• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Aula américa latina_30-11-2012
 

Aula américa latina_30-11-2012

on

  • 595 views

 

Statistics

Views

Total Views
595
Views on SlideShare
595
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
34
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Aula américa latina_30-11-2012 Aula américa latina_30-11-2012 Presentation Transcript

    •  INTRODUÇÃO  MÉXICO - Demografia - Economia - Nafta e EZLN - Guerra ao Narcotráfico e política  AMÉRICA CENTRAL - Países da América Central e Caribe - Aspectos gerais (América do Sul na próxima aula)
    • • Do ponto de vista étnico-linguístico, consideramos que as Américas são divididas em apenas 2 partes: • América Anglo-Saxônica • América Latina • A América Anglo-Saxônica é composta por Estados Unidos e Canadá. • A América Latina é composta por México, América Central e América do Sul.
    • • A América Latina se constitui de um conjunto de países do continente americano que apresentam como traço comum a herança cultural dos países latinos da Europa, a saber: * Portugal * Espanha * França * Itália • Como sabemos, a imensa maioria dos países da América Latina possui herança linguística de Portugal e da Espanha. Alguns poucos da França. Nenhum da Itália.
    • • A maioria dos países da América Latina falam a língua espanhola - com exceção do Brasil, de língua portuguesa, e de alguns poucos de língua francesa - e foram subjulgados por uma colonização de forte caráter explorador. • Esses países fazem parte do designado "Terceiro Mundo", cujos sinônimos correntes parece confundir-lhes a identidade: * "países em vias de desenvolvimento" * "subdesenvolvidos" * "dependentes" * "periféricos" * "emergentes"
    • • Outro traço socio-econômico comum são os problemas sociais que afligem em maior ou menor escala todos eles. • As partes do continente americano que compõem a América Latina são: * México * América Central * América do Sul • Vamos estudá-las
    • • Com um quadro natural marcado pelo aspecto montanhoso, o México configura-se atualmente como a segunda maior economia latino- americana, atrás apenas do Brasil.
    • • Com um quadro natural marcado pelo aspecto montanhoso, o México configura-se atualmente como a segunda maior economia latino- americana, atrás apenas do Brasil. • O México possui 112 milhões de habitantes
    • • Com um quadro natural marcado pelo aspecto montanhoso, o México configura-se atualmente como a segunda maior economia latino- americana, atrás apenas do Brasil. • O México possui 112 milhões de habitantes • Os mexicanos são resultado da miscigenação entre a população nativa, remanescente dos Aztecas principalmente, e o colonizador europeu.
    • • Essa população concentra-se sobremaneira no centro-sul do país, pois na franja setentrional há adversidade climática que dificulta a permanência de grandes populações. O norte do México é desértico. • A população mexicana é predominantemente urbana: 75% vivem nas cidades.
    • • A metrópole da Cidade do México possui 19,8 milhões de habitantes e é a terceira maior do mundo, atrás apenas de Tóquio (Japão) e Seul (Coreia do Sul). • Só para comparação, São Paulo é a 3ª maior metrópole do mundo com 20,4 milhões de habitantes (Grande São Paulo). • A metropolização mexicana é mais um exemplo de "macrocefalismo" e segue a mesma tendência dos grandes aglomerados urbanos de todo o Terceiro Mundo, ou seja, apresenta um crescimento desordenado. • Macrocefalismo = crescimento desordenado da cidade
    • • Por conta do crescimento desordenado, proliferam-se nessas metrópoles a presença de habitações anormais, ou "favelas", na qual vivem pessoas que não podem pagar por condições mais dignas de moradia.
    • • Entre outros problemas decorrentes desse crescimento desordenado, o que mais tem chamado a atenção é o avançado estágio de poluição atmosférica dessa metrópole, uma das mais poluídas do mundo. • Quanto ao crescimento demográfico, o país apresenta um paradoxo: apesar de ter declinado muito nos últimos anos, a natalidade é ainda bastante alta
    • • Já o crescimento vegetativo é corrigido pela taxa de emigração - milhões migram para o país vizinho rico do norte: os Estados Unidos da América • Calculam-se que sejam, legalizados ou ilegais, aproximadamente 18 milhões de mexicanos nos EUA.
    • • O México, tal qual o Brasil, é designado como "país emergente". • Dono de uma balança comercial digna de respeito, comparada com alguns países de "primeiro mundo". • Na agricultura, a geografia mexicana não é das mais favoráveis, pois o clima árido do norte e o aspecto montanhoso do território limitam em muito a prática agrícola. Mesmo assim, o país consegue bons rendimentos.
    • • No México são muito comuns os "éjidos". • Éjidos são pequenas propriedades camponesas mexicanas, instituídas após a reforma agrária empreendida no país ainda no começo do século 20, como consequencia da Revolução Mexicana. • Os "éjidos" são o tipo de propriedade predominante no país, e os principais produtos são: * Milho * Café * Feijão * Batata * Cana-de-açúcar * Algodão • A partir das conquistas no desenvolvimento agrário observadas ao longo de sua história e com o respectivo aumento da produtividade, o país reduziu em muito sua dependência na importação de alimentos, hoje na casa de 9% de suas necessidades.
    • • Com uma produção atual que alcança 3,4 milhões de barris ao dia, o México se situa entre os maiores produtores mundiais de petróleo. • Isso torna o setor petroquímico o mais importante da indústria mexicana. • O combustível é um dos principais responsáveis pela pauta de exportação, em que pese a qualidade de seu hidrocarboneto não estar entre as melhores.
    • • O petróleo no México é abundante no Golfo do México, no litoral leste do país. • No mesmo Golfo do México, mas a norte, fica a maior região produtora de petróleo dos EUA, o litoral do Texas. • A prata é encontrada em abundância desde antes da chegada do europeu. • Apesar da exploração absurda da prata, o país ainda figura entre os maiores produtores mundiais. Mas as reservas estão quase acabando. • A produção de chumbo, cobre e ferro, encontrados nos altiplanos, está sob controle de empresas mineradoras dos EUA.
    • • Os rios tributários da vertente pacífica têm elevado potencial hidrelétrico, o que explica a localização das usinas. • A produção supera a demanda, fornecendo energia elétrica suficiente para aproveitamento doméstico e industrial. • Os fatores que contribuíram para o processo de industrialização mexicana são: 1. As reservas minerais existentes no país 2. O petróleo 3. O bom parque energético instalado 4. A centralização estatal num primeiro momento 5. Investimento de capital externo, principalmente dos EUA.
    • • Os principais centros industriais são: 1. Cidade do México 2. Guadalajara 3. Monterrey, no norte do país. 4. Puebla • O setor de bens de produção merece destaque em Monterrey e na Cidade do México, enquanto Guadalajara e Puebla apresentam tradicionais indústrias de bens de consumo. • É inegável o predomínio das multi-nacionais estadunidenses na indústria automobilística, com a presença da Ford, da General Motors (Chevrolet) e da Chrysler.
    • • Em outros setores não é muito diferente: no elétrico- eletrônico, por exemplo, há a presença da General Electric, da Philco, entre outras. • As indústrias nacionais mexicanas estão presentes em setores mais tradicionais como o alimentício e o de bebidas, com empresas como Herdez, Corona, Tecate, Del Valle e Sol. • E não podemos esquecer da força maior que possui a indústria petro-química, liderada pela empresa estatal de petróleo: PEMEX, Petróleos Mexicanos.
    • • Contudo, a maior tendência industrial mexicana nos últimos 20 anos tem sido as "maquiladoras". As indústrias maquiadoras. • Esse tipo de fábrica se caracteriza pela linha de montagem: localizadas quase na fronteira do México com os EUA, a maior zona aduaneira do planeta, configuram-se no transporte diário dos produtos que: 1. inicialmente são projetados nos EUA 2. em seguida são montados no México 3. e voltam para ser vendidos nos EUA. • As "maquiladoras" são, na realidade, uma extensão do capitalismo estadunidense, uma espécie de filial de empresas dos EUA que utilizam: * a mão-de-obra mais barata do México * a isenção alfandegária em vigor desde a criação do Nafta.
    • • Em 1993 o México ingressou no Nafta, um acordo entre os países norte-americanos para o livre comércio, formando um bloco econômico, em moldes similares ao Mercosul. • O Nafta é composto por: * Canadá * Estados Unidos * México • Nafta é a sigla de "North American Free Trade Agreement" - Acordo de Livre Comércio Norte-Americano.
    • • No sul do México, a partir de 1994, ganhou projeção um movimento que veio trazer novos ares políticos ao país. • No estado de Chiapas - um dos mais pobres do país, e habitado majoritariamente por indígenas descendentes dos maias - irrompeu-se um levante contra a situação de extrema pobreza e o descaso do governo central. • Optando pela luta armada, surgiu o EZLN - Exército Zapatista de Libertação Nacional - inspirado nos ideais de Emiliano Zapata, líder da Revolução Mexicana no início do Século 20 (1911-1917). • A proposta autogestionária tem, entre outras bandeiras, o combate explícito ao neoliberalismo e ao ingresso do México no Nafta. • Segundo os zapatistas, a entrada do país no Nafta agrava a situação da população camponesa sem apoio, uma vez que estes serão estrangulados com a invasão de gêneros agrícolas estadunidenses. • O líder do EZLN é o subcomandante Marcos.
    • 0 2000 4000 6000 8000 10000 12000 14000 16000 18000 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Mortes • Desde 2006 se intensificou no México a guerra entre os cartéis da droga. • O tráfico de drogas é um problema antigo no México, remete desde os anos 70 e 80, mas a intensificação ocorreu em meados da década passada por conta de ações de combate aos principais cartéis que se formaram no país. • Quando o Presidente Felipe Calderón assumiu em dezembro de 2006, e iniciou as ações, os cartéis responderam assassinando um altíssimo número de pessoas, envolvidas ou não com o mundo das drogas. • Nesta verdadeira "guerra civil" que tomou conta do país ao longo dos últimos 6 anos, os grandes cartéis das drogas mobilizam seu "exército" tal como ocorre na Colômbia, ou nas comunidades do Rio de Janeiro. Possuem armamento pesado, e métodos violentos.
    • 0 2000 4000 6000 8000 10000 12000 14000 16000 18000 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Mortes • Já o governo, responde com ações das Forças Armadas do país, Exército, Marinha, Aeronáutica e Polícia Federal. • Os cartéis vem dominando algumas áreas do país, sejam em zonas rurais ou suburbanas, enquanto as Forças Armadas tentam recuperá-las. • Os motivo da existência de tantos cartéis de droga no México é o fato do país ser um grande centro de distribuição das drogas ilícitas, pois é rota de passagem delas rumo aos Estados Unidos, o maior mercado consumidor de drogas ilícitas no mundo. • Desde 2006, mais de 54 mil pessoas morreram nos combates entre governo e cartéis, e também em confrontos entre diferentes cartéis. Muitas pessoas foram sumariamente executadas.
    • • O México possui uma política singular, pois ao longo dos últimos 100 anos passou por uma longa fase de predomínio político. • Após a Revolução Mexicana (1911-1917), na qual grupos a favor da reforma agrária e de profundas reformas institucionais e políticas saíram vencedores, o México se consolidou como uma República Presidencialista de sistema democrático. Mas há controvérsias. • Durante 71 anos (1929-2000) apenas um único partido político governou o México, o PRI - Partido Revolucionário Institucional, de orientação centrista. • Durante todas essas décadas sempre havia a suspeita de fraudes nas eleições mexicanas, reforçadas pelo fato de que não havia observadores internacionais, e o sistema de votação era considerado muito vulnerável à fraudes. Isso pode explicar o motivo do PRI ter governado o México por tanto tempo. • A partir do final dos anos 80 as eleições mexicanas começaram a se estruturar de modo que tornasse mais difíceis as fraudes, e no ano 2000 o PRI perdeu o poder pela 1ª vez em 7 décadas.
    • • As principais características que foram instituídas pela Revolução Mexicana e permanecem até os dias atuais são: * O mandato presidencial é de 6 anos. * Não há reeleição * Não há 2° turno nas eleições. • Ou seja, alguém pode vencer a eleição presidencial com uma pequena porcentagem de votos (menos de 30% do total) contra vários candidatos, e governará o país por 6 anos. • Isso aconteceu nas duas últimas eleições presidenciais mexicanas: em 2006 e 2012. • Em 2006 o direitista Felipe Calderón (do PAN, Partido de Ação Nacional) venceu as eleições por apenas meio porcento de vantagem sobre o esquerdista Andrés Manuel López Obrador. Foi 35,8% contra 35,3%, e o primeiro foi eleito. • A controvérsia levantou suspeitas de fraudes em algumas localidades, que poderiam alterar o resultado das eleições, e geraram protestos de rua por todo o país nos meses seguintes à eleição.
    • • Algo semelhante ocorreu em 2012, quando da eleição presidencial no último mês de julho, mas com menor intensidade, já que o vencedor obteve 38% dos votos. • O novo Presidente do México assumirá o cargo no próximo dia 1° de Dezembro, e será o jovem Enrique Peña Nieto, do PRI, o mesmo partido que durante 71 anos dominou no México, está retornando ao poder.
    • • A menor fatia de terra latino-americana é a América Central, um elo entre as Américas do Norte e do Sul. • Compreendida entre os oceanos Atlântico e Pacífico, o que por si só indica a posição geoestratégica dessa porção americana - que foi intensamente assediada ao longo da Guerra Fria. • A América Central é subdividida em dois blocos: 1. O istmo, um corredor continental que liga as porções norte e sul da América 2. A porção insular, formadas por ilhas, as Antilhas, mais conhecida como Caribe.
    • • Situada em clima tropical, a região acusa paisagens diversificadas, com uma maior presença de floresta tropical, em estilo semelhante ao da Amazônia, mas com tamanho tremendamente menor. • Já o relevo da região é produto da herança terciária: é acidentado, e com baixas montanhas. • A população é predominantemente indígena e mestiça (entre europeus e indígenas) no corredor continental. • Já no Caribe, é muito forte a presença de afro-descedentes, herança do período escravista que a região possuiu nos séculos 16, 17, 18 e 19. • Muito fragmentada politicamente, composta por países pobres e pequenos, sua principal atividade econômica reside na agricultura, cuja prática predominante ainda é o latifúndio, a "plantation", visando a exportação. • Os principais produtos são gêneros tropicais, tais como: * Cana-de-açúcar * Café * Banana * Frutas em geral
    • • A indústria é incipiente, fraca. • O principal destaque mineral fica por conta da bauxita da Jamaica. • Como se sabe, a bauxita é a matéria-prima para a exploração do alumínio. Trata-se de um processo de transformação bastante caro devido ao alto emprego energético. • Assim, esse recurso mineral encontra-se sob domínio de empresas multi- nacionais, particularmente dos EUA e Canadá.
    • • No Caribe está localizado o Haiti, um país que vive em permanente crise. Ao longo de 2 séculos de independência, o país sofre com instabilidade política e social, além de muita pobreza. Foi vítima no início de 2010 de um terrível terremoto que matou mais de 250 mil pessoas. • O Haiti é um país de língua francesa, que em 1804 se tornou independente da França em uma rebelião dos escravos, que tomaram o poder do país, e expulsaram os colonos brancos. • A população haitiana é majoritariamente afro-descendente, e por conta da combinação de seguidas crises econômicas, políticas e sociais ao longo das últimas décadas combinado com a catástrofe de 2010, muitos haitianos estão imigrando para outros países, inclusive o Brasil.
    • • No Caribe também está localizada Cuba, o único país panamericano a adotar o socialismo como regime político, econômico e social. • Por conta disso, é submetido a um poderoso embargo imposto pelos Estados Unidos, que já dura 50 anos, e é o maior motivo da crise econômica na ilha. • Obedecendo ao bloqueio econômico imposto pelos EUA, os países latino- americanos ignoraram Cuba, fortalecendo o seu isolamento no contexto continental. • A posição geográfica do país muito próximo dos EUA promove um sentimento na população cubana de permanente ameaça do poderio militar estadunidense.
    • • De modo geral, o território cubano não possui recursos minerais variados, como por exemplo o petróleo, e o abastecimento dependia da União Soviética entre 1959 e 1991. • Com o fim da União Soviética e do comunismo na Europa Oriental, cujos países constituíam os principais parceiros econômicos de Cuba e que muito a beneficiaram nas trocas comerciais, obrigou o governo cubano a fazer concessões no sentido de liberalizar o regime, no sentido da abertura ao turismo e permissão para o cidadão possuir moedas fortes, como o dólar. • Essas reformas em Cuba ocorrem de maneira muito lenta e gradual, para o regime socialista não perder o controle da situação e evitar a ameaça do poderio americano.
    • • Já no corredor continental da América Central, os países majoritariamente são de língua espanhola (a exceção é o Belize, de língua inglesa). • No passado distante formaram um único país, a Federação Centro-Americana, em meados do século XIX (19), mas se fragmentaram politicamente. • Em 1960, a maioria desses países se juntaram em um bloco econômico: O Mercado Comum Centro-Americano (MCCA). Nos mesmos moldes do Mercosul e Nafta, que surgiriam décadas depois. • Os países membros do MCCA são: * Guatemala * El Salvador * Honduras * Nicarágua * Costa Rica
    • • A América Central é caracterizada pela presença de uma importante hidrovia para a navegação internacional: o Canal do Panamá. • Este canal interliga os oceanos Pacífico e Atlântico. • Ele é de grande importância econômica para o tráfego marítimo, pois, além de reduzir cerca de 15.000 quilômetros a distância a ser percorrida pelos navios que ligam os portos norte-americanos de ambos oceanos, economiza combustível e possibilita o menor desgaste das máquinas. • E além da América Latina, o Canal do Panamá também é importante para os países asiáticos (principalmente China e Japão), países andinos (Colômbia, Peru, Equador e Chile), Austrália e países europeus. O
    •  AMÉRICA DO SUL – PAÍSES  AMÉRICA DO SUL – RELEVO E VEGETAÇÃO  AMÉRICA DO SUL – ESTRUTURAS  AMÉRICA DO SUL – ECONOMIA  AMÉRICA DO SUL – MERCOSOL E UNASUL  AMÉRICA DO SUL - POLÍTICA
    • • O subcontinente sul-americano, inserido geograficamente no continente das Américas, e no subcontinentel étnico- cultural da América Latina, pode ser dividido em 4 zonas: - América Andina - América Platina - Guianas - Brasil • A América Andina é composto por países de língua espanhola que possuem a Cordilheira dos Andres como característica física mais marcante. Altitudes elevadas, litoral no Oceano Pacífico ou Mar do Caribe • A América Platina é composto por países de língua espanhola mais ao sul do continente, com hidrografia majoritariamente dentro da Bacia Platina, dos rios que desembocam no Rio da Prata.
    • • As Guianas são três pequenos países pouco populosos no norte da América do Sul que não usam nem o espanhol nem o português como idioma. • O Brasil todos nós conhecemos, é o único país das Américas que usa a língua portuguesa, é o maior da América Latina em extensão territorial, em população, em tamanho da economia, e etc.