Interoperabilidade
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

Interoperabilidade

  • 2,949 views
Uploaded on

Trabalho de Interoperabilidade da Disciplina de Sistemas de Informação - Agosto/2010

Trabalho de Interoperabilidade da Disciplina de Sistemas de Informação - Agosto/2010

More in: Technology
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
2,949
On Slideshare
2,949
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
56
Comments
0
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. INTEROPERABILIDADE
    ALEXANDRE ARAUJO SOUSA TASSE
    ANDRÉ AMARAL MOURA
    PIETRO MARIO TREVISAN
  • 2. INTEROPERABILIDADE
    Sistemas Abertos
    Modelo OSI (ISO)
    TCP/IP
    Lock-in e infra-estruturas da informação
    História da tecnologia: computadores e Internet
    Regulamentação e padronização
  • 3. DEFINIÇÃO
    Interoperabilidade é a capacidade de um sistema de se comunicar de forma transparente com outro sistema Para um sistema ser considerado interoperável é ESSENCIAL QUE ELE TRABALHE COM PADRÕES ABERTOS
    Fonte: www.governoeletronico.gov.br
  • 4. Fluxo de dados : 24/08/10
    Fonte :http://www.internettrafficreport.com/,24/08/10
  • 5. Índice de Tráfego Global(24 hours) –
    24/08/10
    Tempo de Resposta Global (24 hours) – 24/08/10
    Perda de operações globais (%) (24 hours) – 24/08/10
    Fonte :http://www.internettrafficreport.com/,24/08/10
  • 6. DEFINIÇÃO
    Sistemas Abertos são sistemas livres, que não pertencem a proprietários. Proporcionam maior flexibilidade de evolução e tecnologia, como:- Arquitetura de Rede;- Interfaces do Sistema;- Hardware;- Protocolos
    Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.
  • 7. HARDWARE DE REDE
    As redes, estruturalmente, podem ser classificadas de acordo com sua Tecnologia de Transmissão:- Redes de Difusão: apenas 1 canal de distribuição, compartilhado por todas as máquinas. Mensagens são recebidas por todas as outras, mas será processado pelo destino (exemplo do Geraldo);
    Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.
  • 8. HARDWARE DE REDE
    - Redes Ponto a Ponto: muitas conexões entre pares de máquinas, ou seja, para se chegar no destino, existe uma ou mais consultas intermediárias às diferentes máquinas, para que o destino seja detectado sem compartilhamento.Normalmente, redes menores usam Sistemas de Difusão e redes maiores os PAP.
    Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.
  • 9. TIPOS DE HARDWARE DE REDE
    Objeto de Estudo: tipos de Hardware de Rede.- REDES LOCAIS (LAN);- REDES METROPOLITANAS (MAN);- REDES GEOGRAFICAMENTE DISTRIBUÍDAS;- REDES SEM FIO;- LIGAÇÕES INTER-REDES.
    Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.
  • 10. TIPOS DE HARDWARE DE REDE
    Redes Locais (LAN’s) são redes privadas contidas em áreas com alguns km de extensão (prédio, faculdade, etc). Características:- Tamanhos Restritos;- Tecnologias de Transmissão cujas velocidades variam de 10 a 100 Mbps (tradicionais) e centenas de Megabits nas mais modernas;- Aceitam diversas topologias. (mecanismo Ethernet)
    Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.
  • 11. TIPOS DE HARDWARE DE REDE
    Rede Metropolitana (MAN) é uma versão ampliada de uma LAN, pois utiliza tecnologia semelhante. Características:- Pode ser privada ou pública;- Pode transportar dados ou voz; - Tem no máximo 2 cabos, estrutura simples;- Utilizam padrão especial (DQDB), pelo qual todos os computadores estão conectados a 2 barramentos
    Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.
  • 12. TIPOS DE HARDWARE DE REDE
    Rede Geograficamente Distribuída, ou WAN, abrange uma vasta área (país ou continente) e contém máquinas (hosts) que executam programas. Os hosts são conectados por uma sub-rede que transportam mensagens.As sub-redes podem ser:- Linhas de transmissão;- Elementos de Comutação (roteadores);As WAN’s tem numerosas linhas, conectadas a um par de roteadores, onde as informações se armazenam até sua saída, sendo denominados sub-redes ponto a ponto ou store-and-forwad
    Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.
  • 13. TIPOS DE HARDWARE DE REDE
    Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.
  • 14. TIPOS DE HARDWARE DE REDE
    Redes sem Fio representam a fatia que mais cresce na indústria de computadores. Pitada Histórica: não é um conceito novo, já em 1901 Guglielmino Marconi demonstrava um telégrafo sem fio. A idéia para os sistemas atuais é a mesma.Embora a rede sem fio e a computação móvel sejam semelhantes, não são iguais:
    Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.
  • 15. TIPOS DE HARDWARE DE REDE
    Características da Rede sem Fio:- Tem inúmeros formatos, se conectando com LAN’s digitalmente;- É possível conectar-se com uma rede com fio, confrome ilustrado abaixo:
    Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.
  • 16. TIPOS DE HARDWARE DE REDE
    Ligações Inter-redes são quelas estabelecidas através de gateways para converter diferentes tipos de redes, postas em comunicação. Vale salientar que pode ser confundida com as sub-redes (RGD).
    Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.
  • 17. SOFTWARES DE REDE
    Nas primeiras redes de computadores, os Softwares de Rede eram colocados em segundo plano, mediante os Hardwares. Isso já não existe mais. Características:- Camadas: organizações das redes para simplificação, colocadas umas sobre as outras;- Protocolos: regras de comunicação entre camadas;- Interface: define as operações que a camada inferior tem a oferecer à camada superior;- Arquiteturas de Redes: conjunto de camadas de protocolos.
    Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.
  • 18. SOFTWARES DE REDE
    Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.
  • 19. - MODELO OSI (Open System Interconnection) - MODELO TCP/IP (TransmissionControlProtocol / Internet Protocol)
    MODELOS DE REFERÊNCIA
    Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.
  • 20. MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO OSI
    Características:- É baseado em uma proposta desenvolvida pela ISO (International Standards Organization) como um primeiro passo na direção dapadronização internacional dos protocolos usados nas diferentes camadas.- Trata da interconexão de Sistema Abertos;- Tem 7 Camadas, informando o que cada camada deve fazer;- Produziu padrão a todas as camadas
    Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.
  • 21. MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO OSI
    Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.
  • 22. MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO OSI
    Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.
  • 23. MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO OSI
    - Pega os quadros da Camada Superior (Enlaces) e os transforma em sinais compatíveis
    - Formatação de mensagem;- Resolve problemas de repetição em quadros;- Controle de Tráfego (Buffer)
    Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.
  • 24. MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO OSI
    - Responsável pelo endereçamento dos pacotes;- Converte endereços lógicos em endereços físicos
    - Divide os dados de Transmissão em pacotes, garantindo entrega correta;- No receptor os pacotes são reagrupados e organizados
    Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.
  • 25. MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO OSI
    - Permite que usuários de diferentes máquinas estabeleçam sessões;- Sincronização do fluxo de dados
    - Onde ocorre a compressão dos dados, levando-se em consideração a sintaxe e a semântica dos dados;- Contem os protocolos de alto nível
    Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.
  • 26. MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO OSI
    - É onde ocorre a interação micro-usuário. Faz a interface entre aplicativos e protocolos;- Exemplos: navegadores e servidores de WEB
    Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.
  • 27. MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO TCP/IP
    Características:- Foi definido pela primeira vez em 1974 por Cerf e Kahn, com objetivo de conectar várias redes ao mesmo tempo. Essa arquitetura veio a ficar conhecida como TCP/IP- A rede é capaz de sobreviver à perda de Hardwares em sub-rede;- Flexível, capaz de se adequar à aplicações com necessidades divergentes como a transmissão de arquivos e dados de voz em tempo real
    Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.
  • 28. MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO TCP/IP
    Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.
  • 29. MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO TCP/IP
    - Local de Interface com o Usuário.- Protocolos: SMTP (RFC 9821)FTP (RFC 959)HTTP (RFC 2616)
    - Manter a conversação entre hosts de origem e destino.- Protocolos de transporte: TCP (RFC 793) UDP (RFC 798)
    Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.
  • 30. MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO TCP/IP
    - Endereçamento virtual do transmissor e receptor.- Protocolos de internet:IP (RFC 793)
    - Responsável por enviar os dados para o meio de transmissão. O que há nesta camada dependerá de seu tipo de rede.
    Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.
  • 31. OSI X TCP/IP
    MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO TCP/IP
    OSI X TCP/IP
    Basicamente, a OSI não foi adiante pelo conjunto dos seguintes atributos:
    -MOMENTO
    -TECNOLOGIA APLICADA
    -IMPLEMENTAÇÃO
    -POLÍTICA
    Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.
  • 32. Lock-in e infra-estruturas de informação
    Diferentes usuários com objetivos divergentes
    Crescimento e Evolução da rede de informação (Infra-estrutura da Informação
    Complexidade Dinamica:
    - Integração;
    Fonte: Hanseth, Oe Monteiro, E. IT Infrastructures
  • 36. Lock-in e infra-estruturas de informação
    Competências de IT, Aplicações e Plataformas
    • Competência de IT:
    Engloba a possibilidade e/ou direito do usuário ou comunidade de usuários de organizar suas ações através de um process computadorizado. Ex: Editor de texto.
    Ela é definida e gerenciada localmente por um pequeno grupo de designers.
    Sua evolução é controlada localmente.
    Fonte: Hanseth, Oe Monteiro, E. IT Infrastructures
  • 37. Lock-in e infra-estruturas de informação
    Competências de IT, Aplicações e Plataformas
    • Aplicação:
    Desenvolvida para satisfazer as necessidades do usuário em um cenário específico.
    Podem ser muito complexas em termos de escopo.
    Ex.: A380
    • Plataformas:
    Baseado em princípios da Competência de IT em frameworks permitindo que os softwares possam integrar os sistemas.
    Ex.: Softwares (MS Office), sistemas operacionais (Windows), frameworks como sistemas ERP ou pacotes CRM (Oracle, SAP).
    Fonte: Hanseth, Oe Monteiro, E. IT Infrastructures
  • 38. Lock-in e infra-estruturas de informação
    Infra-estrutura de informação
    • Compartilhada;
    • 39. Aberta (e ilimitada);
    • 40. Heterogênea;
    • 41. Evolutiva através de um sistema social e técnico.
    Fonte: Hanseth, Oe Monteiro, E. IT Infrastructures
  • 42. Lock-in e infra-estruturas de informação
    Teoria de design de IT
    Teorias de design são baseadas no principio “how to” e envolvem 3 elementos:
    1. Conjunto de objetivos estabelecidos por um conjunto de problemas de design;
    2. Conjunto de características de sistema que atinjam estes objetivos; e
    3. Conjunto de princípios e regras que auxiliam a atingir os objetivos.
    Fonte: Hanseth, Oe Monteiro, E. IT Infrastructures
  • 43. Lock-in e infra-estruturas de informação
    Teoria de design de IT
    Kernel Theory
    Estipula prognósticos para tipos de soluções (teorias de produtos), ou design de processos ( teoria de processos) em relação às metas do sistema.
    Sistemas Adaptaveis Complexos
    Complex Adaptive Systems (CAS)
    Fonte: Hanseth, Oe Monteiro, E. IT Infrastructures
  • 44. Modulação da Infra-estrutura da Informação
    Aplicação “verticalizada”
    Ex.: Internet - Domain Name Service (DNS).
    Modulação
    - Identificação de serviço;
    - Acesso;
    - Segurança.
    Serviços
    Suporte “horizontalizado”
    Gateways
    Transporte
    UDP/TCP/IP
    Lock-in e infra-estruturas de informação
    Fonte: Hanseth, Oe Monteiro, E. IT Infrastructures
  • 45. Tipos de Comunicação:
    Em Massa
    Interpessoal
    História da Tecnologia: Computadores e Internet
    ...Internet
    Fonte: Manuel Castells. Network Society
  • 46. História da Tecnologia: Computadores e Internet
    ...Internet
    Novos Tipos de Comunicação...
    Fonte: Manuel Castells. Network Society
  • 47. História da Tecnologia: Computadores e Internet
    Revolução na Comunicação
    Auto Comunicação Em Massa
    Mass self communication
    Fonte: Manuel Castells. Network Society
  • 48. História da Tecnologia: Computadores e Internet
    Comunicação em massa Auto-Comunicação em Massa
    1º - Transformação tecnológica (informação digitalizada, redes de computadores, softwares, etc.)
    2º - Alteração da definição dos remetentes e dos receptores das informações;
    Fonte: Manuel Castells. Network Society
  • 49. História da Tecnologia: Computadores e Internet
    ...
    3º - Nascimento de duas tendências contraditórias (mas não incompatíveis)
    - Desenvolvimento paralelo de uma cultura global e múltiplas culturas
    - Crescimento do individualismo e “comunalismo“
    4º - Cada componente representa a expressão dos relacionamentos sociais que impulsionam a evolução do sistema de comunicação multimodal.
    Fonte: Manuel Castells. Network Society
  • 50. Digitalização de meios de comunicação (revistas, jornais, TV, radio)
    E-mail
    Digitalização de processos
    Novas formas de comunicação
    Censura
    Internet:
    World Wide Web (www)
    Transferência de dados (vídeos, arquivos, etc.)
    Mídia digital
    Novas formas de Propaganda
    Novas Leis
    Aparecimento de novas culturas
    História da Tecnologia: Computadores e Internet
    BLOGS
    TWITTER
    SECOND LIFE
    Auto-Comunicação em Massa
    Fonte: Manuel Castells. Network Society
  • 51. História da Tecnologia: Computadores e Internet
    Digitalização de meios de comunicação (revistas, jornais, TV, radio)
    Internet:
    World Wide Web (www)
    - Se tornaram conectados globalmente;
    - Sua produção passou a ser digitalizada e baseada na internet;
    • Crescimento da rede de comunicações;
    • 52. Emissoras de TV, Sites de Internet, Jornais se tornaram grandes corporações globalmente.
    • 53. Desafios das grandes emissoras (globalizadas) no contexto Jornalísticos: Ganhar competitividade respeitando a particularidade cultural e preferencial de cada região dos países em que atuam.
    • 54. Total re-estruturação da organização dos meios de comunicação.
    Fonte: Manuel Castells. Network Society
  • 55. História da Tecnologia: Computadores e Internet
    Digitalização de meios de comunicação (revistas, jornais, TV, radio)
    Internet:
    World Wide Web (www)
    - Aparecimento das grandes empresas ligadas ao ramo da internet / computador: Google, Microsoft, Yahoo! e Apple;
    • Propriedade da Mídia ficou altamente concentrada;
    • 56. Conglomerates são capazes tanto de fornecer uma diversidade produtos em uma plataforma quanto utilizando uma plataforma para diversos produtos;
    • 57. Customização e seguimentação das audiências:
    • 58. Surgimento de diversos canais de televisão;
    • 59. Descentralização da audiência televisiva.
    • 60. Aparecimento da habilidade das diversas Mídias encontrarem economias ótimas de sinergia (através das fusões, parcerias ou investimentos).
    Fonte: Manuel Castells. Network Society
  • 61. História da Tecnologia: Computadores e Internet
    Fonte: Manuel Castells. Network Society
  • 62. História da Tecnologia: Computadores e Internet
    Midia digital
    $466 Bilhões foram gastos em 2006 com propaganda no mundo inteiro
    Internet:
    World Wide Web (www)
    Novas formas de Propaganda
    • Gastos com Propaganda continuam aumentando;
    • 63. Mídia se fragmenta ainda mais:
    Ex:1995 – 225 programas na TV Britânica que alcançavam audiências de 15 milhões de telespectadores; 10 Anos depois não havia mais nenhum.
    - O objetivo, assim como a distribuição e o controle das mensagens estão mais complicados;
    • TVs com capacidade de armazenar dados (gravação de conteúdo em tempo real) dão a possibilidade dos telespectadores “pular” o comercial;
    • 64. Internet ganha espaço no campo da propaganda;
    Fonte: Manuel Castells. Network Society
  • 65. História da Tecnologia: Computadores e Internet
    Fonte: Manuel Castells. Network Society
  • 66. História da Tecnologia: Computadores e Internet
    Midia digital
    Internet:
    World Wide Web (www)
    Novas formas de Propaganda
    • Quanto mais espaço a internet ganha, mais fortes vão ficando as empresas como Yahoo!, Microsoft, etc.
    • 67. Empresas começam a investir em propaganda embutida em seriados ou séries publicados pela internet;
    Ex.: Volvo foi apresentada no seriado Driving School em 2007 (série de 12 episódios da MSN)
    - Surgimento do processo de sinergia entre as grandes empresas globais com empresas de menor porte:
    Fonte: Manuel Castells. Network Society
  • 68. História da Tecnologia: Computadores e Internet
    Fonte: Manuel Castells. Network Society
  • 69. Regulamentação e Padronização
    A Política das Políticas Regulamentadoras
    Redes de Telecomunicação
    Censura
    Internet:
    World Wide Web (www)
    Novas Leis
    Televisão e Rádio
    Impressão
    Fonte: Manuel Castells. Network Society
  • 70. Regulamentação e Padronização
    1980
    Atualidade
    Informações diversas compartilhadas pelo mundo inteiro
    Propriedade Intelectual e criativa
    Livros
    Pirataria
    Músicas
    Jogos
    Ações Governamentais (culturas diversas)
    Fonte: Manuel Castells. Network Society
  • 71. Tanenbaum, A. S.: Redes de Computadores
    Castells, Manuel.: A Galáxia da Internet
    Castells, Manuel.: Communication Power
    Hanseth, O e Monteiro, E.: IT Infrastructures
    http://www.internettrafficreport.com/
    Bibliografia