Your SlideShare is downloading. ×
Processo de Fabricação de Acrílico
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Processo de Fabricação de Acrílico

6,201
views

Published on

Artigo elaborado para a disciplina Equipamentos Industriais, sobre o processo de fabricação de acrílicos, tendo uma abordagem voltada para os equipamentos envolvidos e o processo de fabricação.

Artigo elaborado para a disciplina Equipamentos Industriais, sobre o processo de fabricação de acrílicos, tendo uma abordagem voltada para os equipamentos envolvidos e o processo de fabricação.


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
6,201
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
95
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. PROCESSO DE PRODUÇÃO DO ACRÍLICO Componentes: Jason Levy Reis de Souza Tamires Gregório Meneses Victoria Bevenuto Cabral Victor Said Santos Sousa
  • 2. INTRODUÇÃO Plásticos são substâncias formadas através dos derivados do petróleo e que são formadas por cadeias de polímeros. Dividem-se em: Termoplásticos e Termorrígidos
  • 3. TERMOPLÁSTICOS E TERMORRÍGIDOS Termoplásticos: são plásticos que quando submetidos a altas pressões e temperaturas permitem alterações físicas, sem perda da composição química original. Termorrígidos: são aqueles que quando submetidos a altas temperaturas e pressões alteram sua composição química.
  • 4. DEFINIÇÕES IMPORTANTES  Monômeros  Polimerização  Polímeros
  • 5. POLÍMEROS Substância macromolecular. Em geral são constituídas por unidades estruturais Repetitivas. Poli= varias, meros= partes.
  • 6. TIPOS DE POLÍMEROS: NATURAL, ARTIFICIAL, SINTÉTICOS Natural: se obtêm diretamente da natureza. Exemplo: látex. Artificial: são obtidos através da manufatura das substancias. Exemplo: caseína Sintéticos: é através da ação humana, processos de transformações. Exemplo: reações químicas.
  • 7. FORMAÇÃO QUÍMICA DO ACRÍLICO  Polimetilmetacrilato (PMMA)  Composição Química: C5O2H8  Monômero metil propenoato de metila  Ponto de Fusão: -40°C  Ponto de Ebulição: 101°C
  • 8. CARACTERÍSTICAS EPROPRIEDADES DO ACRÍLICO Polímero Termoplástico Leveza e alta resistência Duro, rígido e resistente; Excelente resistência à radiação UV e às intempéries; Boa resistência química;
  • 9. HISTÓRICO Descoberta em 1843 Expansão em 1901 Descoberta de monômeros 1927 a Rohm & Haas produziu industrialmente o primeiro polímero acrílico (polimetil acrilato). 1932, inglês J. W. C. Crawford da ICI, desenvolve uma forma fácil de obter o PMMA.
  • 10. VANTAGENS Alta resistência a quebra Pode ser utilizado em temperaturas superiores as que o vidro suportaria Maior resistência a choques térmicos Menor densidade com relação ao vidro Alta durabilidade
  • 11. DESVANTAGENS Inflamável Menor rigidez comparado ao vidro Sofrem rachaduras na superfície quando expostas a altas voltagens (crazing)
  • 12. UTILIZAÇÃO DO ACRÍLICO
  • 13. UTILIZAÇÃO DO ACRÍLICO
  • 14. UTILIZAÇÃO DO ACRÍLICO
  • 15. CURIOSIDADES: CRAZINGO Crazing ocorre quando o acrílico é submetido aaltas tensões.
  • 16. FABRICAÇÃO  Há dois processos para a fabricação de Acrílico:  Processo de Fundição ou Cast  Processo de Extrusão
  • 17. PROCESSO CAST OU FUNDIÇÃO Este processo divide-se basicamente em dois momentos: Criação do “Xarope Acrílico”  Mistura de MMA e Plastificadores em um Reator;  Encaminhamento para o Tanque Misturador, que irá efetuar a mistura do MMA + Plastificadores com Nitrogênio;  Filtragem da nova substância;  O “Xarope Acrílico” está pronto. Criação das Placas Acrílicas
  • 18. FABRICAÇÃO DO “XAROPE ACRÍLICO”
  • 19. SIMPLIFICANDO O PROCESSO
  • 20. MALHA, RELATIVA, DA PRODUÇÃO DO XAROPE ACRÍLICO
  • 21. PROCESSO DE FUNDIÇÃO
  • 22. PROCESSO DE FUNDIÇÃO
  • 23. PROCESSO DE FUNDIÇÃO
  • 24. PROCESSO DE FUNDIÇÃO
  • 25. PROCESSO DE FUNDIÇÃO
  • 26. PROCESSO DE FUNDIÇÃO
  • 27. PROCESSO DE FUNDIÇÃO
  • 28. PROCESSO DE FUNDIÇÃO
  • 29. PROCESSO DE FUNDIÇÃO
  • 30. PROCESSO DE FUNDIÇÃO
  • 31. PROCESSO DE FUNDIÇÃO
  • 32. PROCESSO DE FUNDIÇÃO
  • 33. PROCESSO DE FUNDIÇÃO
  • 34. PROCESSO DE FUNDIÇÃO
  • 35. PROCESSO DE FUNDIÇÃO
  • 36. PROCESSO DE FUNDIÇÃO
  • 37. DIAGRAMA DA PRODUÇÃO DA CHAPA ACRÍLICA Encaminhamento dos Moldes Preparação dos Início do Processo prontos e Selados Moldes de Vidro de Fundição para o processo de Polimerização na Autoclave Selamento Transporte eChapa de Acrílico externo com separação das Pronta. filmes de proteção chapas de acrílicos
  • 38. EQUIPAMENTOS UTILIZADOS - CAST Tubulações Industriais Reatores Tanques Misturadores Filtros Quanto ao Transporte: braços robóticos, guindastes, empilhadeiras, roletes, carrinhos de mão, dispositivos de grab, paleteiros elétricos e manuais e guinchos elétricos Autoclave
  • 39. TUBULAÇÕES INDUSTRIAIS As principais variáveis controladas neste equipamento são: pressão e vazão, mas em casos específicos torna-se indispensável, também, a medicação da temperatura.
  • 40. REATORES As principaisvariáveis controladas neste equipamento são: temperatura e pressão, sendo importante também controlar o nível e vazão.
  • 41. TANQUES MISTURADORES As principais variáveis controladas neste equipamento são: nível e vazão, mas é indispensável o controle da temperatura e pressão dentro do tanque.
  • 42. FILTROS INDUSTRIAIS As principais variáveis controladas neste equipamento são: nível e vazão, mas é indispensável o controle da temperatura e pressão dentro do tanque.
  • 43. QUANTO AO TRANSPORTE
  • 44. AUTOCLAVE As principais variáveis controladas neste equipamento são: temperatura e pressão.
  • 45. PROCESSO DE EXTRUSÃO
  • 46. PROCESSO DE EXTRUSÃO
  • 47. RESINA ACRÍLICA
  • 48. O PROCESSO
  • 49. A EXTRUSORA
  • 50. O PROCESSO
  • 51. O PROCESSO
  • 52. O PROCESSO Aquecimento à 250°C
  • 53. O PROCESSO
  • 54. O PROCESSO
  • 55. O PROCESSO
  • 56. CONCLUSÃO
  • 57. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS INSTITUTO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DO ACRÍLICO. O que é o INDAC?. Disponível em: <www.indac.org.br>. Acesso em: 18 de set de 2012. CASA E JARDIM. Móvel ou obra de arte? Disponível em: <revistacasaejardim.globo.com>. Acesso em: 18 de set de 2012. INDAC A Produção do Acrílico. Disponível em: <www.indac.org.br>. Acesso em: 18 de set de 2012. LUMINÁRIAS DE TETO INCRIVÉIS. Disponível em:<andhesloveu.blogspot.com.br>. Acesso em: 18 de set de 2012.
  • 58. REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS ______. Arte Lichtenberg. Disponível em: <funsurfer.wordpress.com>. Acesso em: 18 de set de 2012. DIÁRIO URBANO. As Formigas Gigantes em Curitiba. Disponível em: <diariourbano.com.br>. Acesso em: 18 de set de 2012. McPlast. Disponível em: <www.macplast.com.br>. Acesso em: 18 de set de 2012.
  • 59. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS SILVA, Antônio Gonçalves da. O Uso de Resina Acrílica na Conservação de Documentos Arquivísticos e Bibliográficos. Disponível em: <www.restaurabr.org>. Acesso em: 20 de setembro de 2012. ANGE, Catia Rosana. Estudos das Condições Operacionais do Processo de Tingimento de Fibra Mista Acrílica/ Algodão em Bobina Cruzada. Disponível em: < www2.enq.ufsc.br>. Acesso em: 20 de setembro de 2012. BARCZA, Marcos Villela. Esterificação. Disponível em: <www.dequi.eel.usp.br>. Acesso em: 22 de setembro de 2012.
  • 60. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BELLO, Fábio de Oliveira. Desenvolvimento Tecnológico Orientado ao Mercado – Um Estudo de Caso de Cadeia Produtiva do Ácido Acrílico. Disponível em: <www.eq.ufrj.br>. Acesso em: 20 de setembro de 2012. SAMPAIO, Reinaldo de A. Polímeros – Propriedades, Aplicações e Sustentabilidade na Construção Civil. Disponível em: <pt.scribd.com>. Acesso em: 20 de setembro de 2012.