Cultura,arte e religião

15,082 views
14,982 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
15,082
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
21
Actions
Shares
0
Downloads
273
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Cultura,arte e religião

  1. 1. PORTUGAL NO CONTEXTO EUROPEU DOS SÉCULOS XII A XIV Cultura, Arte e Religião Entre os séculos XII e XIV desenvolveram-se diferentes manifestações culturais
  2. 2. Cultura monástica O clero era, na Idade Média, o grupo social mais culto. A cultura monástica promovida, sobretudo, nos mosteiros, mas também nas igrejas e catedrais, foi uma cultura religiosa e erudita, ligada à oração, ao ensino (escolas monásticas e episcopais) e à cópia de livros. Monge copista Iluminura Escola monástica
  3. 3. Cultura Cortesã A cultura cortesã desenvolveu-se nas cortes régias e nos palácios e castelos dos nobres. As principais manifestações da cultura cortesã eram animadas por jograis, representações teatrais, poesia trovadoresca (cantigas de amigo, cantigas de amor e cantigas de escárnio e maldizer), os romances de cavalaria, os livros de montaria e os livros de linhagem , as crónicas, a música, os torneios, as festas e os banquetes. Cantiga de Amigo Ay flores, ay flores do verde pyno, Se sabedes novas do meu amigo! Ay Deus, e hu é? Ay flores, ay flores do verde ramo, Se sabedes novas do meu amado! Ay Deus, e hu é? (…) D. Dinis Ambiente cortesão
  4. 4. Cultura Popular Nos campos e nas cidades desenvolveu-se a cultura popular. A maior parte do povo era analfabeta, por isso esta cultura transmitia-se oralmente, através de lendas, poesias e músicas. Nas festas e romarias atuavam os saltimbancos e momos, os jograis e os bobos. As festas populares incluíam quase sempre celebrações religiosas. Camponeses a dançar
  5. 5. Religião As Ordens Mendicantes A decadência dos costumes e do clero e a riqueza crescente da Igreja provocaram a fundação de ordens mendicantes, nos séculos XII e XIII. Com estas ordens renasciam os ideais de pobreza, de amor ao próximo e de simplicidade. Através da pregação defendiam os mais desfavorecidos e combatiam as heresias. Ordem dos Franciscanos, fundada por S. Francisco de Assis, em 1209 Ordem dos Dominicanos, fundada por S. Domingos de Gusmão, em 1215
  6. 6. As heresias A vida de luxo vivida por alguns membros do clero fez com que as surgissem ideias contrárias à doutrina da Igreja. Conhecidas como heresias, essas novas ideias religiosas ameaçaram o poder da Igreja. Estes movimentos acabam por ser perseguidos pela Igreja e dão origem ao tribunal da Inquisição. Cátaros Valdenses Exemplos de heresias medievais:
  7. 7. As Universidades Com o desenvolvimento urbano, a partir do século XII, as escolas episcopais e monásticas tornaram-se incapazes de responder às necessidades das elites urbanas. Nalgumas cidades começaram a surgir associações de estudantes e professores, que promoviam o ensino de matérias como a Medicina e o Direito, entre outras. Assim, surgiram as Universidades – ou Estudos Gerais -, por toda a Europa. Estudantes universitários
  8. 8. ARTE Estilo Românico Entre os século XI e XII, o estilo artístico predominante foi o românico, aplicado sobretudo às construções religiosas. Na arte românica a escultura e a pintura estavam subordinadas à arquitetura. Em Portugal, os edifícios religiosas podem-se agrupar em 2 grupos: • Grandes edifícios: por exemplo a Sé de Coimbra; • Pequenas igrejas locais. Igreja de S.Pedro de Rates (Póvoa de Varzim)
  9. 9. Estilo Românico Principais características: - Aspeto pesado (tipo fortaleza), com poucas aberturas. - Janelas em forma de seteiras. - Planta de cruz latina. - Grossas paredes com contrafortes exteriores. Sé de Coimbra Transepto Deambulatório Naves Laterais
  10. 10. Estilo Românico Principais características: - Grossas colunas interiores. - Arcos de volta perfeita e abóbadas de berço. - Decoração com esculturas de figuras bíblicas e outras figuras simbólicas. Tímpano da Igreja de S.Pedro de Rates Mosteiro de Castro de Avelãs (Bragança)
  11. 11. Estilo Românico Outro tipo de Edifícios: -Os castelos Marcam o poder da nobreza fundiária e simbolizam a segurança. Escultura, pintura e ourivesaria: A escultura românica está muito dependente da arquitectura. Começa a ganhar importância a escultura tumular. É pouco conhecida a pintura românica sobre pedra, em Portugal. Mas são conhecidas algumas iluminuras. A ourivesaria teve um notável desenvolvimento, essencialmente ligada à religião. Túmulo de Egas Moniz Cálice(mostero de Refojos de Basto) Relicário (mosteiro de Arouca) Castelo de Almourol
  12. 12. Estilo Gótico Entre finais do século XII e meados do século XV desenvolveu-se na Europa a arte gótica. O estilo gótico é reflexo de uma época de renovação económica e urbana. O gótico é uma arte urbana e de catedrais. Em Portugal, o gótico difundiu-se tardiamente. Por isso coexistiram, durante bastante tempo, o românico e o gótico. No nosso país o gótico é sobretudo, uma arte de mosteiros e não de catedrais. O Mosteiro da Batalha é a obra prima do gótico português, mas podem-se destacar, também, o Mosteiro de Alcobaça, a Igreja de S. Francisco, no Porto ou a Igreja da Graça em Santarém. Mosteiro da Batalha Mosteiro da Alcobaça
  13. 13. Estilo Gótico Principais características: - Grande altura dos edifícios. - Verticalidade das linhas dos edifícios. - Utilização do arco em ogiva. - Abóbada sobre o cruzamento de ogivas. - Emprego dos arcobotantes. - Intensa luminosidade interior proporcionada pelas janelas e vitrais. - Decoração das fachadas. Interior do Mosteiro da Batalha
  14. 14. Estilo Gótico Outro tipo de Edifícios: - Castelos Reduz-se o perímetro da cerca. A torre de menagem torna-se mais alta e aparatosa e até mais habitável, deixando livre a praça de armas para os guerreiros. - Paços reais - Paços episcopais - Paços senhoriais Castelo de Bragança Solar dos Pinheiros Barcelos
  15. 15. Estilo Gótico Escultura: A afirmação do Gótico ficou marcada pelo regresso em força da escultura devocional. A escultura no interior dos templos generaliza-se. A escultura tumular também cresce. Virgem com o Menino Esculturas do Apostolado, Sé de Évora Túmulo de D. Inês de Castro
  16. 16. Estilo Gótico Pintura e ourivesaria: - Embora a maioria das peças se destinam-se a uma utilização religiosa, começam a surgir cada vez mais peças para uso pessoal e doméstico. Na pintura desenvolveu-se a iluminura de manuscritos e os vitrais.  Em Portugal, o pintor Nuno Gonçalves  foi o artista de maior projeção, sendo a sua obra mais conhecida os Painéis de S. Vicente de Fora. Colar da Rainha Santa Painéis de S. Vicente de Fora, século XV, Nuno Gonçalves
  17. 17. FIM

×