Relatorio do projecto de telemedicina   revisao
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Relatorio do projecto de telemedicina revisao

on

  • 676 views

Relatorio de Telemedicina

Relatorio de Telemedicina

Statistics

Views

Total Views
676
Views on SlideShare
676
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
2
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Relatorio do projecto de telemedicina   revisao Relatorio do projecto de telemedicina revisao Document Transcript

    • Universidade Lusíada de AngolaPortal WEB de Telemedicina para a Província de Benguela Universidade Lusíada de Angola – Pólo de Benguela 2010/2011 Nº 1110307 Aníbal Sahari Falão Licenciatura em Informática Orientador: Prof. Dr. João Alexandre Lobo Marques 10 de Julho de 2011
    • Dedicatória Este trabalho é dedicado aos meus mestres Dr. João Alexandre Marques eGualdim Duarte.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Agradecimentos Aos alunos e professores da Universidade Lusíada que, com seus conhecimentose sugestões, enriqueceram e melhoraram este projeto. Faço um agradecimento especialao Dr. João Alexandre Lobo Marques, por sugestões e ajuda na concepção do relatóriocom conselhos que tornaram, sem dúvida, o trabalho mais elegante e organizado.Agradeço também à Dra. Cristina Amador pela análise do projeto e sugestõesbibliográficas para o relatório. À minha família por me auxiliar na formatação dorelatório, e finalmente à comunidade Joomla por generosamente disponibilizarcomponentes e módulos gratuitamente para todos, que tornaram mais fácil atingir osobjectivos adicionais do projeto.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Resumo A internet é um novo meio de comunicação extremamente difundido quepermite a diminuição de distâncias e uma efetiva comunicação utilizando recursosmultimídia, isto é, múltiplos meios, tais como textos, imagens, voz e vídeos. O Portal deTelemedicina de Benguela é um sistema voltado para o ambiente WEB ou WWW,construído exclusivamente com base em tecnologias livres e gratuitas, que tem oobjetivo principal de melhorar as condições de prestação dos serviços de saúde naprovíncia de Benguela, Angola. As principais ferramentas livres utilizadas foram oservidor Web Apache, o servidor de base de dados MySQL, a linguagem deprogramação PHP e o sistema gestor de conteúdo Joomla. Para atender a demanda dosserviços desejados para o portal, foram pesquisados, instalados e configurados diversosmódulos adicionais ao sistema gestor de conteúdos, que, em conjunto, permitiram acriação de um sistema robusto e completo. As principais dificuldades encontradas forama falta de componentes e documentação em português, assim como a falta definanciamento para colocarmos o portal na internet, ficando ainda restrito ao ambientede protótipo. Todos os requisitos acordados a princípio para o portal foramdesenvolvidos e implementados com sucesso, o que permite indicar o conjunto deferramentas utilizadas para o desenvolvimento de outras aplicações WEB quenecessitem de características similares.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • ÍndiceDedicatória......................................................................................................................IIAgradecimentos.............................................................................................................IIIResumo...........................................................................................................................IVÍndice ...............................................................................................................................5Capitulo 1 - Introdução.................................................................................................111.1 - Apresentação.........................................................................................................111.2 - Objectivo ...............................................................................................................12 1.3 - Objectivos complementares.................................................................................121.4 - Enquadramento.....................................................................................................121.5 - Plano de trabalho..................................................................................................131.6 - Apresentação da entidade receptora...................................................................141.7 - Pesquisa de mercado.............................................................................................151.8 – Organização deste trabalho.................................................................................16Capitulo 2 - Contexto....................................................................................................172.1 - Conceitos da Área de Telemedicina.....................................................................17 2.1.1 - Telemedicina....................................................................................................17 2.1.2 - Telessaúde .......................................................................................................18 2.1.3 - Tele-diagnóstico...............................................................................................19 2.1.4 - Tele-cirurgia.....................................................................................................19 2.1.5 - Tele-monitoração.............................................................................................20 2.1.6 - Educação à distância aplicada à Saúde............................................................20 2.1.7 - Teleconsulta.....................................................................................................202.2- Sistemas Informáticos para o Portal....................................................................21 2.2.1 - Sistema gestor de conteúdo..............................................................................21 2.2.2 - Ambiente de Criação de web sites...................................................................22 2.2.3 - GNU GPL- Licença pública geral....................................................................23 2.2.4 - Servidor Web Apache .....................................................................................24 Histórico..................................................................................................................25 Características e especificações...............................................................................25 Importância no Portal de Telemedicina...................................................................26 2.2.5 - Base de dados Mysql 5.0..................................................................................26 Historia....................................................................................................................26 Características..........................................................................................................27 Importância no Portal de Telemedicina...................................................................27 2.2.6 – Linguagem de Programação PHP....................................................................29 Historia....................................................................................................................29 PHP 5.......................................................................................................................30 Aplicações...............................................................................................................30 Filosofia...................................................................................................................31 Importância no Portal de Telemedicina..................................................................31Capitulo 3 - Desenvolvimento especifico.....................................................................323.1 - Ambiente de testes XAMPP.................................................................................32 3.1.1 - Instalação do XAMPP......................................................................................32 3.1.2 - Estrutura do XAMPP...................................................................................32 3.1.3 - Menu do Xampp...........................................................................................33 3.1.4 - Ferramentas..................................................................................................353.2 - Gestor de Conteúdo Joomla.................................................................................36Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • 3.2.1 – Conceito...........................................................................................................36 3.2.2-Portabilidade .....................................................................................................37 3.2.3 - Vantagens do Joomla 1.5.................................................................................37 3.2.4 - Estrutura da pastas ......................................................................................38 3.2.5 - Instalação em ambiente de testes.....................................................................38 3.2.6-Erros ocorridos nesta fase .............................................................................443.3 - Portal de Telemedicina.........................................................................................44 3.3.1 - Áreas do Joomla .....................................................................................................................................45 3.3.1.1-Área de administradores (Backend)............................................................45 3.3.1.2-Área de utilizadores (Frontend)...................................................................45 3.3.2-Administração joomla ...................................................................................46.........................................................................................................................................47.........................................................................................................................................47 3.3.2.3 - Configuração global..................................................................................47 3.3.2.4 - Botões Joomla...........................................................................................48 3.3.2.5 - Nível de utilizador (Papel)........................................................................49 3.3.2.6-Gestão de utilizadores no joomla................................................................503.4 - Manipulação e organização de conteúdo ...........................................................51 3.4.1 - Seções...............................................................................................................52 3.4.2 - Categorias ....................................................................................................53 3.4.3 - Artigos ............................................................................................................53 3.4.3.1 – Quebras no Texto......................................................................................56 3.4.3.3- Detalhes de um artigo.................................................................................573.5-Conteúdo estático ...................................................................................................58 3.5.1 – Temas (Templates)..........................................................................................58 3.5.1.1-Estrutura de um Tema Joomla.....................................................................59 3.5.1.2-Visão e edição do template .........................................................60 3.5.1.3-Pré-visualização de estado..........................................................................61 3.5.1.4-Edição do Estilo Cascate .......................................................................61 3.5.1.5-Menus ........................................................................................................623.6-Componentes e Plugins...........................................................................................64 3.6.1- Componente de Backup - Xcloner ...................................................................65 3.6.1.1-Definição.....................................................................................................65 ...............................................................................................................................66 3.6.1.2-Instalação do componente ..........................................................................66 3.6.1.3-Configurações .............................................................................................66 3.6.1.4-Ver backups ................................................................................................67 3.6.1.5-Gerar backup...............................................................................................67 3.6.1.6-Restauração de backups em localhost.........................................................69 3.6.1.7-Restauração dos backups em servidor remoto............................................70 .....................................................................................................................................70 .....................................................................................................................................71 .....................................................................................................................................71 3.6.2- Componente de Formulários - CKForms...............................................71 3.6.2.1-Conceito......................................................................................................72 3.6.2.2-Instalação do Ckforms ............................................................................72 ................................................................................................................73 3.6.2.3-Configurando formulários...........................................................................73 3.6.2.4-Montando campos do formulario................................................................75Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • 3.6.2.5-Publicando o Formulário no frontend do Site.............................................78 3.6.3-Componente Virtuemart.....................................................................................82 3.6.3.1-Funcionalidades do VM..................................................................................83 3.6.3.2-Instalação.....................................................................................................85 3.6.3.3-Instalação de Módulos e Plugins.................................................................87 3.6.3.5-Configuração do VM...................................................................................88 3.6.3.6-Segurança....................................................................................................88 ...............................................................................................................................91 3.6.3.9-Inserção de produtos....................................................................................91 3.6.3.8-Virtuemart no Frontend...............................................................................92 3.6.3.9- Sistema de pagamento................................................................................95 3.6.4 – Componente Photoslide Gavick......................................................................96 3.6.4.1-Instalação.....................................................................................................97 3.6.4.2-Para acessar o componente..........................................................................97 3.6.4.3-Adicionando imagens no grupo...................................................................97 3.6.4.4-Exibição do slideshow no site.....................................................................98 3.6.4.5-Adição de posições modulares..................................................................100 ..............................................................................................................................100 3.6.4.6-Visualizações Gavick................................................................................100 3.7-Plugins...................................................................................................................102 3.7.1- Plugin AllVideos.............................................................................................102 3.7.1.1-Instalação do Allvideos 3.3 ......................................................................102 3.7.1.2-Habilitar o Allvideos.................................................................................103 3.7.1.3-Extensões Allvideos..................................................................................103 3.7.1.5-Síntese.......................................................................................................105 3.7.2- Editor JCE.......................................................................................................105 3.7.2.1-Instalação do editor JCE............................................................................106Capitulo 4 - Conclusão................................................................................................108......................................................................................................................................108 4.1-Resumo do Relatório............................................................................................108 4.2-Objetivos realizados.............................................................................................1084.3-Bibliografia............................................................................................................1094.2-Glossário.................................................................................................................110Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Índice de FigurasFigura 1 – Site da Ucdaves............................................................................................15Figura 2 – Site do Portal de Tele-saúde Brasil............................................................16Figura 3-Logótipo do sistema Gnu..............................................................................24Figura 4- Logotipo do Apache......................................................................................26Figura 5-Base de dados Mysql......................................................................................28Figura 6-Criação do base de dados..............................................................................28Figura 7-Tabela de componentes Joomla....................................................................29 Figura 8-Linguagem Php ..........................................................................................29Figura 9-Xampp Painel de Controlo............................................................................33Figura 10-Xampp menu principal...............................................................................33Figura 11 - Separador PHP..........................................................................................34Figura 12 - Biorítmo do Xampp...................................................................................35Figura 13-Phpmyadmin................................................................................................35Figura 14 - Organização das pastas.............................................................................38Figura 15 - Htdocs joomla............................................................................................39Figura 16 - Instalação do Joomla.................................................................................39Figura 17 - Selecionar o Idioma da Instalação do Joomla.........................................40Figura 18 - Analise de pré- instalação.........................................................................40Figura 19 - Análise de pré- instalação.........................................................................41Figura 20 - Licença do Joomla.....................................................................................41Figura 21 - Configuração do Base de dados do Joomla.............................................42Figura 22 - Configuração do FTP do Joomla.............................................................42Figura 23 - Configuração Principal do Joomla..........................................................43Figura 24 - Fim da Instalação do Joomla....................................................................43Figura 25 - Erro de Instalação do Joomla...................................................................44Figura 26 - Joomla Framework....................................................................................45Figura 27 - Portal de Telemedicina de Angola...........................................................46Figura 28 - Painel de acesso à administração do site Joomla....................................47Figura 29 - Painel de controlo do Joomla....................................................................47Figura 30 - Atalho de acesso rápido Joomla...............................................................50Figura 31 - Criando uma seção....................................................................................52Figura 32 - Nova categoria formada............................................................................53Figura 33 - Tela de criação de artigo...........................................................................54Figura 34 - Ferramentas de edição..............................................................................55Figura 35-Painel de estado............................................................................................55Figura 36 - Parâmetros do artigo.................................................................................55Figura 37 - Parâmetros avançados..............................................................................56Figura 38-Aplicação da quebra no frontend...............................................................56Figura 39-Artigo com Leia mais..................................................................................57Figura 40-Instalação/Desinstalação.............................................................................58Figura 41-Carregando tema.........................................................................................59Figura 42-Seleção de temas...........................................................................................59Figura 43-Template do portal de Telemedicina.........................................................59Figura 44-Posições padrão do Template.....................................................................60Figura 45-Tela de configuração do tema.....................................................................61Figura 46 - Template CSS ............................................................................................62Figura 47- Publicação de um meno pelo administrador de módulos.......................62Figura 48-Administrador de itens de Menu................................................................63Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Figura 49-administração de módulos..........................................................................63Figura 50-Definições de Menu......................................................................................63Figura 51-Criação de menus.........................................................................................64Figura 52-Loggin Xcloner.............................................................................................66Figura 53-Tela inicial....................................................................................................66 Figura 54-Configurações(Xcloner).................................................................66Figura 55-Vias para criação de backups....................................................................67Figura 56-Criação de backup.......................................................................................67Figura 57-Opção de ficheiros.......................................................................................68Figura 58-backup bem sucedido..................................................................................68Figura 59-Análise do novo backup..............................................................................68Figura 60-View Backup................................................................................................69Figura 61-Download Backup........................................................................................69Figura 62-Descompacte o backup................................................................................69Figura 63-Arquivos descompactados...........................................................................70Figura 64-Site Restaurado............................................................................................70Figura 65-Módulos do Xampp prestando serviços.....................................................70Figura 66-criação de uma base de dados vazia...........................................................71Figura 67-Exportação de dados...................................................................................71Figura 68-Download do Ck forms................................................................................72Figura 69-Upload Ck.zip para joomla.........................................................................72Figura 70-Acessando Ckform.......................................................................................73Figura 71-Tela de configuração ck..............................................................................73Figura 72-Ckforms advance.........................................................................................75Figura 73-formulário de teste após ser criado............................................................75Figura 74-Criando Fildes (Campos)............................................................................75Figura 75-Criando Formulários...................................................................................76Figura 76-Campo estilo texto.......................................................................................77Figura 77-Item de Formulário Tipo Botão................................................................78Figura 78-Opções de Botão...........................................................................................78Figura 79-Ck em item de Menu...................................................................................79Figura 80-Item de menu-Ck.........................................................................................79Figura 81-Formulário criado com o Ck Forms no Portal.........................................79Figura 82-Lista de entidades cadastradas...................................................................80Figura 83- Utilizando verificação baseada em capcha...............................................80Figura 84-Campos de cadastro de médicos.................................................................81Figura 85-Cadastro de médicos....................................................................................81 Figura 86-Médicos cadastrados.................................................................................82Figura 87-arquivos do ficheiro.zip...............................................................................86Figura 88-Install-Unistall Virtuemart.........................................................................86Figura 89-Enviando Virtuemart para o site...............................................................86Figura 90-Sucesso na instalação do VM......................................................................87Figura 91-Painel de controle do Virtuemart...............................................................88Figura 92-Configurações gerais- Aba segurança........................................................89Figura 93-Ícone Loja Vm..............................................................................................89Figura 94-Loja VM........................................................................................................89Figura 95-Criação da categoria ...................................................................................90Figura 96-Criando categoria filha...............................................................................90Figura 97-Anexando Produto-Categoria.....................................................................91Figura 98-Lista de categorias.......................................................................................91Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Figura 99-Produtos Virtuemart...................................................................................91 Figura 100-Adição de um novo produto.........................................................92 Figura 101-Inserindo item menu VM...................................................................92Figura 102-Vm- administração de Menu....................................................................92Figura 103-Item de Menu-VM.....................................................................................93Figura 104-Edição do item de menu Vm.....................................................................93Figura 105-VM-Top Menu...........................................................................................93Figura 106-Categorias no frontend..............................................................................94Figura 107-Serviços de telemedicina usando VM.......................................................94Figura 108-Envio para o carrinho de compras...........................................................95Figura 109-Solicitação de um produto ao site.............................................................95Figura 110-Icone de Formas de Pagamento................................................................96Figura 111-Formas de pagamento...............................................................................96Figura 112-Paint-atributos gavick...............................................................................97Figura 113-Escolha de grupos......................................................................................98 Figura 114-Lista de Imagens do grupo............................................................98Figura 115-Habilitando módulo...................................................................................98Figura 116-Posições modulares....................................................................................99Figura 117-Análise dos módulos do template.............................................................99Figura 118- Adicionar posição...................................................................................100Figura 119-Estilos do template...................................................................................101Figura 120-Estilo Bloco de thumbnails......................................................................101Figura 121-Estilo Template........................................................................................101Figura 122-Estilo Gavick (Rotação de imagens).......................................................101Figura 123-Instalação bem sucedida do AllVideos...................................................103Figura 124-Administração de Plugins.......................................................................103Figura 125-Mídias.......................................................................................................104Figura 126-Apresentação de um vídeo......................................................................105Figura 127-Instalação do editor.................................................................................106Figura 128- Tela de edição do Editor JCE................................................................107Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Capitulo 1 - Introdução1.1 - Apresentação Angola é um dos países Africanos em desenvolvimento onde se registram umgrande número de vítimas anualmente causadas pelas dificuldades em RecursosHumanos capacitados no campo médico para um diagnostico rápido e preciso. É notávela tendência apresentada por pessoas com recursos financeiros disponíveis em procurarestes serviços no estrangeiro. A maioria da população fica sujeita a padecer nosHospitais com sessões intermináveis e inúteis (na maioria dos casos) de soros emedicações, ou ainda fazendo uso de médicos tradicionais. A situação da populaçãorural é muito pior, pois existem muitos poucos centros hospitalares em todo o País. Alguns dados retirados sobre angola: • População urbana: 57% • Crescimento demográfico: (2005 - 2010): 2,81% • Taxa de fecundidade (2006): 6,54 • Taxa de natalidade (2002): 46 por mil • Taxa de mortalidade (2002): 25,8 por mil • Taxa de mortalidade infantil (est. 2006): 131,9/mil nascidos vivos (192º) • Expectativa de vida: 42,7 anos • Homem: 41,2 anos • Mulher: 44,3 • Estrutura por idade (2002): • Menores de 15 anos: 47,7% • De 16 a 59 anos: 47,9% • Maiores de 60 anos: 4,4% A Telemedicina consiste na quebra de fronteiras entre médicos, enfermeiroslocais e pacientes, diminuição das distancias globais entre pacientes, médicos eRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • hospitais através da internet. O objetivo consiste na criação de um meio intermediárioentre médicos e pacientes visando o melhor atendimento para o diagnostico de doenças.1.2 - Objectivo O objectivo principal do presente trabalho é a criação de um portal para ainternet com um conjunto de ferramentas integradas, capaz de diminuir as barreirasprovocadas pelas grandes distâncias geográficas entre médicos, enfermeiros e pacientes,visando uma eficiente prestação de serviços na área de saúde para a Província deBenguela.1.3 - Objectivos complementares • Aprender a utilizar um sistema de CMS para a WEB; • Configurar um ambiente com servidor WEB, de Base de Dados e com suporte a programação para a internet; • Gerir permissões de utilizadores em sítio da internet; • Utilizar ferramentas de backups e clonagem dinâmicas; • Fornecer informações básicas como primeiros socorros para iniciantes na medicina, como público em geral. • Permitir a criação de serviços de intercambio entre profissionais de saúde locais e estrangeiros; • Utilizar recursos de educação à distância para profissionais de saúde; • Iniciar novos trabalhos de estágio e investigação na área de Informática em Saúde.1.4 - Enquadramento Com o intuito de melhorar as condições médicas no atendimento aos pacientes,surgiu a Telemedicina. Onde a informática e a medicina unem esforços na criação deRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • meios inovadores e eficientes que melhorem o atendimento e prestação de serviços,assim como a automação dos mesmos. A telemedicina tem vindo a crescer significativamente sendo uma solução parasaúde em países em desenvolvimento como Angola, trazendo mais valias no tratamentoda saúde em Angola. Atualmente existe uma grande quantia de aplicações sob licença livre no mundoinformático. A estratégia do projeto Telemedicina é usar essas ferramentas (tanto noambiente de testes, como na hospedagem) para a criação de um Portal, que permita criartodo o complexo fluxo de aplicações Médicas em uma plataforma online.1.5 - Plano de trabalho • Preparação de um ambiente de teste para a concepção do portal  Descarregar Xampp  Instalação do Xampp  Documentação • Criação do Portal Telemedicina  Descarregar o gestor de conteúdo Joomla  Instalação do gestor de conteúdo Joomla  Exploração da ferramenta Joomla.  Domínio da ferramenta livre Joomla  Manipulação dos templates, extensões, plugins(extras).  Gestão de utilizadores  Domínio na administração de utilizador • Instalação de Plugins  Allvideos- gestor e player de multimídia  Editores TINYMce  Registros de erros e solução descoberta. • Instalação de componentes  X Cloners backups  CK FormsRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    •  Virtuemart  Gavick 3 • Registros de erros e solução descoberta • Documentação • .Implementação dos componentes • Backup do portal via Xcloner • Documentação1.6 - Apresentação da entidade receptora O Estágio foi realizado na própria Universidade Lusíada de Angola – Pólo deBenguela, sendo orientado pelo Prof. Dr. João Alexandre Lôbo Marques. A Universidade Lusíada de Angola iniciou suas atividades em 1999 nas áreaseconômica, jurídica e engenharia. Durante este período de existência, cresceu não só emnúmero de discentes, mas também em áreas de atividade, contando hoje comLicenciaturas em Psicologia, Informática, Economia, Contabilidade, Gestão deEmpresas, Gestão de Recursos Humanos, Direito e Relações Internacionais. A Universidade Lusíada de Angola orgulha-se da sua dimensão nacional e doprestígio alcançado, principalmente, do contributo dado ao País na formaçãouniversitária de uma parte significativa da sua juventude. A verificação desta realidade tem exigido da ULA um contínuo esforço daqualificação do seu corpo docente, de atualização dos seus equipamentos técnicos etecnológicos e de renovação das suas práticas pedagógicas, tendo sempre em vista umensino que apenas se subordina aos princípios da qualidade e do rigor científico. A aquisição de uma consciência ética e social que determine o comportamento eo procedimento científico e profissional é o suporte do projeto de formação integral daUniversidade Lusíada de Angola. A ULA procura que os membros de sua comunidade universitária se distingampelas qualidades humanas antes e em simultâneo, na sua preparação cultural e altacategoria profissional. Para o sucesso do presente projeto de estágio, a Universidade permitiu autilização de todos os recursos materiais e humanos disponíveis para seu fim, tais comoRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • o corpo docente da Instituição, laboratórios de informática, acesso à internet, dentreoutros.1.7 - Pesquisa de mercado Para melhor compreender o campo da telemedicina, a equipa deste portal fezuma pesquisa de sites que trabalham no mesmo campo, entre estes se destacam Ucdavis(http://www.ucdmc.ucdavis.edu/informatics/) este é um portal Inglês voltado para aformação de profissionais na área de saúde, este têm um grande foco também na tele-saúde; Figura 1 – Site da Ucdaves E o portal brasileiro http://www.telessaudebrasil. org.br/php/index.php?portal=subportal1 , estes possuem um foco direcionado na informação e prestação deserviços médicos através de artigos explicativos e vídeos com praticas medicas.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Figura 2 – Site do Portal de Tele-saúde Brasil A análise destes portais trouxe ao portal de telemedicina importantesinformações acerca da atuação e importância destes na formação de profissionais naárea de saúde e no ensino de conceitos básicos a comunidade.1.8 – Organização deste trabalho O presente trabalho está organizado da seguinte maneira para melhorcompreensão do leitor interessado no assunto. No Capítulo 2, é feita uma pesquisa sobre as principais tecnologias abordadas noprojecto, com destaque a infra-estrutura de servidores e soluções utilizadas para aconstrução do portal. Já no Capítulo 3 é apresentado o conjunto de soluções utilizadas para executar oprojecto desejado, partindo desde a instalação das ferramentas definidas até a suaimplementação e testes. O Capítulo 4 apresenta um conjunto de discussões e as conclusões obtidas sobreos temas estudados e a implementação prática realizada.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Capitulo 2 - Contexto O presente Capítulo abordará todos os conceitos relacionados tanto à área detelemedicina, quanto à área técnica de criação de portais para a WEB. O objectivo éapresentar uma base completa para a criação efetiva do projecto desejado.2.1 - Conceitos da Área de Telemedicina Para uma melhor compreensão da área de informática aplicada à saúde queiremos abordar como base para este projecto, será apresentado um conjunto dedefinições de importantes termos da área, desde o conceito genérico de telemedicina atéos conceitos aplicados de educação à distância em saúde, entre outros. 2.1.1 - Telemedicina A definição de Telemedicina é simplesmente a aplicação da arte médica adistância sem que haja contato físico direto para criação, manutenção oucomplementação da relação médico-paciente utilizando para tanto um meio decomunicação entre os pontos interessados. Essa é uma definição abrangente que começarelacionando a arte médica que envolve contato com o paciente, diagnóstico, tratamentoou até intervenção cirúrgica com qualquer meio de comunicação que possa unir dois oumais pontos distantes fisicamente desde cartas escritas até prontuários de pacienteseletrônicos interligados por rede wireless (sem fio). Ao contrário do que se possa pensar que a relação médico-paciente não possa serestabelecida de uma maneira satisfatória devido a distância entre as duas partes para umpaciente é muito importante que se possa contar sempre com a opinião, aconselhamentoou intervenção de médicos escolhidos por ele, por exemplo, durante uma viagem. De acordo com a ATA (American Telemedicine Association), a Telemedicina é"o uso de informação médica veiculada de um local para outro, por meio decomunicação eletrónica, visando à saúde e educação dos pacientes e do profissionalmédico, para assim melhorar a assistência de saúdeRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Em outra definição dada pelo Current Medical Diagnosed & Treatment 2000,Telemedicina é "o uso de informação eletrônica e outras tecnologias de comunicaçãopara proporcionar e dar suporte à saúde quando a distância separa os participantes doprocesso". Finalmente o Current Medical Diagnosed & Treatment 2000, afirma queTelemedicina é "o uso de informação eletrônica e outras tecnologias de comunicaçãopara proporcionar e dar suporte à saúde quando a distância separa os participantes doprocesso". 2.1.2 - Telessaúde A base de um atendimento médico é a troca de informações sobre a saúde de umpaciente. Neste atendimento podem estar envolvidos, além do paciente, diversosprofissionais de saúde, como médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos, pessoalde laboratório, etc. Há numerosas maneiras de executar estas trocas: via oral (maiscomum), escrita, gráfica e por imagens.Hoje, estas trocas podem ser realizadas atravésde processos digitais (armazenamento, recuperação e comunicação). Telessaúde éjustamente a troca de informações sobre o paciente através de processos digitais àdistância fazendo-se uso de sistemas de telecomunicações. Informações digitaisapresentam a vantagem da fácil reprodução, pequeno volume de armazenagem (fitasmagnéticas, etc., em relação a documentos em papel), e transmissão, que pode ser emtempo real ou não através de redes, respeitando-se claro, questões de qualidade dainformação, ética, segurança e sigilo. A viabilidade de implantação destes processos na prática clínica dependediretamente da utilização de recursos tecnológicos especiais (equipamentos esoftwares), do uso adequado de sistemas de telecomunicação, e da capacitação derecursos humanos para sua instalação, utilização e manutenção. A infra-estrutura tecnológica necessária varia de acordo com a complexidade doprocesso, podendo-se utilizar desde sistemas de telefonia convencional até sistemas deredes digitais de alta velocidade, permitindo a troca de grandes. A Telessaúde atua facilitando a troca de informações médicas entre pacientesdistantes. Existem várias aplicações que podem servir para esse fim, no entanto, elasRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • ainda se restringem a obtenção de dados para fins de diagnóstico, aprendizado eacompanhamento de pacientes. 2.1.3 - Tele-diagnóstico No Tele-diagnóstico são realizadas consultas remotas sobre informaçõesmédicas do paciente e um posterior atendimento do mesmo para fins de diagnóstico.Geralmente ocorre em tempo real, por meio de intercâmbio de texto, áudio, imagensestáticas (como radiografia, ECG) e vídeo entre dois pontos. Os sistemas de segundaopinião médica pertencem a essa modalidade, assim como o suporte dado por centrosmédicos mais especializados a postos de saúde remotos, pequenos hospitais rurais,prisões, locais isolados (plataformas petrolíferas, por exemplo), locais móveis (aviões,navios), fronts de guerra, locais de sinistros e epidemias, e muitos outros. A consulta remota, em base de dados, ao registro do(s) paciente(s) também éusada atualmente com a finalidade de diagnosticar, pois, permite recuperar informaçõesmultimídia sobre o mesmo e proporciona o seu acesso de qualquer parte do mundo,utilizando-se um método denominado store and forward (armazena e envia). 2.1.4 - Tele-cirurgia Realização de procedimentos cirúrgicos remotamente. Por meio de sinaisvisuais, auditivos e tácteis entre o local onde está o cirurgião e o local onde está opaciente, utilizando-se equipamentos de manipulação remota de instrumentos,comprovou-se ser possível uma intervenção cirúrgica à distância (embora isto aindaesteja em domínio experimental).Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • 2.1.5 - Tele-monitoração Utilização de equipamento especial para registar dados vitais de um paciente eenviá-los continuamente a um centro remoto de análise, interpretação e alerta. Algunsexemplos desta aplicação a monitoração cardíaca transtelefônica (cardiobipe), amonitoração de pacientes com gravidez de risco, ou de pacientes deficientes ouimobilizados em casa. 2.1.6 - Educação à distância aplicada à Saúde Consiste na formação a distância utilizando tecnologias de comunicação einformação. Este é um caso especial que também pode ser considerada uma aplicaçãoquando realizada para o treinamento clínico. O uso da videoconferência, o acesso abancos de informação em saúde para o ensino e a educação usando a Internet sãoexemplos recentes desta tecnologia. 2.1.7 - Teleconsulta É um processo assistencial, onde o paciente é atendido por um ou mais médicosà distância. Neste serviço o paciente tem acesso á profissionais de saúde de outraslocalidades ou especialidades através de uma sessão de conferência bi-direcionalmultimídia (troca de áudio, vídeo e dados). A consulta ou ambulatório ocorre entre doissites remotos visando à assistência ao paciente. Em um site encontra-se o pacienteacompanhado por seu médico assistente ou enfermeira, e no outro site o(s) médico(s)consultor(es). Neste processo é possível transmitir, a qualquer distância, além do aúdioe vídeo dos participantes da sessão, dados demográficos ou clínicos do paciente(historio clínico, exames de imagens, etc.).Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • 2.2- Sistemas Informáticos para o Portal 2.2.1 - Sistema gestor de conteúdo Um Sistema de Gestão de Conteúdo - SGC, (em inglês Content ManagementSystems - CMS), é um sistema de gestão de websites, portais e intranets. Este sistemaintegra ferramentas necessárias para criar, gerir (editar e inserir) conteúdos em temporeal, sem a necessidade de programação de código. O principal objetivo destes sistemasconsiste em permitir uma fácil criação, estruturação, administração, distribuição,publicação e disponibilidade da informação. Os CMS são caracterizado pelas grandes quantidades de funções presentes. sãoframeworks ou seja ¨esqueletos¨ de websites pré-programados, com recursos básicos demanutenção e administração já prontamente disponíveis. Um CMS permite que a empresa tenha total autonomia sobre o conteúdo eevolução da sua presença na internet e dispense a assistência de terceiros ou empresasespecializadas para manutenções de rotina. A aparência de um website criado com um CMS é editavel, através da utilizaçãode temas ou templates que podem ser facilmente substituídos.Em suma, o grande diferencial de um CMS é permitir que o conteúdo de um websitepossa ser modificado de maneira rápida e segura por qualquer computador ligado àInternet. Um sistema de gestão de conteúdo reduz custos e ajuda a suplantar barreiraspotenciais à comunicação web, reduzindo o custo da criação, contribuição e manutençãode conteúdo. Um grande exemplo de CMS é o Wordpress, um sistema em PHP, Open Sourcee de altíssima qualidade para gerir blogs ou portais cada vez mais completos. Outroexemplo, é o CMS Joomla, também feito em linguagem PHP e integrado ao base dedados MySQL. No portal de telemedicina do presente trabalho será utilizado o sistema gestor deconteúdo Joomla.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • 2.2.2 - Ambiente de Criação de web sites Antes de iniciarmos a criação do portal, é necessário que tenhamos uma infra-estrutura de programas para a instalação e testes de todas as funcionalidades do que fordesenvolvido. Para isto, uma das opções disponíveis para criar um ambiente de testespara sistemas WEB é o software XAMPP. O XAMPP é um servidor independente de plataforma desenvolvido pelo grupoApache Friends, este é um software livre, que consiste principalmente na base de dadosMySQL, o Servidor Web Apache e os interpretadores para linguagens de script: PHP ePerl. O nome provém da abreviação de X (para qualquer dos diferentes sistemasoperativos), Apache, MySQL, PHP, Perl. O programa está sob a licença GPL e atua como um servidor Web livre, fácil deusar e capaz de interpretar páginas dinâmicas. Atualmente XAMPP está disponível paraMicrosoft Windows, GNU/Linux, Solaris, e MacOS X. Este somente requer a descompactação de um arquivo zip que pode ser obtido apartir do Site http://www.baixaki.com.br/download/xampp.htm, através de um Winzapou 7zip. Este vem com algumas pequenas configurações específicas ao sistema emalguns de seus componentes necessários para o funcionamento do servidor Web. OXampp é regularmente atualizado para incorporar as últimas versões de Apache/Mysql/PHP e Perl. Também são incluídos outros módulos como OpenSSL, e Phpmyadmin. Oficialmente, os desenvolvedores do XAMPP só pretendiam usá-lo como umaferramenta de desenvolvimento, para permitir aos programadores de websites eprogramadores testarem o seu trabalho nos seus próprios computadores, sem necessitaracesso algum à Internet. Na prática atual, XAMPP é utilizado atualmente para servirsites Web na WWW, e com algumas modificações é geralmente seguro para uso emservidor público. Uma ferramenta especial é incluída para proteger facilmente as partesmais importantes e sensíveis do pacote. Para Angola este tipo de aplicações é importante, pois este ambiente permite acriação de inúmeros projetos a partir do computador pessoas, de maneira fácil, dandoenumeras opções de teste, reconfiguração, criação.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Para este Site de telemedicina, Xampp será um fator chave, pois será a raiz doJoomla, que fará o armazenamento das Páginas no Mysql, as paginas serão escritasusando a Linguagem PHP e Perl, e guardadas no servidor Web Apache. 2.2.3 - GNU GPL- Licença pública geral Os termos GNU GPL designam uma licença atribuída para os softwares livresidealizada por Richard Stallman no final da década de 1980, no âmbito do projeto GNUda Free Software Foundation (FSF). A GPL é a licença com maior utilização por parte de projetos de software livre,em grande parte devido à sua adoção para o projeto GNU e o sistema operativoGNU/Linux. A GPL é baseada em 4 liberdades: I. A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito (liberdade nº 0) II. A liberdade de estudar como o programa funciona e adaptá-lo para as suas necessidades (liberdade nº 1). O acesso ao código-fonte é um pré- requisito para esta liberdade. III. A liberdade de redistribuir cópias de modo que se possa ajudar o seu próximo (liberdade nº 2). IV. A liberdade de aperfeiçoar o programa, e liberar os seus aperfeiçoamentos, de modo que toda a comunidade se beneficie deles (liberdade nº 3). O acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade. Com a garantia destas liberdades, a GPL permite que os programas sejamdistribuídos e reaproveitados, mantendo, porém, os direitos do autor por forma a nãopermitir que essa informação seja usada de uma maneira que limite as liberdadesoriginais. A licença não permite, por exemplo, que o código seja apoderado por outrapessoa, ou que sejam impostos sobre ele restrições que impeçam que seja distribuído damesma maneira que foi adquirido. Esta foi originalmente publicada em Janeiro de 1989, e atualmente estaencontra-se na versão chamada de GPLv3 e o primeiro esboço foi publicado em 16 deRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Janeiro de 2006, sendo a versão final lançada em 29 de Junho de 2007. A GPL tem sidodescrita como “viral” por muitos críticos porque ela apenas permite programas inteiros,o que significa que não é permitido aos programadores linkar seu projeto a bibliotecassob licenças incompatíveis à GPL. Figura 3-Logótipo do sistema Gnu Em 2001, Steve Ballmer, da Microsoft referiu-se ao Linux como "um cancro quese junta à propriedade intelectual e contamina tudo que toca". Porém, críticos alegamcontra Microsoft que o verdadeiro motivo para a empresa atacar a GPL é o fato destalicença "resistir às tentativas dos direitos de propriedade intelectual convencionais seestenderem sobre todas as criações e inovações da área". Em resposta aos ataques da Microsoft à GPL, muitos desenvolvedores edefensores de Softwares Livres fizeram uma proclamação conjunta a favor da licença. Um importante desafio deste portal será a aplicação de tecnologias baseadas emGPL provando que é possível criar aplicações complexas com custo zero. 2.2.4 - Servidor Web Apache O Apache é o servidor Web mais conhecido e usado. Os motivos incluem o seuexcelente desempenho, segurança, compatibilidade com diversas plataformas e todos osseus recursos. Este não só executa o HTTP, como outros protocolos, tais como oHTTPS (O HTTP combinado com a camada de segurança SSL - Secure Socket Layer), oFTP (Protocolo de transferência de ficheiro), entre outros.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Histórico O programa conhecido como HTTP Apache surgiu no Centro Nacional deaplicações em Super computadores (NCSA) através do trabalho de Rob McCool. Aosair da NCSA, McCool parou de trabalhar no software (que nessa época recebiajustamente a denominação NCSA) e então várias pessoas e grupos passaram a adaptar oservidor Web às suas necessidades. No entanto, foram Brian Behlendorf e CliffSkolnick os principais responsáveis pela retomada do projeto, contando logo emseguida com o apoio de Brandon Long e Beth Frank. Estes últimos tinham a tarefa decontinuar com o desenvolvimento do servidor pela NSCA, não demorou muito para queeles se juntassem ao Grupo Apache. Após uma série de aperfeiçoamentos, testes e deuma documentação nova (feita por David Robinson), o Apache 1.0 foi lançado emDezembro de 1995. Características e especificações O Servidor Apache é um software livre, o que significa a liberdade demodificação do código-fonte, estudo, além de poder ser utilizado gratuitamente. É graças a essa característica que o software foi (e continua sendo) melhoradocom o passar dos anos. Graças ao trabalho muitas vezes voluntário de váriosdesenvolvedores, o Apache continua sendo o servidor Web mais usado no mundo. Além de estar disponível para o Linux (e para outros sistemas operacionaisbaseados no Unix), o Apache também conta com versões para o Windows, para aNovell Netware, e para o OS/2, o que o torna uma ótima opção para rodar emcomputadores obsoletos (desde que este atenda aos requisitos mínimos de hardware). O servidor Apache é capaz de executa código em PHP, Perl, Shell Script e atéem ASP e pode atuar como servidor FTP, HTTP, entre outros. Sua utilização maisconhecida é a que combina o Apache com a linguagem PHP e o base de dados Mysql. A exigência de hardware do Apache depende de sua aplicação, mas um PCPentium com 64 MB de memória RAM é capaz de executá-lo tranquilamente em umambiente corporativo pequeno. No entanto, quando se trata de um site na internet, éinteressante ter máquinas tão poderosas quanto o que exige o nível de acesso.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Figura 4- Logotipo do Apache Importância no Portal de Telemedicina Para a criação do site Telemedicina, o Apache será uma ferramenta crítica, poisgraças a este servidor, as páginas do Site serão fornecidas ao utilizador através doprotocolo http(). 2.2.5 - Base de dados Mysql 5.0 O Mysql é um sistema de gestão de base de dados (SGBD), que utiliza alinguagem SQL (Linguagem de Consulta Estruturada) como interface.Hoje em dia, é uma das bases de dados mais conhecidas, com mais de 10 milhões deinstalações pelo mundo. A nível mundial este é bastante utilizado, entre seusutilizadores temos: NASA, HP, Nokia, Sony,U.S. Army, U.S. Federal,Cisco Systems,Google e outros. Empresas como Yahoo! Finance, MP3.com, Motorola, NASA, SiliconGraphics e Texas Instruments usam o MySQL em aplicações de missão crítica. Historia Este foi desenvolvido na Suécia por dois suecos e um finlandês: David Axmark,Allan Larsson e Michael Widenius, atualmente seu desenvolvimento e manutençãoempregam aproximadamente 400 profissionais no mundo inteiro, e mais de milcontribuem testando o software, integrando-o a outros produtos, e escrevendo a respeitodele. No dia 16 de Janeiro de 2008, a Mysql AB, desenvolvedora do Mysql foi adquiridapela Sun Microsystems, por US$ 1 bilhão, um preço jamais visto no sector de licençaslivres. No dia 20 de Abril de 2009 a Oracle compra a Sun Microsystems e todos o seuprodutos, incluindo o Mysql. Após investigações da Comissão Europeia sobre aRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • aquisição para evitar formação de monopólios no mercado a compra foi autorizada ehoje a Sun faz parte da Oracle. Características As características responsáveis pelo seu sucesso e preferência são: 1. Portabilidade, ou seja, capacidade de suportar praticamente qualquer plataforma atual; 2. Compatibilidade graças aos seus drives ODBC, JDBC e. NET e módulos de interface para diversas linguagens de programação, como Delphi, Java, C/C++, C#, Visual Basic, Python, Perl, PHP, ASP e Ruby); 3. Excelente desempenho e estabilidade, para além de ser pouco exigente quanto a recursos de hardware e sua facilidade de uso; 4. É um Software Livre com base na GPL; 5. Contempla a utilização de vários Storage Engines como MyISAM, InnoDB, Falcon, BDB, Archive, Federated, CSV, Solid… 6. Suporta controle transactional; Triggers(rotinas que desencadeam acções no sistema); Cursors (Non-Scrollable e Non-Updatable); Suporta Stored Procedures e Functions; 7. Replicação facilmente configurável e Interfaces gráficas (MySQL Toolkit) de fácil utilização cedidos pela MySQL Inc. O Mysql nos dias de hoje suporta Unicode, Full Text Indexes, replicação, HotBackup, GIS, OLAP e muitos outros recursos. O sucesso do Mysql deve-se em grande medida à fácil integração com o PHPincluído, quase que obrigatoriamente, nos pacotes de hospedagem de sites da Internetoferecidos atualmente. Importância no Portal de Telemedicina Este fator vai auxiliar na fase de hospedagem do Site Telemedicina, guardandotoda informação do site.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Na fase de testes do Site telemedicina, O Mysql esta integrado com o Xampp,sua função consiste em receber toda a informação do Site (Tabelas, conteúdo,componentes, Plugins) e armazená-la. Figura 5-Base de dados Mysql Na tela anterior, pode se visualizar o gestor do Base de dados Mysql no ambientede testes Xampp usado na criação do Site Telemedicina, durante a fase de teste usando oXampp, a base Mysql poderá ser acessada e modificada através da ferramentaphpmyadmin, ou usando o caminho http://localhost/phpmyadmin/, abaixo estão algumastelas do Phpmyadmin, mostrando a Base de dados Mysql. A seguir, encontra-se uma figura todos os bancos de dados existentes no sistemade testes. Figura 6-Criação do base de dados Clicando sobre o base de dados de nome Jos_joomla, são disponibilizados todasas tabelas pertencentes ao Site de telemedicina.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Figura 7-Tabela de componentes Joomla Todos os componentes, tabelas e pluggins do Site Telemedicina estãoregistrados nesta seção. Para uma melhor segurança convêm utilizar-se uma ferramentade back-up, para melhor se proteger os componentes da base de dados, este sistemautiliza o Xcloner, ferramenta que clona, guarda e comprime todos os dados existentesno base de dados. 2.2.6 – Linguagem de Programação PHP O PHP é uma linguagem preparada para criar conteúdo Web dinâmico, ou seja éuma linguagem de preparação e controle de Hipertexto, ou seja,este é uma linguagemde programação de computadores interpretada, livre e muito utilizada para gerarconteúdo dinâmico na World Wide Web. Figura 8-Linguagem Php HistoriaRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • A linguagem Php surgiu por volta de 1994, como um pacote de programas CGIcriado por Rasmus Lerdorf, com o nome Personal Home Page Tools (Ferramentas parapáginas caseiras e pessoais), para substituir um conjunto de scripts Perl que ele usava nodesenvolvimento de sua página pessoal. Em 1997 foi lançado o novo pacote dalinguagem com o nome de PHP/FI, trazendo a ferramenta Forms Interpreter, uminterpretador de comandos SQL.Mais tarde, Zeev Suraski desenvolveu o analisador doPHP 3 (contava com o primeiro recurso de orientação a objetos, que dava poder dealcançar alguns pacotes, tinha herança e dava aos desenvolvedores somente apossibilidade de implementar propriedades e métodos), pouco depois, Zeev e AndiGutmans, escreveram o PHP 4, dando mais poder à máquina da linguagem e maiornúmero de recursos de orientação a objetos. PHP 5 Em Junho de 2004 foi lançada a versão 5 do PHP, introduzindo um novo modelode orientação a objeto, incluindo a reformulação dos construtores e adição dedestructores, visibilidade de acesso, abstração de objeto e interfaces de objetos. O tratamento de objetos do PHP foi completamente reescrito, permitindo umdesempenho melhor e mais vantagens. Enquanto na versão anterior era preciso muitoesforço para atender à orientação a objetos e aos padrões de projeto (alguns não erampossíveis), o PHP 5 veio para suprimir esta deficiência.O Php é uma linguagemextremamente modularizada, o que a torna ideal para instalação e uso em servidoresWeb. Diversos módulos são criados no repositório de extensões PECL (PHP ExtensionCommunity Library) e alguns destes módulos são introduzidos como padrão em novasversões da linguagem. É muito parecida, em tipos de dados, sintaxe e mesmo funções,com a linguagem C e com a C++, é caracterizada pela sua velocidade e robustez,portabilidade (independência de plataforma) ou seja, o objectivo é escrevendo uma vez,esta roda em qualquer lugar, tipagem fraca, sintaxe similar a C/C++ e o Perl. HP tem suporte aos protocolos: IMAP, SNMP, NNTP, POP3, HTTP, LDAP,XML-RPC, SOAP. É possível abrir sockets e interagir com outros protocolos. E asbibliotecas de terceiros expandem ainda mais estas funcionalidades. AplicaçõesRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Uma aplicação feita em PHP pode ser, dependendo da configuração do servidor,envolvida no código HTML. Existem versões do PHP disponíveis para os seguintes sistemas operacionais:Windows, Linux, FreeBSD, Mac OS, OS/2, AS/400, Novell Netware, RISC OS, AIX,IRIX e Solaris.A Wikipédia é um exemplo, de aplicações Web que funcionam sobre umsoftware inteiramente escrito em PHP, usando bases de dados MySQL: o MediaWiki. Construir uma página dinâmica baseada em bases de dados é simples com PHP,(em parte, vale lembrar), este provê suporte a um grande número de bases de dados:Oracle, Sybase, PostgreSQL, InterBase, MySQL, SQLite, MSSQL, Firebird, etc.,podendo abstrair o banco com a biblioteca ADOdb, entre outras. Filosofia A linguagem PHP é uma linguagem de programação de domínio específico, ouseja, seu escopo se estende a um campo de atuação que é o desenvolvimento Web,embora tenha variante como o PHP-GTK. Seu propósito principal é de implementarsoluções Web velozes, simples e eficientes. Importância no Portal de Telemedicina Esta linguagem é aplicada na criação de conteúdo dinâmico, o Gestor deconteúdo Joomla é uma aplicação baseada em Php5, e este será o grande responsávelpela criação do Joomla, desde a criação e gestão de templates (temas), módulos,plugins, extensões entre outros componentes do site Telemedicina.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Capitulo 3 - Desenvolvimento especifico Neste capitulo, serão descritos todos os processos que ocorreram na criação doPortal de Telemedicina de Benguela, ou seja, instalação do ambiente de testes Xampp,instalação do sistema gestor de conteúdo Joomla (neste falaremos do seus conteúdoestático, dinâmico, organização do backend e do frontend, funcionamento do sistema depermissão, organização de conteúdo, componentes e plugins). 3.1 - Ambiente de testes XAMPP Para implantar um ambiente de testes de aplicações WEB, foi utilizada umaferramenta denominada XAMPP definida no capitulo anterior, que agrega um conjuntode funcionalidades em um único pacote, facilitando a sua instalação e uso Nos Sistemasoperacionais Windows XP/Vista/7/98/2000/2003 Antes de instalar o XAMPP podemos criar um ponto de restauração doWindows, assim, se não gostar do programa ou se ele não funcionar corretamente, vocêpode simplesmente restaurar o sistema para um ponto anterior à instalação do programa.Para instalar, o XAMPP necessita de uma pequena fração do tempo necessário parainstalar e configurar programas separadamente. 3.1.1 - Instalação do XAMPP A instalação do sistema XAMPP é muito simples e segue o padrão dasinstalações de sistemas para ambientes operativos Windows. Deve-se atentar para a definição do directório padrão onde o Xampp seráguardado, pois é possível fazer a alteração deste para a sua necessidade. 3.1.2 - Estrutura do XAMPPRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • O Xampp possui um Painel de controlo que identifica quatro diferentes serviços.Deve-se clicar em Start tanto no Apache como no Mysql, com o objetivo de habilitarambos. Figura 9-Xampp Painel de Controlo Em seguida, deve-se abrir o administrador do Apache, para isso deve-se clicarno botão “Admin”’. O navegador será aberto e deve-se selecionar a opção de linguagempara o Xampp, selecione a linguagem Português. Em seguida, é aberta a página principal do Xampp, conforme a Figura a seguir, enela pode-se ver e alterar diversos parâmetros do sistema, como todas as definições desegurança, Status, informações acerca do PHP utilizado pelo Sistema. Podemos chegardirectamente a esta tela colocando o endereço http://localhost/xampp/index.php nonavegador. Figura 10-Xampp menu principal 3.1.3 - Menu do XamppRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Na página inicial que é nomeada como index.php do sistema Xampp, sãovisualizadas informações divididas em 4 separadores nomeadamente: • Xampp • Demo • Ferramentas • Especiais No separador acima se visualiza hiperlinks que dão acesso a telas de BoasVindas, Status do sistema, Segurança, Documentação, Componentes, e informaçõesacerca do Php obtidas pelo comando Phpinfo(), conforme pode ser visto na Figura aseguir. Figura 11 - Separador PHP Podemos visualizar também algumas aplicações divertidas do Xampp, quedemonstram exemplos de como utilizar código Php. Por exemplo temos o programaBioritmo, que é uma aplicação pede a data de nascimento ao utilizador, e retornara oestado Intelectual, emocional e Físico durante o mês de aniversário do utilizador. Se quiser fazer uma aplicação idêntica ou baseada nas Aplicações deDemonstração, o Xamp disponibiliza o código fonte, basta clicar em veja o código fontee copiá-lo.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Figura 12 - Biorítmo do Xampp 3.1.4 - Ferramentas PhpMyAdmin – Uma ferramenta importante que vem com o Xampp é oPhpmyadmin. Esta tela é uma console da base de dados Mysql. Nesta ferramenta épossível realizar operações diretamente no Mysql, nomeadamente criação de base dedados, consulta, criação das tabelas, edição, monitoramento, etc. Nota: É uma aplicação muito sensível do Xampp é preciso muita cautela na horade entrar nesta secção. Figura 13-PhpmyadminRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Mercury Mail – é uma ferramenta de envio de mensagens. Oferece servidoresSMTP, POP3 que atendem tranquilamente empresas com até 50 utilizadores eletambém conta com sistemas integrados de antivírus, ferramenta de administração desenhas via internet e não possui limite de contas de e-mail. FileZilla FTP Server – Esta ferramenta na realidade é um servidor Ftp decódigo aberto (open source) para Windows NT, 2000, XP e Vista . A ferramenta suportao protocolo FTP e FTPS (FTP over SSL/TLS). Nota1: FTPS (abreviação de: FTP/SSL) é um nome usado para indicar que osoftware FTP proporciona uma transferência de arquivos segura. Envolve o uso de umprotocolo FTP SSL/TLS de criptografia no controle de canais FTP. Nota 2: SSL é uma camada do protocolo de rede, situada exatamente abaixo dacamada de aplicação com a responsabilidade de gerir um canal de comunicação seguroentre o cliente e o servidor. Este foi desenvolvido pela Netscape CommunicationsCorporation e, atualmente é aplicado na maioria dos browsers da WWW. A palavra-chave https:// é usualmente empregada para designar uma conexão segura. O SSLencontra-se atualmente na versão 3.0. 3.2 - Gestor de Conteúdo Joomla 3.2.1 – Conceito O Joomla é um Sistema de Gestor de Conteúdo (em inglês, ContentManagement System) gratuito, registado sob licença GNU GPL, e de código aberto. Porser tão completo, pode ser considerado um framework (conjunto de ferramentas) quepermite a criação de conteúdo dinámico para aplicação em Web permitindo apublicação on-line de informações em sites na Internet ou intranet. Partindo de uma interface baseada em navegadores de rede pode-se manipularconteúdo diretamente no website, com o controle dinâmico de páginas, criação de listasde trabalho, manipulação de imagens de produtos, conteúdo flash utilizando simplesaplicações complementares, dentre outras funcionalidades. Assim, é possível a criaçãoRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • de uma quantidade virtualmente ilimitada de seções ou de páginas de conteúdo em seusite. É uma solução desenvolvida por meio da linguagem PHP e utiliza o base dedados MySQL, ambos software livres, assim como ele próprio. 3.2.2-Portabilidade Como o PHP e o MySQL são multiplataformas, o Joomla pode ser instalado emqualquer servidor web que suporte a instalação destes, como por exemplo o ServidorWeb Apache no Linux e o servidor web da Microsoft, o IIS. Obs. Na concepção, instalação e implementação deste portal de telemedicina,ocorreram diversos erros, estes serão detalhados no fim de cada assunto. 3.2.3 - Vantagens do Joomla 1.5 A seguir estão listadas algumas vantagens conhecidas deste sistemamundialmente utilizado. • Gerar cache de páginas que melhora seu desempenho; • Versão para impressão de páginas; • Criação de Blogs; • Sistema simples de fluxo de aprovação; • Arquivamento para conteúdo não utilizado (lixeira); • Gestão de banners (publicidade); • Sistema de publicação para o conteúdo; • Sumário de conteúdo no formato RSS; • Busca otimizada (qualquer palavra registrada); • Fácil instalação para novos templates, módulos e componentes; • Hierarquia para grupos de utilizadores; • Estatísticas básicas de visitantes (existem módulos mais complexos que podem ser adicionados); • Editor de conteúdo WYSIWYG;Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • • Sistema de enquete simples (com acompanhamento de resultado em tempo real); • Sistemas de índices de avaliação; • Extensões livres em diversos sites (módulos, componentes, templates, traduções). • Frontend já traduzido em várias línguas. 3.2.4 - Estrutura da pastas A estrutura de pastas do sistema Joomla quer seja em servidor local ou mesmoem um ambiente real de produção está organizada da seguinte maneira: Figura 14 - Organização das pastas Nas pastas administrator e templates ficam armazenados, basicamente, oambiente de administração (também chamado de BACK-END) e os temas do Joomla.As outras pastas contêm os módulos, componentes e outros recursos para exibição deconteúdo do site. 3.2.5 - Instalação em ambiente de testesRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • O Portal de Telemedicina de Benguela foi desenvolvido num ambiente de testesdo CMS Joomla, sendo a seguir descritos os passos para sua instalação através de telas ebreves instalações: Tendo o ambiente Xampp instalado, o ficheiro compactado do Joomla 1.5 deveser descompactado no diretório denominado Htdocs, dentro da estrutura de pastas doXAMPP. Figura 15 - Htdocs joomla No browser (Opera, Internet Explorer, etc.) do computador, deve ser inserido ocaminho para o instalador do CMS. Figura 16 - Instalação do Joomla A primeira tela que aparecera será a de seleção de idioma para a instalação, estalinguagem será aplicada apenas para a instalação do sistema e não para o futuro Portal.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Figura 17 - Selecionar o Idioma da Instalação do Joomla A seguir existe uma tela de verificação de requisitos para o sistema, o instaladoranalisa se o sistema Host possui todos os requisitos para suportar o sistema, comoversão do Php e suportes adicionais. Figura 18 - Analise de pré- instalaçãoRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Figura 19 - Análise de pré- instalação A seguir uma tela mostra os parâmetros da licença GNU/GPL, garantido asliberdades de manipulação do sistema citadas anteriormente, cláusulas a seremrespeitadas. Figura 20 - Licença do Joomla Na página a seguir é feita a configuração da base de dados, é uma fase muitosensível, onde inúmeros erros podem ocorrer. Para evitar erros, siga as explicações quese seguem: Para o tipo de dados selecionamos Mysql; Para o nosso caso inicial em que estamos instalando o Joomla em nossa própriamáquina o servidor é identificado como localhost; enquanto que o nome do utilizadorpadrão para o MySQL é root.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Nota: Neste momento, o utilizador encontra-se sem senha, conforme a instalaçãopadrão do MySQL que acompanha o XAMPP. Assim, não se deve inserir senha nainstalação de localhost. Neste momento, está se fazendo a configuração do MySQL.Cuidado para não confundir este utilizador com o utilizador do Joomla. A seguir deve-se atribuir um nome_ prefixo para as tabelas da base de dados, emtelemedicina usei o prefixo Jos. Figura 21 - Configuração do Base de dados do Joomla Nesta tela temos a possibilidade de configurar um servidor de FTP (Protocolo detransferência de ficheiro) para o Joomla. Convêm manter-se a configuração padrãodando apenas clique em próximo. Figura 22 - Configuração do FTP do JoomlaRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • A seguir é possível dar um nome para o Site que está sendo criado, colocar umemail de encaminhamento de mensagens, e ativar os exemplo de conteúdo(originalmente o portal vem vazio,colocando o exemplo de conteúdo teremoscategorias,sessões e artigos exemplos no nosso portal). Figura 23 - Configuração Principal do Joomla Se o utilizador for iniciante no joomla convém instalar o exemplo de conteúdo,pois encontra-se um conjunto de demonstrações de conteúdos no site ensinando comocriar artigos, enquetes, etc. Na Figura a seguir temos tela final de instalação. Ao chegar aqui conseguimoscom sucesso a instalação do Joomla. Figura 24 - Fim da Instalação do JoomlaRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Após a conclusão, conforme avisado na tela de instalação, é necessário eliminara pasta Installation existente dentro da pasta joomla, para isso siga o caminhoC:xampphtdocsjooomla. 3.2.6-Erros ocorridos nesta fase Dia 4-10-2010- Durante a instalação do Joomla ocorreu este erro descrito nastelas abaixo. Depois de configurar a base de dados ao clicar próximo, minha instalaçãoera reencaminhada para esta tela erro. Figura 25 - Erro de Instalação do Joomla Solução: Na instalação do Joomla em localhost no XAMPP, o utilizador “root”do MySQL está sem senha, portanto caso seja colocada uma senha para a base de dados,deve-se configurar nos arquivos de instalação do Joomla. Inicialmente, em um ambientede testes, aconselhamos não utilizar a senha, entretanto, para ambientes em produção, asenha é indispensável. 3.3 - Portal de Telemedicina Após a instalação do Joomla (sem esquecer a eliminação da pasta installation),abrimos o browser e colocamos o Url do nosso portal, normalmentehttp://localhost/joomla.O joomla como podemos ver abaixo é um framework préprogramado ou seja, é um esqueleto de um futuro portal. O exemplo de conteúdo que érequisitado na instalação do sistema serve para que após a instalação, seja instalada umavariedade de exemplos de mostrando as funcionalidades do Joomla.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • A Figura a seguir é uma representação do conteúdo de exemplo instalado noJoomla, apresentado pelo template ou tema também padrão que acompanha o sistema. Figura 26 - Joomla Framework 3.3.1 - Áreas do Joomla Quando é feita a instalação do Joomla em um servidor web, automaticamentesão instaladas duas áreas: Área de utilizadores (Frontend) e Área de administração(Backend), que correspondem respectivamente ao site principal e um site deadministração do site principal. 3.3.1.1-Área de administradores (Backend) Esta área permite a administração do site principal em relação ao seu conteúdo,nesta é feita a gestão das partes que irão aparecer no site principal como módulos,componentes, secções, categorias, menu de opções, notícias, áreas de registros, links,download de arquivos, etc. 3.3.1.2-Área de utilizadores (Frontend) Esta área o próprio o site apresentado na web quando digitamos o endereço nonavegador. Este, como qualquer site web, está acessível para todos os utilizadores.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Pode-se criar um template (Design) próprio para apresentação das informações,utilizando um template gratuito disponível pela comunidade Joomla, ou mesmo adequarum site para ter seu conteúdo mantido com os recursos do Joomla.O Frontend é um sitenormal na web, com a diferença que podemos alterar partes de seu conteúdo diretamenteno site. O frontend será a área onde nossos artigos, enquetes e formulários serãoexpostos, interagirão diretamente com o Público, conforme pode ser visto no site deexemplo para o Portal de Telemedicina a seguir. Figura 27 - Portal de Telemedicina de Angola 3.3.2-Administração joomla Para acessar a área de administração, devemos fazer o login na mesma,digitando no navegador o endereço do site, incluindo no final a palavra “administrador”,que é a pasta que contem o site de backend, ,isto é, http:/ /nomedosite/administrador Desta forma, aparecerá o painel de entrada na administração do Joomla. Para darsequência devemos inserir a palavra secreta que definimos na instalação do Joomla.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Figura 28 - Painel de acesso à administração do site Joomla Basicamente a área de administração abre exibindo o Painel de Controle e ummenu superior.Os itens a serem exibidos no menu e no painel de controle dependerão decomo está definido o seu nível de utilizador para área de administração. Figura 29 - Painel de controlo do Joomla Acima é demonstrado o painel de administração do joomla, a partir desteacedemos às diversas funcionalidades do backend. 3.3.2.3 - Configuração global Nesta área estão definidos todos os parâmetros do Backend. Podemos realizarmodificações no sistema de acordo com nossos gostos, exemplo tempo da sessão, o quedesejamos exibir ou não. Temos acesso a três separadores diferentes.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Site - podemos decidir parâmetros relacionados ao frontend, como mensagens aexibir, Url amigáveis e fáceis, o nosso editor de artigos padrão, nome do site. Sistema - Neste separador serão traçados critérios acerca do nosso sistema,como a palavra secreta, serviços web que servirão de apoio ao nosso site, parâmetrosrelacionados aos nossos utilizadores, tamanho Maximo dos upload de ficheiros para onosso sistema, diretório onde se encontrarão nossos arquivos mídias, extensõesmanipuladas pelo sistema, tempo de sessão, etc; Server - onde estão detalhadas todas as informações acerca do servidor, nesteseparador podemos redefinir parâmetros avançados como, definições do FTP (Protocolode transferência de ficheiro), definições locais, email, configurações de base de dados. 3.3.2.4 - Botões Joomla Existe um conjunto de botões padrões utilizados pelo Joomla que sãoencontrados em diversas partes do sistema. A seguir está uma lista com os principaisdeles. -Para salvar alterações realizadas no sistema temos o ícone ; -Aplicação das alterações sem precisar sair do sistema ; -Fechar aplicação ; -Requisição de ajuda ; -Análise do efeito da alteração realizada sobre o frontend ; -Visualização de visitantes online ; -Finalizar tarefas no backend ; -Enviar artigos para arquivo ; -Retirar artigos de arquivos ; -Retirar arquivo do frontend ; -Movimentação ; -Copiar arquivos ; -Reservatório de artigos eliminados ; -Criar um novo elemento ; -Remoção de artigos de certa lista ; -Artigo publicado no frontend ; -Mensagens dos utilizadores ;Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • -Análise da alteração ; -Informações gerais sobre o sistema ; -Preferências ; 3.3.2.5 - Nível de utilizador (Papel) Cada utilizador que acessa o site principal ou de administração possui um papel.Dependendo deste papel, o utilizador poderá fazer mais ou menos ações/atividades,tanto no site quanto na área de administração. Para uma boa gestão do site é necessárioque se faça um bom esquema de acessos de utilizadores. Papéis no Site principal (Frontend) • Anonymous- Anônimo, é um utilizador que apenas visita o site sem interagir com as partes principais deste, algumas aplicações e artigos serão ocultas a estes; • Registered (Registrado) - este utilizador tem a possibilidade de visualizar as aplicações ocultas ao anonimo, mas este não pode modificar o conteúdo do site; • Autor- Correspondente que escreve os futuros artigos do site; • Editor- Este utilizador tem o papel de corrigir potenciais falhas dos artigos criados pelo utilizador acima; • Publisher (publicador)- Este usuario têm o papel de publicar artigos editados pelo usúario acima; Obs.: Os utilizadores do frontend não possuem acesso ao backend. Noplanejamento dos papeis do site é possível dar a um utilizador mais de um papel,ex: O utilizador Gualdim pode ser o editor e o Publicador, Papéis do site principal (backend)Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • • Gerente- Coordenador do site têm a função de coordenar e gerir todas as ações dos utilizadores frontend , pode gerir e filtrar as informações, criar estratégias • Administrador-Utilizador de funções privilegiadas capaz de efetuar tarefas tanto em backend como no frontend, pode gerir utilizadores, criar novas aplicações, componentes e pluggins, gerir tarefas. Em suma este utilizador pode realizar tarefas avançadas dentro do sistema joomla. • Super administrador- Este utilizador tem o papel, mais importante no sistema, para além de poder realizar qualquer papel acima descrito este pode manipular a base de dados, realiza manipulações no templates, aplicar novas definições, realizar e gerir backups, programar ferramentas. Obs.: Todos os utilizadores do Backend possuem acesso total também aofrontend. 3.3.2.6-Gestão de utilizadores no joomla Para gestão de utilizadores no CMS Joomla serão necessários os seguintesprocedimentos: Na área de administração seleciona-se o separador Site, neste seleciona-seAdministrar Utilizadores como na tela abaixo. Figura 30 - Atalho de acesso rápido Joomla Após este procedimento, aparecerá à tela com a lista de todos os utilizadores jácriados no sistema Joomla. Para criar um novo utilizador seleciona-se o ícone Novosituado no topo do menu a direita.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Para uma boa administração do sistema, é aconselhável traçar um planoelaborado dos integrantes do site e os papeis a estes atribuídos. Para o caso específicodo Portal de Telemedicina, foi criado o seguinte Plano: Portal de Telemedicina Plano de atribuição de tarefas a) Área de Backend: Super administrador - Aníbal Falão Administradores - Aníbal, Dr. Alexandre Marques Gerente - Administradores b) Área de Frontend: Anônimo - Visitantes Tipos de utilizadores Registados: Médicos, Enfermeiros, Pacientes, Colaboradores Administradores. Editor- Administradores, médicos, outros colaboradores. Publicador- Super administrador Para gerenciar os contactos, existe uma área no Backend, que pode ser acessadaseguindo-se: componentes=>contactos=>contactos=>administrar contacto Nesta área, pode-se encontrar um conjunto de informações de contacto para osutilizadores do Site. 3.4 - Manipulação e organização de conteúdoRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Para a criação do conteúdo se deve ter em conta em primeiro lugar aorganização, ou seja, de que forma podemos aperfeiçoar a organização do nossoconteúdo de modo a evitar sua dispersão, que foi um problema que enfrentamos noinício do projecto do portal de telemedicina. Com este fim, descrevem-se a seguir osprincipais métodos para organização dos artigos no ambiente Joomla. 3.4.1 - Seções Uma seção é uma coleção de categorias que se relacionam entre si. Seçõespodem ser consideradas grandes gavetas que no futuro receberão pastas (categorias), eestas conterão nossos artigos. No backend, abrimos o painel de controle clicando no ícone “Seções”. Abrir-se-á a tela de administração de seções, para criar uma nova seção deve-seselecionar o ícone . Ao clicar em novo, acessaremos a tela de criação de uma nova seção. Podemosdar um titulo a seção, definir os utilizadores que terão acesso a esta, descrever embreves palavras o objetivo da nova seção e outros parâmetros, por fim basta aplicar asdefinições ou salvá-las. Figura 31 - Criando uma seção Como exemplo, na Figura anterior é criada a seção Higiene e Educação para oportal de Telemedicina. O nível de acesso foi definido para registrado, o que implicaque o publico visitante deve antes se cadastrar para aceder a esta seção e seu conteúdo.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Depois de criada a nova seção, esta poderá albergar diversas categorias com elerelacionadas e que seguem uma relação hierárquica com este. 3.4.2 - Categorias Uma categoria é uma coleção de itens de conteúdo que se relacionam entre si. Acriação de categorias, estas hierarquicamente encontra-se abaixo das seções. No painel de controle do Joomla, selecione administrar categoria. Assim teremosacesso a tela que apresenta as categorias do nosso site clicando em novo teremos acessoà tela de concepção de categorias. A tela de concepção de categorias é muito similar a das seções, com a excepçãode que devemos selecionar a seção que esta se relacionará. Posteriormente à sua criação, poderemos analisar a nova categoria criada,conforme a Figura a seguir. Figura 32 - Nova categoria formada Por fim, após criarmos as Seções e as Categorias desejadas, podemos criarartigos para esta categoria, que são os conteúdos propriamente ditos para o Portal. 3.4.3 - Artigos O portal de Telemedicina será uma importante fonte de informação medica paraos utilizadores então tornasse necessário um excelente gestor de artigos. Felizmente, oJoomla fornece uma elevada gama de ferramentas para edição de artigos. Para criaçãoRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • de artigos para o nosso portal, devemos ter em conta que para uma melhor organizaçãoé necessária a criação de grupos hierárquicos, respeitando a sequência: Seção => Categorias => Artigo. A partir da compreensão desta estrutura, teremos um melhor controle sobrenossos artigos. Artigos são textos que trazem conteúdo de qualquer natureza, informação,notícias, etc. Neste portal serão importantes fontes de ensino aos visitantes. Podem ser criados artigos tanto no frontend, como no backend do Joomla. Para acriação de artigos em backend, devemos ir ao painel de controle e selecionar AdicionarArtigo. A tela de criação de artigos tem um editor de textos bem completo e cheio derecursos, possuindo o seguinte layout: Figura 33 - Tela de criação de artigo Podemos nesta área dar um nome ao artigo, optar ou não por exibi-lo na páginaprincipal, o apelido será gerado de acordo com titulo, ao selecionarmos a seção acategoria será automaticamente selecionado, pois estes estão relacionadoshierarquicamente. Mais abaixo temos o menu de ferramentas, que nos dá suporte na edição dosartigos. Nota-se que nesta Figura a seguir, a ferramenta de edição está diferente dopadrão, pois foi instalada uma nova ferramenta. Mais adiante apresentaremos a novaferramenta na seções de componentes.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Figura 34 - Ferramentas de edição À direita encontramos um painel identificador de estado, que mostra oidentificador do artigo, número de acessos, data de criação e data de alteração.   Figura 35-Painel de estado Abaixo do painel de estado, temos um menu de parâmetros do artigo, mostrandoinformações. Figura 36 - Parâmetros do artigo Abaixo temos parâmetros avançados, onde é decidido o que será exibido ouocultado nos artigos exibidos no frontend, em item de conteúdo selecionamosidiomas,e podemos exibir um texto alternativo aos leia mais.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Figura 37 - Parâmetros avançados 3.4.3.1 – Quebras no Texto O botão “Quebra de Página” permite-nos aceder à criação de uma quebra noartigo, operação que serve para criar separação de uma pagina em mini páginas,tornando a leitura mais simples e dinâmica. Selecione um posição do texto para inserir a quebra, posteriormente, no editor deartigos em backend clique sobre o botão “Quebra de texto”. Será criada uma hierarquiade artigos partindo do principal, na tela a seguir será nomeado os artigos descendentes,depois da nomeação, o botão “Inserir quebra” deve ser apertado. A seguir as alterações devem ser salvas, para analisar as alterações pode clicarem pré-visualizar. Como pode ser analisado abaixo, criou-se um índice dinâmico quenos leva para os artigos descendentes. Figura 38-Aplicação da quebra no frontend É criado um mini índice com hiperligações para os artigos hierárquicos, note quepoderá criar enumera quebras num único artigo.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • 3.4.3.3- Detalhes de um artigo Muitos portais disponibilizam diretamente seus artigos, o que para algunsleitores retira o interesse, ou seja, ao deparar-se com toda informação pensam no tempoque vão perder e abandonam a página. Uma solução bastante simples e eficaz que oJoomla trás consigo é o ‘’botão leia mais’’ , este apresenta uma pequenaporção do artigo, despertando assim a curiosidade do utilizador. Se este desejaraprofundar o assunto poderá selecionar o botão e assim terá acesso a toda a informação. Para inserção do ‘’leia mais’’, devemos selecionar a área no artigo que serádividida, a área que aparecerá no frontend deve ser simples, resumindo o assunto aoMaximo. Depois de salvas todas as alterações poderemos visualizar o artigo no frontend,este agora esta, mais compacto e simples não cansando a leitura dos utilizadores. Figura 39-Artigo com Leia mais Para edição de artigos a partir do frontend tenha em conta que cada artigo possuium mini ícone de edição, caso o utilizador do site tenha permissões, ao clicar sobre esteteremos acesso a tela de edição de artigos via frontend. Este editor de artigos no frontend é muito similar ao editor de artigos nobackend, a única diferença é que este editor é aberto ao publico, ou seja, os utilizadoresregistrados são capazes de editar e criar seus próprios artigos. Uma diferença deste editor em relação ao backend, é o facto de que a tela deparâmetros está posicionada na parte inferior e não a direita. Estas permitem um apoiomais rápido e dinâmico ao escritor do artigoRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • 3.5-Conteúdo estático Um item de conteúdo estático também é um item de conteúdo, só quenormalmente utilizamos para exibir como se fosse uma página estática, porém, este nãopertence à hierarquia de Seção/Categoria/Conteúdo. Umadiferença é que enquanto utilizamos itens de conteúdo organizados na hierarquia seção/categoria/conteúdo, podemos exibir uma lista de itens independentes entre si e cadaitem poderá ter uma imagem, um texto introdutório e um link tipo “Leia mais...” paraexibir completo. No item de conteúdo estático haverá uma única área de texto para serexibida por completo, praticamente ocupando a área principal de conteúdo do site. 3.5.1 – Temas (Templates) O nosso Portal para interagir melhor com os doentes usou um tema com coressuaves, com o objectivo de passar tranquilidade aos visitantes. Temas ou Templates sãointerfaces (ou layouts) criadas com o propósito de personalizar o site de acordo com aspreferências do utilizador. O site Joomla Templates (www.joomla-templates.com)disponibiliza dezenas de templates gratuitos. Para carregar um tema no seu portal deve ter em conta o tipo de site que será,por exemplo, se for um portal de medicina convém que o tema transmita tranquilidade,neste caso as cores predominantes devem ser claras. A seguir, o processo de instalação de um tema é explicado passo a passo: No separador Extensões clique em Instalar /desinstalar: Figura 40-Instalação/DesinstalaçãoRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Selecione ficheiro (normalmente um ficheiro compactado), descarregado dainternet ou copiado de algum outro local e clique em Enviar e instalar; Figura 41-Carregando tema Depois do tema carregado, vá para administração de tema, selecione comopadrão o que melhor se enquadra ao contexto do seu portal. Figura 42-Seleção de temas Como exemplo, veja abaixo o tema escolhido para o portal. Figura 43-Template do portal de Telemedicina 3.5.1.1-Estrutura de um Tema Joomla Basicamente a estrutura do tema é criada a partir do ficheiro index.php, deveráestar divido em blocos onde posicionalmente exibirá as informações. Como,normalmente, não escrevemos conteúdo no tema, apenas indicamos áreas de conteúdo eposicionamento, a mudança, por exemplo, de um menu do lado esquerdo para o direitoRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • do site fica bastante simples, bastando alterar pela área de administração, aposição(módulo) aonde este será exibido.Veja a seguir uma estrutura dos temas Joomlaem formato de mapa: Figura 44-Posições padrão do Template Na prática o que temos que fazer é representar este desenho utilizando o arquivoindex.php, seja através de tabelas (<TABLES>) ou através de CSS (Cascade StyleSheet). Nas áreas LEFT, USER 1, USER 2, RIGHT, etc, serão carregados os módulos eem MAIN CONTENT AREA serão carregados os componentes e itens de conteúdo. Porpadrão, o Joomla já cria uma lista destas áreas para serem utilizadas, porém, essaspodem ser customizadas, bastando para isto acessar no menu na área de administraçãoSite > Template Manager > Posições Modulares. 3.5.1.2-Visão e edição do template Para uma melhor visão do template, na tela de seleção de template faça a seleçãodo botão editar; Esta é a tela de configuração deste tema, nesta podemos fazer uma pré-visualização de estado do template, Editar via Html, e editar o CSS (cascate sheet style)Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Figura 45-Tela de configuração do tema 3.5.1.3-Pré-visualização de estado Para análise geral do tema, pode ser utilizada a pré-visualização de estado, ouseja, para sabermos em que módulos (slideshows, animações, banners) poderemos ounão inserir. Existem temas avançados que vêm com um numero enorme de módulospreparados para publicidade, mas normalmente não são gratuitos. Como é notado na tela abaixo podemos fazer uma análise da estrutura do tema,podemos adicionar novas posições, saber exatamente o tamanho destas. O editor HTML serve para edição do tema directamente no modo HTML.Mostra-nos como foi montado o tema, permitindo que possamos facilmente adicionarnovos códigos, ou editar os códigos já existentes. 3.5.1.4-Edição do Estilo Cascate Para edição no estilo cascata, devemos no item de configuração do tema,selecionar o botão “Edição CSS” e iremos imediatamente para a tela de configuraçãoCSS. Se selecionarmos o “template css”, iremos para tela de configuração css dotema, onde poderemos facilmente modificar seus atributos como marginação, cor defundo, cor de texto, espaçamento, entre outros.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Figura 46 - Template CSS Existem muitas possibilidades na edição de temas, o segredo basicamente étorná-lo agradável ao público alvo do portal. No inicio do projeto do portal detelemedicina foi utilizado um tema com a cor de fundo preta, o tema era muito elegantemas não cativaria os pacientes e interessados pelo assunto, então optou-se por mudardeste tema para outro mais agradável. 3.5.1.5-Menus Um menu é uma estrutura estática que permite a navegabilidade do utilizadorpelo site, através destes são carregadas diversas funcionalidades, tais como conteúdos,Componentes, links, etc. Basicamente o Joomla é instalado com os menus: • MainMenu (menu principal), • OtherMenu (outro tipo diverso de menu), • TopMenu (menu superior) • UserMenu (menu de utilizador). Um menu é implementado como módulo no Joomla e para que o mesmo sejaexibido e utilizado o módulo correspondente deverá estar publicado na área deadministração de Módulos > Sites de módulos > gestor de módulos. Figura 47- Publicação de um meno pelo administrador de módulosRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Ao selecionarmos um novo item de menu, a página abaixo é exibida, perguntadoque tipo de conteúdo este irá exibir; Figura 48-Administrador de itens de Menu Figura 49-administração de módulos A seguir basta selecionar o tipo de item de conteúdo que desejamos (neste casoMenu), clicando em próximo; A seguir temos a tela de atribuição de atributos, nesta podemos nomear,selecionar a posição onde o menu será colocado, nível de acesso, exibição de imagens,entre outros atributos; Figura 50-Definições de Menu O próximo passo será salvarmos as definições, e fazermos uma pré-visualizaçãodo Menu no frontend.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Figura 51-Criação de menus Podemos ter uma quantidade infindável de menus, mas o principal objetivo deveser sempre melhorar e facilitar a navegabilidade do site para os utilizadores do mesmo. 3.6-Componentes e Plugins Os componentes são elementos de conteúdo que funcionam como pequenasaplicações no Joomla, ou seja, são elementos de software que encapsula uma serie defuncionalidades, este é uma unidade independente utilizada com outros componentestorna um sistema mais complexo. Normalmente são mostrados no centro da página, naárea de conteúdo principal do template (MainBody), porém isto vai depender de comoestá organizado o template. A comunidade Joomla produz e atualiza constantementecentenas de novos componentes, para termos acesso a este basta seguirmos o endereçoseguinte http://extensions.joomla.org/extensions. Inicialmente o Joomla instala várioscomponentes como padrão, tais como: Contact, FlexContent, Login, FrontPage,Banners, Contact (Contacto), Web Links, Etc.Alguns destes componentes fazem parteda própria arquitetura do joomla, tipo o componente Frontpage e não são manipuláveisatravés do menu.Um dos principais componentes é o frontpage, que estrutura asinformações, juntamente com os estilos definidos para tal no template_css.css, a seremexibidos na primeira página. Para exibir as informações na primeira página(Mainbody), criam-se itens de conteúdo em uma seção/categoria e em cada idem deveráser definido que o mesmo será apresentado no FrontPage. O portal de Telemedicina fará uso de diversos componentes na adição de novasfuncionalidades nos campos de segurança, aplicações multimídia, criação deformulários, comércio eletrônico, edição, entre outros.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Obs.: No site http://extensions.joomla.org/extensions, para além doscomponentes tradicionais podemos ter acesso a demonstrações de uso e tutoriais deinstalação de cada componente; Destacado a castanho, temos a lista de Plugins e componentes separados porcategorias, destacado a azul esta o ícone de documentação, poderemos saber maisacerca do componente e ver uma demonstração. 3.6.1- Componente de Backup - Xcloner No começo da criação do portal de telemedicina, fruto do ataque de um vírus aocomputador, foi necessário a formatação deste, como resultado o trabalho foi perdido.Este problema chamou a atenção sobre a vulnerabilidade do sistema, era necessárioimplementar medidas preventivas de segurança para o site. A comunidade Joomlasugere para reduzir estes riscos, diversos componentes, entre eles destaca-se ocomponente Xcloner backup. Este tem a função de fazer backups de todo sistemajoomla incluindo as tabelas presentes na base de dados. As cópias de segurança dosarquivos armazenados em um computador são importantes para a recuperação deeventuais falhas técnicas, ou possíveis conseqüências de infecção por vírus como aperda total dos dados. 3.6.1.1-Definição O Xcloner é um componente criado para ser capaz de criar, clonar e moverbackups do site Web para que este esteja sempre seguro, sua principal característicassão sua simplicidade e eficácia. Este foi desenvolvido não só para ser integrado noJoomla, mas também em outros sistemas gestores de conteúdo, podemos ter acesso aeste componente seguindo o Url http://extensions.joomla.org/extensions/access-a-security/ site-security/backup/665.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • 3.6.1.2-Instalação do componente O processo de instalação é similar ao dos templates onde a partir de extensõesfaz-se o upload e instalação dos ficheiros. Este tem a característica de ter sua própriatela de loggin, onde por padrão a sua senha e nome de utilizador é admin. Figura 52-Loggin Xcloner Figura 53-Tela inicial 3.6.1.3-Configurações Esta tela consiste em 4 separadores, os quais permitem efetuar mudanças aoXcloner de modo a torná-lo mas eficiente. O primeiro separador permite modificar astabelas de base de dados que este fará backup, o segundo permite modificar a senha e onome do utilizador, o terceiro adiciona uma linguagem alternativa, a seguir temos ajustedas definições do Cronjobs. (trabalhos cronometrados do gestor de backup,ex: backupsdiários).E por fim temos o separador info destinado a informações gerais sobre oXcloner. Figura 54-Configurações(Xcloner)Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • 3.6.1.4-Ver backups Esta seção apresenta a lista de todos os backups criados do portal utilizando oXcloner, podemos fazer um download do backup para o suporte externo (Hd externo,cd,bluraydisc , pen,etc) 3.6.1.5-Gerar backup Para gerar um backup existem 2 caminhos: Ações - Gerar Backup no menuXcloner ou clique no botão Gerar Backup que se encontra na página inicial Xcloner,seremos levados para a tela de criação de backups; Figura 55-Vias para criação de backups Na tela de criação de backups temos 2 separadores, no primeiro temos apossibilidade de selecionar as tabelas de dados e bases de dados extras que queiramosincluir no backup selecionados dentro do retângulo amarelo. Figura 56-Criação de backupRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • No separador seguinte opção de ficheiros, podemos dar um nome ao backup, éaconselhável ser um nome trivial, para em caso de ataque externo ser despercebido,como é mostrado no retângulo verde. Abaixo marcado a azul temos as pastas inclusasno Htdocs ao selecionarmos as pastas podemos excluir o seu conteúdo no backup,portanto convêm deixá-las desmarcadas para que não haja erros posteriores. Figura 57-Opção de ficheiros Para continuar selecione continue, o Xcloner fará o backup de portal, no final aseguinte tela será mostrada. Figura 58-backup bem sucedido Se formos ao view backup (visualizador dos backups) poderemos analisar osbackups existentes (laranja), o novo backup(azul claro), podemos aplicar sobre estasalgumas opções(rosa) como clonagem via ftp(protocolo de transferência de protocolos),mover, fazer o download da informação para uma pasta no Windows. Depois de feito obackup podemos guardar num local externo (Hard disk, pendrive,Cd) seguro para seremaplicados no caso de ataques. Figura 59-Análise do novo backupRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Obs: Existem 2 formas de backup, manual e automática ambas definidas nasconfigurações, no modo manual podemos analisar passo a passo o backup, no modoautomático o backup é rápido mas é ocultado ao administrador. 3.6.1.6-Restauração de backups em localhost Para fazer o restauro do Xclonner em localhost basta que, na tela do Xclonnerque mostra os backups, selecione o ícone Download, assim poderá fazer um downloadpara uma pasta no computador; Figura 60-View Backup Figura 61-Download Backup Feito isso, em htdocs abra uma nova pasta, agora descompacte o arquivo zip doportal nesta nova pasta. Figura 62-Descompacte o backup Os arquivos ficaram na nova pasta, lembre-se que o computador precisa de terespaço suficiente para o arquivo, caso contrario ocorrerá um erro na descompactação.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Figura 63-Arquivos descompactados Após este procedimento coloque o Url da pasta no navegador, ex: localhost/nome da pasta, teremos o site em outro host, na tela abaixo podemos analisar o portalem outro Host, e marcado a verde o novo Url. Figura 64-Site Restaurado 3.6.1.7-Restauração dos backups em servidor remoto Para envio da informação de uma maquina de teste em localhost para outra oumesmo para um servidor são necessários os seguintes procedimentos: Faça um backup da informação utilizando o Xclonner como explicadoanteriormente, assim teremos uma copia comprimida do portal. Após este procedimento envie via FTP ou mesmo usando um dispositivoamovível, se possível, esta cópia para a máquina destino. Tenha instalado o Xampp naoutra maquina onde o mysql, o filezilla e o mysql esteja a trabalhar em modo deserviço, deste modo estes poderão executar serviços para todas maquinas pertencentes arede do servidor. Figura 65-Módulos do Xampp prestando serviços Note que o arquivo deve ser descompactado dentro de uma pasta com o nome doPortal para possibilitar um fácil reconhecimento no URL do browser. Após esteprocedimento, crie no Phpmyadmin uma base de dados vazia com o mesmo nome dabase de dados presente na maquina origem.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Figura 66-criação de uma base de dados vazia Após criar um base de dados vazio na maquina 2, vá em Phpmyadmin damaquina 1, e exporte toda a informação do base de dados que se deseja migrar e cujo onome foi colocado no base de dados da maquina 2. Figura 67-Exportação de dados Na tela de exportação clique no botão executar, seremos levados para uma listacom todos os códigos sql relativos ao base de dados. Faça a copia deste para um blocode notas e guarde com o formato ANSI. De seguida, envie este texto via FTP para aoutra maquina. Vá ao Phpmyadmin da maquina 2, no separador importar o ficheirocom as informações SQL, e a seguir Execute as informações. Localize o bloco de notascom a informação SQL e execute na base vazia. A seguir a titulo de teste coloque nobrowser o url do portal antigo. Teremos o portal na maquina 2. 3.6.2- Componente de Formulários - CKForms Face a grande necessidade que o nosso portal tinha de trabalhar com entidadespertencentes ao ramo hospitalar e a enorme quantidade de entidades pertencentes a esteRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • ramo, houve a necessidade de se criar formulários de cadastro para as entidades. Acomunidade joomla disponibiliza imensos componentes para a criação de formuláriosentre estes temos o Ck Forms, este gestor de formulários foi escolhido devido a suagrande facilidade no manuseio. 3.6.2.1-Conceito Ck Forms é um componente joomla, gerador de formulários de código aberto, defácil manuseio destinado a concepção de formulários para os gestores de conteúdos. Figura 68-Download do Ck forms O download pode ser realizado no seguinte Url http://joomlacode.org/gf/project/ckforms/frs/ . Na figura acima marco a preto o pacote que foi baixado no nosso portal, aque se ter atenção de que a comunidade joomla esta sempre fazendo novos releases doscomponentes sendo assim convêm sempre optar pelo mais recente. 3.6.2.2-Instalação do Ckforms Repita os mesmos procedimentos anteriores de instalação de componentes, paraisso basta que no backend do joomla selecione extensões do menu superior. Aseguir na tela do gestor de extensões, selecione o arquivo zipado, faça upload deste parao seu site para isso deve clicar no botão “Arquivo” (ou “File”), selecione o arquivo*.zip e em seguida clique no botão ao lado “Upload File & Install”. Figura 69-Upload Ck.zip para joomlaRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Se não houver falhas na instalação, uma mensagem de bem sucedido aparecerá. 3.6.2.3-Configurando formulários Para criação de formulários usando ck forms deve-se acessar a área deconfiguração no menu “Components” como mostrado abaixo, ao selecionar-se CKforms entraremos no menu de configuração CK. Figura 70-Acessando Ckform Na tela abaixo, demarcada a vermelho temos todos os formulários criados noCkform. Demarcado a preto temos o Botão Novo que se selecionado serve para acriação de um novo formulário. Figura 71-Tela de configuração ck Depois de se premir o botão novo, a tela “CK novo” aparecerá; nela existem 4abas: “General”, “Result”, “Email” e “Advanced”. Para criar um formulário, vamosentender o que temos que fazer em cada aba: Na aba “General”, existem 5 informações a serem completadas: 1 – Nome – nome do formulário no CK FORMS – utilize apenas caracteresalfanuméricos. 2 – Título – Nome do formulário este aparerá no frontend do site. 3 – Publicado – coloque SIM se você quiser publicar já o seu formulário.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • 4 – Use Captcha – coloque SIM se você quiser que no final do formulárioapareça um campo para o utilizador colocar uma seqüência de letras e números paraevitar spam no seu formulário. 5 – Descrição – coloque a descrição do seu formulário – este texto vai aparecerpara o utilizador do seu site quando publicado o formulário. a. Na tela Resultados ( “Result”), você vai configurar o que deve ser feito depois que um formulário for enviado. Existem três itens a preencher: Save Result (Salve resultados) – coloque “SIM” se você quer que as informações preenchidas sejam guardadas em um base de dados. É aconselhável aceitar este procedimento, pois se pode consultar e exportar as informações mais tarde. b. Text Result(Texto resultante) – Escreva a mensagem que aparecerá depois que um formulário for enviado. O visitante do site preenche o formulário, envia e recebe em seguida esta mensagem. Redirect URL – Outra opção é colocar uma URL para redirecionamento depois do envio do formulário. É uma opção interessante se você quiser por exemplo, fazer o visitante ir para uma página de pagamento após o preenchimento do formulário. Na tela “Email”, existem 6 campos para preenchimento: a. Email Result – Selecione a opção SIM para que um e-mail seja enviado para um endereço de sua escolha. b. Mail FROM – Coloque um e-mail do emissor do formulário. c. Mail TO – coloque o e-mail de destino, ou seja, para o qual você deseja mandar o formulário. d. Mail CC -Faça uma copia do email destinatário. e. Mail BCC – Coloque um e-mail de destino em cópia oculta. f. Mail Subject – coloque o assunto do e-mail neste campo. Na aba“Advanced”, existem 3 campos: a. Uploaded files path – Neste deve-se indicar o caminho utilizado no envio de ficheiros.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • b. File uploaded maximum size – tamanho máximo do arquivo “uploaded”(enviado). c. Display “powered by” text – Selecione NÃO se desejar que não apareça no formulário a mensagem de “powerd by...”. Depois de tudo, clique no botão “SAVE” no canto superior direito da tela parasalvar o formulário. O formulário de teste aparece na lista. Figura 72-Ckforms advance Figura 73-formulário de teste após ser criado 3.6.2.4-Montando campos do formulario Após a criação do formulário, devemos montar os campos deste. Para colocarcampos em um formulário deve-se clicar em “fields”, que até o momento indicam zerocampos (veja a figura abaixo). Figura 74-Criando Fildes (Campos)Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Seremos redirecionados para tela de “Fields”, que até o momento está vazia.Criaremos campo por campo: Podemos com o Ckform criar inúmeros tipos de campos, mas começaremos pelobásico. Para começar selecionamos o botão “NEW” no canto superior direito, vaiaparecer à seguinte tela: Figura 75-Criando Formulários Existem 4 campos a serem preenchidos: a. Nome – Coloque o nome do campo utilizando apenas caracteres alfanuméricos. b. Label – Coloque o nome do campo que vai aparecer para o utilizador. Nestes campos podem-se colocar caracteres sem restrições. c. Publicado – Coloque “SIM” se quiser que o campo apareça no formulário. d. Tipo – A partir deste ponto as opções se expandem de maneira considerável, explicarei apenas os essenciais: “Texto” e “Button”. As outras opções são bem intuitivas no uso, escolhendo Tipo = Texto, a seguinte tela aparece:Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Figura 76-Campo estilo texto Note que apareceram 7 novos campos para preencher, que servem paravalidação do formulário: Mandatory – marque a caixa se quiser que o preenchimento do campo sejaobrigatório, ou seja, o utilizador do site não poderá enviar o formulário sem preencher ocampo. Tips Text – se você quiser dar alguma dica para o preenchimento do campo,coloque o texto neste campo. Custom Error Text – se você quiser colocar uma mensagem de erro, caso outilizador preencha ele errado ou esqueça de preenche-lo você pode escreve-la nestecampo. Max Length – Tamanho máximo do campo. Eu coloquei 50 caracteres. Min Length – Tamanho mínimo do campo. Initial Value –Conteúdo inicial do campo, caso queira. Text Type – Escolhendo um campo tipo texto, você pode agora escolher se é umtexto comum, uma senha, um e-mail, uma data ou um número. Com isso o CK FORMSvai restringir o preenchimento por parte do utilizador de acordo com a regra que vocêcolocar.Agora salve o campo, este em seguida vai aparecer na lista de campos doformulário. Vamos agora criar mais um campo, só que agora do tipo “botão”. Clique em“NEW” no canto superior direito.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Figura 77-Item de Formulário Tipo Botão Preencha com as informações da figura acima. Quando você escolher Tipo =Button, aparecerá mais um campo: Figura 78-Opções de Botão Escolha “Submit” para que o botão tenha a função de envio de formulário. Salveo botão e verifique se ele entrou na lista de campos do seu formulário. 3.6.2.5-Publicando o Formulário no frontend do Site Para o formulário ser publicado no portal, existem duas opções: a. Ligar o formulário a partir de um menu. b. Instalar o plugin feito pelos desenvolvedores do CK FORMS. Para ligar o formulário a partir de um menu, deve-se inserir um item de menu,para isso siga a seguinte instrução: Na tela de administração, opção “Menu”, selecione “Novo” e chega-se à telaapresentada a seguir:Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Figura 79-Ck em item de Menu Clique sobre Standard Ckform CssLayout , seremos levados para a tela abaixo,onde a opção do formulário criado aparece no campo destacado com cor azul no ladodireito na figura abaixo. Basta selecionar o menu que criamos, para que o link do menuapareça e aponte para o formulário criado, também deve ser colocado o título do itemdo Menu, como destacado em vermelho. Figura 80-Item de menu-Ck Salve as modificações e pré-visualize no seu portal o resultado clicando nonome do seu formulário. Figura 81-Formulário criado com o Ck Forms no Portal Para visualizar assim as informações emitidas pelos visitantes que secadastraram, volte ao gestor de Menus, clique em novo, na lista de itens de Menuescolha Ckforms, mas desta vês selecione o Subitem “Standard data CKForms CSSLayout”.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • A tela abaixo será visualizada, depois de atribuir um titulo e Apontar aoformulário que foi criado, salve a informação e visualize esta no front end.Uma opçãoseria definir este como menu filho do menu superior. Figura 82-Lista de entidades cadastradas Outra opção para publicar o seu formulário é instalar o plugin fornecido pelosdesenvolvedores do CK Forms. Para isto, baixe o plugin indicado abaixo do site:http://joomlacode.org/gf/project/ckforms/frs/. Faça a instalação com os mesmos passos do início do tutorial só que agora como arquivo zip do plugin e não do componente. Ao finalizar a instalação, basta vocêcolocar a tag {Ckform NOME DO FORM} em qualquer artigo Joomla que o formulárioaparece no lugar da tag. Uma medida de segurança para proteção do site contra ataques ao sites, consistena inserção de uma verificação conhecida como Captcha nos formulários. Para isso, basta quando se criar um formulário em na área de administração, irna opção “advance”, habilite “uso de capcha”, em seguida descreva ao cliente o nocampo de texto. Figura 83- Utilizando verificação baseada em capchaRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Em “capcha tips text”, deve-se colocar uma frase de orientação aos utilizadoressobre as imagens. Existem inúmeras possibilidades na hora de criação de campos para umformulário, mas o nosso foco deve ser sempre pensar no visitante, tornando o seuregistro mais seguro, fácil e interativo. Para o portal de Telemedicina foram criados formulários para médicos,enfermeiros, pacientes e Tele-consulta. A seguir, é apresentado as telas referentes à criação e gestão do formulário decontrole de médicos para o Portal. Figura 84-Campos de cadastro de médicos Figura 85-Cadastro de médicosRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Figura 86-Médicos cadastrados 3.6.3-Componente Virtuemart Assim como outros portais, o nosso focará também seu objetivo na venda ecompra de serviços e produtos médicos tais como equipamentos, medicamentos, elearning, livros médicos, tele-consultas e tele-laudos. O Componente Virtuemart 1.1.5 Stable (VM) é um componente Joomlacompletamente open source, que implementa um carrinho de compras, elementonecessário para qualquer loja virtual. O VM tem uma área de administração bastantecomplexa, mas permite que, até os utilizadores do Joomla menos experientes, criem umcatálogo de produtos online, configurem sistemas de pagamento via Internet,disponibilizem diversos tipos de envio, gerenciem utilizadores e as ordens de compra,ou seja, tudo que é necessário para vender produtos no mundo virtual. Este nasceu deoutro carrinho de compras chamado phpShop e,como todo carrinho de compras, oVirtueMart tem várias funções, porém algo a ser destacado é que o VM é totalmenteintegrado ao Joomla! Compartilhando o mesmo mecanismo de autenticação eautorização e mantendo o visual do template escolhido. Foi desenvolvido em PHP,utiliza MySQL como base de dados, tem licença GPL (GNU Public Licence), o quesignifica liberdade para fazer download, distribuir e modificar qualquer parte do código. O painel de administração da loja virtual neste componente é simples de seutilizar e é auto-explicativo. Juntas, estas duas ferramentas formam um poderososistema de administração de Loja Virtual que permite aos seus administradores a criaçãode uma loja totalmente online.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • O VirtueMart funciona com o mesmo princípio do Joomla, ou seja, o utilizadorterá total administração sobre a loja virtual podendo incluir, deletar e alterar categorias,produtos, clientes, transportadoras, formas de pagamento, etc. Dentre as inúmeras vantagens oferecidas está a de baixar custos e problemasgerados no desenvolvimento de um e-commerce, uma vez que, a maioria destas lojasvirtuais que são desenvolvidas a partir do "zero", envolve muitos profissionais (webdesigners, programadores, etc.) elevando o custo do projeto a patamares inviáveis eprecisam de um tempo muito grande de adaptação, tempo este muitas vezesindisponível para muitos lojistas. 3.6.3.1-Funcionalidades do VM O VM tem várias funcionalidades, dentre as quais se destacam: I. O catálogo de produtos é totalmente configurável em categorias e tem excelente capacidade de gestão, tendo inclusive um sistema de gestão de estoque. II. Podemos adicionar várias imagens a cada produto, programar variações de um produto (cor, tamanho, modelo etc.), o que facilita muito quando você tem que vender algo que apresenta várias opções. III. Disponibiliza uma ferramenta de “product rating” (avaliação de produtos). Isso pode ser interessante para quem quer ouvir do seu cliente um retorno acerca da qualidade dos produtos vendidos e do atendimento prestado. IV. Venda de produtos que podem ser baixados pelo utilizador (download). V. Os utilizadores registrados, clientes, podem alterar os seus dados de cadastro, consultar o histórico de ordens de compra e outros detalhes que você decida disponibilizar. VI. Permite a criação de grupos de compradores, permitindo diferentes políticas de preço, formas de pagamento etc. Isso é legal, por exemplo, se você quer diferenciar clientes finais de revendedores. VII. Os módulos de pagamento podem ser adicionados de acordo com a sua necessidade, como por exemplo, o módulo disponibilizado pelo pagseguro (http://visie.com.br/pagseguro/joomla.php). De fato, o VM jáRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • vem com alguns gateways de pagamento pré-definidos como PayPal, 2Checkout, PayMate etc. VIII. Modelo de cobrança de impostos flexível, permitindo que o imposto seja calculado de acordo com o endereço de entrega do cliente. Isto pode ser fundamental para o seu negócio, pois dependendo do produto que você vai vender, pois seu comércio virtual pode atingir o mundo todo, vendendo para fora de Angola ou África, onde também a carga tributária pode ser diferente. IX. Diferentes métodos de envio de produtos permitindo a programação e configuração de diversas formas de shipping para o cliente. X. Confirmação da ordem de compra por e-mail tanto para o comprador como para o dono do comércio virtual. Estas confirmações são configuradas e personalizadas no admin do Joomla. XI. Gestão de ordens de compra: resumo, ordens pendentes, ordens concluídas etc. Tem também um esquema de notificação do cliente em caso de mudança do status da ordem de compra. XII. Gestão feita pelo painel de administração do Joomla. XIII. Arquitetura de segurança, utilizando criptografia SSL de até 128 bits, herdada do Joomla. XIV. Várias traduções disponíveis, inclusive em português (Brasil). Em sua gestão, o VM tem estatísticas de novos clientes, ordens, produtos,estoque, relatórios de itens antigos, de faturamento por produto etc. Será utilizando este componente que o portal de Telemedicina fará a venda deprodutos e serviços do ramo medico e assim como de artigos presentes na cultura danosso País. Abaixo estão listados os produtos que serão vendidos numa primeira fase nonosso portal organizados pelas suas respectivas categorias: Serviços de Telemedicina: Tele-aulas, Tele-cilurgia, Tele-consultas, Tele-laudos,Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Tele-monitoração; Artesanato: Esculturas, quadros, cestos, colares; Livraria Medica: Instrumentos Médicos: Microscópio, Diversos Agora será apresentado como manipular este componente para assim poderdisponibilizar os produtos e serviços acima: 3.6.3.2-Instalação O primeiro passo será a instalação, do componente. Para uma instalação bemsucedida o nosso sistema deve suportar os seguintes pré-requisitos mínimos para umainstalação de sucesso: a. Joomla! 1.5.x: b. Apache 1.3 ou superior c. PHP 4.3.x ou superior d. MySQL 3.23.x ou supeior O navegador do cliente deve estar configurado para aceitar cookies. O próximopasso será descarregar o pacote do VM, que pode ser encontrado em seu site oficialhttp://virtuemart.net/downloads; Faça o download do pacote completo. O arquivo terá um nome similar aVirtuemart_1. 1.4-COMPLETE_PACKAGE. j15.zip. É um pacote compactado com osoftware do VM na versão 1.1.4, dependendo da data em que você está realizando esteprocedimento, é possível que novas versões tenham sido criadas. Descompacte oarquivo para obter os seguintes diretórios e arquivos:Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Figura 87-arquivos do ficheiro.zip Note que, existe um manual para instalação do Virtuemart. Se você achar maisfácil, abra o arquivo e siga os passos indicados. A próxima tarefa será instalar o componente do VM no portal, para instalar opacote o processo é o mesmo dos anteriores componentes, vá a qualquer tela do“admininstrator” Joomla e escolha a opção “Extensions” do menu superior, a seguirselecione “Install/Unistall”, como mostrado na figura seguinte. Figura 88-Install-Unistall Virtuemart Seremos levados para a tela “Extension Manager” mostrada abaixo. Você vaiter que fazer o envio do ficheiro do componente Virtuemart e para isto, deve clicar nobotão “Arquivo” (ou “File”), selecionar o arquivo *.zip e em seguida clicar no botão aolado “Upload File & Install”. Figura 89-Enviando Virtuemart para o site Se a instalação for realizada com sucesso, a tela abaixo aparecerá paraparabenizar pela instalação bem sucedida.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Figura 90-Sucesso na instalação do VM Se algo der errado durante a instalação, análise os requerimentos do VirtueMarte compare com os parâmetros do seu sistema. 3.6.3.3-Instalação de Módulos e Plugins Nestes diretórios se encontram diversos módulos relativos ao componente, comopor exemplo: Diretório “Modules” (todos os módulos dentro deste diretórioimplementam funcionalidades de apresentação nas barras laterais do Joomla),Mod_product_ categories_1.1.4.j15.zip (Este módulo serve para apresentar ascategorias de produtos), entre outros. No Diretório “Plugins” encontramos: Vmproductsnapshots_1. 1.4.j15.zip (pluginque habilita o administrador a adicionar “snapshots” de um produto em itens deconteúdo do Joomla, como em artigos. Um “snapshot” vai mostrar a imagem, o preço eum link para adicionar o produto no carrinho de compras);Vmxsearch.plugin_1.1.4.j15.zip – (Este plugin habilita a busca geral do Joomla! aencontrar produtos no catálogo de produtos). A instalação de cada plugin ou módulo éfeita da mesma forma como a apresentada na seção anterior, para o componente. 3.6.3.4-Pacote de Idiomas Sevocê quiser personalizar o seu VirtueMart com algum idioma diferente do padrão, que éem inglês, terá de instalar o pacote de idiomas. Para isto, no link no qual você baixou o pacote do VM,http://virtuemart.net/downloads, baixe o arquivo de idiomas desejado. A instalação dopacote de idiomas é bem diferente do procedimento que utilizamos anteriormente, paraRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • instalar o componente, Plugins e módulos. Neste caso, você terá de copiar os arquivos ediretórios contidos no arquivo zip que você baixou, para um diretório do Joomla. Se você tem uma instalação local do Joomla, basta copiar tudo no diretório/administrator/components/com_virtuemart/languages, caso você tenha instalado oJoomla em um host, crie uma conexão FTP com algum software como o FileZilla ecopie os arquivos para este mesmo diretório, só que remotamente. Depois de instalar o VM, vamos agora dar os primeiros passos para configurá-loda forma mais atrativa possível para os nossos clientes. 3.6.3.5-Configuração do VM Depois de instalado o Virtuemart, abra este em componentes. A tela que surgiraserá o painel principal, conforme a figura a seguir. Figura 91-Painel de controle do Virtuemart No painel de controle podem-se observar duas abas: A primeira demarcada comrosa mostra a área de administração, a segunda possui estatísticas importantes sobre osite de vendas como numero de clientes ativo, produtos, etc.; A esquerda uma barralateral de atalhos (rosa) com todos os ícones da área de administração. 3.6.3.6-Segurança Na área Segurança podemos definir atributos de criptografia nas transações entreos clientes e a loja, formas seguras de pagamento, pontos do portal que levarão https ,armazenamento de cartões de crédito para a loja virtual.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Figura 92-Configurações gerais- Aba segurança 3.6.3.7- Editando Loja Do painel de controle do Virtuemart podemos acessar a tela da vitrine ou loja doVirtuemart, para isso basta selecionar o ícone Editar loja marcada a azul; Figura 93-Ícone Loja Vm Na tela da vitrine, serão inseridas todas as informações acerca da nossa loja, noteque podemos adicionar o endereço físico da loja, contacto, email, nome da empresa,podemos adicionar uma imagem, conteúdo html como rodapés dinâmicos, e podemosdefinir ainda o formato da moeda. Figura 94-Loja VMRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Obs: Note que no formato da moeda, entre as diversas moedas o Vm possui oKwanza, a moeda de Angola, o que permitira ao site de telemedicina oferecer seusserviços a hospitais e centros médicos com a moeda nativa. 4.3.8-Inserção de Categorias Uma boa forma de organizar os produtos e serviços é criar grupos deprodutos/serviços, estes grupos recebem o nome de categorias. Para criarmos uma novacategoria basta a nomearmos e inserir uma imagem, após o nome dado basta salvar esta. Figura 95-Criação da categoria Sublinhado a cor de rosa, esta a Hierarquia da categoria, é possível criarhierarquias entre estas selecionando o dropmenu Pai. Se eu quiser criar uma categoriafilha desta basta que ao criar a nova, selecione no dropmenu a categoria diversos; Figura 96-Criando categoria filha A seguir, vá para lista de produtos e selecione o produto que deseja anexar aesta categoria, na tela do produto anexe uma categoria como sublinhado abaixo acastanho.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Figura 97-Anexando Produto-Categoria Depois do procedimento acima, basta salvar as alterações. Teremos assim umproduto anexado a categoria. Figura 98-Lista de categorias 3.6.3.9-Inserção de produtos O portal de telemedicina necessita realizar vendas de seus serviços e produtos,mostrarei agora como estes foram inseridos no Virtuemart: No Painel de controle deve-se selecionar o ícone referente a produto, seremos levados para área de gestão deProdutos. Esta área apresenta todos os produtos que foram inseridos na nossa loja(Castanho), basta selecionar o botão novo (verde) para irmos para tela de criação deprodutos. Figura 99-Produtos VirtuemartRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Nesta tela, é possível fazer-se a inserção de um novo produto na nossa loja,para isso basta definir seus atributos como referencia preço, imagem, vendedor, não seesqueça de adicionar o preço e a quantidade em estoque, a seguir clique em aplicar esalvar. Feito isso visualize seu produto na lista de produtos criados. Figura 100-Adição de um novo produto 3.6.3.8-Virtuemart no FrontendPara ver o VM no frontend você terá de colocar um item de menu que “aponte” para asua loja virtual. Apenas como exemplo, vamos supor que você queira colocar um itemno “Top Menu” do seu site que direcione o visitante para a sua loja virtual. Para isto, váàs opções de menu e selecione o Top Menu, como indicado na figura abaixo: Figura 101-Inserindo item menu VM Em seguida, adicione um novo item de menu clicando no botão “Novo” ou“New”. Figura 102-Vm- administração de MenuRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Na próxima tela, aparecerão as opções de tipos. Escolha a opção“VirtueMart”, como indicado abaixo: Figura 103-Item de Menu-VM Preencha o nome do item de Menu, no exemplo, foi dado o nome de “LojaVirtual”. Depois disso, salve o item. Figura 104-Edição do item de menu Vm No Top Menu do seu site vai aparecer uma opção chamada “Loja Virtual” apartir do qual você pode acessar os produtos e informações configuradas no VirtueMart. Figura 105-VM-Top MenuRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Depois de selecionar-se o menu Mercado de telemedicina, seremos levados paraminha vitrine frontend, onde estão inseridas todas as categorias de produtos e serviçosdo portal.Basta clicarmos sobre a categoria e seremos levados para a área de produtos. Figura 106-Categorias no frontend Escolhendo a categoria teremos acesso ao aos produtos e serviços do mercado.Se quisermos um certo serviço e este não estar disponível em estoque, será mandado umemail para o gestor do site como podemos ver abaixo. Figura 107-Serviços de telemedicina usando VMRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Figura 108-Envio para o carrinho de compras O carrinho de compras do Virtuemart da a capacidade de armazenar as compras,enquanto o utilizador prossegue fazendo compras. Figura 109-Solicitação de um produto ao site Quando possuímos o produto em estoque, o visitante poderá comprar diretoou colocar no cesto e continuar a comprar, caso o produto esteja indisponível o visitantepoderá notificar ao site sua necessidade. Depois de executado o pagamento pelo serviço o visitante será levado via url,para uma pagina onde se efetuará o serviço prestado. 3.6.3.9- Sistema de pagamento Para o pagamento dos serviços e produtos, existem diversas ferramentasimplementadas. Para acessá-las, selecione o ícone no painel de controle do VMchamado de Formas de pagamento.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Figura 110-Icone de Formas de Pagamento A seguir, na tela existirão diversos métodos de pagamento, publique o métodoque deseja mais se enquadra ao seu portal. Figura 111-Formas de pagamento Note que podemos editar o método clicando sobre este, na tela de ediçãopodemos definir a forma em que se baseia o pagamento, grupo ordem entre outrasopções. Como podemos analisar, o Joomla tem em mãos uma poderosa ferramenta decomercio eletrônico, a custo zero. Lembre-se de que na área de comercio eletrônicodevemos colocar todos os esforços para que as transações entre portal e clientes sejam omais prático e seguro possível. 3.6.4 – Componente Photoslide Gavick Para os visitantes é muito importante que o site possuísse além de interatividade,um charme que chame a sua atenção, uma das formas utilizadas foi através daapresentação de imagens, pensando neste fato, o portal de Telemedicina fez recurso aocomponente Photoslide GK3 que consiste num gerenciador de imagens. As imagensserão exibidas através de um módulo do tipo slideshow, específico do componente.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • 3.6.4.1-Instalação Assim como os componentes anteriores podemos descarregar o componentediretamente do site de extensões joomla BR,faça o upload e instale o arquivo Zip docomponente. 3.6.4.2-Para acessar o componente Vá até o menu => Componentes => Gavick Photoslide GK3 .GK3 trabalhacom grupos de imagens que podem ser atribuídos a diferentes menus e/ou seções dosite, via módulo. Cada grupo pode ser um tema/assunto diferente de imagens. Para criarum grupo Clique no ícone => Manage groups. Em seguida, na parte superior da tela GK3, clique no ícone > Add group parapodermos iniciar a criação de um novo grupo de imagens. Agora se deve preencher o formulário com as medidas de largura e altura da áreaonde as imagens serão exibidas. No site de Telemedicina utilizei o programa MSpaint para analisar os atributosdas imagens em comparação com os módulos do portal, por exemplo: Figura 112-Paint-atributos gavick No canto inferior, podemos analisar as dimensões da imagem em pixels,masexistem inúmeros editores livres no mercados, use o que mais se adapte com o seuestilo. 3.6.4.3-Adicionando imagens no grupoRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Já com o grupo criado (que podemos chamar também de categoria, se assimvocê preferir - são equivalentes), vamos inserir as imagens (slides) que irão compor aanimação do site. Para isso selecione o ícone= > Manage slides. Na sequência serão exibidos os grupos existentes para seleção. Escolha o queserá exibido no site e clique em => Choose group. Figura 113-Escolha de grupos Agora, na barra superior de ícones, cliquem em > Add slide. Na tela seguinte, salve uma imagem de cada vez. É necessário informar umnome para cada imagem (slide). Depois de selecionar a imagem no seu computador,selecione o botão salvar, nesta mesma tela existem outras funcionalidades que podemser exploradas. Estas funcionalidades estão diretamente relacionadas com as funções domódulo de slideshow específico do componente GK3. Figura 114-Lista de Imagens do grupo 3.6.4.4-Exibição do slideshow no site Até agora, tudo o que foi feito esta relacionado à gestão ou estruturação deconteúdo. Ou seja, apenas organizaram-se as imagens em grupos. Para exibirmos estasimagens no site devemos aceder ao menu=> Extensões=> Administrar Módulo =>localize e abra o módulo do tipo mod_gk_image_show=> Salve; Figura 115-Habilitando móduloRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Feito isso, selecione o grupo que foi criado nos passos anteriores. Para issoverifique se o módulo está habilitado e se este se encontra na posição correta. A posiçãodo módulo vai determinar o lugar onde o slideshow será incorporado, tenha atenção nadimensão das imagens. Figura 116-Posições modulares Os módulos que vêm com os templates livres são muito simples, provavelmenteterá de criar uma nova posição no template. Para analisar as posições modulares no seutema vá para Extensões > Administrar tema > Selecione seu tema padrão > Pré-visualize o tema; Figura 117-Análise dos módulos do template Os retângulos coloridos são referências aos módulos do templates, o verde foicriado para exibir o slideshow para o site de telemedicina, através do código descrito nocapitulo acima, com o nome de Adição de posições modulares (PM).<div id="header" align="right" > <?php if($this->countModules(claudia)) : ?> <!-- Verifica se o módulo está presente --> <div> <jdoc:include type="modules" name="claudia" style="xhtml" /> </div> <?php endif;?>Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • 3.6.4.5-Adição de posições modulares Para adicionar o código de adição de posições modulares, basta ir na mesma telaonde esta localizada a opção de pré-visualização do template, e selecionar editar html, éimportante que salve esta informação existente neste num bloco de notas, pois sedanificar o template terá de descarregar um novo template como aconteceu com o portalde telemedicina, onde foram perdidos incontáveis templates na experimentação.Agorainsira o código no html e vá salvando e pré-visualizando, consulte também na lista deposições modulares se o nome Claudia encontra-se na lista. . Figura 118- Adicionar posição Neste portal o módulo certo foi encontrado abaixo do header (cabeçalho), ondeapenas foi acrescentado no tag <div id="header" > o alinhamento a direita, ficando<div id="header" align="right" > para que este apareça a direita. Existem templates pagos que já vem com imensos módulos preparados paraexibição de slideshows. 3.6.4.6-Visualizações Gavick No Gavick III existem 3 formas de visualizar seus conteúdos, para isso vá aoadministrador de módulos > Edição de modulo. No canto direito da tela temos Module Style , basta selecionar , aplicar e salvar.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Figura 119-Estilos do template As telas abaixo mostram os 3 tipos de slideshow que o gavick III nos oferece. Figura 120-Estilo Bloco de thumbnails Figura 121-Estilo Template Figura 122-Estilo Gavick (Rotação de imagens)Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Utilize o estilo que achar mais adequado ao seu site, nunca esquecendo que nãodepende de nós criadores, mas sim do publico. Lembre-se sempre do foco do seu site eem como agradar mais o seu publico. 3.7-Plugins Conhecidos como add-ins ou add-on, são programas de computadores usadospara adicionar funções a outros programas maiores, a Telemedicina fará uso desteaplicativo na adição de funcionalidades que forneceram mais comodidade aosutilizadores do site. 3.7.1- Plugin AllVideos O portal de telemedicina focará seus serviços no ensino de medicina via e-lerning, com este fim, faremos uso de vídeos demonstrativos e explicativos sobrediferentes ângulos da medicina. Para o portal inicial, foram adicionados os seguintes vídeos: - Crise na Natalidade; - Tutorias gavick e ck forms; -Teleconsulta 3.7.1.1-Instalação do Allvideos 3.3 Para fazer o descarregamento em seu Computador, basta ir ao endereçohttp://extensions.joomla.org/extensions/multimedia/multimedia-players/video-players-a-gallery/812 e descarrega-se o pacote para seu computador. De seguida, entre na Administração do seu Joomla, siga para Extensões,carregue em InstalarDesinstalar, conforme previamente demonstrado com oscomponentes. Na próxima tela você terá uma mensagem de que sua instalação foi concluídacom sucesso.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Figura 123-Instalação bem sucedida do AllVideos 3.7.1.2-Habilitar o Allvideos Depois da instalação do Allvídeos é necessário habilitá-lo no Joomla Para isso, vá em Extensões => Administrar Plugins =>Duplo clique em Allvideos. Figura 124-Administração de Plugins Neste momento você estará no Editor de Plugins onde para além de habilitá-lopodemos definir os atributos do player como largura, altura, resolução dos pixels, entreoutros; em Habilitar Plugins coloque sim e salve, assim o Allvideos estará Habilitado. 3.7.1.3-Extensões Allvideos O Allvideos pode manipular diversos tipos de vídeo e áudio, mas porpredefinição o Joomla apenas vem com algumas extensões, para que este possamanipular novas extensões devem ser adicionadas novas extensões. Para isso sigaos passos a seguir: Site=> Configurações Globais Selecione o separador Sistema=>Configurações de Mídia.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Em Configurações de Mídia você encontrará os formatos suportados, conforme listado aseguir: bmp,csv,doc,epg,flv,gif,ico,jpg,mp3,mp4,odg,odp,ods,odt,pdf,png,ppt, swf,txt,xcf,xls,BMP,CSV,DOC,EPG,FLV,GIF,ICO,JPG,MP3,MP4, ODG, ODP, ODS, ODT, PDF, PNG, PPT, SWF, TXT, XCF, XLS. Temos uma lista de extensões escritas em minúsculas ordenadas em ordemalfabética e as mesmas nas suas versões em maiúsculas; quando quisermos adicionaruma nova extensão devemos posicionar estas com base na ordenação alfabética, e omesmo na área das maiúsculas, salve e assim estarão habilitadas novas extensões 3.7.1.4- Envio de Media Para enviar conteúdo de média para o portal, deveremos ter em conta que odiretório de vídeos devera ser criado dentro do diretório Stories. Deve-se ir em: Site->Administrar Mídia->Stories-> criar pasta; Crie uma pasta de nome “Videos” (sem acentuação para evitar problemasfuturos). Selecione o seu ficheiro e inicie o envio. Para ficheiros de áudio o procedimento para envio é idêntico, crie a pasta com onome “Audio” (no singular), e envie os ficheiros. O tamanho Maximo dos arquivos por defeito é de 10 MBytes. Para alterar,modifique o tamanho Maximo de Media em Configurações globais. Figura 125-MídiasRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • 3.7.1.5-Síntese Para colocar vídeos no seu site basta que abra a edição o seu artigo, coloque onome do vídeo que deseja (este deve estar do mesmo jeito que se encontra na pastaVídeos ou Áudio) entre {tipo do vídeo}{/tipo do vídeo}; Exemplo 1: {mp3} hino nacional {/mp3} Exemplo 2: {flv}Telesaúde{/flv} Este componente também permite aplicar vídeos do Youtube diretamente nonosso site, basta que o portal encontra-se colocar os Tag {youtube} telemedicina{/youtube}. Com este plugin poderemos inserir diversas multimídia no site, mas tendosempre em base o foco do portal. Figura 126-Apresentação de um vídeo 3.7.2- Editor JCE O editor JCE é uma incrível ferramenta de edição de artigos do Joomla. Assimcomo outros editores , como o TinyMCE, o Joomla FCK editor e o JXtended, é umeditor do tipo WYSIWYG, que é um acrônimo para "What You See Is What You Get",que numa tradução livre significa "O que você está vendo é o que você terá". Esse tipo de editor permite que o utilizador administrativo do site, ao criar umconteúdo, visualize as páginas já como elas ficarão quando elas estiverem publicadas noportal. Ao invés de ter que trabalhar com código HTML e estilos CSS para conseguirdar a forma desejada ao conteúdo. O JCE se tornou uma das principais alternativas aoRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • TinyMCE, editor de conteúdo WYSIWYG padrão que já vem instalado com o Joomla,por possuir um interface mais clara de se trabalhar, mais recursos para diagramação einclusive módulos que adicionam funcionalidades para a o momento de criação doconteúdo. 3.7.2.1-Instalação do editor JCE Para instalar o JCE Editor Plugin usando o Joomla deve-se em primeiro lugarextrair todos os arquivos do Editor JCE Plugin.zip para um local em seu computador,certificando-se preservar todos os caminhos de pasta. A seguir entre na seção de administração do seu Joomla: Componentes => JCE Administração => Painel de controle=> item de menu. Se o Editor não está instalado corretamente, embora você tenha seus arquivoscopiados corretamente, conforme descrito acima, você verá uma mensagem de erro"ficheiros Editor Plugin existe, mas Editor Plugin não está instalado - [Install EditorPlugin]". Clique em [Install Editor Plugin]. Figura 127-Instalação do editor Após concluir essas etapas, o editor JCE Plugin será instalado. Para modificar o editor padrão vá na opção Site-> Configuração globalescolha, então o Editor JCE 1.5.x da lista de seleção do “Default WYSIWYG Editor",após este procedimento guarde as alterações.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Figura 128- Tela de edição do Editor JCERelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Capitulo 4 - Conclusão O uso das Tecnologias da Informação para auxílio a diversas atividades deve serintensificado para a área de saúde em Angola.Este País esta em recuperação das marcasdeixadas pela guerra, devido a este facto existem muitas debilidades em áreas como amedicina. Este projeto, visou a implementação de um sistema hibrido envolvendo sistemasde Tecnologias de Informação e comunicação (TIC) e medicina. Este sistema foiimplementado utilizado tecnologias livres. O seu objetivo é melhorar as condiçõesclinicas na Província de Benguela, servindo assim de exemplo para toda Angola emgeral e quebrando distâncias geográficas entre médicos e pacientes. Outro foco do nossoportal era se tornar uma plataforma de ensino para formação de profissionais no ramode medicina. Utilizando o gestor de conteúdo Joomla, foi possível a criação destesistema a custo zero, relativamente a licenciamento de programas. 4.1-Resumo do Relatório Este relatório teve o objetivo de documentar e apresentar o projeto Telemedicinaem Angola. O objetivo deste projeto principal foi a criação de um sistema informáticacapaz de dar soluções ao estado de saúde em Angola e reverter as estáticas de saúde.Durante todos os capítulos analisamos a evolução do projeto e as melhores soluçõespossíveis na utilização do Gestor de conteúdo Joomla. No Capitulo 2 aprendemos osconceitos dos elementos aplicados na criação do portal. No capitulo 3 analisamos a estrutura referente a administração(Backend) e parteutilizador (FrontEnd), foi apresentados neste funcionalidades acrescidas pelo uso decomponentes e Plugins fornecidos gratuitamente. Este relatório também se destina a ser um futuro guia a quem deseje trabalharcom o Gestor de conteúdos Joomla, ou em futuras pesquisas acerca de Telemedicina. 4.2-Objetivos realizados Com a implementação deste projecto foi possivel a criação de um portalelectronico de informações medicas, que atravês dos seus componentes e pluggins éRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • capaz de gerir seus usuarios, realizar transações de produtos e serviços, assim comoapresentar conteúdo multimídia. Foi possível o estudo um gestor de conteúdo. Conhecer o dia a dia dos portais de comercio eletrônico. Estudar métodos de cadastro em CMS. Programar um portal eletrônico com custo e programação zero. Fornecer a Província de Benguela um portal eletrônico dedicado a Saúde. Promover a responsabilidade social dos estudantes através de palestras edivulgações da tema.4.3-Bibliografia 1. Departamento de Informática em Saúde, UNIFESP/EPM Laboratório de Educação a Distância,Educação em saúde- Serviços ao Paciente e a Comunidade-[Em linha].Consultado em 07 de Agosto de 2011.Disponível em http://www.virtual.unifesp.br/home/paciente.php . 2. UC Davis Health System- Department of Dermatology-[Em Linha] consultado em 07de Agosto de 2011.Disponível em http://www.ucdmcucdavis.edu/ informatics. 3. Rego Moraes,TIS - Grupo de Tecnologias da Informação em Saúde-Telessaude. [Em linha]consultado em 07 de Agosto de 2011. Disponível em http://www.telessaúde.org.br/contato.htm. 4. Ministério da Saúde e BIREME- Programa de Telessaúde Brasil.[Em linha]Consultado em 07 de Agosto de 2011.Disponível em http://www.telessaudebrasil.org.br/php/index.php?portal=subportal1 5. Castro Maria- Caracteres Especiais[Em linha]Consultado em 07 de Agosto de 2011.Disponível em http://www.icmc.usp.br/ensino/material/html/especiais.html 6. Lemos Marcos- Letreiro digital para Blog.[Em linha]Consultado em 07 de Agosto de 2011-. Disponível em http://www.ferramentasblog.com/contato. 7. Fórum Comunidade Portuguesa de Joomla-Joomlapt!com-Comunidade joomla Portuguesa[Em linha].Consultado em 07 de Agosto de 2011.Disponível em http://forum.joomlapt.com/faq-instalacao/368-mover-ou-copiar-site- joomla.html.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • 8. Tibaldi Carla - Letreiro digital para Blog.[Em Linha]Consultado em 07 de Agosto de 2011-Disponível em http://fisioterapiacuiaba.blogspot.com/. 9. Rodrigues, Adriano Duarte (2000)-Dicionário breve da informação e da comunicação, Lisboa : Presença. 10. Marques, João Alexandre Lobô (2007)-SISCTG- Um sistema inteligente para classificação de sinais cardiotocográficos para o auxílio ao diagnóstico de sinais Médicos – Fortaleza: Universidade Federal do Ceará.4.2-Glossário Acesso Remoto- quando acessamos um computador ou outro aparelho eletrônico a distância, podendo este equipamento estar na nossa sala ao lado ou então milhares de quilômetros a distâncias. Artigo-Testo publicado num jornal,escrito por um jornalista ou colaborador. Backup- Processo de clonagem ou duplicação de um sistema, arquivo, etc., com a finalidade de proteger a informação. Banner-Forma Publicitaria mais comum na internet, muito utilizado em programas para a divulgação de sites na internet que pagam por sua inclusão. Base de dados- é um conjunto de registros dispostos em estrutura regular que possibilita a reorganização dos mesmos e produção de informação. Um base de dados normalmente agrupa registros utilizáveis para um mesmo fim. Blogs - é um site cuja estrutura permite a atualização rápida a partir de acréscimos dos chamados artigos, ou posts. Estes são, em geral, organizados de forma cronológica inversa, tendo como foco a temática proposta do blog,Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • podendo ser escritos por um número variável de pessoas, de acordo com a política do blog.. Capcha-é um acrônimo da expressão teste de Turing publico completamente automatizado para diferenciação entre computadores e humanos, é um teste de desafio cognitivo utilizado como ferramenta antispan desenvolvido pioneiramente na universidade de Carnagie –Mellon. Cardiobipe- É um processo de telemonitoramento que consiste de um pequeno aparelho portátil de ECG mono canal, que o paciente encosta ao peito, pressiona um botão para recolher alguns segundos de ECG e em seguida encosta ao bocal do telefone, enviando-o via modem acústico para o centro remoto. Código- Combinação formada por um conjunto limitado de sinais Comercio Electronico- transação comercial feita especialmente através de meios eletrônicos, como, por exemplo, um computador. Ou seja, consiste em processos de compra e venda de produtos através da internet. Css (cascate sheet style)-é uma linguagem de estilo utilizada para definir a apresentação de documentos escritos em uma linguagem de marcação, como HTML ou XML. Destructores- São funções utilizadas em programação, com o propósito de eliminar um objeto e libertar memória. Drivers- São pequenos programas que fazem a comunicação entre o Sistema Operativo de sua máquina e o Hardware. Temos como exemplos de Hardware (impressora, mouse, placas de vídeo e rede, monitor, pen-drives, etc...). Extensões- Consiste em um padrão criado pelos sistemas operativos DOS (incluindo o Windows) com o objetivo de diferenciar os ficheiros, para issoRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • coloca-se um ‘.’seguido de três ou quatro caracteres após o nome.Ex: .com,.ico,.flv. Hardware- É a parte física do computador, ou seja, é o conjunto de componentes eletrônicos, circuitos integrados e placas, que se comunicam através de barramentos. Interatividade- É a capacidade de um utilizador poder estabelecer influencia sobre a informação disposta numa certa mídia.Ou seja ocorre quando utilizador pode participar na troca de ações de controle sobre acontecimentos. Hospedagem- É um serviço que possibilita a pessoas ou empresas com sistemas online a guardar informações, imagens, vídeo, ou qualquer conteúdo acessível por Web. HTTP- (Protocolo de transferência de Hipertexto), o protocolo padrão da Web utilizado na transferencia de dados em intranet assim como internet. Mb(Megabytes)- é uma unidade de medida de informação que equivale a 1 000 000 Bytes. Multimédia- Conjunto de técnicas que permitem a produção, a difusão e a restituição no mesmo suporte de várias modalidades de representação mediática de informações. Offline(fora de linha)-Termo utilizado em telecomunicações pela internet, para designar que os intervenientes não se encontram em linha. Online(em linha)-Termo utilizado em telecomunicações pela internet, para designar que os intervenientes se encontram em linha. Oracle- É uma ferramenta cliente/servidor para a gestão de Bases de Dados.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Pluggin ou add-on: É uma aplicação que depois de instalada num sistema adiciona certas funcionalidades. Ram- é um tipo de memória que permite a leitura e a escrita, utilizada como memória primária em sistemas eletrônicos digitais Reset-Ação de anular certo conteúdo, igualar resultado a zero. Scripts- São ações ou papeis codificadas em objetos que promovem a realização de eventos num sistema. Servidores-Computadores onde estão organizados os dados, estes fornecem seus serviços as maquinas clientes. Servidor Web- Um servidor Web é um computador que processa solicitações HTTP (Protocolo de transferência de Hipertexto) o protocolo padrão da Web.Quando é utilizado um navegador de internet para acessar um site, este faz as solicitações devidas ao servidor Web do site através de HTTP e então recebe o conteúdo correspondente. Spans- É uma espécie de ataque pela Web onde são enviadas mensagens em massa indesejáveis e repetidas no Email da vitima. Sun- É uma empresa subsidiaria da corporação Oracle, fabricante de computadores, semicondutores e aplicações. Transtelefônica: É processo de envio de dados clínicos de um paciente num processo de cardiobipe através de um telefone,. Tag- É uma palavra-chave (relevante) ou termo associado com uma informação (ex: uma imagem, um artigo, um vídeo) que o descreve e permite uma classificação da informaçãoRelatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26
    • Tutorial- Consiste num guia detalhado passo a passo sobre um assunto; Unicode- É um padrão que permite aos computadores representar e manipular, de forma consistente, texto de qualquer sistema de escrita existente Url- Em português Localizado - Padrão de Recursos, é o endereço de um recurso (um arquivo, uma impressora etc.), disponível em uma rede; seja a Internet, ou uma rede corporativa, uma intranet. Uma URL tem a seguinte estrutura: protocolo://máquina/caminho/recurso.Relatório de estágio de informática – Portal de Telemedicina para a Província de Benguela 26