Formas e estruturas geológicas
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Formas e estruturas geológicas

on

  • 1,201 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,201
Views on SlideShare
1,194
Embed Views
7

Actions

Likes
0
Downloads
1
Comments
0

1 Embed 7

http://profalexandregangorra.blogspot.com.br 7

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Formas e estruturas geológicas Formas e estruturas geológicas Document Transcript

  • FORMAS E ESTRUTURAS GEOLÓGICAS (O ESPAÇO DA GEOGRAFIA) http://profalexandregangorra.blogspot.com.br/ 01. (Unioeste PR/1999) ―O relevo, como um dos componentes do meio natural, apresenta uma diversidade enorme de tipos de formas. Essas formas, por mais que possam parecer estáticas e iguais, na realidade são dinâmicas e se manifestam ao longo do tempo e do espaço de modo diferenciado, em função das combinações e interferências múltiplas dos demais componentes do estrato geográfico.‖ (ROSS, Jurandyr L. S. Geomorfologia – ambiente e planejamento. São Paulo : Contexto, 1991). Considerando o enunciado acima sobre relevo, é correto afirmar: 01. Existe uma relação estreita entre tipos de formas do relevo com os solos e estes com a litologia e o tipo climático atuante. 02. A interpretação do relevo atual ocorre pela identificação e correlação das formas com os processos recentes e pretéritos, responsáveis por tais modelados. 04. É resultado da atuação de duas forças opostas – a endógena e a exógena – sendo que as primeiras são geradoras das grandes formas estruturais do relevo e as segundas são as responsáveis pelas formas esculturais. 08. As bacias sedimentares são formadas por espessos pacotes de magma solidificado, resultantes de sucessivos processos vulcânicos que ocorreram em diversas partes da Terra ao longo de milhões de anos. 16. No que se refere à esculturação do relevo nas áreas tropicais quentes e úmidas, a ação química da água e do calor tem importância decisiva nos processos de desgaste. 32. As formas do relevo brasileiro têm como mecanismo genético, de um lado, as formações litológicas antigas, e de outro, os processos mais recentes associados à movimentação das placas tectônicas e ao desgaste erosivo de climas anteriores. 02. (UFC/CE/2ª Fase/1999) As rochas sedimentares constituem uma das grandes classes de rochas existentes na crosta terrestre. Em relação à sua formação e identificação, indique: a) Como ocorrem os seus processos de formação. b) Três tipos de rochas sedimentares. 03. (UFSC SC/1998) A ilustração apresentada abaixo, permite afirmar CORRETAMENTE que: 01. As áreas localizadas no litoral não sofrem influência marítima no que diz respeito às condições climáticas. 02. A presença de uma área montanhosa próxima ao litoral explica a ocorrência de chuvas orográficas. 04. As setas indicativas da direção dos ventos, na ilustração, demonstram que eles sopram das áreas de alta pressão, localizadas sobre o mar, para o continente. 08. A área assinalada pela letra A, em razão da sua topografia, dispensa cuidados relativos à prevenção da erosão. 16. Os elementos presentes, na ilustração, caracterizam um ambiente natural propício ao desenvolvimento de uma formação florestal xerófita. 04. (UFG GO/1ª Fase/1998) A figura abaixo mostra a disposição atual das placas tectônicas. Sobre essas placas é correto afirmar-se que: 01. nas dorsais Atlânticas existe um sistema de falhas, através das quais emergem rochas magmáticas vindas do manto; 02. o território brasileiro encontra-se em fase de instabilidade tectônica, devido ao movimento orogenético de formação da Cordilheira dos Andes; 04. a costa oeste da América do Norte, ampliada no detalhe do mapa, refere-se à falha de San Andrea, região de forte
  • instabilidade tectônica, que vem ocasionando terremotos numa área de grande densidade populacional; 08. o choque entre as placas origina bacias sedimentares paleozóicas; 16. a placa Sul-Americana ―empurra‖ para o oeste a placa de Nazca, originando o dobramento andino; 32. os escudos cristalinos localizam-se nas zonas de choques entre as placas, constantemente sujeitas a terremotos. 05. (UFG GO/2ª Fase/1998) Observe o mapa abaixo: a) Qual o nome das cadeias montanhosas, de acordo com a numeração do mapa? b) Considerando a teoria tectônica das placas, explique como se deu a formação dessas cadeias montanhosas. 06. (Unicamp SP/1998) Muitas cidades do Brasil e do mundo estão em zonas de estuário — um meio de cultura continuamente fertilizado pelo material orgânico e pelos nutrientes carreados da vegetação e das rochas em decomposição do solo, bem como pelas águas ricas de nutrientes do mar. (Adaptado de Sewel, G.H. Administração e Controle da Qualidade Ambiental, Ed. EPU/Edusp/Cetesb, p.110, 1978) a) Cite duas capitais brasileiras situadas em zonas de estuário. b) Descreva a dinâmica básica de funcionamento de um estuário. c) Cite dois exemplos de ação humana que altera a sua dinâmica natural. 07. (UFRRJ RJ/1997) A teoria das placas tectônicas trata, entre outras questões, das conseqüências na crosta provocadas pelo atrito, nas áreas de encontro dessas placas. Assim, o dobramento causado pelo encontro das placas Indo-Australiana e Euro-Asiática chama- se: a) Himalaia. b) Cáucaso. c) Drakensberg. d) Cárpatos. e) Atlas. 08. (UFRN RN/1997) O relevo terrestre resulta da atuação de dois conjuntos de forças denominadas agentes do relevo, que correspondem a agentes internos ou endógenos, também chamados de formadores, e agentes externos ou exógenos, responsáveis pelo modelado. Assinale a alternativa que apresenta apenas agentes exógenos. a) vulcanismo, intemperismo, tectonismo b) intemperismo, águas correntes, ventos c) abalos sísmicos, ventos, vulcanismo d) tectonismo, abalos sísmicos, águas correntes e) águas correntes, intemperismo, vulcanismo 09. (UFJF MG/1997) "0 relevo, como componente desse estrato geográfico no qual vive o homem, constitui-se em suporte das interações naturais e sociais. Refere-se, ainda, ao produto do antagonismo entre as forças endógenas e exógenas, de grande interesse geográfico, não só como objeto de estudo, mas por ser nele - relevo - que se reflete o jogo de interações naturais e sociais." (CASSETI, Valter. Ambiente e apropriação de relevo. São Paulo: Contexto.) A força exógena comentada no texto refere-se a: a) vulcanismo, erosão, clima e intemperismo; b) clima, plutonismo, tectonismo e ação antrópica; c) clima, intemperismo, erosão e ação antrópica; d) dobramentos (orogênese), intemperismo e clima; e) clima, erosão e falhamentos (epirogênese). 10. (UFRN RN/1997) De acordo com a Teoria da Deriva Continental (ou Tectônica de Placas), 1. a massa continental está dividida em grandes placas, sendo que os limites dos continentes não coincidem com os das placas. 2. a divisão da grande massa continental resultou na formação de pequenas placas ou blocos que se movimentam sobre o substrato sedimentar. 3. a massa continental divide-se em grandes placas, cada uma correspondendo aos limites continentais. 4. o deslocamento horizontal das placas provoca a ocorrência de várias deformações e fenômenos, como dobramentos, falhas e terremotos. Assinale a alternativa que contém o conjunto de afirmações corretas:
  • a) 3 e 4 b) 1, 2 e 3 c) 1 e 4 d) 1, 2, 3 e 4 e) 2 e 3 11. (UFMG MG/1997) Leia o texto. "Embora a evidência de deslocamentos laterais dos continentes fosse mais ou menos forte, a maioria dos geólogos resistiu, durante muito tempo, à idéia desses deslocamentos. Essa resistência era, em grande parte, ideológica, a julgar pela extraordinária ira da controvérsia contra o principal proponente da deriva continental, Alfred Wegener. De qualquer modo, o argumento de que esses deslocamentos não eram verdadeiros - porque não se conhecia nenhum mecanismo geofísico para causar tais movimentos - não era mais convincente a priori, em vista da evidência acima referida. Contudo, desde a década de 1960, o antes impensável tornou-se a ortodoxia da geologia do dia-a-dia: um globo de placas gigantescas mudando de lugar, às vezes, rapidamente (placas tectônicas)." Adaptado de: HOBSBAWN, E. Era dos Extremos. O Breve Século XX: 1914-1991. São Paulo: Companhia das Letras,1995. p.530. Todas as alternativas contêm afirmações que podem ser comprovadas pelo texto, EXCETO: a) A teoria da deriva continental foi, por muito tempo, considerada inaceitável por se desconhecer o mecanismo geofísico que pudesse explicá-la. b) A teoria das placas tectônicas é considerada, atualmente, a explicação mais aceitável e defensável sobre a posição das massas continentais e a configuração da litosfera. c) As evidências de que as terras emersas se deslocavam lateralmente sugeriram a teoria segundo a qual a litosfera era formada por várias placas, em vez de uma única, imóvel sobre o manto. d) O relato sobre a aceitação de uma nova teoria sugere que observações, embora inexplicáveis pelo conhecimento científico de uma época, são prontamente aceitas pelos cientistas. 12. (UFMG MG/1997) Analise o mapa. Os blocos diagramas I, II, III e IV representam, esquematicamente, a configuração das placas tectônicas nas áreas assinaladas no mapa. Todas as representações estão corretas, EXCETO: Litosfera Oceânica Litosfera Continental a) b) c) d) 13. (PUC MG/1997) Ao se relacionarem os parênteses aos agentes endógenos formadores do relevo, observa-se que NÃO há correspondência para: View slide
  • a) epirogênese b) plutonismo c) falhas d) orogênese e) tectônica de placas ( ) Na Península Escandinávia, ocorrem elevações de 38 cm por século. devido ao alívio da pressão da carga do gelo que suportou durante a última glaciação. ( ) O movimento gera cadeias de montanhas como os Andes, em função das forças que ocorrem nas bordas das bacias sedimentares marginais às fossas. ( ) Movimento que provoca a quebra de camadas rochosas, com deslocamento nítido das partes quebradas. ( ) Movimento da crosta terrestre que resulta mudanças na posição dos continentes e formações das dorsais oceânicas. 14. (Uniube/MG/1997) As áreas destacadas no mapa caracterizam-se por apresentar as seguintes características: formação geológica recente, a) baixas altitudes e grande estabilidade tectônica. b) baixas altitudes e pequena instabilidade tectônica. c) altas altitudes e grande instabilidade tectônica. d) altas altitudes e grande estabilidade tectônica. e) médias altitudes e pequenas instabilidade tectônica. 15. (PUC MG/1997) Os deslizamentos de encostas podem ser definidos como: a) movimento lento e imperceptível dos vários horizontes do solo. b) ação erosiva da água em forma de sulcos. c) deslocamento de uma massa do regolito sobre um embasamento ordinariamente saturado de água. d) movimento que começa com a queda livre de uma massa rochosa que é pulverizada no impacto produzido. e) deslocamento rápido de um bloco de terra, quando o solapamento criou um vazio na parte inferior da encosta. View slide