Aimportnciadoturismonobrasilenomundofa35e192

146
-1

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
146
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Aimportnciadoturismonobrasilenomundofa35e192

  1. 1. 1 A IMPORTÂNCIA DO TURISMO NO BRASIL E NO MUNDO EMENTA O presente estudo tem como objetivo apresentar a importância da atividade de turismo e negócios para a economia mundial e para o Brasil. Buscou-se, com base nos dados existentes no mercado, mostrar como a atividade vem se desenvolvendo nos últimos anos bem como as perspectivas para a próxima década. A importância do estudo subsidiará as ações do Conselho de Turismo e Negócios da Fecomercio que atuará em defesa do setor através da realização de grandes debates e iniciativas, incentivando a sua competitividade. PANORAMA MUNDIAL DO TURISMO A atividade turística vem ganhando cada vez mais importância no mundo, considerando a sua forte influência para o desenvolvimento econômico e social dos países. Sabe-se que o turismo é um dos setores de serviços que gera um grande volume de empregos, renda e investimentos através das atividades e empreendimentos hoje vistos até mesmo como ecologicamente sustentáveis. Pode-se dizer ainda que o setor de turismo seja um dos mais modernos e atrativos na economia globalizada. É evidente a interação cada vez maior das economias do mundo, fazendo despontar para um aumento dos investimentos públicos e privados. São milhares de pessoas indo de um lugar para outro do mundo, utilizando-se dos mais variados meios de transportes, ou seja, carro, ônibus, trem, navio e, principalmente, avião. Turismo de lazer, negócios e eventos, assim como visita a
  2. 2. 2 amigos e parentes são os principais motivos que levam ao desenvolvimento da atividade turística nos mais variados países, estados ou cidades. Com o aquecimento da economia mundial nos últimos anos, verificou-se que o fluxo internacional de turistas vem crescendo significativamente. No mundo, o turismo movimenta em receitas cambiais algo em torno de US$ 919 bilhões, segundo a Organização Mundial do Turismo (OMT). Pelo mundo, observa-se uma recuperação dos dados relacionados ao desempenho da atividade turística dos países. Somente em 2009, observa-se uma desaceleração devido a crise financeira internacional que acabou afetando diretamente o setor, criando um clima de instabilidade na confiança dos agentes sobre eventos futuros. MUNDO: RECEITA CAMBIAL GERADA PELO TURISMO (US$ bilhões) Fonte: Organização Mundial do Turismo – OMT O fluxo internacional de turistas no mundo chegou a 935 milhões de viagens em 2010, também segundo dados da OMT. Entre 1999 e 2010, o fluxo internacional de turistas no mundo registrou crescimento 49%. A expectativa, segundo a OMT, é de que tal número alcance 1,6 bilhões em 2020. 445,0 482,9 471,6 474,2 525,1 632,7 678,7 744,0 857,4 941,7 852,4 919,0 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010
  3. 3. 3 MUNDO: FLUXO DE TURISTAS INTERNACIONAIS (em Milhões) Fonte: Organização Mundial do Turismo – OMT Quando se verifica os principais países receptores de turistas no mundo observa-se que os mais visitados são a França, Estados Unidos, Espanha, China, Itália, Reino Unido, Turquia, Alemanha, Malásia e México. Esses países respondem por mais de 45% do fluxo total do receptivo internacional. MUNDO: PRINCIPAIS PAÍSES RECEPTORES DE TURISTAS INTERNACIONAIS (%) Fonte: Organização Mundial do Turismo – OMT Como se pode notar, grande parte dos países com maior número de receptores de turistas são europeus, e o turismo intercontinental acaba por responder por essa
  4. 4. 4 forte onda de turistas. O Brasil, neste cenário, ainda tem grandes desafios para crescer, considerando sua importância e potencial turístico internacional. Um dos grandes impulsionadores do turismo nas principais regiões propulsoras do turismo, além do lazer, é a realização de eventos corporativos (feiras, congressos e convenções). Segundo dados da International Congress and Convention Association (ICA), os Estados Unidos, Alemanha, Espanha, Reino Unido e França são os países que lideram o ranking mundial no número de eventos, nesta ordem. O Brasil está entre os 10 países que mais recebem eventos internacionais, ocupando a 9ª colocação global e a primeira na América Latina. RANKING MUNDIAL DE EVENTOS CORPORATIVOS (2010) Fonte: International Congress and Convention Association (ICCA) As expectativas mundiais para o turismo são bastante positivas para a próxima década, agregando cada vez mais valor a economia das mais variadas nações. Segundo dados do World Travel & Tourism Council (WTTC), o impacto direto das atividades do turismo, ou seja, considerando a geração de empregos, os gastos de visitantes e os investimentos públicos e privados, devem representar algo em torno
  5. 5. 5 de 2,8% do PIB total em 2011, alcançando US$ 1,85 trilhão. E a expectativa para daqui a 10 anos é ainda mais positiva, alcançando 2,9% do PIB em 2021, ou seja, US$ 2,865 trilhões. Diante disso, a taxa de crescimento deverá ser de 4,2% ao ano. O Brasil, por sua vez, no que diz respeito ao impacto direito do turismo deverá representar 3,3% do PIB, alcançando R$ 129,6 bilhões em 2011. A atração de visitantes provocada pela realização de grandes eventos esportivos no país, tais como Copa do Mundo e Jogos Olímpicos, bem como a própria estabilização econômica do país favorecem um cenário para projetar a evolução do turismo para a próxima década, ou seja, deverá crescer algo em torno de 4,8% por ano até 2021, alcançando 3,6% do PIB (R$ 206,9 bilhões). No que diz respeito à geração de empregos, a contribuição direta do turismo deve ser responsável por 99.048 milhões de empregos diretos em 2011 (3,4% dos empregos totais), crescendo 2% ao ano, e chegando a 2021 com um total de 120.427 milhões (3,6% dos empregos totais). No Brasil, a contribuição direta para a empregabilidade do país deverá ser de 2,8 milhões de empregos, crescendo algo de 2,3% ao ano, chegando a 2021, a 3,6 milhões de empregos diretos, segundo a WTTC. Com um cenário tão positivo para o turismo na próxima década, observa-se que existe uma grande oportunidade para que as mais variadas regiões do mundo possam receber mais turistas e assim, desenvolver as suas respectivas economias. O próprio Brasil vem apresentando espaço para crescer e receber mais turistas nos próximos anos, como será visto a seguir.
  6. 6. 6 TURISMO NO BRASIL – O PAÍS NO CENÁRIO GLOBAL E LOCAL No Brasil, observa-se um desempenho positivo da atividade turística na última década, acompanhando a tendência da média mundial. Trata-se de uma evolução clara, considerando que o país vem buscando promover políticas que visem o incentivo ao turismo interno. A estruturação da oferta turística com o modelo proposto pelo Programa de Regionalização, a promulgação da Lei do Turismo, os incentivos a qualificação profissional, e a própria política econômica são alguns dos inúmeros fatores que vêm favorecendo o turismo no país. O aumento da renda média, a oferta de crédito e o barateamento do custo das passagens aéreas (redução média de 34% nos últimos 10 anos) levaram, principalmente, as classes C, D e E a viajarem mais dentro de nosso país. Por outro lado, assim como ocorreu em outros países do mundo, a crise financeira internacional fez com o desempenho do turismo brasileiro apresentasse certa desaceleração do ritmo de crescimento. Com a recuperação em 2010, nota-se a volta do ritmo de crescimento anterior. A evolução dos desembarques nacionais, que é um importante indicador sobre os fluxos no mercado interno de turismo, mostra que em 2010, o desembarque de passageiros de vôos nacionais foi de 68,3 milhões, ou seja, 22% acima do verificado no ano anterior. Na última década, observa-se que houve um crescimento de 140% nos desembarques nacionais.
  7. 7. 7 BRASIL: EVOLUÇÃO DOS DESEMBARQUES NACIONAIS (em milhões) Fonte: INFRAERO No que diz respeito aos desembarques internacionais no país, também é verificada uma tendência de crescimento. Em 2010 foram 7,9 milhões de passageiros desembarcados em vôos internacionais. BRASIL: EVOLUÇÃO DOS DESEMBARQUES INTERNACIONAIS (em milhões) Fonte: INFRAERO O resultado da receita cambial turística vem mostrando o seu fortalecimento nos últimos anos. Em 2010, o Brasil registrou uma receita cambial turística de US$ 5,92 28,5 32,6 32,9 30,7 36,5 43,1 46,3 50,0 48,7 56,0 68,3 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010
  8. 8. 8 bilhões, representando 0,6% da receita mundial. Com os grandes eventos esportivos que o país irá sediar na próxima década, e os investimentos previstos em promoção do país, espera-se aumentar a visibilidade do Brasil e, conseqüentemente, o fluxo de turistas estrangeiros. BRASIL: RECEITA CAMBIAL TURÍSTICA (US$ Bilhões) Fonte: Banco Central do Brasil O crescente desempenho da receita cambial para a economia brasileira é bastante positivo, contribuindo para uma distribuição de renda internamente e aumentando a entrada de divisas. Toda a cadeia produtiva, praticamente, acaba sendo beneficiada. Prova direta disso, é de que na pauta de exportações, o setor de viagens e turismo perde somente para algumas commodities, tais como minérios de ferro e seus concentrados, óleos brutos de petróleo, soja, açúcar. Mas por outro lado, arrecada mais do que as exportações de frango, café, pastas químicas de madeira e até mesmo automóveis e aviões. 1,81 1,73 2,00 2,48 3,22 3,86 4,32 4,95 5,79 5,30 5,92 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010
  9. 9. 9 BRASIL: EXPORTAÇÕES X RECEITA CAMBIAL DO TURISMO (US$) Fonte: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e Banco Central do Brasil A geração de divisas está relacionada à entrada de turistas no país, bem como a permanência e os gastos realizados. Em 2010, algo em torno de 5,2 milhões de turistas estrangeiros, dos mais de 8 milhões que desembarcaram, tinham o destino final no Brasil. Tal dado apresenta um crescimento na última década, além de apontar para uma tendência de estabilização desde 2005. BRASIL: CHEGADA DE TURISTAS (em milhões) Fonte: Departamento de Polícia Federal e Ministério do Turismo
  10. 10. 10 Aqui também se observa que, quando comparado o fluxo mundial de turistas internacionais, o Brasil representa muito pouco do montante, ou seja, também 0,6%, mostrando que há espaço para o país se desenvolver nas atividades relacionadas ao setor de turismo, atraindo mais turistas internacionais. Quando se desce ao detalhe, a divisão de turistas que chegam ao Brasil privilegia os argentinos (cerca de 1,2 milhões ao ano) e em segundo lugar os americanos (cerca de 600 mil visitantes ao ano). A essas principais origens de visitantes, somam-se a Itália, Alemanha, França, Uruguai, Portugal, Paraguai, Espanha e Inglaterra. Esses 10 países representam juntos 70% da origem dos nossos turistas estrangeiros. BRASIL: CHEGADA DE TURISTAS – POR PAÍSES EMISSORES (% sobre total) Fonte: Departamento de Polícia Federal e Ministério do Turismo Considerando o fluxo internacional de turistas e a receita cambial gerada, o gasto médio por visitante estrangeiro no Brasil é de um pouco mais de US$ 1.000,00. Em 2010, as despesas cambiais do país, ou seja, quanto os brasileiros gastaram no exterior, registram um crescimento em torno de 51% em relação ao ano anterior.
  11. 11. 11 BRASIL: DESPESA CAMBIAL TURÍSTICA (US$ Bilhões) Fonte: Banco Central do Brasil O saldo da balança de turismo, por sua vez, vem registrando constantes déficits, em decorrência do crescimento econômico e da valorização do real frente ao dólar, fazendo com que muitos brasileiros viajassem para o mercado externo. O saldo cambial líquido registrou déficit de US$ 10,5 bilhões, em 2010. Na última década somente em 2003 e 2004 o saldo da conta de turismo registrou superávit favorável ao Brasil. Todavia o déficit verificado não significa queda no turismo interno, uma vez que o total de desembarques nacionais vem registrando constantes crescimentos. Apenas reflete uma situação de crescimento total do setor com maior aquecimento das viagens internacionais, em parte estimuladas pela taxa de câmbio valorizada. Vale ainda destacar que, dentre os principais motivos que levam os turistas estrangeiros a visitarem o país, estão o lazer (45,5%); negócios, eventos e convenções (22,9%) e outros motivos (31,6%). No que tange à realização de negócios, eventos e convenções internacionais, o país vem se destacando no mundo. A variedade cultural é imensa, e considerando que
  12. 12. 12 algumas cidades são consideradas pólos internacionais de negócios, tais como São Paulo e Rio de Janeiro, o número de eventos internacionais vem crescendo de forma significativa, com uma agenda de feiras comerciais e atividades de entretenimento que contemplam a vocação dos negócios. O Brasil deve atrair um número bastante considerável de estrangeiros nos próximos dez anos. Em 2011, cerca de 5 milhões de turistas estrangeiros devem aportar aqui, e deverão gastar no total R$ 12,5 bilhões, segundo dados da World Travel & Tourism Council (WTTC). Para 2021, a projeção é de que o país receba 10,6 milhões de turistas, gerando um total de R$ 38,7 bilhões de receita, o que representa um aumento de 7% a 8% de gastos ao ano. Os investimentos também serão importantes para o país na próxima década. O Brasil atrairá, em 2011, cerca de R$ 47,4 bilhões em investimentos, crescendo 6,5% ao ano. Em 2021, tal valor corresponderá a cifra de R$ 89,3 bilhões. Pode-se dizer também que o resultado é consequência do interesse de investidores frente às expectativas positivas da economia brasileira bem como a realização de eventos grandes eventos esportivos. AÇÕES PARA O INCENTIVO AO TURISMO NO BRASIL Como se pode perceber, as expectativas tanto para o turismo mundial como para o Brasil são bastante positivas para a próxima década. E, no caso brasileiro, os inúmeros desafios e oportunidades que o país deverá enfrentar com a realização dos grandes eventos esportivos previstos para a década devem ser alvo de atenção e monitoramento. Diante disso, o Conselho de Turismo e Negócios da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio) atuará ao longo do
  13. 13. 13 ano com vistas a promoção de debates e iniciativas que incentivem a competitividade do setor de turismo e negócios no país através da sensibilização das autoridades e lideranças sobre a importância do setor para a economia, investimentos e geração de empregos. Um dos pontos que merece atenção, e que será amplamente discutido pelo Conselho, é a facilitação da ida e vinda de turistas, ou seja, o fluxo internacional de turistas. Com a facilitação da entrada de turistas estrangeiros no Brasil, eliminando barreiras e facilitando a informação e os serviços, o fluxo internacional poderia aumentar, atraindo cada vez mais capital para a economia interna. Assim, o apoio a participação do Brasil no programa Visa Waiver, por exemplo, será o foco das discussões. A realização de grandes eventos esportivos e o impacto no turismo no país será, por sua vez, o assunto que será amplamente debatido nos próximos anos, e também será o grande foco do Conselho. O Brasil receberá, em menos de uma década, os quatro eventos esportivos mais importantes do planeta: Copa das Confederações, Copa do Mundo, Paraolimpíadas e Olimpíadas. A esses eventos mundiais já se somam milhares de eventos de negócios e esportivos anuais, principalmente em São Paulo. Adicionalmente, o Conselho promoverá o Fórum de Hotelaria em parceria com o São Paulo Convention & Bureau (SPCVB). O setor hoteleiro é uma das portas de entrada do turismo, ainda mais considerando o volume de turistas que virá ao Brasil em decorrência da realização dos grandes eventos.
  14. 14. 14 Enfim, o momento para o Brasil não poderia ser mais oportuno para endereçarmos esses assuntos. Deve-se transformar o país em um destino global preferencial, e para isso deve-se criar uma agenda de ações para aguçar o senso de oportunidade e responsabilidade. Conselho de Turismo e Negócios da Fecomercio Presidente: Jeanine Pires Assessoria Técnica: Kelly Carvalho (Econômico) / Alexsandra Ricci (Jurídico) Junho/2011

×