Your SlideShare is downloading. ×
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Interações ecologicas completa

5,024

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
5,024
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
89
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. INTERAÇÕES ENTRE SERES VIVOS Prof. Marcia Marlise  Por P. Nick Buck
  • 2.
    • OCORREM DIVERSAS INTERAÇÕES ENTRE AS ESPÉCIES
    • CLASSIFICADAS EM 2 TIPOS:
    • HARMÔNICAS (“Simbioses”): em que há benefício
    • para uma ou ambas as espécies.
    B) DESARMÔNICAS (Antagônicas): em que há prejuí- zo para uma ou ambas as espécies. ECOSSISTEMA
  • 3. A) HARMÔNICAS
    • Relações homotípicas ou INTRA-ESPECÍFICAS.
    • - Ocorre entre organismos da mesma espécie.
    • EXEMPLOS:
    • COLÔNIAS
    • SOCIEDADES
  • 4. COLÔNIAS
    • Os indivíduos se mantém anatomicamente unidos entre si
    • ( fundidos uns aos outros).
    • Normalmente formadas por BROTAMENTO tipo de reprodução
    • assexuada
    CORAIS: COLÔNIA DE PÓLIPOS (FIXAS) CORAIS: COLÔNIA DE PÓLIPOS
  • 5. GRANDE BARREIRA DE CORAIS : costa nordeste da Austrália. Vista do espaço
  • 6.  
  • 7.  
  • 8. COLÔNIAS (FIXAS) COLÔNIA DE ESPONGIÁRIOS (ESPONJAS DO MAR)
  • 9. COLÔNIAS (FIXAS) Obelia : colônia de pólipos (dimórficas) com diferentes funções Gastrozóide: pólipo de nutrição Gonozóide: pólipo reprodutor
  • 10. COLÔNIAS (MÓVEIS) CARAVELA : COLÔNIA DE CELENTERADOS TENTÁCULOS: COLÔNIA DE PÓLIPOS VESÍCULA GASOSA PARA FLUTUAÇÃO
  • 11. SOCIEDADES
    • Associações de indivíduos da mesma espécie,
    • sem estarem unidos entre si.
    • Formam uma organização cooperativista
    • (HIERARQUIA e DIVISÃO DE TRABALHO).
    • Ex: INSETO SOCIAIS - Sociedades altamente
    • desenvolvidas.
  • 12.
    • ASSOCIAÇÃO GREGÁRIA
    SOCIEDADES
    • AGRUPAMENTOS TEMPORÁRIOS DE BABUÍNOS,
    • LOBOS, ELEFANTES, GNUS, AVES...
  • 13.  
  • 14. SOCIEDADES Insetos sociais COLMÉIA DE ABELHAS ABELHAS : Três castas RAINHA única fêmea fértil OPERÁRIAS trabalhadoras ZANGÃO reprodução *Vôo Nupcial: Rainha é fecundada pelo zangão durante o vôo.
  • 15. SOCIEDADES Insetos sociais FORMIGAS: Rainhas e machos férteis normalmente são alados (vôo nupcial). OBREIRAS E SOLDADOS (FÊMEAS ESTÉREIS) FORMIGUEIRO: NINHOS SUBTERRÂNEOS
  • 16. SOCIEDADES Insetos sociais TÉRMITAS OU CUPINS (OBREIRAS) CUPINS: Rainha apresenta o abdômen hipertrofiado pois sua função é produzir milhares de ovos por dia. RAINHA
  • 17.
    • Relações heterotípicas ou INTERESPECÍFICAS.
    • Ocorre entre organismos de espécies diferentes.
    • Exemplos:
    • PROTOCOOPERAÇÃO (COOPERAÇÃO)
    • MUTUALISMO
    • COMENSALISMO
    • INQUILINISMO
    A) HARMÔNICAS
  • 18. PROTOCOOPERAÇÃO (+/+) - Associação em que as duas espécies se beneficiam porém NÃO É OBRIGATÓRIA . PÁSSARO-PALITO E CROCODILO GARÇA E O GADO PÁSSARO E O BÚFALO
  • 19. PROTOCOOPERAÇÃO CARANGUEJO PAGURO (ERMITÃO) E ANÊMONAS ASSOCIADAS À CONCHA. CARANGUEJO Fornece os restos de alimentação para as anêmonas ANÊMONA Fornece proteção ao caranguejo
  • 20.
    • - PULGÕES E FORMIGA.
    PROTOCOOPERAÇÃO Secreção (anal) doce. Formiga se alimenta e protege o pulgão ” CÚ DOCE?”
  • 21.
    • - ESTAÇÕES DE LIMPEZA : pequenos peixes limpam o corpo de peixes maiores.
    PROTOCOOPERAÇÃO
  • 22. MUTUALISMO (+/+) LÍQUENS Associação entre ALGAS E FUNGOS - Associação em que as duas espécies se beneficiam e é OBRIGATÓRIA (um depende do outro). Lá no Líquen... ♫ Vive em mutualismo... A alga e o fungo... ♫ Numa associação... ♫ ♫ ♫ Ela o alimenta... E ele a protege... E formam o sorédio... Pra reprodução....
  • 23. MUTUALISMO BACTERIORRIZA
    • Associação entre bactérias ( Rhizobium ) e raízes de
    • leguminosas (ciclo do nitrogênio).
    • Bactéria oferece compostos nitrogenados e recebe
    • em troca matéria orgânica
  • 24. MUTUALISMO MICORRIZA: Associação entre FUNGOS e RAÍZES de plantas. - Fungos aumentam superfície de absorção e plantas fornecem alimento para o fungo.
  • 25. MUTUALISMO (SIMBIOSE) PROTOZOÁRIOS ( Tryconinpha ) NO INTESTINO DE CUPINS. Bactérias no tubo digestório de ruminantes . Atuam na digestão da CELULOSE presente na matéria vegetal que ingerem. Em troca recebem abrigo e alimento.
  • 26.
    • Tryconinpha, Tryconinpha ♫
    • Vivem em mutualismo.....
    • Lá no intestino.....
    • Do cupim ..... ♫
    • Ele a protege...... ♫
    • E ela é quem digere ....... ♫
    • A celulose.....
    • Da digestão ....... ♫
    Em Ré b
  • 27. COMENSALISMO (+/o)
    • Uma das espécies ( COMENSAL ) se beneficia enquanto a outra
    • ( HOSPEDEIRA ) não leva vantagem nem prejuízo.
    RÊMORA : peixes que se prendem a peixes maiores e aproveitam os restos de alimentação.
  • 28. COMENSALISMO EPIFITISMO : plantas EPÍFITAS ( orquídeas e bromélias ) que se apóiam sobre outras plantas buscando melhor iluminação. BROMÉLIA ORQUÍDEA
  • 29. INQUILINISMO (+/o)
    • Tipo de comensalismo em que a espécie comensal vive no
    • INTERIOR DO CORPO do hospedeiro, sem prejudicá-lo ou
    • beneficiá-lo.
    PEIXE-AGULHA E O PEPINO-DO-MER (HOLOTÚRIA) Entra (ânus) no pepino em qualquer sinal de perigo.
  • 30. B) DESARMÔNICAS
    • Trazem PREJUÍZO para uma ou ambas as partes.
    • Podem ser:
    • Relações INTRA-ESPECÍFICAS (entre organismos
    • da mesma espécie ).
    • Relações INTERESPECÍFICAS (entre organismos de espécies diferentes ).
  • 31. COMPETIÇÃO (-/-)
    • Competição Intra-específica : organismos concorrem pelos mesmos recursos, principalmente espaço , alimento e fêmeas .
    URSOS DISPUTAM POR ESPAÇO ELEFANTES-MARINHO
  • 32. LEÕES MACHOS DISPUTAM POR TERRITÓRIO DISPUTA ENTRE ALCES POR FÊMEA
  • 33. CANIBALISMO (+/-) MACHOS DE LOUVA-DEUS VIÚVA-NEGRA (fêmea come o macho após a cópula)
    • FALTA DE ESPAÇO PODE LEVAR
    • AO CANIBALISMO (ex: roedores)
  • 34. HANNIBAL
  • 35. COMPETIÇÃO
    • Interespecífica : espécies apresentam mesmo HÁBITAT e NICHOS ECOLÓGICOS semelhantes (normalmente disputam pela mesma fonte de alimento).
    RECIFES DE CORAL
  • 36. COMPETIÇÃO ENTRE CARNÍVOROS
  • 37. PREDATISMO
    • Predador usa a presa como fonte de alimento, provocando sua morte.
    • (+ / -)
    TUBARÃO BRANCO NA ILHA DA FOCAS
  • 38.  
  • 39. ESTRATÉGIAS DE DEFESA E ATAQUE
    • MIMETISMO: uma espécie se parece com outro de espécie diferente, na forma, na cor etc.
    IMITAM OS OLHOS DE UM PREDADOR (CORUJA)
  • 40. FORMIGA IMITA UMA ARANHA BORBOLETA-MONARCA ESQUERDA E BORBOLETA MIMÉTICA DIREITA
  • 41.
    • HOMOCROMIA: o ser vivo imita a cor do meio em que vive para se esconder ou atacar uma presa.
    • HOMOTIPIA: o ser vivo se assemelha à forma apresentada pelo meio em que vive (disfarce).
    • CAMUFLAGEM (disfarce em relação
    • ao meio em que vive)
  • 42.  
  • 43. LOUVA-DEUS BICHO-PAU HOMOCROMIA E HOMOTIPIA MUITO COMUNS EM INSETOS
  • 44.  
  • 45.  
  • 46. Homotipia
  • 47. PARASITISMO (+/-)
    • ENDOPARASITISMO : parasita se hospeda dentro do corpo do hospedeiro.
    Trypanosoma cruzi PARASITA DO SANGUE HUMANO RETIRADA INTESTINO REPLETO DE LOMBRIGAS
  • 48.
    • ECTOPARASITISMO : parasita
    • fica na parte externa do
    • corpo do hospedeiro.
    PARASITISMO BARBEIRO: CAUSADOR DA DOENÇA DE CHAGAS Aedes aegypti : DENGUE CARRAPATO
  • 49. PARASITISMO
    • Raízes sugadoras: VEGETAL PARASITA ABSORVE A SEIVA DO HOSPEDEIRO
    ERVA-DE-PASSARINO
  • 50. AMENSALISMO ou ANTIBIOSE Multiplicação exagerada de algas ( Gonyaulax ) perto do litoral. Ocorre liberação de substâncias tóxicas de tons marrom-avermelhados que matam crustáceos, moluscos e peixes. MARÉ VERMELHA MARÉ VERMELHA
  • 51. ESCLAVAGISMO
    • Uma espécie , a EXPLORADORA , beneficia-se dos serviços da outra, a EXPLORADA , que é prejudicada.
  • 52. Maior ovo: Cuco Choca mais rápido Filhote do Cuco nasce antes e joga os outros ovos do ninho A mãe da outra espécie alimenta o Cuco achando que é seu filhote EXEMPLO: CUCO

×