Escultura barroca

40,930 views
40,114 views

Published on

Published in: Education
3 Comments
35 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
40,930
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1,682
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
3
Likes
35
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Escultura barroca

  1. 1. A escultura barroca
  2. 2. A escultura barroca“A primeira característica reconhecível e típica daescultura barroca é a sua omnipresença”Flávio Conti, Como reconhecer a Arte Barroca” Baldaquino, Gian Lorenzo Bernini, 1624- 1633 (Basílica de S. Pedro)
  3. 3. A escultura barroca “A primeira característica reconhecível e típica da escultura barroca é a sua omnipresença” Flávio Conti, Como reconhecer a Arte Barroca” Arte mais praticada e difundida neste período Baldaquino, GianArquitetura Pintura Praças Jardins Lorenzo Bernini, 1624- 1633 (Basílica de S. Pedro)
  4. 4. A escultura barroca Arte mais praticada e difundida neste período- Adaptabilidade a interiores e exteriores- capacidades plásticas: Capacidade em - modelação de volumes (realismo cumprir os tridimensional) objetivos da arte - dialética de contrastes (luz/sombra) barroca e dos seus encomendadores - movimento e expressividade - cenografia das composições Função simbólica e didática da escultura
  5. 5. A escultura barroca -Igreja: -transmissão da fé e dos dogmas - reforço da mensagem espiritual - Reis:Função simbólica edidática da escultura - manifestação pública do seu poder - divulgação da ordem ideológica que o fundamenta - Famílias ricas – manifestação do seu individualismo e gosto pelo quotidiano
  6. 6. A escultura barrocaDavid, Miguel Ângelo David, Bernini
  7. 7. Expressão técnico-formal Bernini, Plutão e Proserpina, 1621-22
  8. 8. Expressão técnico-formalRigor na execução técnica Grande mestria Realismo formal Rutura do + bloco único naturalismo Composições Perfeição das formas livres que juntam peças obtidas em (cânones renascentistas blocos diferentes mas com proporções mais esguias) Bernini, Plutão e Proserpina, 1621-22
  9. 9. Expressão técnico-formal O Êxtase de Sta. Teresa de Ávila, BerniniApolo e Dafne, Bernini David, Bernini
  10. 10. Expressão técnico-formalExploração das capacidades Acentuação dos gestos e dasexpressivas das personagens ou expressões faciais e corporaisdas cenas Dramatismo
  11. 11. Expressão técnico-formalRepresentação de posiçõesem movimento, captadas comonum instantâneo fotográfico David, Bernini
  12. 12. Expressão técnico-formal O Êxtase de Sta. Teresa de Ávila, Bernini
  13. 13. Expressão técnico-formalUtilização de panejamentos Contraste dasvolumosos, agitados e texturasdescompostos + Jogos de luz/sombra O Êxtase de Sta. Teresa de Ávila, Bernini
  14. 14. Expressão técnico-formal Bernini, Apolo e Dafne, 1625, Galeria Borgese
  15. 15. Expressão técnico-formalComposições livres e soltas Esquemas complexos Sentido cénico das obras Teatralidade dos Preocupação pelo gestos enquadramento Bernini, Apolo e Dafne, 1625, Galeria Borgese
  16. 16. Expressão técnico-formalComposições livres e soltas Esquemas complexos Sentido cénico das obras Teatralidade dos Preocupação pelo gestos enquadramento O espaço onde se enquadrava a escultura era organizado como se de um cenário se tratasse, de forma a valorizar a sua leitura O Êxtase de Sta. Teresa de Ávila, Bernini
  17. 17. Expressão técnico-formalPeças para serem vistas deum ou no máximo doispontos de observação,fugindo à multifacialidadeda escultura renascentista Bernini, Apolo e Dafne, 1625, Galeria Borgese
  18. 18. Expressão técnico-formalVariados materiais:- pedra (sobretudo mármore)- bronze- ouro e prata- marfim- estuques- madeiras policromadas- cartão Baldaquino, Bernini, 1624-33
  19. 19. Duas categorias Escultura Escultura monumental independenteOrnamentar e completar a - carácter alegórico, honoríficoarquitetura, enquadrando-se ou comemorativo;nos cenários por ela criados - função urbanísticas
  20. 20. Escultura ornamental Objetivo Decorar para Rematar as reforçar construções o efeito estéticoEsconder Interligar Preencher espaçosligações superfícies mortos
  21. 21. Escultura ornamentalDois tipos de trabalho escultóricoRelevos Escultura de vulto redondo Sant’Andrea delle Fratte, Francesco Borromini, pormenor da torre, 1653-67, Roma
  22. 22. Escultura ornamentalDois tipos de trabalho escultóricoRelevos Escultura de vulto redondo Estátuas no ático da Colunata de S. Pedro, Bernini, 1657-67, Vaticano
  23. 23. Escultura ornamental Relevos Função decorativa Função descritiva Gramática formal Cenas de conteúdo típica narrativoElementos decorativosvariados e exuberantes Fachada de S. Vicenzo de Anastaso, Martino Longhi, 1646-50, Roma
  24. 24. Escultura ornamental -nichos, consolas ou mísulas nas fachadas dos edifícios ou paredes interiores - filas horizontais sobre os parapeitos das pontes e dos áticos dos edifícios, escadarias e colunatasEscultura de vulto redondo - estátuas-colunas sustentando tetos e entablamentos: - atlantes (figuras masculinas) - cariátides (figuras femininas) - monumentos escultóricos, com mistura de estatuária, relevos e elementos arquitetónicos : baldaquinos, retábulos e mausoléus
  25. 25. Escultura independente Tipologias da escultura independente Monumentos Passoscomemorativos processionais Figuras túmulos alegóricas retratos fontes
  26. 26. Escultura independente Santa Cecília, Stefano Maderno, 1600, Igreja de Santa Cecília in Trastevere, Roma
  27. 27. Escultura independenteBusto do Cardeal Cipião, Busto de Gabrielle Fonseca,médico do Papa Inocêncio X,Bernini, 1668-75 Giuliano Finelli, 1620
  28. 28. Escultura independente Tipologias da escultura independente Preferência por grupos escultóricos com composições mais dinâmicas e com maiores capacidades dramáticas e cénicas
  29. 29. Escultura independente Vida de santos e mártires Iconografia sacra Novos temas marianos (sagrada família e Imaculada Conceição Vida de Cristo (Cristo no calvário e cenas da Paixão de Cristo)Funções didáticas: Representação simbólica do triunfo-traduzem em imagens s doutrina da Eucaristia e das virtudesreligiosa e os seus dogmas cristãs- autoafirmação da fé e do poderda Igreja Católica Valorização do Papa (= herói cristão)
  30. 30. Escultura independente Iconografia sacraTúmulo do Papa Alexandre VII, Bernini,1673-74, Basílica de S. Pedro, Vaticano
  31. 31. Escultura independente Iconografia sacra Excelente composição cenográficaContrastes de texturase cores de diversosmateriais Esqueleto de bronzeImagens alegóricas (Caridade,Verdade, Prudência e Justiça) Túmulo do Papa Alexandre VII, Bernini, 1673-74, Basílica de S. Pedro, Vaticano
  32. 32. Escultura independente Escultura Retratos individuais com carácter honorífico e propagandístico laica Realista e expressivo + Retratos oficiais dos reis:Objetivos dos seus - atitudes de triunfoencomendadores: - rodeados por:-Valorização da sua figura - imagens alegóricas das- afirmação do seu poder virtudes morais e políticas - figuras mitológicas (heróis clássicos, por exemplo)
  33. 33. BerniniNasceu em Nápoles a 7 deDezembro de 1598 faleceu em Gian Lorenzo BerniniRoma a 28 de Novembro de1680. Foi um eminente artista do barroco italiano, trabalhando principalmente na cidade de Roma. Distinguiu-se como escultor e arquitecto, ainda que tivesse sido pintor, desenhista, cenógrafo e criador de espectáculos de pirotecnia. Esculpiu numerosas obras de arte em Roma e no Vaticano.
  34. 34. Bernini Baldaquino, 1624-1633, Basílica de S. Pedro
  35. 35. Bernini Baldaquino, 1624-1633, Basílica de S. Pedro
  36. 36. Bernini Baldaquino, 1624-1633, Basílica de S. Pedro - Situado sob a cúpula da Basílica de S. Pedro e sobre a cripta das relíquias do santo - União perfeita entre escultura e arquitetura: peça de arquitetura com tratamento escultórico - Caracteriza-se pela graciosidade, majestade e requinte trono do Papa - colunas torsas - rematadas por volutas e anjos - evoca a ascendência aos céus - transmite efeito teatral e cénico
  37. 37. Bernini Apolo e Dafne, 1625, Galeria Borghese
  38. 38. Bernini Apolo e Dafne, 1625, Galeria Borghese
  39. 39. Bernini Apolo e Dafne, 1625, Galeria Borghese - Capta o momento da transformação de Dafne em Loureiro -Realismo das diferentes texturas: - rugosidade do tronco de loureiro - macieza do manto de Apolo - transparência da pele de Dafne - Posições em desequilíbrio - Sentido ascendente das figuras
  40. 40. Bernini Plutão e Proserpia, 1621-22
  41. 41. Bernini Plutão e Proserpia, 1621-22
  42. 42. Bernini Plutão e Proserpia, 1621-22 - Capta o momento do rapto da deusa do reino das sombras - concentração temática e plástica nos lados frontal e esquerdo - movimento realista - contraste de texturas - dramatismo acentuado
  43. 43. Bernini David, Bernini, 1623-24
  44. 44. Bernini David, Bernini, 1623-24 - Abandono do ideal estético e estático -Representa um momento de uma ação - Sentido dinâmico e participativo do espectador - dramatismo exacerbado
  45. 45. BerniniO Êxtase de Sta. Teresa de Ávila, Bernini
  46. 46. BerniniO Êxtase de Sta. Teresa de Ávila, Bernini
  47. 47. Bernini O Êxtase de Sta. Teresa de Ávila, Bernini -Capta o momento em que um anjo trespassa continuamente o coração da santa - contraste entre a rugosidade dos rochedos e a agitação dos panejamentos - integração do espaço real numa dimensão mística (acesso ao mundo celeste) - dramatismo expressivo exacerbado: êxtase e falecimento, mistura entre dor e prazer
  48. 48. FIM

×