Your SlideShare is downloading. ×
0
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Prótese  fixa inter relação com periodontia 2011
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Prótese fixa inter relação com periodontia 2011

10,220

Published on

Aula expositiva da Prof. Penha Siqueira de Assis da disciplina de PPF do curso de odontologia na Univale - Universidade Vale do Rio Doce.

Aula expositiva da Prof. Penha Siqueira de Assis da disciplina de PPF do curso de odontologia na Univale - Universidade Vale do Rio Doce.

Published in: Education
0 Comments
16 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
10,220
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
16
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. PRÓTESE PARCIAL FIXA II 6º PERÍODO 2009
  • 2. <ul><li>Passei a vida tentando consertar os erros, na ânsia de acertar. </li></ul><ul><li>Clarisse Lispector </li></ul>
  • 3. <ul><li>INTER RELAÇÃO ENTRE A PRÓTESE E A PERIODONTIA </li></ul>
  • 4. Prótese “ Se não houver ciência antes da arte estamos fazendo iatrogenia”. Zanetti,A.L (1989)
  • 5. INTRODUÇÃO <ul><li>O sucesso de uma prótese não é medido apenas no ato de cimentação , e sim ao longo do tempo, por estar integrada e em harmonia com a estética, os tecidos pulpares, os tecidos periodontais, os músculos e ATM. </li></ul>
  • 6.  
  • 7. O término cervical do preparo deve ser bem definido, coerente ao tipo do material empregado e com bom acabamento. Coroa provisória bem adaptada e com contornos corretos. Presença de saúde periodontal PEGORARO, L. F. 1999
  • 8. INTRODUÇÃO
  • 9. INTRODUÇÃO <ul><li>O C.D tem o compromisso restabelecer a saúde no seu sentido mais amplo de estética e função. </li></ul><ul><li>O paciente é co- responsável pela manutenção de sua saúde bucal </li></ul>
  • 10. INTRODUÇÃO <ul><li>Chiapinotto et al 1989 afirmam que é inquestionável que a saúde periodontal deva ser restabelecida antes de qualquer procedimento restaurador </li></ul><ul><li>Restabelecer a saúde periodontal , prévia, não é suficiente para manter o paciente livre da doença, por isso deve-se manter um controle profissional continuado. </li></ul>
  • 11. INTRODUÇÃO
  • 12. INTRODUÇÃO
  • 13.  
  • 14. INTRODUÇÃO <ul><li>A qualidade da restauração protética se avalia pela : </li></ul><ul><li>- Grau de justeza </li></ul><ul><li>- Contornos e textura </li></ul><ul><li>Quesitos oclusais </li></ul><ul><li>Independente do material utilizado. </li></ul>
  • 15. LIMITE CERVICAL <ul><li>Evidencias científicas mostram as limitações na promoção da saúde periodontal , quando o limite cervical das restaurações protéticas estão em contato com os tecidos gengivais. </li></ul>
  • 16. <ul><li>Margem Cervical </li></ul><ul><li>O ideal periodontal é que as margens protéticas não sejam colocadas em contato gengival. </li></ul><ul><li>Quando necessário seja num limite apical que o paciente possa facilmente controlar a placa bacteriana – até 0,5mm subgengival. </li></ul>
  • 17. LIMITE CERVICAL <ul><ul><li>Nas restaurações subgengivais com muita freqüências observa-se inflamação gengival, placa bacteriana e formação de bolsas periodontais . </li></ul></ul>
  • 18. LIMITE CERVICAL DAS RESTAURAÇÕES PROTÉTICAS <ul><li>Limite cervical das restaurações protéticas relaciona com: </li></ul><ul><li>Fatores estéticos: afim de esconder a linha de junção. </li></ul><ul><li>Fatores mecanicos :1 - aumento de retenção de dentes curtos ou parcialmente destruídos </li></ul><ul><li>2- presença de cárie, 3 - erosões, 4- fraturas, </li></ul><ul><li>5- sensibilidade dentinária . </li></ul>
  • 19. <ul><li>1-Esmalte </li></ul><ul><li>2 - Epitélio sulcular </li></ul><ul><li>3 - Epitélio juncional (aderido a superfície do dente) </li></ul><ul><li>4 - Sulco Gengival histológico </li></ul>Sulco Gengival histológico LINHA DE JUNÇÃO PREPARO-PRÓTESE
  • 20. LINHA DE JUNÇÃO PREPARO-PRÓTESE <ul><li>Quando a parede do dente dá lugar a materiais restauradores, facilita a formação de placa. </li></ul>
  • 21. <ul><li>A formação de placa ocorre devido a: </li></ul><ul><li>falta de um bom vedamento marginal na junção terminal </li></ul><ul><li>Aspereza da superfície dos materiais restauradores </li></ul>
  • 22. <ul><li>Adaptação </li></ul><ul><li>A solução de continuidade é preenchida inicialmente por cimento , este cimento é solúvel ao meio bucal, com sua dissolução, aumenta o espaço livre, facilitando a colonização de bactérias. </li></ul><ul><li>Uma superfície com alto polimento com bom vedamento cervical , o epitélio juncional poderia se aderir a superfície . </li></ul>
  • 23. <ul><li>- Dos aspectos clínicos e laboratoriais </li></ul><ul><li>- O emprego de técnica e materiais corretos. </li></ul><ul><li>- Qualidade do preparo, </li></ul><ul><li>Nitidez nas moldagens </li></ul><ul><li>- Troqueis com precisão. </li></ul><ul><li>De maneira geral resinas, metais e porcelanas são biocompatíveis , sem risco de serem predisponente de doenças periodontais “quando” altamente polida . </li></ul>Adaptação vai depender :
  • 24. <ul><li>Preparos sub-gengivais: </li></ul><ul><li>-Existem maiores riscos de distorções no ajuste da restauração. </li></ul><ul><li>-Torna-se difícil obter uma linha de terminação definida e polida. </li></ul><ul><li>- Dificuldade na adaptação da prótese provisória . </li></ul><ul><li>- A moldagem vai necessitar de manobras específicas de afastamento gengival </li></ul>
  • 25. Margem Cervical
  • 26. DIMENSÕES FISIÓLÓGICAS DO PERIODONTO DE PROTEÇÃO <ul><li>Para que promova um periodonto saudável, </li></ul><ul><li>- a margem cervical deve estar localizada nos limites compatíveis do controle de placa, </li></ul><ul><li>- respeite as dimensões fisiológicas do periodonto de proteção . </li></ul>
  • 27. <ul><li>Espaço biológico: </li></ul><ul><li>é a distância compreendida entre a base do sulco histológico e a crista alveolar, constituído pelo epitélio juncional e inserção conjuntiva. </li></ul>
  • 28. <ul><li>A - Para se preservar a saúde periodontal deve se respeitar o espaço biológico. </li></ul><ul><li>B - Para isso, o ideal é que haja em torno de 3mm de estrutura dental sadia coronalmente a crista alveolar nos preparos protéticos. </li></ul>A B
  • 29. <ul><li>A agressão ao epitélio juncional, e as fibras supracrestais , que constitui barreira à infecção , provoca inflamação gengival , que vai permanecer pós confecção da prótese, causando danos irreversíveis ao periodonto, com formação de bolsa periodontal e migração do epitélio juncional </li></ul>
  • 30.  
  • 31. <ul><li>Os métodos para restabelecer as dimensões fisiológicas do periodonto, usualmente empregados são: </li></ul><ul><li>-Tração ortodôntica; </li></ul><ul><li>- Cirurgias, através do aumento da coroa clínica; </li></ul>
  • 32. <ul><li>TRAÇÃO ORTODÔNTICA </li></ul><ul><li>INDICAÇÃO: </li></ul><ul><li>Nos casos em o procedimento cirúrgico de aumento de coroa clinica resulte em deformidade estética , particularmente em dentes anteriores ; </li></ul><ul><li>Nos casos onde poderá causar sacrifício de osso suporte em dentes adjacentes não envolvidos. </li></ul>
  • 33. Tração ortodôntica
  • 34. Tração ortodôntica
  • 35. Tração ortodôntica
  • 36. <ul><li>Cirurgias, para aumento da coroa clínica </li></ul><ul><li>1 - Técnica de retalho total com osteotomia. </li></ul><ul><li>2 - Cunha distal = aumento de coroa clinica que não requer acesso ao osso alveolar. </li></ul><ul><li>As técnicas mais utilizadas : gengivectomia, retalho total, </li></ul><ul><li>retalho dividido, retalho reposicionado apicalmente. </li></ul>
  • 37. Aumento de coroa clínica com osteotomia
  • 38.  
  • 39.  
  • 40.  
  • 41.  
  • 42.  
  • 43. Aumento de coroa clínica sem osteotomia
  • 44.  
  • 45. OBRIGADA Não te detenha no mal que por ventura fizeste; caminhe no bem que possa fazer.

×