DUAS TRAGÉDIAS E UM ALERTA                               Abril ficou marcado pela chacina na Escola de Realengo, no Rio   ...
Curitiba, abril/maio de 2011»2                                                                       Do Quintal    CARTA A...
Curitiba, abril/maio de 2011                                                                                 Do Quintal   ...
Curitiba, abril/maio de 2011»4                                                                                 Do QuintalU...
Curitiba, abril/maio de 2011                                                                                              ...
Curitiba, abril/maio de 2011»6                                                                                  Do Quintal...
Curitiba, abril/maio de 2011                                                                               Do Quintal     ...
Curitiba, abril/»8                                                                                                        ...
Doquintal - 4º Edição
Doquintal - 4º Edição
Doquintal - 4º Edição
Doquintal - 4º Edição
Doquintal - 4º Edição
Doquintal - 4º Edição
Doquintal - 4º Edição
Doquintal - 4º Edição
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Doquintal - 4º Edição

1,315 views

Published on

"Uma Cruz quase invisível"

Published in: News & Politics, Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,315
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
5
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Doquintal - 4º Edição

  1. 1. DUAS TRAGÉDIAS E UM ALERTA Abril ficou marcado pela chacina na Escola de Realengo, no Rio de Janeiro. Uma semana depois, houve uma nova cena de sangue na saída de uma escola no interior do Piauí. Ambas tiveram como pano de fundo uma prática perversa que se alastra pelo ambiente escolar, o bullyng. Na última edição, o Do Quintal tratou deste tema, entrevistando uma das principais especialistas do assunto, que já De quem são estes pés? alertava sobre as conseqüências desse mal. :: Pág. 11 Descubra na página 7. Do QuintalR$ 1,50 Curitiba, abril/maio de 2011 - Ano I - Número 4Um jornal a serviço dos moradores da região do Pilarzinho, Mercês, Vista Alegre, Abranches e São LourençoUma cruz » A ACIEP está saindo do papel Comerciantes estão criando a Associação Comercial e Industrial do Pilarzinho e Região – Aciep, que antes mesmoquase invisível de ser oficializada já está oferecendo benefícios aos futuros associados. :: Pág. 3 » Ofertas para os comerciantes O Do Quintal lança o Clube Empresário Amigo do Quintal. Veja as vantagens que ele oferece e como participar na página 3. » Chegou o Almanaque Nesta edição, estreia o Almanaque do Quintal. :: Págs. 12 e 13 » Teffé: elogios e reclamações Obras na Rua do Bom Retiro trazem benefícios, mas geram críticas do comércio. :: Pág. 10 » Salve o Golfinho A campanha para resgate Não se sabe exatamente histórica e afetiva, a Cruz do placas e letreiros comerciais do antigo clube continua. :: Pág. 5quando ou quem a ergueu, Pilarzinho nem cadastro na e um trânsito pesado de veí-mas antes do século XX ela já Prefeitura tem, e hoje pou- culos, o maior símbolo do Pi-estava ali. Presenciou a cria- co é notada por quem passa larzinho hoje é quase invisí-ção do bairro e sua transfor- apressado pela confluência vel. Não fosse pelos própriosmação até agora. Tornou-se a das ruas Hugo Simas, Ra- moradores, ela nem existiriaprincipal referência da região. poso Tavares e Hugo Lange. mais.Mesmo com sua importância Em meio a postes e fiações, :: Págs. 8 e 9
  2. 2. Curitiba, abril/maio de 2011»2 Do Quintal CARTA AO LEITOR Uma semente para a paz Morreu Edwino, O combate à violência é um dos maio- “o homem da Cruz” res desafios da atualidade. Há um con- senso de que algo deve ser feito para in- Incansável defensor da Cruz do Pilarzinho foi entrevistado terromper a escalada desse mal que se pelo Do Quintal uma semana antes de morrer. alastra por todos os poros da socieda- E de, sufocando-a em sua própria essên- cia – que seria a convivência pacífica le nasceu em frente à Cruz no dia 17 de maio de 1937. Na casa construída pela família, mo- entre pessoas. O problema é que muitos rou toda a sua vida, criou os três filhos, traba- acham que o combate a essa ferida so- lhou, se aposentou. E nesse tempo todo foi cial é atribuição exclusiva dos governos um defensor incansável da preservação do monumento e das polícias. E que ela poderia ser que dizia ter sido levantado por sua própria família quan- combatida somente com leis mais seve- do chegou a Curitiba vinda da Polônia. Na madrugada ras e uma polícia mais competente. do último dia 28 de abril, Edwino José Polak morreu, ví- tima de um infarto fulminante. O que muitos não vêem é que a violência Uma semana antes, a reportagem do Do Quintal o en- tem raízes muito mais profundas trevistara sobre a história da Cruz do Pilarzinho. Suas de- cultivadas pela própria sociedade que é clarações estão nas páginas 8 e 9 desta edição. Pela última Seu Edwino nos anos 70 e a casa dos Polak nos anos 50. vítima dela. O desrespeito ao próximo, vez, seu Edwino falou sobre o que mais gostava. a intolerância às diferenças, o culto Edwino deixou viúva Nena Polak, companheira de mazém deu lugar a um bazar de confecções e perfumaria, mais de quatro décadas. O casal teve quatro filhos: a pro- dirigido por Nena Polak. Ao lado, O espaço foi alugado ao individual, geralmente começam fessora Aninha, a advogada Cristila e a médica Josefina. para uma loja de venda e consertos de panelas. No local em casa. E são dessas bases que se O quarto filho, um menino, morreu logo após nascer. onde funcionava a vinícola, hoje está o Bar Hollyowood. criam adultos intolerantes e agressivos O pai de Edwino, Theodoro Polak, chegou por vol- E era nesse local em que Edwino passava a maior parte que irão continuar alimentando nossa ta de 1870 a Curitiba. No local onde seriam futuramen- do seu tempo reunido com velhos amigos, jogando um cultura de violência. te a confluência das ruas Raposo Tavares, Hugo Simas baralhinho, tomando seus tragos e sempre com o inde- E só será possível acabar com esse e Amauri Lange, ele construiu o primeiro armazém de fectível cigarro num canto da boca e o sorriso maroto no círculo vicioso a longo prazo cultivando secos e molhados da região. No local também instalou outro. Ali sempre havia alguém disposto a saber mais so- uma vinícola, famosa durante décadas por produzir um bre a Cruz. E seu Edwino sempre disposto a falar sobre a cultura da paz e do bom convívio. apreciado vinho de laranja. o seu maior orgulho. Nesta edição, o Do Quintal traz três Com o tempo, as ruas de terra percorridas pelas carro- Seu Edwino se foi, mas ficou a Cruz, que como mos- exemplos de situações que mostram ças dos colonos deram lugar a vias asfaltadas e ao pesado tra a reportagem desta edição, está cada vez menos visí- como podemos contribuir diretamente trânsito dos modernos automóveis. Parte do antigo ar- vel por quem passa por ela. (DSF) para um mundo menos violento. Será que somos cúmplices da tragédia de Realengo (veja matéria sobre bullyng na pág. 11), da violência no trânsito (página 3 ) ou do próprio aumento da Eu “nasci” quando o Senna morreu! criminalidade (pág, 4) ? Cúmplices pela Osni Gomes sons de estremecer as paredes. O bairro é bom, bem localizado, ação ou pela omissão. Eu não posso reclamar dos li- tenho tudo próximo de mim quan- Por que antes de pedirmos soluções Nasci curitibano em 1º de maio xeiros da madrugada que gritam, do preciso. Supermercado, praça aos governos e autoridades, não de 1994, exatamente no dia em que assobiam, jogam tudo o que catam pública, agências bancárias, igreja, começamos primeiro a fazer nossa o mundo do automobilismo mun- pelas ruas. É o preço do progresso. excelentes restaurantes. É a vida lição de casa, cultivando o respeito dial perdia sua maior estrela, Ayr- Pior seria se eles cruzassem os bra- que qualquer um pede a Deus! ao próximo, a tolerância no convívio ton Senna. Vim transferido para ços e não levassem para bem longe E ainda tenho orgulho de dizer exercer aqui minha profissão de a sujeira que produzimos. Nada a que moro na cidade mais européia social? jornalista. Mas apenas alguns anos observar. do Brasil, com fama de primeiro Uma boa ação, extremamente simples, depois é que descobri o bairro das Sinto não ter o espaço que des- mundo, jeitão ecológico. Tanto é mas com resultados surpreendentes, Mercês, onde adquiri um aparta- frutei por 40 anos lá em Ponta assim que eu saio do meu prédio e por exemplo, é exercitar a gentileza, mento próximo a Igreja dos Capu- Grossa, onde tudo era mais calmo e na calçada posso colher abacates e seja em casa, na escola, no trânsito, chinhos. a gente vivia em paz. Falta-me uma pitangas em árvores frutíferas que no trabalho. Quando provocamos Minha convivência diária é com churrasqueira e um bom parque de existem por aqui. Sem contar que um ambiente agradável aos outros, o trânsito maluco das redondezas, diversões para o menorzinho aqui toda manhã um sabiá amigo vem também somos beneficiados, pela lei na Manoel Ribas, Padre Agostinho, de casa que está nos seus irrequie- cantarolar na minha janela e dizer: Prudente de Morais ou Brigadei- tos 4 anos de idade. “ei cara, levanta que hoje será mais da ação e reação. Já quando plantamos ro Franco. Complicado mesmo é a Gosto de tomar minha cerveji- um dia de sol e alegria”. mais sementes de violência, o que madrugada, pois a juventude malu- nha e bater papo com o pessoal da Que bom que eu “nasci” em podemos esperar colher? ca nos surpreende vez ou outra com Lanchonete Gentil, onde o Wan- Curitiba, apesar de ser de Ponta um barulhão danado que nos rou- derley e o João Mário se revezam Grossa. ba o sono ou em acidentes violen- no atendimento de uma freguesia tos ou ainda na algazarra de rua ou recheada de amigos e bons compa- Osni Gomes, jornalista e membro do Conselho de Ética do Sindicato dos os chamados “jacu boys” com seus nheiros de papo e de copo. Jornalistas do Paraná.EXPEDIENTE Do Quintal Edições anterioresPropriedade da Editora ETC e Tãao – CNPJ: 12.339.920/0001-18 Perdeu uma das edições do Do Quintal? Então é só entrar em contatoJornalista Responsável: Ângela Ribeiro DRT 1574 pelos telefones 3527-0501 ou 98523071 ou pelo e-mail contato@do- quintal.com.br e encomendar os seus exemplares. Confira os principaisDiretor de Redação: Douglas de Souza Fernandes assuntos de cada edição:Projeto gráfico e diagramação: Eduardo Picanço Aguida 1 – Conta a história de Ize, o craque do Pilarzinho; da fábrica de Santose Paulo Augusto Krüger de Almeida. da família Jolly, da centenária família Basso, e da droga que não para deEndereço: Rua Professor Ignácio Alves de Souza Filho, 343, fazer vítimas.Pilarzinho, CEP 82110-450. 2- Traz a história da pedreira que deu origem à Ópera de Arame, des-Telefones: 3527-0501 e 9852-3071. venda o mistério do túnel das Mercês, e apresenta o ex-jogador que vi- rou uma enciclopédia do futebol.E-mails: jornalismo@doquintal.com.br, contato@doquintal.com.br,comercial@doquintal.com.br. Site: www.doquintal.com.br 3 – Mostra o porquê do Clube do Golfinho merecer ser resgatado, o que é esse tal de bullyng – a doença que assola as escolas, e traz um livroImpressão: Editora O Estado do Paraná que pode mudar sua vida.
  3. 3. Curitiba, abril/maio de 2011 Do Quintal »3 COMÉRCIOPilarzinho organiza associação comercialIniciativa busca fortalecer o comércio da região e já está oferecendo benefícios aos empresáriosB aseados na velha e ver- dadeira premissa de que “a união faz a força”, Um clube de descontos comerciantes e empre-sários do Pilarzinho e bairros vi- para os comercianteszinhos estão se organizando paraa constituição da Associação Co- Comerciante também é consumidor. Todo empresáriomercial Industrial e Empresarial do que vende certos produtos ou presta certos serviços tam-Pilarzinho e Região- Aciep. Uma bém necessita diariamente de outros produtos e outroscomissão está trabalhando desde serviços. Mas, como encontrá-los próximos e com bonso ano passado para tornar esse pro- preços? Para ajudá-lo, o Do Quintal está lançando o clubejeto uma realidade. E antes mesmo Empresário Amigo do Quintal, abrangendo os bairros Pi-de ser oficializada, a futura entida- larzinho, São Lourenço, Abranches, Mercês, Vista Alegrede já está oferecendo benefícios e Bom Retiro.aos futuros associados. Nas reuniões, representantes da CEF ofereceram parceria com a Aciep. O Clube funciona assim : o empresário determina o A semente da Aciep foi lançada desconto que oferecerá aos colegas empresários nos pre-durante reuniões no ano passadodo Projeto de Desenvolvimento o escritório contábil AC-Plenitude, Parcerias de peso ços de determinados produtos ou serviços. Os dados são já está sendo oferecido o serviço incluídos num cadastro no site Do Quintal.com.br aosLocal, uma iniciativa do sistema Antes mesmo de estar conso- quais só os associados terão acesso por meio de uma se- de contabilidade aos interessadosSesi-Fiep. Daí surgiu o grupo co- lidada, a Aciep já conta com par- nha. Quando necessitar de algum produto, bastará acessar ao custo inicial de apenas R$ 100ordenado pelo profissional da tec- ceiros de peso. Um deles é a rede o site e conferir as ofertas. Para efetivar a compra, deverá mensais. “Um dos grandes proble-nologia de informação Adélcio de Desenvolvimento Local, da apresentar a carteirinha do Clube, que será oferecida gra- mas dos empresários, é conseguir Federação das Indústrias do Es-Rodrigues, a contabilista Amaril- tuitamente aos associados. manter as questões tributarias, fis- tado do Paraná (Fiep), que vemda Aparecida da Luz Pereira,e a Para participar basta ser anunciante no jornal ou ad- cais e contábeis em ordem, o que apoiando a iniciativa e propor-comerciante Lorena Drechasler quirir a cota mínima de 7 jornais mensais (R$ 10,00). Por(Lolly’s Papelaria). A equipe vem acaba limitando a conquista de cionando informações para a cria- esse valor, o empresário terá, além das vantagens do Clubedesde então coordenando reuni- muitos benefícios. Essa campanha ção da entidade. Outro é a Caixa de descontos, o nome, endereço e telefone de sua empre-ões abertas a todos os interessados, é um passo importante na solução Econômica Federal, que já propôs sa publicados no guia Aqui Tem do jornal impressoe noonde são repassadas informações desse problema”, lembra Adelcio. parceria com a futura associação. site do Do Quintal, junto com o mapa de localização dosobre o procedimento para criação Outras campanhas já estão sen- Nas últimas reuniões da comissão endereço .da entidade, e recebidas sugestões do organizadas, uma delas visa dis- coordenadora, participaram os ge- Não fique fora dessa! Com apenas R$ 10 mensais, vocêde ações, algumas delas que já es- ponibilizar o acesso à tecnologia rentes da Caixa Lorete Fabbris e divulgará os seus produtos para o público em geral, aumen-tão sendo colocadas em prática. aos empreendimentos e a inclusão Mario de Souza, que ofereceram tará a integração com os comerciantes vizinhos e terá pro- Segundo Adélcio Rodrigues, a digital dos comerciantes. parcerias, consultorias e linhas de dutos a preços promocionais oferecidos pelos seus colegas.intenção é que em um ano os co- Nos próximos encontros se- créditos dentro do programa Em- Para participar basta acessar o nosso site e preencher omerciantes da região já tenham ofi- rão definidas as formalidades para preendedor Individual. A ideia cadastro.cializada a entidade representativa convocação de Assembléia para é fortalecer a comunidade atra-com o objetivo de fortalecimento vés da formalização de pequenos constituição formal e aprovação de Mais informações no site (doquintal.com.br)do setor. comerciantes que muitas vezes estatuto da associação, e também ou pelos telefones (041) 3527-0501 e 9852-3071. Passos como verificar as ques- encontram-se na clandestinidade definição da sede.tões técnicas da associação, traçar sem apoio de agentes de financia-perfil sócio econômico do local e mento. E contribuir com aqueles » Participe já consolidados, mas que preten-avaliar o que os comerciantes es- A comissão convida todos os dem expandir seu negócio. Paraperam da entidade são necessáriospara que no decorrer do tempo a empresários que também buscam mais informações, acesse o siteassociação seja consolidada, expli- fortalecer o seu próprio negócio aciep.com.br.ca Adélcio. para participar das reuniões. Para isso basta entrar no site da entidade » Primeiros benefícios (www.aciep.com.br) e cadastrar-se SERVIÇO: Para mais Enquanto isso, porém, o grupo sem custo algum. Assim você será informações, acesse o sitegestor já iniciou campanhas em sempre informado das ações e po- Aciep.com.br ou ligue para osprol dos comerciantes. Uma de- derá contribuir com sugestões para telefones (41) 8713-8910 (Adél-las é a “Contablidade para Todos”. a oficialização da entidade que irá cio), Amarilda (8820-0007) eAtravés de convênio firmado com defender os seus interesses. 3339- 0010 (Lorena).
  4. 4. Curitiba, abril/maio de 2011»4 Do QuintalUMA RUA, UMA HISTÓRIANilinho Paz e Amor Bairros tentam coibir crimes Em março, a cada 50 minutos uma casa em Curitiba era assaltada ou arrombada. A constatação é da Secretaria de Estado da Seguran- ça Pública com base nos boletins de ocorrências no período. Ao todoA foram 697 furtos e 192 furtos a residências. O número é assustador, Rua Nilo Peçanha é uma das principais mas bem abaixo do que acontece de fato. Isso porque muitas vítimas vias de nossa região. Ela começa na altura da Roberto Barroso , no final do bairro São acabam não registrando queixa. Francisco, corta todo o Bom Retiro, passa O estudo mostra em que pé está a insegurança na cidade. Para ten- tar mudar essa situação, moradores têm se organizado para formarpela divisa entre Pilarzinho e São Lourenço e desem- seus conselhos de segurança nos bairros. O Bom Retiro, por exem-boca na confluência da João Gava e São Salvador, plo, criou o seu há um ano e meio e vem conseguindo bons resulta-próximo à Ópera de Arame. dos. Presidido por Sérgio Murilo Komoroski, o Conseg-Bom Retiro Seu nome é uma homenagem ao advogado e polí- reúne-se toda última terça-feira do mês, às 19h, no Oratório de Bach,tico fluminense Nilo Procópio Peçanha (2/10/1867- no Bosque Alemão, no Vista Alegre. Nesses encontros, com represen-31/3/1924). Mulato e filho de pequenos agricultores tantes das polícias Civil e Militar e Guarda Municipal, são discutidosda região de Campos (RJ), foi deputado constituinte, os problemas mais prementes e repassadas informações sobre como sesenador, governador do Rio de Janeiro e presidente prevenir das ações criminosas.da República por um ano e cinco meses. Sérgio comenta que a integração entre polícia e população é funda- Apesar de ter lutado na campanha abolicista, his- mental para melhorar a segurança, assim como a união entre os pró-toriadores apontam que ele nunca assumiu sua ascen- prios moradores, que, assim, formam uma rede para detectar e coibirdência africana. Alguns afirmam que suas fotografias crimes.presidenciais eram retocadas para branquear sua pele O Conseg Bom Retiro é pioneiro na implantação de um novo sis-escura. Sua origem humilde nunca escondeu, e dizia tema de segurança. Através de um dispositivo eletrônico, moradores eque fora criado com “pão dormido e paçoca”. De origem humilde, Nilo Peça foi presidente comerciantes mantêm contato direto com o Módulo Policial, ajudan- Eleito vice-presidente em 1906, assumiu o cargo do país por 1 ano e cinco meses. do no atendimento às ocorrências e na prevenção dos crimes.com a morte do titular, Afonso Pena, em junho de Expandindo1909. Em seu governo, criou o Serviço de Proteção ao dato era Rui Barbosa, e Minas Gerais, que venceria o Moradores do Pilarzinho também estão se mobilizando para criarÍndio (embrião da Funai), reorganizou o Ministério pleito com Artur Bernardes. Preocupado com uma es- o seu Conseg. Atualmente o grupo busca experiência de conselhos jáda Agricultura e deu grande impulso ao ensino técni- calada de violência durante a campanha, lançou o lema em atividade, como o do bairro Agua Verde, o primeiro a ser instaladoco-profissional. “paz e amor”, que 90 anos depois seria adotado pelo na cidade. Sua sucessão foi uma das mais disputadas até então, candidato Luis Ignácio Lula da Silva, que ganharia na Serviço - Conseg Bom Retiro (presidente- Sérgio Murilo Komo-contrapondo pela primeira vez São Paulo, cujo candi- época o apelido de “Lulinha Paz e Amor”. (DSF) roski. Tel-3029-0107/ 3338-7147/ 9961-6851. INFORME DA CÂMARA MUNICIPAL DE CURITIBAPalácio Rio Branco voltará às características originais Fotos: Andressa Katriny A reforma do Palácio Rio Bran- do prédio, fez com que as paredesco (1895-1896), da Câmara Muni- apresentassem rachaduras quecipal de Curitiba, revelou algumas comprometeram a estrutura.características originais do prédio Para conter isto, no início da Desenhos por trás da pintura serãoque serão novamente expostas. restauração foram criados três mostrados novamente.Uma delas é a pintura. Por baixo anéis metálicos, que envolvem oda tinta látex utilizada nas últimas prédio e mantêm rachas e paredesreformas do prédio, há desenhos a no lugar. Uma das cintas está nobase de cal e pigmentos naturais, térreo, outra nas tribunas e a tercei-que em partes serão novamente ex- ra, no telhado.postos e protegidos por uma resina » Históriaacrílica que não deixa a cal sair. A conclusão da construção do “O restaurador vai abrir as pare- Palácio é patrimônio histórico do Estado. palácio Rio Branco foi entre 1895des com bisturi e deixar à mostra e 1896. Foi inicialmente chamado Piso será reconstituídoalguns desenhos originais, traba- melho que cobria todo o plenário, missões, está prevista a retirada das de Palácio do Congresso, quando como no início.lho que chamamos de janela de será mantido o projeto inicial de divisórias. Os arcos da estrutura abrigou a Assembleia Legislativatestemunho”, explicou o arquiteto assoalho de madeira. “Por baixo deverão ser mantidos à mostra. As do estado. Em 1957, o espaço foiClaudio Forte Maiolino, diretor da existia um assoalho de tábuas cor- janelas deste ambiente foram leva- cedido para a Câmara MunicipalAlbatroz Arquitetura, Construção e ridas, mas a forma original é toda das para restauro e, assim como as de Curitiba, que se instalou defi-Restauro Ltda., que está executan- trabalhada em losangos, como um demais, também devem manter a nitivamente em 1963 e mudou odo a obra. Trata-se de uma compo- mosaico, e vamos mostrar isto”, cor inicial, que está sendo pesqui- nome para o atual. Pelo valor his-sição de flores que complementam complementou. sada. tórico e cultural do prédio para oa pintura do teto e de algumas O piso de mármore da escadaria » Tecnologia Paraná, foi tombado pelo governoparedes do Palácio que ainda con- da entrada, que estava manchado Segundo Maiolino, com o pas- do Estado em 1978. Forro com pinturasservam características originais. e corroído pela ação do tempo, sar do tempo, a antiga edificação » Investimento a cal foi cuidadosamente Na fachada, uma equipe traba- também já foi retirado e será subs- foi perdendo algumas característi- A previsão de custo da obra é de reforçado com resina.lha para descobrir as cores de cada tituído por um novo, mantendo as cas. “Ao longo dos anos, o prédio R$ 858.967. Derosso ressaltou quedetalhe, já que os registros fotográ- características originais. foi sendo adaptado para se adequar os recursos que estão sendo utili-ficos da época da inauguração são No telhado, todas as telhas tive- às tecnologias. Houve necessidade zados são oriundos de economiasem preto e branco. “Nesta restau- ram que ser trocadas. Também foi de pontos de energia elétrica, te- realizadas pelo Legislativo munici-ração estamos voltando o máximo necessário trocar o ripamento, mas lefonia, automação e estas coisas pal. “A criação do Fundo em 2008,possível ao que era original”. o madeiramento da estrutura foi foram descaracterizando a constru- possibilitou a reforma sem onerar “O restauro é importante do tratado e mantido. ção”, disse o arquiteto. Agora, toda o município”, complementou oponto de vista histórico, já que o O teto também recebeu reforço. a fiação elétrica e lógica está sendo presidente. O fundo foi criado para Ele foi feito com uma técnica de refeita. Arcos do porão têmprédio guarda a memória política receber os valores economizados aproximadamentedo estado e abrigou a assembleia estuque, que consistia em fazer um » Projeto estrutural pelo Legislativo a cada ano fiscal, um metro de espessura.legislativa até 1957. A rua Barão do forro de madeira e depois assentar Estrutura portante foi a técnica a partir de 2009. Desta forma, aRio Branco, onde está localizado, uma espécie de argamassa, para utilizada no século XIX para erguer instituição pode realizar melhoriastambém já foi a rua do comércio aplicar a pintura. “Consolidamos o Palácio Rio Branco. Ou seja, não de infraestrutura e de qualificaçãomais importante da cidade” lem- este estuque pela parte de trás, existe fundação, mas sim paredes profissional dos servidores sembrou o presidente da Câmara, João através de injeção de resinas, para grossas, de aproximadamente um despesas adicionais para a cidade.Cláudio Derosso. evitar que não caiam pedaços”, metro de espessura, que seguram Anteriormente a isto, os valores O piso será diferente do que se explicou Maiolino. o prédio. A movimentação do solo, eram devolvidos à prefeitura. Des-viu nos últimos anos durante as No porão do prédio, que era causada principalmente pelo trân- de o ano de 2000, a Câmara econo- Janelas serão restauradassessões. Ao invés do carpete ver- utilizado para as reuniões das co- sito de veículos pesados em volta mizou mais de R$ 26,5 milhões. e pintadas.
  5. 5. Curitiba, abril/maio de 2011 »5 Do Quintal ATUALIDADES Notas - Do Quintal Campanha “Salve oFiscalize seu vereador Golfinho” continuaMuitos curitibanos ainda não sabem, mas há mais de um ano existe uma forma rápida e fácil de fiscalizar a atuação dos vereadores locais. Em 31 de julho do ano passado foi lançado o Portal da Transparência, uma seção do site da Câmara que traz todas informações referentes ao funcionamento da casa, como gastos com salários e manutenção e o trabalho dos legisladores voltado para cada bairro da cidade. Também um histórico das leis, projetos e proposições feitas por cada vereador. Para ter acesso a essas informações basta entrar no site da Câmara (www.cmc. pr.gov.br ) e clicar no link Portal da Transparência.Quer casar ?Casamento de graça é um dos serviços que os programas Sesc Cidadão e Justiça no Bairro, em parceria com a Prefeitura de Curitiba, vão oferecer à população na Rua da Cidadania do Boqueirão, no Terminal do Carmo, nos dias 2 e 3 de julho, das 9h às 17h. O casamento coletivo será no dia O Do Quintal contou a história gloriosa desse clube 2, às 18h. As vagas são limitadas para 200 casais. Os documentos exigidos são a certidão de e o estado deplorável em que ele está hoje. L nascimento original, RG, CPF, e comprovantes de residência e de renda. As inscrições vão até o dia 31 de maio, no Cras Pilarzinho, que fica na Rua Guy de Maupassant, 177. Fone: (41)3338-3554 . ançada na última edi- Diante disso, a comissão de ção Do Do Quintal, moradores e ex-atletas levaram a campanha “Salve o a situação ao prefeito LucianoAbranches Golfinho” prossegue, Ducci, solicitando que o muni-O bairro do Abranches ganhou, no aniversário com o apoio de moradores, ex- cípio estudasse uma forma – a de Curitiba, uma Unidade de Saúde. Vizinha à -atletas e ex-sócios do Clube que partir de uma parceria com o igreja do bairro, ela tem 510 metros quadrados já foi referência na natação de governo federal – para assumir de área com Espaço Saúde integrado. O Espaço alto nível no País e que hoje está o espaço e usá-lo para continuar homenageia a educadora Gisele Aparecida jogado às moscas. A comissão formando atletas e para atender ä Dolata, moradora da região e falecida no ano de moradores do bairro continua comunidade. A comissão aguar- passado. A nova unidade atenderá parte dos gestionando junto äs autoridades da resposta. usuários até então atendidos pelas unidades para que se encontre uma solu- Pilarzinho e Diana. Na foto, o prefeito Luciano ção para que o clube seja reaberto » A luta continua Ducci pouco após a inauguração. para atender á comunidade. A luta pelo Golfinho tem mo- O Do Quintal contou na edi- bilizado vários segmentos. Está ção de número 3, toda a históriaObras na Fredolin desse clube, criado há 35 anos em curso um abaixo-assinado deixado em vários pontos dosO grande volume de chuvas registrado em Curitiba no final do ano passado e início deste provocou por um grupo de famílias curi- bairros próximos ao Clube. Ex- atraso nas obras de reforma e revitalização da avenida Fredolin Wolf. Lançada em maio do ano tibanas como a primeira escola -atletas como Ilana Kriger, pri- passado, a obra tinha como prazo inicial de entrega o 31 de maio deste ano. Agora, a previsão é exclusiva de natação da cidade. meira paranaense recordista su- para o segundo semestre, provavelmente em outubro. Isso se não tivermos até lá novos períodos Com recursos próprios, o grupo lamericana e filha do fundador de chuvas intensas. Enquanto isso, é importante que os motoristas fiquem atentos aos desvios no comprou o terreno de 8.312 me- do clube Berek Kriger, e o ex- trãnsito provocados pelas obras. No último 4 de maio, por exemplo, foi liberado o trecho em frente tros quadrados na rua São Sal- -nadador olímpico Rogério Ro- ao Parque Tingui, com a conclusão da pavimentação e a ponte. vador, no Pilarzinho, construiu quatro piscinas, inclusive a pri- mero, hoje secretário-adjunto de meira olímpica de 50 metros da Esportes e da Infância de MinasProfessora luta cidade. Em pouco tempo, com a contratação de técnicos de reno- Gerais, são alguns dos ex-atletas que estão na luta para resgatar opor trânsito me, já se formavam os primeiros campeões paranaenses. No auge, Golfinho. A situação do Clube já foimais seguro nos anos 80, o clube foi o segun- apresentada às assessorias do se- cretário de Esportes de Curitiba,Preocupada com o risco diário de do melhor do País, fornecendo acidentes com crianças na Rua Hugo várias atletas para defender o Bra- Marcello Richa, e a da senadora Simas, a 40 metros da confluência sil em Olimpíadas. Gleisi Hoffmann (PT), no sen- com as ruas Raposo Tavares e Amauri Com o afastamento das famí- tido de que o caso seja estudado Lange, no Pilarzinho, a professora Na foto tirada por Sônia Brush, um dos lias fundadoras, o clube entrou nos níveis municipal e federal. A Sônia Brush continua sua luta para vários acidentes já ocorridos no local. em declínio e foi vendido para comissão também está tentando que se aumente a segurança no local. a Sociedade Juventus, que em contato com o Ministério dos Es- Ali existe um ponto de ônibus, o mais próximo do Colégio Bento Munhoz. Para se chegar a ele, as 2003 o levaria a leilão para pagar portes. crianças têm que atravessar a movimentada Hugo Simas, o que já provocou pequenos acidentes dívidas com o INSS. A área foi O abaixo- assinado pedindo com alunos. Um deles foi presenciado pela professora, que viu uma estudante ser atropelada por arrematada por R$ 600 mil, di- que o Poder Público assuma o um motociclista ao tentar atravessar a rua. Por conta própria, ela buscou solução na prefeitura. A vididas em 60 prestações de R$ local continuará circulando por Diretran instalou no ano passado uma travessia elevada, mas que não vem sendo respeitada pela 10 mil. Mas, o arrematador só pontos estratégicos do bairro. maioria dos motoristas. Agora, a professora vem promovendo uma campanha de conscientização pagou a primeira parcela e desde Exemplares da edição que conta com a participação de seus alunos. Com recursos próprios, mandou fazer camisetas para os então imóvel está indisponível a história do Clube do Golfinho e estudantes para serem usadas na campanha. Ao mesmo tempo, ela continua gestionando junto pela Justiça, e pesava sobre ele sua atual situação podem ser pe- as autoridades do setor para que adotem novas medidas de segurança no local, como melhoria da até o início deste ano uma dívida didos pelo e-mail contato@do- sinalização, aumento da fiscalização ou mesmo a instalação de uma lombada eletrônica. Enquanto de R$ 300 mil relativos ao IPTU quintal.com.br. A edição digital isso não acontece, torce para que não ocorra nenhum acidente grave por ali. No mês passado, ela atrasado e cerca de R$ 1 milhão e está no site do jornal – doquintal. chegou a registrar um acidente no local. A moto, dirigida por uma jovem que ia no sentido Raposo 500 mil de dívidas com o INSS. com.br. Tavares, chocou-se com o carro. Felizmente, houve apenas ferimentos leves. (Da redação)
  6. 6. Curitiba, abril/maio de 2011»6 Do QuintalANEL VIÁRIOObras na Teffé causam Luis Claudio Patrício lcpatricio@gmail.comtranstornos ao comércioObras trazem melhorias, mas também geram críticas Fotos: Osni Gomes Qual a bicicleta ideal para andar na cidade? A bicicleta é um veículo muito simples e de um modo geral você vai con- seguir pedalar em qualquer modelo de bicicleta. Entretanto, se você vai usá-la diariamente, existem alguns detalhes que podem tornar sua vida muito mais fácil. Seguir ou não essas dicas pode ser a diferença entre quem começa pe- dalar mas desiste logo e aqueles que conseguem incorporar a bicicleta no seu dia a dia. » Estabilidade - Modelo e tamanho do quadro O tamanho do quadro é uma medida geralmente desprezada por quem Apesar dos benefícios, as obras do anel viário está comprando uma bicicleta. Os modelos prontos de fábrica vêm com ta- causam transtornos. manho fixo e atendem apenas quem tem estatura mediana. Você não usaria um sapato que não fosse sua numeração, com o quadro da bicicleta é a mesma coisa. Um tamanho inadequado com o uso contínuo pode provocar dores nasOsni Gomes se diversifica e passa a abrir espaço para o ramo de costas, no pescoço e nos pulsos. Veja a tabela abaixo com o tamanho indicadoU por faixa de altura: confecções, fugindo um pouco da exclusividade de m Anel Viário de quase 26 quilôme- “rua dos calçados” até então conhecida, sofremos tros de extensão está sendo construí- ALTURA DO BICICLETA DA BICICLETA MTB essas mudanças que não nos dão muito tempo para do pela Prefeitura de Curitiba, prepa- CICLISTA (CM.) ESTRADA (CM.) (POLEGADA) adaptação”, reclama Roseli Block, proprietária da rando a cidade para a Copa do Mundo 160 – 165 47 – 51 14 Modelle Confecções.de 2014. Neste trajeto incluem-se os bairros Re- Já Mariana Schroeder Manfredi reclama que a 165 – 170 51 – 53 16 – 17bouças, Alto da XV, Alto da Glória, Centro Cívico, redução da área de estacionamento, a alta velocida- 170 – 175 53 – 55 18Bom Retiro, Mercês, Batel e Água Verde. de dos veículos, circulação de ônibus e caminhões. 175 – 180 55 – 57 18-19 Nos nossos bairros serão aproximadamente 12 “Precisamos urgentemente que os estacionamen-quilômetros no sentido horário e outros 14 no anti- tos sejam recuperados, pois nosso movimento caiu 180 – 185 57 – 59 20-horário. As obras previstas são de asfaltamento das praticamente pela metade. A alta velocidade dos 185 – 190 59 – 61 20-22ruas Teffé e José Antoniassi entre a Dom Alberto veículos exige uma lombada eletrônica, pois é difí- > 190 > 61 > 22Gonçalves e a André Zanetti; Júlio Perneta, entre cil para o pedestre atravessar a rua”, protesta.a Dr. Roberto Barroso e José Antoniassi e João Go- Outro ponto reclamado por Mariana é a instala- Existem formas mais precisas de calcular o tamanho ideal do quadro quemes da Silva, entre as ruas Dr. Roberto Barroso e ção de ponto de ônibus quase defronte a sua loja, a levam em consideração também o tamanho das pernas, braços e tronco va-José Antoniassi. Mare Chiare: “ Vou ter que colocar portas de vidro riam de cada pessoa. Mas um macete bastante útil é o seguinte, sua perna deve Entretanto as obras, que começaram em janeiro para evitar a sujeira que vem para dentro e mancha ficar quase 100% esticada ao se sentar no selim e apoiar seu calcanhar no pedale devem se estender até o mês de agosto ou setem- nossas roupas” na posição mais baixa.bro, não estão recebendo total aprovação dos mo- Para Kalinka Greca, que possui uma rede de lo-radores da região e principalmente do comércio da jas na região, a principal reclamação é pela falta de » Postura - guidãoRua Teffé, considerado um ponto de compras tu- estacionamento. “O ônibus não atrapalha e por ser Para uso geral na cidade, é recomendável uma mesa com guidão maisrísticas e que perdeu recentemente grande parte do um anel viário é inevitável que tenhamos o trans- alto, mantendo assim uma postura mais ereta. Mas cuidado! Se o pavimento não for bom ou houver muitos desníveis, evite ficar com a coluna totalmenteseu estacionamento. porte coletivo. O que prejudicou mesmo foi a abo- reta. Isso pode causar muito impacto nas vértebras. Alguns modelos pos- “Justamente agora que o comércio da Rua Teffé lição dos pontos de estacionamento”, frisa. suem regulagem de altura, mas um guidão fixo com a altura certa para você já é suficiente. Hoje em dia, os modelos mais comuns são os guidãos retos de MTB ou Mais segurança, aqueles “chifres de bode” das bicicletas speed. Infelizmente modelos mais er- gonômicos têm sido abandonados aqui no Brasil. Mas garimpando um pouco arborização e iluminação dá pra achar modelos confortáveis. Só que os moradores e co- na região central de Curitiba » Conforto - Selim merciantes não estão bem in- e melhorar o fluxo do trans- Se você não estiver confortável, você pode acabar desistindo de usar a bici- cleta diariamente ou pelo menos, ela vai parecer bem menos atraente. formados sobre os benefícios porte coletivo. Eu pedalo diariamente há mais de cinco anos. Rodo em média 400km por da obra porque a área além A principal mudança será mês. Já cheguei a rodar 100kms num dia na minha bici e não fiquei com dor dos benefícios de circulação na área considerada mais re- alguma (exceto o cansaço, lógico). Por outro lado, já usei também bicicletas ganhará também um sistema sidencial, a partir da Dom com selins duros que após uns poucos quilômetros eu já estava rezando pra de circuito fechado de TV, Alberto Gonçalves até a José chegar porque já estava sentindo desconforto. com 18 câmeras e videomo- Antoniassi, onde máquinas Não existe um único modelo perfeito. Vai do gosto de cada um. Experi- nitoramento 24 horas por dia trabalham para reconstruir Mariana S. Manfredi mente antes de escolher ou converse com alguém mais experiente. Mas des- reclama da redução confie dos modelos extremamente baratos. e sistemas sincronizados de a pista e eliminar uma mini- dos estacionamentos. mensagens e controle de se- -praça que existia ao longo. Esses três são os primeiros itens que você deve levar em consideração ao escolher sua bicicleta. Pode parecer exagero, mas faz realmente diferença. Por máforos, entre outras coisas. Isso descontentou alguns serem escolhas mais subjetivas e muito particulares, eles acabam não receben- Outra novidade anuncia- moradores e há até os que do a importância adequada. da recentemente será a ar- colocaram residências à ven- borização da Rua Teffé, que da para evitar o confronto » Segurança - freios ganhará 142 novas árvores com o tráfego mais intenso Os tipos mais conhecidos de freio são: cantilever, a disco, contrapedal e nativas, ao longo de seus 800 que é esperado para o local v-brake. Esse último é o que possui a melhor relação custo/benefício. metros. Foram programados tão logo o acesso seja libera- também paisagismo, calça- do. “Se antes tínhamos ape- » Eficiência - marchas das, asfalto e iluminação pú- nas os carros dos moradores A variação de preços é enorme. Para evitar dor de cabeça, se você vai usar a blica. que entravam e saiam, agora bicicleta com muita frequência, invista num bom grupo. Não precisa ser tam- Quando estiver pronto ficará insuportável, pois te- bém dos mais caros, afinal de contas você provavelmente não terá tanto conta- este Anel Viário criará um remos além dos carros, ca- to com barro e poeira andando na cidade. caminho alternativo de trân- minhões, ônibus e trânsito Já está pra lá de bom um grupo Shimano Alivio ou SRAM 3.0 ou algo com- sito, contornando o centro intenso 24 horas por dia”, re- patível. Preste atenção no modelo dos grupos. Não basta ser da Shimano para de Curitiba. O objetivo é di- clama um morador que não Roseli Block: ser uma boa marcha. “Mudanças não dão Com essas dicas é possível escolher uma bicicleta adequada para durar por minuir o tráfego de veículos quis se identificar. (OG) tempo para adaptação”. muito tempo e não irá deixá-lo na mão.
  7. 7. Curitiba, abril/maio de 2011 Do Quintal »7 POLÍTICA Tal pai... ...tal filho Douglas de Souza Fernandes Q uando o governador Beto Richa rompeu o tendão de aquiles do pé esquerdo durante o Jogo da So- lidariedade, em abril na Arena da Baixada, reeditava uma história acontecida com o seu pai há 25 anos. Neste mesmo mês, só que em 1986, José Richa também cum- pria seus compromissos de gover- nador com um dos pés imobiliza- do. Também por causa de um jogo de futebol. Só que em vez de ex-Bota de gesso: Com o pé quebrado imoblizado numa bota de gesso, -profissionais como Zico, Dunga,o governador José Richa atendia a imprensa no desembarque no Romáro, Paulo Rink e cia , ele que-Gastão Vidigal, antigo aeroporto de Maringá, em abril de 1986. Na brara o pé numa pelada com asses-foto, de autoria não identificada e que foi publicada na extinta revistaAqui Maringá, à esquerda, o jornalista Jorge Henrique Lopes, da sores e amigos.revista Aqui. À direita, Douglas de Souza Fernandes, então repórter Na juventude, Zé Richa che-da sucursal do Correio de Notícias, e hoje editor deste Do Quintal. gou a se destacar em times ama- Bota ortopédica: No último 19 de abril, Dia do Exército, com o péAtrás à esquerda, o assessor de imprensa do prefeito maringaense dores do norte do Estado. Depois, devidamente instalado numa bota ortopédica, o governadorSaid Ferreira, Lenin Schhmdt . Ao seu lado, a secretária de Estado enquanto era prefeito de Londri- Beto Richa conversa com o general Willian José Soares , poucoda Educação, Gilda Poli Rocha Loures, e ao centro, o prefeito deMandaguari, Antônio Galera. na, deputado, governador e sena- antes de ser condecorado com a medalha da Ordem do Mérito Militar. dor, ou quando ajudava a criar o Pela imagem do fotógrafo Ricardo Almeida (AENotícias), alguém MDB no Paraná e o PSDB no país, desavisado poderia supor que o general estivesse dando algum conselho ao governador – por exemplo, sobre como evitar sempre achava um tempo na agen- novas contusões... E na política da para bater uma bolinha com os mais chegados. Foram nessas pe- Se no futebol, o filho infelizmente seguiu os passos do pai no ficente até se movimentou bem, mais grave jogando bola, quando ladas com o pai que os irmãos Beto quesito contusão, na política a torcida de quem acompanhou mas exagerou num pique, rompeu quebrou em várias partes o torno- e José Richa Filho foram iniciados o governo José Richa (1983-1986) é para que ele mantenha o tendão e teve que ir mais cedo zelo direito ao ser atingido por um no lúdico do esporte bretão. o estilo de jogo do seu genitor. Primeiro governador eleito para o chuveiro. carrinho imprevidente do adversá- E o velho Richa continuou após o restabelecimento das eleições diretas, Richa Curiosa nessa história é a coin- rio. O que lhe rendeu alguns pinos jogando enquanto pode. Nos últi- pai teve seu mandato marcado pela democratização da cidência com o número 7 . Quan- de platina e o fez ficar estes 7 anos mos tempos de esportista de fim administração, que nos quase 20 anos de governos biônicos do quebrou o pé direito, José Richa afastado do rude (neste caso rude de semana, porém, as más línguas havia se afastado drasticamente da população. Uma de suas tinha 52 anos, sete a mais que Beto mesmo) esporte bretão. Pode ser (e as boas também) diziam que ações inovadoras foi a chamada interiorização do governo. devido ao peso dos anos ele joga- Richa, que se machucou aos 27 só coincidência, mas por vias das De tempos em tempos, reunia secretários e assessores e va “ plantado” em campo, ou seja, minutos do jogo realizado a par- dúvidas o governador deveria pen- passava um dia inteiro em uma das cidades pólos do Estado. tinha uma movimentação mais ce- tir das 7h30 da noite do dia 7 de sar nisso se daqui a 7 anos for con- Entre um quibe cru e um sanduíche de mortadela, ouvia in rebral que corporal. Não é ainda o abril. E foi há 7 anos que o atual vidado novamente para uma parti- loco as reivindicações dos representantes da região. Algo caso do filho, que na partida bene- governador teve sua primeira lesão da de futebol... parecido com que o filho fez no último dia 15 em Londrina, só que com o nome de “audiência pública” . Morto em dezembro de 2003, José Richa continua lembrado por ex-aliados e adversários como exemplo de decência e elegância no trato político. Sempre evitou ataques pessoais, pois repetia que “se deve atacar os erros e não os que erram” O respeito aos adversários lhe garantiu o . papel de um dos principais articuladores no período de redemocratização. Não por acaso, foi um dos fundadores do MDB no Paraná e do PSDB no país. No seu governo, a educação foi prioridade. Para muitos professores, foi o governador paranaense que mais respeito teve com a categoria, tanto na política salarial quanto na democratização da estrutura administrativa. Com ele, por exemplo, o Paraná foi o primeiro Estado brasileiro a adotar eleições para a escolha dos diretores de escolas.Solidariedade Com o Jogo da Solidariedade, organizado pelos ex-jogadoresZico, Paulo Rink e Alcindo, dia 7 na Arena da Baixada, foram arreca-dados R$ 369. 140,00, dos quais 60 por cento foram para as vítimasdas enchentes no litoral paranaense e o restante para as vítimas doterremoto e tsunami no Japão. Foram 22.195 pagantes que viram osAmigos do Paraná , do técnico Sicupira, e Amigos do Japão , do téc-nico Valdir Espinosa, empatarem em 5 a 5. Alcindo (2), Romário,Zico e Washington marcaram os gols dos “ japoneses”. Paulo Rink(2), Oséas, Alberto e Amarildo fizeram para os paranaenses.
  8. 8. Curitiba, abril/»8 Do QuHISTÓRIACruz do Pilarzinho: ummonumento quase invisívelque resiste ao tempo João de NoronhaPrincipal referência dobairro, hoje ela é poucopercebida por quem passaapressado ao seu redorÂngela RibeiroA cruz localizada na esquina de algumas das prin- cipais ruas que cruzam o Pilarzinho foi durante muito tempo uma das principais imagens da re gião. O Cruzeiro tornou-se um referencial his-tórico de Curitiba, relembrando o período em que coloniza-dores instalavam uma cruz para marcar a conquista e a possede terras. A Cruz do Pilarzinho foi a única que permaneceude pé entre as tantas que teriam marcado a chegada dos co-lonizadores à capital do Paraná. Hoje, no entanto, ela pareceinvisível em meio às fachadas dos prédios comerciais e placasde sinalização e ao intenso tráfego de veículos ao seu redor. Apesar de sua importância histórica, ainda não há um re-gistro oficial que traga a data exata em que a cruz foi erguida enem quem o fez. Em 1999, a vereadora Julieta Reis solicitouem petição ao então prefeito Cássio Taniguchi, informaçõesoficiais sobre a cruz. Ela pedia as seguintes informações: “Oque ela representa para o Patrimônio Cultural do municípioe qual sua verdadeira história”. Segundo a vereadora, a peti-ção pretendia oficializá-la como um marco histórico e comoum monumento de extrema importância para a cidade. “Eumorei naquela região e muitas vezes ouvi minha mãe falandosobre a Cruz e sei da importância daquele monumento paraos moradores”, explicou a vereadora. Segundo Julieta, a prefeitura se restringiu a decla-rar, em resposta à petição da Câmara Legislativa, que “a Cruzdo Pilarzinho é um ícone da cidade de Curitiba que foi apro-priado e é preservado pelo Terceiro Setor, ou seja, pela po-pulação organizada, a quem cabe o direito e o dever da suasalvaguarda, preservação e a valorização de sua história”. » Histórias de uma cruz E essa responsabilidade foi, de fato, assumida pelos mo-radores que há muito tempo protegem a Cruz como partede sua própria história. É o caso de Edwino José Polak, opopular “seu Edwino” que pode facilmente ser encontradono Pilarzinho, em um bar localizado quase em frente à Cruz,jogando um baralhinho com os amigos de longa data. SeuEdwino mora na casa ao lado há mais de 70 anos e o bar,na verdade, é um antigo galpão de sua propriedade ondefuncionou, durante muitos anos, a sua oficina mecânica. Aolado, estão outros dois prédios da pioneira família Polak,onde funcionam uma loja de roupas administrada por suaesposa e uma oficina de panelas, além de sua casa. Por muitas Entre placas, fios e o intenso tráfego, a Cruz passa despercebida. No destaque, a imagem de Cristo que poucos vêem.décadas, foi o endereço do Armazém Polak, a primeira casade secos e molhados da região. se de terra. Era costume na época, que nem os portugueses época era centro do bairro. Pedido atendido, a cruz foi le- O mecânico aposentado é um dos incansáveis defenso- quando chegaram ao Brasil, a primeira coisa que eles fizeram vantada e se tornou referência do local que passou a ser cha-res da Cruz e chegou a participar da fundação de uma as- foi levantar uma cruz”. mado de “Cruz do Pilarzinho”..sociação para proteger o monumento. Ele conta que foi seu Existem, no entanto, outras versões alimentadas pela Seu Miguel França, morador do Pilarzinho há cinquen-biavô que fincou a Cruz, juntamente com outros imigrantes. população que se acostumou a ter a Cruz não só como um ta anos conta que, “na verdade”, a Cruz foi levantada pelosEdwino é bisneto de Boaventura Polak, um dos pioneiros símbolo do bairro, mas como fonte de lendas e histórias que colonos para marcar o encontro de duas ruas que, mais tar-locais. Polaco originário da Varsóvia, Boaventura estabele- compõem o imaginário local. Reza uma lenda, por exemplo, de, seriam a Hugo Simas e Raposo Tavares: “O cruzeiro foiceu-se nos terrenos concedidos por carta de foro, no início que no período em que o Pilarzinho ainda se parecia com levantado ali na encruzilhada das ruas, onde elas se encon-da década de 1870, período em que Curitiba era ocupada um extenso campo de criação, com grandes áreas de plantios travam e formavam uma cruz”. E há quem diga, inclusive,por levas de imigrantes europeus. de milho, feijão, arroz e parreiras, com poucas e humildes que foi erguida ali para marcar o local onde um boiadeiro foi Seo Edwino se lembra de quando ainda criança ter vis- casas de operários e agricultores, uma senhora fez uma pro- morto quando passava pela região. Histórias que, aliás, sãoto outras cruzes que também teriam sido levantadas pelos messa para Nossa Senhora do Pilar para alcançar uma graça. veementemente negadas por seu Edwino que não se cansaimigrantes. “Tinha a dos espanhóis, por exemplo, que ficava Caso fosse atendida, levantaria uma cruz a uns mil metros da de dizer: “Eu tenho certeza da história da Cruz”. O fato émais para cima, mas foi derrubada. A cruz dos espanhóis foi pracinha, mais precisamente à Rua São Salvador onde fica que a Cruz do Pilarzinho foi a única a permanecer de pé, delevantada, como a do Pilarzinho, como referência de pos- a capela Nossa Senhora do Pilar que data de 1782 e que na tantas antes existentes.

×