Pensamentos filosóficos  medieval
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

Pensamentos filosóficos medieval

  • 19,758 views
Uploaded on

A Idade Média compreendeu o período do século V (queda do Império Romano) ao século XV (inicio do Renascimento). Uma das características desse período foi a relação entre a Fé e Razão.

A Idade Média compreendeu o período do século V (queda do Império Romano) ao século XV (inicio do Renascimento). Uma das características desse período foi a relação entre a Fé e Razão.

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
19,758
On Slideshare
19,754
From Embeds
4
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
290
Comments
1
Likes
3

Embeds 4

http://casadebargh.tumblr.com 4

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Filosofia e Ética
    Pensamentos Filosóficos Medieval
  • 2.
    • Introdução
    • 3. Pensamento Filosófico Medieval
    • 4. Antonieta ( I d.c. - VII d.c.)
    • 5. Mal ( VIII d.c. - XIV d.c.)
    • 6. Renascença ( XIV d.c. - XVI d.c.)
    • 7. Influencias Filosóficas
    • 8.  Filosofia Cristã
    • 9. A igreja
    • 10. Patrística
    • 11. Santo Agostinho Hipone (354-439 d. c.)
    • 12. Escolástica
    • 13. São Thomás Aquino (1224-1274 d. c.)
    • 14. Breve resumo da idade media
    • 15. Antiga
    • 16. Clássica
    • 17. Tardia
    • Pensamento Filosóficos Medieval
    Durante um certo tempo, no final da Idade Antiga e início da Idade Média baixa, a Igreja oferecia uma certa resistência ao ensino e propagação da filosofia grega por achá-la herética. Porém, com a difusão das obras de Platão e Aristóteles, não foi mais possível ignorar a herança intelectual grega. A partir da aceitação da cultura pagã (filosofia), o ensino na Idade Média passou a contar com temas vinculados do saber profano à teologia sustentada na autoridade da revelação.
  • 18.
    • Antonieta ( I d.c. - VII d.c.)
    É um períodoque se caracterizapeloresultado dos esforços dos apóstolos (João e Paulo) e dos primeiros Padres daIgrejaparaconciliar a nova religião com o pensamentofilosóficomaiscorrentedaépoca entre osgregos e osromanos. Não obstante, tomoucomotarefa a defesadafécristã, frente as diversascríticasadvindas de valoresteóricos e morais dos “antigos”.
  • 19.
    • Mal ( VIII d.c. - XIV d.c.)
    Período bastanteinfluenciadopelopensamentosocrático e platônico (conhecidoaquicomoneoplatonismo, vindodafilosofia de Plotino). Ocupou-se emdiscutir e problematizarQuestõesUniversais. É nesseperíodoque o pensamentocristão firma-se como "FilosofiaCristã", quemaistarde se tornateologia.
  • 20.
    • Renascença ( XIV d.c. - XVI d.c.)
    É marcada pela descoberta de obras de Platão desconhecidas na Idade Média e novas obras de Aristóteles, ainda temos a recuperação de trabalhos de grandes autores e artistas gregos e romanos. São três as linhas de pensamento: Neoplatonismo e Hermetismo; Pensamentos florentinos e por fim o Antropocentrismo iniciático (homem dono do seu destino).Foi um período marcado por uma efervescência teórica prática, alimentada principalmente por descobertas marítimas e crises politico-culturais que culminaram em profundas críticas à Igreja Católica, que evoluíram para Reforma Protestante (a Igreja Católica responde com a Contra-Reforma e com a Inquisição).
  • 21.
    • Influencias Filosóficas
    • 22. Sócrates - (469-399 a.C)
    • 23. Platão - (427-347 a.C.)
    • 24. Aristóteles - (384-322 a.C)
    • Filosofia Cristã
    É marcada pela descoberta de obras de Platão desconhecidas na Idade Média e novas obras de Aristóteles, ainda temos a recuperação de trabalhos de grandes autores e artistas gregos e romanos. São três as linhas de pensamento: Neoplatonismo e Hermetismo; Pensamentos florentinos e por fim o Antropocentrismo iniciático (homem dono do seu destino).Foi um período marcado por uma efervescência teórica prática, alimentada principalmente por descobertas marítimas e crises politico-culturais que culminaram em profundas críticas à Igreja Católica, que evoluíram para Reforma Protestante (a Igreja Católica responde com a Contra-Reforma e com a Inquisição).
  • 25.
  • Durante a Idade Média (século V ao XV) a Igreja Católica conquistou e manteve grande poder. Possuía muitos terrenos (poder econômico), influenciava nas decisões políticas dos reinos (poder político), interferia na elaboração das leis (poder jurídico) e estabelecia padrões de comportamento moral para a sociedade (poder social). Como religião única e oficial, a Igreja Católica não permitia opiniões e posições contrárias aos seus dogmas (verdades incontestáveis). Aqueles que desrespeitavam ou questionavam as decisões da Igreja eram perseguidos e punidos. Na Idade Média, a Igreja Católica criou o Tribunal do Santo Ofício (Inquisição) no século XIII, para combater os hereges (contrários à religião católica). A Inquisição prendeu, torturou e mandou para a fogueira milhares de pessoas que não seguiam às ordens da Igreja.
  • 29. Neste sentido, a filosofia medieval ficou dividida entre as verdades profanas, constituída pela doutrina de Aristóteles, e as verdades cristãs, contidas nas sagradas escrituras e nas interpretações autorizadas dos textossacros. Foi neste contexto que surgiu a Patrística.
  • 30.
    • Patrística
    A Patrística do século II é caracterizada pelo encontro da filosofia grega com o cristianismo. Onde teve a primeira elaboração filosófica dos conteúdos do cristianismo pelos Padres da Igreja. Nesse período, a questão central reside na necessidade de conciliação da exigências da razão humana com a revelação divina. A partir do século v, a filosofia se separa da teologia, porém as duas mantêm relações, podendo-se afirmar que a filosofia é um instrumento a serviço da teologia. A patrística precede e prepara a escolástica, e sua principal característica reside no seu caráter apologético: é preciso defender os ideais cristãos perante os pagãos e convertê-los.Presencia-se também a retomada da filosofia platônica, pelo principal representante do período, Santo Agostinho, bem como do Neoplatonismo
  • 31.
    • Santo Agostinho Hipona (354-430 d.C.)
    Agostinho de Hipona foi o maior expoente da Patrística. Nasceu em Fagasta, na África, em 13/11/354, filho de um pagão e de uma cristã fervorosa, Mônica, depois, canonizada santa pela Igreja. A filosofia agostiniana se funda a partir da tríade: fé, esperança e amor, onde o sujeito do conhecimento está pronto para conhecer Deus, se for iluminado por Ele, pois, como no âmbito da física as coisas devem ser iluminadas pela luz do sol para serem conhecidas, o mesmo ocorre com relação às coisas divinas, pois Deus é o Sol que os ilumina.
    Agostinho encontra na filosofia a felicidade, passando a utilizá-la comoinstrumento em favor da fé, de onde tira a máxima: “Entender para crer e crer para entender.”
  • 32.
    • Escolástica
    • 33. É uma corrente filosófica nascida na Europa da idade média, q dominou o pensamento dos cristãos entre os séculos XI e XIV e teve como principal teólogo italiano São Tomais de Aquino.
    • 34. Basicamente, a questão chave que vai atravessar todo pensamento escolástico é a harmonização de duas esferas: a fé e a razão.
    • São thomás Aquino (1224-1274 d. c.)
    Célebre filósofo e teólogo medieval, o italiano Aquino procurou harmonizar a doutrina aristotélica com a doutrina cristã e defendeu a existência de um acordo entre a fé e a razão. Em sua obra “Suma Teológica”, Aquino desenvolve cinco argumentos que seriam as provas da existência de Deus. Mostra também elementos de sua filosofia moral. Ele e Aristóteles acreditavam que a felicidade humana é o objetivo de todos nesta vida. Para Aquino, a felicidade deveria ser alcançada de uma forma moral. Ele define quatro virtudes essenciais para alcançarmos a bondade moral: prudência, justiça, força e temperança(. . .)
    “Ninguém pode nesta vida ter satisfeitas as suas aspirações, porque nunca um bem criado sacia as aspirações humanas de felicidade".
  • 35. Caça as Bruxas:Foi uma perseguição religiosa e social que começou no final da Idade Média  e atingiu seu apogeu na Idade Moderna  . Antigas religiões pagãs e matriarcais eram tidas como satânicas. Mulheres eram queimadas em fogueira sob o menor pretexto. Um tipo de paranóia social.
    A Fogueira:A execução na fogueira tem uma longa história como forma de punir a traição ao rei, heresia e casos de bruxaria principalmente nos tempos da Inquisição. Na idade média era comum serem executados na fogueira vários condenados simultaneamente. Actualmente ainda se registra a prática deste método de execução em países como a Índia e o Quénia bem como no continente africano.
  • 36.
    • O fim da era Medieval
    Esse período iniciou com a queda do Império Romano e terminou aproximadamente no meio do Século XV. Determinar o fim da Era medieval e o início da Renascença.
    • Filosofia Medieval
    • 37. Analise filosófica - O Nome da Rosa
    • 38. São Agostinho e São Tomás
  • 25 /05/2011
    Alunos:Andreza Di LucciaDartcleia MouraDeboraRievrsJéssica de RodriguesKassiane SouzaMarina TavaresVinicius da Gama
    Profo Mestre Obertal Xavier Ribeiro
  • 39. Obrigado!!!