STC NG5 DR4 Benvinda

3,047 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,047
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
450
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

STC NG5 DR4 Benvinda

  1. 1. AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DO CONCELHO DE SOUSEL ESCOLA BÁSICA DOS 2º E 3º CICLOS PEDRE JOAQUIM MARIA FERNANDES NG-5 DR4 STC Benvinda Bruno Turma-A Nº4
  2. 2. Entre os estudantes, a utilização de Internet e do computador é quase total segundo os últimos dados. Tal facto revela o impacto da aposta no fornecimento de Internet de banda larga a todas as escolas, um objectivo que foi atingido recentemente.
  3. 3. Os dados revelam que 67 por cento dos inquiridos recorrem ao Multibanco, nomeadamente para realizar carregamentos de telemóvel ou pagamento de serviços.
  4. 4. O correio electrónico, a utilização de chats e serviços de mensagens instantâneas estão entre as funcionalidades mais usadas pelos internautas, que também recorrem à rede para a utilização de serviços de vídeo (como o Youtube), pesquisa de informação sobre bens e serviços ou pesquisa de informação sobre saúde, serviços públicos, etc.
  5. 5. Os números revelam que desde 2005 o número de indivíduos que realizaram compras electrónicas aumentou 50 por cento, embora mesmo assim tenha apenas aumentado para os 6 por cento.
  6. 6. Relativamente aos organismos públicos os dados compilados revelam uma elevada taxa de utilização de Internet nos serviços públicos da Administração Central, regional e local e um crescimento expressivo dos acessos em banda larga, assim como das velocidades das ligações. Na administração local, por exemplo, todas as câmaras têm Internet e 78 por cento usam ligações com débitos superiores a 2 Mbps.
  7. 7. A compilação de dados inclui ainda números - já divulgados - relativamente a utilização das TIC na saúde, nas empresas e nas escolas.
  8. 8. Sistema Binário Todo o funcionamento de um computador digital é baseado no cálculo binário. O sistema de numeração binário (ou sistema de base 2) é formado por dois dígitos: o 0 e o 1 . Os dígitos binários 0 e 1 são habitualmente designados por bits .
  9. 9. Sistema Binário Um número binário constituído por 8 bits é designado por byte , um número binário de 16 bits é uma word , e um de 32 bits, uma double word .
  10. 10. Sistema Binário Para contar em decimal, usamos intuitivamente um algoritmo muito simples: supondo que temos um contador por cada posição, todos iniciados em 0. Começamos a incrementá-los da direita para a esquerda. Quando o contador em qualquer posição ultrapassar o valor 9 (valor do símbolo mais elevado no caso do sistema decimal), o contador relativo a essa posição juntamente com todos os contadores à direita voltam a zero e o contador que ocupa a posição imediatamente à esquerda, é incrementado 1 unidade. Para contar em binário seguimos as mesmas regras, ou seja, obtemos a sequência: 0000, 0001, 0010, 0011, 0100, 0101, 0110, 0111, 1000, …
  11. 12. Um bit pode assumir somente 2 valores, por exemplo: 0 ou 1, verdadeiro ou falso, sendo a base da matemática binária.
  12. 13. Embora os computadores tenham instruções (ou comandos) que possam testar e manipular bits, geralmente são idealizados para armazenar instruções em múltiplos de bits, chamados bytes .
  13. 14. No princípio, byte tinha tamanho variável mas actualmente tem oito bits. Bytes de oito bits também são chamados de octetos . Existem também termos para referir-se a múltiplos de bits usando padrões prefixados, como kilobit ( kb ), megabit ( Mb ) e gigabit ( Gb ). De notar que a notação para bit utiliza um "b" minúsculo, em oposição à notação para byte que utiliza um "B" maiúsculo ( kB , MB , GB ).
  14. 15. Fisicamente, o valor de um bit é, de uma maneira geral, armazenado como uma carga eléctrica acima ou abaixo de um nível padrão armazenada dentro de um dispositivo de memória. Mas bits podem ser representados fisicamente por vários meios. Os meios e técnicas commumente usados são: pela electricidade, como já citado, por via da luz (em fibras ópticas, ou em leitores e gravadores de discos ópticos por exemplo), por via de ondas electromagnéticas (rede wireless), ou também, por via de polarização magnética (discos rígidos).
  15. 16. Telecomunicações ou volume de tráfego em redes de computadores são geralmente descritos em termos de bits por segundo. Por exemplo, “um modem de 56 kbps é capaz de transferir dados a 56 kilobits em um único segundo”.
  16. 17. Ethernet transfere dados a velocidades que variam de 10 megabits por segundo a 1 gigabit por segundo. No Sistema Internacional (SI), os prefixos kilo-, mega-, etc às vezes têm o significado modificado quando aplicados a bits e bytes.
  17. 19. ISP TRADICIONAL <ul><li>Ligação por linha comutada ou dial up (às vezes apelidada de Banda estreita em alusão à ligação em Banda larga). </li></ul><ul><li>É um tipo de acesso à Internet no qual uma pessoa usa um modem e uma linha telefónica para se ligar a um nó de uma rede de computadores da empresa que fornece o acesso à internet (ISP, do inglês Internet Service Provider ). </li></ul>
  18. 20. <ul><li>A partir desse momento, o ISP encarrega-se de fazer o roteamento para a Internet ou para outras redes de serviço, como as antigas BBS. </li></ul><ul><li>O dial-up geralmente usa os protocolos TCP/IP. </li></ul>
  19. 21. <ul><li>ADSL: os dados podem ser transmitidos mais rapidamente numa direcção do que na outra, assimetricamente, diferenciando-o de outros formatos. </li></ul><ul><li>As empresas geralmente anunciam o ADSL como um serviço para as pessoas se ligarem à Internet do seguinte modo: o canal de comunicação é mais amplo e rápido para receber e menor e mais lento para enviar. </li></ul>ADSL
  20. 22. No ADSL, geralmente as menores taxas de upload começam em 6 Kbit/s e podem atingir 900 Mbit/s dentro de 300 metros da central onde está instalado o sistema. As taxas podem chegar a 52 Mbit/s dentro de 100 metros (o tão chamado VDSL). Taxas de envio geralmente começam em 64 Kbit/s e vão até 256 Kbit/s, mas podem ir até 768 Kbit/s.
  21. 23. As empresas de serviço ADSL podem oferecer dois tipos de endereço IP: fixo ou dinâmico. O endereço fixo pode ser mais vantajoso para aqueles que usam a ligação ADSL para jogos via Internet, para se ligarem a servidores Web e numa rede virtual privada. Para utilizadores domésticos, o endereço IP dinâmico pode ser uma vantagem, pois, dificulta o ataque de hackers.
  22. 24. BANDA LARGA <ul><li>O termo banda larga pode apresentar diferentes significados em diferentes contextos. Habitualmente utiliza-se o termo banda larga como a capacidade de transmissão que é superior a 1.5 ou 2 Megabits por segundo. </li></ul>
  23. 25. Os Estados Unidos aplicam o termo banda larga a velocidades de download a partir de 200kbps. O significado já sofreu várias modificações conforme o tempo. Inicialmente, banda larga era o nome usado para definir qualquer ligação à internet acima da velocidade padrão dos modems analógicos (56 Kbps). Usando linhas analógicas convencionais, a velocidade máxima de ligação é de 56 Kbps.
  24. 26. CABO <ul><li>Esta tecnologia, também conhecida por Cable Modem , utiliza as redes de transmissão de TV por cabo convencionais (do inglês CATV - Community Antenna Television ) para transmitir dados em velocidades que variam de 70 Kbps a 150 Mbps, fazendo uso da parte de banda não utilizada pela TV a cabo. </li></ul>
  25. 27. <ul><li>Utiliza uma topologia de rede partilhada, onde todos os utilizadores partilham a mesma largura de banda. </li></ul><ul><li>Para este tipo de acesso à internet utiliza-se um cabo coaxial e um modem. O computador do utilizador deve estar equipado com placa de rede Ethernet. Nela liga-se um cabo e a outra extremidade desse cabo deve ser ligada ao modem. </li></ul>
  26. 28. Ao modem, também é ligado o cabo coaxial da TV, que servirá para ligar o utilizador à Internet. Outra forma de ligação é através de um conector USB, cujo modem de rede liga-se ao computador através de um cabo.
  27. 29. <ul><li>As normas DOCSIS 1.0 e 1.1 são actualmente as mais utilizadas. A norma DOCSIS 2.0 exige alterações importantes nos equipamentos do ISP e como tal está a mostrar mais resistência na sua adaptação.A norma DOCSIS 3.0 exige também alterações nos equipamentos dos ISP's e normalmente a troca de modems de clientes, para utilização da mesma. </li></ul>
  28. 30. Wireless Wi-Fi foi uma marca licenciada originalmente pela Wi-Fi Alliance para descrever a tecnologia de redes sem fios (WLAN) baseadas no padrão IEEE 802.11. O termo Wi-Fi foi escolhido como uma brincadeira com o termo &quot;Hi-Fi&quot; e pensa-se geralmente que é uma abreviatura para wi reless fi delity, no entanto a Wi-Fi Alliance não reconhece isso. Commumente o termo Wi-Fi é entendido como uma tecnologia de ligação entre dispositivos sem fios, usando o protocolo IEEE 802.11.
  29. 31. <ul><li>O padrão Wi-Fi opera em faixas de frequências que não necessitam de licença para instalação e/ou operação. </li></ul><ul><li>Este facto torna-as atractivas. </li></ul>
  30. 32. <ul><li>Para se ter acesso à internet através de rede Wi-Fi deve-se estar no raio de acção de um ponto de acesso (normalmente conhecido por hotspot) ou local público onde opere uma rede sem fios e usar um computador portátil, Tablet PC ou PDA com capacidade de comunicação sem fios. </li></ul><ul><li>Desta forma o utilizador de redes Wi-Fi pode aceder à internet em muitos locais. </li></ul>
  31. 33. Quando um periférico que permite &quot;Wi-Fi&quot;, como um Pocket PC, encontra um hotspot, o periférico pode instantaneamente ligar-se à rede sem fios. Muitos hotspots estão localizados em lugares que são acessíveis ao público, como aeroportos, cafés, hotéis e livrarias. Muitas casas e escritórios também têm redes &quot;Wi-Fi&quot;.
  32. 34. Enquanto alguns hotspots são gratuitos, a maioria das redes públicas é suportada por Empresas de Serviços de Internet (Internet Service Provider - ISPs) que cobram uma taxa aos utilizadores para estes se ligarem.
  33. 35. <ul><li>Actualmente praticamente todos os computadores portáteis vêm de fábrica com dispositivos para rede sem fio no padrão Wi-Fi (802.11 b , a ou g ). O que antes era acessório depressa se tornou obrigatório, principalmente devido à redução do custo de fabrico. </li></ul>
  34. 36. BIBLIOGRAFIA <ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/Asymmetric_Digital_Subscriber_Line </li></ul><ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/Linha_discada </li></ul><ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/Cable_modem </li></ul><ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/Wi-Fi </li></ul>

×