• Like
  • Save
A Última noite do Cinema
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

A Última noite do Cinema

on

  • 991 views

 

Statistics

Views

Total Views
991
Views on SlideShare
991
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    A Última noite do Cinema A Última noite do Cinema Document Transcript

    • A Última Noite do Cinema De Tiago Lopes
    • EXT. EXTERIOR DO CINEMA. NOITEAvançamos de frente para a entrada do cinema, algumaspessoas, nenhuma delas jovem, saem para o exterior. OSCARestá de costas para nós e retira um cartaz da parede,acompanhamo-lo quando este passa para o interior.INT. CORREDOR. NOITESeguimos com ele enquanto avança pelo hall e pelo corredorcom as paredes cobertas de posters de velhos filmes. OSCARpára e foca a sua atenção no poster do filme "Sunrise" deMurnau, nós prosseguimos até estar completamente escuro.INT. SALA DE PROJECÇÃO. NOITEContinuamos a avançar, passamos por máquinas e prateleirasvazias e CARLOS que está ao fundo ao lado de um projectorvai estando mais próximo.Ao passar um pano por um rolo de película ele olha peloburaco do projector para a sala de cinema onde LILIANA estáa limpar. O olhar de CARLOS é curioso e atento mas volta acolocar as atenções na película. Não dura muito até queespreite de novo pelo buraco, desta vez sorri, coloca o rolono projector e prepara-o.CARLOS hesita em carregar no botão e quando o decide fazer asua atenção é desviada para OSCAR que entra com o cartaz nasmãos e o coloca virado para baixo na secretária ao lado deCARLOS.CARLOS observa-o, não está contente, OSCAR pelo contrárioolha-o muito sereno e com um leve sorriso. OSCAR Este é o fim do meu turno, eu... (passa os olhos pelas prateleiras vazias) Parece-me que está tudo no lugar. CARLOS É cada vez mais difícil pensar nele OSCAR. Sem as luzes, sem a tua música. Não consigo vê-lo de outra forma. OSCAR E quem consegue? Eu acho que ninguém o vê de maneira igual. Tem algo de curioso este cinema. (CONTINUED)
    • CONTINUED: 2. CARLOS Mas está acabado... OSCAR Acabado? O filme não acaba até a bobine parar de rodar.OSCAR coloca o dedo no botão do projector. OSCAR (reflectivo) Há tanta coisa que pode acontecer nesse tempo...O dedo de OSCAR pressiona o botão que liga o projector.CARLOS tenta responder mas hesita quando OSCAR lhe passa amão pelo ombro e se afasta num andar velho, apoiado por umabengala. CARLOS olha pelo buraco, a luz foca em LILIANA. Elevira o cartaz, olha-o e deixa-o deslizar até cair no chãoantes de sair. É-nos revelado que lá está escrito "ÚltimaSessão".INT. SALA DE CINEMA. NOITECARLOS fecha a porta atrás de si e começa a limpar oslugares mas não consegue desviar a atenção de LILIANA queestá perto do ecrã. O olhar dele é apaixonado, CARLOStenta-se focar no seu trabalho mas não consegue.LILIANA não olha para CARLOS, a boca dele abre-se mas nadasai, ele suspira e volta limpar. À medida que passa de lugarem lugar o barulho do projector acentua-se. CARLOS (olha para o projector) Gostava de saber que filme está na película mas não tive tempo para...LILIANA pára de varrer e fica imóvel a olhar para o ecrãonde ainda nada se passa. CARLOS (surpreso, em desabafo) ... escolher algo especial.CARLOS fica motivado, larga o pano e desce as escadas compequenos mas rápidos passos. Os seus lábios estão secos eLILIANA não reage à presença dele.CARLOS aproxima-se dela.LILIANA olha-o pela primeira vez, ele sorri nervoso eaproxima-se ainda mais. (CONTINUED)
    • CONTINUED: 3. CARLOS É estranho sabes? Como nestes filmes não precisamos de ouvir dizer uma palavra para perceber o que querem dizer.LILIANA parece crer reagir, CARLOS entusiasma-se. A tensãocresce tão rápido como rapidamente desaparece quando sehouve um sopro ao fundo que desvia a atenção dela. CARLOSolha para trás confuso e a porta da sala abre-se sozinha.No ecrã começam créditos de um filme. LILIANA está calma,CARLOS afasta-se do ecrã e observa-o, ao fundo começa-se aouvir algo. CARLOS Não me lembro de ter visto este filme antes... LILIANA Um filme é sempre um filme.O ruído ao fundo aumenta, CARLOS e LILIANA olham para aporta. Algumas luzes nas paredes começam-se a acender,outras fraquejam. Faz-se silêncio até se ouvirem os passosde GEORGES, vestido de smoking e cartola cuja silhuetaaparece à entrada. CARLOS tenta ver melhor quem é, nãoconsegue. GEORGES bate com a bengala no chão. GEORGES (calmo) Esta festa tem de começar.No ecrã aparece a sala de cinema vazia. GEORGES dá um passoem frente revelando a cor vermelha da sua roupa, atrás de siaparecem mais silhuetas de pessoas com instrumentos. CARLOSolha curioso. GEORGES (de forma teatral) E é por aqui que vamos começar!Os olhos de CARLOS encandeiam-se quando inúmeras luzes seligam em simultâneo. A banda começa a tocar por trás deGEORGES enquanto o segue. CARLOS olha para o ecrã: a salatem agora famílias, palhaços com balões, homens com cavalosde carrossel nas mãos a dançarem, cowboys e soldados. Quandoolha de novo para a sala em si grande parte das pessoas noecrã também ali estão, como se fosse a mesma festa em ambosos sítios. GEORGES está em cima de uma caixa de bengala noar. (CONTINUED)
    • CONTINUED: 4. GEORGES Isto é um clássico em construção! E mais belo que construir um clássico é vivê-lo! Não se acanhem, é para isso que aqui estamos!Algumas raparigas passam por LILIANA e tocam o seu vestidocom gargalhadas tímidas. CARLOS curioso vira-se para ela. CARLOS Vem comigo!LILIANA é levada por CARLOS. Quando avançam pelas pessoasCARLOS apercebe-se que estão três homens a segui-losdirectamente atrás, um vestido de Charlie Chaplin, outro deBuster Keaton e outro de Harold LLoyd. Quando CARLOS pára eolha eles também param e ficam a olhar para ele porsegundos, depois tiram as suas fedoras em simultâneo ecumprimentam-no.Ele vira-se de novo quando LILIANA lhe agarra na mão,avançam até chegarem ao pé de GEORGES que está rodeado depessoas. GEORGES Eu consigo senti-lo! É magnifico! (para CARLOS) Carlos! CARLOS! Tu também o sentes? É reciproco este sentimento, este amor, esta magia. São estes os anos dourados do cinema!CARLOS tenta falar mas GEORGES aproxima-se. GEORGES O preto e branco, o silêncio. Eles absorvem-nos, têm de ser celebrados!GEORGES pega na sua bengala e entrega-a a CARLOS. Eleanalisa-a. CARLOS Têm de me dar cinco minutos, eu nem sei bem o que dizer... GEORGES Agora isso é um problema, cinco minutos ainda é película, não nos podemos dar ao luxo de a gastar. Quanto à fala... (dá uma gargalhada) Usamos intertítulos! (CONTINUED)
    • CONTINUED: 5.CARLOS olha para LILIANA e quando olha de novo em frentepara o ecrã de cinema vê a sua face lá projectada, como seestivesse a ser filmado.Aparece um intertítulo: "Este é o filme!"CARLOS agarra na bengala confiante e roda-a no ar uma vezlibertando estrelas brilhantes que se espalham e páram otempo por momentos. Quando volta a si olha para o ecrã ondea situação está projectada como num espelho de filme antigo.No entanto ao virar-se para LILIANA ela não está ao seulado. CARLOS olha de novo para o ecrã, LILIANA continua aoseu lado a sorrir.CARLOS está confuso. GEORGES aproxima-se. GEORGES Ele absorve-nos o cinema, é como se quisesse ser celebrado. CARLOS E eu quero fazê-lo! É o meu filme! GEORGES Mas é claro! Uma dança, precisamos de uma dança!GEORGES afasta-se e no ecrã começa uma enorme dança dentroda sala. CARLOS vê-se a ficar também sozinho no ecrã quandoum homem que parece ser Rudolph Valentino vestido detoureiro aparece e estende a mão para LILIANA. Ela agarra-ae o homem pisca o olho ao CARLOS fora do ecrã.Nesse instante ouve-se algo a soltar-se, o filme no ecrã vaia negro por alguns poucos frames e todas as pessoas olhamassustadas para o buraco do projector. No filme a decorreras mesmas pessoas, incluindo uma já extrovertida LILIANA,continuam a dançar como não fosse nada.CARLOS olha também para o projector, ele apercebe-se domesmo que o resto das pessoas ali: a película está a acabar.Enquanto todos voltam ao normal CARLOS dirige-se à portarapidamente mas mesmo antes de chegar GEORGES coloca-se àsua frente sorridente. GEORGES Coisa engraçada nos filmes, eles sempre chegam ao fim. CARLOS Estes filmes são a minha vida! Não há nada em que eu acredite mais! Esta é a minha história! (CONTINUED)
    • CONTINUED: 6.GEORGES coloca o braço nos ombros de CARLOS e vira-o para asala, para onde aponta a bengala.Nela vemos os três homens mascarados de Charlie, Buster eHarold a andarem em volta de uma menina de forma divertida.Um carrinho de bebé a descer sozinho e um cowboy a pára-lo ea entregá-lo a uma mulher de óculos.Perto do ecrã a dançar rodeada de pessoas está LILIANA. GEORGES Então parece que essa é a coisa engraçada sobre a vida, ela continua sempre depois do filme acabar!CARLOS olha para GEORGE, o filme continua intermitente masisso já não afecta ninguém. CARLOS avança para LILIANA, cadavez que o filme vai a negro ele está mais perto, dá-lhe asmãos, nós andamos à volta deles, ambos sorriem e GEORGEcontinua a dar indicações.O ambiente é fantástico, CARLOS e LILIANA movem-se eolham-se com intimidade.Agora a cada intermitência nós aproximamo-nos. CARLOS Não tenho a certeza do que dizer...LILIANA coloca um dedo em frente dos lábios e aproxima-se doouvido dele. LILIANA O cinema do silêncio é o nosso cinema.A face de CARLOS aproxima-se da de LILIANA, a festacontinua, a película vai terminar, os lábios de CARLOSavançam para os de LILIANA, é o momento, CARLOS fecha osolhos, a película termina. Ele abre os olhos, os doiscontinuam agarrados e ao fundo a porta da sala balança comose alguém tivesse acabado de sair por ela. LILIANA abraçaCARLOS e sai ela também.EXT. EXTERIOR DO CINEMA. MANHÃCARLOS abre uma velha porta e sai de lá desajeitadamente,por ele passam dois homens com cadeados, ele faz para nãoser visto. Avança mais um pouco mas quando se vira dá decaras com OSCAR que o olha sorridente. É-nos revelado queestão em frente do cinema. (CONTINUED)
    • CONTINUED: 7. OSCAR Ele tem algo este cinema, nós somos puxados a ele como hei-de dizer? Absorvidos...CARLOS olha para OSCAR intrigado.Vemos ambos de costas enquanto observam os dois homens afechar as portas a cadeado, começamo-nos a afastar. CARLOSestá de mãos nos bolsos, OSCAR apoiado na sua bengala edebaixo do seu casaco cai a ponta de um smoking vermelho.INT. CORREDOR. NOITENão se vê absolutamente nada, ouvimos algumas pancadas e umaporta é aberta abrindo um rasgo de luz para dentro dadivisão.Momentos depois CARLOS percorre o corredor, ao fundo a luzna sala passa pela porta, ele dirige-se a ela.INT. SALA DE CINEMA. NOITECARLOS entra, só se houve o barulho da película a correr.Ele repara surpreso que o filme a passar é da festa da noiteanterior e depois olha para LILIANA que está sentada numlugar no meio da sala e senta-se ao lado dela. CARLOS Eu estive a pensar, e se o que eu sinto for mais que um sonho?LILIANA olha para CARLOS.Nesse instante CARLOS repara que GEORGE também está sentadona sala tal como todas as pessoas da noite anterior. Elaspreenchem-na em silêncio, sorridentes. CARLOS observa-as,GEORGES pisca-lhe o olho e deixa-o a pensar por um momento.CARLOS olha surpreendido para LILIANA. Ele suspira, aceita oque ali se passou e encosta-se para ver o filme.O filme que está a passar no ecrã torna-se o que estamos aver, nele repete-se a cena da noite anterior, CARLOS eLILIANA aproximam-se mas a película não acaba,a festacontinua e os dois finalmente beijam-se.