguladores de fluxo que ajustam o nível de iluminação em função do tráfico da rede Acesa e a renovação de equipamentos de ar acondicionado no pedágio de Lleida e na área de manutenção de Lleida; a renovação de luminárias no pedágio e a área de manutenção de Vallcarca, da rede Aucat, e a renovação do equipamento de ar acondicionado do edifício de controle de Vallcarca; a renovação com focos de LED nos acostamentos dos túneis da rede Iberpistas; a renovação de luminárias e a instalação de um equipamento central para o controle da intensidade de luz na área de serviço El Fantasma e a instalação de reguladores de fluxo nas áreas Dos Hermanas e Las Cabezas de San Juan, da rede Aumar AP4; a renovação do equipamento de ar acondicionado do edifício de Sant Vicenç, da rede Invicat; e a renovação de transformadores de PCB (bifenilpoliclorados) em Atmella, Villarreal e Hospitalet de l’Infant, e a renovação do equipamento de ar acondicionado do edifício de Vinaroz, da rede Aumar AP7. O impacto destas medidas foi a melhora meio ambiental e a economia energética graças à redução de emissões de CO2 para a atmosfera, a redução de emissões de gás R-22 para a atmosfera e a diminuição de risco de contaminação do PCB. Espanha: Plano diretor de manutenção elétrica 2013-2014 O departamento de Meio ambiente da Abertis autopistas Espanha realizou, em base a seu programa de eficiência, a implementação de um Plano Diretor de manutenção elétrica 2013-2014 ao longo de 2013. Com este Plano Diretor, a Abertis procura um modelo de exploração mais eficiente, responsável e sustentável. As principais atuações de manutenção elétrica foram: a regulação do fluxo da iluminação, a otimização da iluminação exterior, o apagamento total ou parcial da iluminação decorativa, a otimização dos consumos nas vias de pedágio, a otimização dos consumos nas áreas de manutenção e a otimização dos consumos nos edifícios e estações de pedágio. A implantação deste Plano Diretor implica uma redução de emissões de 2.804 toneladas de CO2/ano, uma economia bruta anual entre 500.000€ e 900.000€ (em função do apagamento total ou parcial da iluminação nas vias, troncos e conexões). Para realizar um correto acompanhamento dos impactos deste plano será revisado o consumo em MWh de energia elétrica e a redução das toneladas de CO2 indiretamente enviadas à atmosfera.
  • 86. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 86 8.2. Gerenciamento dos resíduos e das águas residuais A política O principal objetivo da Abertis em matéria de resíduos é reduzir a geração e melhorar o gerenciamento, priorizando a reutilização e a reciclagem. Em matéria de águas residuais, o objetivo é melhorar dia a dia seu tratamento e qualidade. Desempenho A geração de resíduos17 na Abertis aumentou 75% com respeito a 2012, em grande parte como consequência da ampliação do alcance do relatório (concessionárias do Brasil e Chile). Outro fator que incidiu no crescimento foi a implantação, nas autoestradas da Espanha, de uma nova sistemática para melhorar o controle e acompanhamento dos resíduos gerados por fornecedores. Esta ação permite à concessionária espanhola conhecer com exatidão não somente os resíduos gerados por sua equipe, mas também pelas organizações que trabalham em seu nome. Evolução na geração e tratamento dos resíduos 17 Os dados de geração de resíduos de 2013 não incorporam a geração de resíduos de borracha de Rutas del Pacífico, já que não se dispõe de dados fiáveis relativos à quantidade. Cabe destacar que o alcance dos dados associados à geração de resíduos no Chile não é uniforme para todas as concessionárias do país. RESÍDUOS GERADOS 2013 Perigosos t geradas % tratado TOTAL DE PERIGOSOS 8.684,0 99,9% Solventes usados 5,9 92,9% Óleos minerais usados 84,2 98,4% Pinturas, vernizes, tintas e resíduos adesivos 1,4 46,3% Resíduos químicos misturados 100,6 97,4% Lodos de emulsões água/óleo 7.952,7 100,0% Veículos eliminados (veículos) 407,0 100,0% Equipamentos elétricos e eletrônicos eliminados 91,7 99,2% Pilhas e acumuladores 32,5 97,6% Componentes e equipamentos eliminados 8,1 99,9% Não perigosos t geradas % tratado TOTAL NÃO PERIGOSOS 289.834,8 90,8% Resíduos metálicos (exclui embalagens) 1.644,4 100,0% Embalagens metálicas 4,9 100,0% Embalagens de vidro 128,5 100,0% Resíduos de papel e papelão (exclui embalagens) 564,2 100,0% Embalagens de papel e papelão 165,7 99,6% Resíduos de borracha 583,8 100,0% Resíduos plásticos (exclui embalagens) 257,0 100,0% Embalagens de plástico 49,8 100,0% Resíduos de madeira 148,5 100,0% Equipamentos elétricos e eletrônicos eliminados 8,4 92,9% Resíduos vegetais 544,6 14,7% Resíduos domésticos e similares 6.333,6 65,9% Lodos comuns secos 0,0 0,0% Lodos comuns úmidos 2.065,6 99,6% Resíduos de construção e demolição 277.258,7 91,4% Outros resíduos de preparados químicos 77,1 100,0% 386.088 (70%) 31.999 (19%) 271.958 (91%) 167.590 (30%) 138.861 (81%) 26.560 (9%) 0 100.000 200.000 300.000 400.000 500.000 600.000 Ano 2011 Ano 2012 Ano 2013 Resíduos valorizados (toneladas) Resíduos não valorizados (toneladas)
  • 87. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 87 Além dos resíduos incluídos na tabela anterior, a Fundação Abertis gerou 2 filtros de óleo e 2 de diesel, 3 kg de poliestireno expandido, 50 litros de anticongelante e pequenas quantidades de papelão pluma, CDs e disquetes. Geração de resíduos não perigosos (RNP) por setor de atividade e país (t) Atividade País 2011 2012 2013 Autoestradas Brasil 30.355,8 França 102.221,0 146.213,7 95.174,1 Espanha 446.952,8 20.505,8 161.756,5 Chile 56,3 671,5 Argentina 924,9 1.301,6 1.379,7 Porto Rico 0,4 74,2 82,6 Telecom Espanha 210,3 239,4 232,4 Sede Central Espanha 100,5 104,8 103,3 Geração de resíduos perigosos (RP) por setor de atividade e país (t) Atividade País 2011 2012 2013 Autoestradas Brasil 54,5 França 2.148,5 2.202,9 8.319,7 Espanha 74,5 72,7 151,5 Chile 0,2 9,5 Argentina 4,2 5,6 6,3 Porto Rico 0,2 0,1 0,2 Telecom Espanha 106,0 81,7 75,9 Sede Central Espanha 8,4 0,5 1,1 Autoestradas França e Autoestradas Espanha são as unidades que apresentam um maior desvio em comparação com 2012 no relativo à quantidade de resíduos não perigosos gerados. As concessionárias francesas reduziram em 35% a quantidade de resíduos produzida, enquanto a quantidade gerada nas autoestradas da Espanha foi de sete vezes a quantidade registrada no ano anterior. Em relação aos resíduos perigosos, em 2013 houve um incremento generalizado, embora a Abertis Telecom tenha registrado uma redução de 7%. Métodos de tratamento das águas residuais Devido ao consumo de água nas diferentes unidades de negócio, a Abertis gera águas residuais principalmente classificadas como águas assimiláveis a domésticas, como consequência de sua baixa carga poluente. Também devido ao desenvolvimento de atividades associadas principalmente à limpeza das zonas de manutenção de instalações e equipamentos, são geradas águas que podem conter traços de óleos, hidrocarbonetos ou outros produtos similares. Em 2013, o volume de águas residuais associadas à Autoestradas Espanha, Autoestradas Argentina e Serviabertis chegou a 112.641.7 m3 . Em função da tipologia das águas residuais geradas, estas foram vertidas nas redes de saneamento públicas através da conexão à rede de esgoto ou coletadas e tratadas através sistemas de depuração e fossas sépticas. Com o desejo de seguir avançando na melhora do gerenciamento das águas residuais, em 2013 realizaram-se atuações neste âmbito, como a conexão de duas áreas de serviço e dois pedágios da Aumar à rede pública de saneamento, a instalação de cinco pontos de escoamento em autoestradas da Aulesa ou a elaboração de um banco de dados para inventariar todos os pontos de escoamento da Autoestradas Espanha para melhorar o controle em relação à execução de análise dos dejetos. Em relação às análises de águas residuais, foram realizadas em várias autoestradas espanholas, Autopistas del Oeste, Rutas del Pacífico, Autopistas del Sol, Planalto Sul e Autopista Los Andes.
  • 88. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 88 Experiências práticas Melhora no gerenciamento dos resíduos e das águas residuais Ao longo de 2013, a Abertis implantou medidas para minimizar os resíduos gerados por sua atividade e gerenciar corretamente aqueles que não se puderam evitar, bem como melhorar o gerenciamento das águas residuais geradas. A seguir, apresentamos as principais atuações realizadas neste âmbito: Brasil: Adesão ao Projeto Participe & Recicle A concessionária da Abertis autopistas Brasil Régis Bittencourt continuou colaborando com o Projeto Participe & Recicle em 2013 para assegurar o correto gerenciamento de vários resíduos tecnológicos, como por exemplo, resíduos de pilhas e baterias, componentes eletrônicos e lustres. A otimização da logística de coleta e transporte de resíduos desde os pontos de armazenagem de Autoestradas Régis Bittencourt até os centros de seleção, implica uma redução das emissões de CO2 associadas ao transporte de resíduos, bem como o correto gerenciamento do resíduo nos centros de processamento onde se efetua a reciclagem, recuperação ou reutilização dos resíduos, em função de seu estado e características. Espanha: Convênio de Colaboração com a Fundação ECOTIC O departamento de Meio Ambiente da Abertis autopistas Espanha realizou ao longo de 2013 um Convênio de Colaboração com a Fundação ECOTIC. O objetivo deste convênio resultou na homogeneização da sistemática a seguir em todos os Pontos Limpos da Abertis autopistas para o gerenciamento dos resíduos elétricos e eletrônicos gerados. Além disso, ele representa uma grande eficiência quanto aos custos gerados (aparelhos de ar condicionado, semáforos, equipamentos informáticos, quadros elétricos). Participaram deste convênio todos os operadores logísticos, e as plantas de tratamento que intervêm no gerenciamento trabalham em todo o território nacional, estando devidamente autorizados. Das empresas que foram contratadas pela ECOTIC para a coleta de resíduos e o tratamento em planta, cabe destacar que a TAXILEÓN, S.L. (empresa de transporte em todo o território nacional exceto na Andaluzia) e a planta de tratamento FUNDOSA RECICLALIA, S.A. estão qualificadas e inscritas no Registro de Centros Especiais de Emprego (C.E.E), contribuindo, portanto, à integração de deficientes nas atividades de gerenciamento de resíduos elétricos e eletrônicos. As ações realizadas foram: o estabelecimento dos requisitos a cumprir no convênio para o cumprimento da legislação vigente e outros requisitos estabelecidos pelos procedimentos implantados na Abertis autopistas, por parte da SGI; a colocação de contêineres e a implantação do novo gerenciamento por parte da manutenção central; e finalmente a revisão jurídica dos requisitos do convênio em cumprimento do regulamento de contratos e de outros requisitos estabelecidos pela própria Corporação da Abertis. O resultado destas medidas foi a homogeneização do protocolo seguido para o gerenciamento dos resíduos elétricos e eletrônicos, eficiência no gerenciamento e contribuição com a integração de deficientes nas atividades de gerenciamento destes resíduos. O departamento de Meio Ambiente da Abertis Telecom realizou ao longo de 2013 uma melhora no gerenciamento dos resíduos nos centros técnicos da Catalunha. O objetivo desta atuação foi um gerenciamento de resíduos mais eficiente e a implantação de medidas preventivas diante de possíveis vazamentos durante o armazenamento dos resíduos.
  • 89. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 89 Melhora no gerenciamento dos resíduos e das águas residuais (cont.) As ações realizadas para esta atuação foram: a distribuição de contêineres de separação de resíduos (de papel, plástico e orgânico) em escritórios com pessoal 24 horas; a distribuição de cestas com rodas e grande capacidade de armazenamento de resíduos elétrico-eletrônicos nos centros de trabalho; a instalação de sistemas de aviso de enchimento em fossas sépticas independentes e a formação em gerenciamento de resíduos do novo responsável pelo ponto de armazenamento de resíduos da Zona de Catalunha. O impacto destas medidas foi a minimização dos vazamentos no armazenamento de resíduos e a melhora da sensibilização sobre o correto gerenciamento dos resíduos. Espanha: Melhora do gerenciamento das águas residuais Em 2013, foi realizada a conexão de água da área de serviço espanhola El Cuadrejón, que até então se provia de água fornecida mediante caminhões cisterna, à rede municipal de abastecimento. Esta atuação permite obter melhoras nos âmbitos econômico, operacional e ambiental, já que:  Elimina o custo do transporte de água ao depósito da Área de Serviço El Cuadrejón.  Melhora o gerenciamento do fornecimento da água potável diante da demanda de clientes em datas especiais.  Poupa as emissões de CO2 associadas ao funcionamento do caminhão cisterna.
  • 90. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 90 8.3. Gerenciamento da biodiversidade A política Em seu compromisso de preservação do meio ambiente, a estratégia de RSC da Abertis inclui múltiplas atuações orientadas a minimizar o impacto das infraestruturas sobre a biodiversidade e potencializar sua conservação e melhora. Desempenho O impacto das atividades da Abertis sobre a biodiversidade constitui um dos aspectos de maior significância ambiental para a organização. Ao nível de negócio, as unidades correspondentes às autoestradas (incluindo as tarefas de aproveitamento de agregados para utilização na manutenção e construção de infraestruturas) e Telecomunicações, são as que apresentam uma maior influência sobre a biodiversidade, derivada da ocupação do território e do fato de que, em vários casos, as infraestruturas se localizam ou ocorrem em meios naturais protegidos. Os quilômetros de autoestradas ou a superfície de centros de Telecomunicações colocados em espaços com algum tipo de proteção correspondentes a 2013 são os seguintes:  116,9 km de autoestradas gerenciadas pela Abertis na Espanha atravessam espaços da Rede Natura 2000.  349,6 km de autoestradas gerenciadas pela Abertis na França passam por espaços protegidos.  2,2 km de autoestradas gerenciadas pela Abertis em Porto Rico (correspondem à Ponte de Teodoro Moscoso) passam por espaços protegidos.  581,0 km de autoestradas gerenciadas pela Abertis no Brasil.  10,3 km de autoestradas gerenciadas pela Abertis no Chile.  89.273,5 m2 de espaços ocupados pelas instalações gerenciadas pela Abertis Telecom. Com o objetivo de minimizar seu impacto no meio natural, a Abertis realizou em 2013 mais uma identificação e avaliação dos principais impactos de sua atividade sobre a biodiversidade e implantou atuações para minimizar esse efeito. Principais impactos sobre a biodiversidade em autoestradas e Telecomunicações  Alteração e fragmentação do território  Dispersão de espécies  Afeta a fauna e a flora  Eliminação de espaços naturais e risco de destruição de hábitats  Afetação dos cursos de água  Incremento do ruído  Impacto visual e paisagístico Principais medidas de preservação implantadas  Permeabilização das infraestruturas através de medidas como a habilitação de passagens de fauna ou a construção de pontes  Implantação de programas de controle e proteção da fauna  Plantações de flora autóctone  Recuperação da vegetação e restauração paisagística  Realização de estudos prévios à construção da infraestrutura para definir o traçado com menor impacto ambiental  Medidas relativas à prevenção de incêndios florestais  Convênio com associações regionais de conservação do meio ambiente em vias gerenciadas pela França  Instalação de barreiras acústicas  Dosagem eficiente de sal nas autoestradas durante os meses de inverno  Aplicação limitada de produtos fitossanitários em taludes e laterais das autoestradas  Gerenciamento correto de resíduos
  • 91. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 91 Experiências práticas A sede da Fundação Abertis, novo centro UNESCO para as Reservas da Biosfera Mediterrâneas A sede da Fundação Abertis, o castelo de Castellet, foi eleita como novo centro para as Reservas da Biosfera dos Ecossistemas Mediterrâneos impulsionada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). Esta meta reforça o compromisso da Abertis e da Fundação Abertis com o meio ambiente, que vem precedido da realização de vários trabalhos, investigações, publicações e jornadas em favor de um desenvolvimento sustentável. A designação permitirá um estudo profundo da região mediterrânea, dado que o castelo de Castellet encontra-se em um lugar único, com uma rica biodiversidade, e possui a certificação ISO 14:001, o que garante um correto gerenciamento ambiental que minimiza seu impacto no território. O plano de atividades previsto para ser desenvolvido em Castellet estará centrado na criação de um fundo de documentação sobre a sustentabilidade nos espaços naturais, bem como nos serviços ambientais das Reservas da Biosfera e indicadores de sustentabilidade em rede. Também será elaborado um banco de dados dentro da cooperação Norte-Sur a partir da compilação de publicações sobre cooperação internacional relativas às Reservas da Biosfera e Parques Nacionais da região Mediterrânea. Também serão organizados seminários, encontros, programas educativos, excursões e passeios didáticos. Implantação de um programa de recuperação do meio natural Autoestradas brasileiras Régis Bittencourt é consciente dos impactos que a construção e manutenção de infraestruturas viárias impõem o meio. Por isso, em 2013, foi implantado um Programa de recuperação de passivos ambientais. As principais atuações desenvolvidas dentro do programa foram: • Atualização do inventário de passivos ambientais elaborado em 2008, incorporando duas novas áreas. • Recuperação de 22 zonas ambientalmente degradadas, mediante a estabilização de taludes, o revestimento vegetal e a execução de drenagens. • Garantia da efetividade das medidas implantadas nas zonas recuperadas. • Rastreamento do estado das áreas limítrofes às infraestruturas para identificar a existência de zonas afetadas por processos erosivos. Está previsto que ao longo de 2014 se dê continuidade aos trabalhos de recuperação dos passivos ambientais existentes na rede da Autoestradas Régis Bittencourt.
  • 92. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 92 8.4. Gerenciamento do ruído A política O objetivo da Abertis no que se refere à poluição sonora é minimizar o impacto acústico das atividades da organização, priorizando o impacto sobre as comunidades locais. Desempenho Um dos aspectos ambientais de maior significância no caso da linha de negócio de autoestradas é a geração de ruído. Por isso, a Abertis implanta medidas para minimizar a poluição sonora associada às autoestradas, entre outras:  a instalação e manutenção de barreiras acústicas.  a utilização de asfaltos redutores de som.  a realização de medições, dedicando especial atenção aos pontos com maior sensibilidade ambiental. Além das atuações indicadas anteriormente, a Abertis leva a cabo um acompanhamento do impacto ambiental das autoestradas que gerencia. A evolução global da percentagem de quilómetros gerenciados pela Abertis nos quais se monitorou o impacto acústico diminuiu 27 pontos percentuais devido, principalmente, à incorporação das novas concessionárias do Brasil e do Chile no presente relatório. 2011 2012 2013 Km de autoestrada 67% 66% 39% Analisando os dados por país, 100% das autoestradas francesas e argentinas são objeto de rastreamento acústico, seguidas das espanholas (52%), brasileiras (5%) e chilenas (2%). Entre as atuações realizadas pelas concessionárias da Abertis em relação à minimização do ruído, cabe destacar aquelas implantadas pelas autoestradas francesas no âmbito do Paquet Vert, programa assinado com o Governo francês e iniciado em 2010. A elaboração de planos de prevenção do ruído, o estabelecimento de proteções e isolamentos acústicos e a modernização e melhora dos equipamentos existentes têm constituído os principais eixos de atuação dirigidos à redução do impacto acústico de Autoestradas França. O resultado obtido com o desenvolvimento das atuações citadas é a existência de mais de 500 residências, situadas em zonas limítrofes às vias de comunicação, protegidas contra o ruído. A Abertis Telecom também trabalha para minimizar o ruído associado ao funcionamento dos equipamentos de Telecomunicações, através do isolamento de seus centros.
  • 93. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 93 8.5. Sensibilização ambiental A política O objetivo da Abertis é ampliar o compromisso ambiental a todos os grupos de interesse, tanto internos como externos. Por isso, as unidades de negócio realizam diferentes atuações de sensibilização ambiental. Desempenho Com o desejo de ampliar o compromisso da Abertis com o meio ambiente, as unidades de negócio realizam atuações de sensibilização ambiental dirigidas a seus grupos de interesse (trabalhadores, fornecedores e clientes). Em 2013, o investimento total em ações de sensibilização ambiental, realizadas principalmente na Espanha, foi de 215.839,30 euros. Atuações de sensibilização realizadas Brasil As autoestradas brasileiras realizaram várias ações dirigidas a sensibilizar sua equipe humana, fornecedores e usuários, bem como a comunidade local. Entre as atuações desenvolvidas em 2013, destacam-se:  Celebração do Dia do Meio Ambiente, Dia Mundial da Água e Dia da Árvore. Durante estas datas foram entregues materiais informativos, distribuídas sementes de figueira aos usuários das autoestradas e difundidas mensagens de conscientização ambiental através de painéis situados em algumas pontes, entre outras ações.  Sessões de sensibilização ambiental foram dirigidas ao pessoal interno para tratar dos aspectos ambientais mais significativos da atividade e como gerenciá-los corretamente. Destacam-se as formações específicas dirigidas a mitigar os impactos ambientais associados às obras de construção e ao uso de produtos herbicidas.  Conselhos ambientais à equipe para fomentar a coleta seletiva de resíduos, por exemplo, através de banners nas telas dos computadores.  Distribuição da revista Boletim Viajar, oferecida trimestralmente aos usuários nos pedágios e que inclui notícias ou artigos de temática ambiental (Fluminense).  Formação aos principais fornecedores para assegurar que conheçam os critérios ambientais estabelecidos pelas autoestradas.  Campanhas de conscientização ambiental dirigidas aos usuários das autoestradas para promover, entre outros aspectos, a minimização e o correto gerenciamento dos resíduos através de mensagens de boas práticas. Para fomentar a separação de resíduos, foram instalados contêineres para a coleta seletiva em áreas de serviço.  Campanha Viva Meio Ambiente dirigida aos educadores e alunos de escolas públicas. Com o desejo de capacitar o pessoal docente para que transmita aspectos ambientais aos estudantes, foram realizadas sessões pedagógicas durante as quais se ofereceu material para utilizar em classe. Além disso, foram organizados concursos de temática ambiental dirigidos ao alunato, que servem para confeccionar cartazes e pontos de livro com mensagens ambientais entregues nos pedágios aos usuários das autoestradas. França Autoestradas França tem dado continuidade à sensibilização dos usuários nas principais áreas de serviço, através da projeção de um audiovisual de temática ambiental durante o qual se informa sobre a política da organização e boas práticas ambientais. No final de 2013, começou uma campanha de comunicação destinada aos clientes para valorizar as atuações levadas a cabo para proteger a biodiversidade. Está previsto que esta campanha tenha continuidade ao longo de 2014.
  • 94. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 94 Espanha Em 2013, a Autoestradas Espanha continuou sua campanha de sensibilização do pessoal através da Aristos, oferecendo informação relativa aos aspectos ambientais mais significativos da atividade, como por exemplo, o consumo de água, energia ou o gerenciamento de resíduos, e proporcionado diretrizes para conduzir de forma sustentável. Além disso, através das tarefas de coordenação de atividades empresariais, foram entregues pautas de gerenciamento ambiental às empresas contratadoras. A Abertis Telecom realizou, em 2013, várias ações de formação ambiental entre as que se destacam a formação presencial de controle operacional ambiental para o pessoal das zonas territoriais, a formação on-line através do Campus Virtual dirigida a todo o pessoal e a formação específica em gerenciamento de resíduos para o novo responsável pelo ponto de armazenamento de resíduos da zona de Catalunha. Além disso, foi colocado à disposição do pessoal na Intranet corporativa um aplicativo para calcular as emissões de CO2 e conhecer boas práticas ambientais, além do lançamento da revista interna “Conectados on-line” em formato eletrônico, como medida de redução do consumo de papel. Em 2013, a Serviabertis deu continuidade à campanha da Aristos, informando o pessoal da organização sobre as boas práticas ambientais a implantar para favorecer a diminuição dos consumos de recursos energéticos, água, toner e papel, e o correto gerenciamento dos resíduos gerados. Por sua vez, a Fundação Abertis realizou tarefas de sensibilização para os visitantes do castelo de Castellet, com informações relativas ao sistema de gerenciamento ambiental implantado. Além disso, proporcionou informação ambiental a seus fornecedores, apresentando-lhes sua política ambiental e as principais normas de gerenciamento a adotar. Argentina Com o desejo de transmitir o compromisso ambiental da Autopistas del Oeste e fomentar hábitos ambientalmente mais corretos na sociedade, em 2013 foram realizadas um total de 6 palestras em escolas primárias e secundárias. Alguns os aspectos tratados durante as sessões foram a reciclagem do papel e papelão, a coleta e reciclagem de óleo vegetal usado e a eficiência energética. Estes temas também foram tratados com o pessoal da organização através comunicados e jornadas de sensibilização. Porto Rico No caso da Autoestradas Porto Rico, as atuações implantadas em 2013 centraram-se em formar o pessoal para melhorar o gerenciamento de resíduos perigosos e responder às emergências em caso de vazamentos acidentais. Além disso, foram instalados painéis com mensagens nos pedágios para sensibilizar os usuários das autoestradas sobre a importância de não poluir os cursos fluviais.
  • 95. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 95 Experiências práticas Formação e sensibilização ambiental Com o desejo de implicar os grupos de interesse na melhora ambiental da organização e da sociedade em general, a Abertis leva a cabo periodicamente atuações de formação e sensibilização. A seguir apresentam-se algumas das atuações mais destacadas implantadas ao longo do ano 2013: Brasil: Campanha “Viva o Meio Ambiente” Mediante o projeto “Viva o Meio ambiente”, as concessionárias brasileiras da Abertis estabelecem vínculos com as escolas públicas para promover o conhecimento ambiental entre os corpos docente e discente da região. Mais concretamente, durante o programa foram realizadas as seguintes atuações: • Sessões de capacitação do pessoal docente, durante as quais foram realizados exercícios baseados em dinâmicas de grupo. Algumas reuniões contaram com a participação de representantes da Secretarias e Departamentos municipais de Educação. • Intercâmbio de experiências entre as escolas participantes, revisando os resultados obtidos no terreno ambiental e planejando futuras atuações. • Entrega de material pedagógico dirigido a docentes e alunos das escolas participantes, em forma de kits, livros e histórias em quadrinhos educativas. • Concursos de slogans e desenhos relacionados com o meio ambiente, premiando os alunos ganhadores e publicando os temas premiados em marcadores de livro e cartazes. Para 2014, está previsto dar continuidade à campanha, incluindo novas escolas ao programa. Espanha: Continuidade à campanha de sensibilização da Aristos A campanha de sensibilização da Aristos continuou durante o ano de 2013, oferecendo informação para melhorar o gerenciamento ambiental da equipe da Autoestradas Espanha, Abertis Telecom e Sede Central. Está previsto dar continuidade à campanha em 2014, reforçando as boas práticas para desenvolver e otimizar o consumo de recursos e minimizar o gerenciamento dos resíduos e as emissões atmosféricas. Espanha: Formação ambiental na Abertis Telecom O departamento de Meio Ambiente da Abertis Telecom realizou em 2013 um programa de formação e sensibilização ambiental entre os trabalhadores dos centros técnicos da Catalunha. As ações realizadas nesta atuação foram: a formação presencial sobre controle operacional ambiental durante as auditorias internas; a formação on-line através do Campus Virtual da organização para todo o pessoal implicado. Além disso, foi colocado à disposição do pessoal dos centros, através de sua publicação na Intranet Corporativa, um contador de emissões de CO2 que permite conhecer de forma personalizada as emissões, segundo as atuações e boas práticas implantadas de cada empregado de Telecom da Catalunha. O impacto destas medidas foi a melhora da formação e da sensibilização ambiental de todo pessoal.
  • 96. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 96 9. FORNECEDORES LINHA ESTRATÉGICA 5: Ampliar o compromisso de responsabilidade social aos fornecedores e empresas contratadas. LINHA ESTRATÉGICA 7: Fomentar e sistematizar canais de diálogo Política Principais Aspectos Experiências práticas 2013 Ampliar o compromisso de responsabilidade social aos fornecedores e empresas contratadas. Ampliação do compromisso a fornecedores e empresas contratadas  Contribuindo com valor social para o Grupo A política Resumo de indicadores 97,7% de contratos com cláusulas sociais e ambientais 98,7% das compras realizadas a fornecedores locais 339 fornecedores foram analisados de acordo com o sistema de avaliação de RSC
  • 97. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 97 A política Através do processo de homologação de fornecedores e da inclusão de cláusulas sociais e ambientais nos editais para a contratação e adjudicação de licitações, a Abertis amplia seu compromisso de responsabilidade social às empresas fornecedoras que fazem parte da sua cadeia de fornecimento. Desempenho Devido à natureza da atividade que a Abertis desenvolve, seus fornecedores vêm, principalmente, do setor serviços e estão vinculados aos âmbitos da construção, difusão, serviços profissionais e fornecimento de energia elétrica. Na Espanha, a procedência geográfica da maioria de fornecedores é nacional. O resto dos fornecedores distribui-se entre: Suécia, Grã-Bretanha, Suíça, Alemanha, Estados Unidos, Itália e Brasil. As compras realizadas pelas unidades de negócio incluídas neste relatório correspondem a 17,4% do volume de negócios agregado das mesmas. Deste volume, 98,7% dessas compras foram feitas a produtores locais18 , contribuindo, deste modo, para o desenvolvimento da economia local e a redução do impacto ambiental derivado do transporte. Este número se manteve constante com relação a 2012. Volume de compras locais País % Brasil 99,9% Espanha 97,9% Chile 93,5% Argentina 92,8% Porto Rico 100% 18 Os dados da Arteris Brasil, Centrovias, Autoestradas França, Rutas del Pacífico e Elqui não foram incluídos no cômputo total por não se dispor de informações. Um fornecedor local é aquele que tem seu domicílio fiscal no país onde o Grupo presta seus serviços ou entrega seus produtos. O Portal de Fornecedores constitui a principal ferramenta para divulgar os princípios de responsabilidade social da organização entre seus fornecedores, permitindo uma avaliação contínua para, assim, assegurar que os mesmos cumprem as condições necessárias de classificação como fornecedores homologados ano após ano. O processo de homologação contempla critérios ambientais e sociais para avaliar os fornecedores e facilita a identificação dos fornecedores mais avançados no âmbito da responsabilidade social. O portal, fruto da colaboração entre a Direção de Compras e Serviços Gerais, o Comitê de RSC e o Comitê de Qualidade da Abertis, iniciou sua implantação em 2011. Desde então, trabalhou-se na ampliação do alcance desta ferramenta, que em 2013 abarca as empresas da Espanha, e começou sua implantação no Brasil, com a previsão de ampliá-lo ao Chile. Neste último, foi implantado este ano a nova versão do Regulamento para Prestadores de Serviços e Subcontratantes, que abarca os aspectos que os fornecedores devem cumprir em matéria de segurança e saúde no trabalho. Com este Portal único de fornecedores, a Abertis busca a simplificação e homogeneização dos processos relacionados com a compra de produtos e serviços, de tal forma que sejam aplicáveis a qualquer unidade de negócio, evitando a multiplicação de esforços, e acelerando os processos de contratação de bens e serviços. Os objetivos que, de maneira geral, procuram aumentar o número de fornecedores registrados, homologados e avaliados, durante 2013 se materializaram em:  Consolidação do registro e avaliação contínua de fornecedores através do Portal de Fornecedores da Abertis e sua ferramenta Docuplus.  Incremento do número de licitações gerenciadas através do Portal de Compras da Abertis  Realização de auditorias a fornecedores críticos O processo corporativo de Avaliação de fornecedores está centralizado e é realizado através de um modelo de serviço de registro, avaliação e homologação de fornecedores subcontratado da Achiles. Este serviço permite que os dados e documentação do fornecedor registrado estejam permanentemente atualizados e mantém o comprador informado sobre qualquer variação quanto ao estado do fornecedor.
  • 98. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 98 O serviço de auditorias constitui o nível mais alto de gerenciamento do risco na relação com os fornecedores. Em 2013, foram realizadas 28 auditorias a fornecedores críticos na Espanha que consistiram em avaliar in situ informações a respeito da Responsabilidade Social Corporativa, Gerenciamento de Qualidade, Prevenção de Riscos Trabalhistas, Gerenciamento Ambiental, Recursos Técnicos e Recursos Humanos, permitindo obter informações diferenciais dos fornecedores, aspecto muito valorizado em índices de investimento socialmente responsável como o DJSI. No escore em RSC os fornecedores são avaliados com base em uma bateria de indicadores vinculados ao nível de desenvolvimento da responsabilidade social destas organizações, de acordo com o compromisso de responsabilidade social da Abertis. Entre os indicadores que são avaliados, se encontram: a adesão a iniciativas internacionais em matéria de RSC; a definição de uma estrutura de relações que fomente os canais de diálogo com os grupos de interesse; a implementação de sistemas de gerenciamento; a existência de plataformas de comunicação que fomentem a transparência e que indiquem os objetivos, compromissos e os resultados obtidos. Os indicadores estão agrupados por blocos temáticos, cada bloco tem uma ponderação diferente para a determinação de uma pontuação final, de maneira que, uma vez elaborada a homologação, obtém- se uma avaliação objetiva da classificação do fornecedor em matéria de RSC, que inclui três faixas:  A+: Fornecedores com uma pontuação acima da média  A: Fornecedores com uma pontuação dentro da média  B: Fornecedores com pontuação abaixo da média Em 2013, foi avaliado um total de 361 organizações fornecedoras na Espanha, das quais 339 foram analisadas segundo o sistema de avaliação de RSC. A+ A B 2013 Número de fornecedores 106 166 67 Volume de compras (milhões de euros) 55,9 47,2 15,9 2012 Número de fornecedores 74 141 55 Volume de compras (milhões de euros) 71,8 32,3 9,6 2011 Número de fornecedores 59 99 42 Volume de compras (milhões de euros) 19,6 27 6,3 Nos países onde o portal de homologação de fornecedores não está implantado, são seguidos procedimentos de homologação de fornecedores e de licitação próprios, incorporando cláusulas ambientais e sociais em editais técnicos para a contratação e nas licitações, requisito que, em muitos casos, está descrito nos sistemas de gerenciamento ambiental ou da qualidade implantados, e que implica a extensão dos princípios da organização aos seus fornecedores. Em 2013, 97,7% dos concursos e licitações apresentados incluíram este tipo de cláusulas, de um total de 915. Esses dados refletem um incremento com respeito aos registrados em 2012, devido principalmente à inclusão do Brasil e Chile. Número de concursos com cláusulas sociais e ambientais apresentados 2011 412 2012 405 2013 894
  • 99. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 99 Experiências práticas Contribuindo com valor social para o Grupo Pelo segundo ano consecutivo, a Abertis participou na jornada realizada pela Business with social value em Barcelona. O aumento da oferta de serviços e produtos de empresas sociais, em relação ao ano anterior, vai consolidando este evento como um encontro eficaz para que as empresas mercantis os conheçam diretamente, facilitando sua contratação e cumprindo assim a LISMI, o Decreto de Medidas Alternativas e as cláusulas sociais. Esta edição do Business with social value manteve os três tipos de espaços de networking da passada edição: os ‘speech’, forma de compartilhar novos conhecimentos mediante miniconferências sobre as últimas tendências em temas empresariais e sociais; as reuniões `face-to-face’, oportunidades de negócio pré-agendadas, e o 10x3, atividade com o objetivo de apresentar desafios e gerar novas sinergias.
  • 100. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 100 10. AGREGANDO VALOR À COMUNIDADE LINHA ESTRATÉGICA 6: Comprometer-se com a comunidade e com o tecido social LINHA ESTRATÉGICA 7: Promover e organizar canais de diálogo Política Principais Aspectos Experiências práticas 2013 Garantir um vínculo permanente com a comunidade, fundamentado na participação ativa e assimilação das necessidades sociais Consolidação das relações com a sociedade civil  Cátedras Abertis  Sensibilização em Segurança Viária nas ruas  Segurança Viária nas escolas  ‘V Dia do Voluntariado’ Gerenciamento da ação social e patrocínios  Abertis com a cultura e o patrimônio  Abertis e seu compromisso com a comunidade Resumo de indicadores 247 reuniões mantidas com um total de 63 associações 1,1% de contribuição social sobre o lucro líquido consolidado 65% de investimento em iniciativas sociais de longo prazo e alinhadas com o negócio
  • 101. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 101 A política O entorno sobre o qual ocorrem os impactos econômicos, sociais e ambientais, diretos ou indiretos da empresa se refletem na comunidade. Por esta razão, a visão e os valores da organização têm de considerar e incluir a comunidade e manter um vínculo de médio e longo prazo que repercuta sobre seu bem-estar social. Desempenho A atividade da Abertis, baseada no gerenciamento de infraestruturas e de centros de Telecomunicações, oferece à comunidade um serviço público com o fim de melhorar sua mobilidade e comunicação, e assegurar um acesso sustentável e responsável a novos mercados. As diferentes atividades contêm planos de emergência para preservar a continuidade do serviço em caso de acidentes. Assim, também se consegue limitar o impacto que a interrupção do serviço pode produzir sobre a comunidade, tendo em conta o seu caráter público. Diferentes impactos, diretos e indiretos, positivos e negativos, podem se produzir sobre a comunidade como resultado da presença e o gerenciamento de infraestruturas de transporte e de centros de Telecomunicações. O principal impacto positivo é o desenvolvimento econômico e social da área, resultado da própria presença das infraestruturas, já que estas geram emprego e promovem o turismo. Ao mesmo tempo, apoiam o progresso de economias de aglomeração e a implantação de outras atividades econômicas ao redor da infraestrutura. Os centros de Telecomunicações, por sua vez, favorecem o desenvolvimento da zona facilitando a comunicação e o intercâmbio de informações entre os diferentes agentes e, por esta razão, têm um papel importantíssimo no gerenciamento de emergências. O impacto ambiental resultante da localização das infraestruturas sobre o meio produz incidências significativas. A ocupação do território, o impacto acústico, a geração de resíduos ou o efeito sobre a qualidade do ar, da água e do solo são alguns dos principais impactos. Com o fim de diminuir este impacto ambiental, a Abertis desenvolveu diferentes ações contidas no presente relatório. A Abertis estabelece relações com a comunidade por meio de seu trabalho direto com as organizações da área onde atua. Também através de atuações de patrocínio e ação social. Atua-se em 5 âmbitos de acordo com a atividade do Grupo: mobilidade e segurança viária, meio ambiente, acessibilidade social e desenvolvimento econômico, acessibilidade cultural e formação e pesquisa. Em 2013, a Autoestradas Brasil recebeu um total de quatro sanções administrativas devido à não apresentação, dentro dos prazos estabelecidos, de documentação trabalhista obrigatória segundo a lei. O custo total destas sanções foi de 4.736,3 euros. A Autoestradas Espanha e a Rutas del Pacífico receberam sanções com um valor de 29.604,4 euros e de 5.628,7 euros, respectivamente, derivadas de trâmites e gestões administrativas. Também a Centrovias pagou uma compensação de 264,9 euros devido ao incumprimento de obrigações administrativas. Por sua vez, a Abertis Telecom recebeu uma sanção de 132.000 euros, emitida pela Agência Estatal de Segurança Aérea, devido à existência de uma antena que altera o tráfico aéreo do aeroporto de Sabadell (que foi retirada, já que no momento da colocação da antena não se violou nenhum aspecto legal) junto com nove sanções relacionadas com aspectos urbanísticos que totalizam 22.418 euros.
  • 102. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 102 10.1. Consolidação das relações com a sociedade civil Para a Abertis, estar presente na comunidade tem uma grande importância e é entendido como um fator essencial conservar uma relação proativa com ela para poder gerenciar de maneira integradora os impactos que a atividade da organização possa ter sobre a sociedade. Por esta razão, a Abertis conta com diferentes canais de comunicação (telefone, e-mail, correio postal, site) a partir dos quais a comunidade pode transmitir à organização suas consultas, queixas, propostas ou reclamações. Em casos específicos, dispõe-se também de comitês criados com o fim de manter uma comunicação direta e bidirecional com a comunidade. A Abertis gerencia sua presença na comunidade através de 63 associações e coletivos locais de diversos âmbitos dos quais participa (ambiental, social, empresarial e cultural) e, neste sentido, manteve um total de 247 reuniões com estas organizações. Do mesmo modo, a Abertis estabelece convênios e/ou colaborações com governos e entidades locais com o objetivo de implementar ações que fomentem a melhora das comunidades nas quais desenvolve sua atividade. As metas estabelecidas pelas diferentes empresas do Grupo para 2013 buscavam a melhora da relação com o entorno, promovendo a comunicação e minimização dos impactos ambientais, através do aumento da participação e da visibilidade da organização na comunidade e no desenvolvimento de ações de suporte ou colaboração com organizações locais. Fundação Abertis: uma organização dedicada às pessoas e ao meio ambiente A Fundação Abertis nasceu em 1999 e desde então um de seus compromissos principais tem sido o trabalho a favor da proteção do meio ambiente. A Fundação tem impulsionado a pesquisa em matéria de sustentabilidade, tem organizado jornadas científicas e tem editado numerosas publicações. Todo este trabalho teve sua recompensa em 2013, quando o castelo de Castellet, sede da Fundação, foi designado ‘Centro da UNESCO para as Reservas Mediterrâneas da Biosfera’. Este foi possivelmente o desafio mais importante da Fundação Abertis em 2013. Quanto à atenção às pessoas, o Programa de Segurança Viária é o projeto de maior peso específico na atividade da Fundação. Em 2013, foi lançada uma nova campanha de sensibilização dirigida a jovens, com os quais a Fundação se reuniu nas zonas de lazer de Madri e Barcelona, sob o lema ‘Te queda uma vida’. O projeto Cooperante Vial, por sua vez, consolidou-se em Barcelona pelo terceiro ano consecutivo, e foi lançado em Madri. Os protagonistas desta ação são jovens com síndrome de Down que realizam ações de observação dos pedestres e motoristas nas zonas próximas a escolas e anotam hábitos que os usuários deveriam melhorar. Atividades similares em matéria de segurança viária foram desenvolvidas ao longo de 2013 no Chile e no Brasil. Também a 5ª Edição do Dia do Voluntariado Corporativo, que a Fundação Abertis apoia a cada ano, teve uma grande repercussão em nível internacional. Neste sentido, representantes dos voluntários da Espanha, França, Argentina, Chile e Porto Rico participaram do ato institucional celebrado na sede do Grupo em Barcelona, no passado 11 de dezembro. Nesta ocasião, o debate girou em torno do aumento da pobreza. Tendo em conta esta problemática, as atividades de ação social que a Fundação apoiou durante o último ano se basearam em programas formativos que contribuem a superar a atual situação econômica em médio prazo, bem como iniciativas de atenção aos coletivos mais desfavorecidos. Nessa linha, a Fundação contratou 8 jovens em risco de exclusão social para levar a cabo uma campanha de sensibilização ambiental nas praias do litoral de Barcelona durante os meses do passado verão. A Fundação Abertis interessou-se também em aproximar o patrimônio a todas as pessoas. Neste sentido, um projeto emblemático de 2013 foi a reabilitação da pedreira romana do Mèdol, um monumento que faz parte do conjunto Tarragona Patrimônio da Humanidade. Também foi criado um centro de interpretação que facilita a visita a este espaço próximo à autoestrada AP-7 e que se encarrega de difundir o valor biótico e histórico deste monumento. Há 2.000 anos, os romanos extraíam do Mèdol as pedras para construir a cidade de Tarraco. No âmbito cultural, a Fundação também patrocinou em 2013 uma exposição retrospectiva do pintor Salvador Dalí em Madri e outra do multifacetado artista Antoni Tàpies em Barcelona. Também merece destaque a ampliação da colaboração com a Fundação Amigos do Museu do Prado, com a qual a Fundação tem colaborado no patrocínio dos cursos sobre o Museu do Prado organizados a cada ano em diferentes cidades espanholas.
  • 103. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 103 Experiências práticas Cátedras Abertis O Grupo Abertis, consciente da importância da vinculação com o mundo acadêmico para o progresso social e econômico, promove desde 2003 a formação, a pesquisa e a transferência de conhecimento entre universidade e empresa. De acordo com este compromisso, a organização ampliou em 2013 sua rede internacional de cátedras de infraestruturas graças a um acordo com a Universidade do Chile, complementando as já existentes na Espanha, França e Porto Rico. Em breve, será criada uma cátedra no Brasil. A nova cátedra Abertis–UCH é dirigida por Sergio Jara Díaz, professor de Economia do Transporte na Faculdade de Ciências Físicas e Matemática da universidade chilena, e, assim como ocorre nas universidades da Espanha, França e Porto Rico, centra sua atividade na formação e pesquisa em matéria de gerenciamento de infraestruturas de transporte. Participarão dela estudantes, pesquisadores, professores e profissionais deste campo. Além disso, a cátedra Abertis-UPC em colaboração com a Universitat Politècnica de Catalunya, a chaire Abertis-ENPC-IFSTTAR e l’École dê Ponts ParisTech comemoraram em 2013 seus respectivos prêmios de pesquisa, com 18 trabalhos apresentados na cátedra espanhola e 23 estudos na francesa. Os ganhadores nacionais da cada categoria – tese de doutorado e de mestrado – competiram na segunda edição do II Prêmio Abertis Internacional realizado em 29 de maio de 2013. Paralelamente, a cátedra Abertis-UPR junto com a Universidade de Porto Rico convocou, em 2013, a primeira edição do prêmio nacional de pesquisa. Os ganhadores de cada categoria competirão em 2014 para o prêmio internacional. Em linha com esta iniciativa, a Abertis também apoia outros programas de formação e divulgação com instituições acadêmicas espanholas de reconhecido prestígio. Entre elas, destacam-se: a cátedra Abertis-FEDEA de Economia das Infraestruturas e Transportes, a cátedra Abertis-IESE de Regulação, Concorrências e Políticas Públicas e o Instituto de Inovação Social e a cátedra de LIDERANÇAS e Governança Democrática do ESADE. Campanhas de sensibilização em Segurança Viária nas ruas O Brasil desenvolveu ao longo de 2013 ações de conscientização em segurança viária, enquadradas no programa ‘Educação Vivas’. Sob o guarda-chuva deste programa, foram realizados 3 tipos de campanhas dirigidas a ciclistas, motoristas e pedestres. Estas atuações consistiram na abordagem dos usuários da autoestrada nas áreas próximas a esta, com o fim de lhes transmitir orientações práticas sobre segurança viária e o uso responsável das vias e de seus veículos, por meio de uma palestra direta com o informador bem como de folhetos explicativos. Como resultado, foram realizadas 305 campanhas (89 a ciclistas, 125 a motociclistas, 91 a pedestres). A Fundação Abertis, consciente da necessidade que existe na sociedade de tomar maior consciência dos riscos de atuar de forma irresponsável nas saídas de lazer noturno, impulsionou, em colaboração com a Prefeitura de Madri e a Prefeitura de Barcelona, campanhas de promoção da condução responsável sob o lema de ‘Te queda una vida’, nas zonas de lazer noturno de maior público das duas cidades. As ações realizadas por voluntários da Cruz Vermelha, Fundação ONZE, Institut Guttmann e das equipes de esporte adaptado do Clube Joventut Badalona e do Barça Regal UNE, com lesão medular como consequência de acidentes de tráfico, consistem em alertar aos motoristas sobre a necessidade de ser responsável ao volante depois de uma noite de balada.
  • 104. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 104 ‘V Dia do Voluntariado’: um voluntariado cada vez mais internacional Em 2013, o ‘V Dia do Voluntariado’ da Abertis conseguiu um alto grau de participação entre seus colaboradores em atividades de ação social. As várias sedes da empresa em todo o mundo realizaram campanhas de coleta de alimentos e roupa de inverno, atividades de lazer para os coletivos mais necessitados e ações de sensibilização centradas no crescente aumento da pobreza. Neste sentido, as várias filiais do Grupo desenvolveram e definiram um modelo próprio de voluntariado, adaptado às necessidades da cada país. No Brasil, o programa de voluntários Arteris, ‘O Brasil presenteia tempo’, encarregou-se de coordenar os trabalhadores que decidiram investir parte de seu tempo, habilidades ou conhecimentos em ações que contribuem diretamente à melhora da vida das comunidades onde se encontram as concessionárias. Entre as atividades realizadas por este programa destacam-se: a campanha de coleta de roupa de inverno, a campanha de coleta de alimentos, a campanha natalina de visitas às unidades infantis dos hospitais, a campanha de doação de sangue entre os trabalhadores, as atividades realizadas no ‘Dia Internacional da Mulher’, e as atividades realizadas durante o ‘Dia da Criança’. Esta equipe chegou a 900 voluntários em 2013. A França, por sua vez, também realizou uma coleta de alimentos para o dia do voluntariado, que depois distribuiu entre diferentes refeitórios sociais. Educação em Segurança Viária nas escolas No Brasil, o programa Projeto Escola Arteris contou com a colaboração das autoridades educativas de cada município. As atividades realizadas em 2013 foram orientadas à formação de 120 educadores de 70 escolas públicas, em metodologias de sensibilização e conscientização em educação viária para crianças, além de conferências, seminários e oficinas para alunos de todas as idades. Na Espanha, a Abertis autopistas realizou em 2013 um curso de segurança viária para 1.000 crianças de terceiro ano da educação primária. Para isso, a Abertis e a iberpistas assinaram um convênio de colaboração com o Centro Rural de Inovação Educativa CRIE Fonte Pelayo, no qual a Fundação Abertis assumiu a contribuição de até 4.000 euros para cobrir o custo do citado curso. Com os fundos foi contratada uma empresa especializada para ministrar esta formação. Como resultado foram realizadas 20 jornadas de formação ao longo do ano escolar, com 50 crianças por visita. No Chile, a Abertis desenvolveu o Projeto Escola, um programa de vanguarda de educação em segurança viária orientado às escolas que incluem educação diferencial, capacitando crianças com transtornos de aprendizagem e necessidades educativas especiais e situadas em áreas rurais próximas às autoestradas. O projeto foi realizado através de uma série de capacitações e atividades focadas em toda a comunidade educativa: alunos, docentes, pais e responsáveis. Professores especialistas no tema usaram material audiovisual para estimular e facilitar o desenvolvimento de condutas de prevenção de acidentes e de precaução. O programa também contou com uma metodologia desenhada especificamente para crianças com necessidades educativas especiais. Finalmente, foi elaborado um Manual de Educação em Segurança Viária dirigida ao pessoal docente para apoiar seu trabalho educativo em matéria de segurança viária, o qual se distribuiu de forma gratuita a todas as escolas do programa. O programa contou com a colaboração da Comissão Nacional de Segurança de Trânsito (CONASET) e o patrocínio de Carabineros de Chile. Como resultado destas ações, foi criada uma rede de 126 colégios que contam com professores capacitados para educar em temas de segurança viária e com a formação de brigadas de trânsito no interior dos estabelecimentos educacionais.
  • 105. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 105 ‘V Dia do Voluntariado’: um voluntariado cada vez mais internacional (cont.) Na Espanha, a equipe de voluntários de Abertis encarregou-se de realizar uma coleta de alimentos ao longo do dia do voluntariado, mais tarde distribuída entre organizações de ação social. No Chile foi realizado o projeto ‘Doar talento’: um programa de doação de horas através do qual foi criado um banco de horas composto por atividades profissionais e não profissionais, através do qual os trabalhadores da Abertis se oferecem para dar suporte a pessoas que querem levar a cabo projetos de primeira necessidade e que de outra maneira não poderiam financiar. A Argentina também colaborou na coleta de alimentos durante o V Dia do Voluntariado. Estes alimentos foram posteriormente repartidos entre diversas entidades de acolhimento de crianças com situações familiares complicadas. Porto Rico realizou uma campanha de microdoações similar à do Euro Solidário. Todas as doações derivadas desta campanha foram feitas a Fundos Unidos de Porto Rico. Ao todo, durante o ‘V Dia do Voluntariado’, a organização coletou 2.630 kg de alimentos graças à colaboração dos voluntários do Grupo na Argentina, Brasil, Espanha e França.
  • 106. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 106 10.2. Gerenciamento da ação social e patrocínios No Manual Executivo de Projetos de Compromisso com a Comunidade do grupo Abertis, são estabelecidas as áreas de maior interesse quanto a patrocínios e quais são os requisitos que os projetos solicitantes devem cumprir para receber este patrocínio. Em 2013, a Fundação Abertis e a Sede Central receberam um total de 378 solicitações de patrocínio, das quais se aprovaram 157. Área geográfica onde é realizada a atuação Todas as atuações desenvolvidas pela Fundação, bem como as realizadas diretamente pelas diferentes unidades de negócio do Grupo, constituem parte desta ação social e de patrocínio. O custo disposto em 2013 para doações, colaborações e patrocínios, atingiu 6.511.676,9 euros. Um aumento notável da contribuição social em relação ao ano anterior, equivalente a 1,1%19 do lucro líquido consolidado da Abertis. Neste ano, o Grupo realizou 80,7% das contribuições em valor monetário, 4,2% em bens/serviços e 0,6% em tempo. A percentagem restante foi o custo do gerenciamento destas contribuições. Tipo de contribuição Todos os projetos de ação social que são aprovados são classificados segundo a metodologia da LBG Espanha, o que permite separar as atuações em longo prazo que estão alinhadas com o negócio do Grupo dos custos de gerenciamento das contribuições pontuais. Em 2013, dos investimentos realizados, 43,2% corresponderam a contribuições sociais alinhadas com o negócio e em longo prazo. 19 A contribuição social sobre o lucro líquido consolidado aumentou 0,5% em relação a 2012. Espanha 60,7% Europa 4,4% América Latina 34,9% África 0,0% Dinheiro 80,7% Tempo 0,6% Em bens/serviços 4,2% Custos de gerenciamento 14,5%
  • 107. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 107 Motivação das contribuições20 Quanto às áreas de atuação de acordo com a metodologia LGB, o Grupo Abertis realizou contribuições em 7 áreas diferentes, sendo a mais destacada o desenvolvimento socioeconômico. Isso se deve a que as atividades de ação social que a organização apoiou durante o último ano se basearam em programas formativos que contribuem para superar a atual situação econômica em médio prazo. 20 Este ano, ignorou-se a categoria de “custos de gerenciamento” do gráfico “motivo das contribuições”, e foi criado um gráfico novo que contempla esta categoria como “tipo de contribuição”. Contribuições LBG por áreas de atuação Com relação às áreas de atuação, patrocínio e ação social, nas quais o Grupo participou e atuou ao longo de 2013, se distinguem 5 âmbitos de acordo com a atividade realizada: mobilidade e segurança viária, meio ambiente, acessibilidade social e desenvolvimento econômico, acessibilidade cultural, e formação e pesquisa. Contribuições à comunidade por âmbito de atuação Contribuição pontual 19,2% Investimento social 37,4% Iniciativa alinhada com o negócio 43,2% Educação e juventude 14% Saúde 11% Desenvolvimen to socioeconômico 33% Meio Ambiente 5% Arte e Cultura 27% Bem-estar social 6% Outros 3% Formação/pesq uisa 4% Preservação do Meio Ambiente 5% Mobilidade e Segurança Viária 21% Acessibilidade social- desenvolviment o socioeconômico 42% Acessibilidade Cultural 28%
  • 108. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 108 Experiências práticas Abertis com a cultura e o patrimônio A Abertis, através da Fundação Abertis, foi patrocinadora da grande retrospectiva de Dalí oferecida pelo Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofía em Madri, sob o título: ‘Dalí, todas as sugestões poéticas e todas as possibilidades plásticas’. A mostra, que veio do Centre Pompidou de Paris, onde também se expôs sob o patrocínio de Abertis, era uma ocasião única para repassar a obra de autor, já que reunia pela primeira vez obras procedentes dos três depositários de seu legado, o MoMA, o Philadelphia Museum of Art e a Tate Modern de Londres. A exposição teve um grande sucesso de público em ambas as cidades. Outro patrocínio cultural da Abertis foi a exposição sobre Antoni Tàpies que foi acolhida de forma compartilhada pelo Museu Nacional d’Art de Catalunya (MNAC) e a Fundació Antoni Tàpies, em Barcelona, sob o título: ’Tàpies, desde o interior’. A mostra apresentou cerca de 140 obras procedentes do atelier do artista e da coleção da Fundació Antoni Tàpies, o que permitiu conhecer em profundidade o legado do autor e descobrir obras desconhecidas que permaneceram quase invisíveis, inclusive inéditas em alguns casos. Estas colaborações foram uma amostra mais do compromisso da Abertis e da Fundação Abertis com a cultura, lado a lado com as grandes instituições culturais dos países nos quais o Grupo está presente, com o objetivo de tornar a cultura acessível ao grande público e acompanhar os governos nessas iniciativas. Paralelamente, e com o fim de proteger o patrimônio, a Abertis realizou em 2013 o plano de reabilitação e de adequação da pedreira do Mèdol que, com um investimento total de 1,5 milhões de euros, implica a conservação e melhora arqueológica e geológica da antiga zona de extração de pedras da época romana. O projeto, de caráter multidisciplinar, foi dirigido pela Abertis autopistas Espanha e a Fundação Abertis, e conta com a colaboração do Ministério de Fomento, o Ministério de Cultura, a Generalitat de Catalunya, a Diputación de Tarragona, a Prefeitura de Tarragona e Áreas. O projeto desenvolveu-se em dois âmbitos: uma intervenção na pedreira, mediante a realização de prospecções arqueológicas na zona do Clot, a criação de um espaço de interpretação na área de serviço e a transformação da zona em museu para facilitar a visita e oferecer uma explicação das funções do monumento e sua riqueza histórica e ambiental. Por outro lado, demonstrando seu compromisso com a educação e a cultura, a Fundação Abertis pretende colocar o espaço à disposição das escolas, bem como os diferentes materiais que serão gerados do ponto de vista divulgador e educativo do projeto. Outra amostra do compromisso da Abertis autopistas com o território no qual opera foi a assinatura de um convênio com a Prefeitura de Martorell para o financiamento das obras de classificação e reabilitação do castelo de Sant Genís de Rocafort. Mediante este acordo, a Abertis autopistas contribuirá com um total de 455.287 euros para a execução das obras.
  • 109. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 109 Abertis e seu compromisso com a comunidade Brasil comprometido com as pessoas com mobilidade reduzida: Em 2013, a Abertis Brasil colaborou na preparação do site da campanha Lacre Amigo: www.lacreamigo.com.br. Este site pertence a uma campanha baseada na coleta de anéis de latas de refrigerante em troca de cadeiras de rodas. Nesse sentido, o site é um instrumento essencial que permite não só a difusão da campanha, mas também oferece aos participantes da atividade a oportunidade de acompanhar o número de anéis conseguidos. Atualmente, a campanha solidária já conseguiu 25 cadeiras de rodas para pessoas necessitadas. França defende a reinserção do trabalhador: A França, por sua vez, deu continuidade em 2013 a seu compromisso com a inserção e a reinserção profissional, e assinou de novo um convênio de colaboração com a Croix-Rouge. O apoio dirige-se a três centros de inserção desta entidade em territórios onde a Sanef está implantada: Pavilly (Normandie), Revigny (Meuse) e Béarn Solidarité (Pyrénées Atlantique). Este âmbito de atuação supõe um acompanhamento para assegurar um ‘mecenato de competências’ para empregados em processo de inserção através de ações concretas: linhas de financiamento para instalações e material profissional, doação de veículos para facilitar a mobilidade, estágios de empresa em contato direto com os especialistas em prevenção e segurança da empresa ou visitas culturais para favorecer um ambiente propício para o estabelecimento de relações humanas. A Fundação Abertis na Espanha trabalha pela integração das pessoas: Pelo terceiro ano consecutivo, a Fundação Catalã de Síndrome de Down, a Fundação Abertis e a Prefeitura de Barcelona assinaram um convênio de colaboração para levar a cabo o projeto ‘Cooperante Vial’. Esta iniciativa tem como objetivo integrar ao mercado jovens com diversidade funcional intelectual e melhorar ao mesmo tempo a mobilidade próximo aos centros escolares. A tarefa do cooperante viário consiste em observar e recolher informação a respeito dos hábitos dos motoristas e pedestres nas horas de chegada e saída da escola, seja a pé ou em veículo, para analisar posteriormente esta informação conjuntamente com a escola e os alunos e fomentar boas práticas de mobilidade. Paralelamente a este programa, em 2013 a Fundação Abertis também se associou com a Fundação Catalã de Síndrome de Down para a implementação de um projeto piloto de seis meses de inclusão de trabalhadores com esta síndrome. O resultado foi a inclusão de um empregado com esta deficiência no quadro da Fundação. Por outro lado, a Fundação Abertis, a Prefeitura de Barcelona e a Fundació O Llindar promoveram em 2013 uma ação de conscientização ambiental nas praias de Barcelona, proporcionando trabalho e formação a jovens em situação de vulnerabilidade social e pessoal. Mediante esta iniciativa, uma equipe de quatro jovens da Fundació O Llindar percorreu durante a temporada de verão as praias de Barcelona com o objetivo de divulgar entre os usuários conselhos sobre o bom uso e o respeito pelo meio ambiente, incidindo em aspectos cívicos como a necessidade de colaborar com a manutenção da limpeza das praias ou de respeitar o litoral como espaço natural a preservar. Além disso, a Fundação Abertis colocou à disposição dos motoristas com deficiências, de forma gratuita e com umas condições especiais, um dispositivo de telepedágio VIA-T. Colaboram também nesta iniciativa para oferecer a este coletivo as máximas facilidades em sua passagem pelas autoestradas: o Departamento de Bem-estar Social e Familia, a Cruz Vermelha, o Instituto Guttmann, a ONCE e a Federação Ecom. Finalmente, durante o Dia de Voluntariado de 2013, a Fundação Abertis anunciou a doação de 24.000 euros coletados graças ao projeto Euro solidário a quatro projetos com propósitos sociais. Estes projetos foram selecionados através da votação dos empregados da organização que tinham participado na realização da campanha.
  • 110. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 110 Abertis e seu compromisso com a comunidade (cont.) Argentina patrocina diferentes eventos sociais: A Argentina realizou em 2013 duas ações para comemorar o ‘Dia da Criança’. A organização, que investiu cerca de 2.200 euros em ambos os eventos, contou com um espaço ambientado, atuações de palhaços, malabaristas e números de mágica. Aproximadamente 600 crianças das comunidades beneficiaram-se destas atuações. Cabe destacar que foram doados cerca de 700 brinquedos pela Abertis às crianças durante as atuações. Além disso, com o fim de impulsionar o voluntariado entre seus colaboradores de forma mais direta, a organização promoveu também o ‘Dia da Família’. A empresa, que investiu cerca de 1.480 euros no evento, organizou um almoço com tarde de entretenimento a cargo de palhaços e personagens animadas, bem como uma coleta de alimentos, roupa, brinquedos e fraldas. Por outro lado, a Argentina também realizou em 2013, conjuntamente com a Associação Civil SOS CAN, uma campanha de ‘Conscientização sobre Posse Responsável de Animais’. O objetivo desta ação foi gerar consciência entre os usuários e vizinhos da autoestrada, sobre a posse e o cuidado responsável de animais de estimação, para evitar que eles sejam abandonados na via pública. Para este fim, foram realizadas reuniões com associações protetoras de animais para tratar a problemática dos animais soltos na estrada e a realização e difusão de folhetos com conteúdos explicativos sobre a temática entre os usuários e trabalhadores das autoestradas Graças à implementação desta campanha, conseguiu-se diminuir a presença de animais soltos nas autoestradas, informar os usuários sobre uma linha de contato para denunciar a presença de animais e gerar uma consciência positiva e responsável quanto à posse de animais de estimação. Porto Rico com os empreendedores sociais Porto Rico realizou em 2013 um programa de microdoações similar ao Euro solidário. Todas as doações recolhidas graças a esta campanha foram doadas a Fundos Unidos de Porto Rico. Paralelamente, a filial executou, em 2013 e junto com a Fundação Sila M. Calderón, uma colaboração econômica para promover a independência de projetos de autogestão empresarial nas áreas mais deprimidas do país. Abertis Telecom apoia projetos solidários: Em Canárias, a Abertis Telecom apoiou a cadeia de televisão local de Tenerife, Mírame TV, em sua celebração do Telemaratón Solidária na ilha. A colaboração da Abertis neste evento consistiu na transmissão do sinal audiovisual. O Telemaratón contou com o apoio institucional das principais administrações públicas de Canárias e empresas do setor alimentar de Tenerife. Um respaldo que permitiu assegurar a coleta de toneladas de alimentos que foram repartidos entre as famílias mais necessitadas através da Cruz Vermelha e do Banco de Alimentos. Paralelamente, a Abertis Telecom também colaborou economicamente na realização do festival organizado pela Cadena SER ‘Pelo sorriso de uma criança’, cujo objetivo primordial foi a coleta de brinquedos para os coletivos mais desfavorecidos. Além disso, a organização também colaborou com a ‘Maratona da TV3’, oferecendo ao evento o transporte do sinal audiovisual das atividades realizadas durante a celebração. Neste ano a ‘Maratona da TV3’ arrecadou fundos para a luta contra o Alzheimer através de telefonemas recebidos em diversas sedes telefônicas. Finalmente, a Abertis Telecom doou, em 2013, fundos para as seguintes campanhas: ações destinadas a Filipinas depois do furacão, fundos para a Federação Espanhola de Bancos de Alimentos e fundos para as campanhas realizadas por Cáritas para facilitar a autonomia dos idosos.
  • 111. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 111 11. RELATÓRIO DE VERIFICAÇÃO
  • 112. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 112 12. ÍNDICE DE CONTEÚDOS E INDICADORES DE GRI CONTEÚDO PÁGINA21 NÍVEL REPORTING22 1.- Estratégia e análise 1.1.- Declaração do presidente. 3-4; 8-9 IA  1.2.- Descrição dos principais impactos, riscos e oportunidades. 62-70 CCAA; 46-51 IAGC  2.- Perfil da organização 2.1.- Nome da organização. 6  2.2.- Principais marcas, produtos e/ou serviços. 7-10; 19 IA  2.3.- Estrutura operacional da organização, incluídas as principais divisões, entidades operativas, filiais e negócios conjuntos. 9; 212-234 CCAA  2.4.- Localização da sede principal da organização. 12 CCAA  2.5.- Número de países nos quais a organização opera e seus nomes. 9  2.6.- Natureza da propriedade e forma jurídica. 9; 13-16 IA; 2-7 IAGC  2.7.- Mercados servidos (incluindo o desmembramento geográfico, os setores que abastece e os tipos de clientes/beneficiários). 9-10; 21-26, 28-29 IA  2.8.- Dimensões da organização informante incluindo o número de empregados, o número de operações, o faturamento líquido, a capitalização total e a quantidade de produtos ou serviços prestados. 17; 13, 19, 31-25 IA; 9 CCAA  2.9.- Mudanças significativas durante o período coberto pela memória no tamanho, estrutura e propriedade da organização. 9-10; 19-20, 29, 31 IA  2.10.- Prêmios e distinções recebidos durante o período informativo. 20, 30, 70  3.- Parâmetros da memória Perfil da memória 3.1.- Período coberto pela informação contida na memória. 6  3.2.- Data da memória anterior mais recente. 6  3.3.- Ciclo de apresentação de memórias. 6  3.4.- Ponto de contato para questões relativas à memória ou seu conteúdo. 6  Alcance e cobertura da memória 3.5.- Processo de definição do conteúdo da memória incluindo a determinação da materialidade, os temas prioritários no relatório e a identificação dos grupos de interesse que a organização prevê que utilizem o relatório 6-11  3.6.- Cobertura da memória. 9  3.7.- Indicar a existência de limitações no alcance ou cobertura da memória. 9  3.8.- Informação sobre negócios conjuntos, filiais, instalações arrendadas, atividades subcontratadas e outras entidades que possam afetar significativamente à comparabilidade entre períodos e/ou entre organizações. 7, 9  21 Simbologia: IA (Relatório Anual), CCAA (Contas Anuais), IAGC (Relatório Anual de Governo Corporativo) 22 O significado da simbologia:  quando o nível de reporting é total  quando o nível de reporting é parcial.
  • 113. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 113 CONTEÚDO PÁGINA21 NÍVEL REPORTING22 3.9.- Técnicas de medição de dados e bases para realizar os cálculos, incluindo as hipóteses e técnicas subjacentes às estimativas aplicadas na compilação de indicadores e outras informações da memória. 6-9, 21  3.10.- Descrição do efeito que possa ter uma nova expressão de informações pertencentes a memórias anteriores, junto com as razões que motivaram essa nova expressão. 7, 27, 53-54, 75, 80- 81  3.11.- Mudanças significativas relativas a períodos anteriores quanto ao alcance, à cobertura ou aos métodos de avaliação aplicados na memória. 9, 21  Índice do conteúdo do GRI 3.12.- Tabela que indica a localização dos conteúdos básicos na memória. 112-119  Verificação 3.13.- Política e prática atual em relação à solicitação de verificação externa da memória 7, 111  4.- Governo, compromissos e participação dos grupos de interesse Governo 4.1.- Estrutura de governo da organização, incluindo os comitês do máximo órgão de governo responsáveis de tarefas específicas, tais como a estratégia ou a supervisão da organização. 13-16 IA; 32-41 IAGC  4.2.- Indicar se o presidente do máximo órgão de governo ocupa um cargo executivo. 23 IAGC  4.3.- Número e gênero dos membros do máximo órgão de governo independente e/ou não executivo. 9-11 IAGC  4.4.- Mecanismos dos acionistas e empregados para comunicar recomendações ou indicações ao máximo órgão de governo. 29-27; 44-45; 7-9 IAGC  4.5.- Vínculo entre a retribuição dos membros do máximo órgão de governo, altos diretores e executivos e o desempenho da organização. 18-19 IAGC  4.6.- Procedimentos implantados para evitar conflitos de interesses no máximo órgão de governo. 13 IA; 44-46, 67, 74- 77 IAGC  4.7.- Procedimento de determinação da composição, capacitação e experiência exigida aos membros do máximo órgão de governo e seus comitês, incluindo qualquer consideração de gênero e outros indicadores de diversidade. 67, 74-77 IAGC  4.8.- Declarações de missão e valores desenvolvidas internamente, códigos de conduta e princípios relevantes para o desempenho econômico, ambiental e social e o estado de sua implementação. 66-81 IAGC  4.9.- Procedimentos do máximo órgão de governo para supervisionar a identificação e gerenciamento, por parte da organização, do desempenho econômico, ambiental e social, incluindo riscos e oportunidades relacionadas, bem como a aderência ou cumprimento dos regulamentos acordados em nível internacional, códigos de conduta e princípios. 16-17; 66-81 IAGC  4.10.- Procedimentos para avaliar o próprio desempenho do máximo órgão de governo, em especial com respeito ao desempenho econômico, ambiental e social. 16-17; 66-81 IAGC  Compromissos com iniciativas externas 4.11.- Descrição de como a organização adotou uma proposta ou princípio de precaução. 16-17; 66-81 IAGC  4.12.- Princípios ou programas sociais, ambientais e econômicos desenvolvidos externamente, bem como qualquer outra iniciativa que a organização assine ou aprove. 20, 100-110  4.13.- Principais associações às quais pertence e/ou entidades nacionais e internacionais que a organização apoia. 21, 102  Participação dos grupos de interesse 4.14.- Relação de grupos de interesse que a organização incluiu. 18  4.15.- Base para a identificação e seleção de grupos de interesse com os quais a organização se compromete. 11  4.16.- Enfoques adotados para a inclusão dos grupos de interesse, incluindo a frequência de sua participação por tipos e categoria de grupos de interesse. 10-11, 18-19, 26-27, 37-38, 43, 97, 99, 101-102 
  • 114. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 114 CONTEÚDO PÁGINA21 NÍVEL REPORTING22 4.17.- Principais preocupações e aspectos de interesse que sugiram através da participação dos grupos de interesse e forma pela qual a organização tem respondido na elaboração do relatório. 11  GRI Descrição Página Nível report.23 PM24 ODM25 Verificação DESEMPENHO ECONÔMICO Informações sobre o enfoque de gerenciamento econômico 9-10, 23, 29-30, 32- 33, 100-110; 31-40 IA EC1 (P) Valor econômico direto gerado e distribuído. 13; 3 CCAA   EC2 (P) Consequências financeiras e outros riscos e oportunidades para as atividades da organização devido às mudanças climáticas. 72-73  7,8 7 (a) EC3 (P) Cobertura das obrigações da organização com programas de benefícios sociais. 50; 154-161 CCAA   EC4 (P) Ajudas financeiras significativas recebidas de governos. 81, 93 CCAA   PRESENÇA NO MERCADO EC5 (A) Faixa das relações entre o salário inicial regular e o salário mínimo local por gênero em lugares onde se desenvolvam operações significativas. 47   EC6 (P) Política, práticas e proporção de despesa correspondente a fornecedores locais em lugares onde se desenvolvam operações significativas. 97   EC7 (P) Procedimentos para a contratação local e proporção de altos diretores procedentes da comunidade local em lugares onde se desenvolvam operações significativas. 47  6  IMPACTOS ECONÔMICOS INDIRETOS EC8 (P) Desenvolvimento e impacto dos investimentos em infraestruturas e os serviços prestados principalmente para o benefício público mediante compromissos comerciais, pró-bônus, ou em bens/serviços. 103-106  8  EC9 (A) Entendimento e descrição dos impactos econômicos indiretos significativos, incluindo o alcance desses impactos. 13, 15, 102-105   DESEMPENHO AMBIENTAL Informação sobre o enfoque de gerenciamento ambiental 59-67, 68-70, 72- 74, 84-85, 88-90, 92 MATERIAIS EN1 (P) Materiais utilizados por peso ou volume. 82-83  8 (b) EN2 (P) Percentagem dos materiais utilizados que são materiais valorizados. 82-83  8,9 (b) ENERGIA EN3 (P) Consumo direto de energia desmembrado por fontes primárias. 79-81 26 8  EN4 (P) Consumo indireto de energia desmembrado por fontes primárias. 78-79 27 8  EN5 (P) Economia de energia devido à conservação e a melhoras na eficiência. 73, 84-85  8,9 7  23 O significado da simbologia:  quando o nível de reporting é total  quando o nível de reporting é parcial; NA significa “Não Aplica”; ND significa “Não Disponível” 24 PM: Pacto Mundial. 25 ODM: Objetivos de Desenvolvimento do Milê nio. 26 Os dados em GJ são de 23.395,6 GJ para gás natural, 941.499,2 GJ para diesel, 9.839,4 GJ para GLP, e 746,8 GJ para fontes renováveis. 27 Os dados em GJ são de 1.149.827 GJ. De acordo com o mix de produção de energia da cada um dos países nos quais a eletricidade foi consumida, com base nos dados disponíveis na Eurostat e na Agência Internacional da Energia, as fontes primárias de consumo de energia elétrica incluem 45,6% de energia nuclear, 19% de energias renováveis, 2,8% de gás natural, 6% de cru, 21% de cogeração e 5,8% de carvão.
  • 115. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 115 GRI Descrição Página Nível report.23 PM24 ODM25 Verificação EN6 (A) Iniciativas para proporcionar produtos e serviços eficientes no consumo de energia baseados em energias renováveis e as reduções no consumo de energia como resultado dessas iniciativas. 68-70, 84-85  8,9 7 (a) EN7 (A) Iniciativas para reduzir o consumo indireto de energia e as reduções conseguidas com essas iniciativas. 73, 84-85  8,9 7  ÁGUA EN8 (P) Captação total de água por fonte. 77  8  EN9 (A) Fontes de água significativamente afetadas pela extração de água. 77 28  EN10 (A) Percentagem e volume total de água reciclada e reutilizada. 77 28  BIODIVERSIDADE EN11 (P) Descrição de terrenos adjacentes ou localizados dentro de espaços naturais protegidos ou de áreas de alta biodiversidade não protegidas. 90  8 7  EN12 (P) Descrição dos impactos mais significativos na biodiversidade em espaços naturais protegidos ou em áreas de alta biodiversidade não protegidas, derivados de atividades, produtos e serviços em áreas protegidas e em áreas de alto valor em biodiversidade em zonas alheias às áreas protegidas 90  8 7  EN13 (A) Hábitats protegidos ou restaurados 90  8 7  EN14 (A) Estratégias, ações atuais e futuros planos para o gerenciamento de impactos sobre a biodiversidade. 90-91  8 7  EN15 (A) Número de espécies incluídas na lista vermelha da IUCN e na lista nacional de conservação de espécies cujos hábitats se encontram em zonas afetadas pela atividade da organização informante, desmembradas por nível de risco de extinção. ND NV EMISSÕES, ESCOAMENTOS E RESÍDUOS EN16 (P) Emissões totais, diretas e indiretas de gases de efeito estufa, em peso. 74-76  8 7  EN17 (P) Outras emissões indiretas de gases de efeito estufa, em peso. 74-76  8 7 (g) EN18 (A) Iniciativas para reduzir as emissões de gases de efeito estufa e as reduções conseguidas. 73, 84-85  9 7  EN19 (P) Emissões de substâncias destruidoras da camada de ozônio, em peso. 28 8 7  EN20 (P) NOx, SOx e outras emissões significativas por tipo e peso. NA28 8 7 NV EN21 (P) Escoamentos totais de águas residuais, segundo sua natureza e destino. 87 29 7 (c) EN22 (P) Peso total de resíduos gerenciados, de acordo com tipo e método de tratamento. 86-87  7 (d) EN23 (P) Número total e volume de derramamentos acidentais mais significativos. 30 8 7  EN24 (A) Peso dos resíduos transportados, importados, exportados ou resíduos tratados que são considerados perigosos segundo a classificação Convênio de Basileia, anexos I, II, III e VIII, e a percentagem de resíduos transportados em nível internacional. NA31 NV EN25 (A) Identificação, tamanho, estado de proteção e valor de biodiversidade de recursos hídricos e hábitats relacionados, significativamente afetados pelos escoamentos de água e resíduos líquidos da organização. NA31 NV PRODUTOS E SERVIÇOS EN26 (P) Iniciativas para mitigar os impactos ambientais dos produtos e serviços e grau de redução desse impacto. 68-70, 84-85, 88-89, 91, 95  9 7 (a) EN27 (P) Percentagem de produtos vendidos e seus materiais de embalagem que são recuperados ao final NA 9 7 NV 28 Nã o foram identificados impactos significativos por estes conceitos. No caso de NOx e SOx, as emissõ es diretas també m nã o sã o significativas. 29 Os escoamentos de águas residuais da Abertis são difusos, e isso dificulta sua quantificação (apresentada de autopistas). Atualmente, estamos definindo um sistema de estimativa destas informações e esperamos publicá-la em futuros relatórios a médio/longo prazo. 30 Nã o se produziram derramamentos significativos. 31 Nã o aplicá vel devido à natureza das atividades da Abertis.
  • 116. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 116 GRI Descrição Página Nível report.23 PM24 ODM25 Verificação de sua vida útil, por categoria de produtos. CUMPRIMENTO NORMATIVO EN28 (P) Custo das multas significativas e número de sanções não econômicas por incumprimento do regulamento ambiental. 59  8 7  TRANSPORTE EN29 (P) Impactos ambientais significativos do transporte de produtos e outros bens e materiais utilizados para as atividades da organização, bem como do transporte dos trabalhadores. NA32 7 NV GERAL EN30 (A) Desmembramento por tipo do total de despesas e investimentos ambientais. 59; 180 CCAA   DESEMPENHO SOCIAL (PRÁTICAS TRABALHISTAS) Informação sobre o enfoque de gerenciamento de práticas trabalhistas e ética do trabalho 35-38, 40-41, 43- 44, 46-48, 50-54 EMPREGO LA1 (P) Desmembramento do coletivo de trabalhadores por tipo de emprego, por contrato e por região, desmembrados por sexo. 35-36   LA2 (P) Número total e contratação de novos empregados e rotatividade média de empregados, desmembrados por grupo de idade, sexo e região. 36-37 33 6 (e) LA3 (A) Benefícios sociais para os empregados com período integral que não são oferecidos aos empregados temporários ou em meio período, em lugares onde se desenvolvam operações significativas. 50 34 6 3  LA15 (P) Volta ao trabalho e taxas de retenção após uma licença de paternidade, desmembrado por gênero. 47   RELAÇÕES EMPRESA/TRABALHADORES LA4 (P) Percentagem de empregos cobertos por um convênio coletivo. 37-38  1,3  LA5 (P) Período(s) mínimo(s) de aviso prévio relativo(s) a mudanças organizacionais, incluindo se estas notificações são especificadas nos convênios coletivos. 35 3  SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO LA6 (A) Percentagem do total de trabalhadores que está representado em comitês de segurança e saúde conjuntos da direção-empregados, estabelecidos para ajudar a controlar e assessorar sobre programas de segurança e saúde no trabalho. 52  5,6  LA7 (P) Taxas de absenteísmo, doenças profissionais, dias perdidos e número de vítimas mortais relacionadas com o trabalho por região e gênero. 53-54 36  LA8 (P) Programas de educação, formação, assessoramento, prevenção e controle de riscos de doenças graves que sejam aplicados aos trabalhadores, a suas famílias ou aos membros da comunidade. 37 6  LA9 (A) Temas de segurança e saúde cobertos em acordos formais com os sindicatos. ND38 NV FORMAÇÃO E EDUCAÇÃO LA10 (P) Média de horas de formação por ano por empregado, desmembrado por gênero e categoria de empregado. 40  3  LA11 (A) Programas de gerenciamento de habilidades e de formação contínua que fomentam a ocupação dos 40-41 39 3  32 Nã o aplicá vel devido à natureza das atividades da Abertis. 33 Avançou-se na publicação dos dados por gênero e categoria profissional e região, e esperamos publicar os dados desagregados por Grupo de idade junto com os dados sobre novas contratações em futuros relatórios em curto prazo. 34 Informam-se os benefí cios sociais a ní vel agregado. 35 O período mínimo de aviso prévio nas unidades de negócio da Abertis oscila entre os oito e os 90 dias, sempre de acordo com a legislação vigente. 36 Estamos trabalhando na publicação das taxas de absenteísmo em futuros relatórios em longo prazo. 37 Não há conhecimento de doenças graves significativas que necessitem a criação de programas específicos. 38 Atualmente esta informação não se recopila. 39 Não são incluídos programas para o gerenciamento do final das carreiras profissionais dos empregados.
  • 117. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 117 GRI Descrição Página Nível report.23 PM24 ODM25 Verificação trabalhadores e que os apoiam no gerenciamento do final de suas carreiras profissionais. LA12 (A) Percentagem de empregados que recebem avaliações regulares do desempenho e de desenvolvimento profissional, desmembrado por gênero. 41  3  DIVERSIDADE E IGUALDADE DE OPORTUNIDADES LA13 (P) Composição dos órgãos de governo corporativo e quadro, desmembrado por categoria de empregado, por gênero, grupo de idade, caracterização como minoria e outros indicadores de diversidade. 35, 46-48; 13-16 IA 40 1,6 3  IGUALDADE DE REMUNERAÇÃO ENTRE MULHERES E HOMENS LA14 (P) Relação entre salário base e remuneração das mulheres em relação aos homens, desmembrado por categoria profissional, em lugares onde se desenvolvam operações significativas 47 41 1,6 3 (a) DESEMPENHO SOCIAL (DIREITOS HUMANOS) Informação sobre o enfoque de gerenciamento de direitos humanos 16, 40-44, 98 PRÁTICAS DE INVESTIMENTO E ABASTECIMENTO HR1 (P) Percentagem e número total de acordos de investimento significativos e contratos que incluam cláusulas de direitos humanos ou que tenham sido objeto de análise em matéria de direitos humanos. 42 1,2,4 5,6 3  HR2 (P) Percentagem dos principais revendedores, prestadores de serviços e outros sócios do negócio que foram objeto de análise em matéria de direitos humanos, e as medidas adotadas como consequência. 98 43 1,2,4 5,6 (f) HR3 (P) Total de horas de formação dos empregados em políticas e procedimentos relativos a aspectos dos direitos humanos que são relevantes para sua atividade, incluindo a percentagem de pessoal formado. 40 44  NÃO DISCRIMINAÇÃO HR4 (P) Número total de incidentes de discriminação e medidas adotadas. 45 1,6 3  LIBERDADE DE ASSOCIAÇÃO E CONVÊNIOS COLETIVOS HR5 (P) Operações e fornecedores significativos identificados nos quais o direito à liberdade de associação e de ser acolhido por convênios coletivos possa correr riscos importantes e as medidas adotadas para respaldar estes direitos. 46 1,3 3 (a) EXPLORAÇÃO INFANTIL HR6 (P) Operações e fornecedores significativos identificados que implicam um risco potencial de incidentes de exploração infantil e medidas adotadas para contribuir para sua eliminação. 46 1,5 (a) PREVENÇÃO DE TRABALHOS FORÇADOS HR7 (P) Operações e fornecedores significativos identificados como de risco significativo de ser origem de episódios de trabalho forçado ou não consentido e as medidas adotadas para contribuir para sua eliminação. 46 1,4 3 (a) PRÁTICAS DE SEGURANÇA HR8 (A) Percentagem do pessoal de segurança formado em políticas organizacionais ou procedimentos relativos a aspectos de direitos humanos relevantes para sua atividade. ND NV DIREITOS INDÍGENAS 40 Tendo em conta a natureza e a localização das atividades da Abertis, os dados relativos às minorias não são considerados materiais, de acordo com as expectativas dos Grupos de interesse. 41 Os salários da Abertis são estabelecidos com base em categorias profissionais e no Programa de Direção por Objetivos. A retribuição constitui informação confidencial. 42 No exercício de 2013, não foram assinados acordos de investimento ou contratos significativos que tenham incluído cláusulas de direitos humanos. 43 Atualmente, a avaliação e homologação de fornecedores do portal de fornecedores, bem como o escore em RSC, incluem todas as unidades de negócio na Espanha. 44 Parte da formação recebida pelos trabalhadores está vinculada com questões de direitos humanos, mas esta informação não está disponível de forma desagregada, razão pela qual não é possível indicar a percentagem de empregados. 45 Nã o ocorreram incidentes deste tipo durante 2013. 46 80% do volume de negócios da Abertis provém de países que fazem parte da OCDE, portanto não existe risco de violações dos Direitos Humanos. Embora Brasil e Argentina, que representam 48% do quadro médio equivalente do Grupo, não façam parte da OCDE, não se identificaram riscos deste tipo. Além disso, o código de conduta da Abertis, aplicável a todas as empresas do Grupo e extensível a fornecedores e prestadores de serviços, inclui de forma explícita a adesão aos princípios do Pacto Mundial das Nações Unidas
  • 118. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 118 GRI Descrição Página Nível report.23 PM24 ODM25 Verificação HR9 (A) Número de incidentes nos que se violaram os direitos dos indígenas e as ações adotadas. 44  AVALIAÇÃO HR10(P) Percentagem e número total de operações que foram objeto de uma revisão dos direitos humanos e/ou avaliação de impacto. 16 47 (a) REMEDIAÇÃO HR11(P) Número de queixas relacionadas com os direitos humanos apresentadas, dirigidas e resolvidas através de mecanismos formais de queixas. 44   DESEMPENHO SOCIAL (COMUNIDADE) Informações sobre o enfoque de gerenciamento em relação à sociedade 3, 16, 23, 43-44, 58, 100-110 COMUNIDADE SO1 (P) Percentagem de operações que incluem compromissos com a comunidade local, avaliações de impacto e programas de desenvolvimento. 102-110  1 8  SO9 (P) Operações com potencial significativo ou impactos negativos reais sobre as comunidades locais. 101   SO10 (P) Medidas de prevenção e mitigação implantadas em operações com um potencial significativo ou impactos negativos reais sobre as comunidades locais. 58, 100   CORRUPÇÃO SO2 (P) Percentagem e número total de unidades de negócio analisadas com respeito a riscos relacionados com a corrupção. 16  10 (a) SO3 (P) Percentagem de empregados formados nas políticas e procedimentos anticorrupção da organização. 16, 42  10 (a) SO4 (P) Medidas tomadas em resposta a incidentes de corrupção. 48 10  POLÍTICA PÚBLICA SO5 (P) Posição nas políticas públicas e participação no desenvolvimento das mesmas e de atividades de ‘lobby’. 20 49 10 (a) SO6 (A) Valor total das contribuições a partidos, políticos e instituições relacionadas no país. 50 (a) COMPORTAMENTO ANTICOMPETITIVO SO7 (A) Número total de ações legais por comportamento anticompetitivo, antimonopólio e práticas de monopólio e seus resultados. 24   CUMPRIMENTO NORMATIVO SO8 (P) Valor econômico de sanções e multas significativas e número total de sanções não econômicas derivadas do incumprimento de leis e regulamentos. 24, 51, 101; 163-164 CCAA   DESEMPENHO SOCIAL (RESPONSABILIDADE SOBRE PRODUTOS) Informações sobre o enfoque de gerenciamento de responsabilidade sobre produtos 23-32 SAÚDE E SEGURANÇA DO CLIENTE PR1 (P) Fases do ciclo de vida dos produtos e serviços nas quais são avaliados, para o caso de possíveis melhoras, seu impacto na saúde e segurança dos clientes, e percentagem de categorias de produtos e serviços significativos sujeitos a tais procedimentos de avaliação. 25-28   PR2 (A) Número total de incumprimentos de regulamentos e códigos voluntários relativos à saúde e os impactos dos produtos e serviços durante seu ciclo de vida, segundo o tipo de resultados. 51  47 Os mapas de riscos e suas análises periódicas contemplam riscos vinculados aos direitos humanos. Esperamos publicar os dados sobre percentagem de operações sujeitas a uma revisão de direitos humanos em futuros relatórios em médio prazo. 48 Nã o foram identificados incidentes deste tipo durante 2013. 49 O Código Ético da Abertis especifica que não se deve tentar influir nas decisões das Administrações Públicas e que as relações com estas se basearão nos princípios de integridade, honestidade e respeito. 50 O Código Ético da Abertis estabelece que não se deve tentar influir nas decisões das Administrações Públicas e proíbe qualquer conduta orientada a obter favores ou que possa induzir à falta de retidão e transparência. 51 Nã o foram identificados incumprimentos neste sentido.
  • 119. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 119 GRI Descrição Página Nível report.23 PM24 ODM25 Verificação ETIQUETAGEM DE PRODUTOS E SERVIÇOS PR3 (P) Tipos de informação sobre os produtos e serviços que são requeridos pelos procedimentos e o regulamento em vigor e percentagem de produtos e serviços sujeitos a esses requisitos informativos. 24-25, 31  (a) PR4 (A) Número total de incumprimentos de regulamentos e códigos voluntários relativos a produtos e serviços de informação e à etiquetagem, segundo o tipo dos resultados. 48 e 52  PR5 (A) Práticas com respeito à satisfação do cliente, incluindo os resultados dos estudos de satisfação do cliente. 27-28   COMUNICAÇÕES DE MARKETING PR6 (P) Programas de cumprimento das leis ou adesão a padrões e códigos voluntários mencionados em comunicações de marketing, incluindo a publicidade, outras atividades promocionais e os patrocínios. 49  PR7 (A) Número total de incumprimentos do regulamento e códigos voluntários relativos a comunicações de marketing, incluindo publicidade, promoção e o patrocínio desmembrado por tipo de resultado. 51  PRIVACIDADE DO CLIENTE PR8 (A) Número total de reclamações devidamente fundamentadas relacionadas ao respeito à privacidade e ao vazamento de dados pessoais de clientes. 26 53  CUMPRIMENTO NORMATIVO PR9 (P) Custo das multas significativas devidas ao incumprimento do regulamento em relação ao fornecimento e uso de produtos e serviços da organização. 169-171 CCAA   52 A Abertis não adotou códigos voluntários neste sentido. 53 Não ocorreram reclamações relacionadas ao respeito à privacidade e ao vazamento de dados pessoais. Notas de verificação:  Indicador verificado segundo a cobertura informada pela Abertis NV Nã o verificado (a) Reportado qualitativamente (b) São informados os principais materiais consumidos, estimados em função dos dados de custo ou uso disponíveis. (c) Não são desmembrados segundo natureza e destino. (d) Não são desmembrados segundo tipo e método de tratamento. (e) Nã o sã o desmembrados por grupo de idade e nã o sã o detalhados os novos contratos. (f) Nã o é informada a percentagem. (g) Dados estimados em função da informação disponível.
  • 120. ABERTIS INFRAESTRUTURAS, S.A. Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 120 13. RELATÓRIO DE REVISÃO DE GRI