Bimestral 3º ano 3º bimestre
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Bimestral 3º ano 3º bimestre

on

  • 721 views

 

Statistics

Views

Total Views
721
Views on SlideShare
721
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
6
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Bimestral 3º ano 3º bimestre Bimestral 3º ano 3º bimestre Document Transcript

  • Exercício aeróbicoO exercício aeróbico é aquele que refere-se ao uso de oxigênio no processo de geraçãode energia dos músculos. Esse tipo de exercício trabalha uma grande quantidade degrupos musculares de forma rítmica. Andar, correr, nadar epedalar , são alguns dosprincipais exemplos de exercícios aeróbicos.Os exercícios aeróbicos típicos são contínuos e prolongados, realizados commovimentos não muito rápidos. Esta categoria de exercício, é a que traz mais benefíciosao organismo, diminuindo a chance de doenças cardiovasculares e melhorandoqualidade e expectativa de vida, pois somente os exercícios aeróbicos de longa duraçãoqueimam as reservas de gordura do corpo humano.Como o exercício aeróbico atua na queima de gordurasQuando se pratica exercícios aeróbicos, ocorre que as células musculares consomemmais oxigênio para produzir energia. Comparando com o exercício anaeróbico, que sãode maior intensidade e de menor duração ocorre que, neste caso, nos primeirossegundos o organismo quebra o ATP (molécula que armazena energia) que existe emestoque dentro das células musculares e só depois passa a transformara glicose existente no corpo em ATP para poder continuar a usá-la. Em exercíciosaeróbicos, que são de menos intensidade porém de grande duração, o corpo irá exigirmuito mais energia porém terá mais tempo para produzi-lá. Neste caso a glicose setransforma em ácido pirúvico que entra na mitocôndria (uma estrutura da célula) eproduz a enzima Aacetil-coA que por fim reage com o oxigênio da respiração e produzem torno de dezoito vezes mais ATP do que os exercícios anaeróbicos. Mas, como aglicose é uma substância vital para o funcionamento do cérebro, o corpo evita utilizá-laem grande quantidade e então passa a utilizar às moléculas de gordura no lugar daglicose para produzir energia. Por isso, o exercício aeróbico consome não só a gordurados músculos como também a de outras partes do corpo. E assim é feito o esquema dosmúsculos.Benefícios para a saúde
  • Entre os benefícios para a saúde de fazer regularmente exercícios aeróbicos estão: Fortalecimento dos músculos envolvidos na respiração. Fortalecimento e aumento do músculo cardíaco. Tonificação da musculatura. Diminuição da pressão arterial. Elevação do número de células vermelhas do sangue. Melhoria da circulação sanguínea. Elevação das reservas de energia nos músculos, o que aumenta a resistência. Aumento do fluxo sanguíneo nos músculos.Benefícios dos exercíciosAUMENTANDO O METABOLISMOAlgumas pessoas erroneamente acreditam que exercícios não valem a pena o esforçopor causa do pequeno número de calorias gastas. Por exemplo, andar queimaaproximadamente 5 calorias por minuto. Devido ao fato de ter 7700 calorias em umquilo de gordura, iria parecer que você teria que andar 25 horas e 36 minutos paraperder 1 quilo de gordura.Porém a verdade é que mesmo os exercícios moderados aumentam seu metabolismo(queimando calorias) 3 a 8 vezes, durante horas depois do exercício. O efeito residualdo exercício, e não o próprio exercício, é o maior responsável pela queima de calorias. Exercício anaeróbioExercício Anaeróbico é um tipo de atividade física em que predomina o fornecimentode energia por processos metabólicos que não envolvem oxigênio. A palavra anaeróbio,significa literalmente "sem oxigênio" ou "sem presença de oxigênio“.O exercício anaeróbico é qualquer atividade física que trabalhe diversos gruposmusculares durante um determinado e constante período de tempo, de forma contínua eritmada. O treino aeróbico melhora significativamente o funcionamento do coração,pulmões e todo o sistema cardiovascular contribuindo para uma entrega de oxigéniomais rápida por todo o corpo.São atividades breves de alta intensidade nas quais o metabolismo anaeróbico acontecenos músculos.Durante períodos de tempo mais longos de exercício físico, o metabolismo aeróbicoprovê a energia, o que é chamado de exercício aeróbico.
  • Exemplos de exercícios anaeróbicos incluem musculação, sprints, saltos; qualquerexercício que consista de movimentos rápidos de alta intensidade. Exercícios anaeróbiossão geralmente usados por atletas para desenvolver força e bodybuilders para construirmassa muscular. Músculos que são treinados sob condições anaeróbias desenvolvemmelhor performance em atividades de curta duração e alta intensidade.Exercícios aeróbicos, por outro lado, incluem atividade realizadas por longos períodosde tempo em menor intensidade. Exercícios como caminhar, correr, nadar e pedalarrequerem grande quantidade de oxigênio para gerar energia por período prolongado detempo.Há dois tipos de sistema de geração de energia anaeróbica: o ATP-CrP, que tema creatina fosfatada como principal fonte de energia, e o ácidolático (ou glicólise anaeróbia), que usa glicose na ausência de oxigênio. O segundo é umuso ineficiente da glicose e produz sub-produtos que, acredita-se, sejam prejudiciais aofuncionamento muscular.O sistema de ácido lático é o dominante durante exercícios de intensidade alta amáxima, durante curto período de tempo (em torno de um minuto), mas ele também éresponsável por uma parte da energia durante exercício aeróbio, uma vez que oorganismo é capaz de livrar-se dos sub-produtos anaeróbios até um certo nível. Aeficiência da remoção dos sub-produtos pelos músculos melhora através do treinamento. Esteroide anabolizanteOs esteróides androgênicos anabólicos (EAA ou AAS - do inglês AnabolicAndrogenic Steroids), também conhecidos simplesmente como anabolizantes, sãouma classe de hormônios esteróides naturais e sintéticos que promovem ocrescimento celular e a sua divisão, resultando no desenvolvimento de diversos tiposde tecidos, especialmente o muscular e ósseo. São substâncias geralmente derivadasdo hormônio sexual masculino, a testosterona, e podem ser administradasprincipalmente por via oral ou injetável. Atualmente não são utilizados somente poratletas profissionais, mas também por pessoas que desejam uma melhor aparênciaestética, inclusive adolescentes. Os diferentes esteróides androgênicos anabólicostêm combinações variadas de propriedades androgênicas e anabólicas. Anabolismo éo processo metabólico que constrói moléculas maiores a partir de outras menores.Os esteróides anabólicos foram descobertos nos anos 1930 e têm sido usados desdeentão para inúmeros procedimentos médicos incluindo a estimulação do crescimentoósseo, apetite, puberdade e crescimento muscular. Podem também ser usados notratamento de pacientes submetidos a grandes cirurgias ou que tenham
  • sofrido acidentes sérios, situações que em geral acarretam um colapso de proteínasno corpo. O uso mais comum de esteróides anabólicos é para condições crônicasdebilitantes, como o câncer e a AIDS. Os esteróides anabólicos podem produzirinúmeros efeitos fisiológicos incluindo efeitos de virilização, maior síntese protéica,massa muscular, força, apetite e crescimento ósseo. Os esteróides anabolizantestambém têm sido associados a diversos efeitos colaterais quando forem administradosem doses excessivas, e esses efeitos incluem a elevação do colesterol (aumenta osníveis de LDL e diminui os de HDL), acne, pressãosanguínea elevada,hepatotoxicidade, e alterações na morfologia do ventrículoesquerdo do coração.Hoje os esteróides anabólicos são controversos por serem muito difundidos emdiversos esportes e possuírem efeitos colaterais. Enquanto há diversos problemas desaúde associados com o uso excessivo de esteróides anabólicos, também há umavolumosa quantidade de propaganda, "ciência-lixo" e concepções errôneas dapopulação sobre seu uso. Os esteróides anabólicos são controlados em alguns paísesincluindo os Estados Unidos, Canadá e Reino Unido. Estes países possuem leis quecontrolam seu uso e distribuição.Óleos para crescimento localizadoUma atitude que vem espantando médicos e especialistas sobre o assunto é aaplicação localizada de óleos em pequenos grupos musculares. É normal que amaioria dos atletas possuam algum grupo muscular que não acompanhe o ritmo decrescimento dos outros músculos, sendo assim na metade dos anos 1990 Chris Clarkanunciou uma invenção que revolucionaria o mundo da musculação.Sua invenção realmente se tornou a solução para alguns, mas também se tornou umpesadelo para outros. O chamado Synthol é basicamente um óleo que causa umainflamacão no músculo onde é aplicado. Mas não há nenhum processo anabólicoenvolvido, nenhum aumento de força ou energia. Quando se faz uso dessa prática oóleo que entra no músculo causa um grande estrago já que no momento em que entraem contato com as fibras musculares, estas são destruidas e o organismo tem comodefesa cercar esse óleo com tecido adiposo. O óleo fica estagnado no local, formandoum "tumor" no local. [2] No Brasil o Synthol não chegou a ser comercializado, mas foisubstituído pelos conhecidos Potenay, ADE, Ganekyl, óleo mineral, Androgenol entreoutros. As aplicações desses óleos até não são tão graves, mas o exagero começou atomar conta dos usuários desses produtos. As aplicações que antes eram feitasraramente para "corrigir" o tamanho de um determinado músculo se tornaram
  • freqüentes, criando aberrações conhecidas no mundo inteiro como Gregg Valentino,que antigiu o maior perímetro de bíceps, mas também seu corpo se tornou motivo dechacota no mundo inteiro.Mecanismo bioquímicoOs efeitos fisiológicos dos andrógenos como a testosterona ea dihidrotestosterona são vastos e vão desde o desenvolvimento fetal para amanutenção de músculos e massa óssea até a vida adulta incluindo o estimulo deestirões de crescimento na puberdade, indução de crescimento de cabelo, produçãode óleo pelas glândulas sebáceas e sexualidade (especialmente no desenvolvimentofetal).Os esteróides anabolizantes são androgênicos e consequentemente produzem efeitosandrogênicos no corpo. Os andrógenos estimulam a miogênese, que é a formação detecido muscular. Também são conhecidos por causar hipertrofia dos dois tipos (I e II)de fibras musculares, embora o mecanismo de como isso acontece ainda não sejatotalmente compreendido e existem poucos mecanismos aceitos através dos quaisisso pode ocorrer. É amplamente entendido que doses suprafisiológicas detestosterona em homens não-hipogonadais aumenta a densidade do nitrogênio eaumenta a massa magra (muscular) ao mesmo tempo que diminui a gordura,particularmente a abdominal. O aumento na massa muscular é predominantemente damusculatura esquelética e é causado por um aumento na síntese de proteínasmusculares ou possivelmente uma diminuição na quebra de proteínasmusculares.[1] Existem hipóteses[2] de que andrógenos regulam a composição do corpoao promover o compromisso de células mesenquimais pluripotentes em linhagensmiogênicas e inibindo sua diferenciação em linhagens adipogênicas. Entretanto osandrógenos podem também cumprir um papel anticatabólico ao inibir a atrofia dosmúsculos esqueléticos através da ação antiglicocorticóide independente do receptorde andrógeno.[3]Os mecanismos de ação diferem dependendo do esteróide anabólico específico.Diferentes tipos de esteróides anabólicos se ligam ao receptor de andrógeno emdiferentes graus, dependendo de sua fórmula química. Esteróides anabólicos comoa metandrostenolona não reagem fortemente com o receptor de andrógeno, usandoa síntese protéica ouglicogenólise para sua ação, enquanto esteróides comoa oxandrolona reagem fortemente com o receptor de andrógeno.Existem três vias comuns para a administração dos esteróides anabólicos: oral(pílulas), injetável e transdérmico. A administração oral, apesar de ser talvez a maisconveniente, sofre do fato de que os esteróides orais necessitam ser quimicamentemodificados, e seu metabolismo na forma ativa pode forçar o fígado. Os esteróides
  • injetáveis são tipicamente administrados intramuscularmente, para evitar variaçõesbruscas no nível sanguíneo. Finalmente, as administrações transdérmicas via creme,gel ou atadura transdérmica têm se tornado populares nos anos recentes.Efeitos anabólicos e de virilizaçãoOs esteróides androgênicos anabólicos produzem tanto efeitos anabólicos ede virilização (também conhecidos como efeitos androgênicos).A maioria dos esteróides anabólicos funciona de duas maneiras simultâneas. Primeiro,eles funcionam ao se ligar ao receptor andrógeno e aumentando a síntese protéica.Segundo, eles também reduzem o tempo de recuperação ao bloquear os efeitos notecido muscular do hormônio do stress, o cortisol. Como resultado, o catabolismo damassa muscular corpórea é significativamente reduzido.Exemplos dos efeitos anabólicos: Aumento da síntese protéica a partir de aminoácidos. Aumento da massa e força muscular[4][5][6] Aumento do apetite Aumento da remodelagem e crescimento ósseos Estimulação da medula óssea, aumentando a produção de células vermelhas do sangue.Exemplos dos efeitos de virilização/andrógenos: Crescimento do clitóris (hipertrofia clitoriana) em mulheres e do pênis em meninos (o pênis adulto não cresce indefinidamente mesmo quando exposto a altas doses de andrógenos) Aumento dos pêlos sensíveis aos andrógenos (pêlos púbicos, da barba, do peito, e dos membros) Aumento do tamanho das cordas vocais, tornando a voz mais grave Aumento da libido Supressão dos hormônios sexuais endógenos Espermatogênese prejudicadaEfeitos colaterais possivelmente não desejadosMuitos andrógenos são capazes de serem metabolizados em compostos que podeminteragir com outros receptores de hormônios esteróides como os receptores de
  • estrógeno, progesterona e glicocorticóides, produzindo (geralmente) efeitos adicionaisnão desejados: Possível pressão sanguínea elevada Níveis de colesterol –Alguns esteróides podem causar um aumento nos níveis de LDL e diminuição nos de HDL.[7] Isso pode aumentar o risco de ocorrer uma doença cardiovascular[8] ou doença da artéria coronária[9] em homens com alto risto de colesterol ruim. Acne– Devido à estimulação das glândulas sebáceas[10][11] Conversão para DHT (Dihidrotestosterona). Isso pode acelerar ou causar calvície precoce e câncer de próstata. Alteração da morfologia do ventrículo esquerdo – os AAS podem induzir a um alargamento e engrossamento desfavorável do ventrículo esquerdo, que perde suas propriedades de diástole quando sua massa cresce.[12] Entretanto a relação negativa entre a morfologia do ventrículo esquerdo e o déficit das funções cardíacas têm sido discutida.[13] Hepatoxicidade – Causado particularmente por componentes de esteróides anabólicos orais que são 17-alfa-alquilados para que não sejam destruídos pelo sistema digestivo. Crescimento excessivo da gengiva[14]Efeitos colaterais em homens Ginecomastia – Desenvolvimento das mamas nos homens. Geralmente isso ocorre devido a altos níveis de estrogênio circulante. Esses níveis também são resultado da taxa aumentada de conversão de testoterona em estrogênio via enzima aromatase. Função sexual reduzida e infertilidade temporária[15][16][17] Atrofia testicular – Efeito colateral temporário que é devido ao déficit nos níveis de testosterona natural que leva à inibição da espermatogênese. Como a maioria da massa do testículo tem com função o desenvolvimento do espermatozóide, o tamanho dos testículos geralmente retorna ao tamanho natural quando a espermatogênese recomeça, algumas semanas após o uso do esteróide anabólico ser cessado.[18]Efeitos colaterais em mulheres Pêlos do corpo crescem Voz fica mais grave (disfonia vocal)
  •  Aumento do tamanho do clitóris (hipertrofia clitoriana) Diminuição temporária nos ciclos menstruaisEfeitos colaterais em adolescentes Crescimento comprometido – O abuso de agentes pode prematuramente parar o crescimento do comprimento dos ossos (fusão prematura da epífise devido aos altos índices de metabólitos do estrogênio) Maturação óssea acelerada Aumento na freqüência e duração das ereções Desenvolvimento sexual precoce e desenvolvimento extremo das características sexuais secundárias (hipervirilização) Crescimento do falo (hipergonadismo ou megalofalia) Aumento dos pêlos púbicos e do corpo Ligeiro crescimento de barbaHá muito tempo tem sido buscado um esteróide anabólico ideal (um hormôniosomente com efeitos anabólicos, sem efeitos virilizantes). Muitos esteróidesanabólicos sintéticos têm sido desenvolvidos na tentativa de encontrar moléculas queproduzam uma alta taxa anabólica ao invés de efeitos virilizantes. Infelizmente, osesteróides mais efetivos conhecidos para aumento de massa corporal também têm osefeitos androgênicos mais fortes.