Your SlideShare is downloading. ×
Textos sobre bullying  dos alunos do 6º ano
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Textos sobre bullying dos alunos do 6º ano

6,045
views

Published on

Produção de texto dos alunos das turmas 601 e 602 sobre bullying.

Produção de texto dos alunos das turmas 601 e 602 sobre bullying.

Published in: Education

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
6,045
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
25
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Produção de Texto Tema: Bullying na escola Imagem da Web. Alunos das turmas 601 e 602 do 6º do Ensino Fundamental Mediação: Ana Lúcia Fellet – Português Vera Moreira – Sala de Informática Outubro e Novembro/2013 Após assistir a vídeos e ler livros sobre o tema, os alunos refletiram e discutiram sobre a importância de não praticar o bullying. Em Sala de Aula produziram textos e digitaram na Sala de Informática utilizando editor de texto: Imagem: arquivo da escola
  • 2. Textos da Turma 601 Amanda Antonelli, Bruna Amaral, Vitor Hugo 601 28/11/2013 Bullying na Escola : Roubo de Material Era uma vez uma menina chamada Luíza. Ela era muito amada pelos pais e tinha acabado de mudar de escola. Não era muito aceita na escola pelos colegas. Um dia, eles resolveram implicar com ela e começaram a roubar seu material. Ela não contava para seus pais porque tinha medo dos colegas fazerem alguma coisa com ela. Roubaram sua caneta da sorte, roubaram seu apontador, sua borracha e outros materiais que ela gostava muito! Ela ficava cada vez mais triste, pois comprava material e eles roubavam. Certo dia, ela não conseguiu se segurar, começou a chorar escondida dentro do banheiro da escola. A diretora estava passando na hora e ouviu-a chorando e foi ver. Ela perguntou: - O que houve Luíza? - Estão roubando meus materiais. - Você já contou para seus pais ? - Não, porque eu tenho medo. - Mas você tem que contar. - Pode deixar. Ela foi para casa, entrou no quarto e criou coragem para contar: - Mãe, pai, estão roubando meu material na sala de aula. Filha, você tinha que ter nos contado. Eles foram à escola e resolveram o problema. Os meninos foram expulsos da escola e devolveram todo o material. Gustavo, Rafaela e Maria Clara 601 28/11/2013 Bullying Na Escola:Bullying Religioso Jade era uma menina muçulmana,que veio morar no Brasil. Na escola, ela sofria bullying por causa dá suas roupas. Ela ficou muito triste porque todos da sala ficavam zombando dela. Ela foi falar com seus pais e eles foram à escola falar com a professora. Ela ficou espantada e foi falar com seus alunos. Explicou para todos eles que na religião que Jade seguia era normal usar aquelas roupas. Todos pararam de zombar dela e viraram amigos. _______________________________________________________________________________ Barbara Kathlyn e Matheus Camilo 601 28/11/2013 O BULLYNG NA ESCOLA: PRECONCEITO FÍSICO É um preconceito em relação as diferenças físicas como: altura, peso, cor, religião e cabelo. Esse preconceito afeta as vítimas de tal forma fazendo com que enxerguem só seus “defeitos”. Geralmente, as pessoas que praticam bullying sentem a necessidade de machucar e
  • 3. oprimir a vítima. As pessoas que praticam o bullying, na verdade, precisam da ajuda de um psicólogo. Vamos evitar a prática do bullying, pois é crime! Caroline Monteiro e Rodrigo de Mattos 601 28/11/2013 Bullying na Escola: Medo de Gaguejar Um homem chamado seu Zé, veio da roça pra Juiz de Fora para arrumar um emprego de balconista. Era muito difícil atender aos clientes porque ele era gago e por isso, era sempre ''zuado'' pelos seus colegas de trabalho e pelos clientes. Ele tinha um irmã de consideração que se chamava Antônio e que sempre o ajudava, quando ele precisava. Um dia, Antônio falou com seu Zé: – Não fique assim sofrendo! Deixe eu te ajudar! Seu Zé falou: – Sim, e-eu d-deixo. Os dois foram falar com seu patrão sobre as zombarias e as piadas de mau gosto. E o patrão disse: – Pode deixar, eu te ajudo. E o patrão foi lá e deu uma bronca nos funcionários. Desta forma, se resolveu o problema do bullying. _______________________________________________________________________________ Débora e Geovana 601 28/11/2013 Bullying na escola: Bullying Regional O bullying regional é o deboche contra o sotaque de uma pessoa. As pessoas que sofrem este tipo de bullying ficam tristes, não têm vontade de brincar, de comer, sair do quarto, até querem sair da escola. Edna é uma das milhares de crianças que sofre bullying regional na escola. Quando isso acontece, as vítimas devem avisar aos seus pais ou responsáveis porque eles podem ajudar a resolver esse problema. Giulia, Barbara e Henrique 601 28/11/2013 Bullying na escola: A exclusão do grupo A exclusão do grupo é praticada, principalmente, nas escolas. É difícil para as crianças e jovens que se mudaram para determinado local pois, quando chegam, os grupos de meninas e meninos os excluem pelos seus defeitos , deixando-os isolados e tristes.
  • 4. Esse bullying leva a pessoa à agressividade e até à morte. Os jovens se consideram populares e se separam em grupos. Bullying é ruim . Não cometa esse erro ! Faça amigos e seja feliz! Bullying é coisa séria ! Larissa Ferreira e Ícaro Dias 601 28/11/2013 BULLYING NA ESCOLA: AGRESSÃO FÍSICA Joãozinho tinha língua presa e morava no interior. Quando se mudou para cidade teve um grande problema na escola, onde os meninos brincavam de “bucha”, uma brincadeira que a cada palavra errada era motivo de agressão física. Quando em casa, falava com sua mãe que tinha caído. Cansado de sofrer calado, resolveu contar para seu avô que contou para seus pais. Eles conversaram com a direção da escola que tomou providência . Esses meninos nunca mais brincaram de “bucha”, pois levaram suspensão e um corretivo de seus pais. Samira e João Victor 601 28/11/13 Bullying na escola:Maledicência e fofocas Maledicência e fofocas são um tipo de bullying que pode trazer à pessoa a doença, tristeza e pode até chegar a cometer um crime. O bullying acontece em todos os lugares. Não podemos esconder o que acontece conosco na escola. Se formos criticados, xingados ou acontecer alguma agressão física, devemos contar a nossos pais e familiares. Textos da Turma 602 Imagem: arquivo da escola
  • 5. Andrezza e Kathrein 602 18/11/2013 O bullying na escola: maledicência e fofocas Era uma vez uma menina que se chamava Verônica. Ela era uma menina graciosa de olhos verdes e cabelos cacheados. Pena que a beleza da menina tenha atraído tanta inveja! Samara e Ana começaram a espalhar mentiras para as colegas de classe .Ela não toma banho! E assim todos foram se afastando dela. Até a melhor amiga de Verônica já não fazia questão de sua companhia. Dias foram passando e cada vez mais crianças implicavam com a menina que só andava triste . Verônica não queria ir mais à escola e, como não estava aguentando mais, contou para seus pais que foram conversar com diretora para esclarecer a situação com os alunos. Aqueles que estavam implicando com Verônica, ficaram envergonhados e desmentiram tudo o que tinham falado. Assim, Verônica voltou a brincar com os alunos da classe... Gabrielle e Lais 602 18/11/2013 BULLYING NA ESCOLA: LIVRE PARA SEGUIR A SUA CRENÇA Era uma vez uma menina chamada Carla. Ela pertencia a uma família árabe. No país onde morava, eles usavam roupas estranhas como turbantes e se vestiam como muçulmano. A sua família veio para o Brasil. Seu pai e sua mãe colocaram-na numa escola chamada Moranguinho. Quando chegou na sala, a professora, apresentou-a para os colegas. Todo mundo achou Carla muito estranha... No recreio só duas meninas foram conversar com ela. As outras meninas até ameaçaram de bater e fazer muitas “sacanagens”. Para as meninas não sofrerem se afastaram de Carla. Ela ficou muito triste e nem conseguia comer. Suas notas não eram muito boas. Carla contou para os seus pais o que estava acontecendo. Eles foram à escola e conversaram com a diretora e com a professora. Depois disso, todas as crianças que ficavam “zoando”-a foram punidos e os outros viraram todos os seus amigos. Letícia e Samuel 602 18/11/2013 Bullying na escola: Agressão Física Raul sofria de Bullying por causa do seu sobrenome Leite . Seus amigos batiam-no por ele ser meio bobo. Raul chegava em casa todo machucado e não contava nada a seus pais. Suas notas estavam piorando.
  • 6. Um dia ele resolveu contar para seus pais que foram conversar com a diretora. Esta suspendeu os meninos. Os colegas pediram desculpas ao Raul, e todos ficaram seus amigos. Anna Clara e Juan 602 18/11/13 Bullying na escola: todo mundo tem sotaque Em uma escola havia uma menina que se chamava Sofia. Ela tinha acabado de se mudar para a cidade e estava toda empolgada, para o seu primeiro dia de aula na escola nova. Mas, no primeiro dia de aula, Sofia escutou umas risadinhas e deixou pra lá. No outro dia, ela descobriu que as risadas eram pra ela. A menina ficou triste. Os dias foram se passando e as brincadeiras foram ficando mais sérias. Os meninos começaram a “zoar” o seu sotaque, suas roupas. Sofia ficou chorando o dia inteiro. Não queria comer, nem ir à escola. A sua mãe perguntou o que estava acontecendo e a menina contou. Ela aconselhou Sofia a deixar pra lá. Ela tentou, mas não conseguiu deixar de lado e falou para mãe que queria mudar de escola. A sua mãe foi à escola falar com a diretora. A diretora foi na sala e conversou com os alunos e explicando-lhes que o que eles estavam fazendo era bullying. Eles pararam de fazer isso e viraram amigos. Sofia nunca mais quis mudar de escola. Bruna e Achilles 602 18/11/2013 Bullying na escola: exclusão do grupo Mateus e Ana mudaram de escola. Estavam muito animados para seu primeiro dia de aula. Ana se deu bem na escola, mas Mateus não. Ninguém queria ser seu amigo. Certo dia, Mateus percebeu que no dia que Juan faltava aula, os outros meninos brincavam com ele. Então, no dia seguinte, Mateus perguntou a Juan porque não gostava dele. Ele respondeu: – Não preciso dar satisfação da minha vida para você! Mateus ficou tão triste que parou de fazer tudo que gostava. A sua mãe, preocupada, decidiu ir à escola ver o que estava acontecendo. A diretora e a professora conversaram com a turma e descobriram que Jun influenciava os colegas. Depois disso, os meninos se tornaram amigos de Mateus e de Juan.
  • 7. Marina e Marlon 602 18/11/2013 Bullying na escola: Defeito mesmo é desrespeito Pedro era um menino muito estudioso e muito bom em jogos. Ganhava muitas medalhas, mas tinha dificuldade em fazer amigos, pois ele era deficiente, nasceu sem uma perna. Tinha um grupo de garotos na escola que ficava zombando da deficiência dele. Já fazia quatro semanas... Ele ficou muito triste. Pedro foi falar para os tios com quem morava e eles foram à diretoria da escola. A diretora ficou surpresa, avisou as mães dos meninos e suspendeu-os por uma semana. Depois disso, ele voltou a ser aquele menino bom que sempre foi, mas agora com muitos amigos! Bruno e Natália 602 18/11/2013 Bullying na escola: agressão verbal Agressão verbal é muito comum. As pessoas que praticam esse tipo de bullying são pessoas bobas. Quem sofre esse tipo de bullying fica chateada e sofre porque tem medo de contar para os responsáveis. Podemos evitar isso chamando a atenção de quem pratica. Então, não devemos praticar o BULLYING. Gustavo Lima e Lohaine 602 18/11/2013 Bullying na escola: medo de gaguejar Essa história é de um menino que foi do Amazonas para o Rio de Janeiro porque sua mãe recebeu uma proposta de emprego. Na nova escola de Douglas tudo começou bem, até que chegou a hora da aula de leitura e a professora pediu-lhe para ler. O menino, um pouco acanhado, começou a ler. Só que no primeiro parágrafo, Douglas começou a gaguejar e começou a ser motivo de risadinhas e piadinhas. Na hora do recreio começou a sofrer bullying. Depois de um tempo foi ficando muito estressado e foi diminuindo seu rendimento na escola. Seus pais ficaram interessados em saber o motivo do mau rendimento de Douglas e foram à escola conversar com a direção. Durante a conversa, Douglas contou que sofria agressão tanto física, quanto verbal. Os agressores foram punidos e obrigados a pedir desculpas em público para Douglas na escola . Douglas melhorou a gagueira e parou de sofrer bullying.
  • 8. José Afonso e Leandra 602 18/11/2013 Bullying na escola: quem zomba tem inveja Ivo era um menino muito estudioso que sempre tirava notas boas. Ele sofria Bullying Verbal na escola. Ivo sempre sofria gozação na hora do recreio, no caminho da escola e no caminho de casa. Ele era chamado de Ivo pinico. Também sofria Bullying de pessoas que ele nem conhecia... Ivo começou a não comer direito e não conseguia dormir por causa do bullying. Um dia, ele chegou e contou para os pais tudo que acontecia com ele na escola. Os pais foram até a escola falar com diretora o que estava acontecendo. Os colegas dele foram para a diretoria e, no fim, eles ficaram amigos. Juiz de Fora, 30 de novembro de 2013. Imagem da Web. E você, o que acha da prática do Bullying? Reflita...