Senhor primeiro ministro (carta registada) !
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
1,197
On Slideshare
1,197
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
1
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Carta Registada com Aviso de Recepção SENHOR PRIMEIRO MINISTROSou prático e pretendo ser sucinto, como tal, vou directo ao que me move.Tomo esta iniciativa, imbuído de uma profunda tristeza e corrompido por uma revoltasem controlo que só a muito custo, tento dominar.Tenho 59 anos, uma vida preenchida de sofrimento e vivências que me obrigam adenunciar a pouca vergonha que reina neste país.Quero desde já dizer-lhe que o senhor não me desiludiu politicamente porque souapolítico e apartidário.Por isso, políticos, ou seja, malabaristas da política, chamo malabaristas para nãochamar aldrabões da política e partidos políticos, não me desiludem.A única vez que votei na minha vida foi na 1ª candidatura do Exmº Senhor GeneralRamalho Eanes que foi meu CHEFE e com muito orgulho, é meu Superior Hierárquicoe na História do 25 de Abril foi, em minha opinião, o único Comandante Supremo dasForças Armadas, por inerência de funções e por direito de posto e Conduta Ética.Desde há largos anos a esta parte que vejo a minha PÁTRIA, por quem jurei fazersacrifícios e dar a minha vida, como o fizeram o Senhor meu Pai, que verteu sangue porELA, assim como vários Familiares e Amigos, culminando num primo que lhe ofereceuo melhor que tem um Ser Humano:- A VIDA.E o que temos hoje?Um país hipotecado, sem lei, sem justiça e paulatinamente alienado a preço irrisório.Assiste-se a um festival de propagandas eleitorais, promovido por aldrabões e gente semvergonha, sem decoro, sem ética e sem respeito pelo semelhante, principalmente pelosidosos e crianças.Já não falo na Instituição Militar, que não me espanta estar queda e muda, pois osrespectivos chefes perdem toda a legitimidade ao permitirem-se ser nomeados por unsquaisquer políticos, em vez de serem eleitos pelos seus subordinados, no seio da FamíliaCastrense.Assim, sou daqueles que por questão de Ética, se recusam a rever-se nestes chefes assimnomeados.Respeito-os hierarquicamente, pois os Regulamentos assim me obrigam, e, nada mais.
  • 2. De facto, a minha PÁTRIA, transformou-se neste país de vilãos e aldrabões políticosem que o senhor é um deles.Quer desmentir-me?Pode perfeitamente insistir nesse teatro mas tenho boa memória e sou inteligente.Recordo-me de alguns debates políticos em que o senhor foi protagonista, e lembro-mede promessas que não só não cumpriu, como atraiçoou.Lembro-me perfeitamente de ter chamado várias vezes, mentiroso, ao senhor Sócrates.Por acaso, já fez um exame de consciência, se é que a tem!?!Se o fez, pode facilmente perceber que o adjectivo que usou para definir o senhorSócrates, é demasiado lisonjeiro para o catalogar a si.Sabe? Na Ética Militar diz-se que “ a consciência é o nosso melhor juiz, enquanto não aassassinarmos”.O senhor já assassinou a sua com a avalanche de mentiras com que tem presenteado oPovo Português.Outra afirmação sua que retenho na memória é de que o senhor disse aos Portugueses,ser “o candidato mais africano”.Penso que se referia ao facto de ter casado com uma Senhora Africana!?!Pois bem, sou Transmontano de nascimento e Africano de crescimento.Nasci com os géneses da coragem, da lealdade, da verdade, do respeito, da honra e dasolidariedade.Foram estes valores morais que aprimorei e interiorizei no meu crescimento Africano.Posso absolutamente garantir-lhe que se o senhor dissesse na Guiné, metade dasmentiras que tem dito neste país, já lhe tinham cortado o pescoço.Na Guiné, tuga mintroso, cá tá lebsi ginte garande.Na Guiné, tuga mintroso, cá tem falta di respito pa home e minher garande, nim mininoqui cá tene maldade na coraçon.Pois é meu caro senhor, se não souber traduzir as frases atrás escritas, peça à suaExcelentíssima Senhora Esposa que lhe faça esse favor, e desde já, se me permite, comtodo o respeito lhe endereço “mantenhas” e tudo “nha respito” e “consideraçon”.Já agora, aproveite a oportunidade para ler, estudar e meditar um pouco sobre apersonalidade chamada Amílcar Cabral, para perceber o que é um HOMEM que nasceupara ser Líder, para libertar o seu POVO e não para o espezinhar e vender a umaqualquer Troika como o senhor e todos os políticos sem vergonha que o antecederam,fizeram e fazem.Mas se o incomoda aprender com um Líder Africano, recorra à história do Senhor SáCarneiro que de certeza está incomodadíssimo onde quer que Deus o guarde, por verhomens sem palavra a fazerem parte de um partido a quem deu credibilidade e o senhor,bem como outros como o senhor, denigrem e maculam.
  • 3. Senhor Pedro Passos Coelho, saiba que tal como o senhor rasgou as páginas daConstituição que contêm os artigos que o obrigam a cumprir os seus deveres depagamento dos salários, pensões e subsídios, também eu me recuso a cumprir os artigosdessa mesma Constituição que me possam obrigar a reconhecê-lo como meu 1ºministro.Jurei cumprir e fazer cumprir uma Constituição que obriga os políticos, as F.A. e asForças de Segurança, a serem o garante da defesa da Pátria e do seu Povo.Não cumpro nem defendo, uma Constituição adulterada por si e por uma justiça quefecha os olhos a toda esta vilanice.Muito teria para lhe dizer mas, prometi ser sucinto.É muito mais demolidor o sentimento de raiva, de revolta de indignação, do que tudo oque escrevi.Para que não fique com a ideia que me acobardo atrás de um qualquer anonimato, querodizer-lhe que me chamo José António Neves Rodrigues e que sou com muito orgulho,ética e muita honra, Sargento do Exército Português e ao serviço de um POVO e de umaPÁTRIA que se chama PORTUGAL.Lisboa, 11 de Fevereiro de 2013