1. evaluacion de riesgo de la salud

984 views
877 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
984
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
362
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Ideological shifts: 70s – Decade of development: consensus on health and development 80s – “Lost Decade”, proliferation of strategies: selective PHC vs. integrated health care, district health systems and Healthy Cities 90s – Decade of Reform & Globalization: efficiency of bureaucracy and introduction of market economies in health sector; also the Water Decade and the "Washington Consensus” – IMF-WB-WTO New influence of stakeholders: UNICEF – selective application of PHC, 1979, then moved to children's rights, 1995 WB – redefines measurements of health: WDR 93 Investing in Health UNDP – introduces country strategy note & includes PHC. Effort for better UN coordination, MDGs USAID – emphasizes civil society and quality New health discipline: Health economics introduces new ways of measuring resources and health achievements, influencing design of health systems financing and efficiency measures National budgets for health: Increase as % of GDP Decrease in equitable distribution
  • 1. evaluacion de riesgo de la salud

    1. 1. Seminario tematico I: Saúde para Diversidade Atenção Primária de Saúde eDeterminantes Sociais da Saúde Prof. Dr. AMALIO FELIX CARDOSO OVELAR Centro de Estudos, Políticas e
    2. 2. Os Determinantes Sociais da Saúde na agenda global
    3. 3. DECLARAÇÃO POLÍTICA DO RIO.
    4. 4. Declaração do Rio• Promover a equidade social e em saúde através de ações sobre os DSS;• Desigualdades dentro dos países e entre eles são inaceitáveis;• Determinação de agir sobre os DSS para: melhorar as condições de vida; combater a distribuição desigual de poder, dinheiro e recursos; e medir a magnitude do problema e avaliar impacto das intervenções.• Crise econômica e financeira global demanda medidas para reduzir iniquidades de saúde e prevenir piora nas condições de vida e deterioração de sistemas universais de saúde e de seguridade social.
    5. 5. Declaração do Rio• Atuar sobre os DSS implica em processos decisórios transparentes e inclusivos;• Processos participativos na definição e implantação de políticas sobre os DSS;• O setor saúde tem importante papel na redução das iniquidades em saúde.• Importância das organizações multilaterais para apoiar os esforços dos países;• Monitorar tendências das iniquidades em saúde
    6. 6. DSS no século XIX• Villermé (1782-1863) - Pobreza e vícios causam doenças - Fortalecimento da moral; laissez-faire na economia• Chadwick (1800-1890) - Sujeira e imoralidade causam doenças e pobreza - Controle do ambiente: água limpa, saneamento, lixo• Engels (1820-1895) - Capitalismo e a exploração de classe produzem pobreza, doença e morte - Revolução Social(fonte Birn, A.E.,2010)
    7. 7. Determinantes Sociais da Saúde no século XIXVirchow (1821-1902)• A ciência médica é intrínseca eessencialmente uma ciência social;• As condições econômicas e sociais exercem um efeito importante sobre a saúde e a doença e tais relações devem submeter-se à pesquisa científica;• O próprio termo “saúde pública”expressa seu caráter político e sua prática deve conduzir necessariamente à intervenção na vida política e social para identificar e eliminar os obstáculos que prejudicam a saúde da população.• Democracia ampla e ilimitada. Medicina Social(fonte: Rosen, G. 1980)
    8. 8. ConferenciaDSS na agenda global Mundial sobre DSS(Tim Evans modificado) 2000s: o pendulo Comissão sobre DSS oscila novamente S com novas DS 2011 1990s: CM predomínio do oportunidades para paradigma da ação sobre os DSS. DH sáude como CS 2005DSS na DSS um bemConstituição da reaparecem na privado GOMS (1948), agenda de MD 2000social deixado saúde para Todos (1978) asde lado na era rmdas R efo 1993campanhas dos1950s. S-S AP 1982 S-U AP 1978 S OM 1948
    9. 9. CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE ATENÇÃO PRIMÁRIA DE SAÚDE Alma-Ata, URSS, 6-12 de setembro de 1978• A saúde é um direito humano fundamental e a consecução do mais alto nível possível de saúde é a mais importante meta social mundial, cuja realização requer a ação de outros setores sociais e econômicos, além do setor saúde.• A chocante desigualdade existente no estado de saúde dos povos, particularmente entre os países desenvolvidos e em desenvolvimento, assim como dentro dos países, é política, social e economicamente inaceitável.• A promoção e proteção da saúde dos povos é essencial para o contínuo desenvolvimento econômico e social e contribui para a melhor qualidade de vida e para a paz mundial.
    10. 10. CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE ATENÇÃO PRIMÁRIA DE SAÚDE Alma-Ata, URSS, 6-12 de setembro de 1978• É direito e dever dos povos participar individual e coletivamente no planejamento e na execução de seus cuidados de saúde.• Uma das principais metas sociais dos governos, das organizações internacionais e de toda a comunidade mundial deve ser a de que todos os povos do mundo, até o ano 2000, atinjam um nível de saúde que lhes permita levar uma vida social e economicamente produtiva.• Os cuidados primários de saúde constituem a chave para que essa meta seja atingida, como parte do desenvolvimento, no espírito da justiça social.
    11. 11. Conferencia Internacional de Promoção da Saúde de 1986 Carta de Ottawa - A paz, a educação, a moradia, a alimentação, a renda, o ecossistema estável, a justiça social e a equidade são requisitos fundamentais para a saúde dos povos; - São condições-chave para promover a saúde o estabelecimento de políticas públicas saudáveis, a criação de ambientes favoráveis, o fortalecimento das ações comunitárias, o desenvolvimento de habilidades pessoais e a reorientação dos serviços de saúde.
    12. 12. Comissão sobre DeterminantesSociais da Saúde da OMS (CSDH) 2. Melhorar as condições de vida 2. Enfrentar a distribuição inequitativa de Poder, Dinheiro e Recursos 3. Medir e Entender o Problema e Avaliar o Impacto da Ação.
    13. 13. Ação sobre os DSS: o papel do setor saúde e da APS
    14. 14. Determinantes Sociais da Saúde (DSS)• DSS são fatores sociais, econômicos, culturais, étnicos, psicológicos e comportamentais que influenciam a ocorrência de problemas de saúde e seus fatores de risco na população.• Condições sociais em que aspessoas vivem e trabalham
    15. 15. Conceito de DSSA maior parte da carga mundial de morbidadee as causas principais das iniquidades emsaúde, que se encontram em todos os países,surgem das condições em que as pessoasnascem, vivem, trabalham e envelhecem.Estas condições são conhecidas como DSS eincluem os determinantes sociais, econômicos,políticos, culturais e ambientais da saúde
    16. 16. Definições• Desigualdades: diferenças sistemáticas na situação de saúde de grupos populacionais• Iniquidades: diferenças na situação de saúde que além de sistemáticas e relevantes, são evitáveis, injustas e desnecessárias (Whitehead)
    17. 17. Determinantes da Saúde (Dahlgren e Whitehead)
    18. 18. Inter- Participação setorialidade social Distais Intermediários Proximais Intervenções sobre os DSS baseadas em evidencias epromotoras da equidade em saúde
    19. 19. Ações sobre os DSS para promoção da equidade em saúde Coordenação intersetorialEvidencias Participação Social
    20. 20. Intersetorialidade ambiente economia educação emprego saúde saneamento habitaçãoagricultura cultura
    21. 21. Intersetorialidade ambiente economia educação emprego Desenvolvimento humano sustentável saúde habitaçãoagricultura cultura
    22. 22. Bases para ação sobre os DSS1. Governança para atuar sobre os DSS com definição de responsabilidades de atores e setores envolvidos;2. Estímulo a processos participativos na definição e implantação de políticas.3. Fortalecimento do papel do setor saúde na redução das iniquidades em saúde através da equidade no acesso e na qualidade dos serviços.4. Esforço global de ação sobre os DSS com os organismos internacionais, e parceiros bilaterais alinhados e cooperando com os governos nacionais.5. Melhoria dos sistemas de informação para permitir o monitoramento sistemático das tendências das iniqüidades em saúde e impactos das ações sobre elas
    23. 23. Papel do Setor Saúde• Defender a abordagem dos DSS e explicar como ela pode beneficiar a sociedade como um todo.• Monitorar as iniquidades em saúde e o impacto sobre elas de políticas que incidam nos determinantes sociais• Colaborar para unir os demais setores com o objetivo de planejar e implementar intervenções sobre os DSS.• Desenvolver suas próprias capacidades para o trabalho com os DSS.
    24. 24. Declaração de Alma-Ata• Os cuidados primários de saúde representam o primeiro nível de contato dos indivíduos, da família e da comunidade com o SNS;• Atendem os principais problemas de saúde da comunidade com serviços de proteção, cura e reabilitação, conforme necessidades;• Devem ser apoiados por sistemas de referência integrados, funcionais e mutuamente amparados;• Aplicam resultados relevantes da pesquisa social, biomédica e de serviços de saúde e da experiência em saúde pública;• Envolvem, além do setor saúde, todos os setores e aspectos correlatos do desenvolvimento nacional e comunitário;• Requerem e promovem a participação comunitária e individual no planejamento, organização, operação e controle dos serviços
    25. 25. Alma-Ata 30 anos depois: APS como tema central do Relatório Mundial da Saúde de 2008Resolução da AMS 2009 recoloca a APS em destaque naagenda política global sobre atenção à saúde: - introduz os DSS como importante foco da APS; - destaca a interface entre saúde pública e APS; - reafirma valores e princípios da APS: equidade, acesso universal aos serviços, ação intersetorial, descentralização e participação da comunidade.
    26. 26. Princípios para definição de metas em saúde com enfoque DSS• Metas de saúde visam eliminar gradiente social: nivelar por cima• Melhorias devem ser maiores entre grupos menos favorecidos• Metas e ações baseadas na análise dos determinantes das iniqüidades em saúde.
    27. 27. Taxa de Incidência da Tuberculose Pulmonar Bacilífera por estratos dos bairros de Porto Alegre, no período de 2000 a 2005.Estrato 1 2 3 4 PopRisco Relativo 1 2.1 3.5 6.0 3.5Risco Atribuível 16.6 36.7 72.7 36.1Fração do Risco Atribuível 53.1 71.5 83.2 71.1Freqüência Anual dos CasosAtribuíveis 47 122 214 613População total 278213 312009 397711 370451 1358384
    28. 28. Mortes por doença cardiovascular (45-64 anos) e iniquidades sociais, P. Alegre 2000-2004 Bassanesi, Azambuja & Achutti, 2008
    29. 29. Estratégias para promover equidade em saúde com base nos DS• Incluir metas de equidade em saúde em políticas e programas de outros setores: análises de impacto sobre a equidade em saúde• Estratégias doença-específicas.• Cenários: local de trabalho, escolas, comunidade• Estratégias grupo-específicas: crianças, idosos, grupos marginalizados
    30. 30. Exemplo de ação contra dependência ou uso abusivo do álcool Determinantes Nível de Empoderamento Intervenções intervenção da ComunidadeEstilo de Vida Proximal Ação pessoal Educação em saúde / Programa Saúde na Escola Inserir essa temática na linha de cuidado da saúde mentalRedes sociais e Intermediário Organização da Identificar grupos vulneráveis na comunidadeComunitárias comunidade Identificar os hábitos e padrões de consumo de álcool Desenvolvimento de Estímulo a criação de grupos de alcoólicos anônimos grupos de apoioCondições de Construção de Intervenções na comunidade para redução do consumovida parcerias abusivoe trabalho Parcerias com assistência social,educação, setor privado, e outrosCondições sócio- Distal Ação social e Intervenções de geração de renda e emprego naeconomicas, política comunidadeculturais e fechamento de bares na madrugadaambientais Proibição da condução de veículos após consumo de bebidas Proibição vendas de bebidas a jovens Aumento de impostos sobre bebidas
    31. 31. O Movimento do DSS no Brasil : Centro de Estudos, Políticas eInformação sobre DSS (CEPI-DSS) da ENSP/FIOCRUZ
    32. 32. Centro de Estudos, Políticas e Informação sobre DSS (CEPI-DSS)• Observatório sobre Iniqüidades em Saúde: monitoramento das iniqüidades, seguimento e avaliação de políticas/ações sobre os DSS;• Atividades de capacitação para gestores e profissionais da área social;• Estudos e pesquisas sobre os DSS;• Redes colaborativas de pesquisadores e gestores;• Comunicação sobre DSS a setores de governo, profissionais e público em geral:
    33. 33. Numero Especial dos CSP sobre DSS
    34. 34. Portal sobre DSS www.dssbr.org• Observatório: Indicadores e análises• Notícias de interesse para os DSS• Resumos e análise de artigos• Documentos básicos de referencia• Opiniões• Entrevistas• Banco de experiências• Blog; Twitter; Links selecionados
    35. 35. Informação para a tomada de decisões: Observatórios"um centro nacional de base virtual, orientado apolíticas, que tem o propósito de realizar observação einformar de forma sistemática y continua sobre aspectosrelevantes da saúde da população e dos sistemas desaúde, para apoiar – de um modo eficaz e baseado emevidencia – o desenvolvimento de políticas e planos desaúde, a tomada de decisões e ações em saúde públicae em sistemas de saúde. O fim último é contribuir para apreservação e melhoramento da saúde da população , oque inclue a redução das iniquidades". (Gattini)
    36. 36. Taxa de mortalidade específica por diabete melito na população de 15 anos e mais segundo escolaridade
    37. 37. Taxa de mortalidade específica por homicídios na população de 15 anos e mais segundo escolaridade
    38. 38. Taxa de mortalidade específica por homicídios na população de 15 anos e mais segundo escolaridade
    39. 39. Mulheres com mais de 25 anos que nunca fizeram preventivo de câncer de colo de útero segundo escolaridade
    40. 40. Mulheres entre 50 e 69 anos que nunca fizeram mamografia segundo escolaridade
    41. 41. Pessoas com mais de 14 anos que nunca foram ao dentista segundo escolaridade
    42. 42. Pessoas com mais de 14 anos que nunca foram ao dentista segundo escolaridade
    43. 43. Proporção (%) de nascidos vivos em partos hospitalares, segundo escolaridade
    44. 44. Proporção (%) de nascidos vivos em partos hospitalares, segundo escolaridade
    45. 45. Proporção de nascidos vivos com 7 ou maisconsultas pré-natal segundo escolaridade da mãe
    46. 46. Proporção de nascidos vivos com 7 ou maisconsultas pré-natal segundo escolaridade da mãe
    47. 47. www.dssbr.org
    48. 48. Obrigado!

    ×