II PROJETOS - vii. ALOCAÇÃO DE RECURSOS

4,557 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
4,557
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
14
Actions
Shares
0
Downloads
133
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

II PROJETOS - vii. ALOCAÇÃO DE RECURSOS

  1. 1. UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PARANÁ - CAMPUS DE CAMPO MOURÃO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (DEP) CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AGROINDUSTRIAL DISCIPLINA DE PROJETO DO PRODUTO, DO TRABALHO E DAS INSTALAÇÕES AGROINDUSTRIAIS Professora Msc. THAYS PERASSOLI BOIKO GUSTAVO TONET SANTOS JESSE RATIER ROBERTO CARMASSIO ALOÇÃO DE RECURSOSCampus de Campo Mourão
  2. 2. Roteiro da Apresentação Introdução; Método do Caminho Crítico – Acelerando um Projeto; O Problema da Alocação de Recurso; Alocação de Recurso; Nivelamento de Recurso; Programação de Recurso Limitado; Programação de Multiprojetos e Alocação de Recurso; Conclusão. 2
  3. 3. Introdução 3
  4. 4. Método do Caminho Crítico –Acelerando um Projeto Na construção de projetos existe a necessidade de se acelerar atividades que o compõem para se respeitar o tempo estabelecido; Com o aceleramento do projeto pode-se aumentar os problemas de alocação de recursos e aumentar custos que envolve o projeto. Para minimizar os problemas e o aumento de custos é usado métodos de planejamento como: PERT/CPM; Via Rápida (Fast-Tracking). 4
  5. 5. PERT/CPM Esta técnica permite listarmos as atividades necessárias ao desenvolvimento do projeto, quando elas devem ser realizadas e muitas vezes indicam quais atividades que não podem ser atrasadas para que a data de entrega do sistema possa ser cumprida. Após a estimativa das dependências e duração das atividades, pode-se desenhar o diagrama PERT-CPM que: Mostra quais atividades que podem ser realizadas em paralelo; Mostra quais atividades que devem ser realizadas em seqüência, por causa da dependência com outras atividades que devem ocorrer antes. 5
  6. 6. PERT/CPMExemplo de rede PERT/CPM Microsoft Project OmniPlan 6
  7. 7. Via Rápida (Fast-Tracking) No método de Via Rápida se faz uma sobreposição das fases de concepção e construção do projeto, assim diminuindo o tempo de duração do projeto. 7
  8. 8. O Problema da Alocação de Recurso Na alocação de recurso se destacam dois problemas que são: Tempo Limitado: onde existe um tempo estabelecido para a conclusão do projeto usando o mínimo de recursos possível. Recurso Limitado: o projeto deve ser completado com o mínimo de tempo e não pode exceder o nível determinado de recursos. 8
  9. 9. Alocação de recurso Alocação de recursos descreve as quantidades de recursos individuais que uma programação já existente requer durante períodos específicos de tempo. A alocação de recursos da uma noção geral das demandas que um projeto ou conjunto de projetos representará nos recursos da firma. 9
  10. 10. Calendário de recursos Calendário de recurso composto do projeto documenta os dias trabalhados e os dias não trabalhados que determinam as datas nas quais um recurso específico, uma pessoa ou material, pode estar ativo ou está ocioso. O calendário de recurso do projeto identifica a quantidade de cada recurso disponível durante cada período de disponibilidade. 10
  11. 11. Calendário de recursos O calendário de recurso composto, desenvolvido como parte do processo Estimativa de recursos da atividade, inclui a disponibilidade, capacidades e habilidades dos recursos humanos. Também são considerados o tipo, quantidade, disponibilidade e capacidade, quando aplicáveis, dos recursos de equipamentos e material que poderiam influenciar de forma significativa a duração das atividades do cronograma. 11
  12. 12. Calendários de projeto e recursosOs calendários de projeto e os calendários de recursos identificam osperíodos em que o trabalho é permitido. Os calendários de projeto afetamtodas as atividades. Os calendários de recursos afetam um recursoespecífico ou uma categoria de recursos específica.Os calendários de recursos refletem como alguns recursos trabalhamsomente durante o horário comercial normal, enquanto outros trabalhamtrês turnos completos ou refletem a indisponibilidade de um membro daequipe do projeto, por estar de férias ou em um programa de treinamento,ou um contrato de trabalho que pode limitar a presença de determinadostrabalhadores a certos dias da semana. 12
  13. 13. Nivelamento de recursos O nivelamento de recursos é uma técnica de análise de rede do cronograma aplicada a um modelo de cronograma que já foi analisado pelo método do caminho crítico. O nivelamento de recursos é usado para abordar as atividades do cronograma que precisam ser realizadas para atender às datas de entrega especificadas, para abordar situações em que recursos necessários críticos ou compartilhados estão disponíveis somente em determinados períodos ou em quantidades limitadas ou para manter a utilização de recursos selecionados em um nível constante durante períodos de tempo específicos do trabalho do projeto. Essa abordagem de nivelamento da utilização de recursos pode fazer com que o caminho crítico original mude. (http://wpm.wikidot.com/tecnica:nivelamento-de-recursos) 13
  14. 14. Nivelamento de recurso O nivelamento de recursos é uma forma de corrigir a sobrecarga de recursos. De um modo geral, os recursos são nivelados de duas formas: Atrasando uma tarefa até que o recurso atribuído tenha tempo para trabalhar nela; Dividindo uma tarefa para que parte de uma tarefa é realizada conforme planejado e a restante parte é realizada posteriormente quando o recurso atribuído tiver tempo; Um recurso com sobrecarga tem mais trabalho atribuído do que aquele que pode ser realizado no tempo disponível desse recurso. (http://office.microsoft.com/pt-pt/project-help/acerca-do-nivelamento-de-recursos) 14
  15. 15. Nivelamento de recurso Porém, apesar do nivelamento garantir que os recursos não estejam super- estimados, evitando picos, o método normalmente aumenta o prazo do projeto. Sendo assim, análises de custos e prazos devem ser feitas antes do nivelamento e verificadas novamente após a aplicação do método. 15
  16. 16. Nivelamento de recurso Como exemplo, podemos citar um caso do livro “Certificação PMP, de Armando Monteiro, Segunda-Edição – Editora Brasport”: Antes do nivelamento: Primeira Semana – 2 recursos; Segunda Semana – 4 recursos; Terceira Semana – 8 recursos ; Quarta Semana – 2 recursos. 16
  17. 17. Nivelamento de recursoApós o nivelamento: Primeira Semana – 2 recursos; Segunda Semana – 4 recursos; Terceira Semana – 4 recursos; Quarta Semana – 4 recursos; Quinta Semana – 2 recursos. 17
  18. 18. Programação de Recurso Limitado Existem duas abordagens para o problema de alocação limitada: Modelos Heurísticos: Consiste em aproximar- se da resposta através de tentativa e erro ou até mesmo de idéias tiradas de situações similares. Modelos Otimizados: Procura as melhores soluções, porém tem capacidade limitada de resolução de situações complexas. 18
  19. 19. Método Heurístico Os métodos heurísticos geralmente começam com o planejamento PERT/CPM e a análise do uso de recurso período após período. Em um período em que a fonte de um recurso seja excedida, a heurística utilizada examina as tarefas nesse período e aloca tal recurso de acordo com alguma regra de prioridade. 19
  20. 20. Método Heurístico A abordagem heurística é muito utilizada pelo fato de: Ser um método prático de ataque ao problema; Gerar boas resoluções aos problemas, mesmo estas não sendo resoluções ótimas. 20
  21. 21. Método Heurístico A principal diferença entre os métodos heurísticos está nas regras de prioridade que serão usadas. 21
  22. 22. Regras de prioridades mais utilizadas O Mais Rápido Possível: A regra padrão para planejamento. Isso fornece a solução geral para o caminho e tempo críticos. O Mais Tarde Possível: Todas as atividades são planejadas o mais tarde possível sem atrasar o projeto. O objetivo desta regra é adiar a saída de dinheiro o máximo possível. 22
  23. 23. Regras de prioridades mais utilizadas Tarefa Mais Curta Primeiro: As tarefas são ordenadas em tempos de duração. Da mais curta para a mais longa. Mais Recursos Primeiro: As tarefas são ordenadas pelo uso de um recurso específico, com o maior usuário encabeçando a lista. A suposição para esta regra é a de que as tarefas mais importantes empreguem uma demanda mais elevada de recursos escassos. 23
  24. 24. Regras de prioridades mais utilizadas Folga Mínima Primeiro: Essa heurística ordena as tarefas pela quantidade de folga, com a de menor folga vindo na frente; Seguidores Mais Críticos: As tarefas são arrumadas pelo número de atividades críticas que as seguem. Aquelas com o maior número de seguidores críticos vai primeiro. 24
  25. 25. Regras de prioridades mais utilizadas Mais sucessores: Essa é a mesma regra que a anterior, exceto que todos os seguidores e não meramente os críticos, são contados; Arbitrária: As prioridades são determinadas às atividades de acordo com alguma regra não associada à duração, à folga ou às exigências de recursos. 25
  26. 26. Regras de prioridades mais utilizadas Mais sucessores: Essa é a mesma regra que a anterior, exceto que todos os seguidores e não meramente os críticos, são contados; Arbitrária: As prioridades são determinadas às atividades de acordo com alguma regra não associada à duração, à folga ou às exigências de recursos. 26
  27. 27. Método de Otimização Os métodos para achar uma solução otimizada para o problema da programação de recursos limitados caem em duas categorias: Programação Matemática; Enumeração. 27
  28. 28. Método de Otimização Programação Matemática: Geralmente quando utilizado se trata de programação linear (LP). Enumeração: São utilizadas linguagens de programação (C++, Java, SQL) para resolução de algorítimos. 28
  29. 29. Programação de Multiprojetos eAlocação de Recursos Programar e alocar recursos para projetos múltiplos é mais complicado. A abordagem mais comum é a de tratar os diferentes projetos como se fossem elementos de um único projeto grande. Outra maneira é considerar todos os projetos como independentes. 29
  30. 30. Programação de Multiprojetos eAlocação de Recursos Três parâmetros necessários para medir a eficácia da programação e Multiprojetos são: Desvio da programação; Utilização de Recurso; Inventário do processo. 30
  31. 31. Desvio da programação É o tempo passado após a data de vencimento ou de entrega do projeto, quando o projeto é terminado. Acarreta em diminuição de lucros, e as vezes em um efeito dominó nos Multiprojetos, onde um projeto atrasa o outro. 31
  32. 32. Utilização de Recurso Trata do alto custo de alocação de um recurso, levando as vezes um projeto resultar em grandes prejuízos quando mal programado. 32
  33. 33. Inventário do processo Trata da quantidade de trabalho esperando para ser processado porque há falta de algum recurso. 33
  34. 34. Métodos de programação deMultiprojetos Programação matemática Parte de 3 objetivos: Tempo total mínimo do processamento para todos os projetos; Tempo total mínimo de conclusão para todos os projetos; Total de atraso ou de multa por atraso mínimos para todos os projetos. 34
  35. 35. Métodos de programação deMultiprojetos Heurística: Método de Programação de Recurso; Última Data de Término Mínima (ultimas datas de inicio são programadas primeiro); Maior Demanda de Recursos; Maior Utilização de Recurso; Trabalhos Mais Possíveis. 35
  36. 36. Conclusão Após uma sucinta leitura sobre o Alocação de Recursos percebeu-se que o problema constante do gerenciamento de projetos é a utilização de recursos sem desperdiçar tempo, já que uma boa programação garante que os prazos de entrega sejam respeitados, garantindo a satisfação do cliente. 36
  37. 37. Referências Bibliográficas MEREDITH, Jack R.; MANTEL Jr., Samuel J. Administração de Projetos: Uma abordagem Gerencial. 4 ed. Rio de Janeiro: LTC, 2003. ZANINI, Romel. O que é Planejamento PERT - CPM. Disponível em: <http://romelzanini.blogspot.com/2007/07/planejamento-pert-cpm.html>. Acesso em: 08 fev. 2011. 37
  38. 38. UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PARANÁ - CAMPUS DE CAMPO MOURÃO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (DEP) CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AGROINDUSTRIAL DISCIPLINA DE PROJETO DO PRODUTO, DO TRABALHO E DAS INSTALAÇÕES AGROINDUSTRIAIS Professora Msc. THAYS PERASSOLI BOIKO – thaysperassoli@bol.com.br GUSTAVO TONET SANTOS – gts_pr@hotmail.com JESSE RATIER – J4_hand@hotmail.com ROBERTO CARMASSIO – beto.epa@hotmail.com ALOÇÃO DE RECURSOSCampus de Campo Mourão

×