1º ano. prova mensal 2º bim. drogas
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

1º ano. prova mensal 2º bim. drogas

on

  • 2,265 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,265
Views on SlideShare
1,797
Embed Views
468

Actions

Likes
0
Downloads
6
Comments
0

5 Embeds 468

http://tonynovaeduca.blogspot.com.br 327
http://www.tonynovaeduca.blogspot.com.br 136
http://tonynovaeduca.blogspot.com 3
http://www.blogger.com 1
http://www.tonynovaeduca.blogspot.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

1º ano. prova mensal 2º bim. drogas Document Transcript

  • 1. Droga Cocaína.Droga (do francês drogue, provavelmente do neerlandês droog, "seco, coisa seca"),narcótico, entorpecente ou estupefaciente são termos que denominam substânciasquímicas que produzem alterações dos sentidos.Droga, em seu sentido original, é um termo que abrange uma grande quantidade desubstâncias, que pode ir desde o carvão à aspirina. Contudo, há um uso corrente maisrestritivo do termo (surgido após quase um século de repressão ao uso de certassubstâncias), remetendo a qualquer produto alucinógeno (ácido lisérgico, mescalinaetc.) que leve à dependência química e, por extensão, a qualquer substância ou produtotóxico (tal como o fumo, álcool etc.) de uso excessivo, sendo um sinônimo assim paraentorpecentes.Índice[esconder] 1 Conceito 2 Tipos de drogas 3 Uso de drogas 4 Ver também 5 Ligações externas 6 BibliografiaConceitoDroga é toda e qualquer substância, natural ou sintética que introduzida no organismomodifica suas funções. As drogas naturais são obtidas através de determinadas plantas,de animais e de alguns minerais. Exemplo a cafeína (do café), a nicotina (presente notabaco), o ópio (na papoula) e o THC ou tetrahidrocanabinol (da cannabis). As drogas
  • 2. sintéticas são fabricadas em laboratório, exigindo para isso técnicas especiais. O termodroga, presta-se a várias interpretações, mas ao senso comum é uma substânciaproibida, de uso ilegal e nocivo ao indivíduo, modificando-lhe as funções, as sensações,o humor e o comportamento.No Brasil, a legislação define como droga "as substâncias ou produtos capazes decausar dependência, assim especificados em lei ou relacionados em listas atualizadasperiodicamente pelo Poder Executivo da União" segundo o parágrafo único do art. 1.ºda Lei n.º 11.343, de 23 de agosto de 2006 (Lei de Drogas). Isto significa dizer que asnormas penais que tratam do usuário, do dependente e do traficante são consideradasnormas penais em branco. Atualmente, no Brasil, são consideradas drogas todos osprodutos e substâncias listados na Portaria n.º SVS/MS 344/98.Tipos de drogasO termo droga envolve os analgésicos, estimulantes, alucinógenos, tranquilizantes ebarbitúricos, além do álcool e substâncias voláteis. As psicotrópicas são as drogas quetem tropismo e afetam o Sistema Nervoso Central, modificando as atividades psíquicase o comportamento.Quanto ao tipo de efeito no sistema nervoso podem ser classificadas como: Depressora (psicodislépticas)- diminuem a atividade do sistema nervoso atuando em receptores (neurotransmissores) específicos. Exemplos: álcool, barbitúricos, diluentes, quetamina, cloreto de etila ou lança perfume, clorofórmio, ópio, morfina, heroína, e inalantes em geral (cola de sapateiro, etc). Psicodistropticas ou psicodislépticas (drogas perturbadoras/modificadoras) – têm por característica principal a despersonalização ou modificação da percepção (daí o termo alucinógeno para sua designação) em maior ou menor grau. Exemplos cogumelos, LSD, maconha, MDMA ou ecstasy e o DMT. Psicolépticas ou estimulantes - produzem aumento da atividade pulmonar (ação adrenérgica), diminuem a fadiga, aumentam a percepção ficando os demais sentidos ativados. Exemplos: cocaína, crack, cafeína, teobromina (presentes em chocolates), GHB, metanfetamina, anfetaminas (bolinha, arrebite) etc.Essas drogas podem ser absorvidas de várias formas: por injeção, por inalação, via oralou injeção intravenosa.Quanto à forma de produção classificam-se como: Naturais Semi-sintéticas Sintéticas
  • 3. Uso de drogasÉ comum distinguir o abuso do uso de drogas (dependência) de seu consumo normal(experimental, ou já em fase de risco de dependência). Esta classificação refere-se àquantidade e periodicidade em que ela é usada. Outra classificação, se refere ao uso dasdrogas em desvio de seu uso habitual, como por exemplo o uso de cola, gasolina,benzina, éter, dentre outras substâncias químicas. Os usuários podem ser classificados,segundo CID 10 rev., em: experimentador, usuário ocasional, habitual e dependente. Amaioria dos consumidores de drogas parecem ver além do comum em objetos, gestos ouaté mesmo no vazio, daí a utilização os termos despersonalização, alucinação ousintomas paranóicos e psicóticos na descrição dos seus efeitos. Tendem a seremaparentemente mais pensativos e extrovertidos ou mais isolados e agressivos a dependerdo tipo de droga utilizada, contexto de utilização e personalidade do usuário/experimentador.A dependência de drogas está relacionada tanto ao prazer farmacológico produzido,usualmente designado como euforia, sensação de bem estar, estimulação ouentorpecimento (analgesia) como à compreensão deformada de seus efeitos colateraisnocivos (tóxicos) ao organismo, além dos mecanismos químicos ou crise de abstinênciainduzidos pela ausência da substância após período de uso continuado. Entre os efeitoscolaterais do consumo de sobrestâncias ilícitas devem ser incluídos o risco de agressão,roubo, consumo de aditivos nocivos decorrentes da aquisição das drogas no mercadonegro bem com a sujeição à violência policial e rigores da legislação anti-drogas.A expressão "fuga da realidade" com a qual já foi descrito a sensação de bem estar ouprazer farmacológico pode ser atribuída à Sigmund Freud (1856-1939) que em 1930escreveu: O serviço prestado pelos veículos intoxicantes na luta pela felicidade e no afastamento da desgraça é tão altamente apreciado como um benefício, que tanto indivíduos quanto povos lhes concederam um lugar permanente na economia de sua libido. Devemos a tais veículos não só a produção imediata de prazer, mas também um grau altamente desejado de independência do mundo externo, pois sabe-se que, com o auxílio desse ‘amortecedor de preocupações’, é possível, em qualquer ocasião, afastar-se da pressão da realidade e encontrar refúgio num mundo próprio, com melhores condições de sensibilidade. Sabe-se igualmente que é exatamente essa propriedade dos intoxicantes que determina o seu perigo e a sua capacidade de causar danos. São responsáveis, em certas circunstâncias, pelo desperdício de uma grande quota de energia que poderia ser empregada para o aperfeiçoamento do destino humano. Freud, S. O mal estar na civilização, 1930 v. XXI. RJ, Ed Standard das Obras Completas de S Freud, 2006
  • 4. Boa-noite, CinderelaBoa-noite, Cinderela pode se referir a um crime que consiste em drogar uma vítimapara roubá-la ou estuprá-la,[1] ou às drogas usadas para executar este crime.[2]As drogas que costumam ser usadas no golpe são: GHB (ácido gama-hidroxibutírico) [1][2] Ketamina (Special K) [1] Rohypnol (Flunitrazepam) [1] Ecstasy [2]Também são conhecidas como "rape drugs" (em português: "drogas de estupro"[1]). Emcomum essas drogas apresentam um efeito depressor sobre o sistema nervoso central,principalmente quando combinadas com o álcool, que tem efeito similar.O nome tem origem no uso dessas drogas para dopar vítimas em potencial de assalto ouabuso. Algumas vezes há lacunas de memória dos eventos no período de intoxicação. Oefeito pode durar até três dias e trazer inclusive risco de morte por desidratação ouintoxicação.O crime praticado com a utilização de tais drogas caracteriza-se como sequestro, crimehediondo, com o agravante de expor a vítima ao risco de morte e incapacitaçãopermanente por coma prolongado e distúrbios psicológicos pós traumáticos.Face à natureza dos maus-tratos ou da agressão de detenção e grave sofrimento físico oumoral do seqüestro a pena é reclusão do criminoso por dois a oito anos acrescida daspenalidades de estupro que são de 6 a 10 anos de reclusão, aumentando para 8-12 anosse há lesão corporal da vítima ou se a vítima possui entre 14 a 18 anos de idade, e para12 a 30 anos, se a conduta resulta em morte.Em alguns países os praticantes de crimes sexuais são devidamente identificados embancos de DNA e outras características biológicas, obrigados a freqüentar sessões detratamento psicológico/ psiquiátrico sendo também obrigatório informar as autoridadespoliciais da comunidade onde reside a sua liberdade após cumprimento da pena.Obs.: Boa-Noite, Cinderela era um quadro do programa de TV de domingo doPrograma Silvio Santos, nos anos 70.[3]
  • 5. Efeitos da maconha à saúdeMaconha.Dentre a relação da maconha e a saúde humana, há vários efeitos positivos enegativos que podem variar de acordo com a condição psicológica de cada usuário e ouso ou abuso da droga. No entanto, os pesquisadores, divergem quanto a nocividade eutilização medicinal[1]O tetrahidrocanabinol (THC) é o principal responsável pelos efeitos psíquicos da drogano organismo, sendo bastante lipossolúvel. Metabolizado no fígado, é bio-transformadaem um metabólito mais potente que o THC.[2]Índice[esconder] 1 Efeitos fisiológicos típicos o 1.1 Positivos o 1.2 Negativos o 1.3 Variantes 2 Ação da Cannabis sativa e Cannabis indica no sistema nervoso central o 2.1 Efeitos a curto prazo o 2.2 Sistema límbico e circuito de recompensa cerebral o 2.3 Gravidez o 2.4 Dependência o 2.5 Overdose o 2.6 Impacto na memória de curto prazo o 2.7 Danos cerebrais o 2.8 Sistema reprodutor 3 Forma de uso 4 Problemas respiratórios o 4.1 Risco de câncer no pulmão 5 Referências
  • 6. Efeitos fisiológicos típicosPositivosA maconha é um remédio leve e de toxicidade aguda baixa. Há relatos de sucesso notratamento de depressão e insônia, casos em que os remédios disponíveis no mercado,embora sejam mais eficientes, são também bem mais agressivos e têm maior potencialde dependência.[3] Alguns efeitos podem incluir, euforia leve, sensação de bem-estar,relaxamento e redução de estresse, letargia, introspecção[carece de fontes], aumento dapercepção sensorial tátil, aumento da libido.[carece de fontes]Estudos recentes, comprovam que o THC, principal componente psicoativo daCannabis, destrói células cancerígenas, o THC induz as células cancerígenas aproduzirem uma substância gordurosa chamada "ceramida", a qual faz com que a célulacancerosa "devore a si mesma". Outro experimento atestou que o vírus SIV, variante doHIV em macacos, teve seu avanço freado, sua carga viral e replicação reduzidas, aprovável tão esperada cura da AIDS, no entanto, empecilhos legais em diversas áreas domundo, travam o progresso da humanidade terrestre.[4][5]Incluem-se, em uso medicinal, a redução da pressão intraocular[carece de fontes],aumento de apetite e efeito antiemético, tratamento da esclerose amiotrófica e traumaraquimedular[carece de fontes], bem como qualquer enfermidade onde haja uma dorcrônica.[carece de fontes]Dois psiquiatras brasileiros, Dartiu Xavier e Eliseu Labigalini, fizeram uma experiênciainteressante. Incentivaram dependentes de crack a fumar maconha no processo de largaro vício. Resultado: 68% deles abandonaram o crack e, depois, pararam espontaneamentecom a maconha, um índice altíssimo. Segundo eles, a maconha é um remédio feito sobmedida para combater a dependência de crack e cocaína, porque estimula o apetite ecombate a ansiedade, dois problemas sérios para cocainômanos. Dartiu e Eliseupretendem continuar as pesquisas, mas estão com problemas para conseguirfinanciamento - dificilmente um órgão público investirá num trabalho que aposte nosbenefícios da maconha.[6]NegativosMuitas pessoas tem seu primeiro surto psicótico após o uso de maconha.[7] Usuários demaconha tem duas vezes mais chance de desenvolvem psicose (mas somente se tiverempredisposição genética [8]), sendo o risco maior quanto maior a dose e o tempo de uso.[9]
  • 7. Alguns dos problemas de saúde associados com o uso de maconha são: Psicoses (como esquizofrenia);[10] Surto psicótico;[11] Problemas de memória;[12] Problemas de aprendizado;[13] Xerostomia, Sonolência e problemas na coordenação motora (Durante e por algumas horas após o uso); Ansiedade, depressão maior, distimia, apatia;[14][15] Síndrome amotivacional (problemas de atenção e motivação) e queda em 50-60% dos níveis de testosterona. [16] Alzheimer;[17] Câncer de pulmão;[18] Câncer de laringe [19] Carcinoma espinocelular bucal (versão agressiva do câncer de boca, comum em fumantes) [20] Câncer de testículo (mais comum entre os 15 e os 34 anos) [21] Disfunção sexual (quatro vezes mais chance de ejaculação precoce ou anorgasmia)[22]