• Save
SODET | Shifting businesses into social machines
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

SODET | Shifting businesses into social machines

on

  • 1,065 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,065
Views on SlideShare
1,058
Embed Views
7

Actions

Likes
3
Downloads
0
Comments
0

1 Embed 7

http://www.linkedin.com 7

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

SODET | Shifting businesses into social machines SODET | Shifting businesses into social machines Presentation Transcript

  • SHIFTING BUSINESSES INTO SOCIAL MACHINES
  • SOBRE A SODETSODET nasceu como um spinf-off do C.E.S.A.R. – Centro de Em menos de um ano, a SODET já trabalhou comEstudos Avançados do Recife. Foi originalmente idealizada algumas das marcas mais conhecidas do Brasil. Natura,por um grupo de empreendedores das áreas de tecnologia, FIAT, Magazine Luiza, e TOTVS são algumas dasinternet e design, com extensa experiência na liderança de empresas onde já facilitamos o desenvolvimento deprojetos interdisciplinares e na criação de links entre ambientes e plataformas colaborativas.negócios, tecnologia e comportamento humano. SILVIO MEIRA ANA BARROSO FERNANDO TECO SODRÉ BRUNO ENCARNAÇÃO
  • TECNOLOGIA C.E.S.A.R is one of the most impactful privateONDE SOCIAL initiatives in Brazil. It transformed Recife, where it RECIFE, PE now forms part of an important tech cluster called Porto Digital, but it also changed its region and even the whole country.ESTAMOS + Porto Digital is the best Brazilian cluster by several different entities, including A.T. Kearney. It welcomes 173 entities, 143 of which are companies, and 6,500 IT professionals. It has an annual turnover of R$700 millions, around US$431 million. DESIGN In Belo Horizonte, SODET is the result of the 1 THINKING + merge of the capabilities of two companies: PESQUISA E Mapa Digital – specialized in interaction design, usability research, netnography – and Ologia – + PLANEJAMENTO BELO HORIZONTE, MG specialized in design thinking. 2 3 NOSSOS The biggest brands in Brazil and worldwide have CLIENTES their HQ in Sao Paulo, so SODET integrates itself SÃO PAULO, SP into the client’s structure for duration on a project. That way we can stay closer and build a stronger relationship to our network.
  • COM QUEM JÁ Onde já começamos a criar ambientes eTRABALHAMOS culturas mais colaborativas.
  • NOSSOS Com quem estamos trabalhando na construção de organizações maisPARCEIROS centradas no ser humanos e adaptáveis a mudanças. Fundada em 2001 e sediada em Nova York, Socialmetrix é a pioneira na América Latina no Humantific é um novo modelo de consultoria desenvolvimento de tecnologia que fornece baseada no desenho, sintetização e www.socialmetrix.com Soluções de Inteligência de Mercado através transformação de cenários complexos da pesquisa e análise da CGM (Mídia Gerada à partir da disciplina SenseMaking. pelo Consumidor) e meios tradicionais online. A SODET trabalha em parceria com a A SODET e a Social Metrix trabalham Humantific utilizando métodos e em conjunto no acompanhamento dowww.humantific.com conhecimentos híbridos – Design comportamento das marcas e seus Thinking, Visual Thinking, Colaboração, clientes em redes sociais, possibilitando Tecnologia Social, Coportamento Digital a tomada de decisões estratégicas – para mapear, sintetizar e traduzir baseadas em análise de informações ideias complexas que geram valor para geradas em ambientes online. organizações.
  • A SODET É SOCIAL POR DEFINIÇÃO,DENTRO E FORA DO NEGÓCIO.CONSTRUÇÃO COLABORATIVA,TRANSFORMAÇÃO ECAPTURA DE VALOR DEGRUPOS DE PESSOASE COMUNIDADES,ON E OFFLINE.Acreditamos no envolvimento efetivodas empresas, marcas e produtos comsuas comunidades de uso e defendemosprincípios de abertura, transparência,engajamento, interação e consistêncianas ações em todas as redes.
  • NOSSOS CAMPOS DECONHECIMENTO VISUAL & COLA TECNO COMPOR DESIGN BORA LOGIA TAMENTO THINKING ÇÃO SOCIAL DIGITAL
  • O QUE FAZEMOS ENTENDEMOS E SINTETIZAMOS CONHECIMENTO DE COMUNIDADESO CONTEXTO INTERNAS E EXTERNASEmpresas estão navegando em um cenário turbulento entresuas estruturas complexas e as pessoas a quem devem servir 1– externa e internamente.‣ Dificuldades em sintetizar, visualizar e gerenciar o que sabem sobre seus ambientes internos e externos;‣ Aproximadamente 80% do conhecimento relevante para as empresas é tácito, originado de interações humanas e OFERECEMOS 5 2 TRADUZIMOS experiências do dia-a-dia; FERRAMENTAS VISUALMENTE‣ A transferência efetiva desse conhecimento requer contato pessoal, confiança e a oportunidade para compartilhar.NOSSA MISSÃOAjudar as pessoas das comunidades internas e externasdas organizações a explicitar e compartilhar seuconhecimento e suas experiências. Dessa forma, paraque as empresas consigam criar colaborativamente ereter de forma permanente e produtiva a inteligência 4 3gerada por suas comunidades, desenvolvemos CRIAMOS CULTURA , DESENHAMOSprocessos e ferramentas que organizam e explicitam SISTEMAS E PRÁTICAS UM PLANOconhecimento de maneira mais concreta, tornando-opassível de planejamento e transformação.
  • SOCIAL DESIGN PESSOAS Entendendo o que é desejável para o indivíduoTHINKING TECNOLOGIA NEGÓCIOS Entendendo o que é desejável Desenvolvendo as para a empresa + ajustando ferramentas apropriadas a cultura para que a colaboração ocorra
  • DESIGNING SOCIAL BUSINESSES SISTEMAS,PROCESSOS E CULTURA Uma empresa colaborativa cria de forma consciente sistemas, processos e cultura dinâmicos e socialmente calibrados.
  • O QUE FAZEMOS ESTUDO E CRIAÇÃO DE RELACIONAMENTO ESTRATÉGIA ENTENDIMENTO CULTURA E GESTÃO DE E CONDUÇÃO DE REDES E COLABORATIVA REDES SOCIAIS DE INOVAÇÃO COMUNIDADES INTERNA EXTERNAS COLABORATIVA E GESTÃO DO CONHECIMENTO‣ Netnografia: Mapeamento, análise ‣ Estratégia de Construção e ‣ Planejamento Estratégico: ‣ Open Innovation etnográfica e extração de insights de Evolução de Cultura Colaborativa: Elaboração de estratégias de longo comunidades digitais à partir da Diagnóstico de maturidade, desenho prazo para ambientes digitais ‣ Crowdsourcing identificação de comportamentos, de roadmap de implementação. personas e práticas comunicacionais ‣ Gestão do Ciclo de Vida de na rede. ‣ Abertura de Relacionamento ‣ Redes Colaborativas Internas: Comunidades: Construção e evolução com Comunidades de Estratégia, desenvolvimento e de canais, mobilização digital Conhecimento Externos:‣ Etnografia: Pesquisa em campo, e implementação de ferramentas Clientes, pesquisadores, parceiros observação de pessoas em seus colaborativas. Desenho de novos ‣ Monitoramento: Gestão do ambientes naturais de trabalho ou uso. papéis, processos e políticas de uso. conteúdo e análise das interações em redes sociais‣ Recomendações de inovação de produtos, serviços, relacionamentos, ‣ Atendimento em Redes Sociais: processos centrados nas pessoas. Captura, internalização e gestão de demandas geradas em redes sociais.
  • CRIAÇÃO DE CULTURA COLABORATIVA INTERNAE GESTÃO DO CONHECIMENTOCOLABORAÇÃO EM UMAMBIENTE CORPORATIVONÃO SIGNIFICA SOFTWAREColaboração real demanda mais do quesoftware – que pode de fato dificultar oudestruir o processo colaborativo devido àdificuldade de gerenciamento. É essencialentender elementos sutis e complexos comointeligência emocional e conhecimento tácito.“Challenges and collaboration killers that must beaddressed while promoting a collaborative culture:silos with different cultures, strong egos, messengerkillers, pontificators, hidden agendas, cynicism,groupthinking, diverse levels of understanding, biases.” 
  • ESTUDO E ENTENDIMENTO DE REDES E COMUNIDADES(N)ETNOGRAFIA:PESSOAS, CULTURAE SIGNIFICADOUma análise (n)etnográfica propicia o entendimento de cenárioscomplexos, permite-nos imergir no universo de outras pessoas e,mais importante, ela nos permite identificar padrões decomportamento em um contexto real – padrões que podemosentender tanto racionalmente quanto intuitivamente.Essa é a primeira fase dos projetos na SODET. Ela pode acontecer emforma de pesquisa Netnográfica digital – capturando conversas ehábitos nas redes sociais, ou Etnográfica em campo.Com essa pesquisa podemos:‣ Identificar particularidades da cultura‣ Entender significado‣ Entender normas e regras formais e informais‣ Tornar comunicação impactante‣ Identificar barreiras e pontos sensíveis do dia-a-dia‣ Descobrir o que motiva as pessoas de um grupo‣ Mapear figuras relevantes e líderes informais‣ Descobrir oportunidades de otimização de processos
  • CRIAÇÃO DE CULTURA COLABORATIVA INTERNAE GESTÃO DO CONHECIMENTO DESENVOLVENDO O ser humano é essencialmente criativo e tem a capacidade de colaborar e co- criar soluções quando exposto a um ambiente que encoraje essa prática e às AS FERRAMENTAS ferramentas corretas. Designers e desenvolvedores já se acostumaram à idéia de APROPRIADAS serem responsáveis pela criação de mecanismos e dispositivos prontos para que outras pessoas usem ou consumam. Na SODET acreditamos na ideia de criar coisas das quais outras pessoas irão participar. Nossa missão é criar estruturas apropriadas e customizadas através das quais as pessoas possam, em um contexto profissional, criar soluções inovadoras e de valor, contribuindo com suas habilidades específicas, métodos e mindsets.
  • CRIAÇÃO DE CULTURA COLABORATIVA INTERNAE GESTÃO DO CONHECIMENTO ETAPAS DE UM PROJETO As etapas para construção de projeto seguem a metologia de Social Design Thinking proposta pela SODET, incluindo entregas iterativas e incrementais de desenvolvimento, associada a uma parte de pesquisa e testes intensiva com os usuários (design centrado no ser humano). PROGRAMAÇÃO DESENHO DO DESENVOLVIMENTO E TECNOLOGIA PÓS-ALFA: BRIEFING CENÁRIO ATUAL + DA ARQUITETURA DESENVOLVIMENTO + TESTES DA MANUTENÇÃO IMERSÃO E ETNOGRAFIA PLANEJAMENTO DE INFORMACÃO E EVOLUÇÕES INICIAL DO LAYOUT E HTML VERSÃO ALFA
  • RELACIONAMENTO E GESTÃO DE REDES SOCIAIS EXTERNASDISSOLVENDO AS BARREIRASENTRE A EMPRESA ESUA COMUNIDADE DE USOO novo usuário ou consumidor social quer mais controle.Ele se utiliza de canais digitais sociais para buscar recomendações evalidação de seu grafo social. Ele quer atestar o que conhece, expressarsua opinião; espera um novo tipo de experiência com as marcas,procura se conectar com outras pessoas que compartilham de seusuniversos de interesse. Se gosta de um produto ou serviço, tem ointeresse em ser parte da construção e evolução daquilo. Ele éinformado e exigente.O conhecimento coletivo desse tipo de usuário sobreprodutos ou serviços que consomem é geralmentesuperior ao conhecimento interno da própria empresa.Quando membros de uma comunidade de uso podemconversar de forma aberta e transparente com a empresae com outros membros, eles acabam sendo o melhor canalde atendimento e construção de marca da organização.
  • UM GRUPO DE PESSOAS NÃO É NECESSARIAMENTE SOCIAL.SOCIAL É O QUE ACONTECE ENTRE ELAS E A FORMA COMO INTERAGEM. O novo papel dos líderes, das marcas e organizações é criar culturas onde boas ideias emerjam, selecionar os conceitos mais fortes que merecem apoio da organização e dar às equipes internas o sentimento de pertencimento e accountability para a execução.
  • A CONSTRUÇÃO DE NEGÓCIOSSOCIAIS VAI MUITO ALÉM DE T.I.Ela tange pessoas e comportamento humano. Nosso objetivo FERRAMENTAS, SOFTWARE,maior é criar ambientes e práticas que permitam e encorajam os MECANISMOS WEB 2.0membros das redes internas e externas de uma organização acompartilharem e criarem experiências de forma colaborativa. TECNOLOGIA RECONHECIMENTO COMPARTILHAR CONHECIMENTO & CO-CRIAR MOTIVAÇÃO PARA COMPORTAMENTOS QUE DEVEM SER ENCORAJADOS COMPARTILHAR CULTURA VELOCIDADE DE E DESENHO CULTURA, REGRAS ADOÇÃO DE NEGÓCIOS CORPORATIVAS E EXPECTATIVAS CONTEÚDO DESENHO COMPARTILHADO DE SISTEMAS
  • O ECOSISTEMA DIGITAL SOCIAL USEFUL USABLE DESIRABLE SUSTAINABLE SOCIAL serves a purpose intuitive enjoyable scalable shareable satisfies needs easy pleasurable maintainable open practical seamless delightful adaptive distributed functional accessible memorable pliable dynamic helpful efficient differentiated collective effective THE NATURAL BASICS PROGRESSION EXTERNAL CUSTOMER PARTICIPATION INTERNAL COLLABORATIONVisual Thinking byDavid Armano BUSINESS OPTIMIZATION
  • Não sei nem se deveríamos começar como conceito de design de mídias sociais.O comportamento social nos humanos étão antigo quanto nossa espécie, por issoo surgimento de uma Internet e de sistemasbaseados em comportamento social éapenas nossa tecnologia rudimentartentando alcançar nossa vida offline.O pensar em “design social” deveria ser partede tudo o que fazemos, e não ser abordadode forma isolada. Nós deveríamos pensarnisso da mesma forma que os designers deaparelhos eletrônicos pensam emeletricidade – apenas está ali, é o pontocentral, o eixo, fazendo todas as outrascoisas funcionarem.PAUL ADAMS,GERENTE DE EXPERIÊNCIA DE MARCA GLOBAL DO FACEBOOK
  • Obrigado. SHIFTING BUSINESSES INTO SOCIAL MACHINES Ana Barroso ana@sodet.bizBruno Encarnação brunobpe@sodet.biz Teco Sodré teco@sodet.biz