0
Tereos Internacional
Resultados do Primeiro Trimestre 2012/13
Teleconferência com o Mercado
São Paulo – 10 de agosto de 20...
Destaques Trimestrais
Resultados Financeiros do 1T 2012/13
Resultados por Segmento Operacional
Fluxo de Caixa e Endividame...
Destaques Trimestrais
4
1T 2012/13 – Principais Acontecimentos
Conclusão do Aumento de Capital de R$ 370 milhões: 100% subscrito
 Novo free flo...
5
1T 2012/13 – Destaques Financeiros
 Receita estável: R$ 1,7 bilhão: -1,9%, em moeda constante em base anual
+4,6%, conf...
Açúcar:
 Chuvas atípicos no Brasil
 Recuperação dos preços mundiais no 1T 12/13
 Preços no Brasil permaneceram estáveis...
Resultados Financeiros do 1T 2012/13
1604 1678
+106
(51)
+32
(13)
1T
2011/12
Moeda Volume Preço & Mix Outros 1T
2012/13
1T 2012/13 – Receita Líquida
Receita lí...
1T 2012/13 – EBITDA Ajustado
Atraso da safra no Brasil e aumento nos custos de cereais (segmento Álcool & Etanol Europa)
9...
Resultados por Segmento Operacional
Cana-de-Açúcar
Brasil – Oceano Índico
84
106
90 86 94
1T
11/12
2T
11/12
3T
11/12
4T
11/12
1T
12/13
140
99 91
151
115
40
40
1T
11/12
2T
11/12
3T
11/12
4T
11/12
1...
502
408
+18
(52)
(31)
(36)
+7
1T
2011/12
Preço &
Mix
Volume Preço &
Mix
Volume Outros * 1T
2012/13
Cana-de-Açúcar Brasil –...
65
315
275
43
116
1T11/12
2T11/12
3T11/12
4T11/12
1T12/13
Cana-de-Açúcar Oceano Índico – Produção e 1T Financeiro
Início d...
Nova Segmentação de Cereais
Amido & Adoçantes
Álcool & Etanol Europa
Nova segmentação para a divisão de cereais
Para melhor refletir a evolução do segmento
16
“Amido &
Adoçantes”
“Álcool & Et...
Amido & Adoçantes – Produção e Vendas
Pequeno aumento no volume vendido, incluindo aumento no perímetro
 Processamento de...
Amido & Adoçantes – 1T Financeiro
Aumento de perímetro e ajustes de preços
Números Chave
Em R$ milhões
1T
2012/13
1T
2011/...
115 110 109
134
110
40
26
62
61
70
1T
11/12
2T
11/12
3T
11/12
4T
11/12
1T
12/13
Trading Own Sales
156
136
171
195
180
219 ...
Amido e
Adoçantes
57%
Álcool e
Etanol 33%
Co-produtos
e outros
10%
Álcool & Etanol Europa – 1T Financeiro
 Vendas de Álco...
Fluxo de Caixa e Endividamento
EBITDA
Ajustado
Ajustes EBITDA Depreciação e
Amortização
Lucros
Operacionais
Despesas
Financeiras
Líquidas
Lucro antes do
...
Fluxo de Caixa
Em R$ milhões
1T 2012/13(1)
EBITDA Ajustadp 156
Capital de giro (92)
Outros operacionais (incluindo imposto...
3.001
2.293
2.150
2.498
3.084
3.223
3.043
3.333
4.8x
3.0x
2.5x 2.6x
3.3x 3.4x
3.2x
3.7x
-
500
1.000
1.500
2.000
2.500
3.00...
Perspectivas
 Cana-de-açúcar:
 Brasil: aumento na previsão de moagem
• Impactos das chuvas na produção a serem recuperados no curso d...
27
Relações com Investidores
Telefone: +55 (11) 3544-4900
ri@tereosinternacional.com
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

1 q 1213 presentation PT

100

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
100
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "1 q 1213 presentation PT"

  1. 1. Tereos Internacional Resultados do Primeiro Trimestre 2012/13 Teleconferência com o Mercado São Paulo – 10 de agosto de 2012
  2. 2. Destaques Trimestrais Resultados Financeiros do 1T 2012/13 Resultados por Segmento Operacional Fluxo de Caixa e Endividamento Perspectivas
  3. 3. Destaques Trimestrais
  4. 4. 4 1T 2012/13 – Principais Acontecimentos Conclusão do Aumento de Capital de R$ 370 milhões: 100% subscrito  Novo free float: conclusão da reestruturação acionaria da controladora da Tereos Internacional com o ingresso de 11 cooperativas de cerealistas diretamente na Companhia • A participação direta da Tereos na Tereos Internacional passou a ser de 69.6% e o free float aumentou de 10,7% para 29,3% (já considerado o aumento de capital)  Aumento de capital: R$370 milhões, foi integralmente subscrito • Os recursos serão usados para financiar a expansão da divisão de cereais e a diversificação de projetos Acionistas Históricos TEREOS 29,3% 1,1% Novo free float 69,6% 0,4% 11,0% C.A. d’Hochefelden Theal Noralliance Dév. Axereal Noriap Agrial Uneal Agralys Epis-Centre Acolyance Thémis Agro-Industrie 0,4% 1,0% 0,3 % 0,8% 6,5% 1,2%2,3% 1,0% 3,2% 1,2% Outros Acionistas Minoritários
  5. 5. 5 1T 2012/13 – Destaques Financeiros  Receita estável: R$ 1,7 bilhão: -1,9%, em moeda constante em base anual +4,6%, conforme divulgado em base anual • Alta dos preços em praticamente todos os nossos produtos, exceto no segmento de etanol no Brasil, parcialmente compensando a redução de volumes  EBITDA Ajustado: R$ 156 milhões: -26,7%, em moeda constante em base anual -24,3%, conforme divulgado em base anual • Impacto da redução no volume de produção do trimestre originado principalmente pelo atraso na safra de cana-de-açúcar brasileira, devido às chuvas no período
  6. 6. Açúcar:  Chuvas atípicos no Brasil  Recuperação dos preços mundiais no 1T 12/13  Preços no Brasil permaneceram estáveis, menos impactados pelas oscilações dos preços mundiais Amido:  Seca severa nos EUA e na Europa impulsionou a alta dos preços do trigo e do milho  Demanda europeia por amido e derivados permanece estável em relação ao segmento alimentício, com queda de demanda no setor industrial (papel & papelão) Etanol:  Brasil enfrentou outro trimestre de preços estáveis no mercado local  Europa: mercado crescente, mas enfrenta um momento de baixo consumo de gasolina  Preços do etanol nos EUA aumentaram no fim de junho, devido às preocupações com a seca no meio-oeste do país 1T 2012/13 – Fundamentos de Mercado 6 Source: Bloomberg 400 470 540 610 680 750 abr-11 ago-11 dez-11 abr-12 NY#11 LIFFE #5 US$/MT 170 190 210 230 250 270 abr-11 ago-11 dez-11 abr-12 Milho Matif Trigo Matif €/MT 400 500 600 700 800 700 1000 1300 1600 1900 abr-11 ago-11 dez-11 abr-12 Brasil ESALQ Europa Rotterdam R$/m³ €/m³
  7. 7. Resultados Financeiros do 1T 2012/13
  8. 8. 1604 1678 +106 (51) +32 (13) 1T 2011/12 Moeda Volume Preço & Mix Outros 1T 2012/13 1T 2012/13 – Receita Líquida Receita líquida estável, apesar do atraso da moagem no Brasil 8 +4,6% Receita Líquida (R$ MM)  Receita de cana-de-açúcar: R$560 milhões (33,4% da receita total)  Brasil: R$408 milhões -19%, conforme divulgado produção postergada para 2º, 3º e 4º trimestres  Oceano Índico: R$152 milhões +5%, conforme divulgado um embarque da Ilha da Reunião foi postergado para o 2º trimestre, Moçambique apresentou um bom desempenho  Receita de cereais: R$1.118 milhões (66,6% da receita total)  Amido & Adoçantes: R$797 milhões +15%, conforme divulgado efeito preço & mix:+4%, efeito volume: +1% 1604 1678 (94) +7 +103 +59 1T 2011/12 Brasil Oceano Índico Amido Europa Etanol Europa 1T 2012/13
  9. 9. 1T 2012/13 – EBITDA Ajustado Atraso da safra no Brasil e aumento nos custos de cereais (segmento Álcool & Etanol Europa) 9  EBITDA Ajustado de cana-de-açúcar: R$57 milhões (36,4% do EBITDA Ajustado total) • Brasil: atraso de produção devido às chuvas intensas • Oceano Índico: maiores preços com melhores volumes em Moçambique  EBITDA Ajustado de cereais: R$102 milhões (65,0% do EBITDA Ajustado total) • Amido & Adoçantes Europa: aumento na margem EBITDA Ajustado (9,3% no 1T 2012/13 vs 7,4% no 1T 2011/12) • Álcool & Etanol Europa: aumento nos custos de cereais parcialmente compensado por maior volume de trading  Ajustes • Ativos biológicos (-R$7 milhões) e instrumentos financeiros (+R$1 milhão) EBITDA Ajustado (R$ MM) Margem 9,3%Margem 12,9% 206 (71) +9 +23 (12) +1 156 1T 2011/12 Brasil Oceano Índico Amido Europa Etanol Europa Holding 1T 2012/13
  10. 10. Resultados por Segmento Operacional
  11. 11. Cana-de-Açúcar Brasil – Oceano Índico
  12. 12. 84 106 90 86 94 1T 11/12 2T 11/12 3T 11/12 4T 11/12 1T 12/13 140 99 91 151 115 40 40 1T 11/12 2T 11/12 3T 11/12 4T 11/12 1T 12/13 305 374 375 249 2511T 11/12 2T 11/12 3T 11/12 4T 11/12 1T 12/13 5,8 7,8 2,6 4,7 1T 11/12 2T 11/12 3T 11/12 4T 11/12 1T 12/13 Vendas de Etanol (‘000 m³) Vendas de Energia (‘000 MWh) Processamento de Cana-de-Açúcar (MM t) Vendas de Açúcar (‘000 t) 12  Processamento de cana-de-açúcar: 4,7 milhões de toneladas no 1T 2012/13 (60% de cana-de-açúcar de terceiros) Rendimento agrícola acumulado de 80 toneladas de cana-de-açúcar por hectare (3,8% acima do previsto)  Produção: Açúcar: 317.000 toneladas60% do mix Etanol: 132.100 m³ 40% do mix  Cogeração: aumento no volume vendido para 94 GWh (+11,3%) -17,7% -18,2% +11,3% Cana-de-Açúcar Brasil – Produção & Vendas Menor volume de processamento devido às condições climáticas adversas -20,1% Chuvas excessivas levaram a um atraso no processamento de cana-de-açúcar, mas permitiram um aumento na previsão de moagem para a safra 2012/13 de 17,5 milhões para 18,2 milhões A safra está prevista para terminar na primeira semana de dezembro de 2012
  13. 13. 502 408 +18 (52) (31) (36) +7 1T 2011/12 Preço & Mix Volume Preço & Mix Volume Outros * 1T 2012/13 Cana-de-Açúcar Brasil – 1T Financeiro Maiores preços de açúcar enquanto os preços do etanol retornaram ao nível normal * Inclui Cogeração, Produtos Agrícolas e Hedge Números Chave Em R$ milhões 1T 2012/13 1T 2011/12 Variação Receita 408 502 -19% Lucro Bruto -14 89 -116% Margem Bruta -3,5% 17,8% EBITDA 32 136 -77% Margem EBITDA 7,7% 27,0% EBITDA Ajustado 41 112 -64% Margem EBITDA Ajustado 10,0% 22,3% CAPEX 154 139 11%  EBITDA Ajustado: R$41 milhões • Valor justo dos ativos biológicos: -R$10,2 milhões • Instrumentos financeiros: +R$1,0 milhão • Margem EBITDA Ajustado1 incluindo tratos culturais como depreciação: 17,1%  CAPEX: R$154 milhões: incluindo R$47 milhões de plantio. Devido às chuvas, 53% do programa de plantio de inverno foi realizado  Açúcar: 58,8% da receita líquida total • Volumes vendidos: -17,7% para 250.500 de toneladas • Preços do açúcar: 956,4 R$/ton (+11,4% em base anual)  Etanol: 31,9% da receita líquida total • Volume vendido: -18,2% para 115.000 m3 • Preços: 1.136,2 R$/m3 (-19,0%, em base anual)  Cogeração: a receita da energia somou R$14,8 milhões (+30,0%, em base anual) 13 (1) A Tereos Internacional aloca despesas com tratos culturais como custo. Se os tratos culturais fossem alocados como investimento e a revenda de etanol fosse excluída, o EBITDA Ajustado seria de R$69,5 milhões. Receita Líquida (R$ MM) Açúcar Etanol
  14. 14. 65 315 275 43 116 1T11/12 2T11/12 3T11/12 4T11/12 1T12/13 Cana-de-Açúcar Oceano Índico – Produção e 1T Financeiro Início da safra antecipada em Moçambique, resultados estáveis na Ilha da Reunião 14 Ilha de Reunião Processamento de Cana-de-Açúcar (’000 t) +78,8% Ilha da Reunião  Nenhum processamento de cana-de-açucar, safra inicia em julho • Vendas de açúcar: 58.800 toneladas  Receita • 1T 2012/13: R$140,9 milhões vs R$141,6 milhões, conforme divulgado Devido ao atraso de um embarque para Europa  EBITDA Ajustado • 1T 2012/13: R$25,9 milhões vs R$18,8 milhões, conforme divulgado • Margem EBITDA Ajustado de 18,4%, aumento de 5,1 pontos percentuais devido aos maiores preços de venda  CAPEX: R$29 milhões em 1T 2012/13 alocados para custos de manutenção e reposição regular de equipamentos industriais Moçambique  Processamento de Cana-de-Açúcar: 116.000 toneladas & Produção de açúcar: 9.000 toneladas • Início antecipado e previsão de maior moagem (850.000 toneladas, +21,4%) • Melhor rendimento industrial  Receita • 1T 2012/13: R$11,2 milhões (2,8x em base anual)  EBITDA Ajustado • Tradicionalmente negativo devido à sazonalidade • R$2,1 milhões de melhora em base anual, conforme divulgado  CAPEX: R$7,7 milhões em 1T 2012/13 alocado para expansão do programa de irrigação em andamento, plantio e performance da usina Números Chave Em R$ milhões 1T 2012/13 1T 2011/12 Variação Receita 152 146 5% Lucro Bruto 35 20 72% Margem Bruta 23,1% 14,0% EBITDA 19 8 140% Margem EBITDA 12,4% 5,4% EBITDA Ajustado 16 7 133% Margem EBITDA Ajustado 10,6% 4,7% CAPEX 37 32 15% Moçambique Processamento de Cana-de-Açúcar (’000 t) 989 898 0 1T 11/12 2T 11/12 3T 11/12 4T 11/12 1T 12/13
  15. 15. Nova Segmentação de Cereais Amido & Adoçantes Álcool & Etanol Europa
  16. 16. Nova segmentação para a divisão de cereais Para melhor refletir a evolução do segmento 16 “Amido & Adoçantes” “Álcool & Etanol” Marckolsheim Nesle Aalst Saragoça Saluzzo Selby Haussimont BENP DVO Segmentação Anterior-Syral Segmentação Anterior- BENP/DVO Nova Segmentação:
  17. 17. Amido & Adoçantes – Produção e Vendas Pequeno aumento no volume vendido, incluindo aumento no perímetro  Processamento de Cereais: 723.000 toneladas -2,2% vs. 1T 2011/12 (excluindo Haussimont/Syral Halotek)  Volume vendido • Amido & Adoçantes: ligeiro aumento (+2,3%, em base anual) devido a integração de Haussimont (8.600 toneladas vendidas no trimestre, equivalente a 2% do volume vendido) • Co-produtos: menor venda de glúten (-1,8%, em base anual), alinhado com a redução do processamento de cereais 17 Processamento de Cereais (‘000 t) Vendas de Amido & Adoçantes (‘000 t) Vendas de Co-produtos (‘000 t) -2,2% +2,3% -1,8% 739 720 678 710 723 1T 11/12 2T 11/12 3T 11/12 4T 11/12 1T 12/13 440 424 392 433 450 1T 11/12 2T 11/12 3T 11/12 4T 11/12 1T 12/13 221 221 204 210 217 1T 11/12 2T 11/12 3T 11/12 4T 11/12 1T 12/13
  18. 18. Amido & Adoçantes – 1T Financeiro Aumento de perímetro e ajustes de preços Números Chave Em R$ milhões 1T 2012/13 1T 2011/12 Variação Receita 797 694 15% Lucro Bruto 177 126 41% Margem Bruta 22,2% 18,1% EBITDA 74 36 106% Margem EBITDA 9,3% 5,2% EBITDA Ajustado 74 51 44% Margem EBITDA Ajustado 9,3% 7,4% CAPEX 77 32 138% 18 Receita Líquida (R$ MM) +14,8%  Receita: +14,8% • Devido ao aumento dos preços (+6% em moeda local) e integração da unidade Haussimont no perímetro (R$12,7 milhões)  EBITDA Ajustado: R$74 milhões, aumento de R$23 milhões • Restabelecimento da margem EBITDA após primeiro trimestre 2011/12 com matérias-primas caras e margens comprimidas • Instrumentos financeiros: R$0,3 milhão  CAPEX: R$77 milhões alocados para projeto de amido no Brasil e diversificações na Europa 694 797 +66 +9 +27 +1 4T 2010/11 Moeda Volume Preço & Mix Outros 4T 2011/12
  19. 19. 115 110 109 134 110 40 26 62 61 70 1T 11/12 2T 11/12 3T 11/12 4T 11/12 1T 12/13 Trading Own Sales 156 136 171 195 180 219 218 220 214 209 1T 11/12 2T 11/12 3T 11/12 4T 11/12 1T 12/13 Álcool & Etanol Europa – Produção e Vendas Ligeiro aumento nos volumes vendidos devido a trading de etanol  Processamento de cereais: 209.000 toneladas -4,3% vs. 1T 2011/12 • 7 dias de parada na unidade BENP Lillebonne para iniciar a nova linha de produção de glúten e para manutenção (-20.000 toneladas de cereais) • Impacto positivo da start-up Selby (4% do volume do trimestre)  Volume vendido • Álcool & Etanol: 15,4% de aumento, vendas de etanol de beterraba (Tereos) compensou a queda da venda de etanol próprio • Co-produtos: menores vendas de co-produtos, relacionadas com a menor produção na unidade BENP Lillebonne (7 dias de parada)19 Vendas de Etanol e Álcool (‘000 m3) Vendas de Co-produtos (‘000 t) -4,6% +15,4% -11,8% Processamento de Cereais (‘000 t) 68 59 66 62 60 1T 11/12 2T 11/12 3T 11/12 4T 11/12 1T 12/13
  20. 20. Amido e Adoçantes 57% Álcool e Etanol 33% Co-produtos e outros 10% Álcool & Etanol Europa – 1T Financeiro  Vendas de Álcool e Etanol: 110.000 m3 + 70.000m3 da Tereos trading  Lucro Bruto: R$38 milhões e margem bruta de11,8%  CAPEX: R$77 milhões principalmente alocados para o projeto de glúten na unidade BENP Lillebonne  Margem EBITDA Ajustado excluíndo trading seria de 12,7% 20 Receita Líquida (R$ MM) +22,5% Receita por Abertura por Produto Números Chave Em R$ milhões 1T 2012/13 1T 2011/12 Variação Receita 322 263 +23% Lucro Bruto 38 69 -45% Margem Bruta 11.8% 26.3% EBITDA 27 40 -31% Margem EBITDA 8.5% 15.1% EBITDA Ajustado 27 40 -31% Margem EBITDA Ajustado 8.5% 15.1% CAPEX 77 42 +85% 262 322 +25 +34 0 +1 1T 2011/12 Moeda Volume Preço & Mix Outros 1T 2012/13
  21. 21. Fluxo de Caixa e Endividamento
  22. 22. EBITDA Ajustado Ajustes EBITDA Depreciação e Amortização Lucros Operacionais Despesas Financeiras Líquidas Lucro antes do Impostos Impostos Equivalência Patrimonial Lucro Líquido Participações Não Controladoras Aos Acionistas da Controladora 22 156 Do EBITDA Ajustado ao Lucro Líquido – 1T 2012/2013 (6) 150 (163) (13) (79) +16 +0 (46) (76) (92) +31 Impacto do efeito cambial: -R$36 milhões (desvalorização do Real contra o Dólar e o Euro) Maior depreciação devido ao maior período de entressafra na Guarani (-R$22,3 milhões, em base anual)
  23. 23. Fluxo de Caixa Em R$ milhões 1T 2012/13(1) EBITDA Ajustadp 156 Capital de giro (92) Outros operacionais (incluindo imposto pago) (50) Fluxo de Caixa Operacional 14 Juros (63) Dividendos pagos e recebidos (48) Capex (369) Aumento de capital 370 Outros 19 Fluxo de Caixa Livre (77) Impacto cambial (185) Aquisição e impacto de perímetro (32) Variação da dívida líquida (294) 23 Reconciliação do Fluxo de Caixa Aumento de capital para financiar a expansão e diversifação do segmento de cereais  100% de contribuição para o aumento de capital (R$370 milhões)  Principais investimentos: Brasil: R$154.4 milhões Cereais: R$153.9 milhões Oceano Índico: R$37,2 milhões (1) Inclui o aumento de capital de R$370 milhões
  24. 24. 3.001 2.293 2.150 2.498 3.084 3.223 3.043 3.333 4.8x 3.0x 2.5x 2.6x 3.3x 3.4x 3.2x 3.7x - 500 1.000 1.500 2.000 2.500 3.000 3.500 2 4 6 08/09 09/10 10/11 1T 11/12 2T 11/12 3T 11/12 4T 11/12 1T 12/13 Real 16% Dólar 45% Euro 37% Outros 2% Dívida 9,5% de aumento principalmente devido ao efeito de câmbio  Dívida líquida / EBITDA Ajustado: 3,7x vs 3,2x em março de 2012  Impacto cambial devido ao fortalecimento do Dólar e do Euro contra o Real: R$261 milhões 24 Dívida Bruta Abertura por moedaDívida Em R$ milhões 30/06/20121 31/03/2012 Variação Circulante 1.578 1.291 287 Não-circulante 2.550 2.384 166 Custos amortizados (24) (25) 1 Total da Dívida Bruta 4.103 3.650 453 Em € 1.540 1.402 138 EmUSD 1.846 1.652 194 Em R$ 677 557 120 Outras moedas 65 64 33 Caixa e Equivalente de Caixa (792) (624) (168) Dívida Líquida Total 3.311 3.026 285 Partes Relacionadas 22 17 5 Dívida Líquida Total + Partes Relacionadas 3.333 3.043 290 (1) Dívida líquida corrigida em 30 de junho de 2012 inclui o aumento de capital de R$370 milhões Alavancagem (R$ MM) (Dívida Líquida/ EBITDA Ajustado)
  25. 25. Perspectivas
  26. 26.  Cana-de-açúcar:  Brasil: aumento na previsão de moagem • Impactos das chuvas na produção a serem recuperados no curso da safra • Investimentos em plantio dos últimos 2 anos aliados a melhores condições metereologicas: aumento na previsão de processamento de 12/13 para 18,2 milhões de toneladas (+10,3% em relação a 11/12)  Oceano Índico: ambiente de preços favorável para os nossos produtos • Moçambique: aumento na produção em razão de maior disponibilidade de matéria- prima • Ilha da Reunião: produção estável, com um aumento nos preços de açúcar  Cereais:  Europa: maior flexibilidade nas unidades de produção e mercados de nicho • Produção de glúten e projeto de dextrose em BENP Lillebonne e cogeração & especialidades em Saragoça  Mercados em forte crescimento: projetos greenfield em andamento • Brasil: Unidade de milho Syral-Halotek, teste programado para o 4T 2012/13 • China: JV estabelecida com Wilmar, primeiro projeto em construção 26 Perspectivas
  27. 27. 27 Relações com Investidores Telefone: +55 (11) 3544-4900 ri@tereosinternacional.com
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×