• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
2º ano glicose e diabetes
 

2º ano glicose e diabetes

on

  • 1,225 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,225
Views on SlideShare
750
Embed Views
475

Actions

Likes
0
Downloads
9
Comments
0

4 Embeds 475

http://tonynovaeduca.blogspot.com.br 297
http://www.tonynovaeduca.blogspot.com.br 176
http://www.blogger.com 1
http://tonynovaeduca.blogspot.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    2º ano glicose e diabetes 2º ano glicose e diabetes Document Transcript

    • GlicoseO nome Glicose veio do grego glykys (γλυκύς), que significa "doce", mais osufixo -ose, indicativo de açúcar. Tem função de fornecedor de energia, participadas vias metabólicas, além de ser precursora de outras importantes moléculas. Éencontrada nas uvas e em vários frutos. Industrialmente é obtida a partir doamido.A habilidade com que um determinado alimento eleva os níveis de glicosesanguínea é conhecida como índice glicêmico (IG). Explicando de outra forma,este índice refere-se à velocidade com que os carboidratos aparecem nacirculação sanguínea. Esta velocidade é variável, visto que nosso corpo nãodigere e absorve os vários tipos de carboidratos da mesma forma.Por exemplo, a glicose contida em alimentos como o pão, a batata e a aveia estáligada a uma série de outras moléculas de glicose, formando o amido. Por isso,nestes alimentos o carboidrato chega à nossa corrente sanguínea vagarosamente,uma vez que o amido precisará ser digerido (quebrado) para poder ser absorvido.Como esta digestão consumirá tempo, caso você necessite de uma fonte decarboidrato rapidamente disponível, alimentos que contenham amido não serão amelhor opção. Já quando consumimos uma bebida cujo principal substratoenergético é a glicose, rapidamente este nutriente aparece em nossa correntesanguínea, estando imediatamente disponível para a atividade física. Isto ocorreporque a glicose nestas bebidas está quase toda em sua forma livre, sem ligaçõesquímicas com outras moléculas, facilitando sua rápida absorção.O entendimento destes fatores pode nos auxiliar a escolher alimentos quefavoreçam a atividade física, através do fornecimento mais ou menos rápido dossubstratos energéticos. Os alimentos com alto índice glicêmico liberam a glicoserapidamente em nossa corrente sanguínea. Quando isso acontece, a insulinatambém é prontamente liberada. Esta situação pode ser positiva ou negativa,dependendo das circunstâncias.Depois do treino, por exemplo, nossos músculos estarão ávidos por glicose, afim de repor suas reserves de glicogênio muscular. Deste modo, uma liberaçãorápida de insulina seria ideal, auxiliando na recuperação pós-atividade. Contudo,em momentos em que a demanda energética é menor, um excesso de açúcar nosangue será convertido em gordura e estocado em nossas células adiposas, o quepara a maioria dos atletas constitui-se em uma condição desvantajosa.Além disso, antes da atividade física, o consumo de alimentos com alto índiceglicêmico pode provocar uma resposta exagerada da insulina, resultando emuma queda brusca da concentração glicídica do sangue, o que poderá acarretarfadiga mental e física, diminuindo o seu rendimento. Isto explica o porquê dealguns atletas relatarem uma melhora no desempenho inicial após o consumo debebidas açucaradas, seguida, contudo, de uma queda na performance após 30 a60 minutos de atividade.Porém, como existe uma variabilidade individual na resposta à insulina, algumaspessoas não experimentam tais efeitos adversos. Assim, qualquer modificaçãoem sua dieta deve ser feita em dias de treinamento, nunca experimentandonovidades ou fazendo trocas de alimentos antes de uma competição.
    • • Quando nós ingerimos uma alta quantidade de glicose, o nosso organismo utiliza o que necessita e o excesso é enviado para o fígado, que transforma a glicose em glicogênio e ela fica armazenada em nosso fígado, aumentando a concentração de glicogênio. Quando o nível de glicogênio fica alto, o fígado começa a quebrar o glicogênio excedente, mandando-o para a corrente sanguínea, aumentando a concentração de glicose no sangue.• Como a concentração de glicose no sangue está alta, automaticamente o pâncreas começa a produzir o hormônio insulina para mandar essa glicose para dentro das células dos músculos para ser transformada em glicogênio. Se a concentração de glicose no sangue continuar em excesso, o organismo começa a converter a glicose em triglicérides, que serão armazenados na forma de gordura. O fato de uma pessoa sempre consumir alimentos ricos em glicose pode fazer com que ela fique obesa. Com estas informações em mente vamos à parte prática: As melhores fontes de carboidratos a serem utilizadas antes de treinos longos parecem ser aquelas com baixo índice glicêmico. Para os indivíduos que tem dificuldade de se alimentar antes das provas ou treinos, devido a desconforto gástrico, falta de apetite, ou nervosismo, uma solução pode ser o uso de suplementos contendo carboidratos de absorção lenta, como a maltodextrina. Este suplemento apresenta ainda, como vantagens, o baixo custo, a facilidade de diluição e o sabor agradável.
    • Diabetes O Diabetes é uma síndrome metabólica de origem múltipla, decorrente da falta de insulina e/ou da incapacidade de a insulina exercer adequadamente seus efeitos. A insulina é produzida pelo pâncreas e é responsável pela manutenção do metabolismo da glicose. A falta desse hormônio provoca déficit na metabolização da glicose e, consequentemente, diabetes. Caracteriza-se por altas taxas de açúcar no sangue (hiperglicemia) de forma permanente. Tipos de Diabetes: Tipo 1: causado pela destruição das células produtoras de insulina, em decorrência de defeito do sistema imunológico em que os anticorpos atacam as células que produzem a esse hormônio. Tipo 2: resulta da resistência à insulina e de deficiência na secreção de insulina. Diabetes Gestacional: é a diminuição da tolerância à glicose, diagnosticada pela primeira vez na gestação, podendo - ou não - persistir após o parto. Outros tipos: são decorrentes de defeitos genéticos associados a outras doenças ou ao uso de medicamentos. Sintomas de Diabetes: • Vontade de urinar diversas vezes • Fome freqüente • Sede constante • Perda de peso • Fraqueza • Fadiga • Nervosismo • Mudanças de humor • Náusea e vômito. • Infecções freqüentes • Alteração visual (visão embaçada) • Dificuldade na cicatrização de feridas • Formigamento nos pés e furúnculosTratamento de Diabetes:O tratamento correto do diabetes significa manter uma vidasaudável, evitando diversas complicações que surgem em consequência do mau controleda glicemia.Complicações possíveis: • Dores locais e desequilíbrio • Enfraquecimento muscular • Traumatismo dos pêlos • Pressão baixa • Distúrbios digestivos Pacientes com diabetes devem ser orientados a: • - Realizar exame diário dos pés para evitar o aparecimento de lesões • - Manter uma alimentação saudável
    • • - Utilizar os medicamentos prescritos • - Praticar atividades físicas • - Manter um bom controle da glicemia, seguindo corretamente as orientações médicas. Prevenção Pacientes com história familiar de diabetes devem ser orientados a: • Manter o peso normal • Não fumar • Controlar a pressão arterial • Evitar medicamentos que potencialmente possam agredir o pâncreas • Praticar atividade física regularMexa-sePraticar uma atividade física é muito importante no controle do diabetes, isso porque,além de ajudar a manter o peso, ela traz diversos benefícios, como aumento da ação dainsulina e diminuição da glicose.Converse com o seu médico sobre seus objetivos e planos. Peça para fazer umaavaliação médica e nutricional. Após essa etapa será preciso uma avaliação física, a serrealizada com por um professor de Educação Física. Após esses procedimentos, quedevem ser feitos por todo mundo (não só as pessoas com diabetes), você deveráescolher a atividade que mais lhe agrada. Isso porque praticar exercícios não pode seruma tortura e, sim, um prazer. A atividade física, além dos benefícios para o corpo esaúde, é um anti-stress.É importante definir um objetivo a ser alcançado. Quando estiver cansado oudesmotivado pense no seu objetivo, na sua saúde, no seu bem estar. Não deixe se abater.Vá praticar sua atividade física mesmo quando não estiver muito animado. É importantecumprir tudo o que foi planejado.Enfim, é possível viver como qualquer outra pessoa, mas é preciso ter todos os cuidadosque o diabetes exige.A Atividade IdealApós realizar os exames médicos e a avaliação física, é hora de escolher o seu exercício.Mas antes é preciso fazer algumas considerações sobre as modalidades de atividadefísica que a pessoa com diabetes pode realizar.A escolha da atividade deve levar em consideração alguns princípios:  Ser predominantemente aeróbica, ou seja, deve utilizar oxigênio em suas reações e favorecer a queima de glicose e gordura para fornecimento de energia;
    •  Não deve oferecer riscos desnecessários ao praticante, nem colocá-lo em situações onde o socorro não seja possível;  Deve levar em consideração as limitações físicas e/ou alterações que comprometam o controle glicêmico.Com base nessas informações, as modalidades mais aconselháveis são: caminhada,corrida, natação, ginástica aeróbica de baixo impacto, hidroginástica, ciclismo, dançaetc.Atividades DesaconselhadasAs atividades não aconselhadas basicamente se resumem àquelas que contribuem paraexacerbação de algum problema pré-existente ou que seja inseguro no controleglicêmico. Entre elas, temos:  Exercícios que proporcionem lesões nos pés daqueles que têm neuropatia ou alteração vascular periférica, como correr, saltar etc;  Esportes de contato, como boxe e algumas lutas marciais, quando a pessoa tiver retinopatia;  Praticamente toda modalidade esportiva caso a pessoa apresente retinopatia proliferada não estacionada, pois o exercício, muito provavelmente, incorrerá em hemorragia retiniana, com sérios danos à visão;  Problemas cardíacos desaconselham qualquer atividade sem controle rigoroso e acompanhamento minucioso de seu médico. Há aquelas atividades que, apesar de não serem totalmente desaconselhadas para os jovens com pouco tempo de diabetes, necessitam de rigoroso acompanhamento glicêmico, como: maratona, alpinismo, mergulho em profundidade, competições em geral, halterofilismo etc. Assim, cabe a você, com a concordância de seu médico e/ou professor, escolher a modalidade que melhor lhe agrade, desde que tenha como principais objetivos sua saúde e bem estar. Aconselhamos como modalidades ideais: caminhada, tênis, natação, ciclismo, hidroginástica e todas as atividades que possam ser realizadas em um ritmo natural e de forma contínua, onde o prazer e a ludicidade predominem sobre a competição.Freqüência da Atividade FísicaA freqüência da atividade física diz respeito ao número de dias por semana que a pessoase exercita. No caso específico de indivíduos com diabetes, recomenda-se o mínimo detrês dias intercalados por semana, sendo o ideal todos os dias e, de preferência, nomesmo horário. As justificativas são:
    •  Exercício aumenta a sensibilidade celular à insulina por dois ou três dias, especialmente útil nos diabéticos tipo 2. Após este período este fenômeno retorna aos índices anteriores;Nas pessoas com diabetes tipo 1 esta regularidade permite maior controle glicêmico, nos dias de atividade física ou não. Tanto para diminuição da massa gorda quanto para o aumento da massa muscular, o organismo necessita deste tempo mínimo de atividade. Menor freqüência por semana não possibilita resultados eficientes;  Atividades realizadas esporadicamente favorecem descompensações glicêmicas, particularmente nos diabéticos tipo 1 e, conseqüentemente, dificuldade no manejo do medicamente, aumentando o risco de hipoglicemias e hiperglicemia;  Os benefícios tardios, isto é, diminuição dos riscos de doenças coronarianas, diminuição da gordura corporal, melhora do sistema cardiovascular, entre outros, só começam a aparecer após três ou quatro semanas de atividade física ininterruptas com a freqüência prescrita.A palavra-chave é consistência. Exercícios físicos devem fazer parte do dia-a-dia dapessoa com diabetes, como alimentar-se adequadamente, respeitando horário e consumocalórico.Com relação ao horário para a prática da atividade física, alguns pontos devem serconsiderados:Exercitar-se no horário de pico da insulina e/ou do hipoglicemiante oral aumenta aprobabilidade de hipoglicemias durante o exercício. A variedade de terapiasmedicamentosas expõe o sujeito a diferentes horários de maior ação do medicamento, oque contribui a horários de maior ou menor possibilidade de ocorrência destashipoglicemias durante ou após a atividade. Conversar com o médico responsável é aatitude coerente e mais adequada de estabelecer o melhor horário para exercitar-se;Atividade física no final da tarde predispõe a pessoa com diabetes tipo 1 ou em uso dehipoglicemiantes orais à hipoglicemias durante a noite.Intensidade da Atividade FísicaA intensidade da atividade física é a quantidade de esforço a que o organismo ésubmetido na realização de uma tarefa. Quanto mais intensa uma atividade (seja emvelocidade ou força), mais anaeróbio o metabolismo energético se torna. Assim como aduração do exercício, a intensidade também influencia na variação da glicemia, paracima ou para baixo. Recomenda-se, portanto, uma variação entre 50% e 85% dafreqüência cardíaca máxima, estabelecida na avaliação cineantropométrica. Intensidadesinferiores a 50% proporcionam pouco benefício à pessoa com diabetes e intensidadessuperiores a 85% creditam risco potencial e indesejado.Por isso, esportes competitivos precisam ser acompanhados de rigorosas avaliaçõesglicêmicas e exames rotineiros mais freqüentes.Atividades de alta intensidade realizadas em horários variados predispõem e contribuempara um mau controle da glicemia.
    • Os exercícios de força, comuns em halterofilistas e em certas fases do trabalho muscularem esportes de competição, também são potencialmente prejudiciais. Eles favorecem aelevação da pressão intraocular, propiciando hemorragias retinianas em pessoas comdiabetes com retinopatia diabética proliferativa e, em alguns casos, de retinopatiadiabética não proliferativa.Baixo nível de glicose no sangue O nível de glicose pode cair quando os medicamentos, a alimentação e as atividades físicas não estiverem equilibradas. Isso pode ocorrer quando a alimentação não foi suficiente ou a refeição não foi feita na hora certa, ou mesmo quando se praticam muitos exercícios. A baixa taxa de glicose no sangue pode ocasionar tremores, sono e cansaço, suores, instabilidade ou estado de confusão, fome, tonturas ou má coordenação motora, inquietação durante o sono noturno. Na ocorrência de um desses sintomas, faça um teste de glicemia o mais rápido possível. Confirmada a baixa taxa de glícose, você deve ingerir alimentos ou açúcar de ação rápida, como 115 a 170 ml de suco de frutas ou refrigerante, 10 a 15 gramas de açúcar (3 colheres de chá, mel ou açúcar), ou um pedaço de chocolate. Você também pode comer quatro bolachas, metade de um sanduíche ou outro alimento compatível. Após 15 minutos, faça novo teste de sangue e, se persistir a taxa baixa, beba ou coma mais alimentos com açúcar de ação rápida. Essa ocorrência deve ser registrada no diário de anotações. A identificação dos motivos que levaram à queda do nível de açúcar - atividade física, alimentação insuficiente, qualidade imprópria da alimentação - pode auxiliar em situações futuras. É sempre importante buscar regularmente orientação médica. As dosagens de insulina ou outra medicação estão sujeitas a alteração. Tudo isso ajuda a evitar grandes alterações no nível de glicose no sangue. Se houver repetição da queda de glicose no sangue, é possível alterar os exercícios físicos ou a alimentação para resolver o problema. Quando houver sinal de queda e não for possível fazer um exame de sangue imediatamente, beba ou coma algum alimento. Não espere por um tratamento porque o diabético corre o risco de desmaiar . Explique os sintomas da queda da taxa de glicose aos familiares e amigos, e ensine a eles sobre como lidar com esse episódio, onde ficam guardados os suprimentos e quais são os telefones de emergência. No caso de haver perda de consciência, familiares e amigos não devem tentar fazer com que você ingira líquidos ou outros alimentos. Oriente-os para que esfreguem açúcar na parte de dentro da bochecha.
    • Nunca dirija se você estiver apresentando tais sintomas, a não ser que o faça depois de medir o nível do açúcar no sangue. Em longas viagens, por sinal, esse teste deve ser feito diversas vezes. Por garantia, leve na bagagem refrigerante, suco de fruta, chocolate, bombons, bolachas ou doces.A melhor maneira para controlar o nível de glicose no sangueUma das melhores maneiras de saber como controlar o diabetes é medir o nível deglicose no sangue. Normalmente isso é feito colocando-se uma gota de sangue sobreuma fita especial que é lida em um medidor.Outra maneira é com a realização de um exame de urina. Nesse caso, ele indica se háglicose na sua urina, mas não informa qual a glicemia sangüínea. Esse exame tambémacusa se há cetonas na urina. Em caso positivo, procure um médico imediatamente.Dica importanteÉ aconselhável que você anote todos os dias em um diário ou em uma folha os seguintesdados: os níveis de glicose no sangue e na urina, o que se comeu, os exercícios feitos eos medicamentos utilizados.O ideal é fazer as anotações logo após cada situação, para não esquecer todos osdetalhes.Registre as ocorrências especiais. Por exemplo, alguns alimentos podem fazer o nível deglicose subir, enquanto exercícios podem ter o efeito contrário.