1

Impacto da Tecnologia da Informação em bibliotecas de uma cidade
do interior paulista.
Área temática: Tecnologia da Inf...
2

INTRODUÇÃO
No final do século passado, ocorreu um tipo de metamorfose, uma grande mudança
nos hábitos das civilizações,...
3

Acarreta mudanças na vida do homem capaz de transformar seu cotidiano trazendo
agilidade para pequenas tarefas. Seu tem...
4

De acordo com Milanesi (2002), aquele que diminui ou cessa a incorporação contínua de
conhecimentos pára no tempo e par...
5

CATALOGAÇÃO
Nome
completo

Palavra
chave

Sobrenome
principal

Titulo

Palavra
chave

Autor

Assunto

Palavra
chave

Cl...
6

Os avanços da tecnologia são contínuos e para O’Brien (2004), o crescimento explosivo
da Internet e das tecnologias e a...
7

Segundo Rosetto (1997), nesse momento, o computador está sendo mais empregado como
um intermediário para a recuperação ...
8

Milanesi (2002), enfatiza a Internet, como um poderoso instrumento de informação,
determinou mudanças drásticas educaci...
9

Para Aquino (2004), a passagem da cultura impressa para a cultura digital afetou não
só os ambientes do papel, exigindo...
10

Ela também não possui página na Internet e não promove interatividade com seus usuários,
que ficam restritos a receber...
11

67%
70%

On-line
Nenhuma

60%
50%

33%

40%
30%
20%
10%
0%
Figura 3: Maneiras que são disponibilizados acervo eletrôni...
12

Todas as bibliotecas entrevistadas oferecem consultas em livros e periódicos
impressos.
As bibliotecas do Ensino Super...
13

Eletrônico
Manual

67%
70%
60%
50%
40%

33%

30%
20%
10%
0%
Figura 6: Cadastro de usuários
Fonte: A autora, 2008.

Com...
14

vantagem alcançada através da T.I. em todo processo, no entanto sua eventual ausência
poderia ocasionar paralisação te...
15

Referências

ALECRIM, E. Colunas: O que é Tecnologia da Informação? Disponível em:
<http://www.infowester.com/col15080...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Artigo margarida talita pdf

405
-1

Published on

Este artigo tem como objetivo apresentar as alterações ocorridas nas bibliotecas nos seus processos de implantação da Tecnologia da Informação. Uma das missões da biblioteca é levar informação a seus usuários, que esperam recebê-las de forma imediata. Através de aplicações das ferramentas de T.I. podem-se alcançar novas e eficientes maneiras para o transporte da informação ao usuário final. Foram avaliadas de forma quantitativa, três diferentes bibliotecas: Pública Municipal, de Ensino Superior Pública e Ensino Superior Privada, de uma cidade do interior paulista. A fim de explorar o grau de impacto ocasionado pela introdução da T.I., foram analisadas as utilizações dos serviços oferecidos por cada uma delas. De acordo com os resultados apurados pôde-se detectar que apesar de todas bibliotecas estarem em constante busca para implantar as ferramentas oferecidas pela T.I., as localizadas em Ensino Superior Público e Privado possuem vantagem em atendimento aos clientes em relação à Pública Municipal. E no contexto geral observou-se que a biblioteca de Ensino Superior Pública possui mais recursos devida uma melhor aplicação e aproveitamento das ferramentas de T.I. em todo seu processo.

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
405
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Artigo margarida talita pdf

  1. 1. 1 Impacto da Tecnologia da Informação em bibliotecas de uma cidade do interior paulista. Área temática: Tecnologia da Informação Margarida Talita de Oliveira Sá 1 – tata-kity@hotmail.com André Alves Prado 2 - prado@debiq.eel.usp.br RESUMO Este artigo tem como objetivo apresentar as alterações ocorridas nas bibliotecas nos seus processos de implantação da Tecnologia da Informação. Uma das missões da biblioteca é levar informação a seus usuários, que esperam recebê-las de forma imediata. Através de aplicações das ferramentas de T.I. podem-se alcançar novas e eficientes maneiras para o transporte da informação ao usuário final. Foram avaliadas de forma quantitativa, três diferentes bibliotecas: Pública Municipal, de Ensino Superior Pública e Ensino Superior Privada, de uma cidade do interior paulista. A fim de explorar o grau de impacto ocasionado pela introdução da T.I., foram analisadas as utilizações dos serviços oferecidos por cada uma delas. De acordo com os resultados apurados pôde-se detectar que apesar de todas bibliotecas estarem em constante busca para implantar as ferramentas oferecidas pela T.I., as localizadas em Ensino Superior Público e Privado possuem vantagem em atendimento aos clientes em relação à Pública Municipal. E no contexto geral observou-se que a biblioteca de Ensino Superior Pública possui mais recursos devida uma melhor aplicação e aproveitamento das ferramentas de T.I. em todo seu processo. Palavras-chave: sistema de gestão para biblioteca; informatização; gestão da informação; livro eletrônico; tecnologia da informação. ABSTRACT This article has as objective presents the alterations happened at the libraries in its process with the implantation of Information Technology. One of the missions of the library is to take information to their users that hope to receive them in an immediate way. Through applications of the tools of I.T. can be reached new and efficient ways for the transport of the information to the final user. They were evaluated in quantitative way three different libraries: Public Municipal, Public University and Private University of a city from the interior of São Paulo. In order to explore the impact degree caused by the introduction of the TI, the uses of the services offered by each one of them were analyzed. In agreement with the select results it could be detected that in spite of all libraries are in constant searches to implant the tools offered by I.T., the located ones in the public and private universities, possess great advantage in relation to the public municipal. And in the general context it was observed that the public university library possesses more resources due to a better application and use of the tools of TI in its whole process. Key- words: administration system for library; computerization; administration of the information; electronic book; Information Technology. 1 2 Graduada do Curso de Administração de Empresas das Faculdades Integradas Teresa D’Ávila – FATEA – Lorena – SP Professor Orientador da Graduação de Administração das Faculdades Integradas Teresa D’Ávila – FATEA – Lorena – SP
  2. 2. 2 INTRODUÇÃO No final do século passado, ocorreu um tipo de metamorfose, uma grande mudança nos hábitos das civilizações, devido ao surgimento de novas tecnologias. Como a Internet, que tornou possível a disseminação do conhecimento e da informação imediata a custo relativamente baixo, e agregado à vantagem da disponibilidade eletrônica de textos. A Tecnologia da Informação (T.I.) engloba todas as tecnologias usadas para criar, armazenar, tratar, comunicar e disponibilizar informações. Para isso, ela utiliza computadores, terminais de Internet, extranet, intranet, sistema de gerenciamento de banco de dados, sistemas de gestão, softwares em geral, fibra ótica, redes de conexão e até mesmo os satélites. É uma nova tendência, capaz de transformar tudo a sua frente, capaz de levar informações com maior velocidade, de diferentes maneiras e para qualquer lugar do mundo, e isso interferiu no processo das bibliotecas, espaço reservado para busca de informação. Até pouco tempo atrás falar em acervos eletrônicos, interação do usuário com o meio de pesquisa, comunicação com pessoas do outro lado do mundo, era considerado uma utopia. Atualmente, livros podem ser encontrados virtualmente na Internet e também em forma de CD-ROM, as formas de consultas também mudaram, proporcionam interação entre leitores e fontes consultadas, permitem até mesmo o usuário contribuir com informações para as fontes, que é o caso da Wikipédia, enciclopédia virtual, onde os usuários além de coletar informações compartilham seus conhecimentos. Com o advento de ferramentas oferecidas por web sites (uma coleção de arquivos da Web) como o Google (explorador da Internet), que torna capaz o usuário concluir pesquisas apenas digitando uma palavra chave e encontrar vários textos relacionados com o tema proposto, faz com que o mesmo adapte-se facilmente com essa modalidade de pesquisa, rápida e disponível em qualquer lugar. Para acompanhar tais mudanças, as bibliotecas tiveram que se adequar a essa nova realidade e buscar inovação na oferta de pesquisas literárias, bem como em sua estrutura organizacional. Assim, visando uma melhor adequação dos seus objetivos, procura transformar suas estruturas tradicionais adequando-as às necessidades da era digital. Uma nova missão foi destinada às bibliotecas, a de criar novas formas de mediação para a obtenção e transferência de informação, haja vista a introdução da informática e a velocidade dos meios eletrônicos na recuperação, no tratamento e na disseminação da informação terem mudado o conceito tradicional de biblioteca. Na perspectiva do processo de aperfeiçoamento tecnológico, nas bases de comunicação ampliadas, o uso de busca de informação é intensivo e refinado. Constantes pesquisas são realizadas no Brasil acerca da introdução da T.I. em bibliotecas e dos motivos que as levaram a essa introdução. Entretanto, ainda não foi realizada pesquisa que explorasse as razões da aplicação das ferramentas de T.I. em bibliotecas da região do interior paulista. Este artigo tem como objetivo identificar os impactos ocasionados pela T.I. na estrutura organizacional de bibliotecas e analisar as diferentes características encontradas de acordo com seu mercado de atuação e as reações confrontadas a essas novas tecnologias em uma cidade do interior paulista. 1. Fundamentação Teórica 1.1 Tecnologia da Informação A T.I. pode ser definida como um conjunto de todas as atividades e soluções providas por recursos de computação, é algo cada vez mais comum no dia-a-dia das pessoas e das empresas (ALECRIM, 2008).
  3. 3. 3 Acarreta mudanças na vida do homem capaz de transformar seu cotidiano trazendo agilidade para pequenas tarefas. Seu tema principal é o conhecimento utilizado na criação ou aperfeiçoamento de produtos e serviços. De acordo com Côrte et al. (2002), na prática a sociedade recebeu importante influência do uso das tecnologias de informação, desde a facilidade aos processos de comunicação – telefone, TV – até as mais aperfeiçoadas tecnologias – computadores, Internet, satélite – porque não dizer, impulsionados pelos rigorosos processos de globalização vivenciada na ultima década do século passado. A globalização também foi um fator chave para a disseminação imediata de informação, como os países estão interligados em suas transações, se fez necessário criar mecanismos que oferecessem notícias instantâneas de acontecimentos ocorridos em qualquer parte do mundo a qualquer hora. Medeiros e Medeiros (1993), reforçam afirmando que a tecnologia funciona como um poderoso agente de mudança comportamental, quando é introduzida uma máquina há um novo tipo de arranjo social, um novo estilo de vida. Essa mudança ocorreu de tal maneira que se incorporou à rotina das pessoas, trazendo tanta facilidade e conforto se tornando a resistência impossível. O’Brien (2004), destaca a certeza de que, o progresso nos computadores continuará a acelerar-se e de que o desenvolvimento de tecnologias e aplicações baseadas na Internet será uma das maiores forças que dirigirão a informática neste século. A Internet é uma ferramenta revolucionária capaz de direcionar o crescimento da sociedade, oferecer novas possibilidades e com isso tende a hipervalorizar o trabalho informacional. Pereira (2008) se refere a Internet como ferramenta que tem revolucionado o mundo dos computadores e das comunicações como nenhuma invenção foi capaz de fazer antes; sendo de uma vez e ao mesmo tempo, um mecanismo de disseminação da informação e divulgação mundial e um meio para colaboração e interação entre indivíduos e seus computadores, independentemente de suas localizações geográficas. Conforme alerta O’Brien (2004), sistemas e T.I. tornaram-se componentes vitais quando se pretende alcançar o sucesso de empresas e organizações; a compreensão do uso responsável e eficaz da T.I. e suas aplicações transforma o modo de realização da operação da empresa, podendo ocasionar paralisações temporárias caso não seja inserida corretamente, ou não seja incorporada no seu dia-a-dia. Segundo Milanesi (2002), depois do vapor e da eletricidade, chega-se ao terceiro grande impacto da Revolução Industrial: a tecnologia da informação. Entretanto, Freund (1982), em razão das características inerentes à analogias com a Revolução Industrial diz que a T.I. provocou a 2ª Revolução Industrial. Enquanto a primeira caracterizou-se pela utilização de máquinas em substituição a diversas tarefas físicas do homem, a 2ª refere-se a máquinas que contribuem para as atividades intelectuais do homem. O’Brien (2004) enfatiza que sua inserção nas organizações pode se tornar responsável pelo sucesso ou fracasso de um empreendimento e por resultados positivos em todo o processo. Deve-se investir também no capital humano, pois a máquina simplifica as maneiras de realizar as tarefas, porém funcionam através de comandos, e o conhecimento é de extrema importância para que o homem consiga controlar as máquinas, conhecimento este que deve estar disponível a qualquer hora e em qualquer lugar.
  4. 4. 4 De acordo com Milanesi (2002), aquele que diminui ou cessa a incorporação contínua de conhecimentos pára no tempo e paralisa o movimento ascendente na escala social. Por esse motivo, indivíduos e corporações procuram de todas formas dominar o conhecimento que os torna capazes de obter ganhos. Os mais fortes são aqueles que sabem mais. Freund (1982) caracteriza os impactos trazidos pela T.I., como: • novas formas de comunicação, como teleconferência por computador, correio eletrônico, etc.; • aproximação da ciência com a tecnologia, pela redução dos tempos e maior eficiência dos processos de comunicação; • aumento da capacidade intelectual do homem, com expansão de sua memória, capacidade de processamento e de comunicação. A tecnologia é responsável pela transformação dos sistemas tradicionais de manipulação da informação. Veiga (2001) afirma ainda que o que fará a diferença entre os países do futuro será os que têm conhecimento e os que não o têm e completa se referindo a Internet como o caminho do conhecimento. Assim pode se dizer que a T.I. e o conhecimento são intrinsecamente ligados entre si, para que a utilização plena da T.I. seja alcançada é necessário o conhecimento de suas funções, e por sua vez, para que o processo de transmissão do conhecimento seja acelerado e possa ser acessado de qualquer ponto é necessário aplicar os recursos de T.I., formando um ciclo vicioso, onde um depende do outro para sua melhor realização. 1.2 Aplicação da Tecnologia da Informação em Bibliotecas O primeiro passo de aplicação de T.I. em bibliotecas é a automação de seus processos, ou seja, informatizar as formas de serviço. O profissional da informação deverá se antecipar ao impacto institucional dos sistemas, propondo alterações organizacionais e comportamentais visando adaptar as corporações para os efeitos da descentralização dos sistemas de informação e de novos veículos de armazenamento e comunicação da informação (FREUND, 1982). Através de instalação de computadores e softwares adequados, pode se alcançar grandes vantagens na realização de tarefas comuns do dia-a-dia de bibliotecários, que permite a troca de fichas de papeis por sistemas elaborados cada qual destinados a uma função especifica, como pode ser visto no esquema proposto a seguir:
  5. 5. 5 CATALOGAÇÃO Nome completo Palavra chave Sobrenome principal Titulo Palavra chave Autor Assunto Palavra chave Classificaçã o Autor corporativo Série Editora Palavra chave ISBN PRINCIPAL CIRCULAÇÃO CONTROLE DE PUBLICAÇÕES SERIADAS Encadernação Controle da encad Histórico orçam. Dep. de circul. Reserva Registro da publ. Assinatura AQUISIÇÃO Fornecedor Histórico fatura Orçamento Encomenda Orçamen -to Verba Emprestado Exemplares Emprestado Movimen to diário Estatística Arquivo Fatura Fatura Figura 1: Estrutura de base de dados relacional para um sistema de gerenciamento de bibliotecas. Fonte: ROWLEY, 1994. Segundo Rowley (2002), os sistemas de gerenciamento de biblioteca se concentram nas atividades apresentadas na figura acima conforme descrição das funções: • Catalogação – é a descrição bibliográfica de um documento feita numa ficha bibliográfica, de modo que seja identificado com precisão. • Aquisição – sistema para controlar a seleção, encomenda, registro e pagamento de acervos da biblioteca. • Circulação – sistema de controle da disponibilidade do acervo. • Controle de Publicação Seriada – sistema integrado que apresenta todos os três subsistemas já mencionados, porém destinado a publicações em série. A introdução de sistemas informatizados resultou em padronização, aumento da eficiência, interligação por redes e melhores serviços. Podem ser vistos como sistemas que administram o acesso aos documentos em acervos de bibliotecas, de modo que sua preocupação fundamental é com a manutenção do acervo e com o monitoramento de seu paradeiro, no qual funcionários e clientes da biblioteca possam conhecer a disponibilidade e a situação deles (ROWLEY, 2002). Segundo Rowley (1994), o uso do computador em bibliotecas se justifica devido a: • Necessidade de lidar com mais informações e maior nível de atividade; • Necessidade de maior eficiência; • Oportunidades de oferecer serviços novos ou melhores; • Oportunidades de cooperação e centralização na criação de dados compartilhados.
  6. 6. 6 Os avanços da tecnologia são contínuos e para O’Brien (2004), o crescimento explosivo da Internet e das tecnologias e aplicações a ela relacionadas estão revolucionando o modo de operação das empresas, o modo como as pessoas trabalham e a forma como a TI apóia as operações da empresas e as atividades de trabalho dos usuários finais. Na área da informação, a Internet é o símbolo maior desta tendência, exercendo papel importante para o desenvolvimento do futuro de bibliotecas através dos serviços oferecidos por ela, como: • Correio eletrônico – permite aos usuários enviar mensagens ou arquivos entre si (ROWLEY, 2002). • Notícias – informam aos usuários sobre informações disponíveis (ROWLEY, 2002). • Transferência de arquivos – permite aos usuários acessar e recuperar arquivos localizados em sítios distantes (ROWLEY, 2002). • Licenciamento de e-livros – serviço que permite às bibliotecas oferecerem livros eletrônicos a seus usuários (WOLYNEC, 2001). • Metatextos – e-livros enriquecidos com multimídia e ferramentas interativas de aprendizagem (WOLYNEC, 2001). Segundo Cop (2008) é importante também mencionar os serviços oferecidos pela Web 2.0: • RSS (Real Simple Syndication – Rich Site Summary) - difusão e distribuição de notícias da biblioteca para os usuários ou qualquer outra informação importante para compartilhar com os usuários. Grande ferramenta de atualizações das páginas Web por meio do um leitor RSS. Podem distribuir informações sobre novos artigos, novas bases de dados, novas aquisições etc. Vantagens: não satura o Inbox do e-mail, não é bloqueado pelos filtros de Spam, não é necessário ir aos sites de interesse com o navegador para ver o que os sites têm de novo, basta abrir o leitor RSS. • Blogs – pode ser utilizado como serviço de referência virtual, website interativo que proporciona uma melhor interação entre a equipe da biblioteca e os usuários. Os Blogs podem ter RSS. • Podcast – É um blog falado. Distribui os arquivos sonoros na Internet. Podem ser utilizados por pessoas com deficiência visual. Alguns usos: programas educacionais, entrevistas, eventos, notícias. O usuário pode fazer download dos Podcast e ouvi-los em vários dispositivos. Os Podcasts podem ter RSS • LibraryThing – compartilha bibliotecas. Alguns usos: compartilham registros catalográficos (serviço de catalogação de obras), recomendações de livros, desenvolvimento de coleções, interação de pessoas com os mesmos gostos de leitura. • Flickr – site da Web de hospedagem que compartilha imagens fotográficas e eventualmente outros tipos de documentos gráficos, como desenhos e ilustrações. Com a disponibilização desses serviços o usuário pode se conectar a uma vasta dimensão de informações ao mesmo tempo e também interagir com elas, o que ocasionou mudanças na oferta de serviços das bibliotecas que hoje devem oferecer recursos a fim de satisfazer seus clientes e atender suas necessidades.
  7. 7. 7 Segundo Rosetto (1997), nesse momento, o computador está sendo mais empregado como um intermediário para a recuperação de documentos impressos, mas gradualmente está sendo utilizado para a produção dos próprios documentos primários, livro eletrônico, que afetará tanto a condição do texto impresso, como também a forma de leitura, criando novas relações com o escrito. Conforme Wolynec (2001), livros eletrônicos e bibliotecas digitais prometem revolução comparável à introduzida por Gutemberg, oferecendo condições para que as pessoas, em escala universal, tenham acesso ao conhecimento, a um custo muito menor do que por meio dos livros impressos. Neste contexto, Rosseto (1997) e Wolynec (2001) revelam a acessibilidade à informação, assuntos que antes só poderiam ser encontrados em grandes livros, hoje podem ser acessados em CD-ROM e até mesmo em buscas rápidas na Internet. O rítmo acelerado da produção do conhecimento e as transformações da sociedade exigiram que as bibliotecas implantassem infra-estrutura compatível com a demanda crescente, incorporando novos processos que proporcionassem o acesso mais rápido à informação bibliográfica (ROSSETO, 1997). É importante ressaltar a que ponto é intenso este rítmo de transformação e decisivo para os processos informacionais da biblioteca capaz de revelar característica peculiar de uma sociedade que vive em constantes mutações dentro de suas organizações e instituições. (MILANESI, 1997). Uma vez que a intenção das bibliotecas é intermediar a relação entre informação e usuário, a T.I. pode ser aplicada de diversas maneiras desde a automação de seus processos até oferecer um novo ambiente para sua atuação, o ciberespaço, onde podemos encontrar também as bibliotecas chamadas digitais/virtuais, que são aquelas que podem ser acessadas em sistemas on-line. 1.3 A Evolução das Bibliotecas A biblioteca passou a existir desde que o homem passou a registrar o conhecimento, colecionando e ordenando tábuas de argila, papiros, pergaminhos e papéis impressos (MILANESI, 1997). A biblioteca surgiu junto à preocupação com a conservação dos escritos e suportes materiais, conforme o crescimento do volume dos documentos, foi necessário criar espaços para o armazenamento a fim de viabilizar sua consulta. Milanesi (1997) discuti a definição de biblioteca como sendo somente um acervo literário e afirma que as bibliotecas, hoje, antes de se identificarem como uma coleção livros, definem-se como um espaço informativo. De acordo com o autor, durante quatro séculos, os registros de informações eram encontrados somente em livros, revistas e jornais e a partir do cinema e disco fonográfico quebrou-se o monopólio da imprensa. Em meados de 1994, aconteceu o Simpósio de San Marino, ou seja, época em que a informática dominou o panorama cultural, a tecnologia começou sua iminente produção de réplicas eletrônicas do livro (BELLEI, 2002). Assim, surgiu a possibilidade da disponibilização de textos eletrônicos e a biblioteca teve que modificar seu modo de armazenamento, de maneira a atender as necessidades destes novos tipos de documentos. Para Milanesi (1997), inevitavelmente, com o avanço tecnológico dos últimos anos do século XX, o vídeo, as microformas, os discos ópticos, as redes internacionais, infovias e outras que virão conseqüentemente às mudanças da civilização mudam-se a configuração da biblioteca, que deverá acompanhá-las disponibilizando seus serviços de maneira a atender a expectativa de seus modernos usuários.
  8. 8. 8 Milanesi (2002), enfatiza a Internet, como um poderoso instrumento de informação, determinou mudanças drásticas educacionais, informativas. Apesar de ainda mostrar muito fôlego, os livros impressos, que compõem a maior parte dos acervos das bibliotecas, atualmente, podem ser armazenados em CD-ROM, multimídia, Internet e outros mecanismo de armazenamento de dados eletro-eletrônicos, acarretando mudanças nos modo de conservação. De acordo com Milanesi (1997), criou-se a possibilidade de organizar redes ou sistemas de biblioteca, integrando-as numa ampla base de informação. Dentro dessa expectativa, a biblioteca tradicional perdeu o sentido, deixando de responder às necessidades do meio. Nos últimos anos as bibliotecas vêm se adaptando ao processo de inovações tecnológicas ocorridas com a evolução da humanidade, sendo que uma das principais característica da biblioteca do futuro, é a disponibilização não somente de acervo impresso, mas sim através das novas tecnologias informacionais (ROSSETO, 1997). O usuário com interesse num determinado assunto, hoje, pode obter informações utilizando diferentes meios, como: livros e artigos e para ampliar o campo da compreensão pode ver filmes, gravações, documentários e até ouvir cantos que diga respeito ao tema. (MILANESI, 1997). A revolução tecnológica traz um novo cenário proposto pela emersão de novos canais de comunicação, nos quais o processo de transferência de informação tradicional dá lugar ao processo de transferência de informação via redes de comunicação eletrônica. Para garantir o espaço global, faz-se necessário delinear o processo de mudanças bem organizadas, levando em consideração o novo perfil de leitor, que exige agilidade e comodidade para suas pesquisas. Dentre as muitas e variadas razões que justificam a opção por um sistema informatizado de gerenciamento, Rowley (1994), aponta: • Os computadores possibilitam a redução do número de tarefas repetitivas. Em geral, os dados serão inseridos uma única vez e, daí em diante, poderão ser acessados e modificados; • Os sistemas informatizados podem ser mais baratos e mais eficientes; • Podem propiciar a introdução de serviços que não existiam antes; • Controle adicional de todas as funções que se consegue com a ajuda de informações gerenciais mais abrangentes que justificam um processo decisório mais eficaz. A modernidade faz contemplar um novo olhar para as maneiras de realizar as tarefas do dia-a-dia, que sofreram mudanças extraordinárias, quando foi que se pensou que poderia haver comunicação entre pessoas de lados opostos do mundo de forma instantânea, obter informações diretas na mesma hora em que acontem. Faz-se tão presente na vida das pessoas e de maneira tão sutil, que às vezes nem são percebidas, tornou-se corriqueiro, só se deparam quando algum desses mecanismos vem a falhar. Segundo Rowley (2002), bibliotecas eletrônicas possuem em seu espaço físico terminais ligados à rede de comunicações, sem acomodação para livros, que oferecem aos usuários acervo eletrônico e também possibilita pesquisas virtuais. Há uma forte tendência das bibliotecas tradicionais de se tornarem eletrônicas num espaço físico que disponibiliza aos usuários material primário essencialmente em formato eletrônico. A biblioteca virtual não implica localização física, seja para o usuário final, seja para a fonte. O usuário pode acessar a informação a partir de qualquer ponto e a informação estar em qualquer lugar. As bibliotecas virtuais podem ser oferecidas pelas eletrônicas, mas, não pode ocorrer o contrário.
  9. 9. 9 Para Aquino (2004), a passagem da cultura impressa para a cultura digital afetou não só os ambientes do papel, exigindo-lhes não só sua adequação aos novos formatos, mas impondo a aquisição de novas competências e habilidades para o desenvolvimento dos serviços informacionais. Milanesi (1997) reforça a idéia de que é necessário avançar, inovando, indo além das tradições, mesmo que não se saiba bem onde se deseja chegar. O setor bibliotecário ao vislumbrar a necessidade de fazer parte da imensa revolução que permite a informática na organização e transmissão do conhecimento procura repensar seus espaços informacionais e se adequar abrindo horizontes para o novo mundo que o cerca. 2 Metodologia A proposta metodológica para o alcance dos objetivos é de caráter bibliográfico e exploratório realizada através de estudos literários em livros de T.I. e gerenciamento de bibliotecas, publicações e artigos, no intuito de conhecer a mudança ocorrida em bibliotecas com o advento da T.I. A fim de identificar as mudanças ocorridas com a implantação de T.I. nas bibliotecas do interior paulista, foram analisadas, de maneira quantitativa, três bibliotecas: Ensino Superior Pública, Ensino Superior Privada e Municipal, numa cidade do interior paulista. Para averiguar eficiência e vantagens que a T.I. podem trazer aos usuários de bibliotecas, foi aplicado a cada uma delas um questionário em anexo que demonstram a situação em que as mesmas se encontram. Foram avaliados os serviços prestados por cada uma delas, no intuito de medir o impacto, ocasionado pela T.I., no dia-a-dia do usuário e bibliotecário. 3 Resultados e Discussões A grande motivação para as bibliotecas buscarem os recursos de T.I. deve-se aos procedimentos manuais terem se tornado inadequados e a necessidade de ampliação da gama de serviços/produtos oferecidos. Essa transformação é indispensável para sua sobrevivência na era digital, as bibliotecas esperam com a aquisição de novas tecnologias melhorarem significativamente o atendimento aos clientes, atendendo suas expectativas. TABELA 1- Estágio de Informatização das três Bibliotecas Percentual de bibliotecas Sim Está em processo entrevistadas informatizadas. 67% 33% Tempo de informatização. De 5 a 10 anos Em processo 67% 33% Motivo para escolha de software. Custo/benefício Fácil utilização 50% 50% Porcentual de bibliotecas que Sim Não treinaram os usuários para utilização das 67% 33% ferramentas. Possibilidade de o usuário controlar Sim Não atividades como empréstimos, devoluções e reservas, através do sistema de 33% 67% automação. Através da tabela acima, foi observado que apenas a biblioteca Municipal, das bibliotecas entrevistadas, ainda não é informatizada, porém, se encontra em corrente processo.
  10. 10. 10 Ela também não possui página na Internet e não promove interatividade com seus usuários, que ficam restritos a receber seus serviços apenas em horário de funcionamento. Considerando que não possui sistema de busca pelo acervo, os bibliotecários ficam sobrecarregados, pois, além de cumprir com suas tarefas de catalogação, organização de acervos entre outros, devem atender a clientela indicando e buscando livros para eles. Por outro lado, a biblioteca de Ensino Superior Público é a única que disponibiliza aos usuários em seu sistema, controle de suas atividades, isso faz com que o usuário se torne ciente de sua situação perante a biblioteca e o inspire mais responsabilidade para com seus atos. Além de instituir uma certa independência, desobrigando o usuário de se deslocar até o ambiente concreto da biblioteca para conhecer seu histórico. A seguir, gráficos demonstram a maneira como são disponibilizados os acervos nas referidas bibliotecas. 67% Possui Não possui 70% 60% 50% 33% 40% 30% 20% 10% 0% Figura 2: Percentual das três bibliotecas analisadas que oferecem terminais em seu ambiente físico para busca pelo acervo. Fonte: A autora, 2008. As bibliotecas do Ensino Superior Público e Privado possuem sistema eletrônico para buscas do acervo interno e disponibilizam terminais para que os usuários possam efetuar pesquisas. Visto que na biblioteca Municipal, a busca pelo acervo ainda é realizada por intermédio do bibliotecário e seus auxiliares. Conforme observado, o sistema eletrônico agiliza a busca permitindo mais autonomia aos usuários e dispõe mais tempo aos bibliotecários para realizar outras tarefas em prol da biblioteca, acarretando em vantagens para todo o processo.
  11. 11. 11 67% 70% On-line Nenhuma 60% 50% 33% 40% 30% 20% 10% 0% Figura 3: Maneiras que são disponibilizados acervo eletrônico pelas bibliotecas pesquisadas. Fonte: A autora, 2008. Estudos bibliográficos revelaram que a integração dos sistemas eletrônicos com a forma de acesso à informação, traz grandes benefícios ao cotidiano da sociedade, tornando o acervo eletrônico uma ferramenta de alta competitividade para atender essa demanda. Das bibliotecas entrevistadas apenas a do Ensino Superior Público oferece acervo eletrônico através de sistema on-line, a do Ensino Superior Privado e a Municipal não oferecem acervo eletrônico de nenhuma maneira, ou seja, não possuem acervo eletrônico, não atendendo as expectativas de seus clientes. Permite Não Permite 67% 70% 60% 50% 33% 40% 30% 20% 10% 0% Figura 4: Percentual das páginas de Internet das bibliotecas que permitem aos usuários realizarem busca pelo acervo, através de suas ferramentas. Fonte: a autora, 2008. A biblioteca Municipal não oferece em página da Internet ferramentas para busca pelo acervo visto que não possui página na Internet.
  12. 12. 12 Todas as bibliotecas entrevistadas oferecem consultas em livros e periódicos impressos. As bibliotecas do Ensino Superior Público e Privado permitem ao usuário consultar seus acervos através de suas páginas de Internet, dando oportunidade aos clientes de efetuar busca em suas casas ou em qualquer lugar ligado a Internet, podendo assim optar por aquele que melhor se adequar ao tema pesquisado e encaminhar-se para a biblioteca, apenas na hora de emprestar o artigo desejado, caso esteja disponível. Porém, apenas a do Ensino Superior Público, oferece conteúdo eletrônico através de sistemas on-line que podem ser acessados em computadores instalados na própria biblioteca. Parte desse conteúdo pode ser acessada on-line de qualquer computador, desde que o usuário esteja munido de senha pessoal, que é liberada pela biblioteca. 67% Eletrônica Manual 70% 60% 50% 33% 40% 30% 20% 10% 0% Figura 5: Maneira de realização da Catalogação Fonte: A autora, 2008. A catalogação é realizada numa ficha bibliográfica, de modo que o documento seja identificado com precisão, quando realizado de maneira eletrônica além de facilitar a localização do documento, reduz o número de tarefas repetitivas e diminui o risco de perder dados. De acordo com o gráfico apenas uma biblioteca o faz manualmente em fichas de papel, esta biblioteca é a Municipal.
  13. 13. 13 Eletrônico Manual 67% 70% 60% 50% 40% 33% 30% 20% 10% 0% Figura 6: Cadastro de usuários Fonte: A autora, 2008. Com o cadastro eletrônico dos usuários torna-se mais ágil o levantamento de seus dados e mais fácil de mantê-los atualizados. Permite ao bibliotecário um melhor controle sobre os empréstimos efetuados, podendo até definir um perfil literário para cada usuário. Sim Não 33% 67% Figura 7: Ocorrência de paralisação temporária na prestação de serviços ocasionada pela ausência de ferramentas de TI. Fonte: a autora, 2008. Observa-se que as bibliotecas do Ensino Superior Público e Ensino Superior Privado estão inseridas no meio tecnológico, informatizaram seus processos e dispõe aos leitores, em partes o auto–atendimento, facilitando suas tarefas. Disponibiliza páginas de Internet que promovem as mesmas oferecerem uma gama maior de serviços aos leitores; manifestam a
  14. 14. 14 vantagem alcançada através da T.I. em todo processo, no entanto sua eventual ausência poderia ocasionar paralisação temporária, causando grandes transtornos para os funcionários e usuários. Em contraste, infelizmente, a Municipal se encontra as margens do progresso, caminhando em passos lentos rumo à automação de seus serviços. A que leva a uma interessante reflexão – nunca a informação esteve tão disseminada e acessível – porém, ainda assim é destinada somente a uma pequena parcela privilegiada da sociedade. O conhecimento proporcionado em instituições universitárias é restrito a um grupo de usuários em potencial enquanto a promovida na biblioteca Municipal é aberta a todo público em geral. Vindo de encontro com o que descreve Milanesi em seu livro A casa da invenção, quando se refere à maioria das bibliotecas publicas municipais muitas são esquecidas no tempo. De acordo com o que descreve os autores citados neste presente artigo, a fim de atender à demanda informacional da comunidade as bibliotecas devem adequar-se às novas tecnologias ou poderão se tornar fonte de informações incompletas, uma vez que não atingirão a mesma velocidade com que as informações surgem e se modificam. Contudo, nota-se que as bibliotecas localizadas no Ensino Superior, ao contrário da Municipal, anseiam acompanhar as mudanças da sociedade informatizada e buscam estarem inseridas no meio tecnológico, usufruindo os benefícios trazidos com a implantação das ferramentas da T.I. em seus processos. Conforme os resultados apurados, constatou-se que o uso de T.I. em bibliotecas está em constante desenvolvimento e crescimento. E aquelas que atendem ao público de Ensino Superior, até mesmo para atenderem as exigências do Ministério de Educação e Cultura (MEC), estão cada vez mais procurando inovar o conteúdo da biblioteca e a maneira que este é disponibilizado, proporcionando um maior investimento em ferramentas de T.I. Considerações Finais O avanço tecnológico tem se tornado uma constante na sociedade atual, acarretando inúmeras mudanças nos processos em diversos segmentos empresariais. No setor bibliotecário não poderia ser diferente, principalmente por ser um local destinado à procura de informação eficaz. Na medida em que os recursos da T.I. são utilizados nas bibliotecas, proporcionam vantagens para os funcionários e principalmente para os usuários. Conforme foi analisado, as bibliotecas de Ensino Superior Público e Ensino Superior Privado estão caminhando cada vez mais rumo as tendências tecnológicas, oferecendo melhor atendimento a seus usuários, melhores condições de trabalho aos bibliotecários e auxiliares. A biblioteca de Ensino Superior Pública se encontra um passo a frente das outras, disponibilizando a seus usuários textos eletrônicos, sistema de automação que permite aos usuários controlar suas atividades e ainda coloca a disposição em sua sede computadores em rede para facilitar buscas on-line. Em contraste, a Municipal está em processo de informatização, não possui página de Internet própria, não oferece aos usuários sistemas de busca pelo acervo, muito menos textos eletrônicos. Este contraste pode ocasionar a posse da informação destinada a uma pequena parcela da sociedade, causando distinções entre as classes. O cenário indica que para as bibliotecas não caírem em desuso, e se propuserem a oferecer melhor serviço aos usuários cumprindo sua missão, é necessário acompanhar o progresso conquistado através da tecnologia.
  15. 15. 15 Referências ALECRIM, E. Colunas: O que é Tecnologia da Informação? Disponível em: <http://www.infowester.com/col150804.php> Acesso em: 01/07/2008. AQUINO, M. A. Metamorfoses da cultura: do impresso ao digital, criando novos formatos e papéis em ambientes de informação. In: Ciência da Informação, Brasília, vol. 33, n. 2, 2004. BELLEI, S. L. P. O livro, a literatura e o computador. Santa Catarina: Educ, 2002. COP, N. Web 2.0: biblioteca 2.0 In: Workshop Web 2.0: Interagindo com seus usuários no mundo digital, São Paulo, 08/08/2008. CÔRTE, A.; ALMEIDA I. M.; ROCHA, E. G.; LAGO, W.G. Avaliação de softwares para bibliotecas e arquivos: uma visão do cenário nacional. 2ª Edição. São Paulo: Editora Polis, 2002. FREUND, G. E. Impacto da Tecnologia da Informação. In: Ciência da Informação, Brasília vol.:11 n.2, 1982 MEDEIROS, J. A.; MEDEIROS, L.A. O que é tecnologia. São Paulo, Editora Brasiliense, 1993. MILANESI, L. Biblioteca. São Paulo: Ateliê Editorial, 2002. MILANESI, L. A casa da Invenção. 3ª Edição. São Paulo: Ateliê Editorial, 1997. O’BRIEN, J. A. Sistema de Informação: e as decisões gerenciais na era da Internet. 2ª Edição. São Paulo: Editora Saraiva, 2004. PEREIRA, A. Aprenda a Internet Sozinho Agora. Disponível <http://www.aisa.com.br/historia.html#origem> Acesso em 26/11/2008 em ROSSETO, M. Os Novos Materiais Bibliográficos e a Gestão da Informação: livro eletrônico e biblioteca eletrônica na América Latina e Caribe. In: Ciência da Informação, Brasília, vol.:26 nº. 1, 1997 ROWLEY, J. A biblioteca eletrônica. 2ª edição. Brasília: Livraria Briquet de Lemos, 2002. ROWLEY, J. Informática para bibliotecas. Brasília: Livraria Briquet de Lemos, 1994. VEIGA, P. A universalização da informação. In: Ciência da Informação, Brasília, vol.:30, nº1, 2001. WOLYNEC, E. Tecnologia: A vanguarda do Ensino. In: Ensino Superior, São Paulo, vol. 3, n. 31, p.38, 2001.

×