Realismo
• Movimento do Séc. XIX, que
tem início mais ou menos na
década de 30.
• Tem como marco associado o
aparecimento ...
Realismo
...«Assim, como outrora o
homem do romantismo sentia a
nostalgia do passado, a partir
de agora os ideais irão ser...
Realismo
“Eu não posso
pintar um anjo
porque nunca vi
nenhum. Mostrem-
me um anjo e eu
pintá-lo-ei.”
Gustave Coubert
“A or...
Realismo
O Realismo é uma forma de
expressão artística que
procura reproduzir de forma
mais ou menos evidente e
naturalist...
Realismo
Caracteriza-se por:
• Pintura figurativa
• Retratavam-se cenas reais
• Não apenas as mais «belas»
• Outras realid...
Naturalismo e Realismo
No século XIX, o termo
Realismo estava
associado ao conceito de
Naturalismo, corrente
estética que ...
Naturalismo e Realismo
O interesse dos artistas pela
realidade visível manifestou-se
primeiramente em França com
um grupo ...
Naturalismo e Realismo
“A pintura do século XIX fez sua primeira ruptura com a literatura quando, na
pessoa de Coubert, fu...
Naturalismo e Realismo
A natureza:
•Era o tema principal
•Amada com intensidade
•Estudada direta e objectivamente
•Única f...
Realismo
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Realismo

792 views
647 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
792
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
23
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Realismo

  1. 1. Realismo • Movimento do Séc. XIX, que tem início mais ou menos na década de 30. • Tem como marco associado o aparecimento da Fotografia «(…) realizava-se uma série de descobrimentos científicos dos mais variados géneros, que fomentaram a eclosão de uma doutrina optimista: o do progresso social.» ... A Lavadeira, Honoré Daumier, 1863
  2. 2. Realismo ...«Assim, como outrora o homem do romantismo sentia a nostalgia do passado, a partir de agora os ideais irão ser projectados para o futuro. Em vez de sonhar, como antes, com a melhoria utópica de uma vida que lhe aparecia como algo substancialmente imutável, o homem orienta agora as suas especulações a partir da realidade: torna-se realista» Gustave Coubert
  3. 3. Realismo “Eu não posso pintar um anjo porque nunca vi nenhum. Mostrem- me um anjo e eu pintá-lo-ei.” Gustave Coubert “A origem da Vida”, Gustave Coubert
  4. 4. Realismo O Realismo é uma forma de expressão artística que procura reproduzir de forma mais ou menos evidente e naturalista o mundo e os objectos da realidade envolvente, surgindo de forma cíclica ao longo da história e tendo como grande impulsionadora a França. O Angelus, Jean-François Millet, 1858-1859
  5. 5. Realismo Caracteriza-se por: • Pintura figurativa • Retratavam-se cenas reais • Não apenas as mais «belas» • Outras realidades, como a pobreza, as más condições de vida • A degradação • A parte «feia» da vida Marques D’Oliveira
  6. 6. Naturalismo e Realismo No século XIX, o termo Realismo estava associado ao conceito de Naturalismo, corrente estética que reagiu contra o subjectivismo romântico e o idealismo classicista. As Respigadoras, Jean-François Millet, 1857
  7. 7. Naturalismo e Realismo O interesse dos artistas pela realidade visível manifestou-se primeiramente em França com um grupo de pintores que, nos anos 30 do séc. XIX, abandonou a agitação urbana que então se vivia e o rigoroso academismo da época, para se instalar em plena Floresta de Fontainebleau, na aldeia de Barbizon, onde desenvolveu uma pintura da Natureza, em pleno ar livre, inaugurando a pintura fora dos ateliers. Clara ou Torcendo a Roupa, José Malhoa, 1903
  8. 8. Naturalismo e Realismo “A pintura do século XIX fez sua primeira ruptura com a literatura quando, na pessoa de Coubert, fugiu do espírito para a matéria. Courbet, o primeiro verdadeiro pintor da vanguarda, tentou reduzir a sua arte a dados sensoriais imediatos, pintando unicamente o que os olhos podiam ver, como uma máquina sem o auxílio do espírito.”
  9. 9. Naturalismo e Realismo A natureza: •Era o tema principal •Amada com intensidade •Estudada direta e objectivamente •Única fonte de inspiração •Esta «corrente» ainda se mantém nos nossos dias... Charneca de Belas, Silva Porto

×