Your SlideShare is downloading. ×
3º ano alcoolismo e tabagismo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

3º ano alcoolismo e tabagismo

2,250
views

Published on


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
2,250
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
12
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. ALCOOLISMOO organismo do alcoolista e seu funcionamentoO corpo do alcoolista, quando metaboliza oálcool, funciona de modo diferente se comparadoao dos não alcoolistas. Essa diferença faz comque o alcoolista sinta nos efeitos do álcool umprazer muito maior que os não alcoolistas.Problemas clínicos do alcoolismoA ingestão contínua do álcool desgasta oorganismo ao mesmo tempo em que altera aente. Surgem, então, sintomas quecomprometem a disposição para trabalhar e vivercom bem estar. Essa indisposição prejudica orelacionamento com a família e diminui aprodutividade no trabalho, podendo levar àdesagregação familiar e ao desemprego.Alguns dos problemas mais comuns dadoença sâo:No estômago e intestinoGases: Sensação de "estufamento", nem semprevalorizada pelo médico. Pode ser causada porgastrite, doenças do fígado, do pâncreas, etc.Azia: Muito comum em alcoolistas devido aproblemas no esôfago.Náuseas: São matinais e ás vezes estãoassociadas a tremores. Pode ser consideradosinal precoce da dependência do álcool.
  • 2. Dores abdominais: Muito comum nosalcoolistas que têm lesões no pâncreas e noestômago.Diarréais: Nas intoxicações alcoólicas agudas(porre). Este sintoma é sinal de má absorção dosalimentos e causa desnutrição no indivíduo.Fígado grande: Lesões no fígado decorrentesdo abuso do álcool. Podem causar doençascomo hepatite, cirrose, fibrose, etc.No Sistema Cárdio VascularO uso sistemático do álcool pode ser danoso aotecido do coração e elevar a pressão sangüíneacausando palpitações, falta de ar e dor no tórax.GlândulasAs glândulas são muito sensíveis aos efeitos doálcool, causando sensíveis problemas no seufuncionamento.Impotência e perda da libido O indivíduoalcoolista pode ter atrofiados testículos, queda depêlos além de ginecomastias(mamas crescidas).Sangue O álcool torna o individuo propicio àsinfecções, alterando o quadro de leucócitos eplaquetas, o que torna freqüente as hemorragias.A anemia é bastante comum nos alcoolistas quetêm alterações na série de glóbulos vermelhos, oque pode ser causado por desnutrição (carênciade ácido fólico).Álcool e medicamentosA mistura álcool e tranqüilizantes gera depressãodo sistema nervoso central e traz efeitos danososna maioria dos casos.
  • 3. Características do alcoolismoFique atento aos "sinais de alerta" para adoença:Beber de manhã.Ficar de "pileque" em toda festa que vai.Colocar o álcool como prioridade nos seusinteresses.A percepção dos outros para os excessos[(quando começa a implicar com seus “goles”).O que nos ajuda a detectar o alcoolismo é aperda da liberdade para o ato de beber.O indivíduo começa com a intenção de 2 ou 3"doses"e depois não consegue se controlarInformando: O Brasil detém o 1° lugar do mundo no consumo de destilados cachaça. 0s jovens estão começando a beber cada vez mais cedo. 0 álcool interfere no processo de concentração no trabalho e os alcoolistas estão justamente na faixa de maior produtividade do individuo - entre 25 e 45 anos. 0 alcoolismo é uma doença crônica, incurável e progressiva, que mina o organismo, atacando todos os órgãos. Mas o que também é importante: é controlável. 0 álcool é responsável pela maioria dos acidentes de trânsito, porque altera a
  • 4. percepção do espaço, do tempo e a capacidade de enxergar bem. 0 índice de câncer entre os bebedores é alarmante, quer por ação tópica do próprio álcool sobre as mucosas, quer por conta dos aditivos quíimicos, de ação cancerígena,que entram no processo de fabricação das bebidas. TabagismoO fumo é um importante fator de adoecimento, sendouma das principais causas de morte evitável no mundo.O Ministério da Saúde, através do Instituto Nacional doCâncer/INCA, tem diversas estratégias para reduzir otabagismo em nosso país. Uma delas é estimular,através dos profissionais de saúde e da formação deagentes multiplicadores, a conscientização da populaçãoem geral sobre os danos causados pelo tabaco.A proporção de fumantes em nosso país é deaproximadamente 24%, sendo que os indivíduos denível sócio-econômico mais baixo fumam mais.Paralelamente ao aumento no consumo de cigarrosobservado nos últimos anos, detecta-se também umaelevação da mortalidade por doenças crônico-degenerativas (câncer, hipertensão e diabetes). Torna-se, portanto, fundamental o trabalho de educação emsaúde junto à população, para que haja uma mudançade comportamento no sentido de uma vida maissaudável.O tabagismo é uma doença. Assim sendo, perguntascomo: quanto se fuma no Brasil, quem fuma, qual o tipode cigarro mais fumado pelos brasileiros são
  • 5. fundamentais para se dimensionar nosso problema,dando informações aos programas de saúde pública nopaís.Grande parte dos brasileiros fuma, principalmente oshomens. Cerca de 32,6% da população adulta fuma,sendo 11,2 milhões de mulheres e 16,7 milhões dehomens. Cerca de 90% dos fumantes ficamdependentes da nicotina entre os cinco e os 19 anos deidade. Atualmente, temos 2,4 milhões de fumantesnessa faixa etária.A grande concentração de fumantes encontra-se entre20 e 49 anos de idade. Em todas as faixas etárias, oshomens fumam em maior proporção que as mulheres.No entanto, nas faixas etárias mais jovens, a mulhervem fumando mais, diminuindo-se a relaçãohomem/mulher. Esta tendência é grave, pois asmulheres, além da responsabilidade biológica de gerarfilhos, convivem com eles intensamente até aadolescência, transformando-os em fumantes passivos elevando-os a encarar o ato de fumar como umcomportamento social normal. Sabe-se que nosadolescentes e adultos jovens filhos de pais fumantes hámaior prevalência de tabagistas. O início do tabagismo,nesses casos, seria conseqüência do exemploapresentado pelos pais ou da necessidade orgânicacriada por anos de inalação involuntária da nicotina?Por outro lado, a mulher vem ocupando espaçocrescente no mercado de trabalho, o que a torna, emalguns casos, modelo de comportamento almejado porcrianças, adolescentes e adultos do mesmo sexo. Umaárea dominada pelas mulheres há muito tempo é a daeducação, principalmente primária e secundária. Aprofessora, de maneira geral, abre as portas do mundopara crianças e adolescentes. É fundamental, portanto,
  • 6. que transmita um modelo de vida saudável, livre do uso de drogas.SUBSTÂNCIAS DA FUMAÇA DO CIGARROQuando cigarros industrializados e de fumo-de-rolo,cachimbos e charutos são acesos, algumas substânciassão inaladas pelo fumante e outras se difundem peloambiente. Essas substâncias são nocivas à saúde.Todas as formas de uso do tabaco, inclusive os cigarroscom mentol, filtros especiais, com baixos teores (light,extra-light) etc., têm uma composição semelhante, nãohavendo, portanto, cigarros “saudáveis” ou cachimbos echarutos que façam menos mal. Isso ocorre porque,mesmo escolhendo produtos com menores teores dealcatrão e nicotina, os fumantes acabam compensandoessa redução, fumando mais cigarros por dia e tragandomais freqüente ou profundamente, ou seja, fazendooutras modificações compensatórias em conseqüência dadependência à nicotina Vale ressaltar que a ação das substâncias do cigarro ocorrem não só sobre o fumante, mas também no não- fumante exposto à poluição ambiental causada pelo cigarro. DOENÇAS ASSOCIADAS AO USO DO CIGARRO • Doença coronariana (25%) - Angina e infarto do miocárdio • Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica - D.P.O.C. (85%) - Bronquite e enfisema • Câncer (30%) - Pulmão, boca, laringe, faringe, esôfago, pâncreas, rim, bexiga e colo de útero, estômago e fígado • Doença cerebrovascular (25%) - Derrame cerebral - AVC
  • 7. Outras doenças associadas ao tabagismo -Aterosclerose, tromboangeíte obliterante, hipertensãoarterial, infecções respiratórias, leucemia, catarata,menopausa precoce, disfunção erétil (impotênciasexual), úlcera péptica.Fonte:“Falando sobre Tabagismo”, do Instituto Nacionaldo Câncer (INCA).

×