INTEROPERABILIDADE<br />ALEXANDRE ARAUJO SOUSA TASSE<br />ANDRÉ AMARAL MOURA<br />PIETRO MARIO TREVISAN<br />
INTEROPERABILIDADE<br />Sistemas Abertos<br />Modelo OSI (ISO)<br />TCP/IP<br />Lock-in e infra-estruturas da informação<b...
DEFINIÇÃO<br />	Interoperabilidade  é a capacidade de um sistema de se comunicar de forma transparente com outro sistema	P...
Fluxo de dados : 24/08/10<br />Fonte :http://www.internettrafficreport.com/,24/08/10<br />
Índice de Tráfego Global(24 hours) – <br />24/08/10<br />Tempo de Resposta Global (24 hours) – 24/08/10<br />Perda de oper...
DEFINIÇÃO<br />	Sistemas Abertos  são sistemas livres, que não pertencem a proprietários. Proporcionam maior flexibilidade...
HARDWARE DE REDE<br />As redes, estruturalmente, podem ser classificadas  de acordo com sua Tecnologia de Transmissão:- Re...
HARDWARE DE REDE<br />- Redes Ponto a Ponto: muitas conexões entre pares de máquinas, ou seja, para se chegar no destino, ...
TIPOS DE HARDWARE DE REDE<br />Objeto de Estudo: tipos de Hardware de Rede.- REDES LOCAIS (LAN);- REDES METROPOLITANAS (MA...
TIPOS DE HARDWARE DE REDE<br />Redes Locais (LAN’s) são redes privadas contidas em áreas com alguns km de extensão (prédio...
TIPOS DE HARDWARE DE REDE<br />Rede Metropolitana (MAN) é uma versão ampliada de uma LAN, pois utiliza tecnologia semelhan...
TIPOS DE HARDWARE DE REDE<br />Rede Geograficamente Distribuída, ou WAN, abrange uma vasta área (país ou continente) e con...
TIPOS DE HARDWARE DE REDE<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
TIPOS DE HARDWARE DE REDE<br />Redes sem Fio representam a fatia que mais cresce na indústria de computadores. Pitada Hist...
TIPOS DE HARDWARE DE REDE<br />Características da Rede sem Fio:- Tem inúmeros formatos, se conectando com LAN’s digitalmen...
TIPOS DE HARDWARE DE REDE<br />Ligações Inter-redes são quelas estabelecidas através de gateways para converter diferentes...
SOFTWARES DE REDE<br />	Nas primeiras redes de computadores, os Softwares de Rede eram colocados em segundo plano, mediant...
SOFTWARES DE REDE<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
	- MODELO OSI (Open System Interconnection)	- MODELO TCP/IP (TransmissionControlProtocol / Internet Protocol)<br />MODELOS...
MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO OSI<br />	Características:- É baseado em uma proposta desenvolvida pela ISO (International ...
MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO OSI<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO OSI<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO OSI<br />- Pega os quadros da Camada Superior (Enlaces) e os transforma em sinais compatíve...
MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO OSI<br />- Responsável pelo endereçamento dos pacotes;- Converte endereços lógicos em ender...
MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO OSI<br />- Permite que usuários de diferentes máquinas estabeleçam sessões;- Sincronização ...
MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO OSI<br />- É onde ocorre a interação micro-usuário. Faz a interface entre aplicativos e pro...
MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO TCP/IP<br />	Características:- Foi definido pela primeira vez em 1974 por Cerf e Kahn, com ...
MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO TCP/IP<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO TCP/IP<br />- Local de Interface com o Usuário.- Protocolos: SMTP (RFC 9821)FTP (RFC 959)HT...
MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO TCP/IP<br />- Endereçamento virtual do transmissor e receptor.- Protocolos de internet:IP (...
OSI        X      TCP/IP<br />MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO TCP/IP<br />      OSI           X   TCP/IP<br />Basicamente, ...
Lock-in e infra-estruturas de informação<br />Diferentes usuários com objetivos divergentes<br />Crescimento e Evolução da...
 Integração;
 Controle; e
 Coordenação.</li></ul>Fonte: Hanseth, Oe Monteiro, E. IT Infrastructures<br />
Lock-in e infra-estruturas de informação<br />Competências de IT, Aplicações e Plataformas<br /><ul><li> Competência de IT...
Lock-in e infra-estruturas de informação<br />Competências de IT, Aplicações e Plataformas<br /><ul><li> Aplicação:</li></...
Lock-in e infra-estruturas de informação<br />Infra-estrutura de informação<br /><ul><li> Compartilhada;
 Aberta (e ilimitada);
 Heterogênea;
 Evolutiva através de um sistema social e técnico.</li></ul>Fonte: Hanseth, Oe Monteiro, E. IT Infrastructures<br />
Lock-in e infra-estruturas de informação<br />Teoria de design de IT<br />Teorias de design são baseadas no principio “how...
Lock-in e infra-estruturas de informação<br />Teoria de design de IT<br />Kernel Theory<br />Estipula prognósticos para ti...
Modulação da Infra-estrutura da Informação<br />Aplicação “verticalizada”<br />Ex.: Internet - Domain Name Service (DNS).<...
Tipos de Comunicação:<br />Em Massa<br />Interpessoal<br />História da Tecnologia: Computadores e Internet<br />...Interne...
História da Tecnologia: Computadores e Internet<br />...Internet<br />Novos Tipos de Comunicação...<br />Fonte: Manuel Cas...
História da Tecnologia: Computadores e Internet<br />Revolução na Comunicação<br />Auto Comunicação Em Massa<br />Mass sel...
História da Tecnologia: Computadores e Internet<br />Comunicação em massa	 	Auto-Comunicação em Massa<br />	1º - Transform...
História da Tecnologia: Computadores e Internet<br />...<br />	3º - Nascimento de duas tendências contraditórias (mas não ...
Digitalização de meios de comunicação (revistas, jornais, TV, radio)<br />E-mail<br />Digitalização de processos<br />Nova...
História da Tecnologia: Computadores e Internet<br />Digitalização de meios de comunicação (revistas, jornais, TV, radio)<...
 Emissoras de TV, Sites de Internet, Jornais se tornaram grandes corporações globalmente.
 Desafios das grandes emissoras (globalizadas) no contexto Jornalísticos: Ganhar competitividade respeitando a particulari...
 Total re-estruturação da organização dos meios de comunicação.</li></ul>Fonte: Manuel Castells. Network Society<br />
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Interoperabilidade

2,644

Published on

Trabalho de Interoperabilidade da Disciplina de Sistemas de Informação - Agosto/2010

Published in: Technology
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,644
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
61
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Interoperabilidade

  1. 1. INTEROPERABILIDADE<br />ALEXANDRE ARAUJO SOUSA TASSE<br />ANDRÉ AMARAL MOURA<br />PIETRO MARIO TREVISAN<br />
  2. 2. INTEROPERABILIDADE<br />Sistemas Abertos<br />Modelo OSI (ISO)<br />TCP/IP<br />Lock-in e infra-estruturas da informação<br />História da tecnologia: computadores e Internet<br />Regulamentação e padronização<br />
  3. 3. DEFINIÇÃO<br /> Interoperabilidade é a capacidade de um sistema de se comunicar de forma transparente com outro sistema Para um sistema ser considerado interoperável é ESSENCIAL QUE ELE TRABALHE COM PADRÕES ABERTOS<br />Fonte: www.governoeletronico.gov.br<br />
  4. 4. Fluxo de dados : 24/08/10<br />Fonte :http://www.internettrafficreport.com/,24/08/10<br />
  5. 5. Índice de Tráfego Global(24 hours) – <br />24/08/10<br />Tempo de Resposta Global (24 hours) – 24/08/10<br />Perda de operações globais (%) (24 hours) – 24/08/10<br />Fonte :http://www.internettrafficreport.com/,24/08/10<br />
  6. 6. DEFINIÇÃO<br /> Sistemas Abertos são sistemas livres, que não pertencem a proprietários. Proporcionam maior flexibilidade de evolução e tecnologia, como:- Arquitetura de Rede;- Interfaces do Sistema;- Hardware;- Protocolos<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
  7. 7. HARDWARE DE REDE<br />As redes, estruturalmente, podem ser classificadas de acordo com sua Tecnologia de Transmissão:- Redes de Difusão: apenas 1 canal de distribuição, compartilhado por todas as máquinas. Mensagens são recebidas por todas as outras, mas será processado pelo destino (exemplo do Geraldo);<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
  8. 8. HARDWARE DE REDE<br />- Redes Ponto a Ponto: muitas conexões entre pares de máquinas, ou seja, para se chegar no destino, existe uma ou mais consultas intermediárias às diferentes máquinas, para que o destino seja detectado sem compartilhamento.Normalmente, redes menores usam Sistemas de Difusão e redes maiores os PAP.<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
  9. 9. TIPOS DE HARDWARE DE REDE<br />Objeto de Estudo: tipos de Hardware de Rede.- REDES LOCAIS (LAN);- REDES METROPOLITANAS (MAN);- REDES GEOGRAFICAMENTE DISTRIBUÍDAS;- REDES SEM FIO;- LIGAÇÕES INTER-REDES.<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
  10. 10. TIPOS DE HARDWARE DE REDE<br />Redes Locais (LAN’s) são redes privadas contidas em áreas com alguns km de extensão (prédio, faculdade, etc). Características:- Tamanhos Restritos;- Tecnologias de Transmissão cujas velocidades variam de 10 a 100 Mbps (tradicionais) e centenas de Megabits nas mais modernas;- Aceitam diversas topologias. (mecanismo Ethernet)<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
  11. 11. TIPOS DE HARDWARE DE REDE<br />Rede Metropolitana (MAN) é uma versão ampliada de uma LAN, pois utiliza tecnologia semelhante. Características:- Pode ser privada ou pública;- Pode transportar dados ou voz; - Tem no máximo 2 cabos, estrutura simples;- Utilizam padrão especial (DQDB), pelo qual todos os computadores estão conectados a 2 barramentos<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
  12. 12. TIPOS DE HARDWARE DE REDE<br />Rede Geograficamente Distribuída, ou WAN, abrange uma vasta área (país ou continente) e contém máquinas (hosts) que executam programas. Os hosts são conectados por uma sub-rede que transportam mensagens.As sub-redes podem ser:- Linhas de transmissão;- Elementos de Comutação (roteadores);As WAN’s tem numerosas linhas, conectadas a um par de roteadores, onde as informações se armazenam até sua saída, sendo denominados sub-redes ponto a ponto ou store-and-forwad<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
  13. 13. TIPOS DE HARDWARE DE REDE<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
  14. 14. TIPOS DE HARDWARE DE REDE<br />Redes sem Fio representam a fatia que mais cresce na indústria de computadores. Pitada Histórica: não é um conceito novo, já em 1901 Guglielmino Marconi demonstrava um telégrafo sem fio. A idéia para os sistemas atuais é a mesma.Embora a rede sem fio e a computação móvel sejam semelhantes, não são iguais:<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
  15. 15. TIPOS DE HARDWARE DE REDE<br />Características da Rede sem Fio:- Tem inúmeros formatos, se conectando com LAN’s digitalmente;- É possível conectar-se com uma rede com fio, confrome ilustrado abaixo:<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
  16. 16. TIPOS DE HARDWARE DE REDE<br />Ligações Inter-redes são quelas estabelecidas através de gateways para converter diferentes tipos de redes, postas em comunicação. Vale salientar que pode ser confundida com as sub-redes (RGD).<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
  17. 17. SOFTWARES DE REDE<br /> Nas primeiras redes de computadores, os Softwares de Rede eram colocados em segundo plano, mediante os Hardwares. Isso já não existe mais. Características:- Camadas: organizações das redes para simplificação, colocadas umas sobre as outras;- Protocolos: regras de comunicação entre camadas;- Interface: define as operações que a camada inferior tem a oferecer à camada superior;- Arquiteturas de Redes: conjunto de camadas de protocolos.<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
  18. 18. SOFTWARES DE REDE<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
  19. 19. - MODELO OSI (Open System Interconnection) - MODELO TCP/IP (TransmissionControlProtocol / Internet Protocol)<br />MODELOS DE REFERÊNCIA<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
  20. 20. MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO OSI<br /> Características:- É baseado em uma proposta desenvolvida pela ISO (International Standards Organization) como um primeiro passo na direção dapadronização internacional dos protocolos usados nas diferentes camadas.- Trata da interconexão de Sistema Abertos;- Tem 7 Camadas, informando o que cada camada deve fazer;- Produziu padrão a todas as camadas<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
  21. 21. MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO OSI<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
  22. 22. MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO OSI<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
  23. 23. MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO OSI<br />- Pega os quadros da Camada Superior (Enlaces) e os transforma em sinais compatíveis<br />- Formatação de mensagem;- Resolve problemas de repetição em quadros;- Controle de Tráfego (Buffer)<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
  24. 24. MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO OSI<br />- Responsável pelo endereçamento dos pacotes;- Converte endereços lógicos em endereços físicos<br />- Divide os dados de Transmissão em pacotes, garantindo entrega correta;- No receptor os pacotes são reagrupados e organizados<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
  25. 25. MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO OSI<br />- Permite que usuários de diferentes máquinas estabeleçam sessões;- Sincronização do fluxo de dados<br />- Onde ocorre a compressão dos dados, levando-se em consideração a sintaxe e a semântica dos dados;- Contem os protocolos de alto nível<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
  26. 26. MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO OSI<br />- É onde ocorre a interação micro-usuário. Faz a interface entre aplicativos e protocolos;- Exemplos: navegadores e servidores de WEB<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
  27. 27. MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO TCP/IP<br /> Características:- Foi definido pela primeira vez em 1974 por Cerf e Kahn, com objetivo de conectar várias redes ao mesmo tempo. Essa arquitetura veio a ficar conhecida como TCP/IP- A rede é capaz de sobreviver à perda de Hardwares em sub-rede;- Flexível, capaz de se adequar à aplicações com necessidades divergentes como a transmissão de arquivos e dados de voz em tempo real<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
  28. 28. MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO TCP/IP<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
  29. 29. MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO TCP/IP<br />- Local de Interface com o Usuário.- Protocolos: SMTP (RFC 9821)FTP (RFC 959)HTTP (RFC 2616)<br />- Manter a conversação entre hosts de origem e destino.- Protocolos de transporte: TCP (RFC 793) UDP (RFC 798)<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
  30. 30. MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO TCP/IP<br />- Endereçamento virtual do transmissor e receptor.- Protocolos de internet:IP (RFC 793)<br />- Responsável por enviar os dados para o meio de transmissão. O que há nesta camada dependerá de seu tipo de rede.<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
  31. 31. OSI X TCP/IP<br />MODELOS DE REFERÊNCIA – MODELO TCP/IP<br /> OSI X TCP/IP<br />Basicamente, a OSI não foi adiante pelo conjunto dos seguintes atributos:<br />-MOMENTO<br />-TECNOLOGIA APLICADA<br />-IMPLEMENTAÇÃO<br />-POLÍTICA<br />Fonte: Redes de Computadores; Tenenbaum, Andrew S.<br />
  32. 32. Lock-in e infra-estruturas de informação<br />Diferentes usuários com objetivos divergentes<br />Crescimento e Evolução da rede de informação (Infra-estrutura da Informação<br />Complexidade Dinamica:<br />- Integração;<br /><ul><li> Implementação;
  33. 33. Integração;
  34. 34. Controle; e
  35. 35. Coordenação.</li></ul>Fonte: Hanseth, Oe Monteiro, E. IT Infrastructures<br />
  36. 36. Lock-in e infra-estruturas de informação<br />Competências de IT, Aplicações e Plataformas<br /><ul><li> Competência de IT:</li></ul>Engloba a possibilidade e/ou direito do usuário ou comunidade de usuários de organizar suas ações através de um process computadorizado. Ex: Editor de texto.<br />Ela é definida e gerenciada localmente por um pequeno grupo de designers. <br />Sua evolução é controlada localmente.<br />Fonte: Hanseth, Oe Monteiro, E. IT Infrastructures<br />
  37. 37. Lock-in e infra-estruturas de informação<br />Competências de IT, Aplicações e Plataformas<br /><ul><li> Aplicação:</li></ul>Desenvolvida para satisfazer as necessidades do usuário em um cenário específico.<br />Podem ser muito complexas em termos de escopo.<br />Ex.: A380<br /><ul><li>Plataformas:</li></ul>Baseado em princípios da Competência de IT em frameworks permitindo que os softwares possam integrar os sistemas.<br />Ex.: Softwares (MS Office), sistemas operacionais (Windows), frameworks como sistemas ERP ou pacotes CRM (Oracle, SAP).<br />Fonte: Hanseth, Oe Monteiro, E. IT Infrastructures<br />
  38. 38. Lock-in e infra-estruturas de informação<br />Infra-estrutura de informação<br /><ul><li> Compartilhada;
  39. 39. Aberta (e ilimitada);
  40. 40. Heterogênea;
  41. 41. Evolutiva através de um sistema social e técnico.</li></ul>Fonte: Hanseth, Oe Monteiro, E. IT Infrastructures<br />
  42. 42. Lock-in e infra-estruturas de informação<br />Teoria de design de IT<br />Teorias de design são baseadas no principio “how to” e envolvem 3 elementos:<br />1. Conjunto de objetivos estabelecidos por um conjunto de problemas de design;<br />2. Conjunto de características de sistema que atinjam estes objetivos; e<br />3. Conjunto de princípios e regras que auxiliam a atingir os objetivos.<br />Fonte: Hanseth, Oe Monteiro, E. IT Infrastructures<br />
  43. 43. Lock-in e infra-estruturas de informação<br />Teoria de design de IT<br />Kernel Theory<br />Estipula prognósticos para tipos de soluções (teorias de produtos), ou design de processos ( teoria de processos) em relação às metas do sistema. <br />Sistemas Adaptaveis Complexos <br />Complex Adaptive Systems (CAS)<br />Fonte: Hanseth, Oe Monteiro, E. IT Infrastructures<br />
  44. 44. Modulação da Infra-estrutura da Informação<br />Aplicação “verticalizada”<br />Ex.: Internet - Domain Name Service (DNS).<br />Modulação<br />- Identificação de serviço;<br />- Acesso;<br />- Segurança.<br />Serviços<br />Suporte “horizontalizado”<br />Gateways<br />Transporte<br />UDP/TCP/IP<br />Lock-in e infra-estruturas de informação<br />Fonte: Hanseth, Oe Monteiro, E. IT Infrastructures<br />
  45. 45. Tipos de Comunicação:<br />Em Massa<br />Interpessoal<br />História da Tecnologia: Computadores e Internet<br />...Internet<br />Fonte: Manuel Castells. Network Society<br />
  46. 46. História da Tecnologia: Computadores e Internet<br />...Internet<br />Novos Tipos de Comunicação...<br />Fonte: Manuel Castells. Network Society<br />
  47. 47. História da Tecnologia: Computadores e Internet<br />Revolução na Comunicação<br />Auto Comunicação Em Massa<br />Mass self communication<br />Fonte: Manuel Castells. Network Society<br />
  48. 48. História da Tecnologia: Computadores e Internet<br />Comunicação em massa Auto-Comunicação em Massa<br /> 1º - Transformação tecnológica (informação digitalizada, redes de computadores, softwares, etc.)<br /> 2º - Alteração da definição dos remetentes e dos receptores das informações; <br />Fonte: Manuel Castells. Network Society<br />
  49. 49. História da Tecnologia: Computadores e Internet<br />...<br /> 3º - Nascimento de duas tendências contraditórias (mas não incompatíveis)<br /> - Desenvolvimento paralelo de uma cultura global e múltiplas culturas <br /> - Crescimento do individualismo e “comunalismo“ <br /> 4º - Cada componente representa a expressão dos relacionamentos sociais que impulsionam a evolução do sistema de comunicação multimodal.<br />Fonte: Manuel Castells. Network Society<br />
  50. 50. Digitalização de meios de comunicação (revistas, jornais, TV, radio)<br />E-mail<br />Digitalização de processos<br />Novas formas de comunicação<br />Censura<br />Internet:<br />World Wide Web (www)<br />Transferência de dados (vídeos, arquivos, etc.)<br />Mídia digital<br />Novas formas de Propaganda<br />Novas Leis<br />Aparecimento de novas culturas<br />História da Tecnologia: Computadores e Internet<br />BLOGS<br />TWITTER<br />SECOND LIFE<br />Auto-Comunicação em Massa<br />Fonte: Manuel Castells. Network Society<br />
  51. 51. História da Tecnologia: Computadores e Internet<br />Digitalização de meios de comunicação (revistas, jornais, TV, radio)<br />Internet:<br />World Wide Web (www)<br />- Se tornaram conectados globalmente;<br />- Sua produção passou a ser digitalizada e baseada na internet;<br /><ul><li>Crescimento da rede de comunicações;
  52. 52. Emissoras de TV, Sites de Internet, Jornais se tornaram grandes corporações globalmente.
  53. 53. Desafios das grandes emissoras (globalizadas) no contexto Jornalísticos: Ganhar competitividade respeitando a particularidade cultural e preferencial de cada região dos países em que atuam.
  54. 54. Total re-estruturação da organização dos meios de comunicação.</li></ul>Fonte: Manuel Castells. Network Society<br />
  55. 55. História da Tecnologia: Computadores e Internet<br />Digitalização de meios de comunicação (revistas, jornais, TV, radio)<br />Internet:<br />World Wide Web (www)<br />- Aparecimento das grandes empresas ligadas ao ramo da internet / computador: Google, Microsoft, Yahoo! e Apple;<br /><ul><li> Propriedade da Mídia ficou altamente concentrada;
  56. 56. Conglomerates são capazes tanto de fornecer uma diversidade produtos em uma plataforma quanto utilizando uma plataforma para diversos produtos;
  57. 57. Customização e seguimentação das audiências:
  58. 58. Surgimento de diversos canais de televisão;
  59. 59. Descentralização da audiência televisiva.
  60. 60. Aparecimento da habilidade das diversas Mídias encontrarem economias ótimas de sinergia (através das fusões, parcerias ou investimentos).</li></ul>Fonte: Manuel Castells. Network Society<br />
  61. 61. História da Tecnologia: Computadores e Internet<br />Fonte: Manuel Castells. Network Society<br />
  62. 62. História da Tecnologia: Computadores e Internet<br />Midia digital<br />$466 Bilhões foram gastos em 2006 com propaganda no mundo inteiro<br />Internet:<br />World Wide Web (www)<br />Novas formas de Propaganda<br /><ul><li> Gastos com Propaganda continuam aumentando;
  63. 63. Mídia se fragmenta ainda mais:</li></ul>Ex:1995 – 225 programas na TV Britânica que alcançavam audiências de 15 milhões de telespectadores; 10 Anos depois não havia mais nenhum.<br />- O objetivo, assim como a distribuição e o controle das mensagens estão mais complicados;<br /><ul><li> TVs com capacidade de armazenar dados (gravação de conteúdo em tempo real) dão a possibilidade dos telespectadores “pular” o comercial;
  64. 64. Internet ganha espaço no campo da propaganda;</li></ul>Fonte: Manuel Castells. Network Society<br />
  65. 65. História da Tecnologia: Computadores e Internet<br />Fonte: Manuel Castells. Network Society<br />
  66. 66. História da Tecnologia: Computadores e Internet<br />Midia digital<br />Internet:<br />World Wide Web (www)<br />Novas formas de Propaganda<br /><ul><li> Quanto mais espaço a internet ganha, mais fortes vão ficando as empresas como Yahoo!, Microsoft, etc.
  67. 67. Empresas começam a investir em propaganda embutida em seriados ou séries publicados pela internet;</li></ul>Ex.: Volvo foi apresentada no seriado Driving School em 2007 (série de 12 episódios da MSN)<br />- Surgimento do processo de sinergia entre as grandes empresas globais com empresas de menor porte:<br />Fonte: Manuel Castells. Network Society<br />
  68. 68. História da Tecnologia: Computadores e Internet<br />Fonte: Manuel Castells. Network Society<br />
  69. 69. Regulamentação e Padronização<br />A Política das Políticas Regulamentadoras<br />Redes de Telecomunicação<br />Censura<br />Internet:<br />World Wide Web (www)<br />Novas Leis<br />Televisão e Rádio<br />Impressão<br />Fonte: Manuel Castells. Network Society<br />
  70. 70. Regulamentação e Padronização<br />1980<br />Atualidade<br />Informações diversas compartilhadas pelo mundo inteiro<br />Propriedade Intelectual e criativa<br />Livros<br />Pirataria<br />Músicas<br />Jogos<br />Ações Governamentais (culturas diversas)<br />Fonte: Manuel Castells. Network Society<br />
  71. 71. Tanenbaum, A. S.: Redes de Computadores<br />Castells, Manuel.: A Galáxia da Internet<br />Castells, Manuel.: Communication Power<br />Hanseth, O e Monteiro, E.: IT Infrastructures<br />http://www.internettrafficreport.com/<br />Bibliografia<br />
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×