Apresentação Institucional (2012)

1,507 views

Published on

A

Published in: Investor Relations
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,507
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
335
Actions
Shares
0
Downloads
18
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Apresentação Institucional (2012)

  1. 1. Apresentação Institucional 2012 1
  2. 2. Aviso Legal Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos e/ou resultados futuros (“forward-looking statements”), baseadas em estimativas, análises e projeções sujeitas às condições de mercado e que, portanto, estão fora do controle da Wilson, Sons. Fatores importantes, que podem gerar diferenças significativas entre os resultados reais e as expectativas sobre eventos ou resultados futuros da Companhia, incluem: condições econômicas no Brasil e exterior; tecnologia; condições do mercado financeiro; incertezas a respeito dos resultados de suas operações futuras, estratégia, objetivos; bem como outros fatores descritos na seção “Fatores de Risco”, disponíveis em prospecto oficial da Companhia e protocolados junto à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Os resultados operacionais e financeiros da Companhia, apresentados a seguir, foram compilados em conformidade com regras contábeis em padrão IFRS (“International Financial Reporting Standards”), exceto onde expresso o contrário. O relatório de auditores independentes e as notas explicativas são considerados partes integrais das demonstrações financeiras da Wilson, Sons. 2
  3. 3. Wilson Sons é negociada na BM&FBovespa através de BDRs Free Float 58,25% 41,75% Bermuda Brasil 100,0% 100,0% 50,0% 100,0% 100,0% SERVIÇOS PORTUÁRIO E LOGÍSTICO SERVIÇOS MARÍTIMOS 100,0% 92,5% 100,0% 3
  4. 4. Nossos Drivers de Crescimento 4
  5. 5. Óleo & Gás: Ótimas Perspectivas Reservas Comprovada de Óleo (bilhões boe) Produção de Óleo no Brasil (milhões bpd) Fonte: BP Statistcs Review 2010 + Estimativas de Mercado Fonte: Petrobras + OGX + ANP + Estimativas WS Arábia Saudita 264,5 7,0 Venezuela 211,2 Irã 137,0 Iraque 115,0 4,1 CAGR 14,3% Kuwait 101,5 Brasil (Est.)* 100,0 Emirados Árabes 97,8 2,1 Crescimento Rússia 77,4 potencial das reservas Líbia 46,4 brasileiras em 9 x Brasil 14,2 2011 2015E 2020E * Incluindo as Estimativas do Pré-sal Demanda por Embarcações de Apoio (OSVs) Oportunidades da Construção Naval no Brasil Fonte: ABEAM / SYNDARMA Fonte: CESPEG + Estimativas WS Capacidade de Construção Demanda 686 de OSVs no Brasil OSVs no Brasil Demanda é maior 9/ano que a capacidade de 457 + 296 construção naval 390 21/ano 21/ano 13/ano 2011 2015E 2020E 2010 2015E 2011-2020E 5
  6. 6. Corrente de Comércio e Economia Doméstica: Expansão Brasileira Exportações + Importações (US$ bi) Movimentação de Cntrs no Brasil (milhões TEU) Fonte: MDIC/Secex + Estimativas do Banco Central Fonte: ABRATEC + PGO (ANTAQ ) CAGR 15,1% 17,7 CAGR Histórico de 18% 517 482 11,5 CAGR 8,9% 384 371 281 282 8,2 229 193 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012E 2011 2015E 2020E Importação Exportação Cabotagem: Capacidade Nominal PIB Real (US$ tri) Fonte: Flow Corretora + Estimativas WS Fonte: PwC 2011 2015E 2011 … 2050 CAGR Embarcações Capacidade Embarcações Capacidade (#) (‘000 TEU) (#) (‘000 TEU) BRASIL Aliança 10 18,4 14 30,4 2,4 9,8 4% Log-In 5 11,4 9 19,2 Maestra 4 7,5 6 12,5 G7 30,4 69,4 2% Mercosul Lines 3 5,4 5 8,1 Total (Brasil) 22 43,4 34 70,2 6
  7. 7. Nossos Negócios 7
  8. 8. Terminais Portuários (Terminais de Contêineres) US$ 203 mi 901.300 1.880.000 Receita Líquida TEU movimentados Capacidade TEU / ano (29% da Receita Total 2011) (2011 Tecon RG + Tecon SSA) (2011 Tecon RG + Tecon SSA)Tecon Rio Grande 8
  9. 9. Terminais Portuários (Terminais de Contêineres)• Concessões de 25 + 25 anos dos Terminais de Contêineres de Rio Grande e Salvador• Terceiro maior operador de contêineres do Brasil, com 11% de market share• Ativos estrategicamente localizados representam uma grande vantagem competitiva Destaques Movimentação de Contêineres (TEU ‘000) Rio Grande Salvador Tecon Rio Grande + Tecon Salvador * Considerando a Expansão do Tecon SSA Capacidade * 1.350k 530k Estimativa PGO CAGR 7,0% CAGR 7,9% # Berços 3 2 2.243 Comprimento dos Berços (m) 900 617 1.786 Área total (m2) 670.000 118.000 1.221 901 865 Calado (m) 15 14 426 # de STS (Portêineres) 6 6 2000 2008 2011 2015E 2020E 2023E Localização do Tecon Rio Grande Localização do Tecon Salvador Tecon Suape (ICTS) Paranaguá (Advent) 850 km Itapoá (Hamburg Sud) São Francisco do Sul (Dragados) Tecon Salvador (Wilson, Sons) Itajaí / Navegantes (Maersk / MSC) Imbituba (Santos Brasil) 1.182 km 688 km TVV (Log-In) Tecon Rio Grande (Wilson, Sons) 9
  10. 10. Terminais Portuários (Brasco) US$ 68 mi 2.229 10+ Receita Líquida Vessel Turnaround Berços em todas operações (10% da Receita Total 2011) (2011)Brasco (Niterói) 10
  11. 11. Terminais Portuários (Brasco)• Base de apoio à indústria de O&G, com mix de ativos próprios e experiência em portos públicos• Primeiro operador de bases de apoio O&G no Brasil, com mais de 10 anos de experiência• Ativos estrategicamente localizados próximos a área do pré-sal Principais Serviços Crescimento da participação das IOCs & OGX Fonte: ANP Upstream Gestão de ~ 40 anos dependendo da área Carga / Resíduos Descarga Exploração Desenvolvimento Produção 30% 16% 30% 49% 51% Aluguel de 70% Armazenagem 70% 84% Contêineres Petrobras IOCs / OGX Localização Estratégica Bacias do Espírito Santo, Campos, e Santos Fonte: ANP + Estimativas WS Bacia do ~ 91% da produção de Óleo & Gás no Brasil Brasco Espírito Santo Briclog ~ 100 Sondas de Exploração e Plataformas de Produção Bacia de Campos Bacia de ~ 351 Embarcações de Apoio (OSVs) em operação Santos 11
  12. 12. Logística US$ 141 mi 22 92.000 m2 Receita Líquida Operações Dedicadas Área Total do EADI (20% da Receita Total 2011) (2011) (EADI Santo André)EADI Santo André-SP 12
  13. 13. Logística• Armazém alfandegado (EADI) proporciona suporte ao desenvolvimento da Corrente de Comércio• Centros de Distribuição (CD), Terminais Intermodais , Operações de Transporte e NVOCC• Soluções logísticas customizadas utilizando amplo know-how em cadeia de suprimentos Serviços de Logística Breakdown do EBITDA US$ mi (alocando os Custos Administrativos nas Operações Dedicadas) 12,0 11,2 150% 9,5 10,0 100% Terminal Alfândegado (EADI) Operações Dedicadas 8,0 84% 100% 6,0 46% 3,8 4,0 50% 2,0 0,0 0% Centros de Distribuição (CD) NVOCC EADI / CDs Operações Dedicadas NVOCC Operações Dedicadas em Indústrias Estratégicas EADI e Centros de Distribuição Novos Projetos Óleo & Gás Mineração & Siderurgia EADI Sto André CD Itapevi CD Suape Petrobras Vale, CSN Área Total (m2) 92.000 15.800 49.000 Papel & Celulose Farma & Cosméticos Fibria Merck Área Coberta (m2) 33.800 7.500 23.000 Químicos & Petroquím. Agro-negócios Distância para o Porto 72 km 108 km 1 km Braskem, Unigel Monsanto 13
  14. 14. RebocagemUS$ 167 mi 76 15,2% 54.661 Receita Líquida Rebocadores Operações Especiais Manobras Portuárias (24% da Receita Total 2011) (Operacionais) (% da Receita Total de Rebocagem 2011) (2011)Rebocador Sculptor (Operação Especial da OSX) 14
  15. 15. Rebocagem• Maior frota da América do Sul, com 76 rebocadores e 50% de share; presente nos maiores portos do país• Proteção regulatória assegura exclusividade às embarcações brasileiras (Resolução ANTAQ 494)• Financiamento proveniente do FMM (Fundo da Marinha Mercante): longo-prazo e baixo-custo Operações Especiais SUPORTE A OPERAÇÕES LNG REBOQUE DE FPSO REBOQUE OCEÂNICO SALVATAGEM CONSTRUÇÃO DE FPSO Breakdown das Receitas Novos Portos criam Oportunidades % das Receitas Totais de Rebocagem Fonte: BNDES + Estimativas WS • Refinaria Premium I (MA) • Terminal Ponta da Madeira (MA) Manobras 84,4% 85,7% • Refinaria Premium II (CE) Portuárias 90,9% 84,8% • Refinaria Abreu e Lima (PE) • Porto Sul (BA) • Porto do Açu (RJ) • Embraport (SP) 14,3% 15,6% R$ ~15 Bi • Brasil Terminais Portuários (SP) Operações 9,1% 15,2% Em Investimentos Especiais • Itapoá (SC) 2008 2009 2010 2011 15
  16. 16. Offshore US$ 41 mi 16 OSVs 4.971 Receita Líquida 13 PSVs próprios + 3 AHTSs afretados Dias de Operação (6% da Receita Total 2011) (Abr/12) (2011)PSV Pelicano 16
  17. 17. Offshore• Proteção regulatória assegura exclusividade às embarcações de bandeira brasileira (Resolução ANTAQ 495)• Financiamento proveniente do FMM (Fundo da Marinha Mercante): longo-prazo, baixo-custo• Estaleiro 100% controlado pela Wilson Sons representa um grande diferencial competitivo Frota em Operação no Brasil (Jul/2011) Perfil da Frota Brasileira Fonte: ABEAM / SYNDARMA Fonte: ABEAM / SYNDARMA + DOF/Norskan PSV AHTS Outros Total 12% Brasileira 79 16 57 152 39% 61% 88% Estrangeira 106 88 44 238 Total 185 104 101 390 Estrangeira Brasileira Petrobras Outros Desenvolvimento da Frota Brasileira Desenvolvimento da Frota da WSUT Fonte: ABEAM / SYNDARMA 686 Fonte: Wilson Sons Embarcações de Bandeira Brasileira 30+ Embarcações de Bandeira Estrangeira 386 24 390 250 14 205 168 188 238 12 158 148 165 10 130 110 83 300 125 110 88 91 95 105 120 152 43 48 60 74 2010 2011 2012 2015 2017 1985 1990 1995 2002 2005 2008 2009 2011 2020E 17
  18. 18. Estaleiros US$ 57 mi 35 10,000 Receita Líquida Embarcações Entregues Capacidade de (8% da Receita Total 2011) (2004 - 2011: 10 PSVs + 25 Rebocadores) Processamento de Aço (ton / ano)Estaleiro Guarujá I 18
  19. 19. Shipyards• Grande vantagem competitiva para os negócios de Rebocagem e Offshore• Financiamento proveniente do FMM (Fundo da Marinha Mercante): longo-prazo, baixo-custo• Plano de Construção de mais de 50 embarcações (OSVs e Rebocadores) até 2017 Destaques Plano de Construção de Rebocadores Projeto 2011 2012 Guarujá I Guarujá II Rio Grande Crater Maio/11 Capacidade de Proc. Aço ton / ano) 4.500 5.500 13.000 Wezen Jul/11 Alphard Set/11 Área Total (m2) 22.000 17.000 120.000 Octans Dez/11 Tipo de Dique Slipway Dry-dock Load-out Pictor Dez/11 Comprimento (m) 150 135 160 Hamal Abr/12 Delphinus Out/12 Boca (m) 16 26 33 Telescopium Nov/12 Plano de Construção de OSVs Platform Supply Vessel 2011 2012 2013 (PSV) Torda (PSV 4500) Fev/14 Cormoran (PSV 3000) Jul/11 Sterna (PSV 4500) Mar/12 GI Batuíra (PSV 4500) Jul/12 WS128 (PSV 4500) Dez/12 Remotely Operated Vehicle (ROVSV) WS131 (PSV 4500) Maio/13 WS132 (PSV 4500) Abr/13 G II WS133 (PSV 4500) Jun/13 ROVSV (Fugro) Fev/14 19
  20. 20. Destaques Financeiros 20
  21. 21. Crescimento Resiliente Receita Líquida Receita Líquida por Negócio US$ mi US$ mi 2010 698,0 203,5 2011 CAGR de 16,1% 575,6 178,8 167,4 156,2 140,5 498,3 477,9 102,4 56,7 68,3 404,0 43,3 41,4 49,2 331,1 20,3 28,0 17,6 Terminais de Agência 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Brasco Logística Rebocagem Offshore Estaleiros Contêineres Marítima EBITDA EBITDA por Negócio US$ mi US$ mi (ex-Corporativo) 163,3 2010 74,6 2011 CAGR de 16,5% 128,4 122,7 121,4 61,4 61,4 53,4 91,1 76,2 24,5 16,7 14,9 15,3 13,1 13,1 11,3 6,1 2,7 0,8 Terminais de Agência 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Brasco Logística Rebocagem Offshore Estaleiros Contêineres Marítima 21
  22. 22. Consistente Plano de Investimento com Baixo Nível de Endividamento Plano de CAPEX Terminais Portuários Rebocagem Offshore Estaleiros Outros* 2006-2011 30% 31% 23% 5% 10% US$ 0,8 bilhões 2012-2017 10% 22% 52% 10% 7% US$ 1,5 bilhões *Outros: Logística, Agenciamento Marítimo e Corporativo Breakdown do Plano de CAPEX (2012 – 2017) Perfil de Caixa e Dívida US$ mi US$ mi (Dez/11)900 100% 110% 801 FMM** 93%800 84% 90%700 73% 136,9600 70% 52%500 50% - 491,1400 336 - 354,2300 30%200 156 153 101 10%100 Dívida Total Caixa & Equivalentes Dívida Líquida 0 -10% 73% da Dívida Total era proveniente do FMM Offshore Rebocagem Estaleiros Terminais Outros * 90% da Dívida Total era denominada em US$ Portuários *Outros: Logística, Agenciamento Marítimo e Corporativo Dívida Líquida / EBITDA (2011) = 2,2x **Fundo de Marinha Mercante Custo Médio Ponderado da Dívida (2011): 4,2% 22
  23. 23. Governança Corporativa: Seguindo voluntariamente as práticas do Novo Mercado 100% TAG ALONG aos acionistas minoritários Uma classe de ação com direito de voto equânimes Conselho de Administração com 20% de conselheiros independentes Free-float com mais de 25% do capital social Comitê de Auditoria Executivos alinhados com os acionistas: Plano de Incentivo de Longo-Prazo 23
  24. 24. Contatos da Área de Relações com Investidores Felipe Gutterres Michael Connell CFO da subsidiária brasileira e Relações com Investidores Relações com Investidores michael.connell@wilsonsons.com.br ri@wilsonsons.com.br +55 (21) 2126-4107 +55 (21) 2126-4112 BM&FBovespa: WSON11 Website de RI: www.wilsonsons.com.br/ri Twitter: @WilsonSonsIR Youtube: WilsonSonsIR Eduardo Valença George Kassab Relações com Investidores Relações com Investidores eduardo.valenca@wilsonsons.com.br george.kassab@wilsonsons.com.br +55 (21) 2126-4105 +55 (21) 2126-4263 24

×