Caderno da Programação do VIII CBA-Agroecologia
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Caderno da Programação do VIII CBA-Agroecologia

on

  • 1,014 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,014
Views on SlideShare
995
Embed Views
19

Actions

Likes
0
Downloads
24
Comments
0

1 Embed 19

http://cbaagroecologia2013.wordpress.com 19

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Caderno da Programação do VIII CBA-Agroecologia Caderno da Programação do VIII CBA-Agroecologia Document Transcript

  • Acompanhe ao vivo o CBA-Agroecologia: http://goo.gl/2w0bPj Acompanhe o CBA-Agroecologia pelas redes sociais: http://goo.gl/PsB7wH
  • COMISSÃO EXECUTIVA GERVÁSIO PAULUS – PRESIDENTE DO VIII CBA-AGROECOLOGIA – EMATER/RS CÍNTIA BARENHO – SECRETÁRIA EXECUTIVA DO VIII CBA-AGROECOLOGIA – EMATER-RS ANA VALLS ATZ – AGAPAN CARLOS ALBERTO B. MEDEIROS – EMBRAPA DALVA SCHREINER – MDA DULPHE PINHEIRO MACHADO NETO – EMATER-RS EMANUELLE CAVAZANI MAGIERO – SDR EROS MUSSOI – ABA FÁBIO DAL SOGLIO – UFRGS INES BURG – ABA JOÃO CARLOS COSTA GOMES – EMBRAPA LEONARDO MELGAREJO – INCRA MARCIO BERBIGIER – INCRA RODRIGO SASSO RODRIGUES – SDR COMISSÃO ORGANIZADORA ADRIANE BERTÓGLIO RODRIGUES – EMATER/RS AGDA REGINA YATSUDA IKUTA – SDR/RS ALINE LONDERO – SEAPA ÁLVARO BERNARDI – EMATER/RS ANDRÉ STRASSBURGER – FEPAGRO BRUNA CABRAL – GATS/UFSM BRUNO SILVA PERES – UFRGS DANIELE CAVICHIOLI BARBOSA – VIA CAMPESINA DARCI CAMPANI – ABES ELOIR MISSIO – UNIPAMPA FABÍOLA LOPES – SEAPA FELIPE AMARAL – FZB FELIPE BRATZ – UFRGS FERNANDO FELISBERTO DA SILVA – UNIPAMPA FLÁVIA CHARÃO MARQUES – UFRGS GUILHERME A. ABREU – UFRGS IANA SOMAVILLA – GATS/UFSM JOSÉ ERNANI SCHWENGBER – EMBRAPA JOSÉ GERALDO WIZNIEWSKY – CCR/UFSM JUAN SAAVEDRA DEL AGUILA – UNIPAMPA LIA REINIGER – CCR/UFSM LISIANE G. BROLESE – UFRGS LUCAS DA ROCHA FERREIRA – UFRGS LUÍSA DE ANTONI BASSANESI – UFRGS LUIZA CHOMENCKO – FZB MARTA TEJERA KIEFER – EMATER/RS MATEUS DE OLIVEIRA DA SILVA – EMATER/RS PATRÍCIA LIMA – UFRGS PAULO MENDES FILHO – EMATER/RS PAULO ROBINSON SAMUEL – ABES POTIRA PREISS – UFRGS RAFAEL SEVERINO DA SILVA – BANRISUL RAQUEL AGUIAR – EMATER/RS RAYSA TOWNSEND CARRARO – EMATER/RS SANDRA RODRIGUES – VIA CAMPESINA SIMONE AZAMBUJA – BANRISUL VALCIR DE OLIVEIRA – VIA CAMPESINA VERONI R. FERNANDES – ASAE VICENTE CZERMAK – UFRGS YURI PINHEIRO – UFRGS COMISSÃO TÉCNICO-CIENTÍFICA FABIO DAL SOGLIO (COORDENADOR) – UFRGS VALÉRIA DIAS DA COSTA LEMOS (EDITORA GERENTE CADERNOS DE AGROECOLOGIA) – RBA/ABA ANDRÉ SAMUEL STRASSBURGER – FEPAGRO BENEDITO SILVA NETO – UFFS/CERRO LARGO CLAUDIO BECKER – UFPEL DÉCIO COTRIM – EMATER/RS ELOIR MISSIO – UNIPAMPA FERNANDA NOVO DA SILVA – UFPEL FERNANDO FELISBERTO DA SILVA – UNIPAMPA /ITAQUI FLÁVIA CHARÃO MARQUES – UFRGS FLÁVIO SACCO DOS ANJOS – UFPEL GLAUCO SCHULTZ – UFRGS INGRID BERGMAN INCHAUSTI DE BARROS – UFRGS JOEL HENRIQUE CARDOSO – EMBRAPA-CT JOSÉ ERNANI SCHWENGBER – EMBRAPA-CT JOSÉ GERALDO WIZNIEWSKY – UFSM JUAN SAAVEDRA DEL AGUILA – UNIPAMPA/DOM PEDRITO LIA REJANE SILVEIRA REINIGER – UFSM LISIANE GONÇALVES BROLESE – UFRGS LUCIANO SILVA FIGUEIRÊDO – UESPI/UFRGS MAGNÓLIA SILVA – UFRGS MARLOVE BRIÃO MUNIZ – UFSM NÁDIA VELLEDA CALDAS – UFPEL PATRÍCIA LOVTTO – UFPEL PAULO CESAR DO NASCIMENTO – UFRGS RUMI REGINA KUBO – UFRGS SANTIAGO FELIPE PEREDO – USACH (SANTIAGO, CHILE) SANTIAGO JAVIER SARANDON – UNLP (LA PLATA, ARGENTINA) SHIRLEY G. NASCIMENTO ALTEMBURG – UFPEL SIMONE MUNDSTOCK JAHNKE – UFRGS ULISSES PEREIRA DE MELLO – UFFS/ERECHIM
  • 3 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia Sumário Apresentação ..................................................................................................... 4 Saudação do Presidente da ABA-Agroecologia .................................................... .. . 5 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia .............................................................. 7 V Encontro Nacional dos Grupos de Agroecologia (ENGA) ........................................ 7 Quadro de Programação do VII CBA - Agroecologia ................................................. 8 Tertúlia ............................................................................................................. 13 Programação dos trabalhos apresentados oralmente e relatos de experiências ........... 14 Programação Relação de pôsteres que serão apresentados ........................................ 33 Programação das Oficinas Autogestionárias ............................................................ 73 Mostras Fotográfica e Audiovisual ......................................................................... 76 Programação cultural .......................................................................................... 77 Mostra de Sociobiodiversidade .............................................................................. 77 Feira dos Produtos da Sociobiodiversidade .............................................................. 77 Agenda de eventos paralelos do VIII CBA - Agroecologia .......................................... 79 A Ciranda .......................................................................................................... 80 Alimentação: conheça as opções de restaurantes da PUCRS ...................................... 80 Informações úteis de Porto Alegre ........................................................................ 81 Endereços e Mapa do VII CBA - Agroecologia .......................................................... 83 Espaço para anotações ....................................................................................... 87
  • 4 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia Apresentação “Não há nada mais poderoso que uma idéia cujo tempo chegou” (Victor Hugo) Estimadas e estimados congressistas, O objetivo principal deste evento é ser um espaço para debate, reflexão e intercâmbio de experiências e conhecimentos, teóricos e práticos, entre pesquisadores, técnicos, agricultores e cidadãos que aqui participam, contribuindo assim no processo de construção paradigmática para orientar estratégias de desenvolvimento rural e estilos de agricultura de base ecológica e com base nos princípios da Agroecologia. Ao completar uma década desde o seu surgimento, nesta mesma cidade e local, esta edição traz como tema “Cuidando da saúde do planeta”, propondo uma reflexão crítica sobre os limites do modelo produtivo atual, onde estamos e para onde vamos, as possibilidades de se construir novas relações, com base em um novo paradigma de desenvolvimento e de agricultura. Serão motivo de debates em painéis e apresentações temas que tratam sobre: Agroecologia e Saúde Humana; uma nova visão de Economia; a importância da diversidade para a Saúde do Planeta; o papel da Agroecologia como base para a Educação e; a Saúde dos Agroecossistemas. Também teremos oportunidade de fazer uma reflexão e uma avaliação sobre os avanços e dificuldades enfrentadas nessa caminhada, especialmente, a partir da realização dos Congressos Brasileiros de Agroecologia e da constituição da ABA-Associação Brasileira de Agroecologia, fundada neste mesmo espaço, durante o II CBA-Agroecologia. Ao longo desses 10 anos, o Congresso Brasileiro de Agroecologia (CBA-Agroecologia) consolidou-se como espaço privilegiado para a consolidação do conhecimento acadêmico, científico e empírico em Agroecologia. Cabe lembrar que a trajetória desses eventos foi precedida por Seminários Estaduais e Internacionais de Agroecologia (os quais prosseguem até hoje), iniciados em 1999, aqui em Porto Alegre, durante e com o apoio do então governo Olívio Dutra. As duas primeiras edições do CBA-Agroecologia realizaram-se aqui em Porto Alegre, passando depois a ganhar outros estados e regiões, retornando este ano em sua oitava edição. Merece destaque o fato de que este evento, promovido pela ABA-Associação Brasileira de Agroecologia, é realizado e apoiado por um conjunto amplo de instituições e entidades, da esfera governamental e não governamental, através de um processo de construção coletiva e participativa. Como uma opção metodológica do evento, palestras teóricas são mescladas com apresentações de experiências mais práticas. Outra característica desta edição do Congresso de Agroecologia é trazer para o debate relatos de experiências, apresentados por agricultores, assentados, técnicos ou pesquisadores, numa saudável articulação de saberes e conhecimentos, que é fundamental para um processo contínuo de evolução. Além da apresentação dos painéis e das palestras dos 1055 trabalhos técnico-científicos e relatos de experiên- cias, teremos a realização de oficinas, de Mostra de Fotografias e de Vídeos e de reuniões e encontros de grupos de interesse relacionados com o tema da Agroecologia. Esses temas, assim como a intensidade de participação do público neste e nos eventos anteriores, colocam a necessidade de afirmação de novos valores no campo da Agroecologia que remetem para a sua interface com a saúde, a educação, a produção e consumo de alimentos, nos quais interessam não apenas os processos tecnológicos, mas também a construção de relações sustentáveis, a inclusão social, a soberania alimentar, o desenvolvimento rural com equidade, a valorização dos aspectos culturais do desenvolvimento, a diversidade, enfim, o cuidado com a saúde do planeta. Estamos falando aqui de ciência, mas também de consciência e de persistência. Por tudo isso, a Agroecologia representa uma contribuição valiosa para promover um desenvolvimento rural socialmente inclusivo e estilos de agricultura mais parcimoniosos no uso dos recursos naturais, traduzindo princípios gerais em formatos tecnológicos específicos, adaptados à diversidade e às distintas realidades regionais. A Agroecologia vem mostrando sua potencialidade para contribuir, com seus estudos, princípios e ferramentas, para avançar nessa direção. Nessa caminhada, tivemos perdas e ganhos. Não podemos deixar de registrar duas pessoas que partiram cedo do nosso convívio, e que eram referência para a Agroecologia no Brasil e em outros países. A criação e a trajetória dos Congressos Brasileiros de Agroecologia, assim como da Associação Brasileira de Agroecologia, devem muito ao querido amigo e companheiro José Antônio Costabeber, fundador e último presidente eleito da ABA, que soube como poucos pensar, compreender e formular as bases científicas da Agroecologia. Também perdemos o Jorge Luiz Vivan, profundo conhecedor da vida e da floresta, cujos encantos e interações soube traduzir nos sistemas agroflorestais que ajudou a disseminar em todo o Brasil. Com as ideias e o exemplo que nos legaram, ambos seguirão sendo fonte de sabedoria e de inspiração para nós. Por fim, em nome da Comissão Organizadora, agradecemos o apoio e a participação de todas as pessoas que estão envolvidas nesse XIII Seminário Estadual, XII Seminário Internacional e VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia, e V Encontro Nacional de Grupos de Agroecologia – ENGA, e esperamos que, ao término destes quatro dias, possamos todos sair ainda mais fortalecidos e estimulados para cuidar da saúde do planeta. Sejam todas e todos bem-vindos! Gervásio Paulus Presidente do VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • 5 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia Saudação do Presidente da ABA-Agroecologia Caros e caras congressistas, Há dez anos, nesta acolhedora cidade de Porto Alegre, promovemos o I Congresso Brasileiro de Agroecologia (I CBA-Agroecologia). O momento histórico era excepcionalmente favorável. As condições para a realização do evento vinham sendo amadurecidas nos anos anteriores quando, pela primeira vez, um estado da federação assumiu politicamente o desafio de experimentar a internalização do paradigma agroecológico em seus órgãos e instituições dedicadas ao desenvolvimento rural. Entre outras iniciativas colocadas em prática pelo governo Olívio Dutra, destaca-se a série anual de seminários estaduais que, logo a partir da segunda edição, adquiriu também abrangência nacional e internacional. Esses eventos foram responsáveis pela criação de um fecundo ambiente de interação entre profissionais e estudantes de todo o país que buscavam exercitar o enfoque agroecológico nas práticas de ensino, pesquisa e extensão rural, ainda que isso significasse, via de regra, navegar contra a corrente em suas próprias instituições. Um dos principais saldos positivos do processo incubado no Rio Grande do Sul foi justamente o rompimento desse isolamento mútuo em meio ao universo socioprofissional já expressivo em todas as regiões brasileiras. A emergência da Associação Brasileira de Agroecologia (ABA-Agroecologia) se fez no bojo dessa mobilização e criou as condições para que chegássemos a este VIII CBA -Agroecologia, após ter transitado por várias cidades das regiões Sul, Sudeste e Nordeste. Cumpre assinalar que, em sua primeira década de existência, o CBA-Agroecologia proporcionou espaço para apresentação e debate de milhares de trabalhos acadêmicos (1.055 somente nesta oitava edição), todos publicados na Revista Brasileira de Agroecologia. Além disso, como inovação metodológica em relação aos demais eventos científicos, nossos congressos consagraram uma seção dedicada à apresentação de experiências práticas, ressaltando a importância da sistematização para a construção do conhecimento agroecológico. Além disso, fomentam, em seus diferentes espaços de debate, a plena participação de agricultores e agricultoras como protagonistas dessa construção. Muito se avançou nessa década. Já se contabilizam no país mais de uma centena de cursos oficiais de Agroecologia, ou com ênfase agroecológica, nos variados níveis educacionais. Além dessa evolução numérica, o I Seminário Nacional de Educação em Agroecologia, recentemente promovido pela ABA-Agroecologia, constatou a existência de progressos qualitativos dignos de nota. Universidades e empresas oficiais de pesquisa vêm se abrindo para inovar em suas formas de produzir e socializar conhecimentos e de interagir com as comunidades rurais. Núcleos de Agroecologia surgem e se consolidam Brasil afora. Redes interinstitucionais se articulam em âmbito territorial, estadual e regional. Criam-se assim condições favoráveis à efetivação de parcerias entre instituições científico-acadêmicas e organizações da sociedade civil para a execução de projetos educacionais e de pesquisa e para a promoção de seminários, simpósios, congressos e outras atividades destinadas a refletir criticamente os rumos do desenvolvimento rural a partir da lupa da Agroecologia. Pouco a pouco, por intermédio dessa evolução descentralizada, alguns muros erigidos pelo positivismo lógico e pelo cartesianismo mecanicista e determinista vão sendo derrubados: práticas de ensino, pesquisa e extensão se alimentam reciprocamente por meio de processos de produção de conhecimentos territorialmente referenciados; disciplinas acadêmicas interfecundam-se a partir da realização de estudos inter e transdisciplinares sobre dinâmicas socioecológicas em agroecossistemas; os saberes científico-acadêmico e científico -popular dialogam entre si, aos poucos deixando para trás a pretensa exclusividade do conhecimento válido, erroneamente atribuída ao meio acadêmico; os limites físicos e simbólicos dos campi universitários e das demais instituições de ensino e pesquisa se desvanecem com a presença intensificada de pesquisadores(as), professores(as) e estudantes nas comunidades rurais e de agricultores e agricultoras e representantes de povos e comunidades tradicionais nas instituições acadêmicas; novas abordagens metodológicas para a construção do conhecimento e novos instrumentos para registro e divulgação desses conhecimentos são criados e disseminados, restaurando o papel da cultura popular como fonte e veículo de novidades para o desenvolvimento rural. A identificação desses embrionários, mas já notáveis avanços institucionais nas esferas epistemológica e metodológica é condição essencial para que possamos nos situar melhor no processo histórico em curso, visando descortinar estratégias de superação dos maiúsculos desafios que permanecem em perspectiva. Nesse sentido, vale iluminar outra face da trajetória que nos trouxe até aqui. No ano anterior ao I CBA-Agroecologia, foi realizado no Rio de Janeiro o I Encontro Nacional de Agroecologia (I ENA), evento fundante da Articulação Nacional de Agroecologia (ANA), um espaço sociopolítico voltado à ação concertada de organizações, redes e movimentos sociais mobilizados em torno à defesa e à promoção de um mundo rural mais democrático e sustentável. Ao integrar-se sinergicamente na Coordenação da ANA, a ABA-Agroecologia procurou assumir seu nicho no processo de construção da Agroecologia no Brasil. Além de fomentar a coesão do campo científico-acadêmico em torno a um projeto alternativo para a agricultura e para o conjunto do sistema agroalimentar, a ABA-Agroecologia tem buscado mobilizar as inteligências e competências de seus sócios e sócias a fim de marcar sua presença no processo político como ator coletivo, assumindo para tanto uma dupla perspectiva. De um lado, denuncia as falsas promessas científico-tecnológicas nascidas do berço da agricultura industrial e de suas expressões político-ideológicas repercutidas pelo setor do agrone-
  • 6 gócio; por outro, anuncia caminhos para a superação da profunda crise socioambiental que se alastra em nossa sociedade em função exatamente da dinâmica expansiva da economia do agronegócio e de suas monoculturas e criatórios industrializados produtores de “junk food”. Ao denunciar e anunciar caminhos contrastantes entre si, a ABA-Agroecologia explicita em seus congressos sua opção política e se alia a movimentos da sociedade que lutam pela saúde coletiva, pela justiça ambiental, pela economia solidária, pela soberania e segurança alimentar e nutricional e pela equidade entre gêneros em todos os âmbitos da vida social. Expurga-se assim o discurso da neutralidade científica que muito frequentemente tem sido empregado como artifício retórico pelos defensores do padrão científico-tecnológico dominante para assim se eximirem da responsabilidade – ou ocultarem sua irresponsabilidade – pelas consequências sociais e ambientais atrozes resultantes da disseminação de um modelo agroalimentar oriundo de práticas científicas supostamente isentas. Diante dos obstáculos de grande envergadura que permanecem se antepondo a uma evolução mais consistente e ritmada da perspectiva agroecológica nas instituições da sociedade, o VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia realiza-se como um ato celebrativo de nossa breve, mas fecunda trajetória. Os desafios que estão postos para a continuidade dessa trajetória são proporcionais às nossas ambições. O tema de nosso Congresso não deixa dúvidas quanto a isso. Mobilizamo-nos para contribuir para a restauração da saúde do planeta. Essa é a razão de estarmos aqui para celebrar o crescente reconhecimento nacional e internacional da Agroecologia como paradigma científico-tecnológico capaz de contribuir para equacionar os críticos e decisivos dilemas alimentares, ambientais, energéticos, sociais, econômicos e culturais com os quais se defronta a Humanidade. Celebramos também os avanços práticos. Nesse particular, cabe destaque o recente lançamento do Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (Planapo) pelo governo federal. Mesmo compreendendo que as medidas incorporadas ao Planapo estão ainda muito aquém das expectativas e das urgências expressas pelas organizações da sociedade civil que contribuíram com VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia a sua construção, entre elas a ABA-Agroecologia, não podemos deixar de ressaltar o que seu lançamento significa em termos políticos e simbólicos. Trata-se de um marco fincado no terreno em que se travam disputas pelos rumos de nossos sistemas agroalimentares. A luta pela expansão do alcance e da profundidade desse plano em sua futura edição, prevista para 2015, é tarefa que nos cabe. Avanços nessa direção cobram coerência com a trajetória constitutiva do campo agroecológico brasileiro, o que implica reconhecer a Agroecologia a partir de três facetas que se compõem em um todo indivisível: como uma prática social; como um enfoque científico; como um movimento social. Sendo assim, estamos desafiados a dar continuidade às iniciativas de articulação e adensamento das redes locais/territoriais para que o paradigma agroecológico seja incessantemente exercitado e aprimorado com a participação ativa das comunidades rurais. Somos também convocados a atuar no sentido de estreitar as alianças estratégicas com movimentos sociais dos campos, águas, florestas e cidades que militam pela construção de uma sociedade mais democrática e sustentável. Encerro estas linhas celebrando a inestimável contribuição dos muitos companheiros e companheiras do Rio Grande do Sul que há mais de dez anos deram arranque ao processo de mobilização que culminou na realização da série de Congressos Brasileiros de Agroecologia e na criação da ABA-Agroecologia. A esse grupo que permanece na lida militante e volta a nos acolher nesta oitava edição, rendemos nossa homenagem e expressamos nosso profundo agradecimento. Infelizmente, o destino quis que duas das mais brilhantes extrações desse grupo nos deixassem este ano: José Antônio Costabeber, incansável companheiro de luta e liderança proeminente na trajetória da ABA-Agroecologia; e Jorge Luiz Vivan, agroecólogo refinado, mestre das agroflorestas. Partiram deixando seus legados na forma de luz e assim permanecerão iluminando o caminho da Agroecologia. Paulo Petersen Presidente da Associação Brasileira de Agroecologia
  • 7 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia O CBA-Agroecologia é o principal evento acadêmico em Agroecologia do Brasil, quiçá do mundo, configurando-se como espaço fundamental para a consolidação do conhecimento científico em Agroecologia e para o avanço dos modelos de agricultura de base ecológica e do desenvolvimento rural sustentável. O CBA-Agroecologia é promovido a cada dois anos pela ABA-Agroecologia. Nesta VIII edição, ABA-Agroecologia juntamente com a EMATER/ RS, UFRGS, EMBRAPA/Clima Temperado, Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo, Ministério do Desenvolvimento Agrário, AGAPAN, Instituto Nacional da Reforma Agrária, entre outras instituições, trabalharam conjuntamente na construção deste congresso. Em 2013, além do VIII CBA-Agroecologia, também ocorrem conjuntamente o XII Seminário Internacional sobre Agroecologia, o XIII Seminário Estadual sobre Agroecologia e o V Encontro Nacional de Grupos de Agroecologia. O VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia tem como tema central “Agroecologia: cuidando da Saúde do Planeta” e eixos temáticos, aos quais estarão focados os debates e atividades. São eles: a) Agroecologia e Saúde Humana; b) Agroecologia como Base para a Educação; c) Reinventando a Economia; d) Diversidade para Saúde do Planeta; e) Saúde do Agroecossistema. Além disso, momentos de avaliação e reflexão sobre os 10 anos de realização do CBA-Agroecologia serão promovidos. V Encontro Nacional dos Grupos de Agroecologia (ENGA) O V Encontro Nacional dos Grupos de Agroecologia (ENGA) é uma construção da Rede de Grupos de Agroecologia do Brasil (REGA Brasil). O Encontro reunirá coletivos de todo o país e servirá como espaço de reconhecimento, organização, trocas de experiências e discussões sobre a Agroecologia e a atuação dos grupos. As atividades ocorrerão buscando a sintonia e integração com o CBA-Agroecologia, tendo como base o Clube Farrapos, local próximo ao Campus da PUCRS, onde ocorrem as demais atividades.
  • 8 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia Programação das palestras, painéis e mesas-redondas A programação das palestras, painéis e mesas-redondas está concentrada nas manhãs dos dias do evento e enfocará a temática central “Agroecologia: cuidando da Saúde do Planeta”, mas especialmente os eixos temáticos definidos pela comissão organizadora. Em cada dia de Congresso, todos os eixos estarão em debate. Para isso, foram convidados painelistas dos mais diferentes campos de atuação, mas que dialogam com a construção do conhecimento agroecológico. Do Brasil são 55 convidados e convidadas, além do Rio Grande do Sul, também de Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espirito Santo, Minas Gerais, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Pará, Maranhão, Mato Grosso, Goiás, Brasília. Uma considerável representação de todos os biomas brasileiros. E do exterior são 17 convidados e convidadas, da Argentina, Equador, México, Estados Unidos, França, Espanha, Itália. Muitos destes também fazem parte da história dos 10 anos de realização de Congressos Brasileiros de Agroecologia e foram especialmente convidados para colaborar no processo de avaliação, reflexão, bem como, de comemoração desta caminhada agroecológica. Oficinas, Mostra Audiovisual e Fotográfica e Atividades Culturais Durante as tardes acontecerão as oficinas autogestionárias, momentos de troca de experiências, nas quais cada proponente conduz atividades de acordo com determinado tema. As oficinas serão realizadas nas tardes dos dias 26 e 27/11 e terão duração de aproximadamente uma hora. Já nos finais de dia acontecerão a mostra Audiovisual e as Manifestações Artísticas e Culturais. Entendemos que o saber-fazer agroecológico perpassa inúme- ras dimensões, sendo que as imagens, vídeos, música, dança, enfim, as artes são abordagens imprescindíveis para uma nova maneira de relacionar-se entre todos. Os vídeos e as imagens, em geral, representam diversos olhares sobre o tema e ampliam as percepções sobre a complexidade da Agroecologia no Brasil. E de forma permanente acontecerá a Mostra Fotográfica, evidenciando os mais diversos olhares sobre a Agroecologia. Tertúlia Também faz parte da nossa programação a Tertúlia, uma reunião de pessoas com o objetivo de debater assuntos variados. Neste VIII CBA-Agroecologia, Via Campesina e Rega organizaram duas tertúlias, buscando inovar em sua proposta metodológica.
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 9
  • 10 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 11
  • 12 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • 13 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia Tertúlia As tertúlias acontecem durante as tardes dos dias 26 e 27/11 no Clube Farrapos. A Tertúlia da Soberania Alimentar, organizada pela Via Campesina, acontecerá dia 26/11 às 14h. Programação: - Abertura com canções populares - A Soberania Alimentar, a Produção de Alimentos Saudáveis e o Programa da Agricultura Camponesa: • Soberania Alimentar- Frei Sérgio Görgen • Produção de Alimentos Saudáveis e o Programa da Agricultura Camponesa – MMC/Via Campesina • Relação entre Produção e Consumo de Alimentos Saudáveis – Movimento dos Trabalhadores Desempregados • Importância da Articulação Campo/Cidade – Federação dos Trabalhadores Metalúrgicos. - Encerramento com ato político sobre o Programa da Agricultura Camponesa A Tertúlia da Juventude, Educação e da Agroecologia, organizada pela REGA Brasil, acontecerá dia 27/11 às 14h. . Nessa Tertúlia pretende-se trocar experiências, vivências e aprendizagens através de dinâmica participativa. Focado na realidade da juventude na educação agroecológica, visa disseminar o conhecimento e aprendizagens coletivas em Agroecologia. Para isso, tem como perguntas geradoras: • Na atual realidade, como os jovens se inserem na construção do conhecimento sobre a Agroecologia? • Como fazer para que se multipliquem, propaguem e germinem iniciativas autônomas agroecológicas em todas as regiões? • Qual forma de rede e de comunicação é necessária para que floresçam diversas experiências? • Quais as ferramentas necessárias para facilitar a interação e a aprendizagem?
  • 14 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia Programação dos trabalhos apresentados oralmente e relatos de experiências Sessões Artigos Dia Hora Sala Coordenador (a) sessão Submissão Título Autores
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 15
  • 16 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 17
  • 18 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 19
  • 20 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 21
  • 22 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 23
  • 24 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 25
  • 26 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia Sessões Relatos de Experiêncas Dia Hora Sala Coordenador (a) Submissão sessão Título Autores
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 27
  • 28 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 29
  • 30 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 31
  • 32 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 33
  • 34 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 35
  • 36 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 37
  • 38 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 39
  • 40 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 41
  • 42 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 43
  • 44 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 45
  • 46 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 47
  • 48 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 49
  • 50 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 51
  • 52 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 53
  • 54 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 55
  • 56 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 57
  • 58 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 59
  • 60 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 61
  • 62 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 63
  • 64 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 65
  • 66 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 67
  • 68 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 69
  • 70 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia 71
  • 72 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • 73 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia Programação das Oficinas Autogestionárias Local Dia 26/11, às 15h15min Dia 27/11, às 15h15min Sala Cardeal - Fundação Zoobotânica Importância da pesquisa-ação e da etnobiologia para estudos e ações em agroecologia - Nº de participantes: 25 -30 - Responsável: Marcio Harrison do Santo Ferreira - Cidade: Feira de Santana/BA Métodos de monitoramento e avaliação de áreas degradadas e sistemas agroflorestais - Nº de participantes: 30 - Responsável: Rafael José Navas da Silva - Cidade: Piracicaba/SP Campanha Permanente Contra os agrotóxicos e pela vida - Nº de participantes: 50 - Responsável: Franciléia Paula de Castro - Cidade: Porto Alegre/RS Auditório Capivara - Fundação Zoobotânica Quero-quero - Fundação Zoobotânica Plantas bioativas na agricultura de base ecológica - Nº de participantes: 25 - Responsável: Patrícia Lovatto - Cidade: Pelotas/RS Manejo de ordenha com produtos agroecológicos - Nº de participantse: 30 a 35 - Responsável: Luciane Kawashima Hisano - Cidade: Maringá/PR Salão Timbaúva Clube Farrapos Mulheres guardiãs - Cuidadoras da biodivesidade e da segurança alimentar - Nº de participantes: 30 - Responsável: Glaci Campos Alves - Cidade: Porto Alegre/RS Policultivos Agrícolas baseados na agroecologia e a Permacultura -Nº de participantes: aberto -Responsável: Mauro Kassow Schorr (Orua) -Cidade: Florianópolis/SC Salão Timbaúva II Clube Farrapos Mulheres na construção do conhecimento agroecológico - Nº de participantes: 30 - Responsáveis: Laeticia Jalil e Gema Esmeraldo - Cidade: Serra Talhada/PE Uso e gestão de fontes bibliográficas de agroecologia em trabalhos técnico-científicos - Nº de participantes: 30 - Responsável: Maria de Cléofas Faggion Alencar - Cidade: Jaguariúna/SP Salão Angico - Clube Farrapos Flor da sustentabilidade - Nº de participantes: 20-25 - Responsável: Chalissa Wachholz - Cidade: Porto Alegre/RS Gramado dos Escoteiros - Clube Farrapos Extração da fibra de Agave - Responsável: Jessica Dondoni - Cidade: Porto Alegre/RS As abelhas nativas e a conservação ambiental no semiárido - Responsável – Marcelo Casimiro Cavalcante - Cidade: Serra Talhada/PE Galpão Cedro - Clube Farrapos Preparação de homeopatias na propriedade rural - Nº de participantes: 30 - Responsável: José Luiz de Freitas Paixão - Cidade: Muriaé/MG Cromatografia do solo de Pfeiffer: método participativo de analise da saúde do solo”. - Nº de participantes: 40 - Responsável: Lucas Contarato Pilon - Cidade: Santa Maria/RS Geodésica I - Clube Farrapos Implementação de horta vertical - Nº de participantes: 30 - Responsável: José Geraldo Wizniewsky - Cidade: Santa Maria/RS Agroecologia: cordel e poesia popular -Responsável: Alexandre Eduardo de Araújo -Cidade: Bananeiras/PB
  • 74 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia Geodésica - Clube Farrapos Construção de Pífano - Nº de participantes: 30 - Responsável: Luciano do Pífano - Cidade: São Paulo/SP Oficina de papel semente - Nº de participantes: 12 a 15 - Responsável: Jéssica Capel - Cidade: Seropedica/RJ Clube Farrapos Confecção de produtos de higiene e materiais de limpeza de maneira sustentável - Nº de participante: 30-35 - Responsável: Gheysa Julio Pinto - Cidade: Maringá/PR Plantas Alimentícias não convencionais – PANCs - Nº de participantes: 20 - Responsável: Carolina Colombo - Cidade: Porto Alegre/RS Clube Farrapos Oficina de Hattha yoga - Nº de participantes: 50 - Responsável: Valderene Oliveira da Silva - Cidade: Gravatal/SC Tai chi chuan - Responsável: Mara Alice Vasconcelos Gianastassio - Cidade: Porto Alegre/RS Resgate e valorização das sementes traAlfabetização ecológica dicionais Indígenas - Nº de participantes: 20 - Responsável: Walter José Rodrigues Ma- - Nº de participantes: 30-40 - Responsável: Rosa Elisa Villanueva trangolo - Cidade: Chapecó/SC - Cidade: Sete Lagoas/MG Clube Farrapos Caldas e biofertilizantes - Nº de participantes: 45 - Responsável: Yuric Neff - Cidade: Eldorado do Sul/RS Pirâmide para práticas integrativas corpo-mente - Responsável: Guilherme Azzolini Cavazzani - Cidade: Olinda/PE Clube Farrapos Práticas corporais para prevenção de lesões - Nº de participantes: 15 - Responsável: Lara Oliveira Alencar Santos - Cidade: Viçosa/MG Oficina de biomineralização (uso de pó de rocha) como forma de revitalizar o solo -Nº de participantes: 20 - Responsável: José Francisco Santos de Moura - Cidade: Encruzilhada do Sul/RS Shivam Yoga - Nº de participantes: 25 - Responsável: Karina Schulz Borges - Cidade: Viçosa/MG Canto das Paineiras I - Clube Farrapos Produção de cogumelos comestíveis: - Nº de participantes: 30 - Responsáveis: Felipe Araújo de Paula e Yuric Neff - Cidade: Viamão/RS Extração de óleo de mamona - Responsável: Silvino Benvenuto de Almeida - Cidade: Rio de Janeiro/RJ Canto das Paineiras II Confecção de artesanato à base de fibra Fitoterapia Animal - Clube Farrapos -Nº de participantes: 30 de bananeira - Responsável: Antônio Maccali - Nº de participantes: 10 - Cidade: Encantado/RS - Responsável: André Luís de Melo - Cidade: Brasilia/DF Mostra da Biodiversidade PUCRS 10 Anos de biomineralização de solos no RS - 2003 a 2013 - Nº de participantes: 30 - Responsável: Glaci Campos Alves - Cidade: Porto Alegre/RS Jardinagem de guerrilha - Responsáveis: Vania Pierozan, Luise Brolese, Ana Paula de Carli, Lisiane Brolese, Evelyn - Cidade: Porto Alegre/RS
  • 75 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia Trilha de percepção e sensibilização ambiental - Nº de participantes: 20 - Responsável: Rita Paradeda Muhle - Cidade: Porto Alegre/RS PUCRS Transgênicos e seus impactos sobre agricultura familiar - Nº de participantes: 50 - Responsável: Leonardo Melgarejo - Cidade: Porto Alegre/RS Comunidade Casarão do Arvoredo Vivência no ponto de permaCultura da comunidade do arvoredo. - Responsáveis: Lisiane Brolese, Mateus Raymundo, Vicente Medaglia - Cidade: Porto Alegre/RS UFRGS/Campus do Vale Oficina Morro Santana: “Do vale ao cume: caminhada rumo aos 311 metros no morro Santana - Nº de participantes: 30 - Responsáveis: Thamy Lara de Souza, Rodrigo Fontana e Martin Grings. - Cidade: Porto Alegre/RS UFRGS/Faculdade de Agronomia Vivência/Mutirão no Saf do Uvaia -Responsável: Yuri Pinheiro -Cidade: Porto Alegre/RS Clube Farrapos Compostagem doméstica -Responsável: Márcio dos Santos -Cidade: Curitibanos/SC Composteira doméstica - Nº de participantes: 15 - Responsável: Leo Rinaldo de Arantes Lazzerini Júnior - Cidade: Viçosa / MG Construção e manejo de minhocário a partir de materiais disponíveis - Nº de participantes: 35 - Responsável: Gheysa Julio Pinto - Cidade: Maringá/PR Veja ao final do caderno a lista completa de endereços relacionados ao CBA-Agroecologia
  • 76 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia Mostra Fotográfica A mostra fotográfica visa apresentar diferentes olhares e percepções sobre o rural e as práticas da Agroecologia. As inscrições foram feitas nas categorias Fotografia Individual ou Narrativas Fotográficas, podendo ser individuais ou em grupos. Cada inscrição (coletiva ou individual) podia enviar até três fotografias na categoria Fotografia individual, ou duas narrativas fotográficas (até nove fotografias que compunham uma narrativa). A curadoria foi realizada pelas pesquisadoras do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural/UFRGS: Ana Paula de Carli, cientista social e Mestre em Desenvolvimento Rural (DESMA); Lisiane Brolese, engenheira agrônoma e Mestre em Desenvolvimento Rural (RODA); Rumi Regina Kubo, bióloga e artista plástica, Doutora em Antropologia, e Professora da UFRGS. A mostra fotográfica acontecerá no Centro de Eventos da PUCRS, durante todos os dias do CBA-Agroecologia. Confira a listagem dos selecionados (as) para a mostra fotográfica: • Laeticia Jalil • Juliano Hojah • Ana Claudia Rauber • Hélida Oliveira • Barbara Araújo • Lorena Ribeiro • Guilherme Strauch • Janaina Castro de Mendonça • Daniel Alfonso Leon • Tatiana Weckeverth Furquim • Lylian Cândido • Cíntia Barenho • Juliana Adriano • Ana Paula Neves • Ana Paula de Carli, Gustavo Ayres, Lisiane Brolese, Lucas Ferreira, Marcos Abrahão, Matheus Korting, Moisés da Luz, Rumi Kubo. Mostra Audiovisual A mostra Audiovisual objetiva exibir vídeos que dialogam com os temas da Agroecologia. A curadoria foi realizada pelo Coletivo Catarse (Julia Aguiar e André Oliveira) e do Ponto de PermaCultura do Arvoredo (André Kist e Daniel Machado). A mostra audiovisual acontecerá no Clube Farrapos durante os dias 26 e 27/11 a partir das 17h30min. Confira a listagem dos vídeos selecionados e os dias de exibição: Mostra I - 26/11 • Gottinari – 25 min (+10). Proponente: Bruna Facchinello • Pontal do Buriti – 35 min (+10). Proponente: Murilo Mendonça Oliveira de Souza (Gwatá - Núcleo de Agroecologia e Educação do Campo/UEG Goiás). • Caminhos do Rio – 17 min (+10). Proponente: Guilherme Strauch (Articulação de Agroecologia do Rio de Janeiro) • Agricultura mora em mim – 17 min (+10). Proponente: Bruno Azevedo Prado (AS-PTA - Agricultura Familiar e Agroecologia) • Documentário Viva Orgânico – 10 min (+10). Produção: Acadêmicos do curso de Jornalismo (UNIPAMPA) • Você sabe de onde vêm seus alimentos – 08 min (+10). Proponente: Sérgio Guidoux (Coletivo Aura) • Arroz Ecológico Cootap – 05 min. (+10). Proponente: André de Oliveira (Coletivo Catarse) Mostra II - 27/11 • Árvores para o futuro – 28 min (+10). Proponente: Áurea Olimpia Figueiredo Rêgo (AS-PTA Agricultura Familiar e Agroecologia) • Recuperação de áreas degradadas do Rio Maquiné – 13 min (+10). Proponente: Dilton de Castro (ONG ANAMA) • Agricultura urbana – 15 min (+10). Proponente: Renata Gomes Rodrigues (Laboratório de Educação do Campo e Estudos da Reforma Agrária/UFSC) • Depoimento sobre o Projeto Agricultura Familiar – 07 min. (+10). Proponente: Gelma Boniares de Cristo (Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural) • Paisagens do Conhecimento – 26 min. (+10). Proponente: Karine Batista e Kika Gouvea (Kaki filmes) • A arte de narrar a vida – 31 min (+10). Proponente: Ana Paula de Carli.
  • 77 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia Programação cultural A Mostra Cultural do VIII CBA-Agroecologia e do V ENGA, proporcionará apresentações musicais, performances artístico-teatrais e dança, buscando a harmonização dos ambientes através do diálogo da agricultura com a arte, já presente na realidade de diversos atores sociais que compõe a Agroecologia. Esse conjunto de atividades artísticas ocorrerá durante os dias 25 a 28 de novembro, na PUC, através das místicas de abertura dos painéis de apresentação de trabalhos e decorações dos espaços, e no Clube Farrapos, a partir das 17 horas, em locais ao ar livre, nas Geodésicas e no Salão Araucária (Salão Social). Alguns nomes já estão confirmados, entre eles o músico e agricultor Marco Gottinari, de Pelotas/RS; os músicos Paulinho Pires e Sandro da Gaita, ambos de Porto Alegre; Ciro Ferreira, músico de Esteio/RS; as Bandas Tribo Brasil e Savanahh Sound, também de Porto Alegre/RS; a Banda Xispa Divina de Sobradinho/ RS; o grupo Micorrizas de Viçosa/MG; o Projeto de Extensão de Danças e Ritmos Brasileiros Oro Ari, de Rio Claro/ SP; e o DJ “Etnia”, Alcides de Souza, de Campina Grande/PB. Mostra da Sociobiodiversidade A Mostra da Sociobiodiversidade, durante o VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia, será um espaço com sementes, frutos, produtos e saberes da biodiversidade, estimulando a troca e a reflexão de como e até aon- de a sociedade pode caminhar em busca da redução da pressão sobre os ecossistemas, revalorizando a vida e a agricultura e buscando o encantamento no cuidado com a saúde do planeta. Feira dos Produtos da Sociobiodiversidade A Feira dos Produtos da Sociobiodiversidade reunirá cerca de 20 expositores, durante o VIII CBA-Agroecologia, junto ao Centro de Eventos da PUCRS. Dentre os participantes, estarão agricultores familiares, indígenas e quilombolas. Existe um incentivo para que os agricultores da feira sejam aqueles que se dedicam à produção orgânica, ou seja, enquadrados na Lei Federal 10.831/2003, que dispõe sobre agricultura orgânica no Brasil. Estes, também devem estar cadastrados no Programa Estadual de Agroindústria Familiar, coordenado pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo. Com apoio da Secretaria Estadual do Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR), foram selecionadas agroindústrias vinculadas ao selo “Sabor Gaúcho”, bem como aquelas que têm um enfoque agroecológico. Com produtos naturais, e de diferentes regiões do Estado, as agroindústrias e grupos expositores da feira combinarão tradição e sustentabilidade. Além dos sabores mais comumente encontrados em feiras tradicionais, o visitante poderá encontrar doces, geleias e sucos de frutas nativas, como butiá, araçá e guabiroba. Também poderá provar derivados de frutas típicas do dia-a-dia dos gaúchos e gaúchas, como bergamota e caqui. Além de apetitosos, todos os produtos serão provenientes de propriedades agroecológicas. Para cuidar da saúde do Planeta nada mais legítimo do que uma Feira que estimule a interação entre expositores, visitantes e comunidade acadêmica. A Feira dos Produtos da Sociobiodiversidade será de agricultores e agricultoras que promovem o desenvolvimento rural com bases ecológicas. Será uma feira da diversidade étnico-cultural, reunindo as diferentes etnias indígenas do estado do RS (Kaingang, Charrua e Guarani). Será também uma feira das comunidades quilombolas. Uma feira de todos estes e do que eles oferecem, no seu modo de vida, como contribuição a um mundo mais justo e saudável.
  • 78 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia Agenda de eventos paralelos Dia 26 de novembro Oficina de capacitação em jornalismo ambiental: entendendo e comunicando a sustentabilidade Objetivo: Oferecer a jovens jornalistas e comunicadores um panorama crítico e ferramental sobre o debate contemporâneo em torno da sustentabilidade, com foco nas relações entre agronegócio e meio ambiente. Por meio do exercício de técnicas jornalísticas de pesquisa e construção de narrativas, espera-se ampliar a eficácia do trabalho dos participantes, possibilitando a aplicação da abordagem de sustentabilidade nas mais variadas agendas. As atividades consistem em rodas de diálogo com especialistas e realização de exercícios de elaboração de pauta, entrevista coletiva e redação de notícia. Número de participantes: 20 Local: PUCRS Data: 26 e 27 de novembro Horário: 9h às 12 e 13h30 às 17h Responsáveis: Fundação Friedrich Ebert (FES); Gonzalo Berrón (coordenador) e Cristina Charão (jornalista facilitadora). Contato: Gonzalo Berrón – gonzalo@fes. org.br; Cristina Charão – (51) 8333-5500 / crischarao@ gmail.com Seminário Estadual do Programa de Agricultura de Base Ecológica - PABE Objetivo: Qualificar as linhas de ação do Programa Estadual de Agricultura de Base Ecológica e subsidiar as demais esferas de governo e entidades da sociedade civil, a fim de apoiar a produção ecológica em todas as regiões do Estado. Carga Horária: 3 horas Número de participantes: 100 Local: Auditório Capivara - Fundação Zoobotânica Horário: 15h Responsável: Núcleo de Agroecologia/SDR. Contato: agroecologia@sdr.rs.gov.br Seminário “Residência Agrária e Educação em Agroecologia - DIÁLOGOS COMUNS” Objetivo: Estabelecer o diálogo entre os acúmulos teóricos e práticas em educação do campo, residência agrária e educação em Agroecologia. Carga Horária: 4 horas Participantes: 100 pessoas Local: Auditório Figueira (Auditório Principal da PUCRS) Horário: 14h Responsável: Clarice Santos (INCRA/PRONERA) e Virgínia Aguiar (ABA-Agroecologia). Contato: mvirginia. aguiar@gmail.com; clarice.santos@incra.gov.br Programa Ecoforte - Programa de Fortalecimento e Ampliação das Redes de Agroecologia, Extrativismo e Produção Orgânica, em complementação às ações previstas no âmbito do Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica - PLANAPO Horário: 14hs Local: PUCRS Responsável: Secretária Geral da Presidência da República Dia 27 de novembro Ato político em defesa da agroecologia e a produçãoorgânica Atividade visa fortalecer as Frentes seja no âmbito do Congresso Nacional ou Estadual, de modo que, neste contexto, acreditamos ser possível somar esforços para construir um modelo de desenvolvimento rural, assentado nos princípios agroecológicos. Local: Auditório Figueira (Auditório Principal da PUCRS) Horário: 14h às 15h30 Responsável: Maria do Socorro (assessoria da deputada Luci Choinacki/ Frente Parlamentar Mista pelo Desenvolvimento da Agroecologia e Produção Orgânica) Contato: (61) 9948.4673 Novas fronteiras do orgânico e dos sistemas de garantia. 1. Sustentabilidade e agricultura orgânica. Best practices Soaan (Sustainability in Organic Agriculture Action Network) / IFOAM (International Federation of Organic Agriculture Movements) ICEA-Antonio Compagnoni 2. Novas experiências de certificação ética: a) Valor social; certificação coletiva das organizações de comercio justo na Itália (ICEA Alessandro Pulga); b) o projeto de certificação comércio justo local de Fair Trade Itália (Antonio Compagnoni) 3. PGS (Participatory Garantee System): Experiências do grupo PGS IFOAM (América Latina), PGS no Brasil e PGS na Itália. Horário: 14h às 17h Local: PUCRS Responsável: Juan Pablo Sciurano. Contato: jpsciurano@yahoo.com Feira da Cultura Ecológica no Bairro Menino Deus A feira é formada por grupos, associações e cooperativas de agricultura ecológica. Comercializam alimentos oriundos de diversas regiões, como a Serra, Litoral Norte, Vale dos Sinos, Vale do Caí e Região Metropolitana. As feiras orgânicas são uma alternativa de comercialização economicamente rentável para as associações, cooperativas e grupos de agricultores, fortalecendo um circulo virtuoso entre consumidores e agricultores familiares Local: Avenida Getúlio Vargas, 1384, bairro Menino Deus - Porto Alegre/RS Horário: visita guiada das 13h às 19hs, mediante agendamento. Responsável: Anselmo Kanaan. Contato: anselmo.kanaan@hotmail.com ou (51) 9396.4224
  • 79 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia Seminário “Princípios e Diretrizes da Educação em Agroecologia - Continuando o Debate” Objetivo: Aprofundar o debate sobre os princípios e diretrizes de uma educação em Agroecologia Carga Horária: 4 horas Número de participantes: 300 Local: Auditório Figueira (Auditório Principal da PUCRS) Horário: 14h Responsável: UFRPE/Virgínia de Almeida Aguiar. Contato: mvirginia.aguiar@gmail.com Afinal, as mobilizações das ruas, o que tem a ver com a Agroecologia? – Encontro Grupo Carta de Belém no CBA-Agroecologia Acreditamos na Agroecologia como proposta dos movimentos e comunidades que resistem nos territórios, buscando autonomia e determinando suas formas de vida. Sendo assim, não acreditamos numa solução por meio da financerização e mercantilização da natureza. Para avançarmos nos diálogo estaremos com Tom Kucharz - Ecologistas en Acción da Espanha, e faremos uma troca de informações entre Brasil e Espanha. Público Participante: aberto Local: Sala 703 do Prédio 40 - PUCRS Horário: 14h às 17h Responsável/Contato: Gustavo Martins - gustavo.martins@ufrgs.br; Lisiane Brolese- lgbrolese@gmail.com e Fernando Campos – fernando@amigosdaterrabrasil.org.br Dia 28 de novembro Oficina Agroecologia e Programa de Alimentação Escolar - PNAE Objetivo: Propiciar espaço de discussão para elaboração de um plano de ação e operacionalização do PNAE inserindo produtos agroecológicos. Horário: 8h30 às 16h30 Local: Auditório Tatu - Emater (Rua Botafogo, 1051 térreo) Participantes: Empregados dos regionais da Emater/ RS-Ascar, CREs, nutricionistas dos municípios, tutores dos cursos de Mercados Institucionais, unidades de cooperativismo, cooperativas participantes das chamadas públicas nº 4 e 6. Programação: Manhã: Painel “Agroecologia como estratégia de cuidado na alimentação do escolar”. Tarde: Grupos de reflexão e planejamento estratégico de ação de abastecimento no PNAE nas regiões. Inscrições: Encaminhar nome completo, RG e CPF para assessoriapnaers@ufrgs.br com o assunto OFICINA AGROECOLOGIA PNAE. Dia 29 de novembro Encontro Nacional de Avaliação dos 52 Projetos dos Núcleos de Pesquisa e Extensão em Agroecologia do Edital MDA/SAF/CNPQ Nº 58/2010 Horário: 9h às 17h Local: Auditório Tatu – Emater (Rua Botafogo, 1051 – térreo) Participantes: profissionais das instituições de ensino superior, instituições de pesquisa e de Ater com atuação em Agroecologia e coordenadores dos Núcleos de Pesquisa e Extensão em Agroecologia. III Seminário Internacional sobre Agroecologia Política Objetivo: estabelecer um ponto de partida para o desenho de uma metodologia compartida para a avaliação de políticas públicas desde uma perspectiva agroecológica, no âmbito da produção, distribuição e consumo de alimentos. Participantes: convidados e interessados no tema das políticas públicas desde uma perspectiva agroecológica. Local: Sala Seriema- CTA/Emater (Rua Botafogo, 1051 - 6º andar) Horário: 9 às 17 horas Responsável: Francisco Roberto Caporal Contato: caporalfr@gmail.com 03 e 04 de dezembro Workshop Estratégias Alimentares e de Abastecimento - I WEAA / Workshop in Urban Food Strategies – Desafios e oportunidades para as cidades e o meio rural O evento objetiva integrar pessoas, iniciativas e pesquisas internacionais e nacionais em torno da temática da alimentação, produção, abastecimento e consumo de alimentos. Horário: 8h às 18h Local: Faculdade de Ciências Econômicas da UFRGS – Av. João Pessoa, 52. Informações e inscrições: http://www.ufrgs.br/weaa/ Lançamento de Livros e Publicações: No dia 26/11, terça-feira, das 17hs às 18hs, haverá lançamento de livros e publicações no Centro de Eventos da PUCRS. Informe-se.
  • 80 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia A Ciranda ...Ô cirandeiro cirandeiro ô a pedra do teu anel brilha mais do que o sol... No VIII CBA-Agroecologia terá um espaço para acolher e integrar as crianças, carinhosamente chamado de Ciranda. A Ciranda tem sua origem nos movimentos sociais que a criaram a partir da preocupação em destinar espaços onde as crianças pudessem estar livres para brincar, observar e interagir com o meio. Não importa onde, em que ambiente e condições, a roda da ciranda tem como objetivo criar um espaço seguro que propicie à criança expandir sua alegria e curiosidade pelo mundo. Essa roda de Ciranda também nasce de mãos dadas com outro aspecto importante que perpassa o movimento da Agroecologia no que diz respeito aos direitos, oportunidades, inclusão e acesso a informação pelas mulheres no campo. É comum encontrarmos apenas representantes do sexo masculino nos seminários, congressos e espaços que discutem a importância da agricultura de base ecológica. A inclusão das crianças nesses espaços é um exercício de valorização da infância, educação, mulheres e família que também constituem os princípios da Agroecologia. A Ciranda do CBA-Agroecologia contará com 3 educadoras que estarão presentes durante todo o evento e serão as raízes dessa roda. Compondo a programação de cada dia e florindo nossos encontros, teremos cerca de 8 oficineiras (os) educadoras ( es) trazendo, em diferentes dias e turnos, propostas educacionais variadas como atividades teatrais, contos, danças circulares, construção de instrumentos musicais, música, capoeira, confecção de máscaras, trilhas e ecológicas (na PUCRS) etc. A programação de atividades da Ciranda foi construída para dialogar com a natureza, cultura, arte, ritmo e cuidado numa grande costura dessa rede também chamada sustentabilidade, resiliência, pessoas e agroecologia. Nossa intenção, vontade e desejo é ter um espaço para nos divertirmos. As atividades da Ciranda vão acontecer no Centro de Eventos da PUCRS, das 8h30min às 18hs. Alimentação Conheça as opções de restaurantes da PUCRS Bar 3 Restaurante: Este pequeno restaurante localizado no prédio 3 funciona no sistema de buffet livre – sem carnes, que são pedidas separadamente, à la carte – com suco de laranja cortesia. O restaurante também dispõe de à la minuta. Bar 12: O cardápio do bar do prédio 12 é composto principalmente por lanches, mas também há opção de almoço. Quem estiver por ali pode optar pelo a la minuta, único prato servido no local, que vem com arroz, feijão, bife, ovo e salada. Bar da Famecos: O bar do prédio 7 não serve almoço, somente lanches. O item mais conhecido do cardápio é o capuccino da casa, diferente dos tradicionais: ele é mais denso, tem consistência cremosa – dá até para “comer” de colher – e um leve sabor de canela. Bar do 5: O bar do prédio 5 não tem opção de almoço, mas serve lanches tradicionais. Bar do 8: No almoço, o bar do prédio 8 tem um cardápio fixo. A sugestão do dia é uma opção em conta, pois inclui no preço um copo de refrigerante e uma sobremesa. Bar Trinta: O restaurante do prédio 30, além de ser uma lancheria, oferece pratos fixos para o almoço. Espaço 32: O restaurante do prédio 32 serve almoço à la carte, com opções de peixes, carnes, massas e risotos. O valor dos pratos inclui também o buffet de saladas. Garten Bistrô: O restaurante do prédio 6 também funciona no sistema à la carte, com opções fixas no cardá- pio. O prato caseiro, por exemplo, é um dos mais pedidos: traz frango ou carne acompanhados de arroz, feijão e salada. No dia 29 de cada mês, também é possível pedir nhoque. Intervalo 50: Situado no prédio 50, o restaurante tem um cardápio fixo, com pratos à base de carne ou frango e complementos variados: salada, fritas ou massas. Uma dica é pedir a sugestão do dia, que sempre tem preço reduzido. Todos os pratos vêm com um copo de água ou refrigerante. Restaurante Central: No almoço, a lancheria do prédio 15 transforma-se em um buffet livre. As sobremesas também estão incluídas no valor do almoço. Restaurante Universitário (RU): Destinado somente para estudantes, professores e funcionários da PUCRS, funciona no sistema bandejão. Palatus: Localizado próximo ao Colégio Champagnat (nº 22 no mapa) o Palatus funciona no sistema de buffet livre. Após o horário das 13h30, o preço do buffet passa a incluir um copo de suco de laranja. Ponto Onze: O restaurante do prédio 11 oferece almoço no sistema buffet, livre ou por quilo. No buffet livre, a sobremesa é cortesia. Sabor Família: Este restaurante, que fica no prédio 3, oferece buffet executivo. Nas terças e quartas-feiras, o Sabor Família conta com feijoada completa e, nas quintas, o destaque é o mocotó. R$ 14,00 sem bebida.
  • 81 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia Chocolate Café: Localizado no prédio 41, este pequeno café oferece salgados e chocolates para um lanche rápido. No almoço, também é possível pedir sopas. Subway: Para quem procura um lanche rápido, é possível encontrar os sanduíches da rede Subway dentro da PUCRS. Há duas unidades: uma delas fica dentro do Tecnopuc e somente funcionários podem acessá-lo, e a outra fica no prédio 41, junto às escadarias. Panorama Gastronômico: Situado no prédio 41 da universidade, o restaurante é o maior da PUCRS. Tem cerca de 600 lugares e um vasto buffet executivo, com ilhas de diferentes culinárias: japonesa, italiana, gaúcha e brasileira. Além disso, conta com um completo buffet de saladas com frutas da estação, sopas, grelhados e sobremesas. Panorama 40 Lanchonete: Além dos lanches, também serve refeições à la carte. Informações úteis em Porto Alegre Transportes Aeroporto Internacional Salgado Filho. Fone: (51) 3358.2000 Estação Rodoviária. Fone/Telentrega de passagens: (51) 3210.0101 www.rodoviaria-poa.com.br Trensurb (metrô de superfície). Fone: (51) 3371.5000 Empresa Pública de Transporte e Circulação – EPTC. Fone: (51) 3289.4220 Informações sobre linhas de ônibus e lotações. Fone: 118 Saúde Hospital de Pronto Socorro. Fone: (51) 3289.7600 SAMU – ambulâncias. Fone: 192 Informações Toxicológicas. Fone: (51) 3223.6110 Segurança Corpo de Bombeiros. Fone: 193 Brigada Militar. Fone: 190 Polícia Civil. Fone: 194 / 3288.2400 Delegacia de Estrangeiros (Polícia Federal). Fone: 3358.9000/Ramal: 9070 / 9071 Delegacia de Acidentes. Fone: 3217.2411/Ramal: 2281 / 2282 Serviços Gerais Prefeitura de Porto Alegre. Fone: 156 Auxílio à Lista Telefônica. Fone: 102 Defesa do Consumidor (PROCON). Fone: 151 / (51) 3286.8200 Serviço de Atenção ao Turista (SAT). Fone: 0800 51 7686 / (51) 3333.1873 Centro de Informações Turísticas (CIT). Fone: 0800 517686 CIT Linha Turismo Travessa do Carmo, nº 84 – Bairro: Cidade Baixa Fone: (51) 3289.0176 CIT Mercado do Bom Fim Avenida Osvaldo Aranha, sem número - Loja 11 – Parque Farroupilha (Redenção) Horário de funcionamento - diariamente das 8h30 às 18h CIT Aeroporto Internacional Salgado Filho Av. Severo Dulius, nº 90010, Térreo – Bairro: São João Horário de funcionamento - diariamente das 8h às 22h CIT Centro Histórico Mercado Público Central – Loja 99, Térreo – Bairro: Cen- tro Histórico - Horário de funcionamento: de segunda a sábado: das 9h às 18h CIT Usina do Gasômetro Avenida Presidente João Goulart, nº 551 – Bairro: Centro Histórico - Horário de funcionamento: de terça a domingo: das 9h às 18h Linha Turismo - uma maneira especial de descobrir e conhecer Porto Alegre O “city tour” é uma linha de turismo que oferece uma forma diferente de conhecer a cidade de Porto Alegre. Ao embarcar nos ônibus de 4 metros de altura com o segundo andar aberto, o visitante terá oportunidade de ver a cidade de outro ângulo e conhecer informações históricas e curiosas sobre personagens, ruas, bairros, praças, monumentos e atrativos dos roteiros oferecidos. A Linha oferece dois roteiros, o Centro Histórico que contempla atrativos históricos e culturais, com destaque para o Parque da Redenção, Mercado Público e Fundação Iberê Camargo, com possibilidade de embarque e desembarque em cinco pontos durante o trajeto. E o tour Zona Sul que destaca, em um trajeto sem paradas, as paisagens naturais da Cidade, sendo os pontos altos a Praia de Ipanema, algumas propriedades dos Caminhos Rurais e o Santuário Nossa Senhora Mãe de Deus, com uma vista de 360° da cidade. Roteiro Zona Sul Funciona de quarta a domingo às 15h; aos sábados, domingos e feriados às 15h e às 10h30. Roteiro Centro Histórico Funciona de terça a domingo em diferentes horários Local de saída: Terminal da Linha Turismo Endereço: Travessa do Carmo, 84 - Bairro: Cidade Baixa Valor dos Ingressos: de terças a sextas-feiras: R$18,00. Sábados, domingos e feriados: R$20,00. PONTOS DE VENDA: Secretaria Municipal de Turismo: Travessa do Carmo, 84 – Bairro Cidade Baixa Horário: diariamente das 8h30 às 18h Não há venda de ingressos no ônibus. Os ingressos podem ser adquiridos por meio de dinheiro ou cartões das bandeiras Visa, Mastercard, American Express, Diners Club International e Elo. Para maiores informações sobre a linha turismo:
  • 82 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia Centro de informações Turísticas. Contato: (51) 3289.0176 http://www2.portoalegre.rs.gov.br/turismo/ turismo@turismo.prefpoa.com.br Caminhos Rurais de Porto Alegre Segunda capital brasileira com a maior área rural, Porto Alegre tem o privilégio de oferecer uma experiência singular, a poucos minutos do seu grande centro urbano. Num espaço de natureza viva, com áreas produtivas e de preservação ambiental e biológica está a rota turística Caminhos Rurais de Porto Alegre. Região de estâncias do século XIX, é hoje ocupada por pequenas propriedades de expressiva agricultura familiar e agroecológica que preservam a paisagem e o modo de vida tipicamente rural e gaúcho e buscam a sustentabilidade econômica, ambiental, cultural e social por meio do turismo. Maiores informações no site www.caminhosrurais.tur.br. Feiras Ecológicas Em 1978, um grupo de pessoas associadas à Grande Fraternidade Universal, praticantes do naturismo e da ioga resolveram juntar-se e fundar a cooperativa Coolméia. Os cooperativados organizam em 1989 a Feira de Agricultores Ecologistas. Em 1994 surgiu a Feira da Cultura Ecológica, aos sábados, no Bairro Menino Deus, em Porto Alegre e em 2001, a Feira da Biodiversidade, as quartas-feiras à tarde. Hoje nas feiras ecológicas temos bancas de verduras, legumes e frutas da estação produzidas organicamente. São vendidos produtos: mel, leite e iogurte, ovos, cogumelos, sucos orgânicos, massas, biscoitos, pães caseiros, e lanches naturais, arroz, feijão, fava, jabuticaba. Além de caldo de cana e suco de tangerina e laranja, polpa de açaí juçara. Confira as Feiras Ecológicas realizadas na Capital: Quarta - feira: Bairro - MENINO DEUS - das 13h às 19h Avenida Getúlio Vargas (local: pátio da Secretaria Estadual da Agricultura) Sábado: Bairro - TRISTEZA – 7h às 12h30 Avenida Otto Niemeyer esquina com a Avenida Wenceslau Escobar Bairro - BOM FIM – 7h às 12h30 Avenida José Bonifácio, nº 675 Bairro - MENINO DEUS – 7h às 12h30 Avenida Getúlio Vargas (local: pátio da Secretaria Estadual da Agricultura) Jardim Botânico Aberto de terça-feira a domingo das 8h às 17h, o Jardim Botânico é um local adequado para a realização de piquenique, caminhada nas trilhas, descanso nos gramados ou à sombra das árvores. Foi aberto à visitação no dia 10 de setembro de 1958 e dispõe de uma área de visitação de 36 hectares. Os cerca de três mil exemplares de plantas estão organizados em 25 coleções no arboreto (a área aberta do parque) e em 11 coleções envasadas que estão localizadas dentro de estufas e vasos, separados por famílias botânicas, utilidade e formações florestais. Desde 1972 é um dos órgãos executivos da Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul. Serviço: Endereço: Rua Dr. Salvador França, 1427. Bairro Jardim Botânico Funcionamento: terça-feira a domingo, das 8h às 17h. Telefone: (51) 3320-2027. Ingresso: R$ 4; R$ 2 (estudantes e pessoas acima de 60 anos); isento (crianças até 10 anos); Informações sobre estrutura: além de banheiros, possui uma lanchonete. bicicletário; estacionamento para 150 veículos; estacionamento aos sábados (após 14h) e domingos pela Rua Dr. Salvador França, na quadra do Parque. Saiba mais de Porto Alegre via POACVB: http://www.visiteportoalegre.com/ Para pacotes turísticos/viagens fale com Liga Eventos: http://goo.gl/ykPWGN Guia de siglas: ABA - Associação Brasileira de Agroecologia ABES - Associação Brasileira de Engenharia Sanitária AGAPAN - Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural ASAE - Associação dos Servidores da EMATER/RS-ASCAR BANRISUL - Banco do Estado do Rio Grande do Sul CCR/UFSM - Centro de Ciências Rurais EMATER/RS - Associação Rio-Grandense de Empreendimentos de Assistência Técnica e Extensão Rural EMBRAPA - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária FEPAGRO - Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária FZB - Fundação Zoobotânica GATS- Grupo de Agroecologia Terra Sul INCRA - Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária IRGA – Instituto Riograndense do Arroz MDA - Ministério do Desenvolvimento Agrário RBA/ABA - Reunião Brasileira de Antropologia SDR - Secretaria do Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo SEAPA - Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio do Rio Grande do Sul UNIPAMPA - Universidade Federal do Pampa UFFS - Universidade Federal da Fronteira Sul UFPel - Universidade Federal de Pelotas UFRGS - Universidade Federal do Rio Grande do Sul UFSM - Universidade Federal de Santa Maria
  • 83 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia Endereços: PUCRS – Centro de Eventos (Prédio 40) Avenida Ipiranga, 6681 – Bairro Partenon - Porto Alegre/RS Clube Farrapos Rua Professor Cristiano Fischer, 1331 – Porto Alegre/ RS Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul Rua Dr. Salvador França, 1427 – Bairro Jardim Botânico - Porto Alegre/RS Comunidade Casarão do Arvoredo Rua Fernando Machado, 464 - Centro - Porto Alegre/RS UFRGS/Campus do Vale Av. Bento Gonçalves, 9500, Agronomia - Porto Alegre/RS UFRGS/Faculdade de Agronomia Av. Bento Gonçalves, 7712 – Porto Alegre/RS Emater/RS-Ascar Rua Botafogo, 1051 – Bairro Menino Deus – Porto Alegre/RS
  • 84 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
  • 85 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia Anotações
  • 86 VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia Anotações
  • EXPEDIENTE Organização: Cíntia Barenho Redação: Agda Ikuta, Álvaro Bernardi, Cíntia Barenho, Dulphe Pinheiro Machado Neto, Emanuelle Cavazani Magiero, Fábio Dal Soglio, Flávia Charão Marques, Gervásio Paulus, Paulo Petersen, Guilherme Abreu, Mateus de Oliveira da Silva, Lucas Ferreira, Raysa Townsend Carraro, Rodrigo Sasso Rodrigues, Yuri Pinheiro. Revisão: Mateus de Oliveira da Silva Capa e Projeto Gráfico: Marcelo Souza Criação arte do VIII CBA-Agroecologia: Roseana Caeneghem Kriedt Impressão: VT Propaganda Tiragem: 3500 exemplares
  • Realização Patrocínio Organização | CCR-UFSM | GATS-UFSM | FEAB | FZB-RS | ASAE | UFPel | UCS | Unipampa | | IF Farroupilha-Campus JAGUARI | Assembleia Legislativa-RS | Via Campesina | Apoio: POACVB