O sofrimento de Renoir !

  • 393 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • 'Hoje aprendi algo' mas espero acordar amanhã! Muito obrigada.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
393
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
3
Comments
1
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Renoir - O impressionista que pintou pela dor
  • 2. Le Moulin de la Galette
  • 3. “Quando olhamos as pinturas de Renoir, é fácilesquecer que ele carregava um grave problema(…). Pintar foi quase uma necessidade física e, às vezes, uma cura, como se desejasse criarsobre a tela aquelas coisas que era obrigado a perder na vida real por causa de sua limitação”, relatava um artigo publicado há alguns anos no ‘British Medical Journal’.
  • 4. O balanço, 1876 A primeira saída, 1877
  • 5. O almoço dos remadores, 1880-1881
  • 6. No jardim, 1885 Os guarda-chuvas, 1886
  • 7. As grandes banhistas (Les Grandes Baigneuses) Pierre-Auguste Renoir, 1884-1887
  • 8. Renoir en 1893
  • 9. Auto retrato Poucos sabem que o grande pintor impressionista, Pierre-Auguste Renoir (1841- 1919), sofreu em seus últimos 25 anos devida uma dolorosa e severa artrite reumatóide.
  • 10. Cavaletes com roldanas e pincéisatados às suas mãos deformadas foram alguns dos recursosque Renoir teve queempregar para poder continuar pintando.
  • 11. Foi graças a um dos netos do pintor, Paul Renoir, que foram revelados, durante o 13º Congresso Europeu de Reumatología(Ámsterdam, 1995), alguns aspectos até então desconhecidos da enfermidade de seu avô.
  • 12. Renoir
  • 13. O fato é que não se conservou o histórico médico de Renoir mas, graças às fotografíasmostradas pela família, às suas cartas pessoais e às notas biográficas de pessoas próximas, “é possível ter-se uma idéia do curso de sua enfermidade", comentava um texto assinado por vários reumatólogos holandeses.
  • 14. Acredita-se que sua artrite tenha começado quando tinha 50 anos e que tenha se manifestado de forma maisagressiva na década seguinte; durante os últimos anos de sua vida o deixou praticamente inválido.
  • 15. 1896- Renoir com 55 anos. 1903- Aqui vemos que a artrite se tornouObservando a imagem de perto, pode- mais agressiva. A fotografia revela que Renoir , se visualizar o inchaço das com a idade de 62 anos, se esforça para articulações. mantener seu cigarro inseparável em suas mãos deformadas.
  • 16. Uma serie de imágens mostra como aenfermidade afetou suas pernas e seus pés.
  • 17. Em 1901, con 60 anos de idade, quando seu filho caçulaClaude (Coco) nasceu, Renoir teve que usar uma bengala para caminhar.
  • 18. Pierre Renoir 1890 Jean Renoir 1901 Claude Renoir (Coco) 1910 Em 1890, com a idade de 49 anos, Renoir se casou com Aline Charigot, de 26, com quem teve três filhos: Pierre, Jean e Claude (Coco).
  • 19. Aline Charigot (1885), esposa de Renoir
  • 20. Aline com Pierre, 1887
  • 21. Em 1908, para Renoir se tornou difícil caminhar com uma só bengala e o pintor começou a utilizar duas.
  • 22. A partir de 1912, Renoir passou a usaruma cadeira de rodas. Nesta foto estásentado ao lado de suas pinturas e desua modelo e nora, Catherine Hessling, "Dédée“ (Quadro: Loira com a rosa, 1915)
  • 23. As bandagens eram utilizadas para absorver o suor e evitar mais danos às mãos.
  • 24. 1915. Renoir com seus sapatos de lãdevido à grave deformidade dos pés.
  • 25. A grave artrite lhe causou dores terríveis. Osossos se dobravam e a carne secava (sofria de suor por síndrome constitucional que o levou a uma extrema caquexia).
  • 26. À esquerda: Renoir em 1915. A imagem mostra acaquexia reumatóide. À direita: podemos ver a magreza de seu rosto no "Auto retrato", pintado em 1910.
  • 27. Em 1907 pesava 49 quilos e mal podia sentar-se.Depois de 1910 não pode mais locomover-se commuletas e permanceu prostrado em uma cadeira de rodas.
  • 28. Aqui o vemos em uma cadeira de rodas.
  • 29. A terapia a que Renoir foi submetido se baseou em exercícios físicos, purgantes eantipirina, um derivado das pirazolonas. Não obstante, parece que ele limitava seu uso por que temia que prejudicasse sua criatividade artística.
  • 30. Também passava longas temporadas com sua família em alguns balneários do sul da França (Vichy, Bourbonne-les-Bains eAix-les-Bains) para beneficiar-se do calor.
  • 31. Renoir acreditava que esses períodos lhe eram realmente benéficos. Por isso, quando já não podia mais locomover-se, mandou construir a casa de Les Collettes, em Cagnes-Sur-Mer,próxima a Niza, onde passava longo tempo ao ar livre, entre as oliveiras.
  • 32. A Granja Les Collettes
  • 33. 1917 - Renoir nos jardins de Cagnes-sur-Mer.Quando precisava ir a lugares nos quais que era difícil chegar em cadeira de rodas, era carregado por seus amigos e familiares.
  • 34. 1919
  • 35. Porém isso não o impediu de continuarpintando - segundo seu neto - mais de 400 telas, período no qual também não deixou de viajar e enrolar seus cigarros.
  • 36. Em 1915, no primeiro verão desde o início da1ªguerra mundial, Renoir visitou o túmulo de sua mãe em Essoyes, e depois viajou novamente para Paris. Nesta cidade o pintor, que estavacom 78 anos, sentado na sua cadeira de rodas, foi ver seus quadros favoritos do Louvre: François Boucher, Delacroix e Corot, e a ‘Asbodas de Canaã,’ de Veronese, pintura grande e transbordante de cor, junto à qual, de acordocom o desejo de Renoir, em um lugar de honra, estava pendurado seu pequeno estudo com o retrato de Madame Charpentier de 1877.
  • 37. Retrato de Madame Charpentier, 1877
  • 38. De volta a Cagnes continuou pintando até concluir sua composição Descanso após obanho. Algumas horas antes de morrer devido a uma grave pneumonia, pintou uma natureza morta: uma cesta com maçãs que lhe havia trazido seu filho, o cineasta Jean Renoir.
  • 39. 1916
  • 40. Suas últimas palavras dizem muito do espírito lutador do pintor: “Hoje aprendi algo”
  • 41. Aline Charigot ,1854- 1915Pierre-Auguste Renoir morreu no dia 3 de dezembro de 1919, por causa de uma forte pneumonia, e foi enterrado em Essoyes, junto à sua esposa Aline Charigot.
  • 42. Túmulo da familia Renoir em Essoyes
  • 43. Museu Renoir em Cagne-Sur-Mer
  • 44. Auto retrato de Renoir. 1875
  • 45. Menino com gato, 1868 O passeio, 1870
  • 46. Leitoras, 1874 O camarote ,1874
  • 47. O final das férias de 1879 No terraço - 1881
  • 48. Baile na Cidade, 1883 Baile em Bougival, 1883 Baile no campo, 1883
  • 49. Menino na praia de Yport, 1883 Menina com chicote, 1885
  • 50. Criança com gato, 1887 Menina com espigas, 1888
  • 51. Depois do banho, 1888 Lavadeiras em Baltimore, 1888
  • 52. Jovens tocando piano, 1892 No Prado, 1892
  • 53. Retrato de Julie Manet, 1894 Gabrielle com Jean, 1896
  • 54. Banhista de cabelo loiro, 1906
  • 55. Banhista sentada secando a perna, 1914
  • 56. Banhistas (1818-19)
  • 57. Mulher no toucador, 1918
  • 58. O concerto, 1919
  • 59. Pierre Auguste Renoir( Limoges 1841 , Cagnes - sur - Mer 1919 ) Música - L’Amour rêve (André Gagnon)