Slides   yehoshua - o nome sagrado
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Slides yehoshua - o nome sagrado

on

  • 1,650 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,650
Views on SlideShare
1,650
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
43
Comments
1

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • Quem criou o falso conceito de que o cristianismo deveria substituir o judaísmo foi Aureliano.
    O cristianismo não foi instituido pelo ETERNO ELOHIM, e sim pelos padres católicos romanos, isto é, a origem primaria do Cristianismo vem do pos diluvio onde nasce da fsuposta sagrada família de Ninrode, Sâmiramis e Thamuz no ano 70 depois do diluvio esta sendo difundida pelos seus adoradores conforme a língua e nação após a dispersão da torre de babel.
    A igreja Roma fez uma mudança tatica por parte do imperio apos o periodo negro de Diocleciano, veio o de Constantino, que deu apoio a estes crentes gentios cansados das perseguições, onde Constantino de maneira sutil e maligna junto com os .Alguns Gentios crentes em YESHUA deram as mãos surgindo assim esta nova religião chamada de Cristianismo.
    Assim Constantino introduziu o ídolo Esus, que mais tarde traduzido por Jeronimo na Vulgata chegou ao nossos dias como Jesus. Estes Crentes passaram a ser chamados de cristãos e passaram a adorar Esus Cristvs que era o idolo solar Mitra adorado pelos adoradores do Sol ( Constatino sumo sacerdote), o maior engano era que estes gentios pensavam que estava adorando a YESHUA, como ate hoje muitos ... .estão terrivelmente enganados.
    Dizer que YESHUA é igual a Jesus, é desconhecer o que é tradução, transliteração e transmutação.
    Tradução é mudança de letra e de fonética (som) mas não de significado ex: table=mesa exemplo Yeshua = eu sou a salvação = salvação / salvador.
    Transliteração é mudança de letra, mas não de fonética (som) ex: house = Rause ou seja muda-se a letra mas conserva o som a fonética.
    No caso de YESHUA / IE eles transliteraram corretamente.
    porem SHUA eles colocaram SUS assim ficando IESUS e não IESHUA que é correto.
    Logo não fizeram transliteração mas sim transmutação/ mudança.
    Muitas vezes a ignorância é uma arma que se usa para justificar e aceitar essa ideia de que YESHUA É igual a Jesus, mas se perguntarmos ate para uma criança se os sons são os mesmo ela dirá que não.

    Em hebraico os nomes tem significado!
    Se você muda o nome automaticamente o significado é mudado!
    YESHUA é totalmente diferente de Jesus, ambos são pessoas distintas (totalmente diferentes ) uma da outra.
    YESHUA significa o eu sou o que enxerga ou eu sou a salvação.
    Jesus/ yeshu significa o messias cego que não enxerga. Termo usado como forma de injuriar/ blasfemar do salvador e seus seguidores.
    Logo o nome jesus esta escrito equivocadamente e propositalmente a meu ver se estivermos se referindo a um judeu que nasceu a muito tempo atrás filho de José e Mirian.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Slides   yehoshua - o nome sagrado Slides yehoshua - o nome sagrado Presentation Transcript

  • Prof. Abdias Barreto
  • • O Movimento do Nome Sagrado“Testemunhas de Yehoshua” “Judaismo Messianico”Um convite a uma analise mais detalhada sobreestas SEITAS e algumas de suas principaisdoutrinas, sob a luz das Sagradas Escrituras, poisas mesmas vem se alastrando em meio as nossasIGREJAS, e levando após si um grande numero depessoas que se deixam “Levar por qualquer ventode doutrina” por não terem sua fé fundamentada naROCHA que é JESUS e sua PALAVRA.Prof. Abdias Barreto
  • • IntroduçãoEm primeiro lugar, um resumo sobre o assunto abordado nestapalestra se faz necessário, antes de se passar à descrição eanálise de algumas doutrinas fundamentais do movimentoreligioso conhecido como “Movimento do Nome Sagrado”,representado no Brasil pelas “Testemunhas de Yehoshua”.Ou também “Judaismo Messianico” que nem é judeu, emuito menos messiânico; O Movimento do Nome Sagrado tempoucos anos de existência, várias subdivisões, e já conta comgrupos presentes em vários países ocidentais e está agora seinfiltrando em meio as igrejas pentecostais (DistribuindoDVD’S e Estudos gratuitos) por julgarem ser composta porpessoas sem formação teológica definida e portanto umaPRESA fácil.Prof. Abdias Barreto
  • O movimento propõe uma reforma teológica universal,levantando como principal bandeira uma pretendida“restauração” do uso dos Nomes Sagrados Judaico –Cristãos em suas formas hebraicas, levantando umapolêmica, ao afirmar que os Nomes Sagrados, em suas formasexistentes em outros idiomas estariam “errados”, por seremnomes “diferentes” dos nomes Sagrados originais emHebraico; por isso, o movimento afirma defender o chamado“único” uso “correto” dos Nomes Sagrados de Deus, Judaico– Cristãos, propondo uma atualização e padronizaçãointernacional para os mesmos.Prof. Abdias Barreto
  • • A Leitura ContextualAntes de iniciar a leitura e análise das passagens bíblicas envolvidasna polêmica sobre o uso dos Nomes Sagrados Judaico – Cristãos edoutrinas apresentadas pelas “Testemunhas de Yehoshua,” e o“Judaísmo Messiânico” seja dada atenção especial a umimprescindível instrumento relativo à compreensão das SagradasEscrituras que é: A leitura contextual; a leitura que considera oconjunto completo de um texto em análise e que traz aoentendimento todo o significado originalmente registrado por umautor. É de senso geral, e está presente no ensino fundamentaluniversal, o procedimento de leitura contextual, que diz que qualquertexto, de qualquer natureza, somente pode ser corretamentecompreendido através de sua leitura completa, ou seja, através daleitura que considera o conjunto completo do assunto examinado.Prof. Abdias Barreto
  • • A Leitura ContextualA palavra “texto” também significa “assunto”; a compreensãoperfeita de um assunto, necessariamente, passa pelo seucompleto conhecimento. Da mesma maneira, a compreensãoperfeita de um texto escrito, também passa pelo conhecimentocompleto de seu conjunto.Uma leitura correta deve ser uma leitura completa. Ela deveenvolver toda a extensão do texto que se relaciona com oconteúdo ou tema em análise, relacionando-o com osignificado geral de cada palavra contida no mesmo, sem,entretanto, ultrapassar este limite.Prof. Abdias Barreto
  • • A Leitura ContextualA leitura fragmentada de qualquer texto, na quase totalidadedas vezes em que isto ocorre, induz a erros, pois, o significadode uma porção destacada de uma mensagem, tomadaisoladamente, gera um entendimento parcial e,frequentemente, incorreto. O significado de algo apresentado,no decorrer de um texto qualquer, quase sempre, se completana descrição das coisas com as quais o primeiro se relaciona;esta descrição, na maioria das vezes, está contida no mesmotexto. A ausência de contextualização, na prática da leitura detrechos destacados de uma mensagem, provoca,naturalmente, a necessidade de complementação dosignificado do trecho destacado lido.Prof. Abdias Barreto
  • • Profecias usadas pelo Movimento -1“O Maior Tesouro da Humanidade “ – “Primeira Edição”"No entanto, o cúmulo da rebeldia humana, foi o homem negarseu criador, substituí-lo por outro, desvirtuar a suapersonalidade. Isto ocorreu quando se traduziu as escriturasoriginais hebraicas para a língua grega no ano 285-247 AC, achamada “septuaginta”, tradução feita por 72 (setenta e dois)judeus, na cidade de Alexandria no mitsrayin (Egito).Os tradutores da septuaginta, extraíram dos originais sagradoso "nome do Pai", que é composto por quatro caractereshebraicos sagrados, que lidos da direita para a esquerda são:Yod, Hê, Vad, Hê, que, transliterados para o alfabeto universalé Y.H.W.H, o chamado tetragrama.Prof. Abdias Barreto
  • • Profecias usadas pelo Movimento - 2“O Maior Tesouro da Humanidade “ – “Primeira Edição”O nome do pai ocorre quase 7000 vezes nos textos hebraicossagrados e, na septuaginta, foi substituído pelo adjetivo“Adonai”, que em nossa língua quer dizer "Soberano Criador".Embora esse título “Adonai” seja atribuído único eexclusivamente ao Eterno Criador, não é suficiente o bastantepara substituir o real valor do nome do Pai. Mais tarde, aofazerem cópias da tradução grega septuaginta, os copistassubstituíram o adjetivo Adonai por nomes que sãoconsiderados profanos, para que se cumprisse a profecia quediz: "mudastes, porém, e profanastes o meu nome"Yirmenayahu 34:16 (Jeremias)."Prof. Abdias Barreto
  • • Profecias usadas pelo Movimento – 3 (Lembram-se da Leitura Contextual)O texto do versículo, citado em destaque no texto anterior pelapublicação, corresponde, literalmente, a apenas parte doversículo 16 do capítulo 34 de Jeremias, presente natradução da vulgata latina (bíblia em latim), traduzida para oinglês e, depois, para a língua portuguesa, por João Ferreirade Almeida revisada atualmente.O texto completo do versículo 16 do capítulo 34 de Jeremiasno seu contexto completo, (Que é a forma correta de seinterpretar e compreender um texto) é este: Jeremias 34, 8-17.Prof. Abdias Barreto
  • • Profecias usadas pelo Movimento – 4“Palavra que do Senhor veio a Jeremias, depois que o rei Zedequias fezaliança com todo o povo de Jerusalém, para lhes apregoar a liberdade: quecada um despedisse forro o seu servo e cada um, a sua serva, hebreu ouhebréia, de maneira que ninguém retivesse como escravo hebreus seusirmãos. Todos os príncipes e todo o povo que haviam entrado na aliançaobedeceram, despedindo forro cada um o seu servo e cada um a sua serva,de maneira que já não os retiveram como escravos; obedeceram e osdespediram. Mas depois se arrependeram, e fizeram voltar os servos e asservas que haviam despedido forros, e os sujeitaram por servos e servas.Veio, pois, a palavra do Senhor a Jeremias, da parte do Senhor, dizendo:Assim diz o Senhor, Deus de Israel: Eu fiz aliança com vossos pais, no diaem que os tirei da terra do Egito, da casa da servidão, dizendo: Ao fim desete anos, libertareis cada um a seu irmão hebreu, que te for vendido a ti ete houver servido seis anos, e despedi-lo-ás forro; mas vossos pais não meobedeceram, nem inclinaram os seus ouvidos a mim.Prof. Abdias Barreto
  • • Profecias usadas pelo Movimento – 5Não há muito, havíeis voltado a fazer o que é reto perantemim, apregoando liberdade cada um ao seu próximo; e tínheisfeito perante mim aliança, na casa que se chama pelo meunome; 34:16: mudastes, porém, e profanastes o meu nome,fazendo voltar a cada um, a sua serva, os quais, deixados ávontade, já tínheis despedidos forros, e os sujeitastes, paraque fossem os vossos servos e servas. 34:17: Por Portanto,assim diz o Senhor: Vós não me odedecestes, para apregoar-lhes a liberdade, cada um a seu irmão e cada um ao seupróximo; pois eis que vos apregôo a liberdade, diz o Senhor,para a escada, para a peste e para a fome; farei que sejas umespetáculo horrendo para todos os reinos da terra...”Prof. Abdias Barreto
  • • Profecias usadas pelo Movimento – 5Apesar da leitura do trecho destacado do versículo, usado paraconfirmar a tese do movimento, à primeira vista, parecer realmenteconfirmar que a mesma refere-se à mudança do nome Divino e suasconsequências, fica claro um significado totalmente diferentequando se faz a leitura completa da mesma passagem deJeremias. A profecia citada trata, claramente, de outro assunto,além de se referir a um acontecimento já passado no momentodo registro profético, não sendo, por isto, uma revelação futurasobre a suposta alteração do Nome Divino. O versículo 16,apresentado como “a prova” de que a escritura citaria a trocafutura do nome Divino, é apresentado pelo movimentodestacadamente e fora do contexto no qual realmente se insere,assumindo por isto um significado totalmente diferente do quetem no texto bíblico original.Prof. Abdias Barreto
  • • As blasfêmias contra os Nomes de Deus“Jeová como o Deus do Desastre”Existe dentro do movimento Testemunhas de Yehoshua uma teseque tenta explicar que a grafia “Jeová” deveria ser abolida dasigrejas atuais e tenta provar que esta forma do nome Divino seriaprofana. As Testemunhas de Yehoshua teriam descoberto que oNome em forma usada nos países de língua latina “Jeová” estariagrafada incorretamente e ainda significaria, em hebraico, algo como“Deus do Desastre”. Segundo o movimento, esta seria mais umatroca propositalmente articulada pelo clero greco-romano, que fariaparte de uma grande conspiração para a troca do Nome Divino poroutro. Segundo as Testemunhas de Yehoshua, quando esta forma donome é pronunciada, maldições estariam sendo invocadas sobre avida de quem o pronuncia. Acompanhe, em primeiro lugar, a análiseapresentada pelo movimento.Prof. Abdias Barreto
  • O Maior Tesouro da Humanidade - Primeira edição“O equivocado nome Jehovah começou a aparecer nas Escrituras noséculo XV (1518-1520), através de Petrus Galatinus, um escritor católico, Osufixo “hováh” aparece no dicionário hebraico de Strong no número 1943 etem o significado de “Desastre”. Na outra forma “Havvah” no número 1942é traduzida como “calamidade, iniquidade, travessura, desobediência,desobediente, asqueroso, coisa perversa, muito perverso. Aqui, nóspodemos ver a loucura de chamar o criador do universo, o único queadoramos e seguimos pelo nome “Jeová”. Porque ao invocarmos estenome Híbrido, estaremos na realidade, suplicando a um poder cujo nomesignifica “O único que cria a destruição, as travessuras, criador dacalamidade, da iniquidade, da desobediência, etc. A letra “Jota” que é umaconsoante, não existe nos alfabetos hebraico, grego ou latim, e foi criada apartir de 1518, (livro do Jota – páginas 1 a 7). Portanto o nome “Jeová” nãoconsta nas Escrituras Hebraicas originais (Tanach), sendo assim, umelemento estranho aos verdadeiros adoradores, e amantes da verdade”.Prof. Abdias Barreto
  • • As blasfêmias contra os Nomes de Deus“Jeová como o Deus do Desastre”Conferindo a fundamentação desta afirmação feita pelo movimento, passo apasso, encontramos um equívoco já na primeira sentença, quando se dizque o nome Jehovah começou aparecer nos escritos da Igreja católicaromana, a partir do século 15. A afirmação da maneira como foi colocadapelo movimento, não descreve com fidelidade os acontecimentos daocasião, pois aconteceu no século 15, apenas a introdução do uso da letra“J” como inicial “i” maiúscula, ao contrário do que o texto dá a entender.Nesta ocasião, a letra jota ainda era usada com a pronúncia do atual “i”; ouso do jota para a representação do mesmo fonema que “G” ocorreugradualmente na Europa somente nos séculos seguintes, durante oamadurecimento dos atuais idiomas neolatinos. A forma Jehovah para oNome Divino já era usada pela Igreja Européia (romana) desde o século 7 eera a mesma definida como padrão de pronúncia para o hebraico, peloslíderes judeus da Europa, que ficaram conhecidos como massoretas.Prof. Abdias Barreto
  • • Jesus Cristo como Deus Porco e Deus Cavalo“Como o movimento das Igrejas das Testemunhas de Yehoshuateria descoberto uma profecia que revelaria que “Jesus” seriaum nome profano”Segundo o Movimento do Nome Sagrado, o termo Jesussignificaria “Deus-Cavalo” e “Deus Porco”, por motivos simplese fáceis de entender: a sílaba “sus” traduzida para o hebraicosignifica “cavalo” e traduzida para o latim, significa “porco”.Assim, a forma Iesus poderia assumir os dois significados, poisa primeira parte do nome “Ie” significa, em hebraico, umareferência ao Nome de Deus, enquanto que a segunda partedo nome assumiria os significados propostos pelo Movimentodo Nome Sagrado. Confira as afirmações apresentadas napublicação O Maior Tesouro da humanidadeProf. Abdias Barreto
  • • O Maior Tesouro da Humanidade – Primeira edição"Jesus é um nome português de origem grega; e nada tem emcomum com o verdadeiro nome do salvador da humanidade.O que significa o nome Jesus?A parte inicial em grego (Je=Ie), é o som "Yeh", o qual é umasaudação = Eia, Ei. A outra parte restante que é SUS, é muitosignificante ao analisarmos, pois a palavra que muitas vezesno latim "Yesu" (Yehzoo), tem as suas origens traçadas nosignificado do idioma hebraico como "sobre uma maldição"ou cavalo, besta: e no idioma latim SUS (SVS) é suíno(porco). O servo prudente do mestre Yahoshua, observará nosalmo 35:25 o que menciona o rei Dawid! "Não digam em seuscorações: "Eia sus" alma nossa! Não digam: Nós o havemosdevorado".Prof. Abdias Barreto
  • • O Deus - CavaloPara explicar o significado profano da forma Iesus,como sendo “Deus – Cavalo”, o Movimento do NomeSagrado apresenta uma transliteração da forma latinado nome de Jesus para o hebraico, invertida quanto àsua etimologia, mostrada na tabela abaixo, na qual sebaseia a sua alegação. A forma blasfema do Nome doFilho, em sentido de leitura original hebraico é “mas para efeito de comparação com as letras doalfabeto latino, é apresentada em sentido de leituralatina, na tabela a seguir.Prof. Abdias Barreto
  • I E S U S•Iod He Samek Uad SamekProf. Abdias Barreto
  • Prof. Abdias Barreto