Apresentação tcc

2,537 views

Published on

Apresentação final do meu trabalho de conclusão de curso.

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,537
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
17
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Apresentação tcc

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS APLICADAS E EDUCAÇÃO CAMPUS IV – LITORAL NORTE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃOVARIABILIDADE EM ABORDAGENS DE LINHAS DE PRODUTOS ORIENTADAS A SERVIÇOS THIAGO J S OLIVEIRA
  2. 2. VARIABILIDADE EMABORDAGENS DE LINHAS DE PRODUTOS ORIENTADAS A SERVIÇOSOrientador: M.Sc José Jorge Lima DiasJrBanca Avaliadora: M.Sc Rodrigo Rebouças M.Sc Raoni Kulesza
  3. 3. Agenda Motivação Objetivos Questões de Pesquisa Referencial Teórico ◦ SOA, SPL e SOPL
  4. 4. Agenda Representações de Variabilidade; Tipos de Variabilidade em SOPL; Abordagens SOPL que tratam de variabilidade; Considerações finais;
  5. 5. Motivação SOA não provê suporte à customização e reuso sistemático (Medeiros et al, 2009). Por outro lado, SPL é um paradigma emergente para software customizáveis (Almeida, 2010); SOPL surge como união entre SPL e SOA obtendo ganho de produtividade, aplicações customizadas, flexibilidade, entre outros (Cohen & Krut, 2010); Systematic Mapping Study (Kitchenham, 2007) e classificação dos
  6. 6. Metodologia Escolha dos artigos feita a partir de um Systematic Mapping Study (Kitchenham, 2007) feito por Jorge Dias, orientador deste trabalho. Dos 43 artigos iniciais, 38 artigos foram analisados, 23 selecionados e 15 descartados de acordo com os critérios de inclusão e exclusão definidos na pesquisa.
  7. 7. Objetivo Geral Investigar como variabilidade vem sendo abordada em Linhas de Produtos Orientadas a Serviços (SOPL) através da análise de evidências encontradas na literatura.
  8. 8. Objetivos Específicos Identificar como variabilidade vem sendo representada por abordagens SOPL; Analisar como abordagens SOPL vêm tratando variabilidade no desenvolvimento de novos produtos;
  9. 9. Questões de Pesquisa QP01. Como variabilidade vem sendo representada em abordagens SOPL? QP02. Quais os tipos de variabilidade existentes nas abordagens SOPL? QP03. Como variabilidade tem sido resolvida na derivação de produtos em SOPL?
  10. 10. Arquitetura Orientada a Serviços Estabelece um modelo arquitetural que permite aumentar a eficiência, agilidade e produtividade de um negócio a partir da utilização de serviços (Erl, 2012); Por que adotar SOA? ◦ Reusabilidade; ◦ Integração e Interoperabilidade;
  11. 11. Características Sistemas Distribuídos. Integração entre sistemas desenvolvidos em diferentes plataformas e linguagens (Medeiros, 2010); Diversos fornecedores. Diferentes partes do sistema podem pertencer a vários fornecedores (Josuttis, 2007); Heterogeneidade. Sistemas compostos por mainframes, BDs, Aplicações
  12. 12. Linhas de Produto deSoftware Um conjunto de sistemas que compartilham um conjunto comum e gerenciado de features para satisfazer necessidades específicas de um segmento particular de mercado (Clements & Northrop, 2002); Possui três fases: ◦ Engenharia de Domínio, Engenharia de Aplicação e Gerenciamento;
  13. 13. Objetivos Redução de custos de desenvolvimento. Componentes não são desenvolvidos do zero; Aumento da qualidade. Reutilização de componentes; Redução do tempo de entrega. Core assets prontos, tratamento da variabilidade; Borba (2009) apud Pohl et al (2005);
  14. 14. Variabilidade Capacidade que um sistema tem de alterar seu comportamento durante seu ciclo de vida (CAO et al, 2009); Habilidade de implementar modificações em arquiteturas de software (Galster, M., 2010); Geralmente é representada por Variation Points (Kim & Doh, 2008) e por Modelos de Features (Pohl et al, 2005);
  15. 15. Uma análise sobre variabilidadeem abordagens SOPL
  16. 16. Representações de Variabilidade Trabalhos Representações Total Relacionados P09, P10, P12, P14, P15, P16, P17, P18,Modelos de Feature 13 P19, P20, P21, P22 e P23 P01, P02, P11, P17 e Variation Points 5 P20 UML P03, P07, P13 e P18 4Business Process Management P04 e P07 2 Outras P01, P18 e P21 3
  17. 17. Modelos de Features Técnica usada para representar e descrever uma possível configuração do sistema e suas variações em termos de features, que representam funcionalidades do sistema (Mohabbati et al, 2009); Features são organizadas num diagrama hierárquico (Borba, 2010);
  18. 18. Features obrigatórias, opcionaise alternativas Figura retirada de Pohl et al, 2005
  19. 19. Variation Points e Variants Representação utilizada em artefatos de projeto ou em implementações onde ocorre variação, variants são alternativas que podem ser selecionadas para um Variation Point (Sun et al, 2009 apud Bachmann & Bass, 2001);
  20. 20. Representações deVariabilidade 3 Modelos de 2 Feature Variation Points 13 4 UML BPM Outros 5
  21. 21. Tipos de Variabilidade P01 P02 P04 P05 P06 P11 Logic X X X XCompositio X X n Interface X X X XParameter X Workflow X X X Partner XCardinality X WSLA X
  22. 22. Tipos de Variabilidade Logic. Diferentes implementações para uma mesma operação; Composition. Diferentes interfaces, implementações, atributos de qualidade; Interface. Diferentes interfaces para um mesmo serviço; Parameter. Parâmetros utilizados no serviços;
  23. 23. Tipos de Variabilidade Workflow. Ocorrem em fluxos de trabalho; Partner. Serviços pertencentes a diferentes parceiros de negócio; Cardinality. Várias instâncias para um mesmo service; WSLA. Atributos de qualidade especificados entre parceiros de
  24. 24. Como abordagens SOPL lidamcom variabilidade na derivaçãode produtos Procurou identificar como abordagens SOPL tratam de variabilidade durante o processo de derivação de produtos. Seis trabalhos propuseram alguma abordagem nesse sentido (P03, P04, P08, P10, P17 e P19);
  25. 25. Abordagens Propostas Variabilidade na Representação deArtigo derivação de Variabilidade produtos Variability Specification P03 MetaModel (UML) e Variability Resolution BPM, Feature Modeling, P04 Use Case, Variation Variability Analysis Points Business Process Lines P08 BPM e Process Oriented Development P10 Feature Modeling Service Analysis Feature Modeling, Feature Oriented P17 Variation Points Service Customization Feature-Based P19 Feature Modeling Approach
  26. 26. Considerações Finais Quantidade de Respostas por Questão de Pesquisa201510 5 0 Representações de Tipos de variabilidade Gerenciamento de variabilidade variabilidade Quantidade de Artigos
  27. 27. Considerações Finais Representações de Variabilidade; Tipos de Variabilidade em um contexto SOPL; Abordagens SOPL que tratam de Variabilidade;
  28. 28. Comentários e Dúdivas
  29. 29. Referências Bibliográficas (Erl, 2012) Erl, T.. Service-Oriented Architecture. Disponível em: www.whatissoa.com/p10.php Acessado em: 20/04/2012; (Clements & Northrop, 2002). Clements, P. Northrop, L.. Software Product Lines: Practive and Patterns. 2002; (Almeida, 2010) Almeida, R. B.; Modeling Software Product Line Variability in Use Case Scenarios.
  30. 30.  (Medeiros et al, 2009) Medeiros, F. M., Almeida, E. S. & Meira, S. R. L.; Towards an Approach for Service- Oriented Product Line Architectures. In 3rd Workshop on Service-Oriented Architectures and Software Product Lines (SOAPL), São Francisco, Estados Unidos. 2009. (Cohen & Krut, 2010) Cohen, S. & Krut, R.; Managing Variation in Services in a Software Product Line
  31. 31.  (Medeiros, 2010) Medeiros, F. M.; SOPLE-DE: An Approach to Design Service-Oriented Product Line Architectures. UFPE, Recife, PE. 2010. (Josuttis, 2007) Josuttis, N. M.; SOA in Practice – The Art of Distributed System Design. O’Really. 2007. (Borba, 2009) Borba, C. C.; Uma Abordagem Orientada a Objetivos para as fases de Requisitos para Linhas de Produtos de Software. UFPE, Recife, PE. 2009.
  32. 32.  (Kim & Doh, 2008) Kim, Y. & Doh, K.; Adaptable Web Services Modeling using Variability Analysis. In Third 2008 International Conference on Convergence and Hybrid Information Technology. 2008. (Pohl et al, 2005) Pohl, K., Bockle, G. & Van Der Linder, F.; Software Product Line Engineering Foundations, Principles, and Techniques. Springer. 2005.
  33. 33.  (CAO et al, 2009) CAO Bu-Qing, LI Bing & XIA Qi-Ming; A Process-Driven and Ontology Based Software Product Line Variability Modeling Approach. In Eighth International Conference on Grid and Cooperative Computing. 2009. (Galster, 2010) Galster, M.; Describing Variability in Service-oriented Software Product Lines. Department of Mathematics and Computing Science, University of Groningen ,Groningen, Holanda. 2010.
  34. 34.  (Mohabbati et al, 2009) Mohabbati, B., Kaviani, N. & Gašević, D.; Semantic Variability Modeling for Multi- staged Service Composition. In Workshop on Service-Oriented Architectures and Software Product Lines, Airport Marriott, São Francisco, Califórnia, Estados Unidos. 2009. (Sun et al, 2009) Sun, G., Rossin, R., Sinnema, M. Bulanov, P. & Aiello, M.; Modeling and managing the variability of Web service- based systems. The Journal of Systems

×