Your SlideShare is downloading. ×
"O que é leitura?"
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

"O que é leitura?"

12,925

Published on

Trabalho sobre "O que é leitura" do curso de Licenciatura em letras - Língua Portuguesa da Universidade do Estado do Pará.

Trabalho sobre "O que é leitura" do curso de Licenciatura em letras - Língua Portuguesa da Universidade do Estado do Pará.

1 Comment
5 Likes
Statistics
Notes
  • Excelente trabalho.
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total Views
12,925
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
186
Comments
1
Likes
5
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Universidade do Estado do Pará
    Curso de Licenciatura em letras
  • 2. Matéria : Produção e recepção de textos.
    Professora : Izilda
    Grupo :
    Marcelo
    Tayná Guedes
    Natalia Almeida
    Débora Lobato
    Cristiane Vaz
    Cristiane
    Diane
    Priscila Raquel
  • 3.
    • No inicio os homem pintava nas paredes das cavernas figuras, chamadas de pictografias.
    • Na antiguidade, o conhecimento era transmitido oralmente. Por isso, a arte da oratória era base dos ensinamentos, sendo através do diálogo que os mestres ensinavam os aprendizes. 
    • 4.  Em função das dificuldades de publicar e divulgar as obras escritas, o leitor era um ouvinte, onde leitores e não leitores tinham mais contato no sentido de resignificar os textos.
    • Os textos eram escritos em volumes, rolos de papiros, um dos primeiros de registrar os pensamentos.
    • A leitura e a escrita estava restrita a poucos privilegiados. Na Grécia, restringia-se aos filósofos e aristocratas, enquanto em Roma a escrita tornou-se uma forma de garantir os direitos dos patrícios às propriedades. Na Idade Média , uma minoria era alfabetizada.
    • As igrejas, os mosteiros e as abadias converteram-se nos únicos centros da cultura letrada.
    • Nos mosteiros e abadias medievais encontravam-se as únicas escolas e bibliotecas da época, e era lá que se preservavam e restauravam textos antigos da herança greco-romana.
    • Durante muito tempo, a leitura ficou atrelada à esfera clerical, porém, em meados do século XI, com o aumento das atividades comerciais e manufatureiras, que provocou o crescimento das zonas urbanas, a igreja começou a perder, pouco a pouco, o poder sobre o ensino.
  • Falando em Leitura...
  • 5. “Bastará porém decifrar palavras para acontecer a leitura?” (Martins,2007 p.7)
  • 6.
    • Ao se ler, ocorre muito mais que uma decodificação das letras ali existentes, há uma verdadeira interação entre leitor – texto – autor.
    • 7. “A leitura, de fato, longe de ser uma recepção passiva, apresenta-se como uma interação produtiva entre o texto e o leitor.” (Jouve,2002 p. 61)
  • Existe vários modos de leitura.
  • 8. Leitura não-verbal
    Signos da
    auto-imagem
  • 9. 1º variável:
    O homogêneo não é passível de leitura
    “A atenção é um ato indutivo que controla espontaneamente ou cria condições artificiais de controle das sensações provocadas por agressões aos sentidos e decorrente de fragmentos ambientais, circunstanciais e imprevistos.” (Ferrara, p. 23)
  • 10.
  • 11.
    • É comum falarmos em leitura de mãos,
    • 12. Ler as cartas,
    • Ler o olhar de alguém e as suas expressões.
    • Tais expressões cotidianas mostram que a leitura esta presente em todos os momentos de nossa vida.
    • 13. Praticamos a leitura da vida ao nosso redor desde que nascemos.
    • 14. Percebendo movimentos, toques e carinhos os bebês vão adquirindo a habilidade da leitura.
    • A leitura ocorre efetivamente quando estabelece –se a ligação afetiva com o objeto lido, seja qual for. Isso é o sentimento de afetividade da leitura.
    • 15. “Isso pode acontecer também com relação a pessoas com quem convivemos, ambientes e situações cotidianas, causando um impacto, uma surpresa, até uma revelação” ( Martins, 2007, p.9)
    • O sentimento de ligação, afetividade, não ocorre somente com os livros e textos, também com tudo a nossa volta.
  • 16.
  • 17.
  • 18.
    • Quando não ocorre esse sentimento de ligação com que lemos, o texto torna-se superficial.Ocorre o sentimento de superficialidade, contrario ao de afetividade.
    • 19. Não nos conectamos ao lido, tornando-se uma leitura desinteressante,fatídica, e logo não tão proveitosa quanto seria se houvéssemos ligados ao texto.
  • “Não nos acrescentamos ao ato de ler algo mais de nós alem de gestos mecânicos de decifrar sinais.” ( Martins, 2007, p.9)
  • 20. O sentimento de superficialidade na leitura não ocorre somente com textos, e sim com tudo a nossa volta. Tal como ocorre com o sentimento de ligação afetiva.
  • 21.
  • 22.
  • 23.
  • 24. Ou você nunca se perguntou como , por exemplo, seu amigo conseguiu ver naquele quadro uma obra de arte, e você não?
  • 25.
    • Pra ele ocorreu a leitura efetiva com a obra, pra você a leitura superficial, não houve a conexão com o objeto.
    • 26. “Quer dizer: não o lemos, não o compreendemos, impossível dar-lhes sentido porque ele diz muito pouco ou nada para nós.” ( Martins, 2007, p.10)
    • A leitura é um ato individual, cada pessoa realiza a sua considerando seu conhecimento de mundo, suas experiências, seus sentimentos e seu olhar perante o objeto lido.
    Veja esta imagem ao lado:
  • 27. Como você a interpreta? Quais sentimentos instigou em você? Que leitura você fez?
    Com certeza a sua leitura foi diferente do seu colega do lado, os sentimentos instigados foram distintos, e o olhar ao objeto também.
    Isso porque cada um fez a sua leitura.
  • 28. Vamos ver como esta a sua leitura da vida?
  • 29.
  • 30.
  • 31.
  • 32. “Porque tu sabes que é de poesia
    Minha vida secreta. Tu sabes, Dionísio,
    Que a teu lado te amando,
    Antes de ser mulher sou inteira poeta.
    E que o teu corpo existe porque o meu
    Sempre existiu cantando. Meu corpo, Dionísio,
    É que move o grande corpo teu
    Ainda que tu me vejas extrema e suplicante
    Quando amanhece e me dizes adeus.”
    Hilda Hilst
  • 33.
  • 34.
  • 35.
  • 36.
  • 37.
  • 38.
  • 39.
  • 40.
  • 41.
  • 42.
  • 43.
  • 44.
  • 45. “A leitura do mundo precede sempre a leitura da palavra e a leitura desta implica a continuidade da leitura daquele.”
    Paulo Freire
  • 46. Obrigado!
  • 47. Referencias Bibliográficas.
    • MARTINS,M. O que é leitura. São Paulo. Brasilienses. 2007.
    • 48. YUNES. E. Pensar a leitura: Complexidade. Edições Loyolas. 2002.
    • 49. JOUVE, V. A leitura. Unespe. 2002
    • 50. MORAIS,J. A arte de ler. Unesp. 1996.
    • 51. SILVA, E., ZILBERMANN, R. e ORLANDI,E. Leitura – Perspectivas Interdisciplinares. Ática. 1988.

×