Pra onde vai a igreja professor heber

1,161 views
1,020 views

Published on

Published in: Spiritual
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,161
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
235
Actions
Shares
0
Downloads
21
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • São Frei Galvão, João Paulo II, Santa Paulina, Madre Teresa de Calcutá, Dom Ávila, Irmã Dulce
  • Pra onde vai a igreja professor heber

    1. 1. A IGREJA DE JESUS NO SÉCULO XXI
    2. 2. Para onde vai essa Igreja?
    3. 3. Os membros da Igreja: Clérigos, Religiosos e Leigos <ul><li>“ Corpo Místico de Cristo”: Cristo a cabeça, nós os membros. </li></ul><ul><li>Membros: todos os batizados são inseridos no Corpo Místico de Cristo, a Igreja. </li></ul><ul><li>Igualdade: na filiação e na dignidade. </li></ul><ul><li>Diferença: nas funções. </li></ul>
    4. 4. Clérigos: Bispos, Sacerdotes e Diáconos <ul><li>Papa, Arcebispo, Cardeal e Monsenhor: são títulos. </li></ul><ul><ul><li>Papa : Bispo de Roma e sucessor de Pedro. </li></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Infalibilidade do Papa (Fé, doutrina e moral). </li></ul></ul></ul></ul><ul><li>Bispos : Sucessores dos Apóstolos. São os mestres da fé. </li></ul><ul><li>Sacerdotes ( ou Presbíteros ou Padres): Educadores do Povo de Deus, pregam a Palavra de Deus e ministram os Sacramentos. </li></ul><ul><li>Diáconos : Proclamam o Evangelho, ensinam a Fé aos fiéis, ajudam nos serviços do altar e exercem a caridade com todos. </li></ul>
    5. 5. Os personagens da Igreja
    6. 6. RELIGIOSOS <ul><li>Homens e mulheres que vivem em comunidade e fazem votos de pobreza, castidade e obediência (Ex.: Carmelitas, Franciscanos, Beneditinos, Dominicanos, Jesuítas e outros). </li></ul><ul><li>Consagram suas vidas a Deus. </li></ul><ul><li>Sinais vivos de total disponibilidade para Deus e para a Igreja. </li></ul>
    7. 7. LEIGOS <ul><li>Totalidade dos fiéis cristãos, excetuados os clérigos e religiosos. </li></ul><ul><li>Missão na Igreja: com nosso exemplo de vida, evangelizar o mundo da política, da realidade social, da economia, da cultura, da saúde, do esporte, dos ambiente de lazer e profissional, das ciências e, em especial, das famílias. </li></ul>
    8. 8. Igreja: una, santa, católica, apostólica e romana. <ul><li>UNA (Catecismo da Igreja nºs. 866 e 813): </li></ul><ul><ul><li>Um só Senhor: Seu fundador. </li></ul></ul><ul><ul><li>Uma só Fé. </li></ul></ul><ul><ul><li>Um só Corpo (Cristo a cabeça, nós os membros). </li></ul></ul><ul><ul><li>Uma só alma: o Espírito Santo. </li></ul></ul><ul><ul><li>Uma esperança: superação das divisões. “ Tenho ainda outras ovelhas que não são deste aprisco, e é preciso que eu as traga. Elas ouvirão a minha voz e haverá um só pastor e um só rebanho”. (Jo10,16) </li></ul></ul>
    9. 9. IGREJA SANTA E PECADORA <ul><li>SANTA: </li></ul><ul><ul><li>seu fundador (Jesus Cristo); </li></ul></ul><ul><ul><li>finalidade: glória de Deus e santificação dos homens; </li></ul></ul><ul><ul><li>nos seus meios: os Sacramentos; </li></ul></ul><ul><ul><li>sua doutrina: observância dos seus preceitos, com a constante assistência do Espírito Santo; </li></ul></ul><ul><ul><li>seus membros: quando estamos em sintonia com a Graça Divina. </li></ul></ul><ul><li>PECADORA : quando seus membros, não observam o programa que Jesus elaborou para seus seguidores (As bem aventuranças). </li></ul>
    10. 10. IGREJA CATÓLICA <ul><li>Católico: em grego significa TUDO . </li></ul><ul><li>Universal: em latim também significa TUDO . </li></ul><ul><li>Católica e Universal: fundada para salvar todos os homens, em toda a Terra. </li></ul><ul><li>Existe todo o tempo , desde sua fundação, até hoje. </li></ul><ul><li>Um bilhão de católicos em todo o mundo. </li></ul>
    11. 11. IGREJA APOSTÓLICA <ul><li>Governada pelos sucessores de Pedro (Papa) e dos Apóstolos (Bispos). </li></ul><ul><li>“ Ide, ensinai todos os povos” (Mt 28,19). “Vós sereis testemunhas de mim em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da Terra” (At 1,8). </li></ul>
    12. 12. ROMANA Característica histórica: Pedro (primeiro Papa), Bispo de Roma, ali morreu. Seus sucessores continuam morando em Roma e de lá continuam dirigindo a Igreja .
    13. 13. Dimensões Universal , Diocesana e Paroquial da Igreja <ul><li>Universal (Católica) : dirigida pelo Papa (Bispo de Roma e sucessor de Pedro). </li></ul><ul><li>Diocesana : dirigida por Bispos (sucessores dos Apóstolos, nomeados pelo Papa). União de diversas Paróquias. </li></ul><ul><li>Paroquial : dirigida pelo Sacerdote (em sintonia com a comunidade, em unidade com o seu Bispo e com o Papa). Divide-se em: </li></ul><ul><ul><li>Igreja ou comunidade de base : a união de diversas famílias católicas numa localidade (Capela). </li></ul></ul><ul><ul><li>Igreja doméstica : a família. </li></ul></ul>
    14. 14. Uma lição importante: CONSCIÊNCIA ECLESIAL: A UNIDADE NO CORPO MÍSTICO DE CRISTO “ [...]nem a cabeça pode dizer aos pés: não preciso de vocês”. (1 Cor 12,21)
    15. 15. DIVISÕES INTERNAS NA IGREJA <ul><li>Unidade na diversidade de idéias e dons de cada cristão. </li></ul><ul><li>Estar atentos: o que Deus quer de nós ? </li></ul><ul><li>Obediência (sem subserviência) a ‘Pedro’. </li></ul><ul><li>Vida de Igreja: horas do Cristo Crucificado e horas do Cristo glorificado. </li></ul><ul><li>Dificuldade em aceitar a Palavra da Igreja. </li></ul><ul><li>Correção fraterna (“Humildade é a verdade” – Sta. Teresa de Ávila). </li></ul>
    16. 16. O CHAMADO À SANTIDADE <ul><li>“ Sede perfeitos, como vosso Pai celeste é perfeito”. (1 Ef 1,15-16) </li></ul><ul><li>Ser santo : fazer de forma bem feita os atos comuns do dia a dia. </li></ul><ul><li>Quedas e crises: surgem para que cresçamos e superemos o que nos atormenta. </li></ul><ul><li>“ Santômetro ”: qual o ato de minha vida onde não coube a presença de Jesus? </li></ul>
    17. 17. SANTOS DE ONTEM Santa Teresa de Ávila, Santa Catarina de Sena, Santa Clara de Assis, Santo Antônio e outros
    18. 18. SANTOS DE HOJE
    19. 19. S ant os anônimos de hoje ESTOU ENTRE ELES?
    20. 20. Um desafio grande! RELAÇÃO COM OUTRAS IGREJAS CRISTÃS <ul><li>Ecumenismo : não é unificação das religiões cristãs, mas respeito mútuo e convivência fraterna. </li></ul><ul><li>Forma de convivência com os “irmãos separados”: </li></ul><ul><ul><li>Irmãos, mas separados (condenação e preconceito). </li></ul></ul><ul><ul><li>Separados, mas irmãos (acolhimento e misericórdia). </li></ul></ul>
    21. 21. DESAFIOS E INQUIETETAÇÕES PARA A MISSÃO MAIOR DA IGREJA: COMO EVANGELIZAR HOJE ?
    22. 22. Por quê e como evangelizar ? <ul><li>“ Anunciar o Evangelho, não é glória para mim; é uma obrigação que se me impõe. Ai de mim, se eu não anunciar o Evangelho”. (1 Cor 9-16) </li></ul><ul><li>Dever de cada católico: Evangelizar com o exemplo de vida (família, trabalho e sociedade). </li></ul><ul><li>Dever de toda a Igreja: Evangelizar observando a diversidade cultural de cada povo, os valores da sociedade pós-moderna e as novas angústias e anseios da humanidade. </li></ul><ul><li>Como será que Jesus evangelizaria hoje? </li></ul>
    23. 23. Batizados afastados da Igreja Católica <ul><li>Mais de dois terços dos batizados estão afastados da Igreja Católica. </li></ul><ul><li>Pesquisa IBGE/2003: </li></ul><ul><ul><li>Nos últimos anos o número de católicos no Brasil decresceu 20%. </li></ul></ul><ul><ul><li>Hoje os católicos representam 73,8% da população brasileira. </li></ul></ul><ul><ul><li>Conclusão da pesquisa: sérios problemas de sintonia e identificação entre a hierarquia da Igreja (Bispos e Padres) e os católicos afastados. </li></ul></ul><ul><li>Necessidade de reflexão madura, isenta, fraterna e sem autoritarismo, para se encontrar os melhores caminhos de volta. </li></ul>
    24. 24. MAIOR INVESTIMENTO NA FORMAÇÃO DE LEIGOS <ul><li>Necessidade de estudo da Fé e da Igreja. </li></ul><ul><ul><ul><li>Desconhecimento da doutrina e História da Igreja. </li></ul></ul></ul><ul><li>Deficiência na formação dos leigos: multidão de adultos infantis na Fé. </li></ul><ul><ul><ul><li>Ausência de Cursos Bíblicos. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Formação apenas até o Catecismo. </li></ul></ul></ul><ul><li>Ausência de formação: vinculação com Deus muito mais pela culpa que pelo amor. </li></ul><ul><li>Nanismo espiritual. </li></ul>
    25. 25. Parábola do semeador (Mt 13): sementes que não germinam. <ul><li>Por quê a semente (evangelização) jogada ao solo não germina ? </li></ul><ul><ul><li>Solo pedregoso e com espinhos, sempre ? </li></ul></ul><ul><ul><li>Solo mal preparado, sem adubo e tratamento próprio ? </li></ul></ul><ul><ul><li>Semente de boa ou má qualidade ? </li></ul></ul><ul><ul><li>Sou espinho que não permite a semente germinar ? </li></ul></ul><ul><ul><li>Que papel desempenharei na Igreja ? </li></ul></ul>
    26. 26. Evangelizar com misericórdia <ul><li>Misericórdia : </li></ul><ul><ul><li>caridade no mais alto grau; perdão; solidariedade, serviço. </li></ul></ul><ul><ul><li>exclusão do pecado, mas inclusão do pecador na Igreja. </li></ul></ul><ul><ul><li>não é conivência com o pecado, mas a recuperação do pecador, mediante a correção fraterna. </li></ul></ul><ul><li>Igreja misericordiosa: é a que acolhe e recupera e não a que condena e exclui. </li></ul>
    27. 27. A MEDICINA DA MISERICÓRDIA <ul><li>Papa João XXIII: a Igreja deve “usar a medicina da misericórdia” e ajudar o mundo “mostrando a validade de sua doutrina, ao invés de renovar condenações”. </li></ul><ul><li>É dever da Igreja analisar os sinais dos tempos à luz do Evangelho de seu fundador. </li></ul><ul><li>A Igreja deve ser MÃE seguindo o exemplo de Maria. </li></ul><ul><li>“ Salve Rainha, mãe da misericórdia ” ! </li></ul><ul><li>“ Cristo é teimoso: insiste em nos amar !” (Monsenhor Marconi Ferreira). </li></ul>
    28. 28. A certeza de que a Igreja Católica é a Igreja de Jesus Cristo. <ul><ul><li>Presença viva de Jesus na Eucaristia. </li></ul></ul><ul><ul><li>Assistência direta do Espírito Santo. </li></ul></ul><ul><ul><li>Interseção constante de Maria (Estrela da Evangelização). </li></ul></ul><ul><ul><li>Grandes erros, mas realizações ainda maiores no curso da História; </li></ul></ul><ul><ul><li>Esta Igreja é uma só: a que foi edificada sobre Pedro e a que Jesus chamou de “Minha Igreja” , e afirmou que “...as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mt 16,18). </li></ul></ul>
    29. 29. Dimensão universal da Missão como utopia num mundo globalizado Desafios, caminhos e horizontes para o anúncio do Evangelho
    30. 30. Globalização <ul><li>Processo de mudança planetária de todas as sociedades </li></ul><ul><li>É um processo de mudanças irreversíveis e acelerado </li></ul><ul><li>A Igreja, como parte da sociedade humana, participa dessas mudanças em todos os lugares d mundo </li></ul><ul><li>É um sinal dos tempos </li></ul>
    31. 31. Observar as mudanças <ul><li>Na vida cotidiana (comer, vestir-se, locomover-se) </li></ul><ul><li>Na economia </li></ul><ul><li>Na política </li></ul><ul><li>Na religião </li></ul><ul><li>Na comunicação e relações </li></ul><ul><li>Na cultura: valores e comportamentos </li></ul><ul><li>Nas ciências e tecnologias </li></ul>
    32. 32. Características centrais das mudanças socio-culturais <ul><li>Culturas tradicionais: </li></ul><ul><ul><li>- Culturas rurais e indígenas </li></ul></ul><ul><ul><li>- Culturas afro-brasileiras </li></ul></ul><ul><ul><li>- Culturas urbanas dos pequenos centros </li></ul></ul><ul><ul><li>- Culturas urbanas locais de longa tradição histórica </li></ul></ul><ul><ul><li>- Culturas de imigração ou das colônias </li></ul></ul><ul><ul><li>- Arquitetura, festas, músicas e danças, comida </li></ul></ul><ul><ul><li>Família e religiosidade popular </li></ul></ul>
    33. 33. Matriz cultural da tradição <ul><li>Orientação solidária e comunitária </li></ul><ul><li>Abertura ao transcendente </li></ul><ul><li>Unidade e destino comum do Continente </li></ul><ul><li>Cultura religiosa predominantemente católica </li></ul>
    34. 34. Globalização e fragmentação da realidade <ul><li>Experiência da vida social confusa e complexa </li></ul><ul><li>Informação insuficiente para compreender a realidade: costumes, estilos de vida, valores, escolhas. </li></ul><ul><li>Enfraquecem os eixos tradicionais que davam sentido à vida individual e das comunidades </li></ul><ul><li>Em muitos ambientes esses eixos tradicionais de sentido já desapareceram </li></ul>
    35. 35. Realidades em crise <ul><li>A família </li></ul><ul><li>As instituições educativas </li></ul><ul><li>As formas de participação cidadã </li></ul><ul><li>A segurança pública </li></ul><ul><li>As relações Igreja – Estado </li></ul><ul><li>A experiência e práticas religiosas. </li></ul>
    36. 36. Interesse individual e princípio do prazer <ul><li>Interesse individual acima da solidariedade </li></ul><ul><li>Ganância econômica </li></ul><ul><li>Poder econômico, político e cultural </li></ul><ul><li>Lucro e acumulação a qualquer custo </li></ul><ul><li>Monopólios </li></ul><ul><li>Exploração dos trabalhadores </li></ul><ul><li>Governos e corrupção </li></ul><ul><li>Criminalidade organizada </li></ul>
    37. 37. Meios de comunicação social <ul><li>Prazer e satisfação individual – Hedonismo </li></ul><ul><li>Prazer a curto prazo </li></ul><ul><li>Prazeres sexuais livres e de preferência </li></ul><ul><li>Prazeres lúdicos (esportes de alto risco) </li></ul><ul><li>Drogas </li></ul><ul><li>Bebidas </li></ul><ul><li>Aborto </li></ul><ul><li>Violência </li></ul>
    38. 38. Colonialismo cultural e intolerância religiosa <ul><li>Uma nova cultura destrói a antiga: </li></ul><ul><ul><li>Individualismo e interesse pessoal </li></ul></ul><ul><ul><li>Educação dos filhos </li></ul></ul><ul><ul><li>Sexualidade </li></ul></ul><ul><ul><li>Namoro </li></ul></ul><ul><ul><li>Matrimônio </li></ul></ul><ul><ul><li>Pertença religiosa </li></ul></ul><ul><ul><li>Laicismo e intolerância religiosa </li></ul></ul>
    39. 39. Implicações econômicas da cultura do individualismo <ul><li>Maximização do lucro </li></ul><ul><li>Monopólios das multinacionais </li></ul><ul><li>O livre mercado favorece os mais fortes </li></ul><ul><li>Exploração dos países pobres </li></ul><ul><li>Exploração do trabalho: infantil, escravo... </li></ul><ul><li>Agronegócio </li></ul><ul><li>Migrações massivas </li></ul><ul><li>Tecnologia e desemprego </li></ul>
    40. 40. Os rostos da exclusão social <ul><li>Analfabetos </li></ul><ul><li>Não capacitados para o trabalho </li></ul><ul><li>Dificuldade de acesso a uma educação de qualidade </li></ul><ul><li>Comunidades inteiras excluídas </li></ul><ul><li>Indígenas </li></ul><ul><li>Migrantes </li></ul><ul><li>Jovens </li></ul>
    41. 41. Aspectos problemáticos das culturas tradicionais <ul><li>Patriarcalismo </li></ul><ul><li>Machismo </li></ul><ul><li>Poder e violência sobre filhos e mulheres </li></ul><ul><li>Magia, astrologia, adivinhos </li></ul><ul><li>Fanatismo </li></ul><ul><li>Fundamentalismo </li></ul>
    42. 42. Aspectos positivos das novas culturas <ul><li>Autodeterminação e escolha pessoal </li></ul><ul><li>Concepção positiva da dignidade humana </li></ul><ul><li>Valor e reivindicação dos direitos </li></ul><ul><li>Crítica a qualquer domínio e abuso </li></ul><ul><li>Critica a qualquer discriminação </li></ul><ul><li>Reconhecimento da dignidade da mulher </li></ul><ul><li>Exigências de transparência </li></ul><ul><li>Denúncia da corrupção </li></ul><ul><li>Ênfase na democracia </li></ul><ul><li>Liberdade de opinião </li></ul>
    43. 43. Problemática religiosa <ul><li>Religião subjetiva </li></ul><ul><li>Religião utilitarista e da prosperidade </li></ul><ul><li>Religião do espetáculo, estética e da não responsabilidade </li></ul><ul><li>Proselitismo e intolerância </li></ul><ul><li>Transito religioso </li></ul><ul><li>Comunidades autônomas </li></ul><ul><li>Fundamentalismo e integralismo </li></ul><ul><li>Abandono das práticas religiosas </li></ul>
    44. 44. A Igreja no mundo moderno <ul><li>A Igreja vive em contextos históricos </li></ul><ul><li>Necessidade de renovação eclesial: </li></ul><ul><ul><li>Reformas espirituais </li></ul></ul><ul><ul><li>Reformas pastorais </li></ul></ul><ul><ul><li>Reformas missionárias </li></ul></ul><ul><ul><li>Reformas institucionais </li></ul></ul>
    45. 45. É preciso aceitar e compreender todos esses desafios dos sinais dos tempos e começar a intuir pra onde vai nossa Igreja? Pra onde estamos seguindo?

    ×