• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Jornal Do Quintal 2º Edição
 

Jornal Do Quintal 2º Edição

on

  • 1,455 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,455
Views on SlideShare
1,455
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
2
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Jornal Do Quintal 2º Edição Jornal Do Quintal 2º Edição Document Transcript

    • 100% fUtebol Conheça a história de Levi Mulford, um jornalista que não perde um lance do futebolMarco André Lima/ Do Quintal paranaense há 57 anos. Pág. 15 Do Quintal R$ 1,50 25 de agosto a 25 de setembro de 2010 - Ano I - Número 2 Um jornal a serviço dos moradores da região do Pilarzinho, Mercês, Vista Alegre, Abranches e São Lourenço Um túnel, muitas histórias Uma misteriosa construção subterrânea nas Mercês atiçou a curiosidade e a imaginação de gerações e gerações. Nesta edição, o Do Quintal traz as únicas fotos já feitas em seu interior e a versão de um arquiteto e historiador que desvendou o segredo do local. Págs. 6 e 7 Key Imaguire Júnior Arquivo Jaime Gava O caminho » Bicicleta: adote essa idéia No mês da bicicleta, a estreia da seção voltada ao transporte humano e alternativo. Pág. 4 das pedras EDUCAÇÃO » O Enem e as escolas Notas do Enem 2009 retratam as dificuldades que enfrentam as escolas estaduais para manter uma boa qualidade de ensino. Págs. 10 e 11 Antigamente, Pilarzinho, Abranches e Vista Alegre era a » Candidatos respondem região das pedreiras. Hoje é a dos parques. A família Gava Perguntamos aos candidatos a foi uma das que trabalharam na extração de pedras, que governador Osmar Dias e Beto Richa ajudariam a construir a Curitiba de hoje. Págs. 8 e 9 o que eles propõem para resolver os problemas das escolas estaduais. E eles responderam. Pág. 12
    • Curitiba, 25 de agosto a 25 de setembro de 2010»2 Do Quintal CARTA AO LEITOR É fácil fazer Insegurança no Pilarzinho um jornal Fazer um jornal é fácil. Fazer um bom jornal é é alarmante, diz pesquisa L muito difícil. O Do Quintal escolheu a segunda opção. E nesta segunda edição, damos mais evantamento sobre a criminalidade no Pilarzinho os 93 pequenos e micro empresários pesquisa- um passo para consolidar nosso projeto de mostrou dados alarmantes. Dos 93 empresários dos representam 18,5% dos 503 estabelecimentos levar informação de boa qualidade ao nosso pesquisados, 50 afirmaram terem sido vítimas de de comércio varejista em atividade no bairro, con- leitor. Temos como princípio que o jornalismo assaltos, roubos ou arrombamentos entre janeiro de forme números da Prefeitura Municipal referen- deve ter uma função social que esteja acima do 2009 e maio deste ano. No total foram 134 ocorrências, tes a 2007. ou seja, de acordo com a pesquisa, quase mero interesse econômico, comercial. É claro pois muitos foram “visitados” pelos criminosos mais de 10 por cento dos comerciantes do bairro foram ví- que nem uma empresa ou negócio sobrevive uma vez. o prejuízo declarado foi de R$ 216, 390,00. A timas de criminosos em um período de 15 meses. só com bons princípios. Mas acreditamos pesquisa foi feita por um ser possível ter um retorno econômico não grupo de moradores que » 14 vezes participam da Rede de os empresários, que res- De 93 comerciantes tendo que abrir mão dá ética e do respeito à inteligência do leitor. Desenvolvimento local, ponderam o questionário Por isso, lançamos a primeira edição com organizada pelo sistema fiep-Sesi. os resultados pesquisados, 50 disseram sem se identificar, informa- ram que das 134 ocorrên- recursos próprios. Para mostrar que um chamado “jornal de bairro” pode sim ser um serão levados às autori- ter sido vítimas de cias, 74 foram assalto à mão dades do setor. armada e 60 arrombamen- veículo sério, comprometido com quem o lê, A proposta de se fa- criminosos, num prejuízo tos. Só um dos entrevistados ajudando a resgatar a sua história, enaltecendo o que há de bom e criticando o que precisa zer um questionário para ser respondido por de mais de R$ 216 mil afirmou que seu estabeleci- mento foi atacado 14 vezes ser mudado. Nosso compromisso é com isso e com questões que consideramos basilares comerciantes locais sur- em apenas 15 meses no período, quase uma vez giu da constatação de por mês. o horário dos para a boa qualidade de vida: a educação e o que boa parte das víti- crimes variou bastante. A meio ambiente, como mostram as reportagens mas de crimes não re- maior parte foi de madru- desta edição. gistra queixa na polícia. Situação que foi comprovada gada (17 ocorrências), em seguida das 18h às 20h (15), das É para continuarmos trilhando esse caminho, que na pesquisa, onde 23 das 50 vítimas disseram não ter 13h às 17h (11), das 7h às 13h (4) e das 21h às 24h (3). pedimos a você, leitor, que nos apóie nessa registrado a ocorrência. Por isso, os dados oficiais não Por fim, o levantamento mostrou pouca confiança empreitada. Primeiro nos dando a honra da refletem o que realmente acontece. Com o levantamen- dos comerciantes nas providências policiais. Do total de leitura. E depois, se gostou do que leu e acha to pretende-se contribuir para que os responsáveis pela vítimas, apenas 27 registraram a ocorrência na polícia. importante uma publicação como essa, que segurança pública tenham dados reais nos quais se base- Destas, apenas seis disseram ter tido notícias dos crimi- divulgue o Do Quintal aos amigos, vizinhos, ar nas futuras ações. nosos.(DSF) colegas. Inicialmente para divulgar o produto estamos distribuindo o jornal em condomínios, Marco André Lima aos alunos do ensino médio das cinco escolas estaduais da região, no comércio e em áreas residenciais dos cinco bairros. Mas ele também é colocado à venda em bancas e outros pontos comerciais. Se você o recebeu gratuitamente em um condomínio, por exemplo, junte os vizinhos que apóiem a idéia e entre em contato conosco para garantir que o jornal continue sendo entregue mensalmente no local. Com R$ 1,50 não dá nem para dar uma volta de ônibus em Curitiba, mas dá para ficar bem informado todo mês sobre o que aconteceu e o que acontece em seu bairro. » FALECIMENTOS Ivo Correia Félix É com pesar que registramos o falecimento de Ivo Cor-reia félix, aos 55 anos. Comerciante e morador do Pilarzi- Antenadonho, ele foi um dos grandes incentivadores do lançamentodo Do Quintal, mas não chegou a vê-lo pronto. Roberto Bittencourt (*) alguém interessante morava por ali sar de não ter me ligado como pro- ou alguma coisa curiosa, alguma coi- meteu; sei que o Douglas também Casa nova, bairro novo e também Benjamim Basso sa boa acontecia na região da Cruz... mora, ali, mais para baixo e que exis- o ânimo se renova. Ainda que do lamentamos o falecimento de benjamim basso, cuja his- e isso persistiu até há poucos anos, te o bar do osni na minha rua, onde Vista Alegre até o Pilarzinho seja umtória foi contada na edição passada. ele tinha 83 anos e estava quando, já morando no Vista Alegre, a única coisa de que eu não gosto é pulo, como se diz, os ares de amboshospitalizado, em estado vegetativo, há um ano e meio. resolvo esticar uma caminhada até do som extremamente alto que rola, os bairros são distintos e isso se per- a feira-livre que, em frente à Cruz, de vez em quando, por ali. Mas uma cebe dos buracos nas ruas aos beirais funciona aos sábados pela manhã. das coisas que mais me impressio- com lambrequins. tanto num quan- Não, se fosse um bairro distante do na é o fato de eu vir morar aqui no to noutro, peculiaridades.EXPEDIENTE Do Quintal Mas o que importa, o que que- ro contar por puro desejo de com- centro de Curitiba, um Sítio Cerca- do, um Atuba tudo bem, mas aqui, a tão ouvido, no tão sonhado, no tão querido e desejado Pilarzinho, jus- dez minutos do centro... bem, como tamente bem próximo à Cruz, que, partilhar contigo é sobre a sensaçãoPropriedade da Editora ETC e Tãao – CNPJ: 12.339.920/0001-18 nada acontece por acaso, aqui estou hoje, já não causa aquele tipo de de vir morar num bairro que, muitoJornalista Responsável: Ângela Ribeiro DRt 1574 a arrumar pertences, a contribuir impressão de outrora. Mas que per- antes de frequentar as páginas po-Diretor de Redação: Douglas de Souza fernandes com um dos sistemas de habitação manece marco num espaço onde, liciais, o que hoje não é privilégio além do poeta Paulo leminski es-Projeto gráfico e diagramação: eduardo Picanço Aguida deste ou daquele, atiçava a minha e a aguardar a estúpida lentidão de truturar sua inquietação, seus ca-e Paulo Augusto Krüger de Almeida. imaginação nas noites solitárias dos uma das operadoras de telefonia fixa prichos e seus relaxos e de o HelioFotografia: Marco André lima (marcolimaphotos@yahoo.com). anos 70, quando cheguei em Curi- para, depois de um mês, enfim, visi- leites abotoar-se todo, também tiba: na Cruz do Pilarzinho, próxi- tar minha caixa de mensagens, atu-Endereço: Rua Professor Ignácio Alves de Souza filho, 343, o edílson Del Grossi e o RobertoPilarzinho, CeP 82110-450. mo à Cruz do Pilarzinho... talvez alizar meu blog e fazer uma ligação Prado elevam suas antenas no enre- pela ainda recente proximidade para Campos Novos.Telefones: 3527-0501 e 8875-3197. dar das torres que aqui se alinham.E-mails: jornalismo@doquintal.com.br, contato@doquintal.com.br, dos rituais católicos que, de algum Imaginas que tudo acontece as-comercial@doquintal.com.br. Site: www.doquintal.com.br modo, povoavam o meu imaginário sim mesmo: a Cruz fica logo ali; sei (*) Roberto Bittencourt é poeta,Impressão: editora o estado do Paraná desde menino. o fato é que sempre que a Verinha mora na região, ape- jornalista e morador do Pilarzinho
    • Curitiba, 25 de agosto a 25 de setembro de 2010 Do Quintal »3Um passeio que rejuvenesceSimony Daian Huck Creche paraUm grupo de idosos do Pilarzinho teve mais um dia especial no último dia 21 de agosto, um sábado. Desde março, eles fazem um passeio mensal o Pilarzinho organizado pela funcionária de saúde Jane Carla Joly e a professora Sônia Brüsch, moradoras do bairro. Desta vez foi no Pesque e Pague e Lanchonete Mina D’água, localizado no Cascatinha, em Santa Felicidade. amentos da Cohab, e também áreas de ocupação que estão sendo urbanizadas”, disse luciano Ducci. Atualmente, a Prefeitura temA idéia do passeio surgiu durante as 41.058 crianças matriculadas na educação infantil. aulas de alfafabetização para idosos o prefeito assinou também editais para a pavimentação de 90 que Sônia ministra gratuitamente ruas, pelo programa Asfalto Cidadão. São ruas de saibro em 22 desde o início do ano. Segundo ela, bairros que ganharão asfalto definitivo. os recursos são de emen- O prefeito Luciano Ducci durante a assinatura é uma forma de propiciar momentos da ordem de serviço para a obra. das parlamentares dos vereadores. de lazer e interação social para os No Pilarzinho, será asfaltada a Vansolino Granato. No Vista senhores e senhoras que na maior o Pilarzinho ganhará uma nova creche no ano que vem. o Alegre, a Chafic Cury. parte vem de famílias sem condições anúncio foi feito pelo prefeito luaciano Ducci, que assinou no dia No Abranches ganharão asfalto denifitivo as ruas: Walfrido leal, para tal. 3 de setembro a ordem de serviço para a obra. Além do Pilarzinho, Maria falate,José Manoel S. Souza, João falate, José Izar, Roberto outros oito bairros receberão o equipamento. No total serão aber- luiz bohnenstengel, todas na Vila Nossa Senhora de fátima; no Jar-Sem apoio oficial, foram as duas que tas 1.600 vagas para crianças, sendo 150 no Pilarzinho. dim Área Verde: Genésio Ramalho, Waldemar Reikda, Miguel Dias por conta própria conseguiram um Serão investidos R$ 11,1 milhões na construção desses Cen- Gonçalves e Dr. Carlos eloy Reichmann; no Jardim Camila, Stefa- ônibus gratuitamente da empresa tros Municipais de educação Infantil. “As novas creches atendem, no triska. leya Marques Vieira, Rodovil liodor brenner e Massa- Nossa Senhora do Carmo, que principalmente, áreas de expansão da cidade, que receberam lote- mori Inouhe; e, finalmente a rua Dovico Dal Prá. todo mês coloca um motorista à disposição. São elas também que arcam com as despesas dos lanches servidos em todo passeio. Apesar disso, as duas dizem que o trabalho » Terceira idade de Melo, a oferta desses cursos atende a uma demanda cada vez é compensador. ““Ver a felicidades A Paróquia São Marcos reúne uma série de atividades voltadas maior do mercado que se ressente da falta de profissionais qua- dos idosos é motivador. Eles ficam para a terceira Idade, através do Grupo Primavera e do Grupo São lificados. Marcos. o primeiro se reúne todas as segundas-feiras e o segundo, contentes com coisas simples”, diz nas quartas-feiras no salão da Paróquia, sempre das 13h30 às 17 » Cursos gratuitos -Construção Civil Sônia. horas. Ali, os idosos participam de cursos de trabalhos manuais, estão abertas as inscrições para cursos de carpinteiro, eletricis-Os participantes concordam. “O passeio tais como bordados, tricô, crochê etc. A paróquia tem ainda um ta, encanador, gesseiro, mecânico de manutenção e pintor ofere- programa de atendimento às mães carentes através do Clube da cidos pelo programa Próximo Passo, coordenado pela Secretaria é muito bom, pois a gente distrai e sai Ação Social São Marcos, onde têm aulas de costura, trabalhos ma- Municipal do trabalho e emprego, com recursos do Ministério da rotina”, afirma Sebastião Barbosa. nuais e outras orientações. Informações podem ser conseguidas do trabalho e emprego. Ao todo são 1.176 vagas para os sete cur- “Esses passeios são bons para reunir na própria paróquia. sos de qualificação na área de Construção Civil. Podem participar os colegas e jogar baralho e cantar pessoas beneficiárias e dependentes do bolsa família. modas de viola”, completa o Antônio » Bocado do Pobre *** Tuler, violeiro do grupo. Todos dizem Um outro programa social desenvolvido na Paróquia São Mar- As inscrições podem ser feitas nas Agências do trabalhador que se sentem mais jovens após os cos é o bocado do Pobre, que entrega cestas básicas para famílias nas ruas da cidadania e nos Centros de Referência da Assistência passeios. carentes. essas famílias são cadastradas por voluntários da comu- Social , da fundação de Ação Social de Curitiba. As inscrições fi- nidade, que as visitam para conhecer suas condições de vida. os carão abertas até fecharem todas as turmas, em outubro.Com a implantação do Projeto de alimentos das cestas são doados pelos paroquianos que levam os Desenvolvimento Local no bairro, produtos na missa do segundo domingo do mês. As cestas básicas » Transporte e alimentação iniciativa da Fiep/Sesi, tanto são entregues no terceiro sábado do mês, às 9h da manhã, na Pa- As aulas são dadas no Senai, na rua João Viana Seiler, 116, no róquia São Marcos. o passeio quanto as aulas de bairro Parolin. Pela manhã as atividades são das 8h às 13h e pela alfabetização foram incluídas nele. tarde das 13h30 às 18h30. os cursos têm duração de 200 horas/ » CuritibAtivação aula, sendo que 80 horas são teóricas e 120 práticas. Além de ser Mesmo assim, as duas voluntárias A Regional da boa Vista realiza o projeto CuritibAtivação, que gratuito, o aluno recebe vale transporte e lanche para participar continuam sem apoio para manter incentiva os moradores para a prática correta do esporte. Profis- dos cursos. as ações. Quem quiser contribuir sionais medem o peso e a altura das pessoas interessadas em des- cobrir uma atividade física ideal para seu tipo físico. trata-se de com esse trabalho entre em contato ume evento itinerante que acontece periodicamente para desen- » Liceu de Ofícios pelo telefone (41) 3271-7404 ou volver a educação para o esporte. Se você quer saber onde o Curi- o liceu de ofícios do Pilarzinho oferece o curso Como Secre- e-mail rede@fiepr.org.br .(DSF com tibAtivação de setembro vai acontecer, basta ligar para o telefone tariar com Sucesso, no período de 20 a 24 de setembro, das 18 às colaboração de Simony Daian Huck). 3313-5644. 22 horas. e de 4 a 8 de outubro, interessados em aprender a fazer bombons e trufas poderão participar do curso que acontecerá noSimony Daian Huck » Cursos no Bento Munhoz período da manhã. todos os cursos são gratuitos e voltados para o Colégio bento Munhoz, do Pilarzinho, criou projetos para pessoas acima de 16 anos, que tenham feito a 1ª série do ensino se aproximar da comunidade. São grupos de Horta e Jardinagem, Médio. o liceu de ofícios do Pilarzinho fica na rua Miguel de família na escola, Cidadão com educação, Pichação e Valoriza- lazzari, s/n, ao lado do Posto de Saúde Vista Alegre. telefone : ção, História e Memória e o curso estratégias de estudo: um dife- 3240-1301. rencial para o Vestibular. Para isso, a escola tem buscado parcerias, incentivando os pais e moradores da região a formar uma progra- » Centro de Criatividade mação que envolva não só os alunos como a própria comunidade. o Centro de Criatividade do Parque São lourenço oferece cursos nas áreas de música, pintura e desenho. As inscrições são » Profissionalizando permanentes. Informações pelo telefone 3313-7192 ou 3313 o Colégio Guido Straube, no Vista Alegre, tem trabalhado no -7193. os cursos oferecidos são: oficina de Artes Infanto – Ju- sentido de oferecer um diferencial na região. Com um total de 612 venil, oficina de Modelagem Infantil, Clube de Modelagem, alunos, o colégio busca atender a uma camada de jovens interes- oficina de História em Quadrinhos, Ateliê de Desenho Artís- sada no ensino técnico-profissionalizante. este ano, o colégio ofe- tico , Cerâmica, encadernação,entalhe, Marchetaria, Mosaico, rece os cursos: técnico em Secretariado, Cuidados com Pessoas Pintura em cerâmica, Pintura em tela, Restauro em madeira eO dia começou com um café da manhã Idosas e Agente Comunitário. Para o ano que vem, o colégio pre- móveis, tecelagem iniciante, Violão Popular na Música brasilei-ao ar livre, em Santa Felicidade. tende oferecer o curso de enfermagem. Para a diretora, Rosália ra, Violino e Yoga.
    • Curitiba, 25 de agosto a 25 de setembro de 2010»4 Do QuintalMaior idadeEnvelhecimento da população exigeque o país e a sociedade se repensem Diferentes, mas comA hora e a vez direitos iguais Não há um perfil único de quem passa dos 60, 65da terceira anos de idade. Boa parte continua trabalhando mesmo depois da aposentadoria. Uns gozam de boa saúde e seguem serelepes as décadas seguintes; outros, por problemas vários, ficam dependentes de terceiros até para seidade locomover. Uns aproveitam para ter uma vida mais tranqüila, viajar, fazer o que não básicos a essa faixa etária. A própria sociedade ainda conseguiam quando mais jovens; muitos outros precisa aprender a conviver com essa nova realidade. são obrigados a trabalhar em subempregos o preconceito com quem chegou às maiores idades é para garantir a própria sobrevivência ou ajudar comum, uma das consequências desta sociedade cada filhos e netos. vez mais competitiva e com produtos cada vez maisO fato de que o brasil está ficando com uma po- descartáveis, onde o próprio ser humano passa ser vis- Pesquisa feita este ano pela empresa GFK pulação cada vez mais envelhecida não é novi- to como descartável. levantou que a “terceira idade” no Brasil tem dade. o antigo país dos jovens segue uma ten- A luta para que os mais velhos tenham voz e vez na um potencial de consumo de R$ 7,5 bilhões,dência mundial, a do aumento da expectativa de vida sociedade deveria ser de todos, já que desde que nasce- mais que o dobro da média nacional. Aoe da diminuição do índice de natalidade. Hoje, já são mos começamos a envelhecer. então, quando o jovem mesmo tempo, neste país de contrastes,quase 20 milhões de brasileiros com mais de 60 anos, luta hoje por espaço digno para os “maduros” não está milhões de idosos ainda não dispõem do básicoou 10% de toda a população. o IbGe apurou que, em fazendo mais que lutar pelos seus próprios direitos no para a sobrevivência com dignidade, como a2008, as crianças de 0 a 14 anos eram 26,47% da popu- futuro. ou seja, está lutando por ele mesmo. assistência à saúde, alimentação adequada, o “lação brasileira, e as pessoas com mais de 65 anos re- convívio familiar, acesso ao lazer e atividadespresentavam 6,53%. Para 2050, a estimativa é a de que sociais.esses mais jovens representem apenas 13,15% , metade A velhice é a última E foi justamente para garantir esses direitos que hádo atual, e os mais velhos correspondam a 22,71 % dos chance que a vida sete anos foi criado o Estatuto do Idoso, atravésbrasileiros, ou seja, mais que o triplo de 2008. nos oferece para acabar da Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003. Nele esses números trazem uma boa e uma má notícias.o lado bom é que a extensão da expectativa de vida é de crescer, madurar constam tudo que os membros da terceiraresultado de avanços tecnológicos e melhorias na qua- e, finalmente, terminar idade podem exigir legalmente e as punições a quem desrespeitá-los.lidade de vida em geral.o lado ruim, e preocupante, é de nascer” (*)que o brasil ainda não está preparado para atender ade- A íntegra do Estatuto do Idoso pode ser vista naquadamente a todo esse contingente de novos idosos. * A frase está no artigo que o teólogo Leornardo Boff es- internet. Um dos sites que a fornece é o Guia e não é só por parte do governo, que além de uma creveu ao completar 70 e que o nosso site (www.doquintal. Serasa de Orientação ao Cidadão (WWW.previdência digna deveria garantir os outros direitos com.br) transcreve na íntegra. serasaexperian.com.br/guiaidoso) » DENUNCIECuritibanos com mais de 60 anos hoje e em 2020 Se você for vítima ou presenciar quaisquer casos de maus-tratos ou de desrespeito ao Estatuto 2010 2020 do Idoso, ligue para o 0800-410001. Este é o número do Disque Idoso, que atende a todos Idade Homens Mulheres Total % Homens muheres Total % os municípios do Paraná. Alem de receber 60-64 28.694 37.222 65.919 3,63 39.297 54.231 95.528 5,04 denúncias, inclusive anônimas, o serviço presta informações, orientações e encaminha 65-69 19.230 26.536 45.766 2,52 30.598 44.826 75.424 4,07 reclamações em relação ao idoso. Em Curitiba, 70-74 13.245 19.450 32.695 1,80 20.848 32.051 52.899 2,85 o serviço atua em parceria com a Fundação de Ação Social e o Ministério Publico. 75-79 8.615 14.780 23.395 1,29 12.229 20.885 33.114 1,79 O serviço funciona nos dias úteis das 8h30 às 12h 80 e + 8.964 17.718 26.682 1,47 12.709 26.294 30.003 2,10 e das 13h30 às 17h30. Ele pode ser acessado pelo e-mail disqueidoso@setp.pr.gov.br. Total 78.748 115.706 194.454 10,70 115.681 178.287 293.968 15,86 » Direito à vaga Curitiba 869.25 948.109 1.817.434 100 880.976 973.074 1.854.050 100 Por lei federal, quem já completou 60 anos temFonte: Ipardes e IPPUC direito a vagas especiais no trânsito. Em Curitiba, existem 8.260 vagas regulamentadas, das quais 5% são reservadas ao idoso, conforme determina o Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Mas, para utilizá-las, é necessário tirar credencial na Urbs. Para divulgar isso e os direitos dessa faixa etária no transporte publico, a Fundação de Ação Social (FAS), em parceria com o Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa, lançou a campanha “Respeito ao Idoso no Trânsito” . » Valor é igual A credencial garante a vaga, mas não exime do pagamento. Assim, nestas vagas, o usário tem que deixar no painel, além da credencial, o cartão do EstaR que custa R$ 1,00 a hora. Para fazer o credenciamento é necessário preencher cadastro na Urbs (www.urbs.curitiba. pr.gov.br). O uso da credencial é obrigatório também em áreas privadas - como hospitais, supermercados etc. Preenchido o cadastro, a Urbs agenda por e-mail ou pelo no próprio site a data em que a pessoa deve comparecer para autenticação da documentação e retirada da credencial.
    • Curitiba, 25 de agosto a 25 de setembro de 2010 »5 Do Quintal BiCiCLeTa Luis Claudio Patrício Um dia para pensar lcpatricio@gmail.comDia sem carroNo dia 22 de setembro é comemorado no mundo inteiro o dia sem carro. O que acontece nesse dia? Em muitas cidades adota-se a medida mais óbvia: a restrição ou até mesmo a proibição da no carro circulação de veículos motorizados individuais. Mais do que um simples ato simbólico que promove, pelo menos um dia por ano, uma redução drástica nos níveis de poluição e ruído; o dia sem carro pode servir de laboratório para transformações permanentes O dia 22 de setembro é uma no cenário urbano, através da avaliação e projeção do impacto das ações temporárias. Tornando as cidades mais humanas e agradáveis data para pensar no que através da valorização do espaço público e das pessoas. queremos para o futuroMês da Bicicleta CHá três anos que a data é celebrada em Curitiba de forma independente uritiba realiza no dia 22 de Nesse dia, ficará fechada para acesso aos trechos interditados. a partir de diversas iniciativas populares. Tudo começou em 22 setembro mais um Dia sem o trânsito de automóveis o tre- Para este ano, a prefeitura orga- de setembro de 2007, quando um pequeno grupo se reuniu no Carro. Mais do que buscar cho mais central da avenida Ma- nizou uma programação cultural Parque São Lourenço para lembrar o Dia Sem Carro. Surgiram a diminuição momentânea do rechal Deodoro - da rua João para incentivar a adesão da po- tantas idéias, que ficou impossível realizar tudo num só dia. Com tráfego de veículos na cidade, a Negrão à Marechal floriano pulação. os espaços destas ruas o tempo, chegaram mais pessoas e mais idéias, até que surgiu o data é um momento para refle- Peixoto, assim como os acessos que, normalmente, são usados Mês da Bicicleta, ou a Arte Bicicleta Mobilidade, um festival que xão sobre os problemas cada vez à praça tiradentes, rua barão do por carros, vão abrigar terráreo, ocorre durante todo o mês de setembro, com atrações culturais, mais graves causados pelo uso in- Rio branco entre o Paço Muni- Condomínio da biodiversida- esportivas e educativas. Todas as atividades surgiram de propostas tenso de automóveis nas cidades. cipal e a André de barros. Ape- de, feira de produtos orgânicos, populares, onde muitas vezes o papel do organizador e espectador e um convite ao uso de meios de nas ônibus, bicicletas, pessoas atrações artísticas, jogos e brin- se confundem. São pessoas ou grupo que apóiam a mobilidade transporte sustentáveis, como a a pé e veículos de serviços es- quedos, educação de trânsito, sustentável e que através de pequenas ações independentes bicicleta. senciais e de emergência terão artesanato e exames de saúde. ajudam a transformar o seu próprio bairro. O objetivo é promover a discussão a respeito dos problemas gerados pelo excesso de trânsito motorizado, demonstrar a viabilidade da bicicleta como meio de transporte e ajudar quem estiver interessado em usar menos o carro. Além dos vários voluntários, alguns dos grupos envolvidos são: Ciclovida – UFPR, Grupo Transporte Humano, Coletivo Interlux e Sociedad Peatonal. Alguns deles são aqui mesmo da região: Fernando Rosenbaum (Abranches), Goura Nataraj (SãoLourenço) e André Caon Lima (Mercês).O que acontece de 18 a 29 de setembro18 - Tweed Ride Bolha no Passeio PúblicoÉ um passeio elegante de bicicle- com Locomotivata, como nos bons tempos. Você 18h30 - Passeio Públicopode vir com a bike que quiser, 25 – II Curitiba Acclechicmas use o seu traje mais fino.Concentração: 15h / saída 16h | Das 15h às 18h | Praça 29 de Índice carro-habitante é o segundo maior do paísPaço da liberdade - Praça Gene- Marçoroso Marques 26 – Bike Voadora – Curitiba tem a segunda população mais moto- literalmente pararia.21 e 28 - Oficina de basta subir e pedalar para gerar rizada do país, só perdendo para São Caetano do » Ter carro não é o problemaconstrução de veículos energia e rodar cata-ventos Sul (SP). Há 488 carros para cada grupo de mil ha- Últimos levantamentos do Denatran calculam fantásticos 14h - MoN - Museu oscar Nie- bitantes na cidade. Já a capital paulista, pródiga em uma frota de 35, 6 milhões de automóveis no brasil,9h ás12h e das 14h ás 17h - Cen- congestionamentos, está em nono lugar, numa pro- um crescimento acima de 60% em 10 anos. e a facili- meyer – Rua Marechal Hermes,tro de Criatividade de Curitiba porção de 412 carros por mil habitantes. esses são dade de crédito, isenção de impostos e outros incen-(Rua Mateus leme, 4700) – 999 alguns dos dados levantados pelo Departamento tivos apontam que a comercialização de veículos só33137191 26 – Campeonato Nacional de trânsito (Denatran) e divulgados pela deve aumentar a curto e médio prazos.21 – Sessão Ciclecine Metropolitano Agência estado no início do mês. especialistas explicam, porém, que o problemana Cinemateca de Mountain Bike o estudo aponta para o fato curioso de Curitiba não está na quantidade de carros comercializados,Sessões às 19h e 21h | R. Pres. Centro Politécnico- 9h às 13h ter um serviço de ônibus considerado modelo, mas mas em como eles são usados. A média de automó-Carlos Cavalcanti, 1174 que mantém uma altíssima proporção carro/habi- veis por habitante é geralmente maior em cidades de Participe também! Para saber22 – Marcha das 1001 Bikes/ tante. Segundo o levantamento, a capital paranaense países desenvolvidos. Mas na europa, onde existem mais acesse: http://artebicicleta-Maracatu Estrela do Sul só não tem tantos congestionamentos quanto a capi- bons sistemas de transporte público, por exemplo, osà partir das 17h30 – Saída na Pra- mobilidade.wordpress.com/ tal paulista porque apenas 22% da população curiti- donos de carros usam-no geralmente para viagens eça Santos Andrade http://bicicletadacuritiba.org/ bana usam diariamente o seu automóvel . Se todos passeios de final de semana, não para trabalhar ou24 – Música para sair da http://transportehumano.com.br fossem colocados na rua ao mesmo tempo, a cidade fazer pequenos percursos como é comum no brasil
    • Curitiba, 25 de agosto a 25 de setembro de 2010»6 Do QuintalTÚNeLConstrução subterrânea no Vista Alegre alimentou aimaginação de crianças e adultos durante geraçõesO mistério dotúnel desvendadoDouglas de Souza Fernandes Além de dentista, seu pai era fotógrafo e foi brasil pelo Marquês de Pombal, em 1760, os tijolos. ele explica que esse tipo de construção com a sua Yashica 700 que o menino fez o re- jesuítas, no Paraná, só haviam se estabelecido é muito rara no brasil, mas comum em paísesQ uem foi criança no Vista Alegre das Mer- cês até o final dos na os 70 tinha um localperfeito para exercitar a curiosidade e o es- gistro em 1962. Segundo ele, nessa época havia ali a base de uma pequena casa em cujo porão havia um al- em Paranaguá, onde fundaram um colégio em 1755. em Curitiba, eles viriam a inaugurar o Colégio Medianeira, no Prado Velho, mas só como o Uruguai e a Argentina. Como desde o início do Século XIX o Paraná já tinha relações comerciais com esses países, principalmen-pírito de aventura. era só ir até a chácara da çapão. Por uma passagem estreita escavada na em 1957. e pergunta-se: que motivo teriam te com a exportação de erva-mate, é possívelfamília Gutierrez, um amplo espaço todo cer- terra rastejava-se por 6 a 8 metros até uma am- os religiosos para deixarem seus afazeres edu- que alguém originário de um deles tenha sidocado por área nativa e que em parte daria lu- pla sala abobadada com cerca de dois metros cacionais e virem para uma área da cidade ain- diagnosticado com a doença quando estavagar décadas depois ao bosque Gutierrez. Ali de altura toda feita em tijolos. Ali havia uma da coberta por matas para cavarem um túnel? em Curitiba, foi internado no lazareto, e seja oonde hoje é o cruzamento das ruas Amapá outra passagem, mas fechada por uma parede Para o professor, a possibilidade de ter responsável por fazer ou comandar essa obra.e Andre Zanetti, havia a entrada de um mis- nova de tijolos. em uma das extremidades da sido feito por alguém do lazareto é a mais Ao chegar a essa conclusão, porém, o pro-terioso túnel. os mais corajosos chegavam sala, havia um respiro em forma de chaminé. factível. Na época, os leprosos eram execra- fessor tem uma ponta de decepção. Afinal,a entrar na sombria construção subterrânea » Leprosos dos pela população em geral muito mais do como comentou em artigo escrito na Revis-e percorriam o que conseguiam. A maioria, Quase 50 anos após essa aventura de que são hoje. Doentes que saiam de seu re- ta Coisa Paralela, da UfPR, “definitivamen-porém, só ouvia as histórias que se contavam criança, Key chegou à conclusão de que a duto chegavam a ser apedrejados. Daí não ser te, eu preferiria o velho pirata, com seu olhosobre quem teria feito o túnel. essas narrações construção foi feita por alguém ligado ao la- impossível ter sido construído para que pu- de vidro e sua perna de pau; no canto da salaque incluíam padres jesuítas, leprosos e até um zareto – local onde eram tratados portado- dessem se refugiar em caso de algum ataque. subterrânea escondendo um baú com a ban-pirata passaram de geração a geração. Até hoje res da hanseníase, ou lepra – que funciona- Por ser de desenvolvimento lento, a doença deira da caveira, um par de garruchas carre-várias dessas versões estão vivas entre mora- va próximo dali e que foi desativado com a não impediria que os doentes pudessem tra- gadas e um velhíssimo pergaminho com ma-dores mais antigos. e até hoje não se sabe com inauguração do leprosário São Roque, em balhar normalmente. pas de ilhas de tesouro”. Infelizmente, não é.certeza quem o fez e qual seria sua função. Piraquara, em 1926. » Quem construiu A versão mais plausível é a do historiador A hipótese de ter sido feito pelo lendário o que mais chama hoje ae professor aposentado do curso de Arqui- Pirata Zulmiro para esconder seu tesouro é atenção do arquiteto Key é otetura e Urbanismo da Universidade federal descartada simplesmente por não haver qual- sistema construtivo utilizado nodo Paraná Key Imaguire Júnior. ele também quer registro histórico de tal personagem. e a teto. Para suportar o peso, ele foié o autor das únicas fotos conhecidas feitas de que teria sido construído por padres jesu- construído em arcos, com o usono interior do túnel. Hoje morador das Mer- ítas para fugirem de perseguidores também de bovedillas, ou seja, vigotes decês, Key passou sua infância no Vista Alegre. não procede. Na época que foram expulsos do trilhos transversais ligados porFotos: Key Imaguire Junior Já adulto, Key fez um croqui a partir das lembranças que tinha do esconderijo em que entrou quando criança.A entrada para o misterioso túnel. Poucos tinham coragem para entrar. As passagens eram estreitas,mas as paredes altasA sala cujo teto teria sido construído com uma técnica até hoje não utilizada no Brasil. e bem construídas.
    • Curitiba, 25 de agosto a 25 de setembro de 2010 Do Quintal »7 TÚNeLCom tantas lendas, entrar no túnel outros túneis,era uma prova de coragem outros mistériosJesuítas, pirata Entre os mais antigos, há a crença generalizada que o túnel do Gutierrez iria até o centro da cidade. Mesmo diante da evidência de quee o capeta seria impossível atravessar um túnel de tal extensão sem equipamentos especiais, e muito menos construí-lo. A hipótese voltou a garnhar força nos últimos tempos, com a descoberta de túneis ou esconderijos no centro da cidade. Em 2007, dois rapazes, o empresário Marcos Ofenbock e o jornalista Alexandre Nascimento, divulgaram ter encontrado possíveis túneis em baixo do Clube Concórdia e Sociedade Garibaldi, no centro da cidade. Para eles, tais construções poderiam ter ligações DSF/Do Quintal com igrejas da região ou outras áreas da cidade. Mas não há nada de concreto que prove isso. No Clube Concórdia, há de fato umProfessor Key: “Sentados sobre pilhas de tijolos, Arnete Bressa: “Meu tio dizia que o capeta morava ali...”montávamos engenhosas hipóteses sobre o esconderijo...” porão e, nele, um buraco que parece ser uma passagem. O problema é que há grades que Durante décadas, houve muita gente que entrou no tú- que nasceu no bairro e que ainda mora no número 170 da rua impedem o avanço por ali e aténel do Gutierrez com intenção de achar o tesouro escondido Albino Pachendorff, lembra que os meninos eperavam o caseiro agora não se sabe com certezapelo Pirata Zulmiro ou pelos jesuítas. o professor Key Ima- sair para se aventurarem pelo esconderijo. “A gente levava velas, se realmente há ou havia umguire conta que havia um certo risco em adentrar o esconde- pois era muito escuro”, relembra ele. Hoje, aos 62 anos, Valdir túnel por ali. A hipótese maisrijo, “pois a abóboda e paredes estavam esburacadas por esses não acredita que o túnel tenha sido feito por um pirata. ele acre- provável é que seria apenasneuróticos que procuram ouro escondido em qualquer lugar dita que seja obra dos jesuítas. um esconderijo construído porantigo”. Virgínia bressan , sobrinha neta do casal João e Virgínia, que imigrantes durante a segunda Para a criançada, porém, entrar no túnel era uma prova de eram os caseiros da chácara dos Gutierrez, lembra que o tio di- guerra mundial. O Concórdia écoragem e o objetivo principal era descobrir a onde levava a zia que dentro do túnel morava o capeta, e por isso ninguém formado por descendentes deestranha construção. “A grande aventura era chegar a tal sala – podia entrar lá. ela obedeceu, mas sua prima Arnete bressan, alemães, e a Sociedade Garibaldi,após entrar pelo alçapão e rastejar pela estreita passagem -, sen- hoje com 68 anos, resolveu conferir. “eu entrei, mas só na pri- por italianos, as duas nações quetar numa pilha de tijolos e ficar montando engenhosas hipóteses meira parte, não fui até o fundo como faziam os meninos. tinha formavam com o Japão o chamadosobre o esconderijo – inclusive da conveniência de conhecê-lo medo”. Se o diabo morava lá, no momento ele não estava em Eixo que lutou contra os aliadosem caso de ira incontida de nossos pais”, relembra o professor casa, pois Arnete diz não ter visto ninguém por ali. na Grande Guerra. A construçõesde arquitetura e história. Até hoje, porém, ela acredita que o túnel tenha sido constru- subterrâneas poderiam ser, então, outros lembram que para chegar ao túnel tinham que passar ído pelos jesuítas e que iria até as Ruínas de São francisco, no esconderijos para serem usadospelo caseiro dos Gutierrez que morava em frente. Valdir Siba, centro da cidade. (DSF) em caso de perseguições. » Faltam arqueólogos O professor de História da UFPR e morador do Vista Alegre, Dennison de Oliveira, explica que com a Guerra todo mundo que tivesse livros, discos ou cartas escritas em alemão, italiano ou japonês eram suspeitos de serem “quinta coluna” ou seja, , espiões a serviço do Eixo. Esses túneis, portanto, teriam sido usados para esconder esses materiais e evitar que fossem destruídos. Para Dennison, muitos destes mistérios envolvendo os túneis da cidade seriam elucidados se houvesse Marco André Lima/Do Quintal arqueólogos pesquisando esses casos. O problema é que são poucas universidades que oferecem o curso no Brasil, apenas em oito estados, e o Paraná não está entre eles. Dennison lembra que a arqueologia já teve bons tempos por aqui como mostra o acervo do Museu Paranaense, mas que nos últimos Debaixo da antena anos houve uma regressão. “A gente espera que o poder público, O muro foi construído pouco antes da entrada do túnel. Hoje, o local da entrada do Túnel do Gutierrez está sob inclusive por conta da legislação já o pátio dos fundos da TV Transamérica. Não há sequer vestígio da antiga construção. A empresa faz fundos existente sobre a preservação de com o terreno onde funciona a Associação de Promoção do Adolescente, uma casa lar dirigida pela irmã Diva e nosso patrimônio arqueológico e que atende a crianças órfãs. A religiosa confirma que quando chegou ao local, há pouco mais de três décadas, histórico, acabe entrando na jogada havia no terreno a base de tijolos com uma entrada e que para evitar que as crianças fossem brincar lá dentro, para garantir que as pesquisas foi colocado um tampão. Com a construção do prédio, o misterioso túnel foi soterrado. No local foi erguida a e estudos nesses locais sejam antena da TV Ttransamérica (DSF) feitos com base científica. E que não fiquem entregues a curiosos e diletantes” conclui. (DSF) ,
    • Curitiba, 25 de agosto a»8 Do QuBairro oNTeMGava, uma históriaesculpida na pedra Marco André Lima/Do QuintalFamília veio para o Brasil No trabalho na pedreira nos anos 50, carroças puxavam pedras para o caminhão. No detalhe,para plantar, mas acabou o local hoje transformado na Ópera de Arame.ajudando a construir CuritibaDouglas de Souza Fernandes enças contagiosas. Somente no diaO nze horas da manhã. Um 19 de dezembro de 1879 chegaram longo silvo de sirene atraves- em Morretes, de onde vieram para sa a zona norte da cidade. Curitiba.Depois de um breve silêncio,uma Na capital, o jovem casal italianoestrondosa explosão seguida de recebeu da Câmara Municipal umauma poeira branca que se assenta área na região que abrangia ondelentamente sobre ruas, casas, varais está hoje o Cemitério São Marcos.de roupas, vegetação. Durante déca- Ali construiu sua casa e começoudas, essa foi a rotina que se repetia a plantar cereais e hortaliças paraduas vezes por dia (também ás 15h) vendê-los no centro da cidade. ono Pilarzinho e Abranches. Com o primeiro filho, João, chegaria emtempo, os moradores se acostuma- 1881, quando emilia tinha 20 anos.ram com o barulho das dinamites Depois viriam Roberto (1883),explodindo pedras no que é hoje o bortholo (1887), Mathilde (1894),Parque tanguá, Ópera de Arame e Josephina (1897), Maria (1900),Universidade do Meio Ambiente. luiz (1901) e a caçula Anna, emDos anos 20 ao início dos 80, as pe- 1904, quando emília já tinha 43dreiras eram a principal referência anos de idade.da região. Assim como são hoje os Nas primeiras décadas em soloparques criados a partir delas. curitibano, a família dedicou-se As pedras tiradas durante dé- exclusivamente à lavoura e a cria-cadas dos enormes paredões estão ção de galinhas, porcos, animais dehoje em milhares de casas, praças e tração e vacas. Conforme os filhosde ruas curitibanas. Uma das famí- cresciam, o trabalho ganhava novoslias que se destacaram no ofício de braços. o novo rumo de atividadeextrair pedras para uso nessas cons- só aconteceria no final da décadatruções foi a Gava. de 20 do século passado após o os primeiros Gava que che- casamento do filho mais velho. Joãogaram a Curitiba, porém, nem se casou com Maria fligikowski, e Marco André Lima/Equipe Do Quintalimaginavam que um dia a família adquiriu uma ampla área de terras,teria o nome ligado à extração que abrangia onde é hoje a Ópe- O trabalho era “pedreira”mineral. Afinal, quando o casal ra de Arame. A área ao lado, que Quando consideramos que algo é muitoMatheus Gava e emilia Colleti incluía a atual Pedreira Paulo le- cansativo ou difícil de se fazer, dizemos quechegou ao brasil, em 1879, vi- minski, já pertencia ao município. esse trabalho é uma pedreira. E trabalharnha com o objetivo de cultivar a A vasta área anda era inexplorada antigamente nas pedreiras era literalmenteterra e produzir alimentos, assim economicamente. Neste período, “uma pedreira” Até os anos 50, o transporte .como os milhares de conterrâ- bortholo, já casado com Margarida era feito em carroças e para quebrar osneos que então deixavam uma de Conto, adquiriu um terreno de blocos de pedras eram usadas marretas.Itália mergulhada no desempre- Cielo de Pol no hoje Parque tan- João Gava Neto, hoje com 79 anos, trabalhougo após a unificação do país. guá. A área adquirida fazia divisa ainda criança um bom tempo na pedreira Matheus e emília moravam na com a pertencente à empresa Cavo. do avô. João deixou a escola aos 11 anoscidade de Capella Magigiore, na então, a partir dos anos 20, a de idade para trabalhar no local ondeprovíncia de treviso, região de família começava a extração de pe- João Gava Neto trabalhou quando seu pai, José Gava, trabalhava. No início, criança na pedreira do avô.Vêneto, no nordeste italiano, quan- dras que seguiria ininterruptamente fazia pequenos serviços como levar osdo decidiram tentar a vida no novo por mais de meio século, ajudando ponteiros e brocas de aço usados nacontinente. Depois de um mês e a construir uma nova Curitiba. pela dureza e riscos do trabalho. Daí , já quebra de pedras ao ferreiro que trabalhavameio de uma desconfortável via- casado e com duas filhas, Sônia e Guiomar, na pedreira. Um serviço mais leve, masgem no navio Khonprinz friedrich João começou a trabalhar como carpinteiro. muito mais perigoso, era levar bananas deWilhelm, Matheus, então com 23 Hoje, mora em Araucária, fabrica dinamite para os locais das explosões.anos, e emília, 18, ainda tiveram artesanalmente móveis e cadeirinhas paraque ficar de quarentena no Rio de Com o tempo, ele passou a fazer trabalhos crianças, e visita regularmente as filhas queJaneiro, como era praxe para veri- mais pesados, como transportar as pedras continuam morando no Pilarzinho.ficar se os imigrantes tinham do- e quebrá-las em pedaços menores para Apesar das dificuldades da época, João Gava levá-las ao britador. Como não havia Neto guarda com orgulho as recordações compressor, elas tinham que ser quebradas do trabalho na pedreira. Principalmente na marreta. Para isso, um funcionário Arquivo/Família em relação às obras feitas com as pedras segurava o ponteiro enquanto um colega tiradas dali. Uma delas foi o prédio do dava as marretadas. Um erro de cálculo Hospital da Cruz Vermelha, na Vicente poderia significar uma mão ou braço Machado. Ele foi um dos que ajudaram a esmagado. levar as pedras para o terreno no Batel, que João Trabalharia na pedreira até o início dos serviriam de alicerce para a construção do anos 60, quando saiu devido a questões hospital beneficente inaugurado em 1947. salariais, pois achava que recebia pouco (DSF)Matheus e Camilla, tambémconhecida por Emília. João Gava.
    • 25 de setembro de 2010uintal »9 Bairro oNTeM Arquivo/Família Acidentes de trabalho eram comuns N uma época em que equipamento de seguran- da Construção Civil de Curitiba, diz se lembrar de ça era artigo de luxo, trabalhar em pedreira pelo menos três mortes no tempo em que trabalhou era extremamente perigoso. João Gava Neto na pedreira da família Thá, no Vista Alegre, ainda nunca teve um acidente grave, mas presenciou nos anos 50. alguns, inclusive com seu pai. Uma vez caiu uma De um ele não se lembra o nome. os outros pedra que quebrou o calcanhar do seu José. outra eram Manoel e Robertinho. os três foram atingidos vez, ele escapou por pouco da morte, quando meia por pedras em situações diferentes. o maior risco, banana de dinamite explodiu quando verificava o explica Aroldo, eram as “partes velhas” das pedrei- porquê do explosivo ter falhado. foi atingido por ras, ou seja, onde não se extraia mais pedra, mas de estilhaços, mas não se feriu gravemente. cujos paredões ainda se desprendiam rochas regu- Não há registro formal de mortes durante o tra- larmente. Robertinho foi atingido por uma dessas. balho nas pedreiras da família Gava, mas com base era o horário do café, e ele se lembrou que havia em informações de outras mineradoras na região, é esquecido o maço de cigarros ao pé de um dos pare- provável que tenham havido. dões. Quando procurava-o, foi esmagado por uma Aroldo benedeto, proprietário da Mercearia pedra que se desprendeu dezenas de metros acima. Trabalhadores na pedreira João Gava: sem capacetes e de chinelos. tereza e ex-diretor do Sindicato dos trabalhadores (DSF) Ruas, cemitério e futebol Arquivo/Família Passados 131 anos de sua che- operário Pilarzinho. bortholo gada, os Gava se espalharam pela Gava que dá o nome ao estádio cidade, mas boa parte continua na Hugo lange, foi quem doou morando no Pilarzinho e Abran- a área para construção do cam- ches. A prole de Mateus e emília po e da sede própria do clube. o se multiplicou rapidamente. os estádio foi inaugurado em 20 de oito filhos do casal tiveram 55 dezembro de 1958, exatamente filhos. Somente bortholo e Mar- quatro meses após a morte de garida trouxeram 13 Gavas ao bortholo, aos 70 anos. A ligação mundo. da família com o time de futebol, Atualmente, elias, neto de Ro- porém, começou ainda na década berto e luiza Coradassi, e Jaime, de 30. neto de João e Maria, estão fazen- foi num campinho ao lado do a árvore genealógica dos Gava da Pedreira dos Gava que pela que vieram para Curitiba. A in- primeira vez um grupo de traba- Registro de uma explosão em data não definida: som era rotina até o início dos anos 80. tenção futura é escrever um livro lhadores e os donos das pedreiras Um som que não sobre a história da família. Delur- e de empresas como a Cristalei- des Nivalda, filha de bortholo, é ria Aurora e fábricas de móveis uma das entusiastas da idéia de lauro Goras e Pedroso, se juntou registrar para a posteridade saga para praticar o futebol nas tardes deixa saudade dos ancestrais. de sábado. Corria o ano de 1935 Parte dessa história, porém, já e o esporte ainda engatinhava no está registrada, por exemplo, nas brasil. ruas João Gava, Roberto Gava, foi após um treino no campi- Jorge Gava e José Gava. o cemité- nho ao lado da Pedreira João Gava rio São Marcos também tem um que o grupo escolheu o nome de Se hoje morar próximo de uma pedreira na Guiomar não se lembra de casos de mor- placa que homenageia Matheus operário Pilarzinho Sport Club. região é sinônimo de silêncio e tranquilida- te, mas recorda de várias pessoas atingidas Gava, que doou a primeira área o Clube só seria criado oficial- de, antigamente era exatamente o contrário. por pedras. Um dos casos foi com Carmelino para a construção do “campo san- mente, porém, em 29 de junho Quando em funcionamento, as pedreiras que Pilatti quando voltava da escola. o menino to”. logo na entrada do cemitério de 1951, quando o time passou a hoje abrigam alguns dos principais parques foi atingido na cabeça por uma pedrinha. o fica o mausoléu da família. disputar os campeonatos organi- da cidade eram um inferno para os moradores acidente trouxe seqüelas neurológicas das A família também está liga- zados pela federação Paranaense da região. As explosões quase diárias provo- quais ele nunca mais se recuperaria comple- da a outro símbolo do bairro, o de futebol. (DSF) cavam um barulho ensurdecedor e uma po- tamente. eira que era o terror das donas de casa. Pior Havia também as crianças que brincavam Marco André Lima/Equipe Do Quintal que isso, era o medo de ser atingido por uma com o perigo. Valdir Narestik, hoje com 54 pedra. Volta e meia, era preciso indenizar o anos, conta que quando piá costumava brin- dono de uma casa atingida. car na área das pedreiras. Uma das aventuras Andar em ruas próximas na hora das explo- era procurar explosivos que haviam falhado. sões era como estar em uma praça de guerra. A “A gente entrava escondido, pegava as bana- qualquer momento podia-se ser atingido por nas de dinamite e tirava o estopim feito com uma pedra ou estilhaço. bisneta de João Gava, espoleta para brincar”, conta Valdir. ele se Guiomar lembra do medo que tinha na infân- lembra que pelo menos uma vez a história cia do som da sirene avisando da iminência das terminou mal. Num final de tarde nos anos explosões. “era um terror quando a gente ia na 60, o amigo Mauro perdeu os dedos da mão casa da Nona, em frente à pedreira, e chegava a direita ao manusear um explosivo. Só aí os hora da explosão. A gente tomava cuidado para colegas abandonaram a perigosa brincadeira. não estar fora de casa nessa hora”. (DSF) Delurdes, Jaime, Nara e Elias Gava: resgatando a história da família.
    • Curitiba, 25 de agosto a 25 de setembro de 2010» 10 Do QuintaleNeMEnem estimula rankingentre escolasÂngela Ribeiro liação: “o Ideb possui um tratamento estadual ou federal. ou ainda o tipo deL ançado em 1998, o exame Na- dos itens estatísticos que são incluídos público que atende, observando se a cional do ensino Médio chega já no processo de elaboração das pro- comparação é feita entre escolas cujos neste ano a sua 13ª edição com a vas. Há uma sequência de questões que alunos têm o mesmo nível socioeconô-expectativa de reunir seis milhões de são repetidas estrategicamente como mico. outro fator determinante é queestudantes. Um número significativo forma de avaliar a o desempenho no o enem não é obrigatório. em algunsse comparado aos 157 mil inscritos em exame ano a ano”. casos, por exemplo, só participam dosua primeira edição. No ano passado, Para Alayde, o grande diferencial é enem os alunos mais adiantados, inte-de acordo com o Ministério da educa- que o enem não é obrigatório e nem ressados em ingressar na universidadeção, 3,2 milhões de estudantes fizeram acontece em todas as escolas, apresen- ou participar do Prouni, prejudicandoo exame criado para funcionar como tando graus variados de participação. uma visão mais global do desempenhomais uma porta de entrada para a uni- ela acredita que o exame auxilia uma da própria escola.versidade. Por causa desse crescimento escola internamente na busca de qua- obedecidos esses critérios, o enemgradativo, o enem vem sendo utilizado lidade, uma vez que pode analisar ca- pode e dever servir como mecanismotambém como um parâmetro para ava- sos individuais de aproveitamento em de comparação entre escolas, princi-liar o desempenho das escolas. Muitos Especialistas determinadas disciplinas. “No entan- palmente a partir da edição de 2010 doespecialistas vêm chamando atenção, to, tentar fazer um ranking compara- exame. É que neste ano será adotada ano entanto, para o fato de que o enem tivo entre escolas com base no enem teoria de Resposta ao Item - tRI, umanão oferece os subsídios necessáriospara servir de critério de avaliação, pode levar a uma análise superficial do desempenho das escolas, o que não é metodologia de avaliação que leva em conta não apenas o número de acertos alertam paraprincipalmente porque não foi criadopara isso. o objetivo desse tipo de exame”, expli- cou. do estudante, mas também o nível de dificuldade das questões corretas e a o erro de É o caso da superintendente daSecretaria de educação do Paraná » Comparação coerência no conjunto das respostas. Segundo o Inep, essa mudança torna- se avaliar a(Seed), Alayde Di Giovanni, paraquem o enem não possui estratégias o presidente do Inep, Joaquim José Soares, comenta que para evitar o mau rá possível fazer uma análise efetiva do desenvolvimento da escola no decorrer qualidade deestatísticas para lidar com os resulta-dos. ela aponta o Índice de Desenvol- uso das informações tiradas do enem, é necessário primeiro comparar esco- dos anos. Para Soares Neto, presidente do Instituto,”a comparação é uma coisa um colégio a partir do Enemvimento para a educação básica (Ideb) las ou instituições com perfis seme- boa. A partir dela, a família pode come-como um critério mais preciso de ava- lhantes, por exemplo, se é particular, çar a questionar as práticas da escola”. Notas retratam perfil e dificuldades das escolas As cinco escolas estaduais dos bairros abrangidos pelo Do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais custo anual do estudante do ensino básico, segundo Quintal tiveram um desempenho mediano no Enem de Anísio Teixeira, o Inep. No Paraná, a melhor colocada dados do Ministério da Educação, que gira em torno de 2009. A média total dos colégios Manoel Guimarães, foi uma instituição federal, a Universidade Tecnológica R$ 2.600. Esse valor corresponde ao gasto público total Guido Straube, Bom Pastor, Bento Munhoz e Sebastião do Paraná, com 717,79 pontos. Já entre as escolas por aluno, que inclui a soma do investimento das três Saporski, ficou em 534, 32 pontos. estaduais do estado, a escola Maria Cintra, de esferas públicas, ou seja, municipal, estadual e federal. Tamarana, Norte do estado, surpreendeu ao conquistar Também inclui verba de merenda e livro didático, além No rankeamento que o Exame Nacional do Ensino Médio a primeira posição com 624, 77 pontos. das despesas com salário de professores. acaba promovendo, as escolas particulares ganham de goleada. Prova disso é que, entre as 20 melhores Uma das questões que uma primeira análise propõe é a Os índices do Enem de 2009 levantam a polêmica em posicionadas, há somente duas escolas públicas. Uma diferença nos investimentos de uma escola da rede torno dos critérios utilizados para que o Exame delas, o Colégio da Universidade Federal de Viçosa particular para a rede pública de ensino. Para se ter Nacional do Ensino Médio sirva como avaliação das (MG), que aparece em sétimo lugar, enquanto a escola uma idéia, cada estudante do Colégio Vértice, que escolas e oficializa a distância entre o rendimento das da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) apareceu em primeiro lugar no ranking do Inep, paga escolas públicas e das escolas privadas. aparece na 17ª posição do ranking divulgado pelo uma mensalidade de R$ 2.756,00, valor superior ao (DSF e AR) bENTO MUNhOz DA ROChA NETO bOM PAsTOR GUIDO sTRAUbE Participantes Prova objetiva: ..................... 62 Participantes Prova objetiva: ..................... 24 Participantes Prova objetiva: ..................... 42 linguagens, Códigos: ........................... 509, 16 linguagens, Códigos: ............................ 488,75 linguagens, Códigos: ............................ 493,33 Matemática: ............................................. 496,53 Matemática: ............................................. 486,34 Matemática: ............................................. 488,16 Ciências Humanas: ................................ 510,08 Ciências Humanas: ................................ 487,74 Ciências Humanas: ................................ 496,38 Ciências da Natureza: ............................ 499,40 Ciências da Natureza: ............................ 513,31 Ciências da Natureza: ............................ 490,59 objetivas: ................................................. 503,79 objetivas: ................................................. 494,04 objetivas: ................................................. 492,12 Redação Participantes: ................................. 62 Redação Participantes: .................................. 24 Redação Participantes: .................................. 41 Média Redação: ...................................... 589,11 Média Redação: ...................................... 540,63 Média Redação: ...................................... 568,29 Total (Redação + Objetivas): ......... 546,45 Total (Redação + Objetivas): ......... 517,33 Total (Redação + Objetivas): ......... 529,75 MANOEL A. GUIMARãEs sEbAsTIãO sAPORskI Participantes Prova objetiva: ...................... 51 Participantes Prova objetiva: ...................... 24 linguagens, Códigos: ............................ 546,15 linguagens, Códigos: ............................ 479,00 Matemática: ............................................. 539,10 Matemática: ............................................. 483,04 Ciências Humanas: ................................ 536,04 Ciências Humanas: ................................ 474,92 Ciências da Natureza: ............................ 548,56 Ciências da Natureza: ............................ 495,38 Media objetivas: .................................... 542,46 objetivas: ................................................. 483,09 Redação Participantes: .................................. 50 Redação Participantes: .................................. 24 Média Redação: ...................................... 572,50 Média Redação: ...................................... 558,33 Total (Redação + Objetivas): ......... 557,33 Total (Redação + Objetivas): ........... 520,7
    • Curitiba, 25 de agosto a 25 de setembro de 2010 Do Quintal » 11 eNeMManoel Guimarães defende período da tarde, eu estou com quatro turmas fora da sala de aula por falta de professor. Embora tenhamos CLICK SEU BAIRRO provas regionalizadas solicitado substituição desses professores antes das férias, o processo é demorado, o que culmina emPara o diretor do Colégio Estadual Senador Manoel problemas para a escola.” Alencar Guimarães (Mercês-Bigorrilho), Rogério Bufrem Riva, o Enem chamou para si a O problema, segundo a diretora, não termina com responsabilidade de avaliar os alunos, mas perdeu o retorno do professor licenciado ao trabalho. A força e credibilidade. As dificuldades estruturais na maioria, quando termina sua licença médica, pede elaboração e aplicação das provas evidenciaram afastamento da sala de aula, o que obriga a escola a as dificuldades de um critério de avaliação em buscar outras funções para o profissional, ficando a nível federal e centralizado, segundo o diretor: “A sala de aula à mercê de novas contratações por parte avaliação era muito mais eficaz quando era estadual, da Secretaria de Estado da Educação. principalmente porque, quando regionalizado, No caso do Colégio Bom Pastor que reúne cerca de um exame está menos suscetível aos desvios de mil alunos do ensino regular, o desafio é vencer qualidade. Não é possível aplicar uma mesma prova a morosidade do serviço público. O colégio, que para um aluno do Paraná e outro de Manaus, ou do também oferece o Ensino de Jovens e Adultos, tem Nordeste.” procurado desenvolver projetos internos de incentivoO colégio atingiu uma pontuação geral de 557,33 pontos, à participação dos pais no processo educativo dos Marco André Lima/ Do Quintal média que para o diretor Rogério Bufrem serve como filhos. um referencial de avaliação interna da escola. “O Enem pode ajudar o professor em sala de aula, para entender como está seu desempenho a partir do aproveitamento que o aluno apresentou no Enem em Guido Straube pede sua disciplina. Mas não tem critérios para avaliar o agilidade à Secretaria desempenho de uma escola”. de educação O Do Quintal atua numa região da cidade A equipe do Colégio Estadual Guido Straube vê privilegiada em imagens e ângulos diversos.bento Munhoz busca com otimismo os resultados que seus alunos conquistaram no último Enem. Com 41 participantes Por isso, resolvemos deixar aberto um espaço aproximação com no exame, o colégio alcançou uma média de 492,12 para os olhares dos nossos leitores. Se você tem uma foto interessante, participe desse a comunidade nas provas objetivas e 568, 29 nas redações. Isso representou, segundo a diretora Rosália de Melo, espaço enviando para o Click seu bairro.Avaliar índices dissociados da realidade na qual estão um avanço de 101 pontos frente ao exame anterior, Envie para o e-mail inseridos é o maior erro para se fazer qualquer graças ao incentivo do colégio e ao esforço dos marco@marcolimaphotography.com. avaliação sobre o desempenho das escolas, segundo alunos. Não se esqueça de enviar informações Rosângela Bezerra de Melo, diretora do Colégio da foto: seu nome, endereço, data e Segundo a diretora, a demora na substituição de Estadual Bento Munhoz da Rocha Neto, do Pilarzinho. local para que seja publicada. professores, garantindo que nenhuma disciplina fique O colégio atende a alunos dos bairros Pilarzinho, sem aulas é um problema que a Secretaria Estadual Kosmos, Primavera, Bracatinga, Abranches,Vila de Educação deve sanar, sob o risco de prejudicar Nori, Tanguá e Vila Militar: “São alunos de classe os alunos. “Às vezes um professor pede licença, econômica baixa, de comunidades mais carentes. volta a trabalhar e o substituto ainda não chegou. Muitos desses alunos vêm para a escola por Do Quintal Isso acarreta em perda de conteúdo que o aluno, determinação própria porque não encontram, nem dificilmente, conseguirá repor.” mesmo em casa, incentivo para estar aqui”. Outro desafio para a escola pública alcançar aO Colégio Bento Munhoz teve 179 alunos inscritos excelência na sua prática de ensino é a aproximação no Enem, mas apenas 62 fizeram as provas. Para entre escola e comunidade. Rosália Melo lembra que Rosângela Bezerra, esse nível de desistência no exame revela que o desafio vai além da participação no Enem, está na questão da própria relação que o esses projetos de abrir a escola nos finais de semana são inviáveis enquanto não houver uma política de COMÉRCIO remuneração aos profissionais necessários para aluno e a família têm com a escola hoje. Segundo a diretora não dá para comparar os resultados atender à comunidade. » Mostre ao seu bairro alcançados no Enem por jovens dessas escolas com que você existe aquelas cuja análise pontual de notas as coloca nas primeiras posições, nesse “rankeamento”. Prova Sebastião Saporski: Há muita gente que deixa o seu bairro disso, segundo a diretora, é que a média de 503, 7 registrada nas provas objetivas pelos alunos do enem não atrai alunos para fazer compras, procurar prestadores de serviços ou locais para ser divertir em colégio Bento Munhoz está próxima das médias O Colégio Estadual Sebastião Saporski teve um número outras áreas da cidade simplesmente por registradas pelas demais escolas públicas estaduais pequeno de participantes no Enem de 2009, apenas não saber que o que busca existe próximo da região. 24. Segundo a diretora, Mercedes Antonia Gonçalves, de onde mora. e muitas vezes com quali- isso se deve, sobretudo, ao fato de que o Ensino Médio“Para se avaliar uma escola é preciso pensar a educação dade e preço melhores. É por isso que na é muito recente na escola, tendo sido implantado a como um todo. Uma escola retrata a realidade na próxima edição, o Do Quintal lançará o partir de 2005. Até então, a escola oferecia apenas o qual ela se insere, além da relação que ela tem com Ensino Fundamental. Por isso, a média geral de 520,7 AQUI TEM, um guia de comércio e ser- essa comunidade e da relação que a família tem com no Enem do ano passado foi visto como positivo pela viços da região abrangida pelo jornal. essa escola”, conclui. Até o dia 25 de outubro estaremos ela- equipe de professores da escola. borando a lista de tudo o que os nossos Um dos maiores problemas, segundo a diretora, bairros têm para oferecer. entre em con-bom Pastor quer é que muitos alunos vêm de famílias cujos pais apresentam baixa ou nenhuma escolaridade e não tato conosco para passar as informações professores nas têm nenhum incentivo para participar do exame: “Mesmo a gente incentivando, falando para eles que sobre o seu negócio. A inclusão do nome, endereço e telefone da empresa é gratui- salas de aula o Enem é importante porque é uma forma de entrar ta. Você só paga se quiser destacar o seu na universidade, o interesse dos alunos é muito estabelecimento. e os nossos preços dePara Deolinda Ângela de Araújo de Figueiredo, diretora do Colégio Estadual Bom Pastor, a participação pequeno”- explica a diretora. anúncios têm o melhor custo-benefício no Enem é um incentivo para o professor que quer Um dos maiores impasses vividos pela escola hoje, do mercado. Confira nossa tabela. avaliar o desempenho de seus alunos. Com notas além desse distanciamento entre escola, pais e Anunciando, você estará divulgando o abaixo da média em grande parte das disciplinas no alunos, segundo a diretora Mercedes Gonçalves seu negócio e ajudando o seu bairro a se Enem, a escola tenta enfrentar um de seus maiores é a burocracia governamental: “É preciso que o fortalecer. Não fique fora dessa, mostre ao problemas: a falta de professores na sala de aula. processo de contratação de professores seja mais seu bairro que você existe. Segundo a diretora, para se ter uma idéia, no retorno ágil e eficiente. Não é possível que uma escola das aulas para o segundo semestre letivo, a escola comece o ano letivo sem professores na sala de aula. Do Quintal – Tel: 3527-0501 e 88753197 estava sem quatro professores que se afastaram por Seja através de concursos, ou de contratação, a E-mail: comercial@doquintal.com.br motivo de licença médica: “Agora, por exemplo, no Secretaria tem de acabar com essa morosidade”. Site: www.doquintal.com.br
    • Curitiba, 25 de agosto a 25 de setembro de 2010» 12 Do QuintalCaNdidaToSO que a educação pode esperar do próximo governador A partir de entrevistas com os diretores dos colégios Bom Pastor (Vista Alegre), Manoel Guimarães (Mercês-Bigorrilho), Guido Straube (Mercês), Bento Munhoz (Pilarzinho) e Sebastião Saporski (Abranches Taboão), o Do Quintal apurou quais os principais problemas e dificuldades enfrentadospelas escolas estaduais. Levamos essas questões aos dois candidatos a governador melhor posicionados nas pesquisas de intenção de voto, para que apresentassem quais as propostas que têm a respeito. Confira e cobre essas promessas, a partir de 2011, de quem for o eleito. 1 Beto Richa – Sei da falta de pessoal que existe nas escolas estaduais. todo o início do ano, os noticiários mostram esco- las sem professores e sem estrutu- 1 Um dos maiores problemas que os diretores das escolas da região apontam é a mo- 1 Osmar Dias - estamos prevendo novos concur- sos públicos para suprir demandas de docentes que se façam necessárias. Isso será fei- ra para funcionar. Por isto, no meu rosidade no processo de contra- to com cuidado e dentro das Plano de Governo, registrado em tação e substituição de professo- possibilidades do estado. Pro- cartório, assumi o compromisso de res. O que o senhor pretende fazer pomos também a realização de promover novos concursos públi- para acabar com esse problema, concurso público específico cos, para que os alunos possam con- uma vez que muitas escolas ficam para contratação de bibliote- tar com professores desde o início meses esperando a substituição cários para organização da rede do ano. fiz isto em Curitiba, onde de bibliotecas escolares, ins- de professores e os alunos perdem foram contratados 7 mil profissio- petor de alunos, técnicos para nais de educação. São professores, conteúdos que dificilmente são re- os laboratórios de informática pedagogos, inspetores e secretários postos? e secretário escolar, além de escolares contratados por concur- outros profissionais que farão so público para atender a demanda parte da equipe de trabalho na criada com os investimentos feitos escola. 2 na ampliação da rede e na melhoria 2 da qualidade do ensino. Outro desafio, segundo os Osmar Dias - Vamos modernizar e ampliar os espaços nas esco- diretores entrevistados pelo2 las para o atendimento no contraturno melhorando o ambiente de Beto Richa- em Curitiba, as escolas ficavam fechadas nos fins de Do Quintal, é melhorar a re- trabalho dos professores em benefício da qualidade do ensino. te- semana. Quando assumi em 2003, implantamos o programa co- lação entre escola e comunidade. mos a proposta de escola Aberta, que será desenvolvida com o trabalho munidade escola, que fez 5 milhões de atendimentos em quatro Muitas escolas têm a aspiração, de equipes próprias, que serão responsáveis pelas atividades, pela conser-anos. As atividades são planejadas por um grupo de representantes da por exemplo, de abrir aos finais de vação e pela segurança do patrimônio público nos finais de semana e fé-comunidade, da escola e da prefeitura. As oficinas são desenvolvidas por semana para oferecer atividades rias. Será criado, ainda, um Sistema Integrado de Atendimento ao Aluno,voluntários, instrutores, servidores municipais e estudantes universitá- diversas à comunidade, mas não mediante implementação descentralizada de uma Rede de Apoio. Sabe-serios. As escolas participantes do programa em Curitiba ficam abertas o fazem por não dispor de pesso- que o aluno atendido pelas unidades escolares é o mesmo que, junto depara a comunidade nos fins de semana e também em horários noturnos, al para isso. Qual sua proposta sua família, é atendido no posto de saúde, no sistema de assistência social,em dias sem atividades letivas programadas. Nesse espaço, a comunidade de segurança e outros. A segurança também será reforçada com nossasencontra alternativas de lazer e de educação, gratuitas, nas áreas de saú- para aumentar a integração esco- equipes de Patrulha escolar nas ruas e o Profissional de Apoio escolarde, empreendedorismo, cidadania, esporte e cultura. este programa será la-comunidade sem penalizar ouestendido para todo o Paraná, porque ajuda envolver a comunidade, ofe- no pátio. sobrecarregar os profissionais de 3recendo atividade para os jovens. o programa fortalece as relações das ensino?famílias com a escola, promove a construção da cidadania e cresce muito Osmar Dias – entendo que o incentivo deve ser dar na forma decom a participação dos voluntários, que demonstram sempre solidarie- reconhecimento do esforço feito por educadores e profissionais dadade e fraternidade com o próximo educação. e este reconhecimento, para nós, se traduz em investi- mentos e ações efetivas que contribuam para dar mais condições de tra-3 balho para esses profissionais. A criação de uma Rede de Apoio articulada 3 Beto Richa - A minha meta é tornar o ensino do Paraná referência nacional. Por isto vamos adotar um modelo de avaliação, que valorize Qual o incentivo que o se- pelo Sistema Integrado, na qual o gestor escolar ou a equipe pedagógica os servidores, tal como foi feito em Minas Gerais. As boas propostas nhor pretende dar para poderão trabalhar em conjunto com os profissionais da saúde, segurançapedagógicas serão valorizadas, levando em conta os resultados que busquem escolas que têm um bom ou da assistência social que já atendem este aluno. Serão realizados es-o crescimento aluno. tudos para a adequação das vagas nas escolas Públicas, com redução do aproveitamento continuar tra- número de alunos por sala, considerando que cada sala de aula deve res-4 balhando pela qualidade de en- peitar o espaço mínimo de 4,5m² para o professor e 1,2m² para o aluno de Beto Richa - Como prefeito de Curitiba, elevei o piso salarial dos pro- sino? ensino fundamental (séries finais) e médio. fessores de R$ 611,00 para R$ 1.126,00 em cinco anos — média de 14% ao ano e aumento de 84,5% no período. No Paraná, hoje, o pisosalarial da categoria é de R$ 775,00, somado a um auxílio-transporte de R$215,00, totalizando R$ 990,00. Vamos valorizar e capacitar o professor, fazercom que volte a ser respeitado na sala de aula e na comunidade. Criar um po-lítica de aumento real, que motivem os professores em seu trabalho e atraia 4 Osmar Dias - A desigualdade salarial dos professores da rede esta- dual e municipal de ensino não pode continuar e vamos trabalhar para resolver isso, com apoio também do governo federal. o reajus- te de salário vai acompanhar o do salário mínimo, com reflexo na tabela de 4novos profissionais para as escolas estaduais. O que os professores podem progressão na carreira. o avanço salarial considerando o plano de carreira esperar do senhor em rela- será sem exigência de “provas classificatórias”.5 Beto Richa - foi programado uma série de ações que motivem os pro- fessores e valorizem esta classe que foi abandonada nos últimos anos. Uma delas é aprimorar o PDe pela ampliação das oportunidades deacesso e certificação. também queremos manter permanente diálogo com asrepresentações sindicais dos professores e trabalhadores da educação, para ção à política salarial? 5 Osmar Dias - os investimentos devem ser constantes e serão am- pliados para que mantenhamos nosso estado como referência para o brasil no ensino público. A formação continuada será oferecida em cursos presenciais e on-line, para todos os docentes e gestores da edu- 5garantir o efetivo ganho de salarial real e melhores condições de trabalho. cação. Vamos levar o Plano de Desenvolvimento educacional (PDe), queViabilizar as decisões do fórum Paranaense de formação de Professores Além do salário, qual sua tira por dois anos os professores da sala de aula para investir na sua forma-para atender à demanda de professores tanto da rede estadual como das re- proposta para valorizar os ção, para a rede de ensino dos municípios. os avanços conquistados pelades e sistemas municipais de educação. Aprofundar o debate com as univer- bons profissionais e incenti- educação pública estadual têm de ser expandidos para o municipal e va-sidades públicas e privadas e com o Governo federal para avançar na oferta var os educadores a se aperfeiçoa- mos trabalhar para criar estruturas que levem educação de qualidade parade cursos. Construir, em parceria com o Governo federal, um Programa de rem continuamente ? todos os municípios. também assumimos o compromisso de dar a cadaformação para trabalhadores em educação, estimulando o ingresso e a per- professor um notebook para apoiar suas aulas, que terão menos alunos emmanência na área. sala para que o aproveitamento seja maior. SUPREMO NA ARTE DO GESSO Venha conhecer nosso show room Forros - Sancas - Molduras - Colunas - Dry Wall - Decoração em geral 3253-1909, 9856-6660 e 9256-6660 Rua Maria Bauer Sigmund, 503, Pilarzinho.
    • Curitiba, 25 de agosto a 25 de setembro de 2010 Do Quintal » 13 gaLera do quiNTaL Estudantes participam da Bienal do Livro no Rio de Janeiro. Intenção é fazer o mesmo em Curitiba. Capital literária por 10 dias Curitiba abriga, em outubro, a 1ª Bienal do Livro do ParanáServiço D e 1º a 10 de outubro, adolescentes. Para o público in- cio Souza, Ana Miranda Moacyr Curitiba se transformará fantil haverá o Circo das letras, Scliar e Ronaldo Correia de bri-Data Estação Convention Center na capital brasileira da li- o fórum de literatura Infantil e to. os escritores participarão de1 a 10 de outubro de 2010 Avenida Sete de Setembro, teratura, com a realização da 1ª Juvenil, com apresentações deHorário 2.775 - Curitiba - Paraná sessões de autógrafos e debates, bienal do livro do Paraná, no teatro e contadores de história.Dias de semana: das 9h às 22h Ingressos: estação Convention Center. Se- A intenção, dizem, é apresen- uma ótima oportunidade paraFins de semana: das 10h às 22h Entrada inteira - R$ 8,00 rão 10 dias em que os visitantes tar a elas o fantástico mundo os leitores manterem contatoLocal do Evento Meia-entrada - R$ 4,00 poderão participar de sessões do livro, mostrando o quanto a com seus autores preferidos e literárias, debates e bate-papos leitura é divertida e prazerosa. conhecerem mais sobre o uni- informais com seus autores pre- Haverá também o programa de verso da criação literária. tam- feridos. e, claro, serem apresen- Visitação escolar, onde escolas bém foi elaborada uma progra-Oito motivos para prestar o Enem tados a milhares de livros que agendam a participação de seus mação voltada aos professores, serão expostos por 60 editoras alunos, que terão uma progra-Se você ainda está em dúvida nas razões pela quais deve fazer o Enem nacionais. A organizadora do mação especial. Segundo a or- que além de acesso gratuito ao ou não, leia as dicas abaixo para entender por que ele é um exame evento, a fagga | Gl events, res- ganização, porém, a procura foi evento (o ingresso custa R$ 8,00 tão importante. ponsável também pelas bienais tão grande que as inscrições já e R$ 4,00) terão na bienal, se-1 - Serve como autoavaliação. É que, como o Enem é uma prova do Rio de Janeiro, bahia e Minas estão encerradas. Mas, pode-se gundo os promotores, a oportu- preparada para os alunos que estão concluindo o Ensino Médio, Gerais, diz esperar um público entrar na lista de espera, aces- nidade de dinamizar suas aulas e serve também como uma avaliação individual. de 200 mil pessoas. e promete sando o site do evento: bienal- incentivar o hábito da leitura em uma programação cultural vol- dolivrodoparana.com.br.2 - É um “simulador” do vestibular. Como você está às vésperas do seus alunos, propiciando a eles tada para todas as faixas etárias. É esperada a participação de vestibular, ter mais um momento de aprendizado é algo valioso Um dos destaques serão as 40 autores, entre eles Cristó- um contato mais íntimo com o para quem passou o ano estudando. Sem contar que a experiência atividades voltadas às crianças e vão tezza, José Castello, Már- livro fora do ambiente escolar. de enfrentar uma prova antes do vestibular pode deixá-lo mais acostumado com esse clima de avaliação.3 - Integra a seleção de instituições de ensino superior. Hoje o Enem é “livros não mudam o mundo, quem letra & Garranchos usado como critério único de seleção para 23 das 55 universidades federais do país e em mais 500 faculdades particulares. Outras muda o mundo são as pessoas. os livros 500 instituições vão adotar o Enem como parte de seu processo só mudam as pessoas.” (Mário Quintana) seletivo, como a UFPR, onde a nota do Enem vai compor 10% da nota final do candidato. Índice que fará diferença para os cursos mais concorridos. Uma tragédia na UFPR Salve o Domínio4 - Pode se transformar em critério de seleção para futuros empregos. entre as dez obras indicadas o Portal Domínio Público foi criado em 2004, Para muitos especialistas há uma forte tendência de que os para a prova de literatura brasi- com um acervo inicial de 500 obras e hoje são 732 empregadores passem a considerar a nota da redação do Enem leira da Universidade federal do livros somente de literatura portuguesa. Você pode como parte do processo seletivo. Paraná está uma peça de Nelson encontrar lá as poesias de fernando Pessoa, textos Rodrigues. É Anjo Negro, uma de José Saramago, além das obras de Manuel ban-5 - É obrigatório para quem quer tentar um bolsa no ProUni. Um dos tragédia que conta a vida do deira, Clarice lispector, muita música erudita, en- critérios para que estudantes de baixa renda consigam uma bolsa negro Ismael que renega sua fa- fim obras que se encontram em domínio público. A de estudos pelo Programa Universidade para Todos em instituições mília, se forma médico e se casa proposta é o compartilhamento de conhecimentos privadas é ter conseguido obter a nota mínima de 45 pontos no com uma branca para obter status social e ser aceito de forma democrática, garantindo acesso a todos à Enem. pela sociedade. educação e à cultura. Se você não quer deixar que6 - Será um indicador de qualidade das escolas. Embora não sirva Nelson Rodrigues é um jornalismo que se con- uma fonte tão rica seja eliminada em função da fal- como o único, o Enem pode ser um dos indicadores de qualidade sagrou não só pelas crônicas diárias que publicava, ta de acesso, contribua divulgando e incentivando das instituições de ensino. mas principalmente pelas peças de teatro que escre- amigos, parentes e conhecidos, a utilizarem essa veu. tanto, que ele é considerado o criador do teatro fantástica ferramenta de disseminação da cultura 7 - É um avaliador interno das escolas. Analisando o desempenho de moderno no brasil. e do gosto pela leitura. e lógico, acesse e se divirta. cada um dos seus alunos, a escola pode fazer uma avaliação do seu escrita em 1949, a peça revela um dramaturgo ensino e, assim, melhorar o que precisa ser melhorado. preocupado com o preconceito do qual o negro não8 - É um indicador da qualidade do ensino de municípios e estados. consegue fugir, num período em que o racismo ain- Além de avaliar aluno por aluno e constituir um bom indicador de da era um tema pouco discutido no brasil. Ao que » Não pense só, escreva! qualidade das escolas, a nota do Enem pode refletir também a tudo indica, Anjo Negro foi escrita para ser inter- Você que é aluno do bento Munhoz, bom Pas- qualidade da Educação nos estados e municípios. pretada por Abdias do Nascimento, consagrado ator tor, Guido Straube, Manoel Guimarães, que tem negro que fugia dos papéis alegóricos atribuídos aos textos em prosa ou poesia, e que quer divulgá-los,Estas e mais informações sobre o Enem você pode conseguir no negros nas comédias de costumes da época. mande-os para nós. Dentro do possível, vamos site http://educarparacrescer.abril.com.br/indicadores/enem- publicá-los nas próximas edições impressas Do 2009-501152.shtml. E lembre-se, as melhores dicas para uma boa prova são: ter uma boa alimentação, dormir bastante e resolver as Literatura na internet Quintal e no nosso site (www.doquintal.com. br). Seja uma redação sobre qualquer tema da questões com tranquilidade. Imaginem um site onde se podem ler gratuita- atualidade,uma crônica, artigo ou texto de conte- mente as obras de Machado de Assis e de outros údo ficcional. o importante é que você mostre o autores nacionais, ou ainda ter acesso às melhores seu ponto de vista sobre o mundo. envie para o historinhas infantis de todos os tempos. Um lugar e-mail galera@doquintal.com.br ou para o ende- que lhe mostrasse as grandes pinturas de leonar- reço: Rua Professor Ignácio Alves de Souza filho, do Da Vinci. onde você pudesse escutar (de gra- 343, CeP 82110-450, Coluna letras & Garran- ça) músicas em MP3 de alta qualidade... Pois esse chos. lugar existe! Só que está ameaçado de extinção. e fique ligado no nosso site, que em breve di- trata-se do site www.dominiopublico.gov.br do vulgaremos um concurso de redação com inscri- Ministério da educação, que está prestes a tirá-lo ções gratuitas e premiação em livros. boa escrita! do ar por falta de uso.
    • Curitiba, 25 de agosto a 25 de setembro de 2010 Do Quintal » 15 eSPorTeLevi, a enciclopédia do futebolDouglas de Souza Fernandes dos com meticuloso cuidado, os dados são pinçados de seu exten- Há 57 anos, ele não perdeP aixão pelo futebol é o que so arquivo com rapidez invejável. um lance do futebol paranaense move o jornalista levi Mul- Seja o campeão de 1965, o resul- Fotos: Marco André Lima/Equipe Do Quintal ford. Mas não essa paixão tado do último jogo de 1977 oucomum que é uma das caracterís- quem marcou os gols da primeiraticas de 9 e meio em cada dez bra- partida do campeonato de 1985.sileiros. os times profissionais ele Parte de seu monumental acer-acompanha de longe, sem grande vo, o torcedor coxa levi usou paraentusiasmo. Seu foco é o futebol escrever junto com o amigo atle-que ainda traz as marcas de um ticano Heriberto Ivan Machado,passado remoto, em que ser jo- o livro futebol do Paraná – 100gador nem era considerado pro- Anos de História, obra lançadafissão e jogava-se exclusivamente em 2005 e que vem sendo reedita-pelo prazer do jogo. Como ele o da. em 908 páginas, o livro contafez desde o final da década de 40, desde os primeiros contatos doscomo ponta-direita de vários clu- paranaenses com o “rude esportebes amadores da capital, até o iní- bretão”, no longínquo 1903, até ascio dos anos 70. Não bastasse isso, últimas campanhas dos grandes ti-ainda juvenil, começou sua carrei- mes da capital. o que mostra quera de jornalista esportivo tornan- o seu banco de dados não se limitado-se o maior cronista do futebol ao que usa no seu dia-a-dia profis-suburbano de Curitiba. sional. Hoje, aos 81 anos, continua » Sem parar O jovem Levi quandocom o entusiasmo do garoto que e esse oceano de informações atuava como ponta-direita.dava os primeiros chutes no juve- não para de crescer. Diariamentenil do extinto Palestra Itália. e, res- é alimentado por novas informa-salve-se, os petardos nunca foram ções, que vão se juntar às milha-dirigidos a um adversário, sempre res de pastas e volumes que co-à bola. tanto que em 1947, jogan- loca nas dezenas de estantes quedo pelo juvenil do Coritiba – que mantém numa ampla sala de suase sagraria campeão do ano – o casa na pacata rua elias Zaruch nogaroto levi recebeu o prêmio bel- Vista Alegre, onde mora desde os Levi com a obra que fez com Heribertofort Duarte, dado aos jogadores anos 80. Machado:que eram exemplo de disciplina Casado há 43 anos com edite registro históricoe respeito aos demais. Na tempo- lúcia, com quem teve três filhos do futebol.rada não recebera nenhum cartão (lizandro, lúcio e eunice) e cin- “ou fora advertido pelo juiz. co netos (Ralf, Amanda, luma, essa mesma disciplina ele sem- Marina e Victor), levi não dá Quem acompanha os jogos do São Paulo, sabe que o goleiropre carregou em sua vida profis- mostras de cansaço. Pelo contrá- Rogério Ceni é a peça principal, a estrela do time. Defende bem esional, desde que começou como rio, lembrando o ponta-direita doscolaborador do saudoso Diário velhos tempos, ele está em pleno Que Rogério marca muitos gols. Há 40 anos, um outro jogador, com as mesmas características, também fez história, só que dessa vez no extinto fla-esportivo, em 1953. três anos de-pois participaria da primeira equi- pique para novas jogadas. Além da coluna diária na tribuna, ele man- Ceni, que mengo do bom Retiro, o “Gavião da Suburbana”.pe do jornal tribuna do Paraná, tém atualizado o seu acervo. foi nada!!!” Ambos, goleadores natos e defensores eficientes. Mas em posi- ções trocadas. Ao contrário de Ceni, Arnaldo Moro era um centro-onde permanece até hoje como também com base em seu vasto -avante goleador que quando tinha que substituir o goleiro, “fechava”titular da Suburbana. Metódico, acervo que escreveu trieste – o o gol. Nascido em 1927, ele passou pelos principais times suburba-detalhista, ele elaborou todas as Campeoníssimo da Suburbana, nos da capital e pelos amadores do britânia, Coritiba e Atlético.fichas técnicas de todos os jogos livro lançado em 2006. Mais um Quem esteve no campo do operário do Ahú, no dia 2 de feve-de todos os campeonatos da su- lance da vida deste apaixonado reiro de 1958 pôde conferir a polivalência de Moro, que neste diaburbana desde então. Cataloga- por futebol. desempenhou as duas funções brilhantemente. teve uma atuação O goleiro Moro com colegas do Flamengo do Bom Retiro nos anos 50. histórica. levi Mulfford, jornalista de a tribuna do Paraná, foi um dos que presenciaram a inspirada atuação do centro-avante do rubro-negro bom retirense. era o torneio Início do campeonato suburbano daquele ano. Como mandava a regra, todos os times – neste ano, 20 - jogavam entre si num processo eliminatório durante todo o dia. Problemas de última hora deixaram o flamengo sem o goleiro titular. Moro era um centro avante-goleador – como lembra levi – mas foi o escolhido para defender o gol rubro-negro, pois já mos- trara habilidade como “guarda-metas”. o primeiro adversário foi o bacacheri. Num jogo equilibrado, o placar de zero a zero no final. Havendo empate, ia-se para os pênaltis. foi a partir daí que o ta- lento de Moro começou a se revelar. É que nessa época – explica o jornalista da tribuna – era só um jogador que batia para cada time, diferindo da regra atual que determina que cada jogador só pode bater um pênalti. batedor oficial do time, Moro fez nove dos nove pênaltis que chutou e, como ainda defendeu duas cobranças, levou sozinho o time para o segundo jogo. em seguida, contra o trieste, foi um a zero no tempo normal. e aí começou uma série de vitórias nos pênaltis. Contra o Vasco tam- bém ficou 9 a 8. Já contra o Ipiranga, não foi necessário usar a série de 10 batidas e o flamengo venceu por 5 a 3. A partida final, contra o operário das Mercês, foi a mais equilibrada, com o “Gavião da Suburbana” levantando a taça após o placar de 5 a 4. ou seja, além de defender cinco pênaltis, Moro marcou todos os 28 que bateu na- quele dia. e o 2 de fevereiro de 1958 ficou marcado como o dia em que um jogador foi o melhor time do torneio. (DSF)
    • Curitiba, 25 de agosto a 25 de setembro de 2010» 16 Do QuintalParqueS Marco André Lima/Do QuintalUm abraço ecológicoFesta do São Lourenço lembra que foi ali quecomeçou um exemplo de gestão ambientalOs moradores do Parque São Lourenço numa manhã de final de inveno. DSF/Do QuintalÂngela RibeiroM ilhares de pessoas par- mil metros quadrados, surgiu, en- As Patrulhas são grupos de volun- ticiparam da 11ª edição tão, com as obras de contenção de tários de associações de morado- da tradicional festa do cheias e de recuperação da área. res, escolas, empresas, indústriasSão lourenço, de 3 a 5 de setem- Nas instalações da antiga fábrica e clubes de serviço que cuidam debro. Como nos anos anteriores, o funciona hoje o Centro de Criati- um trecho de rio. todos são cha-ponto alto foi o abraço ao lago do vidade de Curitiba. mados a participar, num processo A cachoeira pode ser uma das opções para a prática do rapel.parque São lourenço, reunindo o rio belém, que nasce a cer- de parceria. Vista Alegremoradores da região, crianças e ca de oito km acima do parque e o projeto envolve hoje, 253professores, num gesto simbólic o corta Curitiba de norte a sul, per- parceiros e se tornou um modelode proteção ao lago. A organização correndo, de sua nascente à foz, 35 de gestão ambiental para outras ci- terá primeiroda festa é da Associação dos Mora- bairros da cidade, vem passando dades, estados e países. todos sãodores e Amigos do São lourenço por um processo de revitalização. interligados por uma rede de co-(Ama), que também comemora a o projeto de recuperação, que teve municação on line, a Rede Comu- “parque radical”consolidação do projeto de recu- início em 2001, surgiu como uma nitária de Gestão Ambiental. Paraperação do Rio belém, que abaste- necessidade apontada numa pes- se ter uma idéia, o portal da AMAce o lago, como modelo de gestão quisa realizada nos 11 bairros do reúne um total de 679 páginas deambiental. entorno do bairro São lourenço. da cidade projetos e informações voltadas, Inaugurado em 1972, o Par- Diante da dimensão do rio, a AMA sobretudo, para o meio ambienteque São lourenço foi criado após criou o projeto “Patrulha Ambien- e a cidadania.uma enchente do rio belém, em tal” para cuidar do meio ambiente A rede virtual é formada por1970, que causou o rompimento e do rio. quatro blocos: o primeiro envolve Mais uma pedreira desativa- um projeto que contemple a in-da represa de São lourenço, para- o projeto funciona da seguinte os órgãos públicos municipais; o da vai virar parque em Curiti- teração do visitante com o meio.lisando um curtume e a fabrica de maneira: cada trecho de 100 a 150 segundo, as instituições públicas ba. o Parque Vista Alegre está A intenção é aproveitar as ca-cola que funcionavam no local. o metros do rio fica sob responsabi- estaduais; o terceiro é composto sendo projetado, segundo a Pre- racteríscas da área, como os pa-Parque, que tem uma área de 204 lidade de uma Patrulha Ambiental. pelas instituições de ensino supe- feitura, para ser não só um local redões de pedra para a prática de rior e o quarto bloco reúne institui- de visitação como para a prática esportes radicais como o rapel.Marco André Lima/Do Quintal ções do 3º setor, tais como oNGs, de alguns esportes radicais. o outra opção é o chamado arbo- institutos etc. Segundo Cesar Paes bosque que vai virar parque fica rismo, onde o praticamente sobe leme, presidente da AMA, o pro- entre as ruas Gardênio Scorzato em plataformas instaladas no alto jeto se tornou uma referência não e luiz leduc, onde funciona- de uma árvore e dali percorre tri- só para cidades e estados, como va uma das pedreiras da família lhas suspensas por cabos de aço para outros países, sobretudo, por Greca. A área tem cerca de 100 ligados a outras árvores. acionar a sociedade civil organiza- mil metros quadrados de mata Ainda não há previsão para o da para atuar na recuperação e pre- nativa, um curso de água lím- início das obras, mas pretende- servação do meio ambiente. pida e uma simpática cachoei- -se que seja no primeiro semes- ra. Segundo o prefeito, luciano tre de 2011. Segundo a Prefei- Ducci, que esteve no local no tura, toda a área a ser utilizada final de junho, a obra será inclu- já esta legalizada, não havendo ída no orçamento para 2011. ele necessidade de desapropriações O abraço ao lago do São disse ter determinado à equipe dos terrenos que margeiam o Lourenço: gesto carinhoso do Meio Ambiente que elabore bosque. (DSF) de proteção ao meio ambiente.