MENTE

11,898 views
11,553 views

Published on

Powerpoint de Psicologia - 12ºAno
Prof. Isabela Teixeira - ESDD - Lisboa

Published in: Technology, Education
0 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
11,898
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
40
Actions
Shares
0
Downloads
382
Comments
0
Likes
5
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

MENTE

  1. 1. A MENTE
  2. 3. Alguns aspectos da história da mente… <ul><li>Durante muito tempo o conceito de mente esteve associado à dimensão cognitiva do ser humano. Correspondia ao raciocínio, abstração … ao pensamento. </li></ul><ul><li>No final do século XX esta concepção é revista. Para isso contribuíram as neurociências. Compreendeu-se finalmente que a mente humana implicava também a emoção, os sentimentos, a afectividade, a acção. </li></ul>
  3. 4. PROCESSOS ASSOCIADOS À MENTE <ul><li>1 – Processos cognitivos – SABER – o quê? </li></ul><ul><li>2 – Processos emotivos – SENTIR – como? </li></ul><ul><li>3 – Processos conativos – AGIR – porquê? </li></ul>
  4. 5. PROCESSOS COGNITIVOS <ul><li>Processos cognitivos : correspondem aos processos, complexos, de criação, de transformação e de utilização de informação do meio. </li></ul><ul><li>Os principais processos cognitivos são: </li></ul><ul><li>1 – a percepção </li></ul><ul><li>2 – a aprendizagem </li></ul><ul><li>3 – a memória </li></ul>
  5. 6. 1 – A PERCEPÇÃO <ul><li>Percepção : designa o conjunto de mecanismos fisiológicos e psicológicos cuja função geral é a apreensão e interpretação de informação proveniente do meio ou do próprio organismo . </li></ul><ul><li>Assim sendo, a percepção supõe: </li></ul><ul><li>Contacto com o mundo </li></ul><ul><li>Exige a presença do objecto/realidade a conhecer </li></ul><ul><li>Organiza e interpreta as informações </li></ul><ul><li>Supõe os órgãos dos sentidos. </li></ul>
  6. 8. SENSAÇÃO E PERCEPÇÃO <ul><li>SENSAÇÃO: é o primeiro contacto que estabelecemos com o meio ambiente. Existe nos órgãos receptores e está associada à recepção dos estímulos dos órgãos dos sentidos. Normalmente são traduzidas em impulsos nervosos que são conduzidos ao sistema nervoso central e processados pelo cérebro. </li></ul><ul><li>PERCEPÇÃO : processa a informação sensorial. Não se limita ao registo da informação, mas atribui-lhe um sentido de acordo com a nossa experiência. Têm um carácter activo, uma vez que são fruto de um trabalho complexo de análise e de síntese. Não reproduz o mundo como um espelho, mas elabora sobre ele uma representação. </li></ul>
  7. 9. FACTORES QUE DETERMINAM A CONSTÂNCIA PERCEPTIVA <ul><li>1 – CONSTÂNCIA DO TAMANHO : o tamanho de um objecto é percepcionado independentemente da distância a que se encontra. </li></ul><ul><li>2 – CONSTÂNCIA DA FORMA : reconhecemos o objecto independentemente das alterações a que esteja sujeito. </li></ul><ul><li>3 – CONSTÂNCIA DO BRILHO E DA COR : a memória retém as características dos objectos no que respeita ao brilho e à cor. </li></ul>
  8. 11. FACTORES QUE AFECTAM O MODO COMO PERCEPCIONAMOS O MUNDO <ul><li>A motivação </li></ul><ul><li>A expectativa </li></ul><ul><li>Os interesses </li></ul><ul><li>Os estados emocionais </li></ul><ul><li>Todos estes factores provam o carácter de subjectividade inerente à percepção. </li></ul>
  9. 12. <ul><li>PERCEPÇÃO SOCIAL : processo que está na base das interacções sociais. Os valores sociais e as experiências socioculturais influenciam o modo como se percepcionam o mundo e a sociedade. Assim sendo, podemos afirmar que a cultura influencia a forma como percepcionamos o mundo. </li></ul>
  10. 13. <ul><li>Fazer a Ficha de trabalho “A percepção”, página 51 </li></ul>
  11. 14. 2 - MEMÓRIA <ul><li>Da história … </li></ul><ul><li>A Mitologia grega reflecte a importância desde sempre dada à memória. Mnemosine era a deusa da memória, mãe das 9 musas que presidiam às letras, ciências e artes. </li></ul><ul><li>No séc. IV a.C. Aristóteles falava da faculdade de conservar o passado. </li></ul><ul><li>Ao longo do tempo desenvolveram-se técnicas para desenvolver a memória </li></ul><ul><li>Magos, feiticeiros e alquimistas procuraram substâncias que aumentavam o poder da memória </li></ul><ul><li>O computador, hoje em dia, é a resposta mais recente à necessidade de preservar as informações que a memória não consegue reter. </li></ul>
  12. 16. <ul><li>MEMÓRIA: é o processo dinâmico que consiste na codificação, armazenamento e recuperação dos conteúdos mnésicos ou de informação. </li></ul><ul><li>A memória implica tratamento de informação. A esse respeito distinguem-se três tipos de operações: a codificação , o armazenament o e a recuperação . </li></ul>
  13. 17. ESTÁDIOS PARA A FORMAÇÃO E RECUPERAÇÃO DA MEMÓRIA <ul><li>1 - CODIFICAÇÃO :É a primeira fase do processo de formação de novas memórias. Toda a informação implica a codificação dos dados informativos, isto é, a sua transformação de modo a poder ser armazenada na memória. Se por vezes essa codificação é automática, outras vezes temos de lhe dar uma forma que permita memorizá-la e recordá-la. </li></ul><ul><li>Os dados são traduzidos num código que pode ser acústico (memória ecóica), visual (memória icónica) ou semântico. </li></ul>
  14. 18. ESTÁDIOS PARA A FORMAÇÃO E RECUPERAÇÃO DA MEMÓRIA <ul><li>2 – ARMAZENAMENTO : é o processo mediante o qual mantemos na memória a informação que foi adquirida. A informação é conservada por períodos mais ou menos longos de tempo, para poder ser utilizada quando necessário. Cada informação (engrama) produz modificações nas redes neuronais que permitem que se recorde o que se memoriza. </li></ul>
  15. 19. <ul><li>3 – RECUPERAÇÃO : quando precisamos, procuramos recuperar, actualizar a informação armazenada, para a utilizar na experiência presente. Reactualizar significa pois localizar a informação armazenada e fazê-la aceder à consciência </li></ul>
  16. 20. TIPOS DE MEMÓRIA: MEMÓRIA A CURTO PRAZO <ul><li>Retém a informação durante um período limitado de tempo, podendo ser esquecida ou passar a memória de longo prazo. Apresenta duas componentes: </li></ul><ul><li>Memória imediata: É uma armazém com capacidade limitada (7 itens ou peças de informação) que consegue manter a informação durante 20 a 30 segundos. </li></ul><ul><li>Memória de trabalho : a informação mantém-se enquanto for útil. </li></ul><ul><li>NOTA : qualquer informação que tenha estado na memória a curto prazo e se tenha perdido, estará perdida para sempre. </li></ul>
  17. 21. TIPOS DE MEMÓRIA: MEMÓRIA A LONGO PRAZO <ul><li>Permite conservar dados, informações, durante dias, meses, anos, ou mesmo toda uma vida. Contém dados que têm a sua origem na memória a curto prazo. </li></ul><ul><li>Existem dois tipos de memória a longo prazo: </li></ul><ul><li>Memória não declarativa : memória automática que permite realizar tarefas básicas, associadas a comportamentos motores. </li></ul><ul><li>Memória declarativa : memória explicita, associada a factos, informações gerais e episódios ou acontecimentos pessoais. </li></ul>
  18. 22. O ESQUECIMENTO <ul><li>Incapacidade, provisória ou definitiva, em recordar, recuperar dados, informações, experiências que foram memorizadas. O esquecimento é essencial à memória, uma vez que tem uma função selectiva e adaptativa </li></ul>
  19. 23. O ESQUECIMENTO
  20. 24. FACTORES QUE INFLUENCIAM O ESQUECIMENTO <ul><li>1 . Esquecimento regressivo : ocorre quando surgem dificuldades em reter novos materiais e em recordar factos e nomes aprendidos recentemente. É especialmente sentido em pessoas de certa idade e pode estar associado ao envelhecimento dos tecidos cerebrais. </li></ul><ul><li>2 . Esquecimento motivado : recordações penosas e traumatizantes tendem a ser esquecidas para evitar a angústia e ansiedade, permitindo assim a manutenção do equilíbrio psicológico. </li></ul>
  21. 25. <ul><li>3 – Influência dos processos de interferência : as </li></ul><ul><li>novas memórias interferem com a recuperação das memórias mais antigas. </li></ul><ul><li>- inibição proactiva : influência negativa que </li></ul><ul><li>a aprendizagem anterior tem sobre a recor- </li></ul><ul><li>dação de uma nova informação </li></ul><ul><li>- inibição retroactiva : efeito negativo que a </li></ul><ul><li>informação nova tem sobre a anterior. </li></ul>
  22. 26. O ESQUECIMENTO
  23. 27. <ul><li>“ A MEMÓRIA É ASSIM COMO UM ALBUM QUE NOS RESTITUI MAIS OU MENOS INTACTOS OS FRAGMENTOS DA EXPERIÊNCIA” </li></ul><ul><li>Francois Pine </li></ul>
  24. 28. <ul><li>Alzheimer </li></ul><ul><li>http://www.youtube.com/watch?v=h30Qn5YQNLw&feature=related </li></ul><ul><li>Gato fedorento </li></ul><ul><li>http://www.youtube.com/watch?v=uLtny8qfne4 </li></ul>
  25. 30. Memória, aprendizagem e identidade pessoal <ul><li>A memória permite-nos: </li></ul><ul><li>A adaptação ao meio, uma vez que é condição indispensável da aprendizagem. </li></ul><ul><li>Atribuir significado às nossas experiências. </li></ul><ul><li>Constituir um “sentimento de si”, um sentimento de identidade pessoal, dando continuidade à nossa vida (Ex. amnésia ) </li></ul>
  26. 31. <ul><li>PERCEPÇÃO SOCIAL : processo que está na base das interacções sociais. Os valores sociais e as experiências socioculturais influenciam o modo como se percepcionam o mundo e a sociedade. Assim sendo, podemos afirmar que a cultura influencia a forma como percepcionamos o mundo. </li></ul>
  27. 32. <ul><li>Ficha de trabalho “A memória”, página 53 </li></ul>
  28. 33. A APRENDIGAZEM <ul><li>Aprendizagem : modificação relativamente estável do comportamento ou do conhecimento, que resulta do exercício, experiência, treino ou estudo. Envolve processos cognitivos, motivacionais e emocionais e manifesta-se em comportamentos. </li></ul>
  29. 35. TIPOS DE APRENDIGAZEM <ul><li>1 – APRENDIZAGEM NÃO ASSOCIATIVA </li></ul><ul><li>Este tipo de aprendizagem realiza-se mediante duas formas: </li></ul><ul><li>Habituação : consiste em aprender a reagir apenas ao estímulo seleccionado (um estímulo sem importância ou benigno). </li></ul><ul><li>Sensibilização : aprendem-se as propriedades de um estímulo ameaçador ou prejudicial . </li></ul>
  30. 36. TIPOS DE APRENDIGAZEM <ul><li>2 – APRENDIZAGEM ASSOCIATIVA </li></ul><ul><li>É um tipo de aprendizagem mais complexa, que pode ser abordada em duas perspectivas: </li></ul><ul><li>O condicionamento clássico </li></ul><ul><li>O condicionamento operante </li></ul>
  31. 37. CONDICIONAMENTO CLÁSSICO <ul><li>Autor : Ivan Pavlov </li></ul><ul><li>Situação : Experiência do cão: um reflexo neutro (uma campainha) é emparelhado com um estímulo não condicionado – comida e vai produzir uma resposta não condicionada (reflexo – salivar). </li></ul><ul><li>Resultado : o estímulo neutro torna-se um estímulo condicionado, isto é, um estímulo que por si só desencadeia uma resposta condicionada. </li></ul><ul><li>Conclusão : aprendemos com o que nos acontece . </li></ul><ul><li>Manual pág: 48 </li></ul>
  32. 38. CONDICIONAMENTO OPERANTE <ul><li>Autor : Skinner </li></ul><ul><li>Situação : Experiência dos ratos. Em determinada situação, um comportamento ou resposta está na origem de consequências agradáveis ou desagradáveis. </li></ul><ul><li>Resultado : Se tem consequências agradáveis, um comportamento é fortalecido, passando a ser emitido com mais frequência; se tem consequências desagradáveis (punição), um comportamento é enfraquecido, passando a ser emitido com menos frequência. </li></ul><ul><li>Conclusão : aprendemos com as consequências dos nossos actos, isto é, com o resultado do que fazemos. </li></ul><ul><li>Manual pág: 49/50 </li></ul>
  33. 39. TIPOS DE APRENDIGAZEM <ul><li>3 – APRENDIZAGEM POR OBSERVAÇÃO E IMITAÇÃO </li></ul><ul><li>Este tipo de aprendizagem pode ser definida como a modificação de um indivíduo, através da observação de uma sequência como se o próprio observador estivesse envolvido nessa sequência de acontecimentos. </li></ul><ul><li>“ Aprendemos sobretudo com as consequências dos actos das outras pessoas, ou seja, observando os resultados do que os outros fazem ” Bandura </li></ul>
  34. 40. A APRENDIGAZEM <ul><li>Aprendizagem por observação e imitação </li></ul><ul><li>http://www.youtube.com/watch?v=quqkR_LlQ5U </li></ul><ul><li>http://www.youtube.com/watch?v=kjTJmp3kXaU </li></ul>
  35. 41. TIPOS DE APRENDIGAZEM <ul><li>4 – APRENDIZAGEM COM RECURSO A SÍMBOLOS E REPRESENTAÇÕES </li></ul><ul><li>Toda a aprendizagem envolve uma relação e uma integração em relação a conhecimentos e pré-requisitos anteriores. Pressupões todo um conjunto de competências e esquemas mentais que obrigam à compreensão de uma simbologia e à capacidade de elaborar representações. </li></ul>
  36. 42. COMO APRENDER? <ul><li>A aprendizagem implica a existência de alguns factores (manual pág: 54) </li></ul><ul><li>A motivação </li></ul><ul><li>Os conhecimentos anteriores </li></ul><ul><li>A quantidade de informação </li></ul><ul><li>A diversificação das actividades </li></ul><ul><li>A planificação e a organização </li></ul><ul><li>A cooperação. </li></ul>

×