• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Assistência de enfermagem ao paciente pediátrico com pneumonia
 

Assistência de enfermagem ao paciente pediátrico com pneumonia

on

  • 21,646 views

 

Statistics

Views

Total Views
21,646
Views on SlideShare
21,646
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
160
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Assistência de enfermagem ao paciente pediátrico com pneumonia Assistência de enfermagem ao paciente pediátrico com pneumonia Presentation Transcript

    • Enf. Teresa Oliveira
    • Pneumonia: Processo inflamatório do parênquima pulmonar.Na maioria das vezes,é causada por microorganismos,mas causas não- infecciosas também devem ser consideradas tais como aspiração de substâncias estranhas.
    • Classificações: As pneumonias podem ser classificadas,de acordo com a morfologia,agente etiológico,forma clínica e o modo de aquisição.Em nível morfológico: Pneumonia Lobar. Broncopneumonia. Pneumonia Intersticial.
    • Classificações:De acordo com o agente etiológico: Pneumonia Viral. Pneumonia Bacteriana. Pneumonia por BroncoaspiraçãoDe acordo com o modo de aquisição: Adquirida na comunidade. Adquirida no hospital: Pneumonias adquiridas antes do nascimento. Pneumonias adquiridas durante o nascimento. Pneumonias adquiridas após o nascimento.
    • Epidemiologia:  5 milhões de óbitos em crianças abaixo de 5 anos, sendo que em 70% dos casos são causados por pneumonia  No Brasil, dados de 2000, mostram que 10,2% de 15000 óbitos em menores de 10 anos, ocorreram por doenças respiratórias. Sendo a terceira causa de mortalidade infantil  Corresponde há 1% de todas as doenças respiratórias na faixa etária pediátrica
    • Fatores de Risco:  Hospedeiro  Faixa etária, estado nutricional, estado imunitário, baixo peso ao nascer, desmame precoce, viroses pregressas, malformações anatômicas e patologias de bases,cobertura vacinal insuficiente.  Perinatais  Rotura prematura de membranas,asfixia perinatal e reanimação em sala de parto mal conduzida.  Ambientais  Poluição atmosférica e intradomiciliar (cigarro, bolor), aglomerações (creches, escolas).  Sócio-econômicos  Habitação, saneamento, vacinação, renda familiar e grau de instrução dos pais.
    • Proteção Respiratória NaturalFisiopatologia • Nariz • Filtração das partículas • Faringe e Traquéia • Reflexo da epiglote • Reflexo da tosse • Adesão e expulsão de partículas pelo muco secretado pelas células ciliadas • Pulmão • Substâncias imunes locais (complemento, antiproteases, lisoenzimas e fibronectina)
    • Fisiopatologia  A infecção ocorre quando um ou mais desses mecanismos estão alterados e/ ou são suplantados pela virulência do agente infeccioso.  Infecção viral prévia  ↑ secreção  ↓ atividade ciliar  ↓ da ação bactericida dos macrófagos alveolares  Alteram a produção de anticorpos
    • Fisiopatologia Aquisição de pneumonia por contigüidade: Alterações na Defesa + Lesão Prévia + Foco Infeccioso
    • Etiologia  Pneumonia Bacteriana  O agente etiológico estará intimamente relacionado com a faixa etária, com a competência imunológica da criança e se há patologia de base. Neonatos:Proveniente de complicações(Parto prematuro,infecções maternas,ventilação mecânica). Os principais responsáveis são:  Streptococcus pneumoniae  Haemophilus influenzae.  S. Auereus  S. B -hemolítico
    • Etiologia
    • EtiologiaPneumonia ViralLactentes e crianças em fase pré-escolar. Vírus sincicial respiratório(VSR). Adenovírus.
    • Manifestações ClínicasA pneumonia varia em seus sinais e sintomas,dependendo do agente etiológico Pneumonia Viral: tosse discreta, febre baixa e indisposição, ou graves – tosse intensa, febre alta e prostração. Geralmente, no início da doença a tosse não é produtiva e através da auscultação podem ser percepcionados alguns sibilos ou estertores.
    • Manifestações ClínicasPneumonia Bacteriana: Os sinais e sintomas de uma pneumonia bacteriana variam de acordo com o agente patológico, a idade da criança, e a severidade da doença. As crianças com pneumonia bacteriana, apresentam um mau estar geral, além de demonstrarem sinais/sintomas físicos gerais e localizados, tais como: febre, anorexia taquipnéia, tosse (inicialmente seca e depois produtiva) , dor toráxica (pode ser referida pela criança no abdómen, e ser confundida com apendicite), cefaleias, calafrios, dispneia, respiração ruidosa, e sintomas meníngeos.
    • DiagnósticoClínicoRadiológicoLaboratorial
    • Diagnóstico  Radiológico  Avaliar extensão do acometimento; Pneumonia Lobar Pneumonia Viral Broncopneumonia Fonte:www.emedicine.com Fonte:www.scielo.br/img/ fbpe/rsbmtFonte: encyclopedias.families.com
    • Diagnóstico  Laboratorial  HC: pouco valor, leucocitose com neutrofilia e desvio à esquerda, anemia e plaquetopenia;  Hemocultura: não é indicada em pneumonia simples e sim nos casos que requer internação  Cultura do trato respiratório;  Bacterioscopia do derrame pleural;  Biópsia pulmonar, transbrônquica.
    • Diagnóstico  Diagnóstico Diferencial  Doenças de vias aéreas superiores e inferiores e também as doenças infecciosas não respiratórias;  Asma, infecções virais de vias aéreas superiores, pneumopatias crônicas: displasia broncopulmonar, mucoviscidose, atelectasia e corpo estranho;  Todo quadro de tosse com febre é suspeito de pneumonia até que se exclua o diagnóstico.
    • Tratamento Hidratação Terapia antimicrobiana Inaloterapia Oxigenoterapia Antitérmicos Broncodilatadores orais/inalatórios Drenagem Torácica Repouso Fisioterapia respiratória
    • Tratamento
    • ComplicaçõesChoqueInsuficiência RespiratóriaAtelectasiaDerrame Pleural
    • Assistência de EnfermagemHistórico de Enfermagem e exame físico: Alterações na temperatura e pulso Quantidade,odor e coloração das secreções Frequência e intensidade da tosse Grau de taquipnéia ou falta de ar Alterações nos achados do exame físico(principalmente avaliados através da inspeção e ausculta torácica) Alterações nos achados radiográficos
    • Diagnósticos de EnfermagemCom bases nos dados do histórico,os principais diagnósticos de enfermagem podem incluir os seguintes: Depuração ineficaz da via aérea relacionada com as secreções traqueobrônquicas copiosas. Intolerância á atividade relacionada com a função respiratória comprometida. Risco de déficit de volume de líquidos relacionado com a febre e frequência respiratória rápida. Nutrição alterada:menor que as necessidades corporais. Déficit de conhecimentos sobre o regime de tratamento e medidas de prevenção.
    • Planejamento e metasAs principais metas podem incluir a melhora da permeabilidade da via aérea,repouso para conservar energia,manutenção do volume de líquidos apropriado,manutenção da nutrição adequada,uma compreensão do acompanhante sobre o protocolo de tratamento e das medidas de prevenção e ausência de complicações.
    • Prescrições de Enfermagem Melhorando a permeabilidade de via aérea. Promovendo o Repouso e Prescrevendo a Energia. Promovendo a Ingestão de Líquidos. Mantendo a Nutrição. Promovendo o Conhecimento dos Pacientes e Acompanhantes(orientações pós alta hospitalar). Monitorando e Tratando as Complicações Potencias
    • Evolução Os resultados esperados podem incluir: Demonstra melhora na permeabilidade da via aérea,conforme evidenciado por oxigenação adequada da oximetria de pulso ou análise da gasometria arterial,temperatura normal,sons respiratórios normais e tosse efetiva. Repousa e conserva a energia ao limitar as atividades,permanecendo no leito enquanto sintomático e em seguida aumentando lentamente suas atividades. Mantêm a hidratação adequada,conforme evidenciado por uma ingestão de líquidos e débito urinário adequados e turgor cutâneo normal. Consome a ingestão nutricional adequada,conforme evidenciado pela manutenção ou aumento no peso corporal sem ganho excessivo de liquido. Adere as estratégias de tratamento. Não exibe complicações. Adere ao protocolo de tratamento e as estratégias de prevenção(família)
    • Obrigado!